VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Robert Kennedy Jr.: Quando a mídia ajuda a matar

16 de janeiro de 2011 às 18h33

[Anúncio de página inteira publicado no Dallas Morning News no dia do assassinato de JFK, em que ele é acusado de ser comunista]

Nas ondas do ódio radioativo

Após a morte de JFK, vozes do extremismo de direita se afastaram um pouco do rádio e TV. Agora voltaram, diz sobrinho de Kennedy

por Robert F. Kennedy Jr., traduzido por Terezinha Martino, no Estadão

No dia 22 de novembro de 1963, minha mãe foi me buscar na Sidwell Friends School, em Washington. Quando seguíamos para casa, em Hickory Hill, norte da Virgínia, observei que todas as bandeiras da cidade estavam a meio pau. Minha mãe disse que um homem malvado tinha atirado no tio Jack e ele tinha ido para o céu. Um amigo do meu pai, Dean Markhan, ex-companheiro do time de futebol em que ele jogava e promotor da divisão de combate ao tráfico, foi buscar meu irmãozinho David na escola Our Lady of Victory. “Por que eles mataram tio Jack?”, David perguntou a ele. Dean, ex-fuzileiro naval, veterano de combates, conhecido como um dos mais robustos atacantes do Esquadrão GI Bill — o mais forte time de futebol [americano] da história da Universidade de Harvard –, não era tão forte para enfrentar aquela pergunta. E chorou silenciosamente durante todo o caminho percorrido.

Quando cheguei em casa meu pai estava no jardim com Brumus, nosso terra-nova, e Rusty, um setter irlandês. Corremos em sua direção e o abraçamos. Todos choravam. Ele nos disse: “John teve a vida mais maravilhosa possível e jamais teve um dia triste”.

Nem Glenn Beck, Sean Hannity ou Michael Savage, nem os odiosos mercadores da Fox News e dos programas de rádio podem dizer que inventaram seu estilo.

[PS do Viomundo: O autor se refere a jornalistas-militantes da extrema-direita]

A virulência tóxica da direita dominava de tal forma as ondas de rádio desde a era McCarthy até 1963 que o presidente John Jack Kennedy, naquele ano, lançou uma campanha para implementar a Fairness Doctrine (Doutrina da Imparcialidade), que exigia exatidão e equilíbrio no rádio e na TV. Estudantes, grupos religiosos e de cidadãos registraram mais de 500 queixas na Comissão Federal de Comunicações contra extremistas de direita e apresentadores que disseminavam o ódio.

Os programas transmitidos em Dallas eram radioativos: pregadores, líderes políticos e empresários locais cuspiam a virulência extremista, inflamando as paixões de legiões de fanáticos desequilibrados. Havia alguma coisa naquela cidade — cólera ou loucura — que, conscientemente ou não, parecia preparar o terreno para o assassinato de Jack. A Voice of America, meia hora após o assassinato do presidente, descreveu Dallas como o “centro da extrema direita”. Texas era um tal caldeirão de corrupção da direita que o historiador William Manchester a retratou como a cidade que lembrava os dias finais da República de Weimar. “Coisas insanas ocorriam”, reportou Manchester. “Enormes cartazes exigiam o ‘impeachment’ de Earl Warren (presidente da Suprema Corte, responsável pelo fim da segregação nas escolas; depois presidiu a comissão Warren, que investigou o assassinato de Kennedy)”.

Lojas de judeus eram pichadas com suásticas. Jovens donas de casa se sacudiam em público ao canto “Stevenson’s going to die — his heart will stop, stop, stop and he will burn, burn, burn”(Stevenson vai morrer — e seu coração vai parar, parar, parar e ele vai queimar, queimar, queimar).

Manchester continua: “Dallas tornou-se a meca dos festivais de cura dos evangélicos da National Independence Convention, das Cruzadas Cristãs, dos Milicianos, da Sociedade John Birch e das Sociedades Patrick Henry e a sede do explorador de petróleo, de direita, H. L. Hunt e suas atividades duvidosas. O prefeito da cidade, o direitista Earl Carrol, era conhecido como ‘prefeito socialista de Dallas’ por ter mantido sua filiação no Partido Democrata”.

[Nota do Viomundo: O autor se refere, acima, a grupos da extrema-direita de então, antecessores do Tea Party]

O discurso de tio Jack em Dallas deveria ser um ataque violento contra a direita. Ele encontrou as ruas abarrotadas de democratas seus partidários, mas entre eles eram vistos os ornamentos familiares do ódio contra o presidente: bandeiras confederadas, centenas de cartazes exibindo uma foto de Jack com a inscrição “Procurado por traição”. Um homem portava uma faixa que dizia: Você um traidor (sic)”. Outras faixas o acusavam de ser comunista. Quando os alto-falantes da escola anunciaram o assassinato de Jack, alunos do quarto anos aplaudiram. Um ouvinte de rádio ligou para dizer que “qualquer branco que fez o que fez pelos negros deve ser morto a tiros”.

Quando meus irmãos e eu fomos à Casa Branca para consolar meus primos John e Caroline, um grupo desfilava diante da residência exibindo um cartaz que dizia “Deus puniu JFK”.

Jack tinha recebido uma infinidade de advertências para não visitar a cidade texana. De fato, um pressentimento tomava conta da nossa família quando ele e a tia Jackie se preparavam para a viagem. Jack fez uma visita não programa a Cape Cod para se despedir do meu avô doente. Na noite anterior à viagem, minha mãe sentiu que ele estava ausente e taciturno no jantar para os juízes da Suprema Corte.

