Concurso para a Polícia Civil da Bahia pede comprovação de virgindade

Tempo de leitura: 2 min

do Terra, dica da Maria Frô

Uma norma constante no edital de um concurso público promovido pelo governo baiano para a Polícia Civil do Estado levou a seccional baiana da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) a emitir uma nota de repúdio nesta quarta-feira. O edital exige a comprovação de virgindade para candidatas aos postos de delegado, escrivã e investigador.

“Essa exigência nos dias atuais é, extremamente, abusiva e desarrazoada em virtude da grave violação ao inciso III do art. 1º da Constituição Federal de 1988, que consagra o Princípio da Dignidade da Pessoa Humana, bem como ao art. 5º do citado Diploma Legal, que dispõe sobre o Princípio da Igualdade e o Direito a Intimidade, Vida Privada, Honra e Imagem”, diz a nota da Comissão de Proteção aos Direitos da Mulher da OAB-BA.

O edital pede exames de “colposcopia, citologia e microflora” às candidatas, mas libera a apresentação dos exames para as mulheres com “hímen íntegro”, exigindo, no entanto, a apresentação de atestado médico para a comprovação da referida condição, com assinatura, carimbo e CRM do médico que o emitiu.

Segundo a OAB-BA, o Estado “atuou desrespeitando o mínimo existencial para as candidatas”. “A imposição legal de critérios de admissão baseados em gênero, idade, cor ou estado civil configura uma forma gravosa de intervenção no âmbito da proteção à igualdade jurídica (CF, art. 5º, caput) e da regra que proíbe quaisquer desses requisitos como critério de admissão (art. 7º, XXX,CF), além das violações à Lei 9.029/95”, diz trecho da nota.

“Exigir que as mulheres se submetam a tamanho constrangimento é, no mínimo, discriminatório, uma vez que tal exigência não tem qualquer relação com as atribuições do cargo, além de tornar mais oneroso o concurso para as candidatas do gênero feminino”, segundo a OAB-BA.

O concurso tem 600 vagas, com salários variando de R$ 1.558,89 a R$ 9.155,28.

Terra tentou contato com a Secretaria de Administração do governo da Bahia, sem sucesso.

Leia também:

O fracasso do governo Dilma nas políticas de comunicações

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Mariana Luz P.

A que ponto chegamos. Estou realmente interessada em fazer concurso para a Polícia mas ando me decepcionando com coisas toscas como essa. Acordo Brasil.

Gil Teixeira

A coisa é simples: a forma como está colocado no edital é sim uma invasão de privacidade. Mas para um país que se diverte com os datenas da vida não me surpreende, embora me deixe perplexo!

renato

Homem tem que fazer teste de Tenesmo.
De força no esfincter. Porque a coisa
para Policia não está fácil.
O Homem que apresentar Hemorroidas internas
ou externas, não poderão ingressar nas forças,
pois a coisa pode agravar numa operação policial,
e se ficar sentado fazendo BO a coisa agrava-se.
E a bandidagem sempre diz que ” Vô arrebentar tua
amorróida”.
Assim não dá, assim não pode!

Jotage

Quanta asneira para se ler nesta publicação.
1 – o edital não pede atestado de virgindade, mas sim um substituto para exames invasivos.
2 – discutir se o edital discrimina mulheres é de uma estupidez cavalar, pois o edital discrimina qualquer um, pois exige saúde perfeita para que se possa ter um emprego público, quando a obrigação do tratamento é do estado. Se o candidato não tem boa saúde a culpa é do estado, mas é o candidato que paga por ela.
3 – o correto seria fazer o concurso e após fazer exames admissionais dos aprovados para tratar as pessoas carentes de tratamento.

Jorge Pereira

Creio que esse destaque na questão da virgindade é assimilação do quê a imprensa PiG faz de melhor que é distorcer a notícia. Não se pede que a canditada obrigatoriamente seja virgem como sugere o texto e sim que se caso ela seja e apresentar o atestado não precisará fazer alguns exames invasivos nessa região.

