VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

A defesa de Mayara e a carta da leitora

12 de novembro de 2010 às 17h32

Em defesa da estudante Mayara

por JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL*, na Folha

Não parece justo que Mayara seja demonizada como paulista racista, quando o mote da campanha eleitoral foi o da oposição entre as regiões

Sou neta de nordestinos, que vieram para São Paulo e trabalharam muito para que, hoje, eu e outros familiares da mesma geração sejamos profissionais felizes com sua vida neste grande Estado brasileiro.

É muito triste ler a frase da estudante de direito Mayara Petruso, supostamente convocando paulistas a afogar nordestinos.

Também é bastante triste constatar a reação de alguns nordestinos, que generalizam a frase de Mayara a todos os paulistas.

Igualmente triste a rejeição sofrida pelo candidato da oposição à Presidência da República, muito em função de ele ser paulista. Todos ouvimos manifestações no sentido de que, tivesse sido Aécio Neves o candidato, Dilma teria tido mais trabalho para se eleger.

Independentemente da tristeza que as manifestações ofensivas suscitam, e mais do que tentar verificar se a frase da jovem se “enquadraria” em qualquer crime, parece ser urgente denunciar que Mayara é um resultado da política separatista há anos incentivada pelo governo federal.

É o nosso presidente quem faz questão de separar o Brasil em Norte e Sul. É ele quem faz questão de cindir o povo brasileiro em pobres e ricos. Infelizmente, é o líder máximo da nação que continua utilizando o factoide elite, devendo-se destacar que faz parte da estigmatizada elite apenas quem está contra o governo.

Ultrapassado o processo eleitoral, que, infelizmente, aceitou todo tipo de promessas, muitas das quais, pelo que já se anuncia, não serão cumpridas, é hora de chamar o Brasil para uma reflexão.
Talvez o caso Mayara seja o catalisador para tanto.

O Brasil sempre foi exemplo de união. Apesar das dimensões continentais, falamos a mesma língua.

Por mais popular que seja um líder político, não é possível permitir que essa união, que a União, seja maculada sob o pretexto de se criarem falsos inimigos, falsas elites, pretensos descontentes com as benesses conferidas aos pobres e aos necessitados.

São Paulo, é fato, é fonte de grande parte dos benefícios distribuídos no restante do país. São Paulo, é fato, revela-se o Estado mais nordestino da Federação.

Nós, brasileiros, não podemos permitir que a desunião impere. Tal desunião finda por fomentar o populismo, tão deletério às instituições no país.

Não há que se falar em governo para pobres ou para ricos. Pouco após a eleição, a futura presidente já anunciou o antes negado retorno da CPMF e adiou o prometido aumento no salário mínimo. Não é exagero lembrar que Getulio Vargas era conhecido como pai dos pobres e mãe dos ricos.

Não precisamos de pais ou mães. Não precisamos de mais vitimização. Precisamos apenas de governantes com responsabilidade.

Se, para garantir a permanência no poder, foi necessário fomentar a cisão, é preciso ter a decência de governar pela e para a União.

Quanto a Mayara, entendo que errou, mas não parece justo que seja demonizada como paulista racista, quando o mote dado na campanha eleitoral foi justamente o da oposição entre as regiões.

Se não dermos um basta a esse estratagema para manutenção no poder, várias Mayaras surgirão, em São Paulo, em Pernambuco, por todo o Brasil, e corremos o risco de perder o que temos de mais característico, a tolerância. Em nome de meu saudoso avô pernambucano, peço aos brasileiros que se mantenham unidos e fortes!

*JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, advogada, é professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

*****

Para o Painel do Leitor

Racismo às avessas

Lendo as absurdas argumentações da professora Janaina Paschoal “Em defesa da estudante Mayara”, lembrei que grandes pesquisadores do racismo e preconceito no Brasil, como Roger Bastide e Florestan Fernandes, denunciaram a lógica da inversão. Graças a ela, não apenas não somos racistas, como, ademais, tudo que acontece é culpa da vítima. Se não fossem os negros, os nordestinos, os pobres, as prostitutas, os homossexuais, se Lula não fosse presidente, a estudante Mayara não teria cometido o destempério de pedir o assassinato de ninguém e tampouco teria sido demonizada. Coitadinha dela!

Heloísa Fernandes, professora associada de Sociologia da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo (São Paulo, SP)

 

498 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Rosane

17/10/2015 - 01h21

Tá… mas, e agora?

Responder

Janua Olivehha

10/06/2012 - 21h11

Como transformar um comentário vazio e sem expressão numa grande fábula

Responder

Genilson Cardozo

09/06/2011 - 18h13

Lembra a ela, professora, que ela esqueceu de malhar também os cariocas e os mineiros que como os nordestinos deram maioria a Dilma.

Responder

MPF aceita denúncia contra tuiteira que ofendeu nordestinos | Viomundo - O que você não vê na mídia

03/06/2011 - 11h31

[…] Leia aqui uma defesa de Mayara Petruso.   […]

Responder

O homem que usou Auschwitz para despertar “alegria” | Viomundo - O que você não vê na mídia

13/05/2011 - 00h29

[…] Mayara Petruso. Torcedores do Flamengo que ofendem nordestinos depois da desclassificação do time. Humorista que faz graça com vítimas de estupro. E que tenta despertar o sentimento de “alegria” falando em Auschwitz. […]

Responder

abarbosafilho

17/01/2011 - 15h15

Qualquer um de nós, se criado num ambiente de violência (doméstica e nas ruas) seria um assassino. Se eu tivesse visto minha mãe ser estuprada por policiais, eu seria o maior assassino de policiais, até que me matassem a bala. E morreria feliz, realizado: eu levei vinte, tome aí minha vida, porra!
O clima criado pela direita nos EUA, na França, e também no Brasil conduz a isso: o ódio ao povo, o valho-quanto-tenho, a minha raça é superior, ou como disse o velho Le Pen na sua transmissão de cargo à sua filha como líder do fascismo francês: "onde há um deliquente, há um francoperuano, há um francotunisiano". Ou seja: raça "pura" é o ideal dessa cambada.

Responder

    abarbosafilho

    17/01/2011 - 19h11

    Cuidado com a censura inversa!
    Não o conheço pessoalmente, mas leio suas matérias há vários anos. Aqui na Holanda, e como não entendo o dutch, compro diariamente jornais e revistas em francês, espanhol, inglês, idiomas que domino. Marianne me traduz o que vejo em holandês e alemão, um pouco de sueco e dinamarquês, que ela conhece.
    Ël País"tem dado uma excelente cobertura ao Brasil, sem preconceitos. Elogiou Lula, criticou Lula, criticou Fernando Henrique e Serra, etc. Muito melhor do que qualquer jornal brasileiro que eu conheça.
    Quando o Rei Juan Carlos foi grosseiro com o presidente Hugo Chávez, numa reunião no Chile, a imprensa brasileira inteira, total, unânime, ficou de joelhos perante o trono. Viva meu Rei!
    E pau no nosso vizinho, parceiro e mulato Hugo Chávez! Guardo nos meus arquivos a maior demonstração de colonialismo cultural que jamais assisti. Posso provar.

    Atenção: isso jamais foi publicado pela mídia brasileira: o Rei Juan Carlos acabava de chegar de uma visita a uma ex-colônia espanhola na África, onde foi vaiado e quase agredido. A polícia local teve que agredir manifestantes.
    Dentro da Espanha, o Rei teve cartazes e bandeiras da Realeza queimadas, e arrancadas de cidades que ele pretendia visitar.
    Na semana que ele veio o Chile, sua filha anunciou que estave se divorciando. Este foi o ponto máximo de emocão de Sua Majestade, porque o genro queria parte da fortuna da Princesa, entrou na Justiça (lógico que um acordo de alguns bilhões resolve as mágoas…).
    Tudo isso precedeu a frase "Por qué no te callas?"

    Postado por Antonio Barbosa FilhoJOÃO, com todo respeito, e sabendo que El País é um jornal conservador, permita-me registrar que ele, sòzinONIASho, produz mais Jornalismo do que nosso PIG reunido. Quando o Rei da Espanha foi grosseiro com o presidente Hugo Chávez, toda a mídia brasileira prostrou-se diante do trono, ridicularizou e ofendeu o líder do país nosso vizinho. Nunca vi tanto colonialismo cultural!

Robert Kennedy Jr.: Quando a mídia ajuda a matar | Viomundo - O que você não vê na mídia

16/01/2011 - 18h39

[…] Aqui, a brasileira que pregou o afogamento dos eleitores nordestinos e mereceu artigo em defesa dela…   […]

Responder

Elenita

24/11/2010 - 15h15

Resposta à Janaina:
http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos….

Responder

CAROLINA

20/11/2010 - 17h35

A culpa sempre é do Lula!! Hahha, me polpe né professorinha, vc deve dar aula para a tal Mayara, que está acima de todas as pessoas neste mundo!

Responder

Elizete

17/11/2010 - 22h49

José Serra tem características de ditador, Deus nos livrou de criatura tão algoz, não merecíamos.

Responder

Elizete

17/11/2010 - 22h46

O Lula é o bom fermento que faltava para os brasileiros, pois fêz crescer o pão de todos. Já o candidato derrotado, José Serra é o fermento que não queríamos ter provado, pois só fêz crescer a dicódia, desunião e preconceito.

Responder

    Andre

    21/11/2010 - 07h51

    dicódia ????

efigenias

16/11/2010 - 20h08

nossa, que vergonha alheia… kkkk olhem as pérola de sabedoria que solta a tal Professora…kkkkk eu queria até reagir mais intelectualmente, mas o constrangimento com a limitação da Professora e sua dalphina, a pobre Maryana só me fazem rir e sentir pena kkkk

Responder

AlxMendes

16/11/2010 - 14h50

É, a USP está cada dia mais ridícula, a manter uma casta de professores e alunos elitóides .

Ridícula USP!

Responder

Ronaldo Sandim

16/11/2010 - 14h48

Essa "fessora" pensa como o Luis Carlos Prates [rbs/globo sc],tudo é culpa do Lula.Que culpa tem as Mayras,os Serras?

Responder

Flávia

15/11/2010 - 18h54

Que lástima!!

Responder

hylnard

15/11/2010 - 17h47

Esta JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL não entendeu bsolutamente nada ou tem o coração cheio de maldade: lobo em pele de cordeiro.
Tadinha dela.

Responder

Meg Godman

15/11/2010 - 11h02

Esse tipo de "contribuição" ao Painel do Leitor da Folha é encomendado. Quando há matéria polêmica em pauta, a editoria convida pessoas alinhadas com a posição do jornal para escreverem o que a Folha deseja.

Alguém já conseguiu publicar algum texto no Painel do Leitor da Folha? É impossível. Pode ser um texto brilhante, apoiado em evidências, não importa. É sempre ignorado.

Mas a Folha encontrou uma neta de nordestinos, a tal JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, que com seu preconceito já tão introjetado, acredita que seus conterrâneos e descendentes devam aceitar humilhações e tolerar a violência, pois basta ter muito esforço pessoal para ser aceito pela elite branca paulista. Afinal, não está ela na Faculdade de Direito da USP, ensinando a tantas Mayaras e reproduzindo e alimentando o preconceito?

Caso Lula não existisse, Janaína ainda seria o que é: uma nordestina que tenta agradar e se adequar ao meio do qual obtém sustento e que, por ironia, reúne o que de mais conservador e elitista existe na sociedade paulistana.

Responder

terezinha

15/11/2010 - 10h51

Azenha,
Meu post foi censurado só porque eu disse que essa senhora "come cocô atrás da porta", "rasga nota de cem", "ponga em asa de avião" e "pega navio no tombo"? E porque essa mocinha que deseja afogar nordestinos deveria ter como pena passar 6 meses no sertão nordestino, na época da seca, quando os corajosos e incansaveis nordestinos andam até dez quilômetros para conseguir um balde de água suja, sem direito ao Bolsa Família nos 4 primeiros meses, para aprender o que não aprendeu nos anos que passou na Universidade?
Será que fui tão cruel assim?
Ou será que foi porque disse que ao ler o texto lembrei-me de um médico ( já falecido) do sertão da Bahia que ao ser perguntado se ouvira o discurso de um candidato a vereador respondeu: " ouvi sim, foi uma verdadeira diarréia oral" ?

Está bem. Vou só fazer um pedido à Rainha da Inglaterra, fessora, não mate minha Mãe e meus Professores de vergonha!
Pronto esse pode mostrar.Peço desculpas aos navegantes.

Responder

george

15/11/2010 - 10h50

Dou "tôra" Janaína, "deu duro, tome um Dréher"… que lástima!!!!

Responder

terezinha

15/11/2010 - 01h43

Ao ler o Texto desta pseudo professora, lembrei-me de um médico (já falecido) do norte da Bahia, ao ser perguntado se havia ouvido o discurso de um candidato a vereador respondeu: " ouvi sim, uma verdadeira diarréia oral".
Gente, essa senhora está, como se diz aqui na Bahia," comendo cocô atrás da porta", "rasgando nota de cem", "pongando em asa de avião" e "pegando navio no tombo".
Não se surpreendam se dentro de pouco tempo, se depararem com ela, nua no pátio do Largo de São Francisco, dizendo-se a Rainha da Inglaterra , ordenando aos alunos que façam a troca da guarda.
Quanto à" mocinha", deveria ser condenada a passar 6 meses no sertão nordestino, no período da estiagem, onde é necessário andar quilômetros para conseguir um balde de água suja e transformá-la em água potável (não me perguntem como), sem direito à Bolsa Família durante os primeiros 4 meses.Garanto que aprenderia muito mais que nos anos que frequentou a Universidade.

Responder

Silvana

15/11/2010 - 00h09

Prezada Janaína. Digo prezada porque me preocupo sinceramente com você. Longe de fomentar conflito entre as regiões, o presidente Lula foi um homem que transmitiu a grandeza de, jamais abalarmo-nos com demonstração de preconceitos, dos quais ele é vítima até hoje. Jamais esse homem tratou quaisquer região com parcialidade. Claro, o Nordeste em defasagem, foi contemplado com ações necessárias ao alcance da igualdade de condições com outras regiões antes tratadas com privilégios. Se você é nordestina, aprenda a exigir igualdade de direitos com qualquer brasileiro. São Paulo, a nossa metróplole (ela é de todo brasileiro), recebeu dos nordestinos o suor do seu trabalho. Portanto é uma cidade formada com a contribuição direta dos irmãos nordestinos. Sendo assim, é de nós todos. Devemos zelar por ela, assim como, por todo o nosso Brasil que, nas mãos do presidente Lula diminuiu a miséria, deu aos menos favorecidos a condição de comprar sua casa própria (não "puxadinho"), seu carro, sua alimentação.

Responder

Diana

14/11/2010 - 23h55

Sra. Janaína,

Como pernambucana, advogada, doutora e profa. universitária, faça-me o favor de respeitar a memória de seus avós ao defender crimes em público!

Responder

Analice Costa

14/11/2010 - 23h44

Amigos,
Janaína, a professora medíocre!
É muito triste, para não dizer vergonhoso nos depararmos com uma pessoa que se diz professora "insana". Que criatura é essa que está em sala de aula ensinando os futuros advogados, tais como a "Mayara" quem sabe sua aluna?
Nunca vi tanta insanidade escrita por uma "professora". Talvez em sala de aula ela defenda o preconceito, racismo e nazismo. Criatura nefasta, que envergonha aos grandes mestres que temos no nosso pais.

Responder

Miron

14/11/2010 - 23h35

Não votamos em Serra pelo fato dele ser paulista e sim por que ele é um canalha, e nós não votamos mais em canalhas, cara Doutora da Folha (logo da Folha/PIG), votamos em governantes que olham o País como um todo e que faz justiça social, como foi o caso do Estadista Lula, do qual muito me orgulho por ser seu conterrâneo. E, falando em PIG, foi ele, em parceira com o PSDB/DEMos/Serra, que alimentou esse ódio, rancor e preconceito contra o povo nordestino, e, depois de se utilizarem destes zumbis teleguiados paulistas (salvo exceções), para tentarem ganhar a eleição que não ganharam, tiraram o corpo de fininho. Pobre professora: Estudou tanto e ainda não sabe o significado da palavra P-R-E-C-O-N-C-E-I-T-O. Mas, é como diz um leitor, ela é advogada, temos que dar um desconto. Delenda Janaína.

Responder

Renan M. Baptista

14/11/2010 - 23h12

É possivel saber a razão pela qual meu post foi censurado?

Acredito não ter escrito absolutamente nada demais ao dizer que a referida estudante estava em plenas faculdades mentais, sabia o que estava fazendo, e deve ser inteiramente responsabilizada por seus atos.

Responder

valmir jose dias

14/11/2010 - 22h05

D. Janaina (dona, para ser educado),´respondo à senhora em nome de minha familia, de meus amigos e com certeza milhoões de brasileiros que se indignaram com seus argumentos. Sinceramente devo lhe desejar pesames pela postura de uma pessoa que se intitula professora. Lamentavel. Mas em se tratando onde a senhora escreveu , só me resta entender que: ROLOU UMA FARPELA, COMO ROLOU.

Responder

Eduardo Soares

14/11/2010 - 21h56

Logo logo o Secretário de Educação Paulo Renato dará uma cátedra no Largo de São Francisco para esta energúmena!!

Responder

Giordano

14/11/2010 - 20h06

Aconteceu um fenômeno comigo. Estava com vontade de esganar a jumenta da Mayara, pela idiotices que ela vomitou. Agora, sinto ânsias de vômito ao ler as baboseiras dessa anta que se diz professora. O que nossos jovens têm a aprender com uma criatura dessas?

Responder

a lesma lerda

14/11/2010 - 19h04

enquanto isso a doutrina mayara petruso, que a professora defende, segue fazendo vitimas nas rua de SP com skinheads (assim chamados os nossos fascistas) espancando gays a luz do dia…. com professores assim melhor o Tiririca…

Responder

Ana

14/11/2010 - 19h01

Azenha,
No dia que vc conhecer alquem 100% Paulista me avise ..Pois isso não existe O paulistanos tem seus ancestrais índios (os verdadeiros donos da terra do Brasil),negros ou imigrantes estrangeiros, que não devia está tão bem lá na sua patria.prá vir prá cá.

Responder

Julio

14/11/2010 - 18h19

continuando

Outro fato uma empresa abre um site para vendas com sede em São Paulo, abre um depósito em, por exemplo, Minas. Um consumidor de Minas compra um produto pelo site, o produto sai do depósito em Minas vai para o consumidor em Minas e quem recebe o ICMS…

Outro fato São Paulo foi por décadas beneficiado pela política do café-com-leite fazendo com que o Brasil inteiro pagasse para que o café fosse valorizado. Como sempre privatizavam o lucro do café e socializavam o prejuízo como em 1929.

Poderia ficar aqui escrevendo sobre vários fatos da história do Brasil, mas como sou eleitor ignorante pois não votei no Serra (critério paulista para medir conhecimento político) deixarei que outros mais iluminados falem sobre outros fatos.

Responder

    Clayton Benevides

    15/11/2010 - 12h57

    Muito bom mesmo! Abracos

Julio

14/11/2010 - 18h19

Gostaria de destacar uma frase:

"São Paulo, é fato, é fonte de grande parte dos benefícios distribuídos no restante do país. "

Este "fato" como diz a professora também vem do fato que São Paulo e o estado que mais se beneficia da federação. Vamos aos fatos. Todos, enfatizando, todos os produtos pagam ICMS na origem apenas o petróleo paga no consumidor, este fato faz com que o Rio de Janeiro seja muito prejudicado em favor de quem, adivinhem.

Responder

@Samayris

14/11/2010 - 18h04

Pergunto-me essa dona Janaina Paschoal, é mesmo advogada, ou até mesmo professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da USP… ouuu… se é neta de "Pernambucano". Lamentável existir Mayaras e Janaínas. Nosso País devia andar pra frente e não para trás. Engraçado como tudo é culpa do Lula, da Dilma, dos nordestinos. As pessoas deviam assumir que são preconceituosas, que desejam isso ou aquilo de quem não gosta. Mas não assumir e ainda jogar culpa em cima dos outros é muito fácil. Que a DRA. aí possa rever seus conceitos, seus pré-conceitos e suas defesas. E que Desu tenha pena dos seus alunos

Responder

Elizete

14/11/2010 - 17h32

Você professora(?) Janaína deveria se especializar na simbologia nazista e nos aves Hitler, pois com esse seu medíocre discurso é isso que nos parece que a senhora é defensora da considerada raça pura. Pessoas como vocês se acham Deuses, pensam que pode tudo. Mais não é assim, existe um ser Supremo, que atua e quando pessoas de "bem" se unem, com certeza esse ser intervém, como foi o caso da vitória de Dilma, com certeza ela fará um "bom" governo, apesar de vocês tentarem atrapalharem, utilizando de mil trapaças, mas Deus nos pretejerá, eu tenho fé, aposto que vão tentar até impeatm, mas não conseguirão, pois nós o povo não acreditamos mais em vocês.

Responder

Onias

14/11/2010 - 16h54

Sou nordestino e não fiquei com ódio da menina, mas com pena. Fiquei triste porque ela representa milhões de jovens universitários que não tiveram o ensino de pai e de mãe. Agora, com o ego maior do que nunca, acham-se no direito de pisar em todos.
Respeito não se aprende na universidade, mas em casa.
Espero que os pais dessa menina estejam dando o apoio mesmo atrasado.

Responder

Favero Paula

14/11/2010 - 14h38

Azenha.
Aqui no Rio Grande do Sul a diferença de votos presidenciaveis foi bem pequena, e ainda assim dizem que o psdb azulou por aqui. Mentira!!! Isto também foi usado para propagar racismo por aí. OS GAÚCHOS foram os primeiros a eleger um Governador de estado – Alceu Colares, e ter uma representante ganhadora do Miss Brasil – Deise Nunes Afrodescendentes. O RACISMO está em cada um, e graças aos céus a maioria dos Gaúchos NÃO O SÃO. Tenho grandes amigos Cearenses, Paraibanos e Pernambucanos que não merecem as insinuações de racismo. Acho um despropósito esta sujeira toda propagada por setores Não satisfeitos com o resultado da eleição, principalmente na ala conservadora, isto em São Paulo e também em outros lugares. ISTO É SÓ UM REFLEXO DA CAMPANHA SUJA DA OPOSIÇÃO. Vai demorar algum tempo para limpar isto tudo.
Justiça já, e acima de tudo bom senso que falta muito para nossos representantes sedentos por poder e moral.

Responder

Lu Borges

14/11/2010 - 14h35

"Nordestino não é gente", disse a tal estudante defendida pela professora da USP. Ao defender o indefensável, a professora perde todo o crédito. Se é que ela, ou o jornal para o qual escreveu, possui algum.

Responder

Oswaldo

14/11/2010 - 14h28

A dona Janaína, para ser justa, como posa em seu artigo, deveria ter tido a coragem intelectual de dar nome aos bois. Se alguém colocou a campanha eleitoral nos termos em que ela aponta — "oposição entre as regiões" —, estes foram o candidato derrotado e seus asseclas. A assinatura de "advogada" não lhe categoriza a nada, se no exercício de uma exposição tão objetiva e rasa ela subtrai essa informação fundamental. Mas, a gente entende, dado que ao admitir tal premissa como verdadeira, como de fato o é, seu artigo não existiria. E ela não teria o espaço que a "Falha de S. Paulo" lhe proporcionou, amparada pelo belo título de "professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo". Volte aos bancos do aprendizado e da decêndia, dona Janaína, a senhora na verdade ainda não saiu da faculdade…

Responder

welder ribeirao

14/11/2010 - 14h08

So tenho uma coisa a dizer: que esta advogada parece "advogado de porta de cadeia", que pega qualquer criminoso para defender, não importa se é pedófilo, assassino, estuprador, matador de velhinhas, traficante ou coisas do gênero. Lula ajudou quem foi esquecido por seculos pelos governantes. Essa advogada é preconceituosa como a Mayara.

Responder

Nadir - Paraná

14/11/2010 - 13h43

Porfessora Janaina,

Tem certeza que a senhora é uma professora? Porque professores tem que ser atualizados, ao mesmo em relação as questões básicas do país onde vive! Pensando bem, descobri onde a Mayara aprendeu as lições de racismo explicitadas em seu blog, foi em suas aulas!

Profa. Nadir – Paraná

Responder

Mauricio

14/11/2010 - 13h30

Livrai-nos Deus!!! das Mayaras e Janainas !!!

Responder

    Renan M. Baptista

    15/11/2010 - 18h55

    Mudando um pouco a oração: Ó deus, dai-nos instrumentos eficientes para "lidar" com criaturas como Mayaras e Janaínas.

jerri adriani mendes

14/11/2010 - 12h37

A nova classe média não lê folha nem veja.
A antiga classe média esta falando para ela mesma.

