No New York Times, sobre a FIFA: “A cultura é a mesma de uma gangue”

Tempo de leitura: 6 min

For FIFA Executives, Luxury and Favors [Para executivos da Fifa, luxo e favores]

By DOREEN CARVAJAL

Published: July 17, 2011

New York Times

Paris — Os titãs do futebol mundial estão acostumados às mordomias. Batedores. Proteção policial. Hotéis cinco estrelas. Jantares luxuosos. Diárias de 500 dólares por dia, e 250 dólares adicionais para suas esposas ou namoradas.

Os 24 integrantes do comitê executivo da FIFA — a associação que governa o futebol e organiza a Copa do Mundo — formam a elite de um clube masculino, faturando salários e bônus anuais de até  300 mil dólares, além de várias outras mordomias. Para isso, tudo o que precisam fazer é aparecer em alguns encontros privados, anualmente, para discutir regras, sanções e questões legais e, mais importante, para eventualmente votar no país que vai sediar o campeonato mundial.

Agora esta elite está sob pressão como nunca, com um deles, Mohamed bin Hammam, do Catar, acusado de pagar propinas para membros de escalões mais baixos na tentativa de derrubar o antigo presidente da FIFA, Sepp Blatter. Ao mesmo tempo, permanecem em aberto questões sobre como a Rússia e o Catar foram escolhidos para sediar as copas de 2018 e 2022.

Mas o topo da FIFA é um santuário tão dourado que poucos especialistas acreditam que a debatida investigação ética interna do caso Bin Hammam, marcada para os dias 22 e 23 de julho em Zurique, vai levar a mudanças fundamentais.

“Não é [um espaço] democrático, nem governado pela transparência”, disse Gunter Gebauer, um professor de filosofia esportiva da Universidade de Berlim, na Alemanha. “É uma cultura masculina de dar e receber e fazer e prestar favores. É uma cultura que em alguns aspectos é a mesma de uma gangue”.

De fato, enquanto Bin Hamman enfrenta uma investigação ética, ele é apenas um dos nove integrantes do comitê que foram acusados de receber propinas nos últimos dois anos, a maioria referentes a votos para escolher a sede da Copa do Mundo.

Na FIFA, parece ter havido nos últimos anos uma linha fina separando uma cultura de proteção mútua e outra de corrupção aberta. Essa ambiguidade assustou Graham Taylor, ex-jogador de futebol britânico que gerenciou uma das equipes nacionais do Reino Unido, quando ele serviu brevemente no comitê assessor técnico da FIFA, de 18 membros, no início dos anos 90. Durante um encontro do comitê na Suiça que foi aberto com “um jantar de cinco estrelas, seguido por um almoço de cinco estrelas” depois de uma reunião no dia seguinte, ele achou estranho o ritual pelo qual os integrantes do comitê formaram uma fila.

“Nós fizemos fila como meninos e recolhemos nosso dinheiro”, disse Taylor. “Um homem na fila me disse que eu deveria pedir a devolução do dinheiro da passagem aérea, embora ela já tivesse sido paga pela FIFA. Ele disse: ‘Peça tudo de volta e abra uma conta bancária na Suiça. Depois de alguns anos o dinheiro vai acumular'”.

Apesar das nuvens que se acumulam sobre a organização, alguns informantes na família FIFA insistem que a organização está limpando a casa. Chuck Blazer, um norte-americano no comitê executivo que denunciou Bin Hamman no caso da propina, disse que o trabalho do comitê de ética demonstra que ele é independente e tem “dentes reais”, já que confrontou Bin Hamman e outro poderoso executivo da FIFA, Jack Warner.

Nações que competem por eventos reclamam que os padrões éticos da FIFA são tão ambíguos que membros do comitê não conseguem distinguir entre fazer negócios ou fazer negociatas. Particularmente, eles citam o programa “legado” da FIFA, que encorajou nações-candidatas a sediar torneios a financiar projetos de desenvolvimento do futebol. A Austrália, por exemplo, contribuiu com cerca de 300 mil dólares para que o time sub-20 de Trinidad e Tobago disputasse um campeonato em Chipre. A contribuição foi dada através de Warner, que pediu demissão em conexão com as acusações contra Bin Hammam.

