VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Michael Brenner: Washington faz o que condena em autocracias

18 de dezembro de 2010 às 14h48

Obama’s War on WikiLeaks — and Us

Michael Brenner, no Huffington Post

A maneira casual com que os norte-americanos estão rasgando suas liberdades é de tirar o fôlego. Direitos que foram reverenciados como as jóias espirituais da Nação por 225 anos estão sendo colocados de lado como se fossem descartáveis. Fazemos de conta que ainda valorizamos os ideais dos quais eles são emblemáticos no momento em que os jogamos fora. Apenas um povo confuso por emoções descontroladas e que esqueceu de sua identidade pode agir de forma tão indiferente.

As flagrantes violações de direitos e proteções legais básicos são um dos destaques da década do 11 de setembro nos Estados Unidos. Monitoramento eletrônico por atacado, detenções arbitrárias, investigações intrusivas de pessoas e organizações sem motivo ou autorização judicial, a participação da CIA e da inteligência militar na contravenção de proibições estipuladas — uma vasta gama de práticas desprezíveis e ilegais. Na semana passada atingimos uma nova profundidade no desrespeito oficial à lei.

O ataque extrajudicial do governo Obama contra o WikiLeaks e a pessoa de Julian Assange é o mais amedrontador. Autoridades federais colocaram seu peso sobre empresas privadas para que se negassem a prestar serviços ao WikiLeaks e a qualquer pessoa que pretendia estender apoio financeiro ao grupo. O fato de que o PayPal, a Amazon, a Mastercard e a Visa são prestadores de serviços públicos demonstra o abuso de poder governamental.

O Departamento de Justiça também pode ter feito pressão sobre o governo sueco para colocar a Interpol atrás do sr. Assange por conta de ofensas sexuais surreais, ainda indefinidas, que os promotores gastaram dois meses preparando. (Alegadamente, Washington ameaça cortar o compartilhamento de inteligência com as autoridades amedrontadas de Estocolmo). Agora há informações de que os suecos estão colaborando com Washington para manter Assange detido no Reino Unido por tempo suficiente para que ele seja indiciado sob alguma acusação criada pelo Departamento de Justiça, que age em completo segredo. Adicionalmente, a Força Aérea dos Estados Unidos promoveu um blecaute no acesso eletrônico em todos os seus computadores aos jornais que publicaram resumos dos telegramas vazados.

Empregados ficaram proibidos de ler os jornais sob ameaça de severa punição. Uma ordem geral proíbe todos os empregados do Departamento de Defesa de ler os telegramas impressos — seja no santuário de suas casas, seja no lobby do Hotel Intercontinental de Cabul. Esta é a versão dos militares para as práticas repressivas usadas por regimes autocráticos em todo o mundo — práticas que Washington denuncia como ataques odiosos contra a liberdade.

O ponto-chave, que supera todos os outros, é que os Estados Unidos não tem autoridade legal para fazer qualquer uma destas coisas. Não buscaram autoridade legal para fazê-lo. A Casa Branca e o Pentágono simplesmente se deram o poder de punir arbitrariamente da forma como querem. Autoridades norte-americanas, a começar de Barack Obama, estão declarando seu direito de inflingir penalidades nos cidadãos com base em nada mais que sua própria vontade. A premissa e o precedente representam contravenção direta de nossas liberdades fundamentais. Não há distinção entre estas ações e uma hipotética ação do governo federal para negar a indivíduos ou grupos serviço de banda larga ou de eletricidade sob alegação de que estes serviços poderiam ser usados para embaraçar aqueles que tem poder em Washington.

É uma situação preocupante, que se torna mais preocupante ainda pelo silêncio que cerca este assalto histórico ao poder. A mídia convencional não publica críticas editoriais, os colunistas ignoram as questões relativas às liberdades civis, assim como os editorialistas (com exceção de Eugene Robinson); as associações de advogados não falam uma palavra, as universidades continuam em seu isolamento e os políticos pedem o sangue de Assange (literalmente)  ou se escondem com medo do rótulo de serem molengas ou sabotadores da segurança da Nação. É especialmente notável que o New York Times, que poderia ser acusado de servir de acessório a qualquer crime do qual o sr. Assange possa ser acusado, manteve a boca discretamente fechada, de forma pouco heróica.

O estado coletivo do pensamento americano se mostra incapaz de fazer a distinção básica e elementar entre a preferência pessoal e a lei. Levantar a questão com colegas e amigos gera respostas que nascem tão somente do que a pessoa pensa sobre o que fazem o WikiLeaks e Assange. É uma lógica eticamente obtusa. Minha opinião pessoal não tem nada a ver com a ilegalidade e a arbitrariedade do que nosso governo está fazendo. Nem poderia. É preciso denunciar as violações de nossos princípios e leis seja quem for o objeto dos abusos. Nós parecíamos entender isso.