A morte de Jack forçou um autoexame nacional. Em 1964, os americanos repudiaram as forças do ódio e da violência da direita com histórica e esmagadora vitória na eleição presidencial disputada por Lindon Johnson e Barry Goldwater. Por um tempo os promotores do extremismo de direita se afastaram do pódio público. Agora retornaram, pensando em vingança, ao rádio e à TV e a importantes posições no cenário político.

Gabrielle Giffords continua num quarto de hospital lutando pela vida. Uma garota de 9 anos e outras cinco pessoas estão mortas. Rezemos por elas e pelo nosso país e esperemos que essa tragédia leve a um novo exame de consciência.

Aqui, o Viomundo fala sobre o apresentador que fez muito para introduzir o preconceito contra imigrantes no discurso da rede CNN.

Aqui, o artigo de Sarah Robinson falando sobre a ascensão do fascismo nos Estados Unidos.

Aqui, os tuiteiros brasileiros que pregaram o assassinato da presidenta Dilma.

Aqui, os internautas que pediram que Dilma cometesse suicídio, no Flickr.

Aqui, a brasileira que pregou o afogamento dos eleitores nordestinos e mereceu artigo em defesa dela na Folha de S. Paulo.

13 - dez 1

Ao vivo: Audiência pública debate abuso de autoridade e medidas coercitivas

Entre os participantes, Eugênio Aragão, Deborah Duprat, Enio Streck e reitor Emmanuel Tourinho

 

74 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Quando a mídia ajuda a matar | A Identidade Bentes

17/04/2011 - 19h20

[…] em 17 January 2011 Por Robert F. Kennedy Jr.*, no Viomundo** Anúncio de página inteira publicado no Dallas Morning News no dia do assassinato de JFK, em que […]

Responder

Cesar Tavares

17/01/2011 - 23h10

As vezes chego a pensar que a campanha da extrema direita já começou aqui no Brasil, o povo Brasileiro como se sabe é pacifico, mas as mensagens que esta passando na Rede Globo .Primeiro foi o Fantastico mostrando como se levar arma para dentro dos Aeroportos, hoje em uma nova novela um personagem tira um canivete dentro do sapato mata os pilotos e sequestra o avião.Eu penso que isto tudo são mensagens subliminares.

Responder

Pitagoras

17/01/2011 - 21h47

E os muçulmanos é que são extremistas…quaquaqua.
Não dá para competir com essa direita americana que volta e meia quer detonar ( e já detonou duas) bomba nuclear em tudo que é país discordante de seus desígnios imperiais.

Responder

maisquesaco

17/01/2011 - 20h37

"Welcome Mr. Kennedy" em um retângulo de borda preta é simbolismo óbvio demais. Tio Jack deveria ter ficado em casa…

Responder

A.N.Salazar

17/01/2011 - 15h50

Com todo o histórico de incitamento à violência, desejando que algum lunático tome as dores e faça o que lhe é sugerido, como é que Mr Obama faz um discurso morno de conciliação com répteis? Obama somente será reeleito por milagre. Não tem a firmeza que um indivíduo de sua condição, oriundo de grupo racial oprimido, deveria mostrar – começando por denunciar o absurdo comportamento da direita republicana nazistóide, tão
sem escrúpulos quanto o seu líder maior Hitler.

Responder

ZePovinho

17/01/2011 - 14h57

O escritor argentino Jorge Luis Borges tem um conto,O Aleph,em que fala da possibilidade de se conhecer o ponto do espaço que permite uma visão geral de todo o universo.Esse caso do Kennedy,o assassinato de Vargas,o assassinato de Jango são outros pontos de onde se pode ver países inteiros em momentos no tempo.
Quem se interessa em estudar o caso Kennedy,por exemplo,vai se deparar com questões da democracia americana que estão aqui e agora.O caso Posada Carriles é só um exemplo.Posada Carriles estava na Dealey Plaza naquele fatídico 22/11/1963.George Herbert Walker Bush também. http://www.cubadebate.cu/especiales/2011/01/17/lo
Los Fiscales en Texas tienen pruebas abrumadoras de los actos terroristas de Luis Posada Carriles

Responder

ZePovinho

17/01/2011 - 14h16

Quem lembra do filme francês "Delicatessen"???????????????????????

MODO DEMOTUCANO DE GOVERNAR

ESQUEMA DE ALCKMIN EM PINDAMONHANGABA MISTURA CADÁVERES E MERENDA ESCOLAR

Parece manchete de jornal sensacionalista, mas é a mórbida realidade dos serviços municipais na Prefeitura de Pindamonhangaba (SP). A prática de utilizar um mesmo veículo para entregar panelas de merenda escolar, de dia, e transportar cadáveres, à noite, é a ponta de uma rede de negócios e conveniências cujos fios se interligam ao governador Geraldo Alckmin através de sua sobrinha, vice-prefeita da cidade, e de seu cunhado & familiares da esposa, dona Lu Alckmin, acusados de operar um esquema de merenda em 20 municípios dos estados do Rio, São Paulo e Espírito Santo. A linha de frente do empreendimento é a Verdurama, empresa de lubrificação de licitações municipais com o pagamento regular de propina às prefeituras e secretarias de educação. À robusta receita de superlucros à base de subnutrientes adicionou-se em Pinda o controle do serviço funerário local. O Estadão desta segunda-feira traz o depoimento de um ex-agente funerário que relata detalhes da maximização de uso dos fatores. Colunistas da página 2 da Folha, indignados com a emissão de passaportes especiais a membros da família do ex-presidente Lula, certamente não pouparão seu verbo idôneo diante desse episódio. A ver.
(Carta Maior; 2º-feira, 17/01/2011. Para doações às cidades devastadas: Defesa Civil do RJ, CEF -conta 2011-0, agência 0199, operação 006)
[youtube 3wkjouoGPkc http://www.youtube.com/watch?v=3wkjouoGPkc youtube]