“Foi um grande erro quando eles falaram que, para se candidatar, era necessário deixar um legado e quando ‘legado’ foi definido”, disse Blazer. “As pessoas cairam em armadilhas ao lidar com essa questão”.

Embora Blazer tenha sido apontado como alguém que denunciou corrupção, no domingo ele enfrentou críticas por um arranjo pelo qual sua empresa num paraíso fiscal, a Sportvertising, recebeu 10% dos contratos de patrocínio e direitos de TV da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e do Caribe (CONCACAF). O arranjo foi primeiro denunciado por Andrew Jennings, um jornalista investigativo do Reino Unido que tem trabalhado com a BBC. A companhia de Blazer, registrada nas ilhas Cayman, recebeu pagamentos de milhões de dólares anualmente, de acordo com Jennings.

Blazer disse que o contrato foi parte de seu “pacote de compensação” e uma fórmula bem sucedida para “dar incentivos e resultados”, quando a confederação ainda não tinha renda.

Durante sua campanha para ganhar para o Reino Unido a Copa do Mundo de 2018, Lord David Triesman disse que testemunhou pessoalmente pedidos óbvios de propina. Ele diz que está confuso pelo fato de a FIFA não investigar os integrantes do comitê executivo ou acusações feitas por ele.

“Não sei como isso é possível no mundo moderno, porque vivemos em um mundo transparente”, Triesman, o ex-presidente da federação de futebol britânica, disse em uma entrevista. “Para um conselho relativamente pequeno, houve suficientes críticas para você imaginar que ele se perguntariam ‘estamos fazendo direito?'”.

Ao testemunhar diante de um comitê parlamentar sobre esportes e cultura no Parlamento britânico, Triesman disse que foi pressionado por quatro integrantes do comitê executivo da FIFA em diferentes oportunidades, inclusive com um convite aberto: “Venha e me diga o que tem para mim”.

De acordo com Triesman, os pedidos foram de 2,5 milhões de dólares para a academia de uma escola em Trinidad — com o dinheiro entregue através de Warner — a direitos de televisão para um jogo amistoso entre Inglaterra e Tailândia para homenagear a coroação do rei da Tailândia.

Na semana passada, o comitê parlamentar britânico divulgou seu relatório final, declarando que estava chocado com as acusações de corrupção e alertando que “a FIFA tem dado a impressão de que pretende varrer as acusações para debaixo do tapete”.

Desde que foi fundada em 1904 em Paris, a FIFA se tornou uma organização extremamente rica, com reservas de cerca de 1,3 bilhão de dólares e lucro no ano passado de 1,2 bilhão de dólares em direitos de televisão e marketing em todo o mundo. Ela também se beneficia da isenção fiscal na Suiça para organizações esportivas, uma ajuda considerável que começa a levantar debate político nos cantões suiços à luz dos vários escândalos de corrupção.

“Eles tem as mesmas vantagens das associações de canto locais, mas são muito maiores”, disse Roland Buechel, um integrante do Parlamento suiço. “Não posso concordar com isso se eles não se comportarem adequadamente”.

Por causa das isenções fiscais, Buechel se disse particularmente preocupado com um item do mais recente relatório anual da FIFA, divulgado em junho, que incluia “benefícios de curto-prazo para executivos”, sem especificar quais. Um total de 32,6 milhões de dólares, 55% a mais que no ano anterior, foram pagos a integrantes-chaves do gerenciamento da FIFA, inclusive a membros do comitê executivo.

Como o dinheiro foi dividido, exatamente, é um segredo, o mesmo se aplicando a informações básicas da FIFA, como os salários dos executivos — mais um exemplo da falta de transparência da entidade, que trabalhou com a One World Trust, uma organização sem fins lucrativos, em 2007, para avaliar seus padrões de transparência mas não adotou muitas das recomendações do grupo.

“Há uma forte diferença entre o que a organização diz que está fazendo e a forma como ela funciona”, disse Michael Hammer, diretor-executivo da One World Trust, uma organização baseada em Londres que desenvolve padrões de governança e de decisões executivas.

Hammer disse que o dinheiro da FIFA “foi usado como forma de influenciar a maneira como a organização toma suas decisões”, começando com os salários do comitê executivo — criados por Blatter em 1998, logo depois de sua eleição. “As pessoas tinham incentivos para trabalhar com o presidente de forma a não perder sua renda”, ele disse.