Para completar a semana de notícias ruins para as liberdades civis, um juiz federal, John Bates, arquivou uma ação que pretendia evitar que os Estados Unidos tornem alvo um cidadão norte-americano baseado no Iemen, Anwar al-Awlaki, que nossas agências de segurança colocaram numa hit list. A ação foi movida pelo pai do clérigo. O Departamento de Justiça de Obama alegou que o tribunal não tem autoridade legal para censurar o presidente quando ele toma decisões militares para proteger os norte-americanos de ataques terroristas. O juiz Bates arquivou a ação dizendo que apenas o sr. al-Awlaki poderia movê-la.

Agora temos a confirmação judicial do direito de autoridades indefinidas, usando critérios indefinidos, de liquidar um cidadão dos Estados Unidos apenas por vontade própria. O único recurso do alvo, aparentemente, é entrar secretamente em um tribunal federal, junto com advogados, desde que evite ser fuzilado no caminho. Novamente, não tivemos comentários públicos a respeito da decisão.

Como chegamos a este ponto? A resposta óbvia é o medo — medo explorado por autoridades eleitas cujos interesses políticos atropelam o juramento de proteger e obedecer a Constituição dos Estados Unidos da América. Medo e o comportamento que ele gera. Supostamente somos o povo cuja bravura nos mantém livres — supostamente

 

58 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

José Manoel

20/12/2010 - 23h34

Azenha: bem feito que a crise esteja entortando esses yankees de m……..! Só assim eles param de enfiar o nariz onde não são chamados!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Fora, idiotas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Mariano S. Silva

20/12/2010 - 18h44

O ovo da serpente chocou…O zumbi nazista levanta de sua tumba! Eis o mestre que venceu o discípulo…

Responder

aldo luiz

20/12/2010 - 13h45

Caros amigos, com wikileaks ou sem eles, para que servem os CAVEIRÕES?
Wikileaks SERIAM MAIS UM NOVO GRANDE GOLPE COMO FOI O 911 & suas conhecidas conseqüências? PENSOU NISSO?
Nada substituirá a responsabilidade 100% dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Vai depender sempre do quanto estivermos identificados com a informação. A grande maioria ainda não enxerga um palmo além da tela da deusa TV; vive ignorante e escrava de doutrinadores programas em memórias de escassez geradas e geridas pelos intocáveis escravocratas banqueiros "donos do mundo" que nos mantém assim "alegremente" algozes e carcereiros uns dos outros auferindo para eles lucros abjetos.
O sistema transforma tudo em COISA e LUCRO, então compra, vende ou descarta, depende do MERCADO. Humanidade é um gênero ou natureza que não faz parte dos INTOCÁVEIS BANQUEIROS DONOS DA CASA GRANDE e seus serviçais escravos seguidores.
Acima das leis que não lhes favorecem, inumanos, criaram todas estas quinquilharias cibernéticas com que agrilhoados nos ocupam com as mãos coladas nas orelhas ouvindo lendas para nossa distração e alienação da verdade sobre suas REAIS identidades e intenções. E nós pagamos por isto juros sobre juros, afinal esta é a "OBRA DE DEUS". Só que não nos dizem que é o OPUS DEI DELES. Religião é uma forma sutil de escravização. Perguntem ao Banco do Vaticano. Cegos não vemos que ELES nos pegam pelos culhões e pelos ovários e nos castram, senzalam e exploram… Corrupção, tráfico, farmáfia, guerras, terrorismo, favelas, bigbrother, Coca-cola, "fast-food", sionismo, não são religiões, são uma ideologia.
Meu caro virtuoso leitor amigo, estamos "presos" neste CINEMA POEIRA em que transformaram o planeta, há mais de sessenta anos assisto este filme de horror. E toda proposta de mudança radical desse tétrico enredo, foi e é, quadro a quadro, com a respectiva trilha sonora, religiosamente demonizada e condenada ao fogo do inferno eterno logo após O SENZALADO INSURRETO ser hollyoodianamente apedrejado, crucificado, enforcado, eletrocutado, envenenado, em cadeia televisiva internacionalmente, etc., etc., etc.
Temos que retirar lições de nossos acertos e erros, seguir separando o joio do trigo e compartilhando os resultados. Os sapos venenosos serão cada vez maiores e em maior número até que retirarão a Internet da tomada de todos os "terroristas" que não apóiam a VELHÍSSIMA ESCRAVISTA NEW WORLD ORDER e ainda acusarão os mesmos "TERRORISTAS" por este feito.
A grande revolução é intrapessoal e intransferível; POLÍTICOS ESTÃO AÍ PARA NOS DAR A ILUSÃO QUE TEMOS ESCOLHAS neste escravismo travestido. É por estas e outras que o Boris Casoy enche a boca de sorriso com caninos ensangüentados quando cinicamente diz: "Está tudo dominado…"
Desejar um feliz natal e um feliz ano novo quando ainda, 3 entre cada 5 brasileiros não têm o que comer todos os dias, é muito pouco, quase um escárnio, ou uma hipocrisia…
Sinto muito, sou grato.