Gerson Carneiro

“@jqcqueswagner Sobre o concurso da Polícia Civil, determinei a IMEDIATA SUSPENSÃO dos itens que possam causar constrangimento ou discriminação às mulheres.”

Gerson Carneiro

Se eu fosse a Conceição Lemes ou o Azenha já teria dito que a culpa é do VIOMUNDO só pra encerrar o assunto.

Danilo

Que papelão Viomundo! Publicar um texto como esse! Deve ser alguma pegadinha. É pegadinha, não é? Cadê a câmera?

    Conceição Lemes

    Danilo, é a primeira vez que vc aparece por aqui. Dá pra eu saber pelo teu IP. Papelão é o governo da Bahia propor avaliação como esta para admissão de uma mulher.É atestado de estupidez, ignorância e machismo. Reitero a pergunta que já fiz anteriormente. Essas mulheres são candidatas a um cargo na Polícia Civil ou a Virgem Maria? Não tem nenhum cabimento fazer esse exame médico para alguém ser admitido no emprego.
    E olha que sou repórter especializada em saúde há 32 anos. sds

    Paulo

    Conceição, respeito sua opinião. Mas, gostaria de entender porque bater no Governo da Bahia e não bater no Governo Federal e no Governo de São Paulo. Ambos haviam lançado edital com exigências iguais anteriormente e ninguém “viu”. E se for fazer uma busca mais apurada veremos muitos outros concursos com essas mesmas exigências. Simplesmente não consigo entender tanto barulho…

    renato

    O Paulo tem razão? Maria Conceição!
    Se tem há algo de estranho nisto!

Manuel Marques

Azenha
Concordo com alguns comentários postados aqui. Gosto muito de ti, admiro e respeito o seu trabalho, mas esse texto descontestualizado lembra as matérias da Veja. Sei que você é maior do que essa besteira que foi publicada aqui.
Um forte abraço
Manuel Marques

    Luiz Carlos Azenha

    Tanto não é que o governador da Bahia, Jacques Wagner, intercedeu e retirou a exigência absurda. abs

r godinho

A questão não é exigir ou deixar de exigir virgindade de candidatas.
A questão é: por que diabos é necessária a realização de um exame ginecológico completo, para admissão ao cargo público?
Para homens e mulheres, na área de saúde genital, só há uma doença incapacitante para o cargo: o câncer, em estágio avançado. Para detetar um câncer assim, bastaria uma ultrassonografia. Pequenos tumores não seriam localizados, mas também não são incapacitantes para o cargo. Os grandes seriam visíveis no exame, indicando que o candidato terá sérias restrições de saúde para o trabalho, senão já, muito em breve.
O que está em jogo é o mesmo que ocorre em vários outros concursos públicos: uma espécie de eugenia. Como são obrigados a oferecer vagas aos deficientes, esses eugenistas – nazistas disfarçados – dão vazão a sua sanha purificadora da raça através da criação de impedimentos na área de saúde, absolutamente injustificáveis. Qual o problema se uma mulher apresentar HPV em um exame? Ou um homem ser portador de herpes? É evidente que um policial deve ter boa saúde cardiovascular, locomotora e mental. Mas qual o problema de ter algum problema ginecológico ou urológico? Isto é eugenia disfarçada. Isto é exclusão nazifascista sob o falso argumento da boa saúde imprescindível para o cargo.
Não é um ataque somente à dignidade das mulheres, é apenas piorado no caso delas. É um ataque a dignidade de todo cidadão, homem ou mulher, descaradamente disfarçado sob o manto da preocupação com a boa saúde dos candidatos…

Paulo

Equívoco – Apesar da grande repercussão, o edital de abertura do concurso não exige que a candidata apresente um atestado de virgindade para ser aprovada para o cargo pleiteado.

A declaração é uma alternativa para aquelas que não desejem realizar a “avaliação clínica ginecológica contendo colposcopia, citologia e microflora”.

Para os candidatos do sexo masculino não foi exigido nenhum teste específico sobre a saúde do aparelho reprodutor, com exceção de um exame de próstata (PSA) para homens com mais de 45 anos.