Responder

Sinval Gomes

17/01/2011 - 14h08

A mídia ajuda a matar o tempo inteiro. Veja só: todos reclamam da violência que toma conta do país, da criminalidade, etc. A Globo cinicamente mostra as passeatas "pela Paz" no Rio de Janeiro. Eles falam em "cultura da paz". Mas quem é que propaga o oposto, a "cultura da violência"?? É exatamente a televisão! Faça uma experiência: assista os filmes que a Rede Globo transmite nos sábados a noite no "Supercine" e na segunda-feira a noite no "Tela Quente". A maioria são filmes extremamente violentos, filmes onde há uma total banalização da violência. Esses filmes tem uma grande audiência entre os adolescentes e pré-adolescentes do Brasil inteiro, especialmente os das classes menos favorecidas, que não possuem TV a cabo em casa, e vivem vidrados na telinha da Globo. Eu gostaria que algum psicólogo, sociólogo, qualquer coisa do gênero, fizesse uma pesquisa científica séria para tentar mensurar os estragos feitos pela extrema violência presente nos filmes do "Supercine" e do "Tela Quente" nos últimos 20 anos sobre as mentes da geração de jovens brasileiros que cresceu assistindo esses filmes. São milhões de jovens que cresceram vendo esses filmes violentos, onde a violência é tratada como algo banal e até "interessante". Depois ninguém sabe de onde veio essa "cultura da violência" que assola a sociedade brasileira atualmente. Eu sei exatamente de onde veio: veio do "Supercine" e do "Tela Quente".

Responder

Luci

17/01/2011 - 13h44

Martin Luther King Day:Os EUA reverenciam o líder da não violência, pacífista, democrata, solidário e compromissado com a paz, seu povo e seu país. "Enfrentaremos a força física, com nossa força moral." "Temos aprendido a voar como pássaros, a nadar como os peixes, mas ainda não aprendemos a sensível arte de vivermos como irmãos."Não fiz o melhor, mas fiz tudo para que o melhor fosse feito.Não sou o que deveria ser , mas não sou o que era antes."A injustiça em qualquer lugar é uma ameaça à justiça em todo lugar."Nunca estarei satisfeito até que a segregação racial desapareça da América". Martin Luther King.

Responder

claudio

17/01/2011 - 13h36

Semana passada a manchete do diário gaúcho – jornal popularesco da rbs – era ssim: Gauchão é pra macho! – com exclamação e tudo.
Atleta gay não pode jogar?
Campeonato feminino então, nem pensar, né?
E hj no clicrbs: Especialistas (sic) criticam lentidão de socorro militar ao caos no Rio.
Já o g1 tem 21 links sobre a enchente do Rio e um sobre SP: bairros de sp têm alerta de deslizamento.
Como diz o PHA, em SP (onde há só um risco, não tem echente, segundo eles) a culpa é da chuva, no Rio, "o caos" é culpa do Lula e do Cabral.
É mole?
Ley de Medios já!

Responder

Luci

17/01/2011 - 13h32

Martin Luther King Day: 3a Segunda Feira do mês de Janeiro é feriado nacional nos EUA, em homenagem a Martin Luther King que nasceu em 15 de janeiro de 1929 em Atlanta, na Geórgia, e assassinado em 04 de abril de 1968, no Hotel Lorraine em Menphis, no Tenessee. King Day celebra a luta e o legado para a humanidade de um dos maiores líderes pacifistas do mundo, lutador pela causa dos direitos civis e justiça social para os afroamericanos."A verdadeira medida de um homem não é como ele se comporta em momentos de conforto e conveniência, mas como ele se mantém em tempos de controvérsia e desafio.""A nossa geração não lamenta tanto os crimes dos perversos quanto o estarrecedor silêncio dos bondosos."

Responder

gbarceloss

17/01/2011 - 13h11

Existe uma relação grande entre os dois momentos. Se nos anos 60 Kenedy permitiu (depois de ampla mobiliação social) o fim da segregação institucional, agora Obama luta firmemente para incluir milhões de pobres no Sistema de Saúde. Ou seja, a direita nunca vai querer permitir os direitos sociais do povo. Lutemos contra eles!

Responder

ZePovinho

17/01/2011 - 12h36

O ZePovinho já morou na entrada do Dendê,no Jardim Carioca:

[youtube umzKprymjzk http://www.youtube.com/watch?v=umzKprymjzk youtube]

Responder

ZePovinho

17/01/2011 - 12h34

O caso Battisti é um balão de ensaio para usar o caso Assange contra brasileiros que contrariem interesses do Império???????????????
http://resistir.info/pilger/pilger_13jan11.html

"……..Este registo claro é crucial porque descreve o comportamento pérfido das autoridades suecas – uma sequência bizarra que me foi confirmada por outros jornalistas em Estocolmo e pelo advogado sueco de Assange, Bjorn Hurtig. Não é só isso. Burke destacou o perigo que Assange enfrenta caso seja extraditado para a Suécia. "Documentos divulgados pelo Wikileaks desde que Assange foi para a Inglaterra", escreveu ele, "indicam claramente que a Suécia submeteu-se sistematicamente à pressão dos Estados Unidos em matérias relativas a direitos civis. Há amplos motivos para a preocupação de que se se verificar Assange ser posto sob a custódia das autoridades suecas possa ser entregue aos Estados Unidos sem a devida consideração dos seus direitos legais.

"Estes documentos foram virtualmente ignorados na Grã-Bretanha. Eles mostram que a classe política sueca afastou-se muito da visível neutralidade de uma geração atrás e que o aparelho militar e de inteligência do país está quase absorvido dentro da matriz de Washington em torno da NATO. Num telegrama de 2007, a embaixada dos EUA em Estocolmo louva o governo sueco dominado pelo conservador Partido Moderado do primeiro-ministro Fredrik Reinfeldt como vindo "de uma nova geração política e não preso às tradições [anti-EUA] [e] na prática um parceiro pragmático e forte com a NATO, tendo tropas sob comando NATO no Kosovo e no Afeganistão.