Responder

    augustinho

    21/12/2010 - 08h36

    este teu amargor que muy temporário seja, aldo.
    estava lembrando da tua falta aqui.
    e temos escolhas, temos
    junto com a ideologia da esperança
    intrapessoal e extra
    quem se despede em 1/1/11 o sabe bem
    escolhas de açao transformadora.

Luiz Moreira

20/12/2010 - 10h45

Julio Silveira!
Imagine o ódio que os chineses tem dos regimes colonialistas anglo-saxões. Ou tu nunca ouviu falar das Guerras do Ópio? Ou não sabe nada da Guerra do Vietnam? Olhe quem foram os bandidos que foram muito longe dizimar populações para garantir seus privilégios, ou acredita que foi sacrifício por ideais democráticos. O ideal da Inglaterra e EUA chamasse dinheiro! E exploração! Os EUA nunca sentiu na carne BOMBARDEIOS destruindo sua população. Mesmo se sentisse, os magnatas não seriam atingidos. Sairiam antes. E vendem o BALBOA (heroi de mentirinha) para os panacas.

Responder

augustinho

20/12/2010 - 10h05

gentes!
soube pesquisando que no edificio WTC Nº 7 { AQUele de 47 andares que caiu as 5:00 hs da tarde e nao foi atingido por avião nenhum), nele funcionavam os seguintes deptos eou agencias governamenttais estadunidenses: U S Secret Service, Dept of Defense, SEC (Securities exchange) , Escritor da Prefeitura
de gerenciamento de Emergencias de NY, Conselho regional da IRS (receita federal de lá); e last not least
CIA. Tá bom ou quer mais?.
Ai parece que tem. (embora diga-se o gov americano é grande, tem escritorios em muito lugar)
Edificio parrudo, solido no lado norte a umas duas quadras das torres. Caiu em segundos após incendios
pouco signficativos como autodemolido,sobre si mesmo, tem no yuo tube. E a jornalista local da BBC
deu a noticia que ele havia caido cerca de vinte (20) min antes de ele cair! Inclusive o predio aparece ao fundo, ás costas dela inteiro enquanto ela fala.
Eu sei que é duro acreditar.Pesquisem!

Responder

    José Sabino

    20/12/2010 - 15h45

    Augustinho,

    Você não sabia que o onze de setembro foi pura mão-de-obra americana? Informe-se um pouquinho mais; vá além e descubra que a maioria das guerras tiveram motivações "fabricadas" pelos americanos. Sim, é de cair o queixo mesmo.

    José Sabino
    O pueril

Remindo Sauim

19/12/2010 - 21h20

Muito ingênuo este Mr. Michael Brenner, como se os EUA não fizessem isto desde sua fundação. Primeiro massacraram índios e negros, mataram quem quiseram durante a guerra fria, derrubaram governos e e foram professores de tortura na América Latina. Conta alguma novidade MR. Michael.

Responder

ZePovinho

19/12/2010 - 21h08

A China está estocando ouro como nunca.Isso pode significar que vem muita turbulência por aí.Nos 10 primeiros meses de 2010 os chineses já estocaram mais de 209 toneladas de ouro:
http://endoftheamericandream.com/archives/buying-

Buying Gold: Why Are The Chinese Gobbling Up Gold Like There Is No Tomorrow?

Why are the Chinese buying so much gold? In 2010 it has been demand out of China that has been one of the primary factors for the dramatic rise in the price of gold. Gold is up approximately 26 percent this year, and most analysts expect it to go even higher in 2011. So is China buying gold at a breathtaking pace because they view it as a good investment, or are there other factors at work here? Do the Chinese view gold as a hedge against inflation? Is China seeking to get out of U.S. Treasuries? Has gold simply become much more attractive than paper currencies such as the euro and the U.S. dollar? Or could China be preparing for the coming financial collapse that so many economists see coming? It is always difficult to tell exactly what China is up to, but one thing is for sure – they are buying gold like there is no tomorrow.

It recently was announced that China imported 209.7 metric tons of gold during the first ten months of 2010. That was five times more gold than China imported during the first ten months of 2009………………………………………….

Responder

    José Sabino

    20/12/2010 - 15h52

    Zé,

    tão claro como o sol: confirmação do fim das verdes do império.

    Mas o anta meirelles continua comprando para "segurar" o seu valor. Como pode ser tão imbecil?

    O pior: para isso espolia nosso erário.

    Como a inteligência aguda do presidente permite isso?

    José Sabino
    O pueril

    ZePovinho

    20/12/2010 - 16h34

    Você tem razão,Sabino.Corremos o risco de ficarmos com um monte de papel velho nas mãos se os EUA remonetizarem tudo e quiserem comprar nossos dólares por 10% do valor de face.

