VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Altamiro Borges: A prisão como forma de censura
Denúncias

Altamiro Borges: A prisão como forma de censura


21/01/2014 - 00h35

O senador tucano era frequentemente denunciado pelo jornalista preso

Aécio e a prisão do jornalista em MG

Por Altamiro Borges, em seu blog

Numa operação no mínimo suspeita, a polícia de Minas Gerais prendeu nesta segunda-feira (20) o jornalista Marco Aurélio Flores Carone, diretor de redação do sítio “Novo Jornal”.

Ele foi detido em Belo Horizonte por solicitação da juíza Maria Isabel Fleck, da 1ª Vara Criminal.

Em novembro passado, Ministério Público do Estado o denunciou por formação de quadrilha, falsificação de documentos, falsidade ideológica, denunciação caluniosa e fraude processual.

Todas as acusações tiveram como base os contatos estabelecidos pelo jornalista com o lobista Nilton Monteiro, que tornou pública a explosiva “Lista de Furnas” sobre o esquema de desvio de dinheiro da estatal nos governos tucanos de Minas Gerais.

De forma arbitrária, a juíza argumentou que ambos fazem parte de uma quadrilha com o objetivo de “difamar, caluniar e intimidar” adversários políticos e autorizou a prisão preventiva do jornalista para impedir novas edições do sítio.

Ela também afirmou, sem provas, que o “Novo Jornal” é financiado com dinheiro de origem ilegal. O jornalista nega todas as acusações.

“Eu sou um preso político. Estou sendo preso por questões políticas. Quem me conhece sabe do meu trabalho, tenho 30 anos de profissão. Estou tranquilo e vou provar que isso não corresponde à verdade. Fiquei conhecendo o promotor hoje aqui, ele chegou me agredindo verbalmente. Meu passado me defende”, afirmou ao Portal R7.

De imediato, o bloco parlamentar “Minas Sem Censura”, que reúne deputados estaduais do PT, PMDB e PCdoB, acusou os aliados do senador Aécio Neves, o cambaleante presidenciável do PSDB, de orquestrar a prisão como forma de censura.

“Se você estabelece a prisão para evitar a publicação de material jornalístico, está oficializada a censura prévia”, reagiu o deputado Rogério Correia (PT), vice-líder do bloco.

“Assim que voltarmos do recesso, vamos convocar o Carone para prestar depoimento na Comissão de Direitos Humanos da Assembleia. Nesse caso, ele pode vir mesmo estando preso para denunciar a perseguição promovida pelo PSDB de Minas contra seus adversários políticos”, afirma o parlamentar, que já foi alvo de ação similar.

“Quando do surgimento da Lista de Furnas, encaminhei o relatório à Polícia Federal e, por isso, o vice-presidente nacional do PSDB tentou a cassação do meu mandato. É a mesma situação. A censura tem agentes no Ministério Público e no Judiciário, mas, quando é com a imprensa, quem organiza a perseguição é a própria irmã do senador, Andréa Neves”.

Como relembra a Rede Brasil Atual, “a Lista de Furnas é um documento que revela as quantias pagas a políticos de PSDB, PFL (hoje DEM) e PTB em esquema de desvio de verbas intermediado pelo publicitário Marcos Valério em 2000, com o objetivo de abastecer o caixa dois de campanha desses partidos nas eleições de 2002. O caso ficou conhecido como ‘mensalão tucano’ por envolver os mesmos personagens denunciados contra o PT em 2005. O PSDB nega a existência do esquema, que pode ter movimentado mais de R$ 40 milhões, e a autenticidade da Lista de Furnas, embora a Polícia Federal tenha comprovado, em perícia, que a lista tem a caligrafia de Dimas Toledo, então presidente da estatal de energia”.

O caso ainda aguarda julgamento no Supremo Tribunal Federal.

“Em entrevista realizada em agosto do ano passado e divulgada pelo Youtube, o ex-advogado de Nilton Monteiro afirmou que o caso de Furnas envolveria até o assassinato da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, em agosto de 2000. Segundo ele, além de trabalhar como garota de programa para os envolvidos no esquema, ela era ainda responsável por transportar o dinheiro desviado da estatal em malas. O assassinato, registrado como suicídio até a revelação de sinais de asfixiamento da modelo, seria queima de arquivo, uma vez que a modelo queria abandonar a quadrilha”, conclui a reportagem da Rede Brasil Atual.

PS do Viomundo: A RBA cometeu um pequeno equívoco, aliás muito comum: confundiu o mensalão tucano (da campanha de 1998) com o esquema de financiamento da Lista de Furnas (2002). São dois escândalos distintos, que a repórter Lúcia Rodrigues retratou aqui, aqui, aqui e aqui; Dimas Toledo foi diretor de Engenharia de Furnas.

Leia também:

Miruna: Não serei candidata a deputada federal





15 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Amauri

22 de janeiro de 2014 às 08h48

Que vergonhoso senhor Aécio!!! Sem comentários….