Os lucros e as mordomias criaram uma atmosfera na qual a elite dos integrantes da família FIFA começaram a pensar em si como especiais, de acordo com especialistas e pessoas envolvidas com as nações que disputaram sedes de eventos de futebol.

Alguns integrantes do comitê executivo viajaram para países que disputavam eventos exigindo projetos de desenvolvimento, disse Bonita Mersiades, uma ex-chefe de assuntos corporativos para o projeto da Copa do Mundo na Austrália: “Este é um grande eufemismo para dinheiro. Você nunca sabe o que acontecerá com esse dinheiro”.

Os integrantes do comitê executivo viajam como dipl0matas, evitando as alfândegas e atravessando as cidades em caravanas protegidas pela polícia. As nações que disputam a Copa enchem estes homens de presentes: abotoaduras de pérola, bolsas Burberry e caixas de vinho fino.

“Eles são colocados nos hotéis mais luxuosos, transformados no que se chama de ‘clubes FIFA'”, disse Alan Tomlinson, um professor e diretor do Centro de Pesquisas em Esportes da Universidade de Brighton, na Inglaterra. “É uma versão moderna dos velhos castelos medievais, patrulhados por guardas do lado de fota. Quando vi os membros do comitê executivo da FIFA entrando e saindo destes clubes, eles pareciam muito desconfortáveis ao encarar o mundo real”.

Desde que foi suspenso do comitê executivo, Bin Hammam tem evitado entrevistas, justificando apenas com uma nota: “Não estou em posição de falar”. Mas ele publicou recentemente uma declaração em seu blog pessoal reclamando de vazamentos e de uma investigação comprometida.

Sua esperança, ele escreveu, é que qualquer decisão a respeito do caso fique dentro da família FIFA — o comitê de ética — e não seja baseada “na vontade das pessoas de fora”.

PS do Viomundo: Acabo de ler Jogo Sujo, de Andrew Jennings. Talvez por falta de conhecimento do mundo do futebol, fiquei estupefato.

PS do Viomundo2: Aos leitores-pesquisadores que procuram o relatório final da CPI do Senado sobre o futebol, em 2000, aqui.

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Jornalista que investigou Ricardo Teixeira é condenado sem conhecer acusação « Viomundo – O que você não vê na mídia

[…] No New York Times, sobre a FIFA: “A cultura é a mesma de uma gangue” […]

FIFA « roubacopa2014

[…] http://www.viomundo.com.br/denuncias/a-cultura-e-a-mesma-de-uma-gangue.html […]

Julio Silveira

E isso vem desde o seu João. Será que não veio daqui o know row?

Carlos antonio lopes

Mr. Doreen Carvajal pertence a um universo -o dos irmãos do norte- onde essas maracutaias sempre saem ilesas ou quase sempre pois vez por outra pegam alguém pra exemplo. Mas que dizer dos executivos que chafurdaram o mundo inteiro na crise atual?Era melhor que os americanos se eximissem de todo e qualquer comentário sobre falcatrua alheia…Não que eu ache Ricky Teixeira um primor ou João Ave!lange um santo ou ainda Blablablatter um coroinha mas americanos já têm motivo de sobra pra ensimesmarem-se e tentar resolver os próprios problemas. Ou será que se queixam por não ter sobrado uma boquinha pra eles?

Fernando

Qual a opinião que vale sobre a FIFA?

A da revista Piauí ou a do delegado Protógenes?