O telegrama revela como a política externa é amplamente controlada por Carl Bildt, o actual ministro dos Estrangeiros, cuja carreira foi baseada na lealdade aos Estados Unidos. Ela remonta à guerra do Vietname, quando ele atacava a televisão pública sueca por difundir a evidência de que os EUA estavam a bombardear alvos civis. Bildt desempenhou um papel importante no Comité para a Libertação do Iraque, um grupo de lobby com laços estreitos com a Casa Branca de George W. Bush, a CIA e a extrema-direita do Partido Republicano".

Responder

ZePovinho

17/01/2011 - 12h26

Eu já tinha colocado,aqui na Padaria do Azenha,matérias sobre como o governo português entregou informações dos seus cidadãos ao governo dos EUA.Depois,esse governo pressionou o Twitter e o Facebbok a entregar informações sobre Julian Assange e seus colaboradores.
Aqui John Pilger,um dos advogados de Assange,conta como os EUA estão criando do nada uma jurisprudência para prender Assange(vão usar até uma lei da Primeira guerra Mundial,a aqual serviu para prender Ezra Pound quando ele denunciou que os banqueiros de Wall Street estavam por trás dela): http://resistir.info/pilger/pilger_13jan11.html
A guerra à WikiLeaks

Aqui vocês podem entender como FHC moldou o judiciário brasileiro para proteger interesses de corporações privadas: http://redecastorphoto.blogspot.com/2011/01/adequ
sexta-feira, 14 de janeiro de 2011
“ADEQUAR O JUDICIÁRIO AO MERCADO E À GARANTIA DA PROPRIEDADE PRIVADA”

Para garantir a proteção dessa institucionalidade bandida,protetora dos crimes das empresas privadas,FHC nomeou Gilmar Dantas para o STF.

E o quê isso tem a ver com o caso Battisti???????????Ora!!Ora!!!!Se o Brasil aprovar a entrega de Battisti ao governo italiano,esse caso poderá ser usado como âncora para tornar qualquer brasileiro como o Julian Assange.Já pensou os governo dos EUA pressionando o judiciário podre do Brasil,por exemplo,atrás daquele físico do IME que descreveu como funciona uma das mais usadas ogivas nucleares do arsenal dos EUA???

Responder

Julio Silveira

17/01/2011 - 12h23

A midia nacional se inspira nessa droga de midia americana. Aqui estão promovendo o aparthaid nordestino em São Paulo, o fundamentalismo religioso cristão, dentre outras incitações irresponsaveis e inimputaveis com base na liberdade da imprensa do editorialista, o que dá a última palavra, os donos em todos os sentidos.
Já produziu-se vitimas entre cidadãos, a escola base é um exemplo de mau comportamento midiático com resultado catastrófico e atitude de alheamento com o resultado, sem qualquer mea culpa.
Mas eles tem o poder, temido até por quem deveria produzir parametros para a responsabilidade desses meios.

Responder

Oligarcas

17/01/2011 - 12h08

"Quando a mídia ajuda a matar". A oligarquia domina a mídia. A oligarquia odeia o povo.

Responder

Luci

17/01/2011 - 12h03

Azenha insista nesta tese que é um debate que a sociedade brasileira deve fazer.De onde parte a violência que induz agressão gratuita:lembremos entre centenas de casos o da empregada doméstica no Rio de Janeiro que foi surrada por jovens de classe média.O indio queimado enquanto dormia e vários outros casos assustadores. O que está por trás de determinadas mensagens que foram introjetadas nas mentalidades de quem assiste TV. Eu fico estressada, nervosa e por vezes sinto-me humilhada quando assisto determinados programas de TV entre eles programas de humor grosseiro, novelas, telejornais, programas de entrevistas que difundem mentiras, agressão, violência, racismo, intolerância, preconceito social, machismo, sexismo . Estes programas e alguns editoriais de TV e programas de entrevistas difundem a história única e pregam mensagens de que o outro não tem valor, deve ser julgado a todo momento e eliminado por ser inimigo.

Responder

Luci

17/01/2011 - 11h43

Azenha infelizmente o ódio e a intolerância tiveram e tem publicidade tolerada e consentida. As mortes de jovens torcedores em brigas de rua, a homofobia, intolerância religiosa, apresentador de TV flagrados humilhando garis, mortes no campo por disputa de terras, agressão a homossexuais, agress~]ao á presidenta Dilma (tuiteiros pedindo sua morte!), culpabilização da população pobre por acidente causado por enchentes após chuva, programas policialescos pregando violência, vulgarização e universalização do termo bandido, impunidade dos ricos, grupos de extermínio, tortura, novelas que difundem mau caratismo e violência. Eu pergunto-lhe a Justiça está atuando de forma eficaz para conter a violência?

Responder

José Ruiz

17/01/2011 - 09h31

Eu gostaria mesmo é de entender a dinâmica desse processo: porque as pessoas não conseguem perceber as vantagens de uma sociedade mais justa e solidária? Porque as teorias que desagregam, discriminam, excluem, concentram renda prevalecem em relação àquelas que procuram tornar a sociedade mais igualitária? É tão difícil ensinar a dividir… por outro lado, é incrível a facilidade que as pessoas têm para assimilar práticas egoístas… milhares de anos de evolução e não aprendemos nada? Ciência do século XXI e instintos do homem das cavernas? Porque uma pessoa estuda, frequenta faculdade, vira doutor, se refina mas não consegue entender esses conceitos? Perguntas meio bobocas, eu sei, é que após tantos anos, eu é que não consigo entender isso… coisas tão óbvias para alguns e tão distantes para outros…

Responder

    Luci

    17/01/2011 - 12h22

    José Ruiz a responsabilidade por uma sociedade injusta e desigual é do capitalismo que prega como valor o consumismo, desrespeita o meio ambiente, concentra terras, valorização do ter e o individualismo no lugar da solidariedade. Ou nós recomeçamos uma sociedade com todos os valores que voce menciona, ou chegamos ao limite do limite.O jornalista indiano Devinder Sharma escreveu "Você tem que decidor a árvore ou o o PIB?" http://www.correiocidadania.com.br/content/view/5

Paulo do Amaral

17/01/2011 - 09h30

Desvios na Funasa chegam a R$ 500 milhões, diz CGU

Auditorias apontam irregularidades na fundação comandada pelo PMDB

Órgão é o principal alvo da disputa por cargos no segundo escalão que caracteriza começo do governo Dilma Rousseff

Bernardo Mello Franco, Folha de S. Paulo

Auditorias concluídas nos últimos quatro anos pela CGU (Controladoria Geral da União) revelam que a Funasa foi vítima de desvios que podem ultrapassar a cifra de meio bilhão de reais.

O órgão está sob comando do PMDB desde 2005 e é o principal alvo do partido na guerra por cargos no segundo escalão do governo Dilma.

DEVE SER CULPA DP PIG….

qua qua qua qua qua qua…. FORA PIG… kkkkkkkkkkkkk

Só querem é roubar e nada mais….

kkkkkkkkkkkkkkkkk

FORA PIG… É CULPA DO PIG….

qua qua qua qua…

Responder

    Gerson Carneiro

    17/01/2011 - 10h38

    Detalhe: a fonte dele é a Fôia de Sun Palo.
    qua qua qua qua….

    Marcelo C.

    17/01/2011 - 11h07

    Quem identificou os desvios? Foi um órgão do Estado Brasileiro (CGU) que passou a atuar de forma republicana. Ninguém está varrendo desonestidade com dinheiro público para baixo do tapete como antes sempre se fez…a história agora é outra.
    Na Polícia Federal existem milhares de processos contra prefeitos. Governadores, desembargadores, os "bacanas" desse país começaram a ir para o xilindró …
    Engraçado é que a reação desse pessoal e dos seus defensores foi estardalhar um tal de estado policial, de não poder algemar a cambada "rica" e outros "embromation" juridiquês…Vão continuar dançando…

    Thelma Oliveira

    17/01/2011 - 11h36

    Não entendi o que vc está comemorando. Será o fato de um governo investigar a si próprio, apontar aonde está a falha e partir para uma solução? É isso? Ou quem sabe vc está comemorando uma notícia razoavelmente bem dada pela Folha, coisa que vem se tornando cada vez mais incomum? Realmente, não deu pra entender.

    ZePovinho

    17/01/2011 - 12h44

    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011

    Funerária de sobrinho de Alckmin levava merenda e cadáver . Alckmin sabia. O Serra também
    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011

    Serra tem Paulo Preto. Alckmin, tem o Paulão:Alckmin foi alertado em 2006 sobre ação de seu cunhado…e não fez nada!
    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011

    Cunhado de Alckmin atuou no governo Serra/ Alckmin
    http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2011

    Justiça de SP quebra sigilos dos tucanos acusados de receber propina da Alstom

    Scan

    17/01/2011 - 13h34

    Fonte fidedigna…
    Dirija-se, por favor, ao blog do Reinaldinho Cabeção, o Eunuco e faça suas denúncias.
    Tem lá um monte de idiotas iguaizinhos a você para lhe dar boas vindas.
    Xô, escória!

Luis Armidoro

17/01/2011 - 09h07

Azenha e amigos do blog:

Infelizmente, observo semelhenças assustadoras no texto com as campanhas do tea party e seu aprendiz de demônio aqui no Brasil. Alguém duvida de que o vampiro da móoca vai desistir?

Responder

José Maia

17/01/2011 - 09h00

Parabéns, Azenha, pela excepcional linha de reportagem trilhada pelo blog.

Responder

Luis

17/01/2011 - 08h03

Fora (?) de Pauta: alerta geral! A Folha (ou falha) de São Paulo encerrou o período de "condescendência" com Dilma Rousseff. Hoje o Igor Gielow deu a senha. Ou melhor, redigiu a senha enviada pelo Friasinho. Chamou Lula de covarde, sob o pretexto de relativizar uma suposta diferença entre o ex e a atual presidente. Nominou camarilha sua equipe mais próxima (livra-se de um processo pelo sentido dicionarizado da expressão). Lembrou Palocci como menino de recados, atribuindo-lhe o sobrenome "caso francenildo". Desqualificou os outros profissionais e veiculos de imprensa que elogiaram a presença de Dilma na "Serra" fluminense inundada.
Alerta ao governo: não adianta refrescar para banqueiros, latifundiários ou grandes empreiteiras. Para arrancar benesses do governo, as "folhas de são paulo" são bem funcionais aos donos do capital.

Responder

Marcílio

17/01/2011 - 01h34

"…virulência tóxica da direita…", infelizmente ainda atualizadíssimo.
Basta dar uma olhada nos comentários que rolam no site do estadão…são sob encomenda para vomitar.

Responder

Taciana

17/01/2011 - 00h19

O povo é muito forte porque tem quantos anos que esses movimentos sempre voltam com outro nome para tentar barrar as mudanças sociais e econômicas?
A propósito, gostaria de saber como vão as investigações sobre a incitação ao ódio contra os nordestinos e a um atentado contra Dilma.
Pizza de quê?