ZePovinho

19/12/2010 - 20h52

É nisso o que dá cortar impostos dos ricos e massacrar o povo com os custos dessas isenções:

[youtube FnP0aZQRfJc http://www.youtube.com/watch?v=FnP0aZQRfJc youtube]

Responder

ZePovinho

19/12/2010 - 20h43

Cada vez mais americanos vivem em favelas de lona:
http://endoftheamericandream.com/archives/the-new

Eles precisam de um PAC nessas favelas.Talvez o Brasil e a Venezuela possam ajudá-los,se o governo de lá e a imprensa que censura deixarem.

Responder

ZePovinho

19/12/2010 - 20h40

A coisa tá feia,feia,na terra de onde mana leite e mel das árvores segundo os neoliberais do Brasil:
http://www.rebelion.org/noticia.php?id=118916

El nuevo sueño estadounidense
Cada vez más campamentos repletos de carpas fabricadas en China

The American Dream

Traducido del inglés para Rebelión por Germán Leyens y revisado por Caty R.

¿Qué harías si repentinamente eliminaran tu puesto de trabajo y terminaras perdiendo tu casa? Bueno, es exactamente lo que encaran cientos de miles de familias en todo EE.UU. durante esta depresión económica. ¿Qué harías entonces? ¿Te irías a vivir con parientes? ¿Te sumarías a las filas de los que viven en campamentos que aparecen por toda la nación? ¿Vivirías en un furgón estacionado junto al río? La verdad es que cada mes que pasa más estadounidenses se ven llevados al borde de la desesperación total. Para muchos habitantes de Estados Unidos, el Sueño Estadounidense se ha reducido a encontrar algún modo de protegerse de la lluvia cada noche y encontrar a alguien lo suficientemente generoso que les dé algo de comer durante el día.
¿Por qué sufren tantos estadounidenses? ¿Adónde se fueron todos los buenos puestos de trabajo? Bueno, durante las dos últimas décadas nuestra nueva “economía global” ha llevado a las grandes corporaciones a transferir miles de fábricas y millones de puestos de trabajo fuera de EE.UU. Muchos de los buenos trabajos que solían hacer esos estadounidenses sin vivienda y sin empleo ahora se hacen al otro lado del mundo. Lo irónico es que muchos de los campamentos que han surgido en todo EE.UU. están repletos de carpas fabricadas en China.

Por desgracia los campamentos que han aparecido en toda la nación sólo constituyen un anticipo de lo que vendrá en el futuro. Cuando la economía se derrumbe verdaderamente, más millones de estadounidenses vivirán en condiciones como éstas… [Vídeo (en inglés) sobre el tema en:
http://endoftheamericandream.com/archives/the-new

Una de las cosas más tristes en todo esto es lo que viven los estadounidenses mayores. Hay numerosos estadounidenses mayores que han trabajado duro toda su vida y ahora descubren que todo se les escapa.

Un lector de estas páginas llamado William dejó recientemente el siguiente comentario…

Pensé que podría empezar con el pie derecho aquí. Soy un 99er [desocupado que ha cobrado 99 semanas de ayuda social, N. del T.] de 46 años que acaba de descubrir la semana pasada que se acabaron las prestaciones por desempleo. Recibía 283 dólares semanales por los que estoy muy agradecido, pero no bastaban para pagar la hipoteca de nuestra pequeña casa de dos dormitorios del año 1941 (sobre todo por el aumento de los impuestos). He estado haciendo diversos trabajos-trueque a cambio de otros servicios o alimento, etc. He estado enviando currículos a todas partes, pero sin resultado. Soy un veterano cualificado de 25 años en trabajos en madera. Tengo alguna experiencia en AutoCad y CNC, pero evidentemente no basta en esta economía para conseguir un empleo.

Estamos a punto de no poder pagar la hipoteca, y aunque pagamos por nuestros coches, no tenemos teléfono, ni cable, mi mujer cocina todas las comidas, y no mencioné que tampoco tenemos hijos. Sólo somos dos personas que tratan de sobrevivir……………………………………………………………………..

Responder

jbmartins

19/12/2010 - 20h03

Melhor façam o que digo para ter lucro e não façam o que eu faço nos quartos de torturas.

Responder

jbmartins

19/12/2010 - 20h02

Como aqui como la, Liberdade é mera fantasia a serviço do Poder, a Elite usa tudo Liberdade, igualdade, etc.. o que prega a Democracia a seu prazer, quando é para esta elite dar o exemplo vira hipocresia.

Responder

José

19/12/2010 - 19h02

Dúvida: Onde estão os NEOLIBERAIS tupiniquins? estão tão calados, por que?