Outros concursos no Brasil apresentam texto semelhante no edital. É o caso dos processos seletivos para o Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, realizado em 2011, para o Departamento de Ciência e Tecnologia Aerospacial do Ministério da Defesa, ainda em aberto, e para a Secretaria Estadual de Educação de São Paulo, realizado em 2012.

No primeiro caso, o atestado de hímen íntegro dispensa a candidata dos exames de colpocitopatologia oncótica e ecografia transvaginal.

Para a seleção do Ministério da Defesa, por sua vez, as candidatas virgens podem substituir o exame colpocitológico por um ultrassom pélvico. No concurso de São Paulo, candidatas com menos de 25 anos ou que não tenham vida sexual ativa são dispensadas da colposcopia e colpocitologia oncótica.

Fonte: Jornal A Tarde

E agora? Viram esse “absurdo” no concurso da Polícia Civil da Bahia mas não viram esse “tamanho absurdo” no edital da secretaria de educação de São Paulo ou no edital do ministério da defesa? Essas informações seletivas que me incomodam na imprensa brasileira.

    renato

    Parabens Paulo! Mandou bem!
    Não dá para deixar por menos, há que ser
    duro, com quaisquer que demonstrem superficialidade.

Wilson Luiz

Não sei a quem interessa deturpar uma notícia de tamanha simplicidade. Será que a revista de banheiro VEJA está fazendo escola?

Ora, senhor editor. Há duas consideraçõe simplórias a serem feitas:

1 – Um dos requisitos legais e constitucionais para admissão ao serviço público é ter boa saúde. Portanto, é possível que a Administração exija comprovação disso. Pode-se discutir sobre a necessidade e razoabilidadedo exame citológico ginecológico. É legítimo fazê-lo. Mas ocorre que, normalmente o Poder público exige das mulheres o exame PAPANICOLAU. E ninguém fica reclamando por isso.

2 – O que o edital faz não é uma discriminação contra as não virgens. Pelo contrário, as dispensa do exame, mediante atestado médico, para que não sejam obrigadas a submeter-se a exame invasivo. Todavia, se estas quiserem fazer o exame, podem, não estão proibidas.

É preciso que as pessoas aprendam a interpretar um texto simples como esse. O Brasil é, com certeza, um dos campeões de analfabetismo funcional (incapacidade de entender minimamente um texto).

A imprensa, incluindo esse respeitável “site”, deve colaborar para com a correta informação, e não com o império da ignorância e da manipulação.

    Luiz Carlos Azenha

    Deve ser por isso que o governador Jacques Wagner acaba de anunciar que vai retirar a exigência do edital…

    Carlos Cruz

    Se utilizasse o “dominio do fato” esse era cassado logo,logo. O pior governo da Bahia de todos os tempos!!!!

    Paulo

    Azenha, o governador certamente vai tirar do edital devido à repercussão que teve o assunto e não porque acha um absurdo.
    Exames de saúde são pedidos para admissão em qualquer emprego, não vejo o motivo para tanto barulho.

    Manuel Marques

    Azenha
    Jaques vai tirar porque é fraco e tem medo dos bandidos de sempre. Não tem sentido violar o hímen de uma virgem pra fazer um exame, assim como não é direito dar posse a uma pessoa com doença que trará danos ao Estado. Como resolver? não causando constrangimento às virgens nem deixando de examinar as que podem ter contraído alguma doença alguma doença sexualmente transmissível. Nos concursos da Polícia Federal se exige das mulheres menos da metade dos exercícios que se exigem dos homens. Não vi nenhum homem dar “Piti”. Acho que não cabe em nenhum dos casos, né?
    um forte abraço
    Manuel Marques

    Gerson Carneiro

    Wilson Luiz,

    Não entendi nada do que tu escreveu. Pode explicar novamente?

abolicionista

Queria ver se fosse o contrário, se pedissem para os homens apresentarem exame de próstata, por exemplo.

Marcio Dreux

A “notícia” nada tem a ver com o título. Uma manipulação ridícula, que muitos aqui, ingenua ou precipitadamente embarcaram. Parece que aqui também tem leitor de Veja…

Magda Viana Areias

Ai, que vergonha sem limites

Paulo Saannenberg

Tem de pedir o teste da farinha pros barbados!!!