Renato

Realmente o que ocorre na FIFA tem muito a ver com esquemas duvidosos. A começar por ter a entidade sua sede na Suiça, local preferido por tantos que adoram a garantia de sigilos. Uma questão, entretanto, é sempre esquecida quando há registros jornalísticos sobre o tortuoso caminho da FIFA e que diz respeito ao papel das empresas, aliás, sempre grandes empresas, que tratam de patrocinar a peso de ouro os eventos da entidade que comanda o futebol mundialmente. Toda a lama que se aponta e que tem sempre como ponto central a movimentação de muita grana – e põe grana nisso-, é sustentada por um espetacular sistema de venda de cotas de patrocínio para os eventos FIFA e demais ações de marketing. As empresas que disputam estas cotas parecem não se importar com o mar de lama. A imprensa pouco fala sobre este aspecto. Isto é interessante ainda mais quando vemos movimentos que visam despertar atenção para temas voltados para a responsabilidade social corporativa e para o consumo consciente. Diante de um quadro de tantas evidencias negativas que envolve a FIFA ver empresas dispostas a estar vinculadas a este mar de lama, é uma questão que precisa ser enfrentada diante do que pensamos em termos de responsabilidade social e consumo consciente. As denúncias contra a FIFA estouram em todo o mundo e cada vez mais com dados negativos impressionantes e, no entanto, os patrocinadores estão sempre dispostos a ter seus nomes vinculados aos eventos da entidade máxima do futebol. A imprensa quando faz denúncias contra a FIFA esquece desta questão. Foca apenas dirigentes esportivos e governantes de países que recebem eventos da FIFA. Talvez isto ocorra pela força que tem estas grandes empresas em termos de viabilização de verbas publicitárias para os meios de comunicação. O certo é que não devemos esquecer de onde vem uma parte expressiva do dinheiro que a FIFA usa para fazer o que faz.

Caracol

O maior vilão do futebol.
De 1950 para cá, acompanhei 16 Copas do Mundo (dezesseis!), e isso certamente me confere alguma autoridade sobre os “técnicos” mais jovens. Por ocasião desta Copa ouvi tantas e tais tamanhas babaquices, tão tremendas asneiras… que adquiri o direito de divulgar as minhas. Portanto, aqui vão elas:
Enganam-se aqueles que – não tendo visto Didi, Garrincha, Pelé, Ademir, Amarildo, Gérson, Nilton Santos e tantos outros jogarem – pensam que têm assistido futebol. Não têm não. Não conseguem sequer imaginar o que era o verdadeiro e virtuoso balé em que consistiam as partidas em campo, aqui e lá fora, quando os antigos craques da Tchecoslováquia, USSR, Inglaterra, Hungria, Uruguai e outros entravam em campo com um arrebatamento, com uma dinâmica e uma harmonia de grupos que hoje em dia só se pode ver em peladas de várzea. E não é para menos, pois eles o faziam com a alegria contida no esporte e não como é hoje, quando os jogadores não entram em divididas porque suas pernas valem os milhões que ganham em salários e em cachês de comerciais. Aliás, não será por outra razão que o futebol feminino é hoje muito mais interessante de ser assistido do que o dos marmanjos, pois as meninas ainda não foram inteiramente intoxicadas por altos valores conferidos às suas pernas. Elas disputam a bola com mais garra, mais envolvimento e mais profissionalismo.
Das dezesseis Copas que assisti, nenhuma se compara a essa última, no que diz respeito a falta de talento, de graça, de empenho, de… futebol. As equipes deste ano foram covardes, medrosas, maldosas, umas bostas. Assisti a maioria dos jogos e apenas a gana de Gana me fez levantar da arquibancada. Estes lembravam, ainda que de longe, os antigos profissionais brasileiros, apenas… já violentos, como que para fazer coro à “mudernidade”.
Podem crer: cinquenta anos atrás nenhum jogador ousaria ensaiar as solas, travas, caneladas, pisões e carrinhos desleais semelhantes aos vistos nos jogos desta Copa. Não ousariam, seriam expulsos de campo e mais: banidos do futebol.
O que restou do futebol? Por que esta admiração pela fria “disciplina” dos alemães? Onde a ginga, onde a criatividade, a espontaneidade e o virtuosismo dos atletas de antigamente?
Comecemos pela protagonista principal: a bola. Como imaginar que um Didi – o inventor da “folha seca” – ou um João Saldanha admitiriam que a troco de um faturamento da Adidas com uma jabulani, lhes fosse empurrada goelas abaixo, na véspera de uma Copa do Mundo, um instrumento de trabalho que NUNCA lhes havia sido sequer apresentado antes? Seria o mesmo que admitir que no exato momento de iniciar uma intervenção cirúrgica envolvendo perigo de morte, apresentassem ao cirurgião um bisturi que ele nunca antes manuseou, e que lhe fosse estranho. Gente! Os caras, pelo mundo afora, jogam a vida inteira com um courinho número cinco e no torneio da consagração de seu trabalho profissional lhe apresentam uma jabulani com vida própria? Ah! A Adidas é quem manda? Então ta… adeus futebol.
Mas a coisa mais ridícula era ouvir os loucotortos… digo, os locutores relacionarem os jogadores das diferentes equipes: “o espanhol Fulano que joga no Manchester”, “o argentino Beltrano que joga no Real Madri”, o inglês que joga na Manchúria e assim por diante… ridículo! Quando é que esses caras treinaram juntos? Pois antigamente eram quatro anos treinando juntos até a Copa seguinte. Isso explica o fato de que os maiores goleadores do mundo não fizeram gols. Talvez lhes tenha passado despercebido, mas aquela organização da equipe alemã certamente tem origem no fato de que este foi o único dos quadros participantes em que seus titulares jogam na própria Alemanha! Estiveram lá o tempo todo! Os únicos, o resto joga pelo mundo afora! Ora, isso é piada!
Portanto, parafraseando a Rede Globo, que em sua sórdida campanha difamatória contra o Dunga perguntou em seu jornal “quem foi o maior vilão do Brasil na Copa?”, eu lhes afirmo quem é o maior vilão do futebol: o DINHEIRO. Foi ele que acabou com o esporte que eu tanto admirava e curtia na minha juventude.
Para a próxima Copa, então, preparem os bolsos p’ra comprar a peso de ouro a vuvuzela oficial da CBF, a jabulani oficial da Adidas, o penico oficial da FIFA e tantas outras bugigangas “oficiais” sem as quais não se pode viver. Quem sabe, até lá os americanos terão vencido em sua teoria de que é impossível investir num esporte disputado em dois tempos de 45 minutos cada sem intervalos para os comerciais. Aguardem, pois até isso vai mudar, transformando aquilo que era um esporte dinâmico numa pancadaria mais vendável.
Pense nisso cada vez que entrar num shopping com olhos de zumbi, comprando tudo aquilo de que você não precisa.