Responder

ZePovinho

19/12/2010 - 16h48

Dica do Marcelo,aí embaixo:

[youtube yJA5acjd0lI http://www.youtube.com/watch?v=yJA5acjd0lI youtube]

Responder

    Luiz Fortaleza

    19/12/2010 - 18h16

    Desmascarado o império do mal estaduniense… que o poder seja restituído à sociedade, àquilo que Marx já falava na "Questão Judaica", ou seja, fim do Estado opressor, q na falsa forma de contrato social, roubou o poder social pra mãos de um governante só. O comunismo, como Marx diz, é o fim do Estado, é a devolução das decisões à sociedade que estará, nessa fase tão evoluída, que se autoadministrará. Utopia? Sim… mas não fantasia.

Roberto Locatelli

19/12/2010 - 16h43

É chocante o video revelado pelo Wikileaks onde se vê mais de 10 civis sendo metralhados por um helicóptero dos EUA só para matar um jornalista "inconveniente". Ao final da carnificina, o chefe do piloto diz, pelo rádio: "Belo tiro!!", e o piloto, responde, orgulhoso: "Obrigado!".

Responder

marcelo

19/12/2010 - 16h15

Saiu o documentário sueco sobre o Wikileaks com legendas em português e inglês no http://www.docverdade.blogspot.com. O documentário é imperdível!

Responder

PAULO ANGELO

19/12/2010 - 15h30

Assim começou a Alemanha de Hitler, assim como todos os regimes totalitários por toda a História!
E olha que esses caras possuem o maior arsenal atomico do mundo!

Responder

Luiz Fortaleza

19/12/2010 - 12h00

Viva a internet q não tem controle total. A única maneira de proibir ou impedir seu uso é o APAGÃO. Nem o Estado, nem a Religião, nem a Ciência pode ser óbice do uso da internet. Eis o novo Poder que não tem o controle do Poder políico, religioso ou científico. A internet é do POVO.

Responder

Fernando José

19/12/2010 - 11h25

Caro Azenha,
Excelente texto.
No entanto, quem na face do planeta não sabia que os EUA já faziam isso há muito tempo? Tinha alguem inocente? Da forma descarada com que agiram, tenho a certeza que se d. Hilary quizer saber quais os meus hábitos de consumo é só estalar os dedos. Visa e Master estão a seu serviço direta ou indiretamente, assim como às comunicações via Hotmail, etc.
Agora imagine o uso dos cartões corporativos por parte do Governo Brasileiro….
1 abraço,

Responder

Roberto Locatelli

19/12/2010 - 09h59

Pela libertação do soldado Bradley Manning, preso nos EUA, "acusado" de ajudar o Wikileaks.

Responder

monge scéptico

19/12/2010 - 08h35

Não publicarão como sempre. Grato mesmo assim.

Responder

Archibaldo S Braga

19/12/2010 - 08h28

E os vagabundos(usando o linguajar dogrande ídolo deles) do estadinho não vão se manifestar? Com a palavra o bebum ruy!!! A. S. Braga

Responder

ebrantino

19/12/2010 - 08h17

O artigo apenas confirma inúmeras notícias e opiniões a respeito do totalitarismo, fascismo, que se instala nos States. Não há muito foi publicado por um jornalista ou intelectual americano uma espécie de ranking que permite ver o grau de fascismo instalado, ou seja, como se pode avaliar o quanto uma sociedade já avançõu rumo ao fascismo. Nosso grande irmão estava quase lá. Agora, com o governo abertamente interferindo nas empresas privadas fornecedores de serviços, para negar acesso a uma pessoa, sem ordem judicial para isso, por pura perseguição poíitica, estão dando um grande passo rumo ao arbítrio total. Não nos enganemos com a existência de corpos legislativos, etc. Alguns dos mais nefandos crimes de Roma foram cometidos pelo Senado.
O que fazer ? Vamos nos vacinar para não seguir o mesmo caminho, e, principalmente para não cair novamente no dominio do forte vizinho. Ele continuará tentando dominar a mundo em geral, e a nós em particular, nós que passamos a ter importância após o pressal. Atenção brasileiros, a situação é outra, e o perigo é real, e os instrumentos de dominação, como de costume, serão recrutados aquí, entre os vendidos e os deslumbrados.
Ebrantino

Responder

Fabio_Passos

19/12/2010 - 02h14

"Wall Street oligarchs and corporate plutocrats dominate our political, economic and cultural systems."
Cornel West http://www.cornelwest.com/index.html

Responder

Thales Mendes

19/12/2010 - 00h52

Nao concordo com o texto dizendo que o governo tem poderes sobre as empresas privadas… na verdade nao eh o governo, sao os bancos… e os bancos sao o governo americano… que financiam as guerras… que controlam o resto do mundo atraves de dividas eternas… e da midia!!!

O Wikileaks coloca em jogo tudo isso… escancara o esquema em suas minucias… eh o comeco da mudanca: o conhecimento…

Se todos souberem o que realmente importa, o castelo de cartas vem abaixo… e eh isso que estao tentando impedir!!!

Revolucao ja!!!