Responder

    Paulo Roberto

    14/11/2010 - 13h29

    Pois é. É no que dá nordestino e prá São Paulo e se dar bem. Deus do céu, faça com que eu e todos os meus descendentes fiquemos por aqui mesmo, neste grande sertão brasileiro!

Atilio

14/11/2010 - 12h36

Que absurdo! Está provado que ter diploma e dar aula em universidade conceituada não impede de se desfiar asneiras.
Ainda bem que não sou aluno dessa professora.

Responder

antonio augusto

14/11/2010 - 12h31

Que coisa horrível a opinião dessa "professora" de direito. Causou tanta indgnação que eu pergunto: Ela seria auxiliar daquele "advogadozinho" do caso Bruno/samúdio?
Parece. Porque defender o indefensável é triste de se ver. Já pensou como é o pessoal do psdb? Que los pa…..

Responder

oliveira

14/11/2010 - 12h21

E isso é professora de futuros advogados! Socorro!!!!

Responder

Gerson Carneiro

14/11/2010 - 12h14

Jogo rápido:

A montadora Nissan está realizando "recall" em quatro modelos de seus veículos récem lançados no mercado. De quem é a culpa?

Responder

Aprendiz

14/11/2010 - 12h04

Buscar desculpas para esse tipo de crime é tolice. Como se não bastasse, agora tão querendo ser vítimas também como propõe a Janaína não sei das quantas: 'Igualmente triste a rejeição sofrida pelo candidato da oposição à Presidência da República, muito em função de ele ser paulista'. Ô professora, dá lugar a outro na USP porque assim não dá!… Esse negócio do culpado passar a ser a vítima, muito usado por maridos ou esposas infieis, já está ultrapassado!!!

Responder

Ricardo Vianna

14/11/2010 - 11h51

Só começarei acreditar na revolução silenciosa do Lula quando nordestinos não precisarem de vir ou permanecer apenas como escravos em São Paulo e quando o nordeste apenas servir ao destino turistico para mordomias da elite paulista decadente,arrogante e preconceituosa.

Responder

Elizete

14/11/2010 - 11h31

É gente a elite paulistana não se conforma com a nova realidade social, pois sempre foram acostumados a facilidades, senhores da manutenção do status quo. Isso me faz lembrar lembrar um trecho da música do Chico Buarque "apesar de você, amanhã há de ser outro dia" quer dizer que vocês podem até tentar novas trapaças mais terão que dividir o pão. Ah!!! lembro também do saudoso CAZUZA " Não liguem com essas caras tristes fingindo que agente não existe, sentadas em suas salas, são tão ENGRAÇADAS".

Responder

    abarbosafilho

    17/01/2011 - 19h40

    Elizete, nem sempre e nem prá todos. São Paulo já foi uma cidade altamente civilizada e está voltando a ser.
    Hoje estou na Holanda, mas logo dançaremos juntos na Praça Roosevelt, conhece, bem paulista mas totalmente universal…hahahahaha

Luís Felipe

14/11/2010 - 10h36

O que me incomoda não é uma opinião contrária. O que me incomoda é um texto com argumentos falsos e trocados. Quem prometeu promessas impossíveis de serem cumpridas foi o Serra, não a Dilma.

Assim como já li que o caso "bolinha de papel" foi inventado pelo Lula, e que "peritos" dizem que o troço que acertou a careca imaculada de Serra poderia mesmo tê-lo machucado… agora lemos aqui que é o Lula que separa o Brasil em pobre e elite.

NÃO! Não foi o Lula que separou o Brasil! Ele contou, denunciou o que acontece. O que é bem diferente. Não podem atribuir a autoria a ele só porque foi o primeiro (um dos primeiros) a chamar atenção ao fato.

Esse povo da oposição tem que aprender a raciocinar. Qual o problema deles? Que sejam uma oposição fundamentada, e repercussão de um trololó peessedebista!

Responder

    João Vieira Filho

    14/11/2010 - 14h19

    Caro Luis Felipe, era exatamnte o que eu queria escrever, obrigado por antecipar. Essa professora de direito, quem sabe direita, é a mais acabada síntese do Serra, ela como ele, sofrem da síndrome do gambá, transferem o seu mau cheiro para os outros.

José Manoel

14/11/2010 - 10h21

AZENHA: SÃO POR ESSAS E POR OUTRAS QUE O BRASIL É O QUE É! UMA PROFESSORA DE DIREITO DEFENDENDO O INDEFENSÁVEL!!!!!!!!!! OU BACHAREL EM DIREITO POR DILETANTISMO, OU SEJA, NÃO VOU EXERCER A PROFISSÃO DE ADVOGADO, MAS TUDO O QUE ELES SABEM EU SEI TAMBÉM!!!! ESSA DESCRIMINAÇÃO ÉTICA E RACIAL TEM QUE SER PUNIDA COM RIGOR!!! NÃO HÁ DEFESA PARA ISSO!!!! DAQUI A POUCO ESTAREMOS EM GUERRA CIVIL DO SUL CONTRA O NORTE, ESTIMULADOS POR CONCEITOS E INCITAÇÕES COMO O DA INDIGESTA MAYARA!!! AGORA QUE A TRUTA PEGOU, ESTÁ SE BORRANDO PERNA ABAIXO!!! POR QUE NÃO PENSOU, COMO ESTUDANTE DE DIREITO, ANTES????? COMO DIZ UM CONHECIDO MEU: VÁ SE ABRAÇAR NUMA "COBRA CRUZEIRA"!!!!!!!!!!

Responder

    Conceição Lemes

    14/11/2010 - 11h44

    Por favor, letras minúsculas nos próximos comentários. abs

    José Manoel

    14/11/2010 - 19h08

    Foi de propósito, mesmo, para mostrar minha profunda indignação!!!!

Juan Barbieri

14/11/2010 - 10h09

É o "escravo que olha a si mesmo com os olhos do amo", como diria Eduardo Galeano.
Estamos mal de professores de direito… o pessoal anda levando a sério think tankers como Yves Gandra Martins..lamentável..

Responder

Gerson Carneiro

14/11/2010 - 09h59

Será que o Serra queria colocar na USP dois professores na sala de aula, e por isso contratou essa "professora"?
A outra, a "segunda professora", deveria ser a estagiária Mayara.

Responder

Luiz Fortaleza

14/11/2010 - 09h53

Publiquei aqui, mas não foi postado. Mas queria dizer q essa professora foi de um sofisma de uma nota só: inteligência menor

Responder

Valdo Andrade

14/11/2010 - 08h42

Essa tal professora leciona na USP, não precisa ser dito mais nada. Afinal, é la onde a eugenia é tema constante.

Responder

gilmar

14/11/2010 - 08h40

Muito fraca a defesa da Professora com relação a opinião dessa menina . Ridícula a defesa com relação à Jose Serra, ridículo seu ataque à Dilma Roussef, mais ridículo ainda que percamos tempo respondendo a essa idiota tal qual à outra.

Responder

léo

14/11/2010 - 08h02

Cacilda! Ela é mesmo uma Professora da USP??
Não teria aulas com ela!

Responder

ValmontRS

14/11/2010 - 05h06

Racismo, ideologia nazista e violência fascista são casos de polícia e têm que ser julgados e condenados na justiça. Cabe à imprensa e a todos os cidadãos conscientes PRESSIONAR para que as leis sejam cumpridas com MÁXIMO RIGOR e que o ovo da serpente seja destruído enquanto é tempo.
Tolerância zero contra os fascistas!

Responder

edson gomes

14/11/2010 - 03h58

È culpa do governo Lula, que se lembrou daquele, ou boa parte, daquele povo esquecido, pela elite do sul e sudeste.

Responder

Cecilia

14/11/2010 - 03h05

Querida Janaína,
Hitler deve estar de pau duro agora no caixão depois desse seu discurso.

Responder

Conceição Lemes

14/11/2010 - 02h52

IP 189.4.165.7. Vc é Antonio, Rodrigo, Rodrigo César, Felipe, Agnaldo ou etc? Se você acredita no que escreve, pra que se transforma em N pessoas pra defender o artigo da tal professora e a Mayara?

Responder

    Leider_Lincoln

    14/11/2010 - 11h47

    O tal IP deve ser de uma das duas, ou de algum parente… : )

    Eduardo Soares

    14/11/2010 - 21h45

    Sei que é da Net e de Santos

L. Oliveira

14/11/2010 - 01h46

Coitados dos alunos dessa professora da USP!Ela precisa de um reforço em português. Vejam: " eu e outros familiares (quer dizer – NÓS) da mesma geração SEJAMOS profissionais felizes com SUA vida neste grande Estado brasileiro. Cara Janaína,é NOSSA vida! – NÓS SEJAMOS COM NOSSA VIDA e não SUA VIDA. Conselho de uma carioca descendente de cearenses : Vá estudar antes de sair em defesa de nazistas arrogantes.

Responder

    Sidora

    14/11/2010 - 13h02

    Só me resta dar uma bela risada….kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…Realmente, bela professora da USP

Cícero

14/11/2010 - 01h31

Tudo que acontece de ruim e que tem repercussão nacional, a Folha dá logo um jeitinho de vincular o fato ao Lula. Foi assim durante os oito anos de governo Lula. E será assim pelos próximos quatro anos de Dilma. Em relação ao Lula, não lograram êxito. Quanto à Dilma, também não lograrão… Queira Deus!

Responder

Bernardo Felsenfeld

14/11/2010 - 01h28

Queridos amigos, o Twitter pode ser uma arma muito perigosa
Vejam o que comento sobre essa nova febre no meu blog: http://bernardoalerta.blogspot.com/2010/11/alerta

Responder

ed.lima

14/11/2010 - 01h19

Não é preciso ser um NICOLELIS, para deduzir,que o mapeamento genético brasileiro, dá aos Nordestinos, uma maior consistência de Raça, com maior pureza genética de verdadeiro POVO BRASILEIRO.Vamos à minha TESE:Dêsde o século XVII,períodos de invasões Holandesas e Francesas,tivemos as primeiras inflexões genéticas européias na nossa sopa racial(Portugueses+Índios+Negros) ;estamos dêsde ai,formando uma raça heterogênia, porêm com um mesmo caldo genético de três séculos.Já os PAULISTAS,nos dois períodos pós-guerra,tiverama inflexões racias(JAPONESES+ITALIANOS+JUDEUS+TURCOS,etc,etc)que tornam seu caldo genético,de grande diversidade e ainda embrionária,com apenas um século.Não têem ainda o tempo necessário,para ser uma raça geneticamente mais Brasileira que nós NORDESTINOS.

Responder

Cícero

14/11/2010 - 01h08

Essa mulher (janaina) deve ter recebido algum dinheiro pra fazer uma declaração tão infeliz e descabida como essa. Lamentável. Como é que uma professora universitária vem a público afirmar que a incitação ao homicídio de nordestinos não significa nada??!! Dizer que a Mayara não tem culpa??!! Declarar que o culpado é o Lula??!!

Ora, pra falar uma asneira dessa, ou é louca ou é racista.

Responder

Julis

14/11/2010 - 01h05

Aqui está a figura: http://www.direito.usp.br/docentes/penal/dpn_doce

Ela nõa é A CARA do avô pernambucano dela?

Responder

    Gerson Carneiro

    14/11/2010 - 09h53

    Aí mesmo, nesse endereço, dê uma olhada no currículo da figura. Lá em "Idiomas":

    "Italiano: Compreende Pouco, Fala Pouco, Lê Razoavelmente, Escreve Pouco."

    Por quê não diz logo que não manja nada? Se for assim eu também posso saber todas as línguas do mundo. hahaha..
    E o anarfa é o Lulão! Se essa coisa constasse no currículo do Lula com certeza seria motivo pra muito deboche.

Simone

14/11/2010 - 00h48

A professora Janaína é uma pessoa muito distraída, tanto que ela mesma cai em contradição…. fala que o LULA separa o nordeste do restante do país, principalmente do sul e sudeste… mas esquece de lembrar que a DILMA é mineira, uai rsrs
E Minas Gerais fica no Sudeste… Será que ela também esqueceu??? Quanto a Mayara, desprezível… Sra Janaína, não perca tempo defendendo um ser tão medíocre….há nao ser que seja tão medíocre quanto ela e que pense a mesma coisa dos nordestinos…. SAO PAULO NÃO SERIA NADA SEM A FORÇA DE TRABALHO DOS NORDESTINOS….ACOORDE!!!

Responder

Lliana

14/11/2010 - 00h33

"O Brasil sempre foi exemplo de união. Apesar das dimensões continentais, falamos a mesma língua."
sabe pq, Janaína? Pq todas as vezes que vc entra em um avião, lá tem um pobre, um nordestino sentado a seu lado. Todas as vezes que vc vai ao shopping center, vc encontra alguém com cara d enordestino com uma sacolinha de plastico na mão, (loja popular ñ tem sacolas de papel). até no mercado tem um famigerado nordestino pegando algumas coisas que vc pensou serem produzidas só e exclusivamente p vc. Sabe mais Janaína? O abismo diminuiu os nordestinos estão cada vez mais perto e vc junta a todas as Mayaras estão com medo de perder o que te diferencia dos nordestinos: as vantagens, medo de ampliar seu mundinho restrito e perceber que o sol nasce para todos, que ñ é exclisividade sua.

Responder

Antonio Lopes

14/11/2010 - 00h22

Essa professora é muito cara de pau! Inverte tudo e sai de vítima !!!!Meus pesâmes para fosse professora e para sua universidade que amplifica essas atitudes como a de Mayara!!!!

Responder

ellen

13/11/2010 - 23h57

A "fessôra" Janaína deve estar com depressão e sem dormir há dois dias depois da repercussão de seu "jenial" artigo!!!!

Que "deus" a tenha!!!!!!!!

Mayara e ela agora me deram o mote para minha próxima aula num curso de Direito sim!!! Mas de alunos não provenientes de classes arrogantes!!! Meus alunos são dedicados, provenientes de várias partes do país, graças ao PROUNI. Podem ser carentes de repertório erudito, de boa escrita…mas são dotados de muita, muita sensibilidade social!!!! Tenho orgulho descomedido em auxiliá-los em suas jornadas!!!

Responder

Victor

13/11/2010 - 23h46

Acalmem-se. Ela é professora de direito penal. Nada mais compreensível vindo de alguém que leciona a barbárie que é esta cadeira, que 'defende' a sociedade contra os 'bandidos'.
Direito penal serve para uma coisa: retificar um sistema de vingança pública contra aqueles que o Estado deveria acolher e proteger, mas que, no lugar disso, exclui, tortura, viola e extermina, tudo sob as vistas da sociedade civil, dos trabalhadores limpos.

Responder

Alvaro Tadeu Silva

13/11/2010 - 23h44

Ei, gente, entendo a indignação dos nordestinos, mas quero esclarecer algumas coisas: sou formado pela USP e em 1994 a pesquisa da ADUSP (Associação dos Docentes da USP) indicava: Lula 92%, FHC, 8%. Não se esqueçam de que FHC foi professor daquela universidade. 100% dos membros dos Centros Acadêmicos e do DCE-Livre da USP também votaram em Lula. A verdadeira elite intelectual paulista rejeita os tucanos e suas políticas neofascistas, inclusive a invasão do campus da USP pela PM, a mando de José Serra, ex-aluno da instituição.

Responder

    Conceição Lemes

    14/11/2010 - 00h14

    Álvaro, isso foi em 1994. Veja como foi a votação na eleição de 2010. abs

    Carlos Roberto

    14/11/2010 - 02h01

    Álvaro,
    Não adianta espernear. Você é racista apesar de ser formado na USP. Mesmo com 92% para o BEM e 8% para o MAL e com 100% do DCE para o BEM e sendo membro da verdadeira elite intelectual paulista você está perdido. Tenha a humildade de reconhecer e se penitencie.

joajoljo

13/11/2010 - 23h35

incrível: o largo são francisco é o maior gerador de dejetos de toda a boca do lixo!

ela escreveu para o reinaldo azevedo; depois ficou lá fora do prédio que lhe confere, todos os natais, um vale-cestas no valor de R$ 500,00 apoiando o zé serra.

Responder

Alice

13/11/2010 - 23h11

Janaína, a Mayara não é fruto de populismo algum. É fruto de uma geração de brasileiros que nasceu sob a hegemonia do neoliberalismo em escala global, é fruto do domínio do discurso darwinista dos neo-fascistas que brotam como cogumelos em meio a "dita" globalização, tão saudada como "integração" quando não passou de mecanismo de ampliação do controle ideológico, político e econômico do centro sobre a periferia.
Janaína é fruto do pensamento hegemônico hoje nas universidades , dito "pós-moderno", o que aceita tudo em nome de uma pseudo-liberdade, que tolera o comportamento das elites que cirulam pelas Universidades que o MEC insiste em colocar no topo do seu "hanking". Janaína é a cara da intelectualidade brasileira, elitista e pseudo-democrata com seus palavrórios vazios que tentam confundir as pessoas e inverter a realidade.
Mas a realidade é tão nua e crua quanto a tuitada da Mayara, ao menos pra quem tem sangue nas veias e vergonha na cara, algo que é dado aos reles mortais e não aos PH-Deuses da academia…

Responder

    Cícero

    14/11/2010 - 00h43

    Alice, parabéns. Gostei do seu comentário. É por aí mesmo. Mandou bem.

Mauro Silva

13/11/2010 - 22h56

Caro Azenha
É gente dessa laia que dá aula nas "arcadas"?
Como essa "dra." ameba chegou lá?
É "amiguinha" de quem?
O fascismo avança: fiquemos de olho no judiciário porque a caterva está a se infiltrar lá.
Afinal, os juízes não passam por eleição … ainda.
É urgente um expurgo do judiciário, e eleições diretas e mandato para juízes.

Responder

    josue

    14/11/2010 - 00h07

    na USP tá na cara que tem apadrinhamento pra esta desqualificada ser professora…me poupe!!Defender uma pessoa que prega ASSASSINATO?

    Cícero

    14/11/2010 - 00h48

    De fato, o Judiciário está infestado de juízes a serviço das elites políticas, lamentavelmente.

Roberto SP

13/11/2010 - 22h38

Nossa, como pode uma pessoa que escreve todas essas IMBECILIDADES ser professora e ainda da USP?
Nada mais a dizer, que coisa lamentável as ideias tortas e distorcidas dessa Sra.

A coisa só não ficou pior porque outra professora de mesma universidade deu uma resposta à altura.

Responder

    Wyllison Bustamante

    13/11/2010 - 23h54

    Rapaz, tem tanto professor desse tipo lá, vocês não têm idéia.

Aracy_

13/11/2010 - 22h32

No currículo Lattes USP da autora do artigo (http://sistemas3.usp.br/tycho/CurriculoLattesMostrar?codpub=77A1AC756807)está escrito que ela foi Assessora Técnica Gabinete da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo em 2001 – 2002, prestando "assessoria na área de pesquisa em segurança pública, bem como desenvolvimento de projetos".
Tá explicado!

Responder

    Leider_Lincoln

    14/11/2010 - 11h48

    Ou este povo acha que não existe internet ou que somos idiotas…

Jean

13/11/2010 - 22h21

#LulaFactsByFolha
ou
#LulaFactsByJanaina
?

Responder

NaMariaNews

13/11/2010 - 22h20

Pô, Janaína, faz assim não, pega mal demais!
É doida? É doida, muito doida, vc é doida demais.

Responder

alicio

13/11/2010 - 22h19

Parabéns à professora Heloísa Fernandes. Quanto à outra , Janaina, deve ser leitora da fôia, veja, globo, estragão e assitir à rede bobo, Confunde tudo pensando que nós somos idiotas. A volta da CPMF partiu do governador deles. O saláro de 600 reais foi uma afronta ao brasileiro por conta do zé pedágio, ninguém acreditou.. Melhor era ter ficado calada dando as aulinhas dela para os dela.

Responder

Cida Lima

13/11/2010 - 22h18

Cala Boca Professora da Usp!!!! Dra .. Janaina
Que tristeza Saber que uma professora desse naip esta formando Outros jovens como a Mayara,sem conciência Política,sem visão do Mundo, preconceituosa e Racista…. Ainda bem que os pobres estão tendo mais oportunidade de Estudar através do PRO- Uni e deixar que a USP FIQUE COM SEUS FILHINHOS DE PAPAI……

Responder

Zumbi dos palmares

13/11/2010 - 22h13

O texto "Terra de ratos" é um contraponto a esta materia (um discurso do canadense Thomas C. Douglas, 1904 – 1986, eleito em 2004 como o canadense mais respeitado por seu povo, de todos os tempos, incluse por ajudar decisivamente a implantar um sistema de saude universal, gratuito e de qualidade, aos quais os norte americanos, desmparados, recorrem):

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=UtTW72F8xo0

"É a história de um lugar chamado Mouseland. Mouseland era um lugar onde todo os ratos viviam, brincavam, nasciam e morriam. E eles viviam da mesma maneira que você e eu o fazemos. Inclusive tinham um parlamento. E a cada quatro anos tinham uma eleição. Caminhavam rumo às urnas e votavam. Alguns inclusive conseguiam uma carona para as seções de votação. Uma carona que recebiam a cada quatro anos, de verdade. Assim como eu e você. E cada dia de eleição todos os ratinhos se acostumaram ir às urnas e elegiam um governo. Um governo formado por enormes e gordos gatos negros. Agora, se pensa que é estranho ratos elegerem um governo de gatos, olhe só a história do Canadá nos últimos 90 anos e você verá que eles não são mais estúpidos que nós. Não estou dizendo nada contra os gatos. Eles eram bons companheiros. Eles conduziam seu governo com dignidade. Aprovavam boas leis. Quer dizer: leis que eram boas para os gatos. Mas estas leis que eram boas para os gatos não eram muito boas para os ratos. Uma das leis dizia que a entrada da casa dos ratos tinha que ser tão grande para que um gato pudesse meter a sua pata nela. Outra lei dizia que os ratos só poderiam mover-se a certas velocidades para que o gato conseguisse seu café da manhã sem muito esforço físico. Todas estas leis eram boas leis para os gatos, mas eram muito duras para os ratos. E quando os ratos estiveram em situação cada vez mais e mais difícil, quando os ratos não puderam conseguir mais nada, decidiram que havia que fazer algo a respeito. Então foram em massa às urnas e votaram contra os gatos negros. E elegeram gatos brancos. Os gatos brancos haviam feito uma genial campanha. Disseram: “tudo o que Mouseland precisa é mais visão”. Disseram: “o problema de Mouseland são as entradas redondas das casas dos ratos. Si vocês nos elegerem, estabeleceremos entradas quadradas”. E assim fizeram. E as entradas quadradas eram duas vezes maior que as redondas. Agora os gatos podiam meter as suas duas patas. E a vida era mais dura do que nunca. Quando não puderam suportar mais, votaram contra os gatos brancos e elegeram os negros novamente. Depois regressaram os gatos brancos…, e outra vez os negros. Inclusive trataram de eleger gatos metade brancos e metade negros. Isto se denominou coalizão. Inclusive tentaram um governo composto de gatos malhados. Eram gatos que tentavam emitir o som de ratos…, mas que comiam como gatos. Vejam meus amigos, o problema não estava na cor dos gatos. O problema é que eram gatos. E porque eram gatos, eles naturalmente buscavam os interesses dos gatos e não dos ratos. Finalmente, chegou de longe um ratinho que teve uma idéia. Meus amigos, estejam atentos ao humilde companheiro com uma idéia. Ele disse aos outros ratos: “Olhem companheiros: “Porque continuamos a eleger um governo feito por gatos? Porque não elegemos um governo… feito por ratos? “Ohhhhhh”, disseram, “é um comunista”. E assim o colocaram na cadeia. Mas quero que recordar-lhes que podem prender um rato ou um homem, mas não podem prender uma idéia".

Responder

    Marcia Costa

    14/11/2010 - 09h41

    Belíisssimo vídeo. Esse Thomas era muito sagaz e objetivo. Maior divulgação seria recomendávle para que as pessoas entendam certas nuances do processo de escolha político.

    Zumbi dos Palmares

    15/11/2010 - 12h42

    Pois minha cara Marcia Costa, ajude a divulgar o video e a vida de Thomas Douglas, por favor, porque a grande batalha no Brasil vai ser travada em defesa de um sistema universal de saúde de qualidade, público, como foi feito no Canada. A gritaria da direita e dos interesses privados vai ser muito grande, porque para eles tudo se resume a lucros e a mítica "eficiencia do mercado". Para certos grupos só deve ter assistencia médica só quem pode pagar. Não são solidários, são eficientes em ganhar dinheiro.

    Marcia Costa

    15/11/2010 - 18h57

    Já enviei para minha lista de e-mails. Mas acho que o Azenha poderia colocar lá em cima para ficar em destaque (sugestão, moçada!!!)