Rubens Freitas

Eu ainda assisto futebol (às vezes)…. e torço contra o Brasil… a começar que so entram de sapato alto… e Há muito que se sabe que o futebol não é mais o mesmo. Não é mais do povo, mas dos patrocinadores… (O mesmo que acontece com o carnaval)

EUNAOSABIA

A FIFA cobra taxa de sucesso igual ao PT…. igualzinho mesmo…

João PR

Pelo que foi relatado na reportagem podemos ter uma boa noção do que acontece na CBF.

Posso desagradar a alguns aqui, mas fiquei muito contente quando vi a selecinha do Mano (porque seleção aquilo não é; é um amontoado de amigos que foram passear na Argentina, e bater uma bola de vez em quando) ser desclassificada pelo Paraguai.

Faz muito tempo que perdi a ilusão com o futebol, notadamente o da selecinha brasileira. Ricardo Teixeira e asseclas ainda vão ter problemas, pois a audiência, e a credibilidade da selecinha cada vez cai mais.

bentoxvi – o santo

Pagar bem aos donos do circo e sus palhaços…faz parte do jogo de alienação das massas…manter a plebe passiva e sobre controle…tem suas regalias…

    LUCIO FLAVIO

    Na môsca. Já li isto em algum livro.

    EUNAOSABIA

    Tem um sujeito aqui no Brasil que é mestre nisso…. compra qualquer um que possa lhe fazer oposição… quem o critica é tratado como ""anti patriota"""….tem muito jornalista, que se vendeu…. não todos… mas tem muitos deles que sim….os palhaços foram comprados com bolsas… sindicatos,.. estudantes… tudo…

Luca K

Assistam à entrevista dada pelo jornalista A.Jennings para a ESPN Brasil a respeito do assunto FIFA ,COI e CBF.
Ele é o autor do livro mencionado por Viomundo.
Bola da Vez ESPN Brasil: Andrew Jennings volta ao Brasil – 09 Jul 2011 (Video Completo) http://www.youtube.com/watch?v=3JOwnw6o7AI

Adilson

Quanta ironia…

Justamente o Paraguai, humilhado pela GLOBO na Copa passada, despachou a sua seleção..

A SELEGLOBO é de dar dó…

Moacir Moreira

Leiam o livro "Bola Fora" do jornalista Paulo Vinícius Coelho, sobre a história da exportação de jogadores brasileiros.

