Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

Luana Tolentino: Martinho da Vila, o PT e eu

publicado em 13 de fevereiro de 2012 às 12:31

por Luana Tolentino

Sem sombra de dúvidas, o samba é o meu gênero musical preferido. Na minha coleção de CDs, a elegância de Paulinho da Viola, a poesia de Cartola e o sincretismo de João Nogueira convivem harmoniosamente. Entre as mulheres, Beth Carvalho e Clara Nunes reinam absolutas. Nos dias festivos, Zeca, Arlindo Cruz e Fundo de Quintal são imprescindíveis. A meu ver, Mart’nália e Diogo Nogueira (Jesus!) são o que há de melhor na nova geração de sambistas.

Dentre tantos nomes, não poderia deixar de mencionar Martinho José Ferreira. Difícil escolher uma única canção entre obras-primas do compositor e escritor de Vila Isabel. Fico com “Meu laiá-raiá”, “Disritmia” e “Tom maior”, não necessariamente nessa ordem. Durante a faculdade, os versos de “O pequeno burguês” eram quase um hino – “Livros tão caros, tantas taxas pra pagar, meu dinheiro muito raro, alguém tem que me emprestar”. Apesar de tudo, bons tempos aqueles.

Na semana em que o PT completou 32 anos, lembrei-me muito de Martinho da Vila. Certa vez, em uma entrevista, Martinho falou da importância de filiar-se a uma agremiação política, ainda que para apresentar a carteirinha do partido durante uma abordagem policial. Como intelectual antenado e conhecedor das relações raciais no Brasil, nas entrelinhas, a assertiva de Martinho da Vila apontava para um dos resquícios do nosso passado escravocrata que, como um fantasma, insiste em nos assombrar. Ainda hoje, a população negra é vista por boa parte dos policiais como “inimigos perniciosos” a serem exterminados. Verdadeiros criminosos em potencial. A carteira de trabalho assinada e, como sugeriu Martinho, um documento de identificação de um partido político, são uma espécie de salvo-conduto, um atestado de bons antecedentes.

Embora Martinho não tenha mencionado nenhum partido, minha escolha já havia sido feita. Atravessei a cidade para me filiar ao Partido dos Trabalhadores. À época, estava fascinada pela ideologia de esquerda. Lembro das leituras apaixonadas das obras de Sartre, Marx, Abdias do Nascimento e Marilena Chauí. Havia acabado de ler “O cavaleiro da esperança”, a biografia romanceada de Prestes, escrita por Jorge Amado. As propostas petistas iam ao encontro dos meus sonhos, utopias e ilusões.

Confesso que fiquei um pouco decepcionada quando cheguei ao diretório do PT . Enquanto aguardava para ser atendida, dois funcionários assistiam às gargalhadas um vídeo na internet. A sensação de ser invisível é algo terrível. Pensei: até no PT é assim? O descontentamento inicial foi compensado pela emoção de preencher a ficha cadastral.

Ao chegar em casa, contei a novidade com uma felicidade inconteste. Meu pai, eleitor de Lula desde 1989, ficou todo orgulhoso. Achou o máximo! Minha mãe, como legítima mineira que é, ficou um pouco ressabiada. Não gostou muito da idéia. Disse que não queria me ver envolvida com política. Acho que o fato de ela ter uma filha geniosa e “mal-criada” como eu era o bastante. Militante de partido de esquerda seria demais.

Faz 10 anos que resolvi seguir o conselho de Martinho da Vila. Até o presente momento não recebi a minha carteirinha. Mas, tudo bem. Tenho muito orgulho da opção que fiz. Escolhi apoiar um partido que teve à sua frente um cara predestinado que, como poucos, conseguiu a proeza de tornar-se um mito ainda em vida.  Esse mesmo cara reduziu os índices de pobreza do país, devolveu a auto-estima aos brasileiros e, mesmo com a persistência de muitos problemas, deixou a certeza que podemos avançar muito mais.

Em tempos de festa, corre como um tsunami nas redes sociais a notícia de uma possível aliança entre o PT e o PSD de Gilberto Kassab na corrida pelas eleições municipais de São Paulo. Muita gente promete abandonar o barco caso a união se concretize. Soube que a decisão final será anunciada somente em março. Eu, como uma petista inveterada, torço para que tudo isso não passe de uma simples marolinha.

Luana Tolentino – mulher, negra, canhota, gêmea univitelina.

Leia também:

 

38 Comentários para “Luana Tolentino: Martinho da Vila, o PT e eu”

  1. [...] Os leitores assíduos do Viomundo já devem ter cruzado com ela nos comentários ou lido algum dos seus textos que publicamos. Estreou aqui com Carta aberta ao grupo antiterrorismo de babás, que nos submeteu por e-mail. O mais recente foi Martinho da Vila, o PT e eu. [...]

  2. ter, 14/02/2012 - 12:12
    Neo-tupi

    Para quem se vê como paladino da ideologia pura acima da política de avanços possíveis, Martinho da Vila também teria feito "aliança" com a Globo, ao se apresentar na emissora ao longo da carreira?

  3. ter, 14/02/2012 - 11:39
    Regina Braga

    Triste é perder a esperança…Um tratamento de câncer requer muita quimio,radio,etc…Quando o tumor desaparece…só resta a cura.CPI,urgente!!!

  4. ter, 14/02/2012 - 6:14
    Gerson Carneiro

    Riachão, eu, o PT e Kassab

    [youtube uEBOiQ9ss0w http://www.youtube.com/watch?v=uEBOiQ9ss0w youtube]

  5. ter, 14/02/2012 - 2:20
    Ricardo

    Se em Minas o PT se aliou ao PSDB do Aécio, o resto é fichinha.
    Minas completamente abandonada nas mãos dos tucanos e sem oposição.

    O PT de Minas acabou graças a essa aliança espúria com o Aécio à mando de Lula.
    E Lula agora tá mandando o PT de São Paulo se juntar com o ex-demos.

    É isso aí.

    • ter, 14/02/2012 - 12:05
      Neo-tupi

      Em BH o PT entregou a prefeitura, abrindo mão da candidatura própria. É diferente desta eleição em sp, onde Haddad é cabeça de chapa. Receber apoio é diferente de apoiar.

  6. ter, 14/02/2012 - 0:29
    alexandre

    Não é marola não, é um tsunami mesmo e vem para arrebentar o PT. Vão conseguir fazer do PT paulista o que fizeram com o PSDB em 2008, não chegar ao segundo turno. Não só abandonarei o barco, como farei campanha contra

    aFinal quem queria Ciro Gomes governador de sp e agora aliança com Kassab realmente não pode ser levado a sério.

    • ter, 14/02/2012 - 12:39
      Willian

      SE Andrea Matarazzo ou qulaquer dos outros atuais postulanetes do PSDB for candidato, Haddad leva. Caso Serra vá para o sacrifício, as coisas mudam, mas Haddad ainda será viável.

  7. ter, 14/02/2012 - 0:12
    mello

    Também acho infeliz a decisão de fazer aliança formal com o PSD. Se ainda fosse uma aliança à sombra, como a do psol com o dem e o psdb….Pior se em nosso país tivéssemos um partido único…
    Mas será que em algum país do mundo partidos de esquerda se aliam a partidos de direita ?

  8. ter, 14/02/2012 - 0:10
    Gerson

    Aceito o apoio do Kassab mas não dou direito dele indicar o vice.

    E tem mais: Tem que apoair a cpi da Privataria Tucana e instalar já.

    Maldito pragmatismo…

    Ah, vida… como ela é…

  9. seg, 13/02/2012 - 23:32
    O_Brasileiro

    Será que vencer em São Paulo vale perder o Brasil?
    E São Bernardo, Guarulhos, Campinas, Ribeirão Preto, cidades importantes onde o PT ganha ou pode ganhar, o que acham dessa aliança espúria em São Paulo???
    Quem vai militar ao lado do Kassab e dos kassabistas???
    Se isso acontecer, seria um messianismo quase sem precedentes… O Lula só ganhou a eleição para presidente quando se tornou menos arrogante. Está na hora de deixar a arrogância de lado e escutar a militância de seu partido!

  10. seg, 13/02/2012 - 23:01
    abrantes

    Eu não voto na capital , mas não vejo com bons olhos essa aliança,pois o DEMo ( PSD é só um disfarce)é a escória da política do Brasil e alguém duvida qual é o lado do KASSAB.
    Na hipótese dessa aliança se estender para as eleições ao governo do estado eu ANULO O MEU VOTO, pois no passado eu já fiz uma burrada no segundo turno, votando no santo mario covas contra o maluf e eu acho que uma já é suficiente, O maluf eu já sabia como seria o seu governo mas o covas lançou as bases para isso que vôces estão vendo hoje no estado de são paulo.
    E se por um castigo divino essa aliança se estender para as eleiçôes presidenciais eu não voto mesmo que o candidato seja o LULA .
    Se associar com o DEMo na minha opinião é se atolar no lodo mais podre e fétido desse país.

  11. seg, 13/02/2012 - 22:32
    Almeida Bispo

    Início de 1962. Minha cidade era governada pelo coronelismo e todo o meu estado continuava como se não houvesse 1930, Estado Novo, muito a Constituição de 1946. Desde 10 de outubro de 1823 que há dois partidos: o da situação e o da oposição. Nomes? Isso não importa. Em 1962 os partidos respondiam pelos nomes de UDN, de cima; e PSD, oposição. Indefinição na candidatura de quem seria o candidato do PSD ao Governo do Estado. De verdade, o estado estava acéfalo de lideranças. O coroné do PSD da minha cidade recebe um telefonema… era o chefe do partido no estado comunicando a visita do, finalmente, candidato. Ao ouvir o nome esbravejou. O cara, havia 15 dias estava xingando pelo rádio todo o PSD no estado, o chefe em minha cidade também. Não quer ganhar? Perguntou o mensageiro. O tapete foi estendido e o ex-udenista ganhou o governo pelo PSD. Perdeu o cargo em 02 de abril de 1964 por ter, entre outras coisas, discursado pró-Jango na Central do Brasil. Isso se chama política.

  12. seg, 13/02/2012 - 21:45
    Gerson Carneiro

    Riachão do Jacuípe, eu, o PT e Kassab

    [youtube uEBOiQ9ss0w http://www.youtube.com/watch?v=uEBOiQ9ss0w youtube]

  13. seg, 13/02/2012 - 21:41
    Nedi

    Se precisarmos de Lula em 2014 essa aliança poderá ser um tsunami, capaz de ressuscitar até o serra.

  14. seg, 13/02/2012 - 21:33
    John Coltrane

    Zeca, Fundo de Quintal e Mart’nália = PAGODE.

  15. seg, 13/02/2012 - 21:18
    GilTeixeira

    O problema dessa aliança é que só o Kassab sai ganhando já que seu governo é de longe o pior que já vi nos meu mais de meio século de vida, talvez possa ser equiparado ao Pitta. Se po PT se aliar a esse sujeito anulo meu voto e faço campanha para que outros o façam!

  16. Então prepare o salva-vidas, Laura Tolentino, pois eu não duvido de um partido que tem El Bigodón oligarca como aliado.

  17. seg, 13/02/2012 - 20:54
    Francisco

    PCB, PTB, PT, tudo isso é detalhe, importante é ser socialista. E cada partido tem seu tempo. Os partidos passam, a convicção fica. Se algum dia eu desconfiar que o PT faz aliança com Kassab porque virou um partidinho querendo cargo para a tchurma, é só trocar de partido. Para outro partido socialista.

    O PT depende de mim, eu sou inteligente e sei a diferença entre tática e estratégia, mas sou um patrão pouco tolerante. Vacilou, roda.