Responder

ZePovinho

19/12/2010 - 00h00

E a história de Kurt Sonnenfeld,dissidente americano perseguido pelo governo dos EUA porque tem gravações que apontam várias evidências de que o 11 de setembro de 2001 foi um inside job???Que tal alguém tentar encontrar nos documentos do WikiLeaks algo sobre o Kurt????????
http://www.voltairenet.org/article167797.html

11 de septiembre 2001
Entrevista a Kurt Sonnenfeld: refugiado en Argentina por haber filmado demasiado
por Tomás D’Amico*

A un año y medio de la primera entrevista realizada al camarógrafo norteamericano Kurt Sonnenfeld por la Red Voltaire, este ex funcionario del gobierno de EEUU fue testigo y filmó los restos de las torres gemelas destruidas durante los ataques del 11 de septiembre 2001. Su testimonio desmiente la versión oficial de Washington. Sonnenfeld nos brinda sus reflexiones acerca de su dramática experiencia y nos actualiza sobre su persistente estado de vulnerabilidad frente al gobierno de su país. Entrevista de nuestro colega Tomás D’Amico desde Argentina.

Responder

    Rafael

    20/12/2010 - 09h52

    Liberdade de Imrensa: Viu o que eles fizeram com aquele Reporter da Reuteres que estava fazendo uma reportagem sem a devida permissão ?

    Democracia: Somente se rezar pela cartilha deles, caso contrario implantam ditaduras. America Latina, Egito, Arabia Saudita………………………

    Liberdade de Expressão: Se e somente se, atender aos seus interesses. Se Julian Assenge tivesse vazado documentos do Irã ou da China, teria ganho o NOBEL e seria um exemplo a ser seguido de Liberdade de Expressão.

    Poluição: Apontam o dedo para todos os países do mundo, mas eles mesmos nunca assinaram o protocolo de KIOTO, e são os maiores poluidores do mundo.

    Façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço. Democracia, Clima, Liberdade de Expressão, Liberdade de Imprensa, Ecologia, Poluição, Desmatamento, são apenas SLOGANS.

severino

18/12/2010 - 23h45

O auge deste plano em impor a política do medo foi o auto ataque as torres. A américa do norte é um gigante psicopata. Armada até os dentes não medirá as mentiras para colocar o mundo de joelhos ante as suas necessidades de mercado. É um império sinistro e doente.

Responder

claudio

18/12/2010 - 23h40

Sabe aquela ditadura que a fAlha chama de ditabranda?
Foi inventada lá.
E vem sendo adoçada na televisão em desenhos de ação para crianças de três anos a aceitação de tudo isso como natural. Uma obsessão em acabar com os "bad guys". E isso há quantos anos? Desde que há televisão a cores para todos por lá. Desde antes, com os quadrinhos.
E o consumo de boletas pra ansiedade, síndrome do pânico, pra dormir, etc. vai "através do teto".
Fora vodca, uísque, etc.
Morrem no trânsito que nem moscas.
3 empregos é normal.
Alguém tem que pagar por esse sofrimento, e eles não se importam muito quem.
Ser americano virou um pesadelo.
Eles se espelharam tanto em Roma…
Lembram como Roma terminou?
A batata deles tá quase assada…

Responder

Paulo Roberto

18/12/2010 - 22h44

Não entendo o motivo da surpresa do articulista. Os EUa sempre agiram assim; a única diferença é que conseguiam disfarçar. Viva a Internet!

Responder

Baixada Carioca

18/12/2010 - 22h21

Num outro post eu comentei questionando se Obama já não tivesse sido eleito com o propósito de dar tempo ao tempo, mas comungando com a histórica política ultra conservadora estadunidense. Agora, diante das informações do WikiLeaks, estamos vendo um Estado que tinha um discurso enquanto falseava a prática, quero dizer: enquanto diziam promover a democracia em outros países, construíam uma forma de autoritarismo interno com uma pseudo-democracia.

Responder

Rafael

18/12/2010 - 20h41

O que acontece nos eua é que o poder financeiro comprou o judiciário e o executivo. Toda a liberdade de mercado defendida a tempo atrás, agora corrompeu todo o sistema político e judiciário. É a ditadura do poder financeiro. Acredito que isso acontece pirncipalmente por causa do sistem eleitoral americano que funciona em função do poder econômico. Senador, governador, presidente todos esses cargos só se consegue eleger-se com muito dinheiro e óbvio que a consequência disso é o que acontece hoje nos eua. Obama é um fantoche, é o "rosto" de poderosos donos de bancos e da indústria armamentista.

Responder

    Fabio_Passos

    19/12/2010 - 00h28

    Exato.
    E a situação deve piorar.