Wanderson Brum

Pô Schnaps Wagnaer, assim cê que bra a banca, todo ano deixa os puliça aprontar uma, agora essa…Ai fica dificil ser esquerda na Bahia…Cada uma viu…

Urbano

Alguém já disse que em nosso país (ele se referia exatamente a um determinado período trevoso de nossa história) havia tantos burros mandando, que às vezes ele pensava que a burrice fosse uma ciência. Continuamos assim, pois para um cara fazer uma bósnia dessa, há de ser bem estreitozinho de juízo. E olhem que a dose foi bem cavalar.

Apavorado por Vírus e Bactérias

Quem redigiu o edital e quem aprovou comeu escremento antes do trabalho? Ou estavam em coma alcoólica? Ou usou muito LSD? E aí Governador da Bahia, você só da bola fora. Vai ser eleito para morar com o Serra.

renato

É simples, avisa a Presidente Dilma, que falou que ninguém
escaparia dela, e concordo. Põe estes vagabundos atras das
grades.

Valdeci Elias

Acho que o problema, é porque as mulheres que fizerem os exames, indiretamente a familia vai saber que ela não é mais virgem.

    A Lesma Lerda

    ahhhh.. sim e isso no seculo XVIII dava um problemão..

Nilton Cursino Siqueira

“Vi o mundo” tá batendo bumbo pro PIG????
Numa rápida pesquisa encontrei o edital onde consta:
11.12.2.2 A candidata que possui hímen integro esta dispensada de entregar os exames que constam no item 11.12.2.1, inciso VI, alínea “a”: colposcopia, citologia e microflora, desde que apresente atestado médico que comprove a referida condição, com assinatura, carimbo e CRM do médico que o emitiu.

Se os exames são necessários ou não, não sei.
Mas que esta notícia é uma deturpação, isto é!!!!

Princípio básico no jornalismo é pesquisar a notícia na fonte. Ou não é?

    Conceição Lemes

    O que tem ser virgem com a admissão no emprego? Essas mulheres são candidatas a delegadas e outros cargos na polícia ou a Virgem Maria? Desde quando exame ginecológico é necessário ser delegada?! ISSO NÃO EXISTE. Revela machismo, incompetência, estupidez, burrice, tudo junto, pra dizer o mínimo. sds

    Clovis Campos Neto

    Vamos deixar de imbecilidades.
    A mulher não precisa ser virgem para disputar o cargo.

    Se ela for virgem está dispensada de apresentar os resultados de alguns exames invasivos, que poderiam romper o himem íntegro, nada alem disso.

    Waldir

    Não se trata de “exame ginecológico”, simplesmente, Conceição. Trata-se de exame de saúde. Certamente exames, de outro tipo, é claro, serão exigidos dos candidatos homens. Um/uma policial deve ter saúde perfeita para exercer esse cargo, difícil e que exige muito dos integrantes.
    O que o edital faz é simplificar para as candidatas virgens. Elas não serão obrigadas a fazer aqueles exames DE SAÚDE, repito, se puderem comprovar que são virgens. Ou seja, troca-se três exames por um.
    O resto é leitura e conclusões apressadas.

    Narr

    É apenas uma suposição, mas os exames médicos não são necessários, por força da lei, para a admissão de funcionários públicos? Por exemplo, e sempre por suposição, confesso minha ignorância e peço esclarecimentos, então, por exemplo, a senhorita candidata descobre no exame que é portadora de câncer. Poderia ser contratada mesmo assim? Repito, não julgo nada, sou um ignaro e pergunto mesmo.

    Luana

    Brava, Conceição Lemes!

    Gerson Carneiro

    Waldir,

    Você é afirmativo em relação às exigências feitas às mulheres mas, não é conclusivo, joga com hipótese na tentativa de justificativa, em relação aos homens.

    “Certamente exames, de outro tipo, é claro, serão exigidos dos candidatos homens”

    Mas ainda assim, digamos que você esteja certo.

    Esses “exames DE SAÚDE” são exigidos para quais outros cargos/profissões?