Apesar do autor chamar traficantes de armas de "empresários do ramo de armamentos" e traficantes colombianos de "empresários da Colômbia", a obra nos dá uma idéia do caráter sujo do "negócio" futebol.

Eu recomendo.

Abraços

Marcio

Reflitam comigo: O sucesso da seleção brasileira, é por consequência o sucesso individual do Ricardo Teixeira e sua troupe. O sucesso do RT significa manter e ampliar a corrupção na CBF e mais grave na copa onde os recursos são na maioria públicos. Seu eu rejeito a corrupção no futebol e o desvio de dinheiro público como posso torcer pelo sucesso da seleção? Tô fora.

pfelipecs

Eu parei com o futebol… principalmente no que se refere a Seleção…

    Marcia Costa

    Sabe, eu também tô parando. Não dá pra assistir. É muita tramóia.

Klaus

FIFA e CBF merecem todo nosso repúdio.Ponto. Blatter, Havelange e Ricardo Teixeira merecem nosso desprezo e, talvez, cadeia. Ponto. Bato palmas para a série de reportagens da Record denunciando FIFA e CBF. Da mesma forma que aplaudo ESPN Brasil, Lance, UOL e Folha. Bateria palmas de pé se estas mesmas reportagens fossem produzidas pela Record e ela fosse a detentora dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro e da Copa do Mundo. Ponto parágrafo.

Uma coisa são as denúncias contra FIFA, CBF, Havelange, Blatter e Ricardo Teixeira. Pertinentes e justas. Outra coisa é a briga comercial entre Globo e Record. Ponto.

LuisCPPrudente

É muito bom que continuem a sair as reportagens investigativas sobre as falcatruas formadas pelos mafiosos Ricardo Teixeira, Rede Globo, Andrés Sanches e outros.

Tanto a FIFA, quanto a CBF e as nossas federações de futebol estão envolvidas em um mar de lama e podridão. É necessário limpar essas entidades.

    Honestino Batista

    É mujito fácil ficar eternamente Presidente da CBF . Basta estar ligado e fazendo os maiores favores ao s Presidentes das Federações dos Estados. Ele apoiam o Ricardo Teixeira. Em Goiânia eu tinha um amigo que era Presidente da Federação de Goiana de Futebol , ele falou na época que se quisesse ficaria etrnamente Presidente da Federação Goiana de Futebol e que era muito fácil cooptar os Associados (Times de Futebol e que quando tinha qualquer dúvida na época criava-se então outros tipos de jogos e que rendia votos ele elegia novamente. Portanto é tudo pura corrúpção. )

Lousan

a historia do futebol ja começa mal…nao vivi essa época, mas do que lembro das aulas de história é que antes (na epoca da ditadura) as grandes partidas eram justamente marcadas nos dias em que as decisões mais importantes eram votadas quando a capital ainda era RJ….ai todo mundo ia pro jogo e o BR se ferrava…hoje só mudou que as decisoes irracionais são tomadas a qualquer hora do dia…mas o futebol…o futebol continua aliado a globo e sendo ditado pelos grandes cartolas

augusto

Bom eu realmente não sei.
Nao sei se o New York times que com tão puritano zelo, avalia o gangsterismo da cultura da CBF brasileira e seus lideres, se abstem todos os dias de nos dizer SE DIFERE exatamente disso a cultura dos lideres de lugares como Wall Street, Langley, (VA), ou a capital petroleira Houston, texas.

Adilson

Os jornalistas não criticam Mano Menezes, pois agora estão reféns das críticas pesadas e da perseguição desemedida que fizeram a Dunga.

A equação é a seguinte: Se criticam Mano (da maneira que este deveria ser criticado) estão assumindo sua propria incompetência.