    Chomsky comentando exatamente isso e alertando que as corporações ganham ainda mais força agora, que podem "comprar eleições diretamente":

    "Noam Chomsky: Big Business Dictates the Presidency"
    [youtube 2HvGy2gY0eM http://www.youtube.com/watch?v=2HvGy2gY0eM youtube]

Benedito

18/12/2010 - 19h59

Azenha, me desculpe fazer comentário aqui (e espero que você não me censure) sobre um tema de um outro post (unificação dos títulos de campeão brasileiro). O fato é que no outro post não há espaço para comentários. Bem, sobre esse outro post, gostaria de informá-lo de que o Jornal Nacional deu uma barrigada ao anunciar que a CBF unificaria os títulos anteriores a 1971. Ou seja, você tá trabalhando não apenas com notícia velha, mas também com notícia já desmentida. Abraço!

Responder

Fabio_Passos

18/12/2010 - 19h51

Os eua são uma ditadura escancarada.

Um estado fascista que mantém um defensor declarado da tortura – robert gates – como secretário da guerra e persegue aqueles que fazem uso da liberdade de expressão.

Confiram:

Estados Unidos, cada día menos libertad
En la medida que avanza el régimen policiaco existente en Estados Unidos, las libertades retroceden.
Néstor García Iturbe | La pupila insomne http://www.kaosenlared.net/noticia/estados-unidos

"
En este caso la administración Obama está tratando de ignorar lo que la Constitución de Estados Unidos establece sobre la libertad de prensa, esa libertad la cual ellos han acusado a otros países de violar. Para realizar esta oscura maniobra el Departamento de Estado ha planteado que ellos no reconocen a Julián Assange como un periodista, sino como un “actor político”. (Lo que plantea el Departamento de Estado es peligroso para sus propios asalariados que actúan como “blogueros” o los autodenominados “periodistas independientes”, que también pudieran ser considerados “actores políticos”).
"

Responder

ZePovinho

18/12/2010 - 19h43

Onde estão os "libertarians" neoliberais que por aqui pululavam???????????????

Responder

    José Manoel

    20/12/2010 - 23h30

    Você deve estar se referindo, com certeza, àquela claque maldita seguidora do indigente Bob Fields, o entregador do Brasil, não é??????

Artur

18/12/2010 - 19h26

Azenha, você é um dos jornalistas de maior credibilidade no Brasil. Por favor, verifique esta notícia que a imprensa golpista não noticia:
Novo escândalo financeiro: o Israeli Discount Bank foi obrigado a quebrar o sigilo de contas bancárias de brasileiros em sua agência de Nova York, localizada no elegante endereço 511, 5ª Avenida.
Matéria completa – http://margarita.vwi.com.br/?p=7601
Você tem credibilidade e não tem medo.

Responder

Marcelo

18/12/2010 - 18h57

Caros Srs, falando na linguagem que o militares conhecem tanto eu escrevo que, todo castigo pra CHARLIE é PAPA ou pimenta no CHARLIE dos outros é ROMEU.
Democracia nos EUA só aquela que vemos no cinema.

Responder

assalariado.

18/12/2010 - 18h51

O G7 e seu timoneiro norte americano,centro do capitalismo mundial,está com o seu corpo cada vez mais nu.Sob o olhar da pena capital e do capital,um velório sem defunto,por enquanto.Está a beira do precipício, onde a sua democracia é subentendida como propriedade privada das elites/ nações abastadas,sempre se impuseram e se impôem,através das guerras e da opressão sobre os demais povos/ nações da terra.Aqui(EUA), jazer o centro do capital internacional,império a deriva,sob o bastão de sua ideologia, naturalmente egoísta,e dos lucros a qualquer preço.O PIG é da burguesia,tanto o de lá como o de cá,é mais do mesmo, em todos os lugares do planeta.Agem/ manipulam ao sabor de suas regras "democráticas", desde que não atrapalhem a livre iniciativa do capital e seus cambalachos.Vivas a "democracia" das elites, uma ditadura com classe e da classe burguesa.

Saudações Socialistas.

Responder

Orides

18/12/2010 - 18h41

Os EUA são a "cortina de aço inox".
O ocidente sempre chamou de "cortina de ferro" a Ex União Soviética e seus "satélites"
Porque o aço inox é bonito e brilhante, a gente não precebia seu real significado.
Mas a Internet é como o sol. Um desinfetante ao qual nada resiste.
Ainda recebemos exilados políticos dos EUA, isso não tarda.

Responder

Wanderson Brum

18/12/2010 - 18h36

Huuuum ! Quem é a República, quer dizer Império, das bananas agora?

Responder

patricia souza

18/12/2010 - 18h34

se opovo não acordar vai ficar díficil,só elepode mudar essa situação,mas eles são tão superfulos

Responder

José Eduardo Camargo

18/12/2010 - 17h30

O grande escritor estadunidense Gore Vidal apontou certa vez que esse estado de coisas tornou-se possível a partir da criação do Estado de Segurança Nacional pelo então presidente Harry S. Truman em 1947. Para Vidal, na prática, isso significou a revogação da República Americana. O resultado aí está e só tende a piorar! Os EUA são hoje uma ditadura disfarçada, ou uma democracia de faz-de-conta! Como seu poder declina no mundo todo, não tenho dúvida de que num ato final de desespero venham a deflagrar a tão temida 3ª Guerra Mundial. Correção: eles já começaram! Uma solução possível para o impasse em que aquele país se encontra seria a eclosão de uma nova revolução americana. A 2ª desde a Grande Revolução de 1776. Mas temo que não haja no país pessoas do porte de um Washington, Jefferson, Benjamin Franklin, John Adams e tantos outros!