Responder

Elias

21 de janeiro de 2014 às 14h20

Quase 10 anos atrás o jornalista Jorge Kajuru foi demitido da Band TV por criticar (em junho de 2004) o ex-governador Aécio Neves. A demissão de Kajuru foi um caso inédito, o jornalista foi demitido no ar, imediatamente substituído pelo colega Fernando Nardini. Caso vergonhoso para a TV brasileira. Dez anos depois, o novamente criticado Aécio Neves põe na cadeia outro jornalista. Ah! Quem é esse senhor? É assim que se eleito governará o Brasil? Tenho uma sugestão para o senhor Aécio Neves: Mire-se no exemplo da mulher que não é de Atenas, é de Belo Horizonte, é de Minas. Seu Nome é Dilma Rousseff. Seja um adversário à altura e pare de mandar calar a boca de quem trabalha com informação. Dilma lê diariamente as mais bizarras calúnias na imprensa e nunca tocou em jornalista algum.

Responder

Sergio Santos

21 de janeiro de 2014 às 10h49

Muito triste a conduta de juízes e promotores brasileiros. Justiça Já! Soltem o Jornalista Marco Aurélio Flores Carone! Passei a ser mais um leitor de seu sítio Novo Jornal. Espero que muitas pessoas mais o façam e pressionem o Poder Juciciário e o Ministério Público para que ajam dentro da Lei e promovam Justiça.

Responder

Luiz (o outro)

21 de janeiro de 2014 às 10h42

Os mesmos imbecis que na falta de críticas sólidas ao governo passado tentavam ridicularizar o então Presidente Lula por gostar de cachaça, agora vão votar no Aócio? Quanta incoerência, não?

Responder

gaudério

21 de janeiro de 2014 às 10h11

bando de facistas. Cadê os acólitos da mídia golpistas, os representantes da indignação seletiva?

Responder

henrique de oliveira

21 de janeiro de 2014 às 10h07

Caramba , as vezes tenho a impressão que o judiciario brasileiro não passa de um diretório politico do PSDB.

Responder

Ana Cruzzeli

21 de janeiro de 2014 às 09h17

É dificil ver o Aécio como um cara do bem.
Minas não vai nada bem e o Aécio fica por aí como um meninão achando que tudo é uma zoeira.

Se Minas não precisava de um meninão, muito menos o Brasil.
Essa de prender jornalista é o fim da picada

Responder

Mardones

21 de janeiro de 2014 às 08h59

O atraso do Brasil está na região Norte/Nordeste. Já o modelo a ser seguido está no Sudeste. Preferencialmente nos currais tucanos de Minas e São Paulo.

Intervenção em Minas e São Paulo nem são cogitadas. E as bicadas tucanas são cada vez mais intensas: dominam o legislativo, o judiciário e o PIG.

Responder

Roberto Locatelli

21 de janeiro de 2014 às 08h40

A juíza agindo como inquisidora. É o Joaquim Torquemada fazendo escola.

Será que essa juíza mandará prender os donos da Veja pelo fato de a revista difundir informações mentirosas?

Responder

    André Oliveira

    21 de janeiro de 2014 às 11h59

    O dia que difundir informações mentirosas der cadeia haverá muitos blogueiros chapa-branca em cana. Sr. Locatelli, the book is on the table?

    Gersier

    21 de janeiro de 2014 às 16h29

    Nos mostre UMA, umazinha sequer que já foi postada nos blogs progressistas que vcs alienados chamam de chapa branca.Agora te mostro só alguns exemplos que o PIG,seus colonistas e seus asseclas difundiram:epidemia de febre amarela,grampos cujos audios nunca foram mostrados,ficha fajuta da Dilma,fotos de fazendas e mansões comprados por Lula e seus familiares,-(até hoje não mostraram uma foto sequer dos aps de fhc em Paris e do sabujo atolemado em Miami)-montagem da Dilma segurando uma arma,filho do Lula como sócio do João Saad da Band-(a filha do serra é sócia do maior “geladeiro” do Brasil e vcs nunca questionaram onde ela conseguiu a merreca de CEM milhões)- a campanha sistemática contra a PETROBRAS,o falatório sobre a “inflação descontrolada”,e até o “sumiço” das empresas de varejo no Brasil.

maria do carmo

21 de janeiro de 2014 às 08h16

O pequeno Aeco e autoritario como candidato, felizmente nao sera presidente, e proprio dos fracos suas atitudes. Imagine se o Lula ou Dilma agissem assim! PSDB o partido dos maquiavelicos, nao ganham no voto, querem ganhar na calunia, nao sabem viver na democracia. E muita audacia arregimentar o judiciario para prender opositores, esta na hora do ministerio publico etico agir.Esse fato tem que ser veiculado para o Brasil. O PIG nao noticiou como sempre.

Responder

marcos a.m

21 de janeiro de 2014 às 08h13

Concordo. O tiro vai sair pela culatra. O Novo Jornal passará a ter muitos novos leitores.

Responder

Mauro Bento

21 de janeiro de 2014 às 02h50

Arbitrariedade do Judiciário começa a atingir o inimaginável na Democracia!!!!

Responder

Luís Carlos

21 de janeiro de 2014 às 00h57

MG é estado autoritário. Agora iniciam prisões de pessoas que criticam Aécio e PSDB? Quando vão prender o Policarpo da Veja que estava mancomunado com Cachoeira para derrubar autoridades do Governo Federal, para obter benefícios financeiros? Quantas falsas denúncias e difamações foram urdidas por Veja em conluio com Cachoeira e Demóstenes? Todos estão soltos. O tal do Carone está preso. Tiro vai sair pela culatra. Jornal será mais divulgado e mais lido.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding