VIOMUNDO

Diário da Resistência


Como nasceu a mentira de que Haddad é dono de uma Ferrari
Haddad deu uma volta de Ferrari em Interlagos; divulgação PMSP
Denúncias

Como nasceu a mentira de que Haddad é dono de uma Ferrari


14/10/2018 - 15h09

Bolsofakes usam inauguração de obra em SP para inventar que Haddad tem Ferrari. É mentira!

Do Lula.com.br

A metralhadora de mentiras mantida pelos apoiadores de Jair Bolsonaro na internet inventou uma nova calúnia contra Fernando Haddad: a imagem do “político ostentação”.

Nada mais distante da atuação sempre honesta e da personalidade do candidato.

O time do Zap do Lula tem recebido diversas denúncias de imagens e vídeos mostrando Haddad com um relógio que valeria mais de R$ 400 mil ou que o colocam como proprietário de uma Ferrari amarela.

É mentira!

O que os criminosos não sabem é que, tentando atacar a imagem de Haddad, mostram um dos muitos sucessos de sua gestão como prefeito de São Paulo.

Usam um vídeo em que o candidato aparece saindo de uma Ferrari para dizer que o carro é dele.

Não é.

Na verdade, as cenas foram feitas na entrega de obras no Autódromo de Interlagos, na capital paulista, para o GP 2016 de Fórmula 1.

As obras, que começaram em 2013, colocaram o autódromo em um nível de modernidade igual ao dos europeus.

Mesmo com a falta de recursos, a São Paulo Obras conseguiu resolver as questões operacionais e garantir a Fórmula 1 na cidade até 2020.

Todos os detalhes foram publicados no próprio site da prefeitura de São Paulo.

Na entrega, Haddad, orgulhoso de mais um importante feito, teve a oportunidade de dar uma volta de Ferrari na lendária pista.

Essa é a verdade!

Nas fotos do evento, você não só pode desmentir a mentira dos Bolsofakes como ver mais detalhes dessa obra de Haddad para a cidade!

Sem coragem para debater ideias e propostas, os apoiadores de Bolsonaro tentam deturpar o passado para criar mentiras em benefício próprio.

Mas, ao contrário do candidato deles, o passado de Haddad é motivo de orgulho e só confirma porque ele é o homem de confiança de Lula.

Outra mentira que tem sido muito denunciada é o suposto valor do relógio que o candidato usa, na ordem de centenas de milhares de reais.

Isso é outra mentira que mostra o nível de desespero dos criminosos.

O acessório foi um presente da família quando Haddad venceu a eleição para a prefeitura de São Paulo.

“Se eu soubesse que ele valia R$ 400 mil reais, como estão dizendo, eu nem andava com ele. Nem a pulseira eu troco!”, ironizou o candidato na manhã deste domingo (14).

“Eu não tenho carro no meu nome e virei proprietário de uma Ferrari [nas fakenews divulgadas]”, denunciou.

“Não é assim que se ganha uma eleição, e todos os dias eu faço esse apelo para que parem com isso. Ele [Bolsonaro] diz que não pode se responsabilizar, mas quem está pagando por isso? Quem é que paga por essa campanha por WhatsApp?”.

“Fica o alerta e o apelo para que parem com isso, que não é assim que se ganha uma eleição. Isso é ruim para o Brasil!”, afirmou.

“Vamos debater propostas. Ele não participa dos debates porque não pode dizer na minha cara as coisas que diz na internet. Frente a frente, não se sustenta. Não é assim que se faz campanha, isso nunca aconteceu no Brasil”, encerrou.

Leia também:

É verdade, Bolsonaro chamou Dom Paulo Evaristo Arns de “vagabundo” e de “megapicareta”

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bel

15 de outubro de 2018 às 16h18

Ainda não perceberam? Muitos eleitores não querem a volta do PT, não porque não querem ser governados pela esquerda, mas porque já não aguentam mais ouvir na televisão e no rádio que esquerda é toda corrupta. Quem se identifica com a esquerda e ouve isso, sendo contra a corrupção, se auto-pune e bate a desolação ao ser lembrada que votou a favor da esquerda. Daí que não querem mais ouvir as mesmas notícias sendo repetidas todos os dias contra Lula e PT e contra a Dilma que foi injustiçada. A consciência cobra e a dor é insuportável nessa hora.