    Francamente, você e demais estão forçando a barra.

    Então quero saber dos especialistas que instigaram minha curiosidade:

    1. Há alguma enfermidade que está relacionada com a virgindade masculina, ou afeta algum órgão que esteja de certa forma relacionado à virgindade masculina, e que tenha relação com o cargo de delegado?

    2. Se afirmativo, por que não foi exigido o exame?

    Não é possível que exista alguma doença dessa natureza que atinga apenas as mulheres e que tenha relação com o cargo de delegada? Ou que a exigência de “saúde perfeita” seja apenas em relação às mulheres.

    É muito malabarismo para tentar explicar essa aberração.

    Narr

    Vou fazer aqui uma autocrítica. Pelo que foi interpretado, a exigência do governo baiano é (ou era, se foi suspensa) absurda. Supus que fosse uma questão médica e que a opção de não fazer determinado exame fosse livre. Não havia percebido que o governo exigiu que a intimidade da pessoa fosse obrigatoriamente exposta por documento assinado por médico, etc.

    Carlos

    Pelo amor de Deus, leiam o edital. Em nenhum lugar se exige que as mulheres sejam virgens para entrar na polícia, muito menos procura-se identificar quem é virgem e quem não é. Realmente, o Brasil é o país do analfabetismo funcional, as pessoas não conseguem interpretar o que leem. Está claro como água, a comprovação do hímem intacto é para DISPENSAR E NÃO SUBMETER as mulheres aos exames exigidos no edital. Se os exames exigidos são necessários, ai é outra história, mas claramente o edital não exige que nenhuma mulher seja virgem. Vamos ler e pensar um pouco, por favor.

    angelo

    “…A candidata que possui hímen integro esta dispensada de entregar os exames…”

    Ahhh…claro, então, tudo bem…

    Dá um tempo, Nilton.

    Gerson Carneiro

    E o que é isso aí senão pedido de comprovação de virgindade?

    Aonde há deturpação na notícia?

    Ramalho

    Exame ginecológico para candidatar-se a escrivã e delegada, independentemente da questão da virgindade, é absurdo dos absurdos. Mais espantoso é ainda, ao lado desta estupidez baiana, pois o estado ginecológico da candidata nada tem a ver diretamente com a função, ter-se enfermeira contaminando 10 bebês, transmitindo-lhes tuberculose em UTI!

    Será que os cozinheiros e garçons dos restaurantes que você frequenta estão livres de tuberculose, hepatite etc.?

    As autoridades baianas não param de surpreender negativamente.

carlos cruz

O PT regride ao estado pre-historico neo-liberal. Governo das incoerencias, das medidas populistas, do engodo. Saudade do ACM & Cia? repete os trejeitos e atitudes. Pt, sudações e NUNCA mais!!!!!!!!

    Nedi

    Vc acha que tá tudo errado e chama o acm pra consertar? É isso mesmo?

    Narr

    Mas se com ACM não havia as tais exigências, então que se dê o mérito a quem cabe. Se é que há mérito em questão.

    Carlos Cruz

    O Pt é tão incompetente que justifica seus erros pelos erros dos outros?!?!?!?! Só falta culpar a cobra do Paraiso. Mais pré-historico impossível! Vai regredir a Era dos dinossauros…

Marcelo de Matos

O PIG e os blogs progressistas têm uma pressa danada em sentar o pau nos governos do PT. Já li, talvez aqui neste blog mesmo, sobre os protestos de uma candidata à área da Educação, em Sampa, contra a realização de exames em clínicas particulares. A candidata entendia que o poder público tinha obrigação de realizar esses exames. A exigência de exames médicos, em geral, cria muita polêmica. Candidatas alegam a desnecessidade de certos exames, exatamente, por serem virgens. Essa exigência do edital pode ter tido o objetivo de obviar esses problemas. Se for virgem, que prove. Quem expediu o edital pode ter errado. Esses administradores deveriam ser ouvidos. O Terra alega que tentou fazê-lo. Será que insistiu ou partiu logo para a detração?

Gerson Carneiro

Absurdo. Constrangimento total.