Dagma Fonseca

13/11/2010 - 22h04

Realmente essa neta de nordetinos, disfaçou, disfarçou, mas não conseguiu esconder o preconceito contra o nordestino. Lula tem culpa? Tem, de corrigir um erro de vários presidentes que abandonaram os nordestinos durante tantos anos à sua propria sorte. Ele tem culpa de trazer o desenvolvimento para o nordeste e tirar da miséria pessoas que antes eram vista como mão de obra barata, para serem escravizadas nas casas da elite do sudeste. A Mayara e todos que pensam igual a ela, devem ser tratados com o rigor da lei,não tem desculpa. Vi nas entrevistas o derrotado do Serra afirmar que trataria o nordeste como as outras regiões.Claro que sim, pois o nordeste faz parte do Brasil, tanto quanto as outras regiões, ou pensava ele o contrario?.

Responder

LizdeLiz

13/11/2010 - 22h04

Gente, cada dia me sinto mais envergonhada… sou bacharel em direito e outro dia estava aqui neste mesmo blog acompanhando as discussões sobre os famigerados e infelizes comentários acerca do racismo e preconceito de uma jovem de apenas 21 anos, estudante do 6º período de uma faculdade de direito em SP. Lembrava-me das aulas de sociologia, antropologia, filosofia e ciência política, das quais me fizeram ser apresentadas por inúmeras obras de diversos autores, dentre eles Rousseau com seu Contrato Social e sua teoria de "homem nasce bom, a sociedade que o degenera". Nesta oportunidade criticava a estudante, cuja atitude supera qualquer sentimento repugnante e reprovável de um indivíduo em sociedade para com outro estabelecendo o que chamaria Rousseau um acordo para formação e construção dessa sociedade. Agora, me deparo com uma professora de uma faculdade de direito. Estou tentando fazer uma interligação racional, entre a "qualidade" da estudante e a postura da professora. Juro que prefiro não atribuir a "qualidade" daquela estudante e tantos outros pela postura de "defesa" e também acusação da professora. Estaria eu, fazendo o mesmo, generalizando pelos caminhos do preconceito. Porque eu como estudante de direito, soube trilhar os caminhos da biblioteca várias vezes, soube defender veementemente posturas reprováveis de alguns colegas. Isso significa, que nem todos os estudantes são iguais, e nem todos os professores são iguais. Senão, estaria a dizer que a postura dessa professora, reflete a opinião de todos os professores penalistas desse país. As opiniões de Lula apenas nos indicam uma realidade absurda nesse país, a realidade da desigualdade, do esquecimento de muitos, da marginalização por cor, credo, sexo, etc. E pra isso não precisa ser professor, basta acessar os sites oficiais do governo e tantos outros como IPEA e IBGE. Ou não é chocante saber que apenas 8% da população detém as maiores riquezas do nosso país. Me parece que falta a essa professora, assim como para a estudante um pouco mais de informação e um pouco mais de dados sobre história do Brasil. Me parece também, que cada dia que passa as pessoas cultivam mais suas "províncias" traduzindo suas atitudes em claro corporativismo. Mas tudo bem, vamos ser sensatos, talvez a professora, tal qual a estudante nunca saíram de seus quintais para ter uma 'leitura" da realidade assolada pela desigualdade social, cultural, educacional… Sempre digo que continuo acreditando nas pessoas, mas as vezes me encontro em pleno estado de descrédito… Fico entristecida com o emburrecimento ativo que brota em setores que justamente deveriam defender posturas em prol da boa construção da sociedade.

Responder

    Marcia Costa

    14/11/2010 - 09h43

    Perfeita colocação, Liz. Compartilho com você a mesma opinião e sentimento de tristeza diante da insensibilidade de certas pessoas.

Barbara_Luz

13/11/2010 - 21h35

Acabei de postar uma mensagem sobre a lógica da inversão – artigo sobre a polêmica Mayara e seus defensores. Sou de uma geração em que Polícia Federal era reconhecida pelo seus homens com cara de mau, óculos escuros, pagos pela ditadura para perseguir os que a ela faziam oposição. A polícia federal nos anos recentes reconstruiu sua imagem, está afzendo o que tem de fazer. Pessoas como o dep.Protógenes tem minha admiração, e lamentavelmente aqui reside mais uma vez a lógica do inversão dos valores éticos. Como disse o navegante Carlos citando Chico: chame ladrão! É cpaz da Falha de S.P. indicar Daniel Dantas para Ministro. O assunto é da Justiça, mas não terá algo que nós cidadãos possamos fazer para impedir esse desvario?

Responder

Barbara_Luz

13/11/2010 - 21h03

Não tenho nada com isso / Nem vem falar / Eu não consigo entender sua lógica – Caetano Veloso
Como a Profa, Heloisa, entendo também essa argumentação como a lógica da inversão.É assustadorr verificar que várias pessoas pensam a partir dessa lógica, elas acreditam de fato no que dizem. Outro dia, ouvi de uma pessoa que o problema do PT é que fica criando essa coisa de luta de classes que tanto mal já fez a humanidade. É como essa leitora Janaína, a composição da sociedade formada de ricos e pobres, não é mais uma questão social e histórica, é uma invenção do Pres. Lula, elite para ela tem outro significado, e ainda confunde tolerância com resignação. E o fechamento do discurso (?!) me lembrou o discorso do Serra.

Responder

Adriana Bergbahn

13/11/2010 - 21h01

Sabe fessora Janaina, pra vc ver como todo mundo é igual. Tem uma moça em SP, chamada Verônica. Ela tem um avô chileno e outro nascido na Mooca e está com a mesma raiva que vc por causa das eleições. Agora, já se vc está se candidatando pra ser a advogada da Mayara… Seria bom, né? Vc ia aparecer mais ainda… Mas acho que com seu avô pernambucano, sei não… acho que ela nem aceita.

Responder

Luiz Carlos

13/11/2010 - 20h37

Caramba! Quem tem aula de direito penal com uma professora desse nipe, está fadado (a) a falência ou a submissão – como no caso dela – à velha elite dominadora e preconceituosa. Afffff vou morrer e essas ervas daninhas não param de brotar…

Responder

Gerson Carneiro

13/11/2010 - 20h19

Pessoal,

pode me chamar de preconceituoso e os ziscambau… mas não vou esconder de vocês que fui pesquisar no google o currículo da criatura e pela foto, antes de ler os dados, pensei que fosse dancarina do É o Tchan, ou dançarina de palco do Gugu.

Responder

    Barbara_Luz

    13/11/2010 - 21h30

    Num guentei. Já que você falou, fui fazer a mesma coisa, e sabe? você muito generoso para com a moça.

valmir marques

13/11/2010 - 20h13

bom…ela é advogada né?
tem de dar um desconto…que se pode esperar??

Responder

yacov

13/11/2010 - 20h07

"É o nosso presidente quem faz questão de separar o Brasil em Norte e Sul…" Parei de ler o texto aí… Nem vou me dar ao trabalho de ler o resto. Começo a duvidar da sanidade mental da elite separatista paulista. Aliás, começo a duvidar, não, tenho certeza!!! Eles não tem merda nenhuma na cabeça, literlamentte. Mesmo um louco de carteinha lá do manicômio, que come cocô, tem alguma merda na cabeça. Mas, alí, na mente das elites paulistas, só o vácuo habita. Quanto ódio… Quanto ressentimento… Quanta asneira… Tudo para desqualificar a inclusão social promovida pelo governo. Que gente pobre de espírito. É de dar pena.

"O BRASIL PARA TODOS não passa na gloBO – O que passa na glOBo é um braZil para tOLOS"

Responder

Erica

13/11/2010 - 19h46

engraçado, achei que os professores da USP escreviam textos melhores, culpa do Lula? que original!!! rsrs

Responder

Cabeda

13/11/2010 - 19h37

É um indivíduo tão inepto que se limitou a repetir o slogan de campanha dos derrotados.

Responder

Antonio

13/11/2010 - 19h35

Inacreditável!!!!

Responder

Giovanni

13/11/2010 - 19h35

Caríssimos, Paulo Henrique Amorim tem tese semelhante à desta senhora. Segundo PHA, é óbvio ululante que o avião da Gol caiu porque o Lula não ligou o transponder do Legacy. Mas Lula conseguiu o completo domínio da midia e todos esconderam que, tambem, foi Lula quem arquitetou o 11 de setembro.
Cada uma…era mais fácil ela dizer que concorda com a Mayara.

Responder

    Cícero

    14/11/2010 - 02h28

    Exatamente: seria mais fácil e menos constrangedor pra ela dizer que concorda com o que a mayara disse. Seria uma declaração racista, porém mais coerente com o que ela defende.

Teo Ponciano

13/11/2010 - 19h32

Nem o frias lê esta M*, ele só manda escrever.

Responder

paulo pavaneli

13/11/2010 - 19h16

o que resultaria do cruzamento de reinaldo azevedo com janaina paschoal?

Responder

    Renan M. Baptista

    13/11/2010 - 20h38

    Seria algo como Alice no país das atrocidades!

    Cecilia Pontes

    14/11/2010 - 02h55

    a mayara petruso? ;D

Renan M. Baptista

13/11/2010 - 19h15

Ao que parece essa cidadã, em pleno gozo de suas faculdades mentais, estava ciente que durante a campanha eleitoral não são suspensos os preceitos legais (a menos daquela presepada de não sei quantas horas antes da eleição somente poder-se prender eleitores em flagrante, herança do período autoritário). Especialmente por se engajar no ambiente jurídico. Assim não há, como não houve, salvos-condutos para ilícitos penais.
Se estava ciente de suas ações, há que se responsabilizar por elas. Simples assim, sem maiores firulas jurídicas ou filosóficas que somente servirão àquela retórica odiosa de justificar graves subversões de direito pelo calor da discussão eleitoral.

Que queime na fogueira à la Joana D'Arch, e que a OAB de Pernambuco leve às últimas consequências essa iniciativa. Eu hein, era o que faltava.

Responder

Roberto L Batista

13/11/2010 - 18h36

Deprimente, lamentável, tosco o artigo desta advogada. A "infeliz" revela-se uma inveterada lutadora da causa tucana da pauliceia. Com certeza, seu vínculo às causas burguesas não permite saber o que pensa a maioria de seus pares das Universidades Estaduais Paulistas que foram simplesmente massacradospor Serra.

Responder

@Porra_Serra_

13/11/2010 - 18h19

Claro,
mais uma vez a culpa é do Lula.
Como não percebemos antes?

Responder

    Renan M. Baptista

    13/11/2010 - 20h41

    Felizmente a USP se fez representar por aqui através de alguém que postou outro ponto de vista, do contrário ficaríamos com a péssima impressão que até na USP impera o tucanismo de SP.

rubem

13/11/2010 - 18h13

Azenha, nós estamos dando muita "bola" para esses neofarsistas paulistas, não vamos nos esquecer que Dilma teve 46% de votos em São Paulo, não foi uma derrota fragorosa e que Lula ganhou em 2006 lá, então este pessoal "ladra" muito , mas não fala em nome do estado de São Paulo.

Responder

Marcos Toledo

13/11/2010 - 18h06

Trecho do texto do colega de BLOG Zumbi dos Palmares: "É por isso que nas favelas do Brasil só tem descendentes de austríacos." Eu ri. É muita cara de pau dessa advogada e professora que assina o texto principal. Por favor, menos!

Responder

Evandro Farias

13/11/2010 - 17h56

Sabemos muito bem que existem inimigos sim, que esses não são invisíveis como a Janaina cita acima. Sabemos também que a corda sempre quebra da lado mais fraco. Atitudes como essa da Mayara não fazem o menor sentido, e menor sentido ainda é não puni-la. Se fosse um nordestino falariam: Tavendo só, não teve educação….Olha só como esse povo além de pobre é preconceituoso…Colocar a culpa no Lula é muito mais fácil do que falar sobre o Serra no Twiter um dia antes da eleição!

Responder

Alessandro Lino

13/11/2010 - 17h53

O mais interessante nisso tudo é que tal da dr.Janaína fez,o que nem o próprio pai da menina o fez:defende-la.Recorram a entrevista do pai da Mayara e comprovarão o que digo!!!

Responder

Alexandre Tambelli

13/11/2010 - 17h40

Azenha e Pessoal!

Uma palavra em desuso define a argumentação dessa Advogada e Professora: DESPAUTÉRIO! Mais nada a dizer!

Responder

priscila presotto

13/11/2010 - 17h27

Simplesmente ri-dí-cu-la!
Apenas isso…

Responder

Armando do Prado

13/11/2010 - 17h17

Neymar também é um bom rapaz e pediu perdão a todos. Quanto aos fascistas atrasados em pelo menos 50 anos acho que precisam começar a gastar a sola dos sapatos e perceber que o Brasil mudou e que seu povo não é mais escravos de ninuguém. Professora da USP volte urgente aos estudos.

Responder

Gerson Carneiro

13/11/2010 - 17h13

"… sob o pretexto de se criarem falsos inimigos, falsas elites…"

O Índio da Costa, dom Luiz Gonzaga, Silas Malafaia, FHC, Marina Silva, Fernando Gabeira, Soninha, o próprio José Serra, ACM Neto, Artur Virgilio, Agripino Maia, Sandra Cureau e etc… todos a fim de cultivar uma amizade verdadeira com o Lula , e o Lula fica criando falsos inimigo. Esse Lula não presta, mesmo.

Responder

    José Manoel

    14/11/2010 - 10h24

    Eita timezinho brabo esse aí………………………………………..!!!!!!!!!!!!!!!! hahahahahahahahah! Vão se abraçar numa cobra cruzeira!!!!!!!!

Elizete

13/11/2010 - 17h11

É… como diria minha saudosa avó, o diabo vai, mais deixa o secretário, no caso digo, a professora Busserina, que através de sua análise procura defeder dar sustentação a ideais de uma determinada classe social, como bem definiu em poucas palavras a professora heloísa Fernandes, a quem parabenizo pela defesa de esclarecimentos a população, sem utilização de manobras alienantes, o oposto da dita Janaína. Acredito heloísa que você ten7ha lido bastante o nosso grande mestre Paulo Freire, um nordestino da mais alta competência em matéria de educação consciente.

Responder

Torrô

13/11/2010 - 17h02

Eis aí um texto que poderia virar bolinha de papel e ser jogado no lixo da história!!! Mais uma coisa me deixa encucado? O Maluf desviou um bilhão dos cofres publicos de SP, e quem elege ele?

Responder

Archibaldo S Braga

13/11/2010 - 16h54

professora dotora(sic) (assim mesmo) qual é o numero de sua carteirinha de filiação ao psdb! Francamente, o fato da senhora(sic) ser neta ou bisneta de pernambucano, não lhe aumemtam os neurônios!!! A. S. Braga – LEITEIRO!!!!

Responder

deomelgaco

13/11/2010 - 16h53

Minha nossa… agora os comentários da estudante são "supostamente racistas" e o Presidente da Republica é "Separatista" – um presidente com 83% de aprovação. Vou escrever por extenso para não deixar dúvida caso a "Dra." Janaína leia: OITENTA E TRÊS POR CENTO de aprovação. Me parece meio, digamos, esdrúxulo dizer que um presidente com essa aprovação em TODO O PAIS seja "separatista". Não há outra palavra para descrever essa professoara além de estupidez. Fico com pena dos alunos formados por ela, mas com mais pena do Brasil que terá que aturar esses profissionais.

Responder

Elizete

13/11/2010 - 16h51

Para você professora Janaína e para Mayara deixo um trecho da música do nosso saudoso cazuza "a burguesia fede, a burguesia quer ficar rica, enquanto ouver burguesia não vai haver poesia.

Responder

jose carlos

13/11/2010 - 16h50

A indiferença histórica que a elite paulistana tem pelo resto do país revela não somente sua ignorância política como sua insensibilidade social diante da desigualdade ao não buscar dimininuí-la pela distribuição de renda e aplicação de recursos em todo o território.
Essa distorção que busca um estatuto de verdade em uma porta-voz da elite para assegurar um suposto tom imparcial precisa ser desconstruída para que se revele a artimanha nefasta de reverter os fatos por uma interpretação que não somente peca pela indisfarçável vontade de distorcer a verdade, mas pelo compromisso ideológico com os privilégios dessa elite que disseminou o ódio entre os brasileiros através de uma campanha assentada na difamação, calúnia, mentira e trapaça. Tiveram o que mereceram e agora essa menina merece punição exemplar para que saibam que vivem em uma República na qual todos temos direito à cidadania plena e não apenas os paulistas do Morumbi.

Responder

jose carlos

13/11/2010 - 16h50

A retórica dessa professora de Direito, como se isto fosse uma comprovação da imparcialidade e da veracidade de suas afirmações tendenciosas, é um jogo artificial e sofismático que começa a se espalhar aqui e ali para inventar uma mentira como uma verdade, ou seja, que o responsável é o presidente.
O que a professora busca omitir e apagar, de acordo com uma orquestração surda provinda, provavelmente, da elite paulistana do psdb, é a responsabilidade política dessa elite ao propagar na campanha o ódio às diferenças. Imputar isto ao presidente é tirar a responsabilidade dos próprios atos e um artifício retórico de responsabilizar o outro por aquilo que compete a quem acusa.

Responder

Elizete

13/11/2010 - 16h46

É… gente o diabo se foi, mas deixou seus seguidores. O grande pecado da elite brasileira foi menosprezar a inteligência do povo, eles não se inovaram, continuaram pensando que meia dúzias de boatos seriam suficientes ainda surtiriam efeitos sobre a mentalidade do povo brasileiro. Não vislumbraram que há oito anos, os excluídos conseguiram acesso a educação. Por isso professores o futuro da conscientização popular está nas mãos de vocês. Mas é preciso estarmos atentos, vigilantes e distinguir o joio do trigo, qual seja; do professor comprometido com a coletividade, daqueles tipo essa professora, BUSERRINA

Responder

Vera Lucia

13/11/2010 - 16h39

Qdo comecei a ler pensei q poderia ser um "fake",entre tantos outros,inventados pela folha p manipular os seus alienados leitores. Mas acho q me enganei,ela deve existir mesmo,infelizmente.

Deve ser esse tipo de "professora" q encoraja atitudes como dessa neonazista Mayara.

Imagino o tipo de cliente q ela defende…temo só em pensar…

Ela tem q lavar a boca antes de falar do nosso querido Pres.LULA q é um ex p o mundo!

Certamente ela deve tbem condenar a luta de verdadeiros heróis como o EXMO SR NELSON MANDELA. Pessoas desse tipo é q o deixaram tantos anos na prisão,simplesmente pq ele n aceitava a segregação racial.

Essa mentalidade suja, infelizmente,ainda está espalhada pelo planeta.

E o PIG alimentando esses monstros….

Responder

Maria

13/11/2010 - 16h32

Estou surpresa com o artigo dessa professora da USP.É a USP já era mesmo…….. como diria meus colegas.Tenho até vergonha de ser professora.Meu Deus, que a nossa classe a desculpe.

Responder

Paulo (BH-MG)

13/11/2010 - 16h17

Infelizmente não me lembro o autor da frase, injustiça, mas vamos aos fatos
" nós pais, principalmente aqueles que vieram de classes mais pobres, procuramos dar a nossos filhos tudo o que não tivemos. Entretanto, esquecemos de dar o que tivemos"

Assim segue a humanidade:

Nossos jovens não tem limites. Os pais em busca de mais recursos financeiros para dar mais bem de consumo, não
acompanham mais a vida dos filhos e os suprem com o que o dinheiro pode dar e carinho e atenção ficam de fora.
Impera-se o ter e não o ser. è preciso se apresentar e mostrar o que tem para ser aceito. E a criminalidade cresce,
porque se não se pode comprar, toma-se;
Se você tem dinheiro ou crédito, gaste! você merece. "Você merece" é o pesadelo de muitas famílias endividadas;
Querer é poder, só não tem quem não luta. Aí ficam esquecidas as oportunidades que a maioria não tem;
Concluir o 3º Grau? Doutor! – Que injustiça aos Doutores! – o resto é raça inferior?
A maioria destes pais terão seus dias finais na solidão, porque não souberam capitalizar amor, humildade e solidariedade!

Responder

Herbert

13/11/2010 - 16h13

O que mais impressiona, além da malfada "lógica da inversão", é o "factoide" da "elite" brasileira e paulista: o Brasil não tem elite branca, não tem concentração de renda, não há abismos sociais… o Estado historicamente não financiou o surgimento da burguesia nacional, não acumulou riquezas nas mãos de pequenos "selecionados", as mansões de Higienópolis não foram construídas com financiamento imobiliário público… lembremos também que o "bolo" do Delfim Neto, na Ditadura, cresceu e foi dividido igualitariamente entre os brasileiros com base na "união" de toda a nação… como são ingratos esses nordestinos e pseudo-excluídos!

Responder

Maurição Lima

13/11/2010 - 16h12

Se Mayara tiver sua defesa entregue a advogada da marca da Janaína Pascoal, vai pegar cadeia braba. Praticamente disse que a culpa era do Lula. Muita cara de pau e falta de argumento. Na fala da Mayara e no artigo da Janaína, o mesmo argumento preconceituoso. A culpa é sempre do governo que elas não gostam. Se usasse jaqueta de couro, era igualzinha aos skinheads que espancam homossexuais nas noites paulistanas.

Responder

    Pedro

    14/11/2010 - 12h41

    Caro Maurição, o que essa coisinha ridícula chamada Mayara fez tem defesa??????

Baixada Carioca

13/11/2010 - 15h56

Definitivamente: caráter bom não se adquire na escola. Ou se tem, ou não se tem.

Responder

RINALDO FURRUPA

13/11/2010 - 15h44

É A CRISE DO ENSINO BRASILEIRO…COITADOS DOS ALUNOS DESSA DONA…
PERGUNTA…SERÁ QUE SÃO ALUNA E MESTRA???
É POR CONTA DESSAS CRIATURAS QUEO CICLO NUNCA SE FECHA…NUNCA ACABA O PRECONCEITO E A OBTUSIDADE…
VAMO VIVENDO…

Responder

Pedro

13/11/2010 - 15h43

É fessora, bons tempos aquele que a USP se colocava entre as melhores universidades do mundo. Pobre fessorinha da USP tem tanto orgulho dos seus títulos, mas a sua capacidade de convencer juntamente com seus argumentos tão estúpidos são de dar pena. Fessora coloca na sua cabecinha o seguinte: O Lula certamente não fez td que podia e devia, mas com certeza fez muito mais do que tds que já passaram pelo cargo que ele ocupa. Quanto a Mayara ,estou esperando o pronunciamento da justiça brasileira, pelo pouco que sei a respeito ela cometeu um crime inafiançável, logo é cadeia na certa. Mas temos que ir devagar com o andor, pois o santo é de barro e a justiça ainda é brasileira.

Responder

    Carlos Cruz

    14/11/2010 - 12h45

    A justiça brasileira tem algo mais importante a decidir: o Tititica sabe ou não ler e escrever? Ficar sem resposta destroi e causa instabilidade no trecido social. É um atentado ao estado brasileiro. Ora, onde já se viu, o Tiririca ser dep. federal? Sabe ou não sab? Importantissima lide. Já preconceito, racismo, fica pra depois. Não tem importancia, pois foi apenas uma opinião singela e terna sobre "aqueles do norte" do país. Mas o Tiririca…

Heitor

13/11/2010 - 15h43

…foi discriminação sim. E não adianta o argumento absurdo culpando o governo federal. A lei é clara. Que sofra as penas da lei apos seu julgamento…

Responder

Mauro

13/11/2010 - 15h30

Quanta desinformação ou uma maneira consciente de distorcer os fatos,mas podemos verificar que JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL*é resultado de anos de políticas aplicadas em nosso BRASIL onde as pessoas tinham que sair da sua terra natal afim de conseguirem algo melhor isto fez com que muitos acreditassem ser o correto e é claro com essa escola tendem a serem contra o desenvolvimento do BRASIL como um todo distribuição de renda nem pensar pois eles venceram é assim que tem de ser .Esta pobre visão leva diretamente ao preconceito,a arrogância ,ainda bem que o BRASIL VAI CONTINUAR MUDANDO E INOVANDO COM DILMA

Responder

Helenice

13/11/2010 - 15h26

A tese da "digníssima" professora Janaina é análoga àquela que condena a mulher estuprada por ter "seduzido" o estuprador. É de arrepiar. E pensar que essa concepção de mundo está na mente de muitos daqueles a quem, imaginamos, podemos recorrer para nos defender das injustiças…

Responder

PauloMSM

13/11/2010 - 15h11

Se fosse uma "negona" e "paraíba" dizendo o mesmo que mayara disse sobre os paulistas e brancos, já tava numa penitenciária masculina numa cela com 100 homens a estuprando todo dia, e sem direito a julgamento.