LUCIO FLAVIO

O futebol, sempre foi a paixão do povo brasileiro. Hoje usam (a Grobo e a CBandidosF) esta paixão, que em muitos jogos chega a levar , alguns mais imbecis, a cometerem atos criminosos. A Grobo e a CBandidosF vão, de algum lugar, buscar o prejuízo da prematura desclassificação do escrete canarinho( esta expressão me lembra os anos de chumbo) 90 milhões em ação………..Hoje a Grobo e a CBandidosF cantam assim: 90 milhões de DóLARES em ação…..isso sópro cafezinho.
Já propus aos blogs sujinhos, vamos fazer uma revolução na internet e esvaziar os estádios do Campeonato do CURINTIA. Os dirigentes dos grandes clubes brasileiros se venderam prá Grobo. Vamos esvaziar os estádios gente. Só nós podemos fazer isto.
LUCIO FLAVIO LAUTENSCHLAGER
Partido Pátria Livre –
Santa Maria – Cidade Universitária – RS

Haroldo Cantanhede

E não foi Mario Viana quem disse, há muito tempo atrás – e depois disto ele nunca mais apitaria um jogo – que "A FIFA é uma cambada de ladrões"? O NYT descobriu a pólvora…

Caracol

Panem et circences

pperez

Quando o Dunga peitou a Globo mandando a prima dona do casal 45 sambar fora da delegação da seleção, começou sua desgraça.
Dunga deu uma de Brizola ao enfrentar sozinho a arrogancia do PIG, mas acabou se descontrolando porque percebeu tarde demais que jamais conseguiria destruir oo sequer arranhar o poder daquele imperio!
A não ser que saisse vencedor, calando a todos!
Ao final, derrotado, saiu feito Judas,pelos cantos, submergiu, mas devargazinho vai emergindo porque todos sabem do seu passado como profissional e sua etica como ser humano e tecnico competente e agora estão descobrindo o tamanho da arapuca que se chama a CBF que corrompe a todos que estão ali.
Agora, se não houver alguma intervenção nesta entidade até a copa, acho que nossa decepção e vergonha será maior do que a de 50!

    José Ruiz

    O meu medo é chegar a copa, o Brasil vencer e o povo dar essa crise como resolvida, bem ao estilo do país do "samba e do futebol"…

    Bruno

    Para sair vencedor, era necessário que não fosse medíocre. Isto de botar na Globo a culpa por sua mediocridade é saída dos fracos. Fosse isto, antagonistas da Globo, como a ESPN Brasil, o defenderiam, e não fariam o coro que fizeram contra ele.

Daniel Faria

Acho que se seu soubesse de metade do que ocorre nos bastidores do futebol, desistia de torcer.

E o Ricardo Teixeira deve ter "cagado montão" sobre a eliminação do Brasil ontem. Afinal, ele ganha milhões e continua no poder de qualquer jeito…

Eduardo

Não vejo num horizonte próximo, alguém ou alguma instituição que tenha coragem de peitar essa camarilha que se instalou na FIFA. Tampouco algum país ira melindrá-la. Por aqui, como o futebol representa mais de 2/3 das receitas da vénus platinada e seus satélites provém do esporte, leia-se futebol, e por isso acho que é mais fácil derrubar a Dilma do que derrubar o Ricardo Teixeira. Há muitos e muitos interesses escusos dentro da FIFA e da sua filial brasileira, a CBF. Até agora só há um solitário e teimoso jornalista inglês pregando em praça pública e demonstrando a podridão dos órgãos máximos do futebol e o governo, ao que tudo indica, não se move de sua letargia estatal e deixa o PIG bater-lhe na cara usando as mãos fétidas da FIFA/CBF…

    José Ruiz

    É, mas na Argentina o governo comprou os direitos do campeonato argentino de futebol e abriu para todos os canais transmitirem… acho que é um bom exemplo… poderíamos começar por aí…

    Bruno

    Ou seja: o governo argentino está torrando milhões de pesos de dinheiro do povo para dar-lhe ópio.

Dirck

O futebol é um negócio milionário, para o qual você torcedor só entra como otário.

Adivinha o que foram fazer os craques da seleção após a derrota para o Paraguai?

– Contar dinheiro, ora.

Yarus

O Baixinho, desceu a lenha na PIGaiada.

"Pelo Twitter, o artilheiro do Brasil na Copa disputada nos Estados Unidos não poupou críticas à mídia, criticando sobretudo narradores e comentaristas de televisão, e não escondeu sua irritação durante as cobranças de pênaltis desperdiçadas pelos atletas do Brasil.

Romário, no entanto, pediu apoio especialmente aos novatos da seleção e disse que Ganso e Neymar são os melhores jogadores do Brasil na atualidade. Ele ainda pediu apoio ao técnico Mano Menezes, justificando que as coisas acontecem devagar.