Responder

Roberto Locatelli

18/12/2010 - 17h08

Felizmente existem vozes, até mesmo lá na sede do império, se levantando contra o autoritarismo e a truculência de Washington. É o caso do Michael Brenner, autor deste artigo, do jornal digital Huffington Post, dos cineastas Michael Moore, Oliver Stone, Benício Del Toro e de muitos outros cidadãos dos EUA que não aceitam esse estado de coisas.

Responder

mariazinha

18/12/2010 - 16h22

Bem que eu dizia, desde criancinha, que eua e, depois, israel não valiam o quanto pesavam; pois então, agora, só um milagre! O que vamos fazer? Boicotar seus produtos? É a única coisa que podemos fazer sem sermos torturados até a morte.
Quem sabe, deixar a cocacola, ford, md….É uma lista tão grande de marcas que nem sei se saberemos o nome de todas pois envolve até o que consumimos diuturnamente. Seus filmes, suas músicas….Nos idos de 50, seus filmes adocicados enchiam de inveja os corações dos jovens brasileiros, suas imaginações à procura do bem viver dos ianques, de seus mocinhos que tinham direito de matar….Gerações brasileiras, inteiramente perdidas, aliciadas, alienadas. Prato cheio para aliciadores do futuro império, terreno fértil para traições e negociatas. E agora?
Em compensação nossos políticos não estão nem aí, autoconcederam-se um aumento de mais de 60% nos seus salários na calada da noite e nós, ficamos com 6%. Todos ficaram muito felizes.

Responder

    José Manoel

    20/12/2010 - 23h32

    Mariazinha: calma que esse leão está se tornando um veadinho………….. Os chineses estão vindo que é uma bala e temos que pegar carona nisso!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Julio Silveira

18/12/2010 - 16h17

Tem certeza que não estão falando da China?

Responder

    Marcos C. Campos

    18/12/2010 - 23h54

    Podia também ser da China , mas é dos EUA mesmo … não tenha dúvidas …

Emília

18/12/2010 - 16h16

"Medo e o comportamento que ele gera. Supostamente somos o povo cuja bravura nos mantém livres — supostamente." Michael Brenner está certíssimo. Sempre achei que os norte-americanos eram um povo medroso, pois vivem armados até os dentes e, 11 de setembro transformou esse povo medroso num povo paranóico. E essa paranóia torna esse povo, um povo perigoso, já que se acham perfeitos e superiores a qualquer outra nação com o direito "supremo" de agir como donos do mundo. E o resto do mundo aceita isso calado com medo desse povo louco, armado e pronto pra destruir que discorda dele. Assustador.

Responder

Diógenes Brandão

18/12/2010 - 16h02

A política estadunidense é imperialista e promoveu-se com a retórica de defensora dos direitos humanos ao mesmo tempo que incetivava guerras, ditaduras militares e embargos ecônomicos como o de Cuba, agora que são alvo de denúncias que colocam isso em evidência pública, a máscara começa a cair pra toda a humanidade.

Um dia, espero ver presidentes, generais e diplomatas americanos julgado por crimes de guerra e contra a humanidade.

Responder

Polengo

18/12/2010 - 15h21

Essa história lembra um pouco as eleições recentes daqui. Claro, guardadas as devidas proporções.

Muito do que se intuía da oposição, suas atitudes veladas, aos poucos foram aparecendo.
As farsas, o entreguismo, tentar colar a imagem no então presidente, acusações mirando o outro lado, mas com culpa no cartório, etc.

Algumas coisas foram escancaradas, o réu se debateu e então se debateu mais.

Agora, o que vemos, é o império se debatendo, consigo mesmo, porque não sabe a quem atacar. Qualquer funcionário pode ser seu inimigo, por isso atacam a todos.

Mas, torço para que, daqui a alguns anos, ou meses, quem sabe, outro Assange, em outro Wikileaks, publique um documento secreto que mostre a pressão que o Governo dos EUA fez ao PayPal, MasterCard.
Um outro, poderia mostrar a comunicação entre os EUS e a Justiça sueca.

Responder

Carlos

18/12/2010 - 15h16

Façamos, então, uma grande manifestação a nível mundial contra esta postura anti-democrática, ditatorial e perversa. Marquemos um dia para tal. Já fizeram tantas contra Chávez, Fidel e outros chamados "esquerdistas perigosos". Como poder-se-ia dizer agora: "abaixo os ditadores americanos!"

Responder

Deixe uma resposta