Responder

Maria Thereza

13/11/2010 - 14h59

É muito difícil entrar na faculdade, no mestrado, no doutorado. Mas, sair com o canudo na mão é a coisa mais fácil do mundo. Daí, com essas "credenciais", vira-se professor se esconde atrás da fachada de uma outrora prestigiada universidade e desanda afalar sandices, sem um mínimo de crítica (ou auto-crítica). Sugiro ENEM periódico da garduação ao pós-doutorado. Não para cercear opiniões, mas para que sejam desenvolvidas coisas básicas: argumentação clara, embasada, raciocínio lógico e encadeado e o mínimo de honestidade nas análises. Transformar algoz em vítima é muito contorcionismo (ia dizer intelectual, mas acho que não cabe o termo).

Responder

Zé Francisco

13/11/2010 - 14h46

Eu absolvo a Mayara com a maior facilidade.

Modéstia parte, sou muito melhor que esta professora de direito penal da USP, aliás as arcadas já foi melhor.

A tese é simples: A Mayara veste um gibão de couro, um chapéu também de couro com as aba frontal ereta e adornada por estrelas metálicas, convoca uma coletiva e pede mil desculpas ao povo brasileiro, argumentando que sua alma contaminou-se pela campanha odiosa do Zé Chirico Ladeira a Baixo. Depois, convida a imprensa pra almoçar uma carne seca com manteiga na garrafa e feijão de corda. Ao final, paga a conta e dança um baião. Pronto, quem nunca pecou que atire a primeira pedra; tenho dito, a menina tá absolvida. Ah, pra finalizar, pega o artigo da tal professora, faz uma bolinha e joga na cabeça do Itagiba rsrs. Porém, se lhe faltar vontade para isso, não há tese que lha absolva.

Responder

Zumbi dos palmares

13/11/2010 - 14h39

Claro professora, o Brasil é muito unido! O mendingo que está na calçada é livre para morrer de frio ou queimado, assim como um indio. As periferias do Brasil tem clubes, escolas decentes, parques de diversão para as crianças, hospitais excelentes. O nordeste então, é um exemplo de desenvolvimento promovido no últimos duzentos anos por este Brasil unido. A união se manifesta quando se abaixa os vidros do carro quando uma criança pede algo no farol. A igualdade de oportunidades no Brasil é histórica, principalmento depois que aboliram a escravidão, ha mais ou menos 5 gerações. É por isso que nas favelas do Brasil só tem descendente de austríacos. Tdo mundo fala a mesma lingua, uns para reclamar da triste vida que levam, outros para pedir a cabeça desta gente, já que a sua voz incomoda. A voz do pobre que não tem curso superior, que balbucia um português imperfeito, não pode votar. Salvemos o Brasil, dos pobres, tudo pela união! A campanha do PSDB desqualificou os pobres e nordestinos, depois publicou um mapa! Um mapa que divide o Brasil em vermelho e azul. Quiz roubar-lhes a condição de cidadão. A voz do presidente que não articula inglês não pode governar! Em que mundo a senhora vive dona? Conseguiu o grau sem descobrir que temos dois Brasis. É uma pena constatar o seu descolamento da realidade, partindo de um profissional que lida com a fronteira entre a liberdade, a igualdade, a fraternidade, de um lado, a democracia para o iguais, e, de outro lado, a barbárie secular que impera no Brasil. Abra o olho e veja.

Responder

    Jânio Feitosa

    13/11/2010 - 22h59

    Parabéns pelo texto, caro Zumbi, você simplesmente deu uma aula de CIDADANIA E BRASILIDADE e essa professorinha… que pena.

Rui

13/11/2010 - 14h31

Reescrevam o texto trocando "paulista" por branco caucasiano e "nordestino" por "preto". Viram? É fácil ficar escrevendo texto cabeça sobre preconceito quando se está no lado dos que o têm. A propósito, os skin heads paulistas levariam uma grande surra dos Skin Heads europeus. Sabem o porquê? Arrá , Isso mesmo!

Responder

    ZePovinho

    13/11/2010 - 17h28

    Eu sei.Os skins heads paulistas são vira-latas como todos nós brasileiros.Aqui todo mundo é misturado.Só na cabeça deles é que existe o branco brasileiro.

WAGNER B. FERREIRA

13/11/2010 - 14h29

Depois do que disse a professora Heloísa Fernandes não há mais o que acrescentar : perfeito.

Responder

Paulo

13/11/2010 - 14h25

Péssima!!

Responder

matheus santos

13/11/2010 - 14h25

Não quero tacar lenha na fogueira acesa pela Mayara, mas lembrem-se de que foram os nordestinos que expulsaram do cenário polítco velhos caciques da elite reacionária (reacionária porque tem a elite que abriu os seus olhos sim) e São Paulo foi protagonista da reeleição de uma projeto que a 20 anos mostra que não dá certo, eleição do palhaço Tiririca à deputado federal mais votado no país (se eleito tem que legislar) e não podemos nos esquecer do eterno Paulo Maluf (Paulo Maluf faz o futuro acontecer, kkkkkkkkkk). Pelo amor de Deus (agora eu posso falar de Deus antes era questão eleitoreira) fecham o bico da Mayara (desmoralizada pelo próprio pai) e dessa professora não estão ajudando em nada.

Responder

matheus santos

13/11/2010 - 14h25

Eu não acredito no que eu to lendo. Agradeço ao Azenha pela nota, e ter colocado a tese da virada-de-mesa, onde a vítima torna-se o culpado e o culpado a vítima. A estudante Mayara foi preconceituosa e falou o que muitos paulistas pensam, só ver a repercussão negativa. Lula é o cara do separatismo né, o primeiro presidente eleito que é operário e que ofereceu a nação de a chance de eleger a primeira mulher a presidência, é separatista? Tá bom então …

Responder

Luiz Fortaleza

13/11/2010 - 14h21

Nunca pensei q fosse conhecer doutoras burras

Responder

ADRIANA

13/11/2010 - 14h20

Sou nordestina e discordo completamente desse comentário, acompanho as eleições para presidente deste o início e sempre vi , ouvi e presenciei comentários racistas contra nordestinos dos simpatizantes do Serra, principalmente a mídia que deixava bem claro que era elite pensante e apoiava o Tucano. SEMPRE, E PRINCIPALMENTE AGORA ,TANTO O SERRA COMO O PSDB FICARAM CALADOS, nunca se posicionaram contra esse preconceito,e todos sabem que quem cala consente!!.Sra JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL fale por si só, ou a sra. é mal informada ou está fazendo campanha a favor do SERRA, e pior, tentando colocar a culpa em quem não TEM….COMO NO EPISÓDIO DA BOLINHA DE PAPEL!!..

Responder

Luiz Fortaleza

13/11/2010 - 14h14

Quanta besteira essa advogada falou, achando que está arrasando nesse discurso verborrágico, diria, burro. Me poupe de argumentos tão fracos que se desmancham no ar se fosse para uma banca de tese. Defender o indefensável e ainda mentira dizendo q Lula está promovendo o separatismo no País? Essa cultura separatista já vem do RGS e SP. Uma cultura idiota e nonsense. Se eu fosse esta advogada Janaína, jogaria o diploma na lata do lixo. Não ache q uma linguagem bem escrita significa conteúdo verdadeiro e real. Seu discurso foi a coisa mais absurda q já li.

Responder

    Favero Paula

    14/11/2010 - 14h47

    Olá Luiz
    Concordo com você. Mas como morador do RS te digo com fonte segura que os ditos separatistas são os burros de plantão, uma minoria atrasada, inculta e conservadora, que não conhece a grandeza do Brasil. Vivem a propagar idéias surreais e assim vão atrasando a cultura geral. Não podemos generalizar. Hoje em dia, Eu e alguns amigos meus idealizamos a capacidade do Pessoal do Nordeste de superar os currais eleitorais de antigos coronéis e de LANÇAR lideranças novas. Coisa rara por aqui. Hoje o atraso vem de SP e infelizmente do Sul, salvo é claro casos ou ilhas de esperança. Mas com esforço em conjunto nós também vamos conseguir. Afinal somos todos Brasileiros.

Adriana Carvalho

13/11/2010 - 14h11

Sou nordestina e discordo completamente desse comentário, acompanho as eleições para presidente deste o início e sempre vi , ouvi e presenciei comentários racistas contra nordestinos dos simpatizantes do Serra, principalmente a mídia que deixava bem claro que era elite pensante e apoiava o Tucano. SEMPRE, E PRINCIPALMENTE AGORA ,TANTO O SERRA COMO O PSDB FICARAM CALADOS, nunca se posicionaram contra esse preconceito,e todos sabem que quem cala consente!!.Sra JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL fale por si só, ou a sra. é mal informada ou está fazendo campanha a favor do SERRA e pior tentando colocar a culpa em quem não TEM….COMO NO EPISÓDIO DA BOLINHA DE PAPEL!!..

Responder

Elizete

13/11/2010 - 14h09

Se Mayara for julgada culpada,sugiro que o Juiz lhe aplique uma pena educativa,pois ainda é bastante jovem e tem capacidade de rever suas atitudes. A pena seria então, ela passar uma semana nos canaviais do nordeste junto com os trabalhadores, que muitas vezes, coitados morrem de exaustão pelo excesso de serviço. A comida é uma lata de farinha com peixe seco, pois não lhe resta outra forma de alimento. Ela nem precisaria por a mão na massa, apenas acompnha-los uma semana. Aí, sim acredito que iria pedir perdão das besteiras que falou.

Responder

Frederico - RJ

13/11/2010 - 13h56

É dar muita trela para uma professora que cultiva anti-intelectualismo e se informa no que há de mais rasteiro do jornalismo brasileiro. Tirado do site da veja:

29/10/2010
às 12:01
Um comentário de Janaina Paschoal, professora de Direito Penal da USP

Recebi o seguinte comentário da professora Janaina Conceição Paschoal. Volto em seguida:

Caro Reinaldo,
Sou advogada e professora de Direito Penal na USP. Quando da apreensão dos folhetos contrários ao aborto, revi toda a legislação eleitoral e posso AFIRMAR categoricamente que não há qualquer dispositivo que justifique a censura sofrida pelos católicos. Também nada justifica a intervenção da Polícia Federal, ou de qualquer órgão ligado à Justiça Penal. Quando das apreensões, cheguei a enviar e-mails para alguns jornais, dando meu humilde parecer nesse sentido, mas não obtive resposta. Desenvolvi, na Faculdade, em sede de pós- graduação, a disciplina Direito Penal e Religião. Chegamos à conclusão de que os “intelectuais” confundem Estado laico com Estado ATEU. E, em termos de censura, a Igreja católica, na atualidade, é a mais perseguida. Falo isso com tranquilidade, até por não ser católica. Neste país, temos liberdade de falar, desde que seja para concordar. Simples assim. Parabéns pelo excelente trabalho que tem feito ao Brasil. Logo mais, estarei no Largo São Francisco (do lado de fora, conforme manda a lei) para engrossar a caminhada a favor de Serra e contra tudo o que a opositora representa de atraso e ilegalidade. Abraço grande, Janaina Paschoal.

Comento
Eis aí, meus caros! Os petralhas jamais entenderão qual é a minha real fonte de satisfação nesse trabalho. Eles pensam que quero ganhar eleições. Mas eu não disputo nada. Eu só busco clareza. Essa é a minha vitória. Quanto às eleições, vamos ver.
Por Reinaldo Azevedo

Responder

    El Cid

    13/11/2010 - 14h26

    Frederico, isso que vi acima foi uma questão simples de saneamento: foi um "esgoto" se comunicando com outro "esgoto"…

    … eles se merecem !!

    Maria Luiza

    13/11/2010 - 17h41

    Simplesmente ridícula e medíocre. Nada sabe sobre filosofia ou sociologia. Não sei onde ela foi pesquisar para afirmar que intelectuais confundem laicidade com ateísmo. Coitados dos alunos dessa triste figura. Uma coisa dessa aí pega mal para a USP…

    yacov

    13/11/2010 - 20h19

    Então tá, Reinaldo Lewinsky Azevedo. Você está buscando apenas a clareza, né?!?!? Evidentemente que esta "clareza", nada tem a ver com a manutenção do "Status Quo" e por tabela, um mundinho torpe onde um borra-botas, um lambe-saco, dos poderosos, como você, é tido como jornalista e gênio, não é mesmo!?!? Me engana que eu gosto.

    "O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glOBo é um braZil para TOLOS"

SERGINHO

13/11/2010 - 13h53

HUMMMM acredito que ja ouvi isto em algum lugar, talvez em algum escrito de Friedrich Nietzsche, ou de Kafka ou de algum Goebels da vida ou seja a coisa LIDA e sentida nada mais é ao meu ver que NAZISMO, infelizmente é isso mesmo jogamos nos outros nossos mais baixos sentimentos e preconceitos, hummmm qua horror…. que triste.

Responder

    Carlos Cruz

    14/11/2010 - 12h49

    Acredito que ela foi formada na mesma faculdade do Serra…

Elizete

13/11/2010 - 13h49

Sabe… gente pensando cá com meus botões a respeito de tanta infâmia, metaforicamente me reporto a um remoto tempo bíblico; quando Jesus andou no mundo, incomodou a muitos porque suas ações trouxeram trasformações paradigmais. Acredito que é isto, que está causando tanta inquietação, as mudanças ocorridas com a política do governo Lula. "não se atira pedra em árvore que não da frutos".

Responder

Diogo

13/11/2010 - 13h38

Bah, não consegui chegar nem ao terceiro parágrafo. Esse é o tipo de lixo que se lê na Folha de São Paulo?
Prometo não reclamar mais tanto do Zero Hora depois dessa.
Pobres leitores da Folha, cada vez mais distantes do Brasil.

Responder

    Roberto

    13/11/2010 - 14h57

    Caro Diogo, concordo que a folha é um lixo, mas não se deixa enganar, pois a Zero Hora é lixo igual!! Canselei minha assinatura depois dessas eleições.

Eridan

13/11/2010 - 13h18

Essa "Pachoal" é uma piada. Eu lia e ria ao mesmo tempo. Incrível como eles ainda acham que detém o poder de convencimento de outrora. risos, risos e mais risos…

Responder

Elizete

13/11/2010 - 13h11

Sabe… fico pensando quando essa professora buserrina diz que Lula instinga o prococeito de classes. Na verdade Lula utiliza o método, não tenho certeza, mais acho que do Rui barbosa "tratar com desigualdade os desiguais" ou seja, implemetar uma política justa, que diminua as digualdades sociais. E… essa tonta fica distorcendo uma intenção tão humana brilhante, CORAJOSA do nosso presidente. Se não for Rui Barbosa me corrijam!

Responder

    Simone

    14/11/2010 - 00h41

    Você está certa !!! Trata-se do princípio da isonomia, que Rui Barbosa assim definia: “Todos são iguais perante a lei e esta igualdade se desiguala na proporção em que as pessoas se desigualam entre si”.

    Na verdade a isonomia é lei constitucional.

    O princípio da isonomia está consagrado no art. 5º, caput, da CF “todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza”.
    Também está disperso por vários outros dispositivos constitucionais, tendo em vista a preocupação da Carta Magna em concretizar o direito a igualdade.
    Cabe citar os mais importantes: a) igualdade racial (art. 4º, VIII); b) igualdade entre os sexos (art. 5º, I); c) igualdade de credo religioso (art. 5º, VIII); d) igualdade jurisdicional (art. 5º, XXXVII); e) igualdade de credo religioso (art. 5º, VIII); f) igualdade trabalhista (art. 7º, XXXII); h) igualdade tributária (art. 150, II); h) nas relação internacionais (art. 4º, V); i) nas relações de trabalho (art. 7º, XXX, XXXI, XXXII e XXXIV); j) na organização política (art. 19, III); l) na administração pública (art. 37, I).
    A isonomia deve ser efetiva com a igualdade da lei (a lei não poderá fazer nenhuma discriminação) e o da igualdade perante a lei (não deve haver discriminação na aplicação da lei).
    Fundamento: todos nascem e vivem com os mesmos direitos e obrigações perante o Estado.
    Conceito: consiste em tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais.

Leonardo

13/11/2010 - 13h07

Desde D. João VI que o Brasil é tratado da Bahia para baixo. Não foi à toa que o descaso com o Nordeste resultou em invasões francesas e holandesas.
vivemos em uma Federação. É fato que o princípio da igualdade reflete-se no tratar os desiguais de forma desigual.
O Norte e o Nordeste precisam de medidas compensatórias. Se assim não for, reativemos a Confederação do Equador.

Responder

Sergio F. Castro

13/11/2010 - 13h05

Estou começando a ficar preocupado… Esta minoria desprezivel racista e separatista está começando a ter sucesso em criar um clima de hostilidade generalizado contra SP e os Paulistas, o que será péssimo para o nosso Brasil, vamos nos acautelar e tentar conter esta onda no nascedouro, na pocilga (que me perdoem os porcos) de onde levanta sua medonha cabeça.

Responder

    Jr.

    14/11/2010 - 00h30

    Concordo com você, Sérgio. É triste ver como todos utilizam os termos 'paulista', 'paulistana', como se todos os paulistas concordassem com esse absurdo. Como paulista, fico envergonhado com esse fato.

Raymundo Silveira

13/11/2010 - 13h00

Essas ideias não são dessa doutora. Ela deve ter copiado este texto de "O Mito do Século XX". De Alfred Rosenberg.

Responder

Ponte

13/11/2010 - 13h00

Senhores,

Estão dando importância demasiadamente ao nada, mas ao nada mesmo.

Responder

    Maria Luiza

    13/11/2010 - 17h43

    Concordo plenamente!

Luiz Henrique

13/11/2010 - 12h57

Me espanta uma pessoa com uma mentalidade de galinha ser professora de direito. hum!

Responder

Graça fontelles

13/11/2010 - 12h55

Só tenho uma palavra. CRETINICE!!!

Responder

Elizete

13/11/2010 - 12h55

Essa dita professora, quer nos fazer acreditar que não existe o APARTHAID SOCIAL NO BRASIL, por que não te calas! Mas, a maldade é como uma erva daninha tenta de todas as formas se enraizar. Na verdade a professora malfserraína encontra-se como a maioria de sua turma, com medo de perder os privilègios, pois em sua ignorância e estupidez, acredita, naquela velha teoria, que não há espaços para todos.

Responder

VIÇOSO

13/11/2010 - 12h54

Argumentações ridiculas da Excia Drª Janaina Conceição Pascoal, prefiro o TIRIRICA. pela sua sutileza, simplicidade e autenticidade. O primeiro presidente operário e nordestino LUIZ INACIO LULA DA SILVA foi o melhor Presidente da Republica do Brasil. É autodidata. Veio das camadas populares, sente e sabe das dificuldades de seu povo. Chega de teoria e conversa fiada. Querer navegar pelo mundo a dialética, para dar a impressão que suas argumentações são empíricas. Este seu proselitismo não convence ninguém. Viva LULA. Viva DILMA.

Responder

Leonardo Câmara

13/11/2010 - 12h48

E a destemperada é professora de direito penal. Bom ela acusa a campanha da situação, na figura do atual presidente, de ter feito uma campanha divisionista. Pergunta-se: aonde estão as provas?

Pode ser neta de nordestinos, mas isso nada significa, pois elitismo (econômico) tem em todo lugar. Ou será que os descendentes de ACM não são ao mesmo tempo nordestinos e da elite brasileira. Na cabeça dela elite é isso: Sul x Norte?

Começo a duvidar da competência da banca que aprovou a professora para o cargo no magistério superior público do Estado de São Paulo. No mínimo devem estar com vergonha…

Responder

    Gerson Carneiro

    13/11/2010 - 16h59

    Eu já acho que a aprovação dessa figura aí pode ser parte de um plano para enfraquecer a universidade e depois privatizar. Sabotagem mesmo. Lembra o que eles faziam com a Petrobrás? Eles são expert no uso dessa estratégia.

Elizete

13/11/2010 - 12h45

É… bem disse a amiga navegante, essa criatura, a dita professora Janaína só pode ser do PSDB mesmo, pois infelizmente no meu local de trabalho convivo com bastante deles e algo que me chama a atenção é a INCOMPETÊNCIA, eu até brinco, dessa forma: parece que um dos critérios para inserção no PSDB é a incompetência. Êta, gentinha sem noção! Ridídula.

Responder

Roberto

13/11/2010 - 12h43

A verdade é uma só: falando com pessoas após a eleião, fingindo que votei na Direita, ouvi das bocas deles a indiferença e insatisfação de serem governados por um homem que não tem o curso superior. Não sei se existe faculdade de Política, mas se existe, o Lula é professor. Sempre fomos governados por homens com curso superiores, e o Brasil sempre foi tratado lá fora como uma Aldeia (não de Índios, mas, como pessoas inferiores). Isso porque, o PSDB vive falando mal do PT, com isso, engloba todos. Tudo que acontece eles dizem que foi um Petista, caiu uma blusa nos trilhos do metro de SP, disseram que foi um petista. O que eles querem é generalizar ligar tudo de mal ao PT com isso, pegar o principal: o LULA. É pra isso que serve curso superio? Não é, e não podemos deixar que eles façam isso.

Responder

Ana

13/11/2010 - 12h42

Onde essa gente vive? O que é isso que essas Amélias: Janainas e Mayaras falam, minha gente? Elas ainda não pararam de brincar de bonecas!
Definitivamente não vivem no Brasil, são como aqueles extrangeiros que dizem que a capital do Brasil é Buenos Aires.

Responder

Marco Galo

13/11/2010 - 12h38

Isso explica o porque do nível de ensino da Faculdade de Direito da USP ter caído tanto. Com professoras como a fulaninha, fica mais fácil entender.
Atualmente a fama de excelência da faculdade do Largo São Francisco se sustenta muito mais pelo "nome", porque o ensino em si está cada vez pior. É uma pena, pois os seus alunos batalham muito para conseguir estudar lá.

Responder

PETISTA/REVOLTADO

13/11/2010 - 12h32

ESTA MULHER É PROFESSORA NA USP? MAS BÁÁÁÁ…. TA BEM MALLL DE PROFESSORA ESTA UNIVERSIDADE EM THE.

Responder

    pedro

    13/11/2010 - 19h37

    Está mal mesmo. Os tucanos estão acabando com a USP para poder privatizá-la.

Marat

13/11/2010 - 12h26

Janaína é adevogada ou rábula?

Responder

Lucila

13/11/2010 - 12h13

A professra fez parte da coordenação da campanha do Zé Puxadinho.

Responder

José de Queiroz

13/11/2010 - 12h04

A Mayara é aluna de direito. A coisa teria sido bem pior se tivesse tido Janaína como professora. Mas poderá contratá-la como advogada em sua defesa, desde que a mesma melhore o texto que escreveu. Com este aí, existiria o risco da Mayara ser condenada e a própria advogada também ser processada pelo mesmo motivo que a sua cliente foi.

Responder

    Fernando Gonzales

    13/11/2010 - 13h19

    Olha José eu ía fazer um comentário meio que longo, mas voce em poucas palavras disse tudo o que eu queria. Parabens.

@Emanuel13PT

13/11/2010 - 12h00

Seria demais pensar, que a Mayara teria sido, uma compenetrada, aluna da então digníssima, esclarecedora, professora e advogada, JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL? Ou seria exato pensar, que permeiam em todas as esferas, em todas as camados sociais, pessoas com a mesma doença da estudante Mayara?

Responder

Leider_Lincoln

13/11/2010 - 12h00

Aliás, vendo as palavras vomitadas pela "doutora" me lembro de relatos que li de soldados nazistas que não entendiam o ódio que os russos lhes devotavam. E fico pensando que esta brilhante criatura, se fosse chamada a Nurembergue, defenderia os carrascos argumentando que a culpa era de Stalin, ou dos judeus, que resistiram.
Metade dos cursos de direito da Terra está no Brasil: http://professorrafaelporcari.blog.terra.com.br/2… . Explica-se por que precisamos de tantas faculdades. Dado o nível desta doutora e da tal racista, a Mayara, vê-se que tipo de gente estes cursos andam formando…

Responder

José de Queiroz

13/11/2010 - 11h55

"Mayara é um resultado da política separatista há anos incentivada pelo governo federal."

Não seria o contrário. Pelo que estamos vendo, o que Lula vem fazendo é exatamente o inverso, colocar o Norte e Nordeste no mapa do Brasil. está tentando juntar o que estava separado. É isto que anda incomodando muitas pessoas; não estão gostando que estas regiões deixem de ser senzalas. Porém sei que muitos do Sul e Sudeste não pensam assim e que não podemos generalizar.