Responder

    Jairo_Beraldo

    17/01/2011 - 09h31

    Pizza de Malocci com Zezão Cardozo,regado a Johnbin. Pizzaiolo – Dilma Roussef.

João

17/01/2011 - 00h08

Ou o Governo Dilma envia para o Congresso a Ley dos Medios, ou a intolerância só aumentará no Brasil (vide rapazes de classe média alta que agrediram outros jovens na Paulista, Mayara Petruso e outros exemplos que poderia ficar aqui arrolando).

Responder

Pedro

16/01/2011 - 22h30

Grande analogista brasileiro disseca ex-presidente parvo e apedeuta
Reproduzo aqui a genial análise publicada no diário dos homens bons do jovem poeta brasileiro, que além de mestre das letras, também é um grande pensador e brilhante analogista do cenário político nacional. Apesar de ser simpática ao ex-usurpador do Planalto em alguns trechos, não deixa de ser pertinente à realidade no contexto geral, o que demonstra que esse rapaz tem futuro.
FERREIRA GULLAR
Quando dois e dois são quatro
O tempo se encarregará de pôr as coisas no lugar. O presidente Médici também obteve 82% de aprovação
TALVEZ SEJA esta a última vez que escreva sobre o cidadão Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil. Com alívio o vi terminar o seu mandato, pois não terei mais que aturá-lo a esbravejar, dia e noite, na televisão, nem que ouvir coisas como esta: “Ele é tão inteligente que fala todas as línguas sem ter aprendido nenhuma”. Pois é, pena que não fale tão bem português quanto fala russo. http://hariprado.wordpress.com/

Responder

    Mário SF Alves

    17/01/2011 - 01h44

    É sempre assim. Descontextualizar se preciso for, contextualizar jamais! Eis o exemplo, "a la fina flor de la poesia pps-demo-tucana: "O tempo se encarregará de pôr as coisas em seu devido lugar. O presidente Emílio Garrastazu Médici também obteve, em 1974, 82% de aprovação." P…! O que é isso o sr. intelectual? Comparar a popularidade do Lula com a do Garratazu Médice?!! É por essas e por outras que, depois do FHC, eu parei de fazer apologia a intelectuais.

    ZePovinho

    17/01/2011 - 13h03

    Ferreira Gullar nunca deu um pio sobre seu conterrâneo José Sarney.Por quê??????????O grande poeta,realmente,é um "grande analogista".Analogia,obviamente,é o estudo da bunda.Bundanamente como as "análises" políticas de Ferreira Gullar.

    Ane

    17/01/2011 - 13h51

    O Ferreira Gullar está Gagá.

    luiz pinheiro

    17/01/2011 - 17h31

    Não é verdade que o Medici tenha tido tanta popularidade. É fato que houve o chamado "milagre econômico", que havia emprego relativamente farto, que houve o tricampeonato no México, acompanhado pelo Medici por popular radinho de pilha. Mas as pesquisas da época, quando tudo era ditadura e arbítrio, estão muito longe das de hoje, em matéria de rigor técnico e credibilidade. Aliás, nem havia pesquisa eleitoral, simplesmente porque não havia eleição, nem para presidente nem para governador. Em 1976, a Arena, partido dos ditadores militares, tomou uma surra histórica nas eleições para o Senado, tal era a "popularidade" do regime. E não faziam eleições para presidente nem para governador porque sabiam que perdiam. Quanto ao Ferreira Gullar, que deplorável personagem! Não há poesia possível em meio ao rancor da arrogância desmascarada…

Claudio Ribeiro

16/01/2011 - 21h59

Democratizar a mídia é o caminho sem volta para novas vozes e novos olhares, dissonantes…
http://palavras-diversas.blogspot.com/2011/01/o-m

Diversidade e local para vencer os gigantes, mesmo que aos poucos…

Responder

Regina

16/01/2011 - 21h41

Mudou a roupa mas as idéias saõ as mesmas…Sofisticaçaõ com a Marine Le Pen…Odiosa e Transparente como a Sarah Palin…Sai a ku klux Klan entra a Fox…Sai o estigma do Comunista e entra o da Guerrilheira Insensível…Só têm uma coisa que permaneçe a mesma…A forma de atuar do Pig. Como sempre sem criatividade,originalidade,sensibilidade,credibilidade…refugos dos Prates.

Responder

    Jairo_Beraldo

    17/01/2011 - 09h37

    E problema maior disto tudo, é que a geração que se torna adoslencente na segunda decada do século XXI cresce achando isso tudo normal. Neles serão respingados o ódio destilado pela mídia e pelas liderenças religiosas. E o que me asssusta mais é Dilma ter colocado no governo representates deste segmento – Malocci, Zezão Cardozo e Johnbin, a tropa de choque DANTESCA.

    Elton

    17/01/2011 - 11h00

    E continuam os "bordões" do tipo: "Trabalho pra sustentar vagabundo", "A presidente é terrorista sssassina", "Ih, professor, você é PT" (fazem cara de nojo nessa hora…), "Noossa, professor..você apóia sem-terras, como é que pode???"………é com isso que convivo em sala de aula.

Levy Saint

16/01/2011 - 21h26

Onde esse texto foi originalmente publicado? no próprio Estadão?