  18. seg, 13/02/2012 - 20:14
    Renato M

    Como os companheiros do PT mudaram. Vale tudo para chegar ao poder. Prefeitura de São Paulo, mais cargos comissionados, mais militantes com a vida arranjada. Não venham tapar o sol com a peneira com exemplos desconexados da nossa realidade. Aceitem o Kassab, pois ele parece bem melhor que muitos que foram e são ministros do Governo Lula e do atual Governo Dilma. Talvez eu seja um idealista superado, porém entre o PT de hoje e o da década de 80, prefiro o do passado, pois não tínhamos as mãos sujas e o nem necessitávamos tapar o nariz para conviver com figuras putrefatas da política nacional. A Era do Romantismo passou, hoje vivemos a Era do "Porno-realismo". Mesmo assim ainda sou PT, pois os outros são bem piores. Se fosse de São Paulo votaria no Haddad. Desculpem a franqueza, companheiros!

  19. seg, 13/02/2012 - 20:14
    Jotage

    Luana, seus sentimentos traduzem exatamente os meus, porém, fico pensando se o Lula teria se eleito não fosse a união com o PL. O.K. seu vice era homem íntegro e da melhor qualidade, mas não se pode falar o mesmo do partido como um todo.
    É bom não esquecer que mesmo dentro do PT existem cardosos, bernardos e quetais que estamos engolindo.
    Vamos aguardar e saber para onde vai o PT, mas esta talvez seja a grande oportunidade de fincarmos o último prego que falta no caixão do psdb/dem, e então a partir daí travaremos novas batalhas para a continuação do legado LULA.

  20. seg, 13/02/2012 - 20:11
    admar

    Algumas vezes para se chegar a um obejetivo maior é preciso "engolir sapos", se o resultado for para o bem de uma nação, de uma cidade será preciso conviver com "porcos", o povo é quem irá avaliar a consistencia destes atos de aliança.

  21. seg, 13/02/2012 - 19:49
    Fernando

    Texto emocionante.

    Acho que muitos aqui que são petistas sem serem filiados correrão para o diretório mais próximo pra fazer a ficha.

  22. seg, 13/02/2012 - 19:27
    Pedro Rocha

    Quanta asneira… Lembro-me quando Lula contratou Duda Mendonça em 2002, o mundo quase veio abaixo; e o que aconteceu? Lula foi o maior Presidente da República de todos os tempos. São Paulo sofre um cerco midiático muito sério, totalmente anti-ético, praticamente com um programa eleitoral gratuito para o PSDB em tempo integral, pelo que fala do PT e pelo que NÃO fala da administração tucana, sempre com manchetes camaradas e rapidamente tiradas do noticiário quando o assunto é negativo, como o Pinheirinho. É preciso quebrar esta aliança espúria, custe o que custar. A maioria dos protestos contra a aliança com Kassab vem exatamente de onde pouco esforço será feito para que o PT assuma a Prefeitura da Capital, ou seja, o PIG e a elite reacionária paulistana (que conviveram muito bem com Kassab até a semana passada…). Chega de ingenuidade… para acabar com o PSDB em SP, vale aliança com Kassab sim. Que deverá ser colocado em seu devido lugar, ou seja, o de quem dá apoio ao programa do PT para SP. E estamos conversados…

    • seg, 13/02/2012 - 23:10
      Odair Correa

      Inteiramente de acordo, Pedro Rocha. Tem que ser muito Mané para ficar fazendo o jogo da direita e dessa Imprensa asquerosa e ordinária de São Paulo. A cidade precisa do PT que não voltará a comanda-la apenas com manifestações de boa vontade. A esquerda se esfacela em discussões intermináveis enquanto a direita se diverte.

    • ter, 14/02/2012 - 18:10
      Taiguara

      Pedro, a prática recente, exemplificada pela aliança (ainda que informal) com os demofrênico-tucanopatas, aqui em BH em 2010, demonstrou CLARAMENTE que o PT só tem a perder. O PT práticamente não existe mais aqui. Respira por aparelhos e, mesmo assim, graças a fidelidade ideológica de abnegados militantes. E esse processo teve sua gênese na inoculação do vírus do "mensalão" pelas mãos, exatamente, do Duda Mendonça associado ao inescrutável Walfrido dos Mares Guia que para lá foram conduzidos pelas mãos do Virgílio Guimarães, hoje, um "amiguinho" inseparável do Aócio . O PERIGO MORA EM MINAS E, pior, dirige bêbado.