Gostaria de saber se a Dra. Janaína escreveria uma defesa neste mesmo teor, se a frase que gerou toda essa polêmica tivesse partido de um Nordestino incentivando o afogamento de Paulistas? Ela seria advogada de defesa como agora ou de acusação? Somente ela poderá responder.

Responder

Euler Conrado

13/11/2010 - 11h55

A advogada é uma típica eleitora-padrão dos demotucanos. Os culpados são os de baixo, os pobres, os nordestinos. Não existe elite privilegiada no Brasil, nem discriminação étinica e racial, muito menos desigualdade social, em que alguns poucos se apropriam de quase toda a riqueza produzida por milhões de pessoas. Isso é mera falácia! O Brasil é o paraíso, e só não vive neste paraíso quem não consegue vê-lo. É uma questão subjetiva: basta a vontade. As desigualdades sociais e regionais são culpa de quem as denuncia, envenenando o ambiente e com isso produzindo as Mayras da vida. As vítimas são as Mayras, não os pobres, os negros, os homossexuais, as mulheres, os nordestinos… Eis o perfil psicológico e de caráter até, dos eleitores-seguidores de elite dos demotucanos.

Responder

Leider_Lincoln

13/11/2010 - 11h54

Peraí, como assim "supostamente convocando paulistas a afogar nordestinos"? Então "ajude São Paulo: afogue um nordestino" é só "suposto"? E a filhinha mimada e XXX (sinônimo de estudante de faculdade particular) é uma "vítima"? E a parte do "falsas elites, pretensos descontentes com as benesses conferidas aos pobres e aos necessitados." Então não há elites, como não há rascismo no Brasil de Kamel? E há apenas "pretensos descontentes"? Essa "doutora" é uma das criaturas mais pseudas que eu já tive o desprazer de ler…

Responder

joni

13/11/2010 - 11h51

Vivemos numa democracia e todos têm o direito de dar a sua opinião. Mas, em se tratando de uma professora, da considerada melhor Universidade do país, espera-se que seus argumentos sejam consistentes, e não simplistas. Podemos ser oposição ao governo, é bom e necessário, mas dizer que o Presidente Lula dividiu o Brasil, quando, na verdade, com suas políticas públicas ele uniu e incluiu, é desconhecer, ou desconsiderar a história passada e recente do nosso país. Fora dos meios acadêmicos, e da TV, existe, sim, vida inteligente, que pesquisa, analisa e tira suas próprias conclusões.

Responder

Sandra

13/11/2010 - 11h51

Cada linha da carta da professora exala tucanismo em estado primitivo. Quer dizer, então, que a elite brasileira é um factóide? Disso se pode entender que nós somos um pais onde a igualdade impera, onde não existe um fosso entre a renda dos mais pobres e dos mais ricos? Como socióloga, a professora se mostra uma péssima advogada!

Responder

maisquesaco

13/11/2010 - 11h47

Precisa avisar a Janaina sem acento que não foi o Lula quem criou o elevador de serviço.

Responder

    Baixada Carioca

    13/11/2010 - 16h09

    Ela sabe e acha que ele foi reservado para o presidente Lula e seus conterrâneos. Falta-lhe estruturas fundamentais de ser humano nela: coração e cérebro.

Fernando

13/11/2010 - 11h46

Olha, acho que é por causa de professoras assim que surgem as Mayaras.
Fazia tempo que eu não lia algo tão absurdo.

Responder

Zé Francisco

13/11/2010 - 11h43

A OAB e as Arcadas não são mais as mesmas. Quanta diferença!

Responder

augustinho

13/11/2010 - 11h40

o que eu consigo entender disto, desta manifestaçao legitima de janaina, é que esta havendo graças a Lula, duas ou tres coisas, duas ou tres linhas de atuaçao lulista, que estao incomodando a classe media e rica sulista.
A reduçao deliberada das disparidades regionais é uma.
A identificaçao de politicas de governos anteriores como sendo de pro-rico e pro manutençao do abismo anterior entre pessoas e regiões só pode ser a outra. Nao queriam que isso ficasse explícito.
Pois sou de SP e como cidadão me posiciono pela reduçao mais rapida das disparidades regionais. E pela reduçao deliberada da desigualdade social. Esta desigualdade brutal é o maior problema do país. E para combate-la SO tendo CONSICENCIA que ela existe e faz mal ao pais.
Sinto muito, janaina.

Responder

Lucila

13/11/2010 - 11h39

Afonso,
Professor associado é um cargo que corresponde ao penúltimo grau da carreira docente na USP, é o pofessor livre docente. O último gau é o professor titular antigamente chamado de catedrático.
Lenbrando que hoje para ser professor na USP é exigido ter o doutorado.

Responder

Pedro

13/11/2010 - 11h39

O Brasil sempre foi um exemplo de União? Durante o período monárquico conhecido como regência, o país passou por incontáveis insurgências, por todo o território — nas escolas nos aprofundávamos em pelo menos dez, a parte das demais, não menos importantes por isto. Tais revoltas denunciaram o plano centralizador do governo monárquico, que fazia da região sudeste a mais rica do país e relegava ao esquecimento as demais.

Não foi nenhum pouco diferente durante a Primeira República, tampouco nos períodos subsequentes; o ciclo não parecia findar, inclusive com a política dos coronéis, que veio a dar mais força ao latifúndio.

Por fim, não é culpa deste ou daquele presidente (uma acusação precoce e ridícula, devo dizer) que tenhamos sim, divisões tão gritantes; ele não é o culpado por denotar as diferenças, estas encontram suas razões na história. Agora, não endereçar essa problemática, isto sim, é algo tão culpável quanto fingir, como você espera que fosse feito, que nada aconteceu e que as diferenças ainda persistem.

Responder

Paulo Cavalcanti

13/11/2010 - 11h38

Minha mãe, dizia do alto de sua sabedoria de sertaneja do nordeste: "Tem gente, que estuda prá ser besta" – e o caso da D. Janaína.

Responder

    Gersier

    13/11/2010 - 11h55

    Já ouvi uma derivação dessa frase: "Tem gente que quanto mais estudo tem,mais estúpido se torna".

    Cristina

    13/11/2010 - 12h19

    com certeza… quanta ignorância!

Alessandro Lino

13/11/2010 - 11h36

Quem é paulista nessa terra de meus Deus?Somos todos descendentes de índios,negros, nordestinos etc.É muito triste,uma estudante de direito sequer ter lições preliminares de História,e mais especificamente (na área onde atuaria,sei lá) de direitos humanos.É o preconceito mais recôndito,que essa pretensa elite paulista apresenta.Ela só foi a boba da corte que pôs a cara pra bater,junto com outros inconformados de viverem numa democracia, expuseram. Agora,sobre o que a professora Janaína disse sobre o preconceito que o Serra sofreu por ser "paulista" é o fim da picada.Ela se esquece da famigerada entrevista onde ele,candidato a governador,disse que a culpa da queda de aprendizagem no estado era culpa do migrante nordestino. Isentando-se da incompetência de gerir a educação publica em São Paulo.
Fora, que ainda esse ano em um debate ouvi de sua própria boca sobre "bandidos baianos" ,é pra acabar mesmo.

Responder

@luciene_myikha

13/11/2010 - 11h25

Quer dizer então que foi o Lula que incentivou o separatismo, né ? Ahã, então tá.

Responder

Bruno

13/11/2010 - 11h16

Janaina,

Vc defende a Mayara porquepensa igual a ela.

Responder

SCarlos

13/11/2010 - 11h14

A visão da "Dra." é tão cega à diversidade que ela jura que no Brasil fala-se uma só língua. E a língua das quase duzentas etnias indígenas? E a língua das dezenas de comunidades de emigrados?

Responder

cesar a giometti

13/11/2010 - 10h58

continuando : Agora, me parece que a sua defesa não leva em conta os sentimentos daqueles milhões que se sentiram ofendidos, apenas a fragilidade de Mayara, menina mimada, babando fel, exercitando o ódio pregado pelas hostes do candidato serra (sempre minúsculo), uma jovem que não pensou no alcance das redes sociais, nem no tamanho da besteira que estava fazendo. Foi um desejo dela ofender, sim, além de instilar mais ódio do que o já espalhado. Mayara cometeu as mais absurdas generalizações, aos jogar num saco todos os migrantes, quaisquer que fossem as suas origens, e sempre do alto de um salto alto típico de quem fala pela cabeça dos outros, pois que tem a própria vazia. Beirando às raias da ignorância letrada, pois soube o suficiente para chegar à faculdade, mas ainda não se constituiu como um ser humano de grande envergadura. Mayara, pela sua pequenez intelectual-emotiva, foi capaz de um dos atos mais hediondos que circularam nas redes sociais de comunicação. Vai pagar pelo que fez, conscientemente, e não são palavras bonitas que irão torná-la menos culpada.

Responder

cesar a giometti

13/11/2010 - 10h57

Janaina Paschoal, parabéns pelo texto. Belas palavras, muita enrolação para defender quem não tem defesa, pois as palavras de Mayara, fortemente ofensivas, foram disseminadas em várias oportunidades, e como estagiária de direito ele tinha o perfeito alcance do que estava escrevendo e, mais grave, publicando. Ser jovem significa estar aberto às novas idéias, ao novo, mas essa garota agarrou-se ao mais atrasado, o que temos de pior, o preconceito racial.

Responder

maercello mantovanni

13/11/2010 - 10h47

Mais uma, essa tal de janaina fala em perpetuação do poder, aqui em SP o psdb já está há 16 anos ( sem contar o pmdb do qual se originou, daí teríamos 30 anos de poder dessa gente "paulista de fato"…rssss) e o Estado só regride, explico:
todo ano se corta orçamento do Judiciário, p.ex., não se paga precatório, não se investe na saúde, educação, infraestrutura (essa obra do rodoanel é em parceria com a União e já dura 16 anos)…. faltou coragem ao Mercadante para perguntar no debate: " Alckmin, cadê o dinheiro"?

Responder

Ivonete

13/11/2010 - 10h44

A previsibilidade dos comentários que se orientam no viés do PIG é emblemático: no final, qualquer argumento leva sempre a mesma conclusão: a culpa é sempre do Lula.

Responder

    Brasileira

    13/11/2010 - 11h48

    Fantástico seu comentário: suscinto e obejtivo!

Carlos

13/11/2010 - 10h42

Dona Janaína. Se manda!!!!!
Não esqueça de jogar seu diploma fora em consideração a classe respeitosa e decente , voce não aprendeu nada de nadinha. O Brasil é o melhor país do mundo mas não aguenta mais pessoas como voce. Sinto muito se isso lhe deixa triste ou revoltada mas faça um favor aos alunos que são obrigados a assistir suas aulas , se aposente e vá viver nos eua. Lá tem menos nordestinos.

Responder

vania

13/11/2010 - 10h42

Durante a campanha recebi mail de tucanos usando exatamente esse mesmo nefasto argumento. "Lula dividiu o Brasil em pobres x ricos; nordeste x sul …." e por ai vai. O fato é que o governo promoveu politicas de inclusão, nas quais negro foram frequentar universidades em que só brancos entravam, pobres frequentam aeroportos onde só ricos circulavam e isso faz com que os conflitos se evidenciem. Enquanto estava "cada um no seu lugar" pessoas como essa moça e seus defensores não precisavam expor seu racismo, seus preconceitos, agora necessitam se posicionar. O Lula não dividiu o Brasil, apenas tentou deixá-lo mais igualitário e é isso no fundo que incomoda pessoas que pregam o discurso Isso X Aquilo.

Responder

Luiz Clete

13/11/2010 - 10h24

A sra. adEvogada é uma mãe da classe média decadente. Lembro de um fato ocorrido, mas não me lembro se em SP ou RJ. Os transeuntes de uma rua começaram a serem alvejados por chumbinhos, intrigados alguns começaram a procurar de onde vienham e acharam o predio e o apartamento. Chamaram a policia e essa foi ate o apto e constatou que um garoto de 12 anos estava usando um espingarda de pressão para alvejar que passasse na rua. A policia apreendeu a arma e abriu inquerito. A mãe do menino o defendeu dizendo: mas ele só estava BRINCANDO. Um chumbinho poderia ter cegado alguem, mas para a mãe, o filho estava APENAS brincando, quase culpado os transeuntes que não entraram na brincadeira do filho. A sra. adEvogada está certa; É CULPA DO LULA QUE NÃO CONSEGUIU SEGURAR OS RADICAIS LIVRES!

Responder

    Luna

    13/11/2010 - 13h29

    Não posso perder a piada, Luiz Clete:
    "É CULPA DO LULA QUE NÃO CONSEGUIU SEGURAR OS RADICAIS LIVRES! "
    Para segurar os radicais livres?
    Só os cremes da Natura!
    Prá quem não tem Natura, o óleo de peroba serve:
    é muita caras de pau, prá justificar a lama na qual a direita charfunda!
    (kkkkkkkkkk)

Denise

13/11/2010 - 10h23

Eis aí um texto que poderia virar bolinha de papel e ser jogado no lixo da história!!!

Responder

Cleverton Silva

13/11/2010 - 10h22

Rapaz, mas que texto doido. Folha: não dá pra não forrar a casinha do cachorro com ela. E sinceramente, dizer que SP é o Estado mais nordestino da federação??? O que pensa essa moça??? MA, PI, CE, RN, PB, PE, AL, SE e BA, nenhum destes estados é mais nordestino que SP??? Vixe! Essa Dra. Janaina Folha de São Paulo leu os pornolivros didáticos de SP pra nos sacanear desse jeito, e aprendeu geografia com o livro com mapa da América do Sul com 2 Paraguais. Só pode!

Responder

Azarias

13/11/2010 - 10h22

Esta Janaina que está longe de ser Conceição (que Yemanjá não a leve para o fundo do Mar, pois poderá poluir suas águas), lembra-me do paulistano, frequentador de balcão-de-padaria, que diz poder falar de negro e nordestino porque ele tem amigos negros e nordestinos, tem colegas de trabalho negros e nordestinos; pode fazer piadas de negros e nordestinos porque ele tem um cunhado nordestino; pode maldizer de negros e nordestinos porque o padastro (o homem que fornica) dele é negro.

Responder

monge scéptico

13/11/2010 - 10h07

As janaínas e mayaras tem o direito natural de se expressar.Só ao nos expressarmos,
arcamos com uma série de responsabilidades que as vezes não podem passar sem
serem contestadas. Errou à advogada ao acusar o LULA de divisor político do páís. O
LULA nem pode ser citado nessa assunto. Perdeu nossa "doutora"(se for) em direito
a oportunidade de ficar calada. Quanto a mayara, ela expressa a opinião que pode ser
(se for) a que seu meio elitista emite. É uma burrada só!.

Responder

ana cruz

13/11/2010 - 10h02

A culpa é da vitima. A "fessora" repete a tese de defesa da decada do seculo passado de legitima defesa da honra.. O homem mata provocado pela mulher. A culpa foi de Eva por Adão ter sido expulso do paraiso. São Tomas de Aquino defendia que so existia pecado no sexo quando a mulher era boa de cama, pois levava o homem a pecar. Mulher frigida não levava o homem a pecar. Muitos ainda defendem que a culpa é sempre da mulher por ser espancada pelo marido, que, pode nem saber porque está batendo, mas ela sabe porque apanha. Triste que tal tese seja bancada por uma "professora" e "mulher". A culpa é do nordestino Lula que procura diminuir a desigualdade regional e tem a coragem de falar a verdade.Ou seja, que existe sim preconceito e racismo no Brasil que deve ser enfrentado.

Responder

Elizete

13/11/2010 - 09h59

É… bem diz a amigo internauta essa professora não passa de um corpo estranho perambulando pela USP, que conteúdo apresenta para repassar aos alunos, fico bastante procupada. Vocês professores que tem uma atuação direcionada a formação de uma sociedade mais justa, façam um movimento, essa mulher não pode estar ocupando a cadeira de uma educadora. Ela deveria procurar algum grupo nazista para um possivel doutorado em matéria de preconceito.

Responder

Rita

13/11/2010 - 09h55

Essa janaína está internada em algum hospício?? Se não tiver é bom internar porque uma pessoa que escreve o texto acima com tantas besteiras só pode estar LOUCA. Ela deve fazer parte da elite paulista que quer o separatismo, e devo dizer que não sentirei a menor falta desses nazistas. Dizer que Lula causou isso tudo chega a ser piada, e seria muito bom colocar a mayara fazendo trabalho comunitário pelo Nordeste, nas cidades que foram esquecidas por todos os governantes, e que o Lula lembrou de melhorar, ela iria aprender a ter respeito por pessoas tão corajosas.

Responder

Sérgio

13/11/2010 - 09h55

Essa advogada é sem noção?
A Mayara pediu o cometimento de assassinato!
Ninguém no governo jamais terá defendido coisa
semelhante.
Criticar a manutenção de determinados privilégios
exorbitantes não é ameaça a vida de ninguém.
Uma relação mais justa entre todos os cidadãos
é uma excelente forma de manter a veneradaa união
do nosso Brasil

Responder

Elizete

13/11/2010 - 09h54

A elite brasileira não perde a mania de menosprezar a inteligência do povo. Esse texto da Professora Janaína é uma ofensa a nossa inteligência. Acorda senhora, há oito anos vem ocorrendo mudanças, novos paradigmas relacionadas a política de inclusão social implementada pelo governo Lula, que oportuniza maior alcance educacional pelos menos favorecidos e isso tem se revertido, numa maior conscientização a respeito da funcionalidade social. As pessoas estão mais conscientes, sabem que não é natural apenas meia dúzia terem acesso (privilégios), aos bens e serviços de uma sociedade, isso ocorre em função de uma estruturação social.

Responder

Mitsue

13/11/2010 - 09h40

Quero mais é que a Dilma continue investindo no Nordeste e no Norte, as duas regiões esquecidas depois que os engenhos de açúcar e a produção de látex deixaram de ser importantes, e o café e a industrialização passaram a ser os motores da economia brasileira. Quero ver o Nordeste produzindo mais, se igualando em termos de importância econômica com o Sul e o Sudeste, porque, além do mais, beneficiaria toda a nação. Quero ver os nordestinos com autoestima elevada, felizes e dando uma banana para a Mayara e essa "fessorazinha".

Responder

mª tereza da silva

13/11/2010 - 09h30

Pois é cada vez fico mais impressionada pelos grande veículos de mídia do país não se posicionarem até agora duramente contra essa onda de preconceito contra nordestinos, ontem aqui em Olinda teve a abertura da Fliporto 2010, (Festa Literária de Pernambuco) e a palestra de abertura foi com Eva Schloss sobrevivente do Holocausto ficou presa no campo de Auschwitz , ela vez uma relato emocionante sobre até onde o preconceito pode levar um povo, sobre esse sentimento de ódio ao diferente de se acha superior aos outros e com isso justificar todo tipo de barbárie. No final ela elogiou a pluralidade cultural,religiosa e de raças convivendo em paz e a importância de não se perder isso estando atento aos sinais coisas que a Europa não fez e ficou impassível ante aos extermínio de milhares.

Responder

@shivamaya

13/11/2010 - 09h22

Ainda estamos na época do "papel aceita tudo". Infelizmente, o que será que essa professora "noirdestina" ensina aos seus alunos?

Responder

jgomes

13/11/2010 - 09h19

A carta da professora Janaina é a prova cabal do preconceito de classes disseminado em São Paulo. Sem querer generalizar a questão, pois a grande maioria dos paulistas não fazem parte de sua "elite", o preconceito está enraizado na sociedade através do subconsciente. No nordeste é muito comum profissionais do sul/sudeste que aqui moram ou trabalham, considerarem-se "melhores" apenas pelo fato de terem nascido, estudado ou se qualificado em São Paulo. Isto precisa ser revertido, pois o Norte/Nordeste antes relegado a um "terceiro" plano pelos governantes, está se desenvolvendo e em pouco tempo atingiremos a autosuficiencia em várias áreas…

Responder

rubem

13/11/2010 - 09h11

Esta "brilhante professora" de Direito Penal, defende seus clientes estrupadores com a seguinte tese :" a culpa é da vitima, quem manda ser bonita e gostosa".

Responder

Rosangela

13/11/2010 - 09h06

Professores do "naipe" de Janaina reproduzem estudantes do "naipe" de Mayara.
Se a menina tiver que pagar por seus crimes, os verdadeiros culpados deviam ao menos fazer uma "mea culpa".

Responder

Antõnio Carlos

13/11/2010 - 08h48

A professora comete uma contradição: ela diz que Lula o lider máximo danação é quem estimula a divisão entre estados porbre e ricos e no final do texto ela afirma que a oposição fez uso da divisão entre as regiões (pobres e ricas). Sem falar que ela está procurando um culpado pela onda de racismo atual e se sabe muito bem que eta onda já exsite muito antes do Lula se eleger presidente. Ela diz que o Brsil sempre foi exemplode união e falamos a mesma lingua e com distruibuiçõ de renda, terras e serviços (saúde e educação) diferenciadas entrte classes e regiões. Quem tentar negar estes fatos está apenas tentando econder que existe racismo no bRasilo como sempre vinha acontecendo.

Responder

Heitor Rodrigues

13/11/2010 - 08h48

A Professora Janaina alistou-se publicamente no exército de advogados que defenderá o tucanato quando fôr aberta a Caixa de Pandora dos desgovernos do PSDB.

Responder

    Eduardo Soares

    15/11/2010 - 10h14

    Heitor, Ela é filiada ao PSDB e já trabalhou para o (des) Governo de José Serra.

Izabel

13/11/2010 - 08h26

Por esse modo de pensar de certos educadores, e que temos opinioes antidemocraticas como a dessa moça.Educar e encinar a conviver com todas as diferenças, não justificar erros, culpando quem não foi eleito para isso.

Responder

Giovani Junior

13/11/2010 - 08h20

Tive que ler de novo o texto hoje, pra me certificar que a bebida não mexeu com meus neurônios ontem, portanto tinha lido corretamente as asneiras da professora Janaína Paschoal. Quando acabar o maluco sou eu( diria Raulzito).

Responder

rubem

13/11/2010 - 07h57

Esta senhora pode ser entendida até em direito penal, nao sei, más falar de sociologia , de racismo , ela sabe menos que Tiririca, ela deveria fazer um teste para avaliar seu analfabetismo nesse assunto que ela pretensamente diz entender.
Cala a boca Janaina!!!!
Ela deve ser assessora do PSDB em São Paulo , com certeza.

Responder

Dolores

13/11/2010 - 05h47

"Quando a educação é um verniz, só faz a burrice brilhar mais"

Excelente frase, Fabrício! Totalmente apropriada para a Sra Janaína.

Responder

Fábio Venâncio

13/11/2010 - 05h23

Janaína conta aquela do português agora !!!!!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Parabéns a profª Heloísa Fernandes,deu uma boa resposta.

Responder

herivelto canales

13/11/2010 - 03h41

Lula é o Cristo da vez, neste milênio?

Responder

Luiz Moreira

13/11/2010 - 03h27

Pelo menos, nem todo nordestino que cursou direito em SP é imbecil como a nossa professora da USP. Veja que CASTRO ALVES era baiano e cursou direito em SP. Nem se formou e nos proporcioma até hoje e sempre as melhores poesias contra a escravatura, talvez da literatura universal. Lembremos CASTRO ALVES e joguemos as MAYARAS E JANAINAS no lixo da HISTÓRIA.

Responder

Adilson

13/11/2010 - 03h22

Com as vênias de estilo, lamento mas tenho que dissentir do teratológico raciocínio da Srª JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL. A uma, o Presidente Lula nos últimos 50 anos, foi o Presidente que mais fez pelos mais necessitados, apenas a título de lembrança governar é definir prioridades, e a prioridade do governo petista foi alimentar quem tinha fome; a dois, a estudante Mayara deve sim responder pelos seus atos discriminatórios, é o cúmulo do absurdo a Srª JANAINA querer atribuir a responsabilidade da estudante às vítimas; a três, o argumento de que Lula foi quem instigou a divisão do Brasil em regiões é falsa e chega a ser de má-fé, o que Lula sempre asseverou em seus pronunciamentos é que o governante deveria olhar para as outras regiões do país, pois o Brasil não era somente composto do sul, sudeste e centroeste; a quatro, todo governado precisa de um pai e uma mãe, ou a Srª JANAINA quer estabelecer o retorno da baixa estima do brasileiro, como era na época do FHC? A cinco, para escrever tanta abobrinha, só mesmo a Folha para conceder tamanho espaço; e a sete, Serra é rejeitado pela maioria dos eleitores, porque é desagregador e péssimo governante, vide a lástima que foi a sua gestão à frente do governo de SP, portanto dizer que é rejeitado por ser paulista é tampar o sol com peneira. Além do mais, aécio teria muito mais chances de êxito, é questão factual, o resto é placebo da Srª JANAINA.