Responder

malu

16/01/2011 - 21h22

Nunca mais assisti a um jornal da globo, só vejo o da Band e o da Record, na sequência. A última vez que eu vi alguma coisa de novela foram os capítulos finais de uma que eu não lembro o nome, em que a Patrícia Pilar fazia uma vilã fantástica. Assistia só as cenas dela e zapeava, já que não entendia nada do que acontecia fora desse núcleo. O famigerado Casseta já estava no meu esquecimento quando morreu. Como perdi o hábito de ver tv fora do horário de jornais, faz muito tempo que não assisto A Grande Família, porque esqueço qual o dia que passa, era a única coisa que eu ainda assistia nesse canal podroso. Só sei que tem mais um big brother porque ouço falarem (não tanto como antes). Não sei como funciona isso, eu nunca assisti esses lixos e não me interesso em ler nada sobre esses programas. É isso, gente, cada um tem que fazer a sua parte. Detectamos onde estão os mais reacionários, como Veja, Folha, Globo e vamos parando de dar audiência para esses grupos. Há muito tempo troquei Veja por Carta Capital e A Folha por um jornal local, só para saber notícias da baixada santista.

Responder

ClTavaresdemello

16/01/2011 - 21h13

Tuitar intolerância não é apenas inocente leviandade.
Até onde pode nos levar um debate midiático político pobre, superficial e inconseqüente???

A morte é o extremo, mas enquanto isso… falta de sensibilidade e de percepção da sociedade e do seu papel dentro dela, falta de capacidade de discernimento, distinção… enfim, um atraso pra nós todos do tamanho do mundo.

Responder

Elton

16/01/2011 - 21h09

A direita está perturbada, está com medo e por isso ressuscita o Macartismo dos anos 40/50. A Direita dos EUA é modelo para a nossa e sempre será. A ascenção de indígenas ao poder na Bolívia, Equador, Venezuela. A ascenção social dos antes excluídos em vários países latinoamericanos (Principalmente no Brasil), a eleição de um afroamericano para a presidência dos EUA, os imigrantes e seus descendentes vão se tornando percentualmente numerosos por lá………desse modo é hora de propagar o ódio novamente, o racismo, a intolerância…..essa é a visão da direita. Que se cuidem os líderes latinoamericanos da atualidade. A história se repete no que tem de pior SEMPRE, infelizmente.

Responder

reinaldo carletti

16/01/2011 - 21h07

eu acho que o parceiro ai em cima tem razão…devemos nos mobilizar e responsabilizar criminalmente esse sujeito ali kamel, que com esse nome esta mais para terrorista do que outra coisa, muito menos "jornalista". eu acho que essa reportagem,que eu não vi,foi a gota d agua, e nos temos todo o direito de processa-lo.
reinaldo carletti

Responder

Elton

16/01/2011 - 21h03

Companheiros, vocês conhecem o BLOG DO SAKAMOTO? Dêem uma olhada lá de modo especial nos artigos dele sobre o trabalho escravo em nosso país. Mas aproveitem para ler o que os COMENTARISTAs de lá escrevem……..tem extrema direita braba, defensores do latifúndio que negam que exista trabalho escravo no Brasil, afirmam que esquerdistas e ambientalistas só querem "tumultuar e desestabilizar" a agricultura brasileira, que os termos "esquerda e direita" só são empregados por atrasados povos da América Latina, etc, etc, etc. todos evidentemente posando de "cultos conhecedores da história". Apaixonados por "Bob Fields" (Roberto Campos). Paus mandados da Kátia Abreu, com certeza.

Responder

sergio

16/01/2011 - 20h22

esse ali kamel tá merecendo um enquadramento, não tem lei para detratores da honra alheia? agora, sabendo que a globo é nefasta o cabral deu 24 milhões para a fundação?

Responder

Gerson Carneiro

16/01/2011 - 19h45

Essa insinuação da Rede Globo de que Dilma sorria em reunião com os Ministros enquanto tratava sobre questões da tragédia no Rio de Janeiro é uma perversão que pode ser incluída no rol de atrocidades da mídia.

Responder

    Liz Vasconcellos

    16/01/2011 - 21h17

    Eu também vi, era a primeira reunião de seu ministério, e fiquei indignada com a má-fé desse telejornal nojento.
    Eles estão sempre manipulando a opinião pública, descaradamente e impunimente.

Roberto Locatelli

16/01/2011 - 19h43

Preparemo-nos para duras batalhas.

Responder

Francisco

16/01/2011 - 18h45

Em resumo: a direita só sossega quando bebe sangue…

Responder

    Klaus

    16/01/2011 - 20h06

    Na história da esquerda não há sangue… Ok, há, mas é para a construção de um mundo melhor, né?
    Fidel, Mao, Lenin, Stalin e todos os outros carniceiros da esquerda tinham só boas intenções.

    ZePovinho

    16/01/2011 - 20h23

    O velho discurso de totalitarismo da esquerda.Tem mais de 60 anos.Sai dessa,Klaus.Seus ídolos,os EUA,acabaram de matar mais de 1 milhão de iraquianos para "levar a democracia" ao Oriente Médio,seguindo uma ideologia preparada para roubar os recursos naturais dos povos muçulmanos:o choque de civilizações de Samuel Huntington.

    Gerson Carneiro

    16/01/2011 - 20h48

    klaus,

    Você está acompanhando o tratamento que o teu prefeito e o teu governador estão dando aos estudantes que reivindicam o não aumento do valor da passagem de ônibus urbano?

    É esse o real tratamento dispensado ao povo por parte de quem dizia que iria fazer "um governo de união nacional"; que ia governar para todos, jovens, idosos, trabalhadores; que denunciava atrocidades no irã; que se fez vítima de uma bolinha de papel.

    Jairo_Beraldo

    17/01/2011 - 09h41

    E que na área da saúde fez da tomografia computadorizada um exame popular, cumpadi…de acesso a todos.

    Klaus

    17/01/2011 - 11h17

    Sou de MInas.