Responder

Julio Silveira

15 de outubro de 2018 às 11h14

Moral da história, que acredita em fontes anonimas vindas de wathsapp e outros mecanismos que estão por ai, como ferramentas para qualquer uso, é um otário em potencial com uma predisposição natural a cair em golpes.

Responder

ELZA

15 de outubro de 2018 às 10h29

A hora não é de brincadeira. Todos devem tomar sua posição e deixar claro para a sociedade, para depois não vir a público criticar a ou b.
Chefes de igrejas, lideranças sindicais, artistas, intelectuais, representantes significativos da sociedade, saiam da zona de conforto e assumam suas posições, participar é mais importante que se omitir.

Responder

claudio

15 de outubro de 2018 às 10h18

O MOMENTO EXIGE POSIÇÃO DE TODOS. REPRESENTANTES DA IGREJA, INTELECTUAIS, REPRESENTANTES DE CLASSE, ARTISTAS, PESSOAS DE DESTAQUE NA MÍDIA PRINCIPALMENTE, DEVEM SAIR DA SUA ZONA DE CONFORTO E ASSUMIR UMA POSTURA NESTA ELEIÇÃO, SEJA EM FAVOR DE A ou B. NO FUTURO SEREMOS COBRRADOS PRINCIPALMENTE POR NOSSOS FILHOS. NÃO FUJAM DA RESPONSABILIDADE.

Responder

Arnaldo Costa

15 de outubro de 2018 às 09h13

A campanha do fascista, estúpido, mau caráter Boçalnaro está espalhando diversas mensagens ofensivas e criminosas que incorrem em delitos, inclusive de pedofilia. Alguma providência tem que ser tomada, o que está acontecendo é muito grave! Não são apenas mentiras os conteúdos são pesadíssimos e criminosos!

Responder

Cleiton do Prado Pereira

15 de outubro de 2018 às 08h44

Mais uma vez a estória do trenzinho de brinquedo na loja se confirma. Para meu desgosto que venho contando esta estória desde o “MENTIRÃO” mais conhecido como AP 470 e foram deixando o trenzinho crescer.
Conta-se que um caipira que nunca tinha visto uma locomotiva na vida, deparou-se com uma nas terras de um amigo que visitava e não titubeou, pegou seu laço no cavalo e jogou sobre ela, laçando a chaminé da locomotiva, foi arrastado por dezenas de metros. Quebrou tudo que era osso e ralou o corpo inteiro. Passados alguns meses, já restabelecido foi ate a cidade comprar um presente para o filho caçula. Ao chegar numa loja, viu um trenzinho de brinquedo que rodava no cento da loja, pisou sobre ele e o destruiu com sua bota. O dono da loja correu indignado e perguntou: “Por quê fez isto senhor? Oia moço, isto, se não matar enquanto é filhote, depois que cresce não dá não!”. E está aí o trenzinho crescido bem a nossa frente futuro presidente do Brasil. Deixaram ele crescer a vontade e ainda o alimentaram durante todos estes anos.

Responder

Cleanto Beltrão de Farias

15 de outubro de 2018 às 07h59

Guerra suja, respaldada pela Justiça Eleitoral brasileira. É um vale tudo. O que fazer?

Responder

    Bertinho

    16 de outubro de 2018 às 19h02

    Simples: votar 13 no segundo turno !!!

Julio Silveira

15 de outubro de 2018 às 07h09

Esse jogo feito dessas baixarias podres, com consentimento da justiça, ajudou a derrubar a Dilma e fazer do Lula o maior dos ladrões ficticios do país. Naquele periodo em que estavam disseminando e promovendo a demonização do Lula cheguei a receber dessas fontes golpistas, canalhas, anonimas, WhatsApp em que atribuiam a propriedade, com imagem e tudo, do predio da Esalq ao filho do Lula. E assim se formam criminosamente as convicções dessa justiceiros, cumplices no sistema judiciario, que pegam o gancho para promoverem seu justiçamento partidarizado.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.