  23. seg, 13/02/2012 - 19:16
    Douglas

    Meus pesames a Luana. Porque, infelizmente, esse sonho acabou já faz tempo. Não se engane. Ou "não, não chore mais".

  24. seg, 13/02/2012 - 16:36
    Bertold

    Marcelo de Matos, você tocou na questão central e que ofende as mentes sectárias. Lênin era um defensor radical dos objetivos maiores de longo prazo do pcus mas nunca um sectário irracional. Partido sempre será meio e não fim. Os fins serão sempre os objetivos do bem comum acima de dogmas e política a arena privilegiada dos fins.

    • seg, 13/02/2012 - 17:01
      Fabio SP

      Eu me lembrei de Paulinho da Viola com…

      "Tá legal, eu aceito o argumento… mas não me altere o samba tanto assim…"

    • seg, 13/02/2012 - 19:44
      Felipe

      Se Lenin, não era um sectário irracional, seria ele um sectário racional? Os camponeses da Ucrânia, os marinheiros de Kronstadt e a oposição operária sentiram na pele de que forma o bem comum estava acima da adesão incondicional a política do partido.

      • ter, 14/02/2012 - 0:05
        Miguel

        a tendencia da "maioria" e' sectaria? e como chamr entao o radicalismo comprometedor de tendencias ultra minoritarias como essas que voce citou?

  25. seg, 13/02/2012 - 14:25

    Belíssimo texto!
    samba e política? dá samba sim!!! e concordo plenamente com a exclamação depois do Diogo Nogueira (Jesus!)
    saudações

    Rita

  26. seg, 13/02/2012 - 13:41
    Charlesmagne

    tantas mordidas de cachorro, cacetetada de PM e perseguicoes por ser Petista para no final ver o sonho, a esperanca que venceu o medo deitar com o inimigo, com os feudais donos dos cachorros e senhores da PM a direita inimiga,corrupta e adesista. O PT provou a maxima de minha mineira avo, politico e tudo a mesma coisa, a opiniao do povo so presta antes das eleicoes, depois de ganha-las politicos ficam surdos para o clamor do povo e vao mesmo e para os conchavos para se perpetuarem no poder

  27. seg, 13/02/2012 - 13:31
    Marcelo de Matos

    As coligações não são feitas em torno de conceitos ideológicos, mas, de programas partidários. Já que você falou em filiação, lembro-me do que escreveu o filósofo francês Roger Garaudy em seu livro de memórias. Garaudy resolveu filiar-se ao PC francês. Foi até o diretório municipal de Paris e perguntou ao secretário se, como católico praticante, poderia filiar-se ao partido. O secretário pensou alguns instantes e depois pegou um livreto na prateleira – já li sobre isso. Está aqui: Lênin disse que até o Papa pode filiar-se ao PC, desde que se comprometa a seguir os estatutos do partido. Garaudy filiou-se e durante longos anos foi um seguidor fiel dos estatutos do partido. Quando deixou de fazê-lo, foi expulso. Talvez os brasileiros sejam mais sectários que os franceses; quiçá os petistas sejam mais intransigentes que o pessoal do PC francês; quiçá… Espero, porém, que consigamos superar esses percalços e eleger o companheiro Fernando Haddad prefeito de Sampa, com o apoio do Kassab. Por que não? Vocês prefeririam o apoio de quem?

  28. seg, 13/02/2012 - 12:54
    MARCELO

    Pior que o Kassab,é ter que engolir gente como Sarney,Inocêncio,Garibaldi,Chalita,Collor,
    Jader,Severino,Blairo Maggi e Cid Gomes.A Luana Tolentino,minha solidariedade.

Comentar