    Elton

    17/01/2011 - 13h49

    Então envergonha a seu belo e rico estado. Aqui temos mineiros do mais alto gabarito. Sou paranaense e me enoja o conservadorismo da maioria de meus conterrâneos.

    diogojfaraujo

    16/01/2011 - 20h52

    Ow, só pra avisar, a guerra fria acabou…

    jose luiz

    16/01/2011 - 21h27

    Falando em carniceiros, vejamos os nosso "gloriosos" militares, que mataram e torturaram nossos irmãos na implantação da ditadura brasileira. mas pelo visto tu é um dos que acham que as matanças eram justificadas, não é?

    Elton

    16/01/2011 - 22h59

    Eu conheço um colega de profissão (professor) e militar que postou em seu blog um discurso do Jair Bolsonaro Filho "descendo o cacete" na comissão da verdade e elogiando a postura do mesmo. A direita é assim. Esses são seus ídolos…….

    Mariana

    17/01/2011 - 00h15

    Recebi um e.mail com um discurso dele dizendo que o Governo está estimulando o homosexualismo, distribuindo uma cartilha nas escolas mostrando como ser gay e outras coisas mais.

    Elton

    17/01/2011 - 11h01

    Ou veio da Opus Dei ou de alguma seita evangélica…….

    edv

    16/01/2011 - 22h52

    Enquanto esquerda for caracterizada como comunismo, certas mentes nunca compreenderão que há quem queira um mundo melhor para mais pessoas e não para menos.
    Os "menos" sempre saberão adestrá-las para manter seus privilégios.

    Elton

    17/01/2011 - 13h47

    O comunismo é esquerda e nisso não vejo problemas, sou comunista há mais de 30 anos. O problema é que ainda somos vistos como "comedores de criancinhas", "adoradores do demônio" e outras categorias de estereótipos. Enquanto o proletariado não usufrui do poder pleno, a maioria apenas "aplaude" as minorias.

    edv

    18/01/2011 - 00h11

    Elton, sei que comunismo é de esquerda, sou de esquerda, com incursões ao centro e até algumas raras escapadas à direita, mas nunca longe do centro.
    Nunca fui comunista, mas respeito e nunca achei que eles "comem criancinhas".
    O comunismo pelo menos (em teoria), visa maiorias e não privilégios de minorias (direita).
    Mas, como disse o colega nonato, tanto a direita quanto a esquerda já mataram milhões.
    Não podemos esquecer Hitler, Saddam, Stalin, Pol Pot e outros por aí. Dá uns 80 milhões…
    (Fidel não se enquadra, para mim, foi um grande homem para seu povo … mas perdeu a mão com Carter. Pode abrir, integrar seu povo bem preparado, mas foi guerrear em Angola!).
    Por que não sou? Sou dos que dá vivas à liberdade, à criatividade, à competição (saudável), ao mérito e à diferença. E sim, a igualdade de oportunidades. E à solidariedade. E ao extermínio da pobreza (e não dos pobres). Mas não comunista (nem petista). Sou "gentista".
    A China está misturando o comunismo com o capitalismo e está indo muito bem, não?
    O problema não está nos "sistemas", no "ismos", mas no ser humano, em qualquer sistema!
    Que consegue ser solidário até com outros animais (há os que, além de cães e gatos, amam cobras, gorilas, jacarés, ursos, aranhas…). Dão sua vida! Eu acho um barato!
    Ou sanguinário com seus semelhantes, como ditadores (à esquerda e à direita) que usam qualquer desculpa para o "poder" (pessoal).
    Lula por ex. já quis o poder não pra ele, mas para "poder" ajudar sua nação!
    Em resumo, não vejo "luta de classes", mas competição colaborativa e solidária de classes.
    Que todos possam melhorar sua "classe" e de classe. Não vejo trabalhadores e patrões, enxergo sócios no final.
    Nos países nórdicos, "socialistas/capitalistas", eles já estão mais perto disso: operários que se aposentam e viram sócios. Opatrão não ganha mais do que 2 ou 3 vezes o operário, etc.
    Mas nesse mundo de mais de 1 bilhão de famintos e alguns poucos milhares de donos de multicastelos e riquezas que não conseguem usufruir, ainda vamos ralar muito para chegar lá!
    Somos humanos…

    nonato barboza

    17/01/2011 - 12h20

    Na história da direita não há sangue… Ok, há, mas é para a construção de um mundo melhor, né? Durante as décadas de 1960 a 1980 a direitona dos Estados Unidos apoiou todos os governos dos ditadores da América do Sul. Pinochet, Geisel, Médici, Videla e outros tantos carniceiros da direita só tinham boas intenções. Isso sem falar em Sadam Hussein, Rezha Pharlevi, governos da África do Sul e dezenas de ditaduras sanguinárias da África. Enfim onde tinha ditadura de direita lá estava a mão sangrenta da nação norte americana e os seus chacais da direita.

    Elton

    17/01/2011 - 13h45

    Perfeito, Xinelada nesses caras!!!!

    Elton

    16/01/2011 - 20h45

    Sossega? Esses caras são INSACIÁVEIS!!!!

Marco Aurelio

16/01/2011 - 18h43

http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va

The National Security State and the Assassination of JFK
The CIA, the Pentagon, and the `Peace President`

by Andrew Gavin Marshall

Responder

ZePovinho

16/01/2011 - 18h39

Estamos voltando ao clima da guerra fria,Azenha.Estão censurando,direto,o site Cuba Debate:
http://www.cubadebate.cu/especiales/2011/01/15/go

Google censura, Facebook también
15 Enero 2011 21 Comentarios

Haz tu propuesta: ¿Qué hacer si Google nos censura?

Editorial de Cubadebate

Hoy amanecimos con una nueva agresión. Facebook retiró la página, abierta por los internautas, que reclamaba a Youtube -propiedad de Google- la restitución del canal de Cubadebate en la red social de descargas de video más consultada en la red y que se podía localizar en la dirección No más censura en Youtube restablezcan Cubadebate.

Responder

Deixe uma resposta