Responder

Cindão

13/11/2010 - 03h20

Como se diz aqui no interior SP tá a pé de advogado (e pelo jeito vamos ficar bastante tempo assim).

Responder

Angela Cesarino

13/11/2010 - 02h58

Quando comecei a ler o texto, não tinha idéia de que "JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, advogada, é professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo". Meu Deus, a que ponto chegamos!!!
Uma professora (e esse para mim, é o principal título que dona Janaína possui), querer explicar e minimizar o que uma estudante disse é, simplesmente, o "caos"!!! Pobres alunos, pobres professores. Não é de hoje que sei que os paulistas se sentem superiores aos restos dos mortais brasileiros.
Só como piadinha, lembro de um amigo paulista que, no elevador, no Rio de Janeiro, ao ver um outro amigo apertar o "P", perguntou: "Ué, não tem "T", de térreo? É "P" de quê? E o carioca amigo respondeu, "é "P" de praia!!!

Tá, é só uma piadinha, mas, tirando os paulistas boa-gente, é isso, mesmo que eles pensam. São Paulo carrega o Brasil nas costas, e nós, brasileiros de outros estados, temos que agradecer!!!

Fala sério!!

Responder

Arthur Soares

13/11/2010 - 02h42

Um Absurdo desse não é preciso nem comentar, ele deteriora-se sozinho hehehehehe… Coitados dos Bacharéis da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, deve ser difícil conviver com essa professora insana, creio que essa mestre deveria saber como uma educadora que é, que para educar não é preciso passar a mão na cabeça e sim mostrar os caminhos corretos a serem seguidos, botar a culpa no Lula faça-me o favor, aí já é demais.

Responder

    Baixada Carioca

    13/11/2010 - 15h58

    Coitado dos clientes dela.

Elias São Paulo SP

13/11/2010 - 02h30

Se não tivesse lido no cabeçalho "por JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL*, na Folha", deduziria ser um troll retardatário da campanha do Josezinho.

Responder

valder

13/11/2010 - 02h15

Ainda bem que essa tática de inverter as coisas só atrai os néscios. Não sei quem aconselhou o Serra a praticá-la. Ele a executou tão bem que perdeu a eleição e não haverá terceiro turno ou golpe como queiram. Nos livramos de um retrocesso terrível. Graças a DEUS!

Responder

Jânio Feitosa

13/11/2010 - 01h50

Culpar o Presidente LULA e defender uma figura que destilou verdadeiro ódio contra milhões de Nordestinos, parece uma coisa de gente alienada. Será que que essa Professora Janaína tem consciência realmente, da besteira que disse?
Logicamente, que o presidente LULA deu prioridade nesses 8 anos, aos menos favorecidos; mas está mais do que claro e só os maldosos não querem ver, que todos tiveram vez no seu governo. Quando o mesmo se refere à elite, não está querendo descartar ricos e intelectuais, demonizando-os, mesmo porque, muitos ricos e intelectuais de verdade estiveram e continuam ao seu lado e esses, não têm interesse em tirar proveito do governo. Querem apenas um país mais justo, onde as pessoas tenham direitos iguais em todo o território nacional, ou seja, um país de todos os Brasileiros.
E você Janaína, ao dizer que o Presidente LULA é culpado pelo ocorrido, simplesmente isenta o verdadeiro responsável por essa onda de agressões que circularam na internet, desde a campanha eleitoral. O candidato derrotado à presidência, juntamente com sua assessoria, disseminou o ódio e a boataria contra a então candidata DILMA e era, realmente, quem deveria responder por tudo o que acontece de Racismo e Facismo, desde o último dia 31.

Responder

Yes we créu !!!

13/11/2010 - 01h48

Eu adoraria ser aluno dessa professora hoje. Eu seria ser reprovado, mas que ela iria ouvir umas e boas, ah, isso iria.

Responder

José Carlos

13/11/2010 - 01h41

Dra Janaína?
Quem fomenta o separatismo no Brasil?
Lula?
Quem fez a guerrinha de 32?
Quem na década de 90 estava com movimentozinhos separatistas?
O PT?
A Bahia/
Pernambuco?
Acho que suas reflexões carecem de fundamentos.

Responder

Bernardo Felipe Leal

13/11/2010 - 01h40

O texto todo da professora é um amontoado de mistificações. Até parece que não foi ainda ontem que tudo aconteceu. Foi preciso a Dima reclamar da campanha de ódio e de preconceito instilada pelo adversário, logo no início do segundo turno. É mais um (a) especialista que desdenha da inteligência dos brasileiros.

Responder

Marcos

13/11/2010 - 01h28

Essa moça é uma hipócrita. Pelo que sei quem coaduna com o crime bandido é. Deve ser parente do Roberto Freire e de outros nordestinos que negam sua origem. O faz justamente para negar.

Responder

EDSON

13/11/2010 - 01h05

Realmente … percebe-se que se trata de uma Serrista … Lula fomentou a cisão … essa foi boa … Serra diz que a educação ruim de São Paulo deve-se a forte migração (nordestinos), acho que ele quis chamar os avós da professora de direito de burros. Lula preg a união e diz que o Brasil é um só e afirma que uma parte da elite detesta pobre. É verdade mesmo e a globo e os tucanos demonstraram isso ao desqualificar o voto do nordeste que cresce a taxas chinesas. E mesmo sem o Nordeste teriamos ganho a eleição. Não posso dizer que o texto é pobre, mas com certeza em si traz um preconceito grandioso contra o Lula. Professora elitista, a cara de uma parte de São Paulo.

Responder

Baccko

13/11/2010 - 00h59

E ela ainda assina embaixo. Será q fumou a mesma coisa q o Gabeira??

Responder

Ramon

13/11/2010 - 00h50

Lula criou as desigualdades sociais brasileiras, foi Lula quem estabeleceu que SP deve contribuir mais com impostos (é fato, mais também é verdade que o ICMS é arrecadado na origem, como SP concentra a maior parte das indústrias, adivinhe quem fica com a maior fatia do bolo arrecadado pelos consumidores de todo o país?). É verdade que SP é separatista, ou foi Lula que liderou a Revolução de 1930? Quanto a União gastou e se endividou para bancar a industrialização de SP? Gostaria que uma professora de história da USP comentasse os argumentos dos separatistas. Serra que diz ter colocado 2 professores em cada sala de aula, me dá a impressão que não colocou sequer um de história…
"Quem não conhece a história está condenado a repetir seus erros".
Estava procurando este provérbio no Google mas encontrei mais que isso: http://gauchadasnaeuropa.blogspot.com/2010/05/que

Responder

Wanderson Brum

13/11/2010 - 00h43

Eu talvez devesse postar em outro lugar, mais só para ilustrar essa nossa cordialidade com a diversidade e blá, blá, blá, vai aqui uma mostra do que está por vir:

Lei contra o Candomblé é aprovada em Piracicaba

Câmara Municipal de Piraciba/SP, por unanimidade, com o apoio dos vereadores dos seguintes partidos: PT, PDT, PP, PPS, PTB,PR, PMDB, PRB, PSDB, aprovou em 7/10, o PL 202/2010 do vereador Laércio Trevisan (PR).

Comentários em Piracicaba, informam que o referido PL. é parte de um MOVIMENTO chamado "ALIANÇA PARA A SUPREMACIA CRISTÃ", que tem por objetivo levar este projeto a outras cidades do Estado de São Paulo, depois, independente de quem seja eleito, encaminhar para a Câmara dos Deputados, através de deputados federais dos partidos envolvidos. Estes deputados, no momento, são mantidos no anonimato.

O O referido pela agurda sanção ou veto do Sr. Prefeito Municipal Barjas Negri, por favor mandem e-mail, telefonen para o prefeito/
secretário de governo e demais autoridades solicitando o veto ao PL. tendo em vista que o referido PL. entre outras coisas, atenta contra a liberdade religiosa e fomenta o racismo.

Leia materia completa: Portal Geledés – Lei Contra o Candomblé é Aprovada em Piracicaba
http://www.geledes.org.br/afrobrasileiros-suas-lu

RONALDO DE XANGÔ DEFENDE LIBERDADE RELIGIOSA

Ronaldo Almeida de Xangô, do Movimento em Defesa da Liberdade Religiosa, em nome da Tenda de Umbanda Pai Joaquim, ocupou a Tribuna Popular, da Câmara de Vereadores de Piracicaba, na reunião ordinária de hoje (11) para discorrer sobre o veto do prefeito municipal, em projeto de lei que proíbe animais em cultos religiosos. Ronaldo falou da consulta a cada vereador e, da aprovação do Código Estadual Florestal, em 2001, do Rio Grande do Sul, que contou para a atuação de Dr. Hédio Silva Júnior, ex-secretário de Justiça da Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, com destaque à questão religiosa, que na condição de advogado mostrou a inconstitucionalidade da lei gaúcha…Continua

http://www.camarapiracicaba.sp.gov.br/

Bem, pelo o que se pode ver os verdadeiros aloprados estão dando as caras pouco a pouco…

Responder

    Marcia Costa

    14/11/2010 - 09h59

    Esse projeto é inconstitucional. O Sr. Ronaldo como representante de um grupo somente precisa de um bom advogado para ajuizar, diretamente no Supremo, uma ADIN. Sé não sei se precisa esperar a lei ser aprovada.

Jair Orichio Junior

13/11/2010 - 00h37

COnsiderando que hoje já é sábado… e ainda não dormi, pois cheguei do meu turno de rerevezamento agora… Vou imaginar que não li o que li e dizer simplesmente, que, a dita professora deve ter cheirado alguma coisa, ou fumado muito preto "será que posso falr isso" , por quê até um boim tempo atrás… dar um "doizinho" era o mesmo que fumar um "preto" … não confundam as coisas… mas vamos lá… essa louca perdeu o rumo, perdeu a eleição e agora quer perder o diploma dela… só pode ser!!!

Responder

Julio Vicentin

13/11/2010 - 00h35

aí Jana Goebels,
vamos reeditar 64 e lançar a Marcha da Família com Deus pela Mayara. Que tal ? o Jênio vai gostar?
Julio Vicentin

Responder

Nonato Júnior

13/11/2010 - 00h34

Sou nordestino e acho que nós sofremos preconceito,simTambém é verdade que vários estados nordestinos,vivem na época das capitanias hereditárias.Muitas capitanias surgiram e foram mantidos com apoio dos poderosos do eixo sul/sudeste.É indiscutível que muitas das mazelas politicas do nordeste,foram sementes lançadas pelos poderosos do sul "maravilha".Como nordestino,também sou a favor da independência da nossa região e o primeiro ato do governo nordestino,seria mandar para o sul/sudeste,os politicos que eles plantaram por aqui !NORDESTE LIVRE E INDEPENDENTE!!

Responder

Marcos Sousa

13/11/2010 - 00h30

Nos cursos de Direito pelo Brasil afora tudo é possível, aqui em Natal/RN, como estudante de Direito, tive uma professora, leitora obviamente de Veja e telespectadora do JN/Globo, que chegou a elogiar a ditadura e os políticos que o serviram tal José Agripino e, claro, a descer o "malho" na então candidata Dilma Rousseff, em que terrorista e assassina eram alguns dos adjetivos usados.

Chamar alguém de terrorista por resistir a uma didadura assassina e torturadora de milhares de brasileiros é algo alienante, conservador e próximo do que tem defendido a velha mídia, principalmente a paulista e o sistema Globo, que, se não se refundar, será extinta por si só.

Responder

Rodrigo Ferrari

13/11/2010 - 00h23

Aposto que se eu disser agora tudo o que ando pensando sobre essa professora Janaína, serei demonizado sem dó, sem direito a artigo meia boca de professor de faculdade decadente para me defender. Aqui no Brasil, lei continua a funcionar apenas para pobre, preto e prostituta.

Responder

    Henrique

    13/11/2010 - 14h03

    É meu amigo, tu podes até ser preso e ainda pegar uma Sandra Cureau pelas costas.

    Sousa

    13/11/2010 - 18h10

    ESta observações dos três (lei continua a funcionar apenas para pobre, preto e prostituta) PPP e muito cimples mesmo e REAL, esta Profª vive numa redoma de VIDRO.
    Simplismente isso

    Marcia Costa

    14/11/2010 - 10h07

    O "Ues we creu" fez uma interessante observação. Moro em Brasília. A classe média comprava os carros nacionais de boa qualidade. Agora, somente compram importados. Percebi que els desejam se diferenciar dos "pobrinhos" que, com a redução do IPI, comprarram carros melhores. Sinto compaixão dessa gente assim tão ciosa de manter as aparências de sua classe social, esquecendo os que valores humanos são eternos objetivos das sociedades.

Yes we créu !!!

13/11/2010 - 00h18

Tudo o que a infeliz Mayara escreveu, e a nao menos infeliz Janaina endossou, me remete aos valores da classe media. Como voces sabem, classe media eh aquela classe no Brasil que luta pra se diferenciar das demais classes abaixo dela. Eh uma luta constante, com muito suor, dedicacao, trabalho duro, etc. Ela luta pra comprar o carro do ano, ela luta pra comprar roupa de marca, ela luta pra morar em um bom condominio, enfim, ela luta pra parecer classe media diante dos demais. Desgracadamente, os filhos da classe media nao tem garantia de que irao manter a "diferenca" que seus pais deram a eles. Eles vivem numa corda bamba. Qualquer vacilo, eles "caem" do outro lado do abismo. Essa eh a luta constante de quem nasceu "diferenciado". Por outro, o filho do pobre nao tem esse problema. O que vier eh lucro. Dificilmente ele ira "regredir" em relacao a classe onde nasceu. O que estah acontecendo hoje no Brasil eh a percepcao por parte desta classe media de que a luta pra se diferenciar estah se tornando cada vez mais dificil, muito embora ela, enquanto classe, nao tenha diminuido seu padrao de vida. O problema eh que aquela diferenca de classe, tao almejada, estah desaparecendo. Eles simplesmente nao suportam isso, soa como uma derrota, um fracasso diante daquilo que foi herdado pelos pais. Eh como se eles perdessem uma heranca de familia. Nessa batalha pela diferenciacao, sempre surgem voluntarios pra defender o "antigo regime", ou garantir o espolio de familia, sejam eles professores universitarios, advogados, jornalistas, enfim, os "desdiferenciados". Coitados, o tempo nao para.

Responder

Henrique

13/11/2010 - 00h11

A advogada 'janaína' me lembra que no exame nacional da OAB/09, SP aprovou só, e tão somente , 13,69% de 'advogados' de um universo paulista de mais de 22.000 bacharéis. Baixíssimo nível.
Ninguém nasce racista. A universidade não ensina racismo. O racismo é ensinado em casa.
Todo racista tem um trauma na vida ou uma frustração que não consegue se livrar, e joga na costas dos outros.

Já imaginaram uma "tese" da 'janaína'!?

Responder

Rodrigo Ferrari

13/11/2010 - 00h06

Azenha, por favor, mantenha esse meu comentário, pois me responsabilizo integralmente por ele: nunca vi tamanho desprezo pelo ser humano e hipocrisia como nesse texto da professora Janaína. Tenho vergonha de ter estudado na mesma universidade onde essa senhora dá aula. Os argumentos dela ficariam bem na boca de Mengele ("Se não fosse essas judias andarem por aí com seus úteros pedindo por uma dose de cimento cru") ou do povo do apartheid ("Se esses negros fossem mais clarinhos, nem valeria a pena discriminá-los"). Se eu pudesse, me mudaria agora desta terra amaldiçoada. Tenho vergonha de compartinhar o mesmo espaço dessas pessoas. Sempre sonhei com um Brasil melhor e mais justo, não com ma terra onde uma farisaica de plantão utiliza argumentos torpes para criar um clima de ódio intenso.

Responder

O JUIZ

13/11/2010 - 00h04

Esta é sem dúvida a verdadeira advogada do diabo.
Quanta revelaçãode mau caráter essa campanha política provocou.
Estão por todos os lados, em todos os lugares.
Santa demagogia.
E trabalha como professora.
É o fim.

Responder

Luiz Carlos

12/11/2010 - 23h43

O que é isso? Essa senhora resolveu tranferir a responsablidade da insana Mayara para o Presidente Lula? Acho que seus falecidos ascendentes nordestinos estão se movendo nos túmulos! Acho também que ela não entende nada de CPMF. Senhora, a CPMF que a oposição derrubou (dizia a ruralista Kátia Abreu que com a queda da CPMF os preços das mercadorias baixariam. Kkkkkkkkkkk…) afetava na verdade as grandes movimentações bancárias e representava uma forma de identificação de movimentação financeira ilícita. Para quem tinha pequena movimentação bancária, considerando os benefícios da CPMF no bolo social, a tributação era insignificante. Acho que como advogada ela devia ler mais sobre o assunto.

Responder

O_Brasileiro

12/11/2010 - 23h40

Com quase 40 anos, eu já vi e vivi muita coisa em relação ao sistema educacional. Colégio, faculdade, especialização, doutorado. Agora, como professor universitário.
Chego à triste conclusão de que o sistema educacional não melhora o caráter das pessoas.
Steven Pinker, neurocientista, no seu livro "Tábula rasa", trata da questão genética do funcionamento da mente humana, incluindo o caráter e as influências ambientais que o modificam. Parece que o nosso sistema educacional se modifica, não é para melhor, pois dele saem em sua maioria competidores vorazes e ambiciosos. E, na busca por reconhecimento de estranhos, alguns ignoram seu passado e sua história!
Ou nós, o sistema educacional, estamos falhando, ou toda a sociedade está!

Responder

Polengo

12/11/2010 - 23h38

É verdade, a mayara não é racista.

O tiririca é que é.

Responder

Cheila

12/11/2010 - 23h36

Essa moça é ridícula ,a translocada garota manda afogar ,matar nordestinos e a culpa é do LULA?Paulista é preconceituoso sim.Cansei de ouvir os paulistas chamarem os nordestinos de baianos,de cabeças chatas,de comedores de calangos etc.E o LULA criou o preconceito,a cisão,o racismo???Moça vá arrumar o que fazer e deixe de escrever bobagens…Essa garota Mayara cometeu vários crimes e deve pagar por eles.

Responder

Rodrigo Carvalho

12/11/2010 - 23h35

Por mais que tente mostrar o contrario a pessoa que escreveu esse texto, no fundo, no fundo, parece sentir vergonhas de ser neta de nordestinos…

Já fiquei 3 meses no Nordeste a serviço, em região do semi-árido, de chapadas também, quando estudante, fiz estágio em pequena cidade do sertão nordestino, sempre fui muito bem tratado, com atenção, consideração, alegria., um povo especial e fraterno. O Nordeste, com todos os problemas que têm, é fraterno e alegre, hoje em dia, isto virou defeito.

Responder

    Renato Lira

    13/11/2010 - 01h08

    É verdade, companheiro.

    O povo do Nordeste é fraterno, alegre, encantador.

    E, ao mesmo tempo, determinado e orgulhoso de suas raízes, de sua história.

    O nordestino não esquece, não omite e não desonra suas raízes.

    E não tira o sapato para fdp nenhum.

    O nordestino não se descalça para nenhum esnobe ignorante metido a "superior".

    Quem faz isso é vassalo metido a "mudernete" e almofadinha e patricinha imbecil e manipulado, que pensa que Miami é o centro do universo.

    Ainda bem que estes paga-paus de gringo se ferraram de novo. Pro bem do Brasil. E o nordestino, bem como a maioria dos brasileiros, livraram nossa terra da submissão, da vassalagem e da idiotização.

    Estes, os verdadeiros brasileiros, ao contrário das mayaras, madureiras, jabiores, mainardis, serras, narlochs, janaínas e demais imbecis preconceituosos e submissos de ética deformada, salvaram o Brasil da vergonha.

    O povo brasileiro, brasileiro de verdade, é do borogodó.

    Berrem de inveja e rancor, mayaras e colonizados em geral.

Osvaldo Ferreira

12/11/2010 - 23h29

Um comentário de Janaina Paschoal, professora de Direito Penal da USP (Reinaldo Azevedo, da Veja)
Recebi o seguinte comentário da professora Janaina Conceição Paschoal. Volto em seguida:
Caro Reinaldo,
Sou advogada e professora de Direito Penal na USP. Quando da apreensão dos folhetos contrários ao aborto, revi toda a legislação eleitoral e posso AFIRMAR categoricamente que não há qualquer dispositivo que justifique a censura sofrida pelos católicos. Também nada justifica a intervenção da Polícia Federal, ou de qualquer órgão ligado à Justiça Penal. . Abraço grande, Janaina Paschoal. http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/um-c

Responder

    El Cid

    13/11/2010 - 00h14

    Oswaldo, com este seu comentário e este link do blog do "esgoto", já temos uma noção do "consciente absurdo" desta professora…

    … agora quanto ao blog do "esgoto", dispensa comentários o seu "modus operandi".

    Fabio_Passos

    13/11/2010 - 08h10

    Rapaz… professora coisa nenhuma. Ela é leitora da veja!
    Esta Janaiana Conceição Paschoal é ligada ao núcleo duro do racismo no Brasil: Revista Veja.

will

12/11/2010 - 23h29

acho que essa janaina, se esquece que boa parte da pobreza e miséria deste país é crime.
quer irrelevar a declaração da mayara, prova mais contundente e aguda de tais crimes.
virou uma secreção da sociedade brasileira, cuja a cura vai depender de uma profunda reflexão dos governantes.

Responder

Marat

12/11/2010 - 23h19

Quanto ao trecho: "Por mais popular que seja um líder político, não é possível permitir que essa união, que a União, seja maculada sob o pretexto de se criarem falsos inimigos, falsas elites, pretensos descontentes com as benesses conferidas aos pobres e aos necessitados" – informo à Sra. Janaína que a região dos Jardins, aqui em SP, existe há muito mais tempo que o Lula, e posso asseverar que muitos dos que ali vivem, se utilizam de racismo, exibicionismo, complexo de superioridade e têm o vírus – esse sim deletério – do separatismo! Acorda, mulher!!!

Responder

pedro - bahia

12/11/2010 - 23h11

Como advogada de defesa, seguramente, a Mayara seria condenada. Lamentável que um profissional da área escreva tanta asneira.

Responder

Marat

12/11/2010 - 23h11

O Serra já foi muito bem apelidado de "Nosferatu", mas, a julgar que seus defensores desejam a todo instante, tirá-lo da cova, creio que "Jason" também lhe cairia muito bem!

Responder

F Cavacanti

12/11/2010 - 23h07

Coitchada. Mayara com certeza é menos racista.
Resumo: Sou de origem nordestina, mas meus ancestrais trabalharam duramente, não são vagabudos como os de hoje. Não existe elite, isso aí e visagem de moinho de D. Quixolula, o que existe mesmo é populismo, imagina como pode colocar pobres na faculdade, eu posso porque meu saudoso avô trabalhou. Sou doutora e odeio nordestino racista. Posso virar uma Mayara. Parem seus cabeças chatas, São Paulo e o melho dos mundos e não têm elite.

Responder

El Cid

12/11/2010 - 23h03

…confrades, Serra não foi rejeitado por ser paulista. Serra poderia ser mineiro, baiano, pernambucano, paranaense, etc etc, até mesmo marciano (o que não duvido), que seria rejeitado do mesmo jeito. Serra foi rejeitado porque é o Serra, só isso.

Responder

Brito

12/11/2010 - 22h56

Lula não dividiu o país entre pobres e ricos. O presidente apenas deu voz àqueles que permaneciam amordaçados pela direita cruel.
Sobre o texto da defesa? Está mais para salada de feno com alfafa, será preciso um estômago compatível.

Responder

fabrício

12/11/2010 - 22h55

quando a educação é um verniz, só faz a burrice brilhar mais. sou mais ter aula com o tiririca.

Responder

Cézar

12/11/2010 - 22h53

JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, por que não te calas?
Como ela conseguiu ser professora na USP?

Responder

Nilva

12/11/2010 - 22h53

A Heloísa Fernandes não nega o DNA. Parabéns, mestra !
Florestan e Roger Bastide estão tremendo no túmulo pelos despautérios da Janaíma, pura representante da nossa
elite inculta e bela.

Responder

El Cid

12/11/2010 - 22h52

… faltou (e muito !!) aula de retórica para a brilhante (sic) professora. Os pobres fantasmas da São Francisco (conservadores ou não) devem tremer ao se depararem com tão indigente argumentação.

Responder

El Cid

12/11/2010 - 22h45

… agora, só acho estranho que até agora essa moça não tenha sido alcançada pela justiça. anunciada a 4 ventos a tal ação do mpf e já se passaram quase duas semanas e nada !!