Veja as mensagens postadas pelo ex-atacante durante a derrota do Brasil:

"Q m… nossa seleção! Os malucos n conseguem fazer gol nem de pênalti… Q p……,"

"Vou dar uma opinião, p mim independente do resultado, continuo dizendo q Ganso e Neymar são os melhores atualmente do Brasil"

"Mas nós temos q parar de comparar aqueles q estão começando c os jogadores q já fizeram sua história"

"O problema é q esse monte de comentaristas, locutores e jornalistas não sabem p… Nenhuma de futebol e falam um monte de besteira"

"Galera, vou finalizar p não falar mais m… Jogou mal, perdeu nos penaltis, os q esperavamos n jogaram bem e a mídia, bem babaca, começa…."

"O problema é q esse monte de comentaristas, locutores e jornalistas não sabem p… Nenhuma de futebol e falam um monte de besteira"

"Galera, vou finalizar p não falar mais m… Jogou mal, perdeu nos penaltis, os q esperavamos n jogaram bem e a mídia, bem babaca, começa…."

"Começa a falar um monte de coisa nada a ver, até pq, são esses q vamos ter q contar daqui p frente."

"Resumindo, geral pu, triste e c raiva, mas n vamos ouvir os babacas n. Vamos dar força p os moleques"

"Sabe Oq vão começar a dizer daqui há pouco (jornalistas)? Tem q mudar o treinador ou Oq era o melhor ontem, n pode mais jogar na seleção"

"É por isso, q temos q entender q as coisas acontecem devagar. Ou seja, será q o Dunga realmente n tinha razão?! Valeu!" " http://esporte.ig.com.br/futebol/romario+se+irrit

Fernando

O PIG bate na FIFA para atingir Dilma.

A Copa é nossa, não vamos deixar meia dúzia de jornais de direita avacalharem o trabalho que o governo federal faz para organizar a Copa FIFA 2014.

    diogojfaraujo

    QUe PIG bate na FIFA??????????????? PIG é aliado dela… Ou então a BBC e o NYT são do PIG também… ALiás, todo mundo deve ser do PIG…

    Legal é ser um país piada tomado pela corrupção, e esquerda e direita atolados nela no mesmo nível, ou galera achar que por ser perpetrada por alguém da esquerda ou contar com a conivência de alguém "canhoto" seja menos pior… É isso aê campeão!!!

    LuisCPPrudente

    O PIG é aliado da FIFA, o PIG ajudou na propaganda de desqualificar o estádio do São Paulo, pois tanto o PIG quanto a FIFA querem muito dinheiro e por isto vetaram o Morumbi e dão apoio ao hipotético estádio do Corinthians, pois este estádio pode dar muitos lucros para os mafiosos (e prejuízos para os paulistanos).

    Leider_Lincoln

    Meu caro, não coloque a Dilma no mesmo patamar destes pulhas, por favor.

Elton

Eu pessoalmente comecei a desconfiar do "mundo do futebol" há alguns anos. Desconfio de TUDO ou toda e qualquer atividade humana que movimente tantos milhões ($$$). Fatalmente o que há de mais sórdido toma conta, a corrupção, a lavagem de dinheiro, o crime organizado enfim…..
O torcedor é como o eleitor, participa, torce e se desencanta mas muitas vezes sem questionar os verdadeiros motivos de coisas que tinham tudo para "dar certo" e MISTERIOSAMENTE caminham para o outro lado. A eliminação da seleção brasileira ontem na Copa América para mim além de ridícula deve ter tido muita "coisa podre" por trás. Impossível errar QUATRO penalidades máximas daquele modo. Se fosse qualquer um de nós converteria algumas, que dirá PROFISSIONAIS milionários…………..

Adilson

E sabe o que que o Cebolinha disse para o Mano, para enriquecer seu sofisticado repertório filosófico?

É Elano que se aplende.

ps: Por falar em falar "elado" a própósito, que língua é essa que fala o técnico da seleção brasileira?Juro que eu não entendo bulhufas!

Adilson

A "macumba" do Dunga é boa!

Num dia só., Mano e Falcão.

Só falta Teixeira e Galvão…

    Carlos antonio lopes

    Que os anjos digam amém em uníssono e imediatamente!!!

Deixe seu comentário

Leia também