É da Bahia também a receita médica “Cadealina” prescrita para uma mulher pobre e negra afim de emagrecimento.

“Gerson Carneiro: Bahia não é a terra da felicidade”

http://www.viomundo.com.br/voce-escreve/gerson-carneiro-bahia-nao-e-a-terra-da-felicidade.html

Maria Libiam

Interessante é ver os comentários dos homens, alias não vejo mulheres dando a sua opinião. Mas, a idéia central dos comentários resvala do indígno edital, igualzinho, igualzinho. Como temos machos e não homens nesta terra.

emerson57

o redator do edital foi http://www.cleycianne.com/

    A Lesma Lerda

    sabia que tinha o dedo da “ermã” nesse negocio aí….no bom sentido, com todo respeito.

Fredson Bispo

Acredito que a discussão está equivocada. E como criticamos o PIG por distorcer os fatos, não podemos fazer o mesmo. A questão é: O edital exige alguns exames ‘invasivos’ para as mulheres. As virgens (algo raro hoje em dia, porém, existente) ficam dispensadas do exame se apresentarem atestado comprovando a virgindade. O Edital não pede simplesmete comprovação de virgindade para as candidatas. PEde para as que quiserem ser dispensadas dos exames. Se tiver virgem que não veja problema em fazer os exames, então tudo certo… A questão central e que deve ser discutida é: Os exames são necessários??? São insispensáveis a uma policial??? Os outros concursos, em outros estados, pede a mesma coisa? Essa é a discussão…A manchete dessa matéria tá “PIGada”….

    Lu Witovisk

    Pediram exame de toque de prostata?

    Fredson Bispo

    Essa é a questão!!! A necessidade dos exames.

    carlos cruz

    Pode usar dentadura? Ou apenas loiros, olhos azuis, 1,80 de altura no mínimo?

    Valdeci Elias

    Se um homen que estraiu a prostata, provar que não tem prostata e ficar dispensado do exame de toque, vai ser um privilegio ou uma ofensa a pessoa ?

    Darwin

    é isto mesmo que diz o edital. Exige os chamados exames “invasivos” mas abre a possibilidade da candidata não realizar estes exames se possuir o “hímem integro”, devidamente comprovado por exame médico.
    Pode-se até contestar a exigência destes exames num concurso público, mas são muitos os concursos que elencam várias exigências e restrições para os candidatos, vide a reprovação de uma professora no último concurso do estado de SP por motivo de obesidade.

    Miguel A. de Matos

    Foi exatamente o que pensei quando li a matéria. Parece notícia da Folha, onde muitas vezes o texto contradiz a manchete.

Fabio

Não vai ter nenhuma candidata nesse concurso, mulher virgem hoje em dia??huahuaha

Mardones

Pense num absurdo…

ele aconteceu na Bahia.

Aposto que contrataram uma empresa para organizar o concurso e aposto que juram respeitar a Lei Orgânica Estadual, que por sua vez, diz respeitar os princípios constitucionais.

A Lesma Lerda

A Bahia não é para amadores..
é para quem tem nervos de aço:

http://www.vermelhinhodabahia.com/

Fernanda Cairós

Outra manchete no mesmo teor: “Cachorro fez mal à moça!”

Julio Silveira

Isso só pode ser uma sacanagem de algum adversário do governador, daqueles encastelados desde o tempo do Malvadeza. Mas de qualquer maneira isso mostra o quanto o governador bahiano é tanso. Isso é uma piada, kkkkkkkk.

Pedro Lima

Jaques Wagner é o Governador que mais joga contra o PT. Depois da greve dos professores em ano eleitoral, o baixo crescimento econômico do Estado no ano passado, ele vem agora querendo virgem na polícia civil?
Wagner, de que lado você está?

    Ronaldo Silva

    Não é questão de lado, é de competência.

Moacir Moreira

Só homem passa nesse concurso.

José Souza

Como é que o Governador dá um mole desses para a direita. Tem que mandar refazer o edital do concurso e demitir quem colocou no edital tamanha babaquice. Vai ser um prato feito para o PIG bater no PT. Acorda pessoal!

Deixe seu comentário

Leia também