Responder

Ricardo Oliveira

12/11/2010 - 22h45

É impressionante como as pessoas utilizam o argumento de autoridade – professor, doutor, etc. O que importa é a força do argumento. Outra coisa impressionante é que em nenhum momento foi citado quão grandiosa e honrada foi a campanha da oposição. Por sinal parece que não houve oposição no pleito. Se deixar a autora dissertar mais, talvez teremos a oportunidade de ler que o presidente incitou o ódio religioso, a perseguição aos homossexuais (ou seria homoafins?)… Quem sabe até não descobriremos que foi o presidente, ele próprio disfarçado, teria atirado a bolinha de papel? Papel não, pois a outra colunista da Folha já afirmara que foi o SBT, em parceria com o governo, que transformou a fita adesiva (500 gramas, rssrrsrr) em bolinha de papel… Paciência também tem seus limites. São as viúvas do Serra! (com o perdão de todas as viúvas)

Responder

Maria

12/11/2010 - 22h43

Quer dizer que o texto acima foi escrito por uma professora de Direito Penal? Pobres alunos… fazer o quê? Infelizmente o cumprimento da carga horária é obrigatório nas escolas. Será que o corpo diretivo está ciente da "figura estranha" que habita as salas de aula da USP? Ainda bem que esta Sra. é eleitora de Serra. Que alívio! Aliás, ficamos muito agradecidos por ela não gostar do Lula, realmente trata-se de um favor.

Responder

HELIO ALVES PEREIRA

12/11/2010 - 22h43

PUTZZZ……PROFESSORA DE DIREITO DA USP E ADVOGADA……….NAO E A TOA QU EO NIVEL DOS NOSSOS BACHAREIS ESTA CADA VEZ PIOR…BASTA VER O NIVEL DE REPETENCIA NOS EXAMES DA OAB…

Responder

Marat

12/11/2010 - 22h40

Será que Janaína foi atingida por uma bolinha de papel, ou pelo conteúdo de uma folha de seda?

Responder

El Cid

12/11/2010 - 22h39

Janaína é professora de Direito da USP. Como é possível com esse nível de argumentação?

1. Atribui a rejeição à Serra ao fato de ser paulista. De onde tirou essa? Qual a relevância das manifestações pró-Aécio se o lobby em favor do Serra acabou impedindo até as prévias? Chamar o Serra de truculento, denunciar esquema de esgoto que montou na Internet, sua falta de preparo nos debates virou preconceito anti-paulista? Analisar o esgotamento do modelo político paulista virou manifestação anti-paulista? Se considera que críticas ao Serra são manifestações contra São Paulo, significa que considera Serra a cara de São Paulo? Isso é depor contra o estado. Só faltava agora o estado mais multi-regional do país, onde há a maior interação entre as culturas regionais ter a cara de Serra.

2. Atribuir o preconceito regional a Lula pelo fato de dividir o Brasil entre ricos e pobres é ignorar que em São Paulo também existem ricos e pobres. Ou não?

3. Com esse nível de argumentos, quem é a professora para se outorgar a procuração para falar em nome de "nós, brasileiros"?

… endosso, Luís Nassif !!

Responder

easonnascimento

12/11/2010 - 22h34

Quando a Sra Janaina Conceição diz "Quanto a Mayara, entendo que errou, mas não parece justo que seja demonizada como paulista racista, quando o mote dado na campanha eleitoral foi justamente o da oposição entre as regiões", ela quer dizer que deveríamos pedir desculpas a dona Mayara? Será que Lula andou dizendo ou sugerindo que AFOGASSEMOS ALGUM PAULISTA OU ALGUM INTEGRANTE DA ELITE? Foi isso que ela quis dizer? Ora ora dona Conceição. Para com isso. O caso de dona Mayara está muito claro. É rascismo e não adianta vir com meias verdades para tentar defender o indefensável.
http://easonfn.wordpress.com

Responder

Marat

12/11/2010 - 22h33

Ela é professora???????????????/ da USP????????????? tsc tsc tsc – lamentável… Quando estudei ali, tive aulas com as magníficas Marilena Chauí e Olgária Mattos, mas eu também tinha professores fraquíssimos, tais como essa tal Janaína!

Responder

ari alves

12/11/2010 - 22h28

Depois de derrubar um avião (Francisco Daudt), agora Lula mandou afogar os nordestinos (Janaína Paschoal). É uma gente nojenta e insignificante, atrás de um segundinho de fama.

Responder

Elisma

12/11/2010 - 22h26

Que texto pobre, paupérrimo!!! E essa criatura é professora???!!!! De Direito????!!!! Na USP????!!!!! Além das idéias e raciocínio torto, é de uma indigência fenomenal o texto dela. Publicado na fala de SP só demonstra a falta de critério do PIG. Essa é pra entrar nos anais do anedotário da grande mídia. "Igualmente triste a rejeição sofrida pelo candidato da oposição à Presidência da República, muito em função de ele ser paulista" – OOOHH, Pobre coitado. Pior é que essa elite ("os que são contra o governo" – sic!) pensa assim mesmo – esse dias recebi um texto podre e me dei ao trabalho de entrar no blog e ler os comentários. Tem coisa do tipo "o discurso do Serra é ótimo, pena que ele não tem espaço na mídia…". É uma loucura – esse pessoal realmente vive em outra realidade!!!!

Responder

Se Nagao

12/11/2010 - 22h17

Em primeiro lugar parabenizar a leitora Heloísa Fernandes, professora associada de Sociologia da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo (São Paulo, SP) – brilhante resposta.
Em segundo lugar dizer que esta professora JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, advogada, professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo deixou postado no blog do Reinaldo Azevedo que iria na passeata partindo do Largo São Francisco de apoio ao candidato derrotado pela Presidente Dilma no 2º turno.
Dessa forma, está explicado o porque da defesa publicada no jornal(?) fsp, aliás esse jornal se tornou o muro de lamentações dos derrotados na última eleição.

Responder

    Marat

    13/11/2010 - 12h28

    A folha está descolada da realidade. Apenas José Simão se salva daquilo ali…

J_Amaro

12/11/2010 - 22h16

Professora Janaína, se gostou tanto da estudante Mayara, leve-a para casa.

Responder

    Marat

    13/11/2010 - 12h27

    Janaína deveria ser obrigada, por lei a uma pena alternativa: ensinar ética e cidadania para a Mayara…ou melhor, ela e Mayara deveriam aprender juntas sob os cuidados de um educador de verdade!

fichacorrida

12/11/2010 - 22h12

É isso uma professora? Agora entendo porque paulista não vota … Direito….

Responder

Mc_SimplesAssim

12/11/2010 - 22h07

Pelo visto, a Dra. Mayara é séria candidata a receber o Prêmio Nobel da Paz em 2011.

Responder

Remindo Sauim

12/11/2010 - 22h06

Mas vocês ainda dão uma olhada naquela porcaria da Folha. O que vocês esperavam naquelas páginas.

Responder

Carlos Marques

12/11/2010 - 22h05

A professora Janaina deveria conversar com o também professor Cláudio Lembo, paulista da gema a profligar o autismo da elite egocêntrica e separatista de São Paulo. O professor ilustre não usa esse tipo de argumentação primária, peregrina, equestre de sua colega, de pôr a culpa no presidente Lula, o que não honra a docência uspiana, sua respeitável tradição. Vê-se que a USP realmente perdeu substância com os tucanos. É verdade que os brasileiros não precisam de pais e mães, mas não é menos verdade que os professores com indigência mental também são completamente dispensáveis.

Responder

Fausto

12/11/2010 - 22h05

Calma, calma pessoal! Nada que estranhar. Esse é um comportamento muito comum na USP. Quem conhece sabe do que estou falando. Lá, como se sabe, formam-se os gênios, a "nata" (já que, como demonstrou a Dra. Janaina, elite é uma invenção do presidente Lula) da intelectualidade brasileira. Na USP você encontra, entre as pessoas modestas e conhecedoras de suas limitações, esses destaques de Q.I. que nos brindam com tão amplo e profundo texto. Mas, como deve haver equilíbrio sempre no mundo, tivemos o prazer de conhecer a Professora Heloisa Fernandes e saber que existe gente humilde, "até" na USP.

Responder

    Maria Luiza

    12/11/2010 - 23h13

    A Professora Heloísa Fernandes é filha do grande mestre Florestan Fernandes.

Osvaldo

12/11/2010 - 22h05

Perdi meu tempo lendo a argumentação de uma mente débil.

Responder

Weiller

12/11/2010 - 22h03

Essa "professora de torto, digo, de direito" não é perigosa?
Ela existe mesmo? ou é pseudônimo de algum colonista da inveja?
Não será ela uma alienígena, oriunda daquele pais "Projac"?
Donde brotou essa erva?

Responder

Adilson

12/11/2010 - 22h00

Como que a USP mantém em seu quadro uma professora de direito com uma visão tão distorcida dos fatos. Será que é isso que ela ensina aos seus alunos. Imagine seus alunos quando estiverem no mercado de trabalho com essa visão errônea que trasnforma o bandido em mocinho e o mocinho em bandido. Ainda bem que muitos de nós Paulistas não concordamos com a visão da professora Janaina e com a atitude da preconceituosa Mayara Petruso. Quanto a Folha, é um folhetim de péssima qualidade que só fomenta a ignorância, o preconceito e o elitismo.

Responder

Preto Velho

12/11/2010 - 21h58

"A menina tava errada, mas a culpa é do Lula".

Sim, claro. O PAC em Paraisópolis, os 2 bilhões no Rodoanel, as UPPs e tudo o mais foram para beneficiar o nordestino, OK?

Melhor a colonista voltar pro seu mundo cor-de-rosa com bolinhas amarelas, onde os brasileiros têm direitos iguais, ganham 10 salários mínimos e vivem no lugar com o IDH da China e o PIB da Suíça (como diria Paulo Henrique Amorim)

Responder

lucila

12/11/2010 - 21h57

Acho que Mayara já deu.
O que fica é o verbo petrusar, que se estende por diversas cantos em todo o país.
O linchamento do ENEM e do ministro da Educação surgido imediatamente aos problemas ocorridos em cerca de 0,06% das 4, 5 milhoes de provas – repito, erro de 0,06%!!! – me parecem partes da mesma cena. Enquanto concursos como Saresp (semelhante ao ENEM em SP), FGV, Fiocruz e outros têm eventos de maior porte em termos de erros de conteúdo, troca de provas e de gabaritos, quebra de sigilo, entre outros, e não houve voz que se levantasse pedindo cancelamento dessas provas. Agora mesmo, dia 12/1, membros e instância da justiça federal se batem, se digladiam, tentando criar o caos e, no fim, destruir o próprio princípio do ENEM, e vozes se levantam para afirmar que o problema está no fato de ele ter se tornado um vestibular. Então, vamos combinar: são contra o ENEM por princípio e querem destruí-lo para que o modelo de ingresso no ensino superior se mantenha elitista e excludente. NÃO a essa gente sórdida, SIM ao ENEM e sua filosofia de inclusão e democratização do acesso ao ensdino superior.

Responder

Yes we créu !!!

12/11/2010 - 21h57

No quarto paragrafo, eu fui ao banheiro vomitar.

Responder

George Mello

12/11/2010 - 21h56

Lula dividiu o País entre pobres e ricos?????????????? Não terá sido a direita, que agora se posicionou, mas quando quis desmontar as forças políticas, preferiu dizer que na modernidade não havia mais direita nem esquerda. Sou contra a demonização da menina, ela não deve pagar o pato. Agora dizer que é uma voz solitária, me desculpe, mas vai estar por fora assim lá no Cariri. O País da direita condenou nordestinos e grande parcela da população à uma vida miserável, que rendeu bons filmes para os burgueses assistirem em suas grandes TVs e ficarem emocionados. Mas do meu, não! Vai arrumar em outro lugar. Onde?

Responder

Julyani Neffa

12/11/2010 - 21h52

Ah!!! a culpa é do Lula, professora!!! Entendi! Muito boa a sua aula, mas dá licença que eu tenho que voltar para a Terra!
By! By! Teacher! Forever, and ever!

Responder

Olho na oPósição

12/11/2010 - 21h46

Tolerância, solidariedade… Palavras vazias na boca de quem não tem!

Responder

Paulo

12/11/2010 - 21h46

Vejam o comentario da professora que defende a patricinha racista: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/um-c

Responder

noctivagovago

12/11/2010 - 21h45

Tecnicamente , é culpa exclusiva da vítima ( admite-se na relação de consumo, porém não em matéria criminal ). A identificação da vítima é feita com o Nordestino, por acaso Presidente da República. Cai totalmente a máscara desta construção quando se vê o nível de crítica sexista, machista e reacionária com exatamente a Presidenta eleita : seria inepta, porque noviça politicamente ( assim como Lula ); seria perigosa , porque terrorista ( com provas forjadas por quem acusou); seria desqualificada para o cargo (porque, inicialmente, só um Nordestino – pseudo-incapaz – a endossara) ; incapaz ela própria , por não saber falar, articuladamente ( e o crédito da resistência espetacular aos ataques abaixo da linha da cintura, durante a campanha, a lhe evidenciar o caráter… onde fica o reconhecimento?). Deste jeito , do alto deste esgoto de discriminação , não haverá quem se salve…Nem tampouco quem intentar afogar os gloriosos "cabra da peste"…

Responder

Francisco

12/11/2010 - 21h43

Gente do céu e ela ainda dá aulas ! Chico

Responder

rita

12/11/2010 - 21h41

no blog do jornalista luis nassif existem dois textos referentes a essa professora da usp.

Responder

Ribamar Silva

12/11/2010 - 21h37

Com estes argumentos incitantes pela Prof(a) Janaina,é possível que a mesma,esteja necessitando urgentemente de rever seus conceitos,pois tem- se demonstrado: " COMPLETAMENTE A FAVOR,DO CONTRÁRIO QUE A NOSSA CONSTITUIÇÃO E A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS DEFENDEM'. Resumindo:PAGOU COLANDO AS CADEIRAS DO CAMPO SOCIAL.

Responder

Bury

12/11/2010 - 21h31

Desde a eleição eu não me sentia tão mal com algo quanto me senti hoje, quando me deparei com esse monte de excrementos da "doutora" Janaína e o outro texto, o do "jornalista" Leandro Narloch. O fascismo, agora além de vir diplomado, também conta com a definitiva chancela da grande mídia. Apavorante!

(PS – Será que essa "advogada" é da mesma turma do "especialista em direito canônico" daquele texto inquisitório e vergonhoso que a Folha publicou há algum tempo e reproduzido aqui no Viomundo? Mistéééééérioo….)

Responder

Mara Goes

12/11/2010 - 21h29

"O Brasil sempre foi exemplo de união. Apesar das dimensões continentais, falamos a mesma língua."
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Responder

Janes Rodriguez

12/11/2010 - 21h29

E essa Janaína ensina numa universidade pública, e transmite a seus alunos, ou suas vítimas, essas concepções arrevezadas, atravessadas, confusas, preconceituosas e racistas, para negar a existência das elites, do separatismo histórico de São Paulo e seu desprezo, o dos paulistas em geral, pelos nordestinos. Essa moça ensina isso em suas aulas. Não admira a decadência da USP, não admira a redução de alunos oriundos da escola pública nessa instituição paulista.Essa moça é professora!!!! Fazem ideia do perigo que isso representa? E além de tudo ela é burra, semi-formada. É como aquela gente que diz que "os comunistas querem introduzir a luta de classes no Brasil", como se não houvesse classe dominante e e classe dominada e explorada, acusa o Lula de acusar as elites de serem elites como se as elites não existissem, como se não exixtisse no Brasil 1% de proprietários de terras que se apossaram, pela grilagem e pelos privilégios, de 50% das terras agriclturáveis do país; como se não houvesse uma brutal concentração de riqueza nas mãos de 20 mil famílias – parte ínfima da elite econômica – fazendo um país em que se governou historicamente para e por 10% da população. Ela fala como se tivesse sido o Lula o inventor das desigualdades sociais, da brutal hierarquia de classes, da exploração do trabalho de forma desumana e indigna. Essa guria é doida e está dando aulas, ensinando o quê, minha gente!!! Ela é uma ameaça não só à democracia mas ao conhecimento, à universidade e aos pobres alunos que terão por verdade científica um monte de baboseisas sem conteúdo, consitência teórica, historicidade e sem relação com o mundo real. A sociedade protetora da juventude estudantil tem que fazer alguma coisa. É nisso que a USP está se transformando? Pais e mães que tem apreço ao saber e ao conhecimento livrem seus filhos dessa farsante disfarçada de professora!

Responder

Paulo

12/11/2010 - 21h29

Sinceramente não entendi o porque da carta desta sra. neste site, por mais democrático que seja. Parece conversa de advogado de porta de presidio (será que já está contratada pra defender a patricinha racista?). Eu sou paulistano, nascido no bairro do Brás, votei em Lula, votei em Dilma, em não votaria no candidato tucano, por representar o que há de pior no país. Aliás, o "santinho" do Aécio não ia, logo após as eleições em uma reunião da ulta-direita, divulgado pela própria midia do PIG? Com relação ao que a tal sra. comentou sobre Lula é simplesmente ridículo!!!

Responder

Gerson Carneiro

12/11/2010 - 21h27

"É o nosso presidente quem faz questão de separar o Brasil em Norte e Sul. É ele quem faz questão de cindir o povo brasileiro em pobres e ricos. Infelizmente, é o líder máximo da nação que continua utilizando o factoide elite, devendo-se destacar que faz parte da estigmatizada elite apenas quem está contra o governo" – advogada, é professora associada de direito penal na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.

É para chorar ou é para sorrir?
Se eu tivesse uma professora dessa eu juro que eu desistiria do curso.

Responder

Paulo Pacheco

12/11/2010 - 21h26

Esta senhora crê que somos um bando de idiotas. Acorde para os fatos, madame: há 86% de aprovação de Lula por TODOS OS BRASILEIROS, e 56 milhões de votos para a próxima presidenta. Quem abriu o caixa de pandora foi o seu candidato, que quis dividir o país com questões religiosas e falácias moralistas.

Responder

Orlando Bonetti Jr

12/11/2010 - 21h26

Ela somente está fazendo as preliminares, com certeza foi constituida para a defesa de Mayara.

Responder

Junior

12/11/2010 - 21h17

Essa Janaina deve ser mae da Mayara, e alguem com esse pensamento sempre tem vez na Foia.

Responder

aurica_sp

12/11/2010 - 21h15

Acho que A DISTINTA PROFESSORA, deve viver no PLANETA ITAGIBA, é cada absurdo que se ouve. E olhem que a mesma é professora de Direito, ao meu simplório entender, ela mais parece advogada de defesa viu.

Responder

dukrai

12/11/2010 - 21h13

os trolls mudaram para a falha de sp e a culpa da falta de diversão é do Lincoln e a da dupla de 2 jegues, Gerson e Beiraldo.

Responder

joão

12/11/2010 - 21h10

Outra Advogada imbecil, pior que essa se formou trabalha na USP e ainda recebe por isso. Com toda a certeza é uma vergonha para o avô, que ainda bem não precisou ler essa porcaria. Se ela continuar assim vai pegar a vaga do Mainardi na "Zóia".

Responder

Lucio Dias

12/11/2010 - 21h09

Será que a Mayara contratou a Dra. Janaina pra ser sua advogada!? Eu não duvido.

Responder

Ubiratan Rosa Passos

12/11/2010 - 21h07

Com todo o respeito, a senhora Janaína está tendo pesadelos? Ou ela pensa que todos o povo brasileiro é idiota para aceitar sua argumentações ridículas? A Mayara destilou racismo, sim!
A culpa é do Lula…Durma-se com uma afirmação dessa!
A campanha dos tucanos já começou.
A senhora parou para analisar o discurso do derrotado Serra, após reconhecer a votória da Dilma? Já que a senhora é dotada de uma inteligência privilegiada, capte o que há por trás das palavras que ele proferiu.

Responder

Marco antonio

12/11/2010 - 21h07

Uma parte do problema do racismo está na mente e no complexo de inferioridade das vítimas. Não é raro ver uma nordestina ir a São Paulo e voltar três meses depois falando com sotaque paulista, não é raro também ver um paulista que mora a anos em uma capital do nordeste e continua com seu sotaque paulista. Esta doutora é um exemplo, mesmo sendo neta de pernambucano passa a defender uma pessoa que agride seu povo e culpar um presidente que tanto fez pelo nordeste e consequentemente pelo Brasil.

Responder

pedroleonardo

12/11/2010 - 21h02

A professora da USP, além de fazer a defesa de um comportamento inaceitável, utiliza o pretexto do caso Mayara só para atacar Dilma e Lula, atribuindo a este a façanha de dividir o país entre "ricos" e "pobres" e instigar o "separatismo" (o artigo fala pouco sobre Mayara e "sobra" para o governo federal). É como se o processo fosse o inverso: que os nordestinos teriam rejeição aos paulistas e, por conseguinte, Serra teria sofrido preconceito, causa esta do seu mau resultado nas urnas na região Nordeste. Ora, e os 46% dos paulistas que votaram em Dilma? Também têm rejeição a Serra pelo fato dele ser paulista? Provavelmente, não.
A campanha de Dilma explorou justamente o desenvolvimento brasileiro nas cinco regiões, mostrando os avanços como um "todo", da redução da miséria, da desigualdade, do aumento das oportunidades em todo o Brasil. Serra fracassou justamente pela ausência de um projeto para o país. Apostou suas fichas no personalismo, na truculêcia, no medo, na aliança com grupos retrógrados (TFP, Opus Dei, monarquistas etc), não fez questão de escutar os próprios aliados, disseminou o preconceito contra Dilma com ofensas e baixarias por panfletos e pela Internet. Depois disso tudo, a rejeição ao "modelo Serra" é culpa do preconceito dos outros estados contra os paulistas?
Janaína sofre da visão "paulicêntrica" do mundo. Minha família mudou-se recentemente para Sobral – CE (estado onde Dilma teve quase 80% dos votos), pois minha irmã trabalha como pesquisadora da Embrapa naquela cidade. Estive lá e vi que são imensos os avanços naquele estado nos últimos anos, com o Cid Gomes e o governo federal. Quando falo aqui em São Paulo do "Metrô do Cariri", as pessoas dão risada e não acreditam que exista uma linha de trêm de transporte de passageiros (com composições fabricadas em Barbalha-CE!) que liga Crato a Juazeiro do Norte. Infelizmente, as pessoas aqui pouco ou nada sabem como é e o que está acontecendo em todo o Brasil, daquilo que foge dos circuitos turísticos.
Mas dizer que o comportamento racista/fascista de Mayara e dos demais que ofenderam e insultaram os nordestinos é "resultado da política separatistas há anos incentivada pelo governo federal" é de uma precariedade intelectual e desonestidade absurdas. A estudante Mayara reflete o comportamento de parte da juventude urbana paulista(na): gente vazia, individualista, hedonista, preconceituosa, que conhece algo de política por meio do CQC, que pouco ou nada sabe sobre o Brasil. Gente que não conhece e não compreende o resultado das políticas públicas do governo federal por todo o país. Gente que, municiada pela baixaria da campanha de Serra, aproveitou o momento da eleição de Dilma para "sair de trás do armário", Ao defender Mayara e dizer que Serra sofre preconceito de boa parte dos brasileiros (?), a professora só esqueceu de citar que o presidente Lula é o alvo pricipal do preconceito da "elite" paulista, tido como o "nordestino-fugido-da-seca-operário-analfabeto". Não lembrou também da deputada Luiza Erundina, vítima da intolerância dos "separatistas" na época em que foi prefeita de São Paulo.
Não há defesa para comportamento racista. Ainda pior é a autora se aproveitar da discussão, sob o pretexto de defender a estudante, para tentar rotular Lula como o causador da "cisão" nacional e defender seu candidato derrotado nas urnas. Acho que a USP já esteve melhor servida. A Folha também não se emenda: publicou por dois dias seguidos artigos tão desqualificados. O jornal se esforça, cada vez mais, para se enterrar de vez.

Para a autora, só digo mais umas coisinhas: Janaína, não justifique o injustificável. Não brigue com os fatos. Entenda o recado das urnas. Não haverá terceiro turno. Aproveite para conhecer o Brasil. Vá conhecer o Metrô do Cariri. http://www.metrofor.ce.gov.br/categoria3

Responder

    Ane

    13/11/2010 - 14h06

    Pedro,

    Quando eu crescer, quero escrever como você!
    Mas peço-lhe um favor: por mais que você seja avesso à Folha (e eu entendo, afinal é PIG) gostaria que você publicasse seu argumento como resposta lá.
    Porque acho que pessoas lúcidas e esclarecidas às vezes passam por lá, mas não têm estômago para deixarem seus comentários. E acaba que as pessoas que escrevem são sempre as mesmas, com os mesmos argumentos toscos.
    Achei sua argumentação muito boa, uma das melhores daqui. Quem sabe possa iluminar um pouco as pessoas que lêem daquela fonte (de excremento).
    Obrigada!

    pedroleonardo

    14/11/2010 - 16h35

    Ane

    De fato, não tenho mais estômago para ler os jornalões, devo ser mais um entre milhões. Tomei conhecimento do artigo defendendo a estudante por meio da blogosfera. Aliás, a internet, os blogues, as redes sociais, a publicação de vídeos são os principais contrapontos à velha mídia (ou PiG, como preferir) e são a grande "via" para que tenhamos mais opiniões, mais vozes, mais discussão, mais produção. Alguns colegas que antes só assistiam a Globo, liam a Folha ou só acessavam o Uol ou Globo.com, hoje preferem ler Azenha, PHA, Rodrigo Vianna, Cloaca News etc. Creio que o Plano Nacional de Banda Larga será fundamental para esse novo caminho.

    Quanto à Folha, esta escolheu para si o caminho do suicídio. É aquele slogan: "Não deu mais pra ler". Não sei se o jornalão publicaria o texto, mas acredito que o alcance seria maior ainda e teria maior efeito se, por exemplo, você mandasse para lista de e-mails, replicasse ou "retuitasse". Acho que é o melhor caminho, e este não tem mais volta. A gente se encontra pela blogosfera! Valeu!

    Marcia Costa

    14/11/2010 - 10h14

    Valeu pelas informações Pedro. Não sabia que o desnvolvimento no Ceará estava tão avançado. Precisamos, Azenha de reportagens sobre estas realizações. Um antes e um depois em cada cantinho do Brasil pra gente ter argumento contra o preconceito.

    pedroleonardo

    14/11/2010 - 16h46

    Marcia,

    A expressiva votação de Dilma, a reeleição de Cid Gomes e o fim da era Tasso são alguns sinais das mudanças no CE. Há ainda muito a ser feito, principalmente na região metropolitana de Fortaleza, uma das mais violentas do Brasil. Contudo, viajando pelo estado, percebe-se as transformações. As urnas só deram o recado. Muito boa sua dica para o Azenha. Daria ótimas reportagens.

Haroldo M. Cunha

12/11/2010 - 21h01

Putz grilla!!! Essa vai parar no stf, com essa lógica JENIAL, com esse NOTÁVEL SABER JURÍDICO, não tem como o Gilmar Mendes não a contratar!!!

Responder

Pérsio

12/11/2010 - 21h00

A questão central é que o Lula investiu no Nordeste, no Norte, no Centro Oeste, no Sul e no Sudeste, nos outros governos só se olhava pro Sul e Sudeste, então, nada mais justo que os nordestinos e nortistas (principalmente), sentirem o gosto de retribuir o carinho e afeto (investimentos) oferecidos por Lula. Quanto à questão do fracasso de São Paulo, recorram aos tucanos, eles é quem sabem governar esse Estado. Não tenho vergonha nenhuma em dizer que não gosto da maneira dos paulistas olharem para o restante do Brasil, mas nunca se esqueçam que Assis Chateaubriand era paraibano, Epitácio Pessoa também o era, sem contar os intelectuais e empresários nordestinos que soergueram essa nação chamada Brasil. Sim, antes que eu me esqueça: Quem foi mesmo que elegeu Tiririca, Clodovil, Maluf? Já que se acham o máximo.

Responder

ana

12/11/2010 - 20h57

Putzz!!!!! essa foi boa… "CALA BOCA JANAINA"!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Jair de Souza

12/11/2010 - 20h53

Os argumentos de dona Janaína Petruso, digo Paschoal, são muito convincentes. Eles me fazem lembrar aqueles que, ao serem acusados de racistas, logo dizem: "Eu não, eu até tenho um grande amigo que é negro". Agora, falando sério, o ódio que corrói as entranhas de gente como as mayaras petrusos e seus defensores é na verdade o ódio de classe, que poco tem a ver com a origem das pessoas. Para essas mayaras petrusos e seus defensores, Tasso Jereissati, Heráclito Fortes, Agripino Maia, por exemplo, são todos respeitáveis cidadãos. Os que não prestam para eles são os Raimundos e Raimundas, os Severinos e Severinas, os Sebastiãos e Sebastianas que lutam com muita dificuldade para sobreviver em nosso país. Que no governo Lula essa gente tenha conseguido melhorar um pouco sua vida e já possam levantar a cabeça com dignidade, é inadmissível para as mayaras petrusos e seus defensores.

Responder

sergio

12/11/2010 - 20h53

Absurdo o que essa professora fala!
Essa paz brasileira que ela relata é uma farsa, existia enquanto os pobres e oprimidos desse pais ficavam calados e aceitavam os mandos sem questionar. Acabou isso! Cada vez mais teremos de construir a paz verdadeira, não regida pelo costume viciádo das elites ( indicando onde é o nosso lugar) e sim pela lei.
Somos iguais de fato ou só porque nos calávamos diante dos poderosos. O brasileiro pobre vai disputar de igual ara igual todas as oportunidades que esse pais oferece nesse e nos momentos futuros e isso vai incomodar muita gente. Vamos ver se somos tão solidários como dizem por aqui?

Responder

Rafael Andrade

12/11/2010 - 20h52

Que pensamento mais torto! No mínimo deve achar, assim como Serra, que a educação em São Paulo está ruim por conta dos nordestinos.

Responder

    juarez

    12/11/2010 - 22h14

    hoje nós nordestinos,não sofremos mais da síndrome do viraláta,esse mal nos atingiu na éra FHC,agóra ja fazemos parte da sociedade de consumo,estamos inserido no grande BRASIL,qto a eleitora do serra,ela deve fazer parte do pequeno grupo dos NEOS………….

joão bravo

12/11/2010 - 20h51

Gente como a Mayara e esta "professora" só se benzendo .
Nunca fui supersticioso, ou melhor, resisto muito em sê-lo. Dizem que a superstição é a religião dos fracos então, procuro me policiar.

Minhas irmãs, por sua vez, sempre andam ás voltas com benzedeiras, cartomantes, rezas, despachos. Sempre tem alguma simpatia, seja para furos em pneus até estouro na conta corrente.

Em umas destas voltas que a vida dá, me vi mergulhado em problemas, parecia nadar em má sorte, tipo: “um dia, dois problemas”, coisa normal, mas que á época parecia sem explicação e fora de propósito.

Minhas manas correm a uma cartomante, destas que desentortam até arco- íres e advinha?…de acordo com ela as coisas estavam pretas pro meu lado, até o universo conspirava contra mim e por óbvio, minhas irmãs não permitiriam que eu caísse as garras de inimigo tão poderoso.

Assim, não me perguntem como, mas conseguiram arrastar-me até uma benzedeira para de inicio, um banho de descarrego.

Nas contas de minha vida, não consigo lembrar de algo mais constrangedor.

Chegando lá, ela veio com alguns galhos de arruda, como que a fazer um teste de reação alérgica, sempre rezando em baixo tom.

Concluída esta etapa, conduziu-me até um quarto, decorado com motivos religiosos, mandou que me despisse, ficando só de cuecas, e após ficasse em pé, dentro de uma enorme bacia de alumínio, eu me sentia uma parabólica buscando sinal do além.

Era um mês de julho, e aqui no sul, este mês costuma ser um aperitivo do inverno, e eu ali, magro, retesado e só de cuecas, era uma visão dantesca.

Minha pele, parecia pele de galinha frita, de tão arrepiada. Minhas cuecas, quase não paravam nas saliências de meus ossos da bacia.

Quando senti um punhado generoso de sal, seguidos de sussurros de preces, começando a ser esfregado pela cabeça, depois no pescoço, nas costas.

A sensação que eu tinha, era de estar sendo desbastado com uma lixa 100, ou então, massageado com um ralador de coco. Aquilo fazia a sensação térmica ser de um grau negativo. Eu era só tremores.

Terminada a sessão, não pude sair dali de pronto, ela pediu-me que ficasse imóvel na mesma posição por alguns minutos, tipo, aguardando a aprovação dos mediadores.

Neste momento flechei os olhos em um pequeno espelho que só agora percebera.

A visão foi terrível, ver a mim mesmo, em pé, dentro de um bacião, magérrimo e com o corpo coberto por cristais de sal, foi demais para mim, eu mais parecia um palitinho da Elma Chips.

Quando saí, todo envergonhado, arranhado e vermelho, minha irmã sentindo-se realizada por ter me convencido diz:

-Ah!…agora sim, entrou pálido e caidinho, e agora ta aí, corado que dá gosto!

Responder

    dukrai

    12/11/2010 - 22h36

    foi pra matar de rir, uma parabólica em busca de um sinal do além kkkk por pouco não capta o ectoplasma do Vampiro Brazileiro

    Miriam

    12/11/2010 - 23h22

    Ah, vá! Aposto que daí em diante não aconteceu mais nada fora de propósito. Tem que se benzer mesmo.

    Carmen

    13/11/2010 - 00h16

    Você não falou o principal…deu certo????? seus problemas acabaram????

    Wildner Arcanjo

    13/11/2010 - 10h12

    Este foi o melhor post que já lí nesse site!

    Muito engraçado mesmo!!!

Roberto

12/11/2010 - 20h49

Deixa ver se entendí:
a) os brancos (de zóio azul) escravizaram, maltratarm e humilharam os negros;
b) tentaram fazer o mesmo com os índios;
c) usam o PIG e fazem uma campanha eleitoral sórdida, semeando o ódio e o separatismo.
No fim a culpa é da vítima?!
Como diria aquele personagem do Chico Anysio:
"É impissionante!" sic

Responder

Raquel Oliveira

12/11/2010 - 20h48

A professora Janaína está certíssima.
E não foi a primeira a perceber o viés maniqueísta do molusco demagogo.

Para sorte das futuras gerações, é evidente que não durará um ano a luta fraticida das quadrilhas da "base de apoio" governista por cargos. A "base" estará esfacelada em pouco tempo, mesmo com as interferências de Sarney, Renan Calheiros e Ciro Gomes.
Restará então à Dilma, se quiser terminar o mandato, buscar apoio junto às pessoas que trabalham honestamente e prezam a liberdade, o respeito e têm consciência de que, mais que direitos, o cidadão tem deveres, e livrar-se dos sindicalistas parasitas e coronéis do atraso que empesteiam o Governo e as estatais.

Responder

    Gersier

    12/11/2010 - 21h41

    Vc pra ser mais explícita,deveria nos mostrar quem trabalha "honestamente".O Paulo Preto não vale porque já tá queimado.A Soninha também não vale porque queimou… um cigarrinho e tá muito brava porque o filhinho não vai ter uma "boquinha" no "governo" serra,o mais preparado. O Arruda que seria vice? Honestíssimo e preocupado com o natal dos pobres que chegaria uns nove meses depois, mas se empaturrou de tanto comer panetone? O índio substituto imposto na marra,também não vale porque engasgou com as merendas.Agora,o que vc quis dizer com "se quiser terminar o mandato"? Hummmmmmmmmmm. A liberdade que vc fala é a do serra?Aquele que coloca fita debaixo do braço e evapora? Aquele que pergunta aos repórteres quem são seus patrões para depois ter uma conversinha via telefone nas "insones madrugas" com os mesmos? O respeito que vc fala é o do serra?Aquele que chamou as meninas lindas de Uberlândia de prostitutas?Vá te catar ô imbecil.

    Bruno

    12/11/2010 - 22h09

    Ugh! Não é que apareceu mesmo alguém pra dizer que é culpa do Lula? Parece piada.
    Viu querida trolla, a eleição já passou, a Soninha não vai mais te pagar um tostão, trabalho encerrado. Não adianta hora extra.
    E vem cá: "pessoas que trabalham honestamente e prezam a liberdade, o RESPEITO e TÊM CONSCIÊNCIA". Por acaso vc não ta incluído nesse grupo a Mayara, que disse com todas as letras que "nordestino não é gente, faça um favor a S.Paulo, mate um nordestino afogado!"? Afffe… cadê o respeito e a consciência afinal?? E olha que ela não tá sozinha nessa "filosofia"!

    ivomar

    13/11/2010 - 00h18

    O crack esta invadindo a faculdade de direito da USP. Observem o raciocinio de uma viciada em crack. Porque se essa professora não for viciada uma idiota ridicula..

    Jânio Feitosa

    13/11/2010 - 02h10

    Ainda bem que Paulo Preto, Daniel Dantas, Eduardo Jorge, Joaquim roriz, José Roberto Arruda, Eduardo azeredo estão na base do governo, né?
    Esses, mais o indio, Roberto Jefferson, entre outros "limpinhos", formariam um timaço.
    Quem dilapidou o patrimônio do país tem moral pra falar de um governo com aprovação de 83%? Os 16 anos de "excelente" governo do psdb (mais 8 de FHC) não resolveram os problemas de saúde, segurança, educação de São Paulo. Por que? E os alagamentos, já acabaram? Segundo o "competentíssimo" zé baixaria, ele tomou várias medidas de prevenção quando foi meio governador. Alckmin pode ficar tranquilo que assumirá um estado sem problemas.

    ana cruz

    13/11/2010 - 10h15

    Os defensores de Hitler também dizem que a culpa do holocausto foi do povo judeu.

Afonso Pojuca

12/11/2010 - 20h46

Por favor,quem pode me explicar o que significa "professora associada", da USP?

Responder

    sonia amorim

    12/11/2010 - 22h19

    É o penúltimo grau na carreira docente, antes de Professor Titular. Corresponde ao antigo Livre Docente…
    Aproveito pra manifestar minha surpresa, indignação e ojeriza pelas afirmações da professora uspiana. Lamentável!

    ana cruz

    13/11/2010 - 10h17

    Deve ser alguma associação nazifacista da raça superior paulista.

Márcia Aranha

12/11/2010 - 20h45

Que imbecil… Bem, o atual Reitor da USP veio de lá, do Largo São Francisco… Escolhido numa lista tríplice onde foi o segundo colocado. Por Serra…

Alguma novidade?

Responder

Yoshinao Konishi

12/11/2010 - 20h26

Parabéns professora e doutora Janaína. Em poucas linhas transformou o presidente Lula em fomentador de uma guerra de secessão, o presidente Vargas em "mãe" dos ricos, a estudante Mayara em uma ingênua paulistaninha e o Serra em vítima de preconceito generalizado por ser um paulista. A senhora é uma "jênia"!!!!!

Responder

    Henrique Finco

    12/11/2010 - 20h59

    Professora? Imagino que muitíssimos colegas da USP estejam envergonhados com tão professoral companhia…

Margarida

12/11/2010 - 20h22

Não é à toa que a Mayara é estudante de direito.Com professores capazes de expressar esse tipo de raciocínio, a proliferação de mayaras é consequênca inevitável.Mas o pior de tudo é que a fessora revela em sua baboseira um total desconhecimento de fatos relacionados à presidente eleita, ou será pura má-fé? Com relação ao que ela atribui ao presidente mais querido e mais importante do Brasil, aí sim, fica clara a deliberada desonestidade.Ela não quis defender a Mayara, seu objetivo foi, aproveitando-se do triste episódio, destilar seu próprio veneno, fabricado na oficina do odiento preconceito , tão bem utilizado na recente campanha eleitoral por aqueles que ela defende e considera vítimas.Acorda , fessora, o povo, principalmente o nordestino, já faz um tempinho que vem deixando de ser conduzido. A consciência cidadã dos brasileiros é muito maior do que sua cabeça tacanha.Vá se instruir um pouco mais, profa, que a fila está andando.Não vá ficar à beira do caminho, pois, nessa batida, nem sua cátedra irá salvá-la.

Responder

Adriana Bergbahn

12/11/2010 - 20h20

Só podia ser na Folha. Lamentavel, prof Janaina, como vc torce a verdade. Para que mesmo? Imortalizar sua capacidade de misturar estação? Seu texto é um patchwork raivoso, jenial! Por que vc nos informa que seu avô é pernambucano? Estranho, muito estranho….
Eu concordo com a Professora Heloisa e isso não tem nada a ver com o lugar que meus avós, ou os dela, nasceram.

Responder

Maria de Fátima

12/11/2010 - 20h17

A Professora Janaina Conceição Paschoal demonstra ser leitora assídua da Revista Veja(não). Como Professora Associada da USP poderia selcionar melhor suas fontes de informação. Pior do que isto é usar o "álibi perfeito": sua ascendência nordestina. Que coisa feia, professora Janaina!

Responder

francisco p.neto

12/11/2010 - 20h14

Pois é!
Estava na cara que o comentário não foi redigido por nenhum nordestino, dono de botequim do Capão Redondo, ou da Vila Romana, ou Jardim Pantanal, ou das favelas Paraisópolis ou Heliópolis.
Se você não pode vencer o inimigo, una-se a ele.

Responder

Salomão Junior

12/11/2010 - 20h13

Parabens pelo comentario Prof. Heloisa.

Só queria acrescentar ao seu comentario, que este racismo sempre esteve no dia-a-dia em SP.

Responder

Widmark

12/11/2010 - 20h11

Dona Janaína só fica feliz e com a "boca escancarada cheia de dentes esperando a morte chegar" quando visita o nordeste e distribui presentes e bugigangas da 25 de março para os primos pobres, agora a mesma fica triste e incomodada quando os mesmo primos hoje visitam os Shoppings Morumbi, Eldorado, Ibirapuera e outros pontos chiques da paulicéia. No seu saber explorador eles nunca deveriam ser engenheiros, médicos, assistentes sociais ou outros profissionais graduados, deveriam ser sempre pau-de-arara, pedreiro, cobrador de ônibus, guardador de carro, assaltantes e outras classes marginalizadas. É assim que caminha a humanidade perdida e preconceituosa como Dona Janaína, Mayara e outros racistas e sem rumo, ou melhor que perderam o norte.

Responder

Fátima Sousa

12/11/2010 - 20h10

Que absurdo! O Lula foi o Presidente que mais atuou para conseguir um pouco mais de equidade entre as classes brasileiras. Com a falta de estudo que sempre lhe atribuíram como defeito, foi capaz de compreender a máxima: "devemos tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na medida de sua desigualdade". Quem entrou por esse viés de bolsa esmola pra Nordestinos foi a campanha tucana, que só moderou o discurso quando percebeu que perdia votos com essa linha de raciocínio. A Mayara só se alimentou dessas idéias, ruminou e depois vomitou no twiter a bobagem que todos nós já sabemos. Com isso angariou mais uns seguidores que acharam chique partilhar das idéias da burguesinha ignorante. Essa defesa que a professora tentou fazer tem argumentos tão tolos quanto à própria Mayara!

Responder

    ana cruz

    13/11/2010 - 10h11

    Para a "professora" a verdade tem que ser jogada debaixo do tapete, para ficar bem escondida dos olhos, assim ela não existirá. É, literalmente, o que os olhos não vê, o coração não sente. É simples assim. Ai tudo ficar como antes no quartel de abrantes. O Brasil para o mundo com a imagem de uma democracia racia e social, l livre de qualquer especie de preconceitos, enquanto a elite impune se locupleta ilicitamente. É ou não perversão? Dá nojo.
    Lula é culpado porque enfrentou a desigualdade regional e social. Colcou o dedo na ferida.

Mauro

12/11/2010 - 20h07

Tem certeza que é professora da USP? Com argumento tão infantilóide…

Responder

    Sérgio

    12/11/2010 - 21h34

    Está explicada a queda da USP na avaliação de instituições internacionais. Se continuar com "professores" do nível dessa senhora Janaína, em breve, sequer aparecerá entre as 500 melhores instituições de ensino do mundo.

    Marcio Gaspar

    12/11/2010 - 21h57

    Eh sim, mas da Faculdade de Direito? sabe qual classe social estuda la? heheheh. Tem que agradar estah turma, neh!!.

    Heitor Rodrigues

    13/11/2010 - 08h57

    Acho que ela é professora da CUSPE. Só saliva e trololó.

maria13

12/11/2010 - 20h03

O Brasil é um país estranho! A "elite" odeia mais os pobres que o inverso. Se alguém (não pobre, não negro, não nordestino) comete um ato grave, logo aparece outro(s) para defender, para por panos quentes. O caso do Monteiro Lobato, seus livros para crianças pequenas introjetam nelas as idéias do autor, reconhecida e comprovadamente racista. Se esses livros são nocivos para a formação de negros e brancos, por que o CNE deveria recomendá-los? Assim o Brasil não caminha para atingir a
tão sonhada igualdade. É triste.

Responder

    ana cruz

    13/11/2010 - 10h06

    A elite odeia tanto que pune implacavelmente e joga literalmente em pocilgas(cadeias imundas e desumanas) os pobres, prostitutas e pretos ladrões de galinha,
    enquanto, ela, a elite, impunemente, se locupleta das riquezas produzidas pelo povo.

    É ou não pura perversão?

natalia Calil

12/11/2010 - 20h02

tenho vergonha de ser paulista cada dia mais,paulista só pensa em si não pensa nos outros a minha cidade foi a q maior teve votação no serra foram 60 % e depois o povo quer uma vida melhor hahaha. Sou petista meu pai trabalhou na campanha de 89,minha tia é professora ja apanhou mto de policial em greves em sp.tinha q desabafar

Responder

eli

12/11/2010 - 20h01

Engraçado, ela se acha elite – os 5% da população burguesa que manipula o povo. Esta segregação que se faz aos mais pobres existe a bastante tempo, não é nada novo, com a internet fica mais aberta. Por séculos, o Norte e Nordeste foram esquecidos pelo poder público, só nos últimos anos tivemos a preocupação com o desenvolvimento regional – o sul, ainda, está em divida com estas regiões e continua transferindo as riquezas do NO e NE para lá

Responder

Junior

12/11/2010 - 20h00

Gostaria de saber em que mundo essa senhora vive! Falar que o presidente Lula incentiva o preconceito é fechar os olhos para o preconceito que esse homem sofreu a vida todo por ser operário, por ter um defeito físico (quem não se lembra da mão sem o dedo como proibido estampado nos carrões de São Paulo) e principalmente por defender os mais pobres. O que ela quer dizer com dividir o país deve ser pelo fato dele defender os mais necessitados. Como se só houvessem necessitados no nordeste. Realmente o Nassif tem razão. O nível de argumentação dessa senhora não está de acordo com o nível que deveria ser exigido para ser professora de uma universidade como a USP.

Responder

Felix Meira Moraes

12/11/2010 - 19h58

no maximo o que podemos dizer eh que mayara estah pagando sozinha por milhoes de outros iguais a ela. entre esses milhoes, janaina conceiçao, com essa defesa, entrega-se.

Responder

    Ricardo_Alves

    12/11/2010 - 21h04

    acabo de ler o que a fessora disse, logo absolvi a mayara, realmente ele nao tem culpa, de nada. pobre crianca rica influencia por fessoras deste nivel.

cleusa

12/11/2010 - 19h57

É isso ai Heloísa você definiu com exatidão o que eu pensava enquanto, a duras penas, lia o texto dessa "neta de nortestinos já purificada".

Responder

Jorge

12/11/2010 - 19h55

Se nossa juventude tem sido educada com base nestes argumentos e valores, justifica-se a queda na qualidade do ensino. Pior ainda chamarem tais personagens como professor!

Responder

sadaki yama

12/11/2010 - 19h52

Quem pratica o apartheid social atraves do dinheiro e atraves da força do poder economico exercido sobre as funçoes do Estado nao e culpado ¡¡¡
Estranho , muito estranho e absurdo.
Culpado e quem trabalha para abrandar essa violencia e construir uma sociedade mais justa. Alguns denunciando, outros com trabalhos sociais voluntarios, outros pesquisando, et coetera.
Logo Lula, lider e executor de politicas publicas para eliminar essas desigualdades sendo acusado da cisao cimentada ao longo de 500 anos. Reconhecido por todos os brasileiros, e pela populaçao mundial.
O que podemos concluir ?

Responder

Jorge Pimentel

12/11/2010 - 19h51

Bem, com certeza a tal janaína é Psdb, votou no Serra e perdeu feio, a tal professora deita falação para defender uma criminosa que pregou claramente, em alto e bom som, morte aos nordestinos, muitas vezes tenho vontade de tecer comentários acerca de determinados jornalistas da direitona, mas não o faço pq sei das consequencias, a tal Mayara não é nenhuma criançinha desprotegida, sabe muito bem o que escreveu e que recaia sobre ela as duras penas da lei. A rejeição pelo candidato da professora se deu pela sua incompetência em ganhar uma eleição e pela graça de DEUS ele não se elegeu e nunca se elegerá, Será será o pior presidente que o Brasil nunca teve. Graças a DEUS. Pimentel- RS

Responder

Heber

12/11/2010 - 19h51

Eu, paulistano do Brás, que hospedou espanhois, italianos, portuqueses pobres e sem cultura, que hospedou judeus, árabes, coreanos, chineses, que mal falam nossa língua, que hospeda bolivianos, peruanos, chilenos e colombianos, que vendem seu sangue e sua alma em busca de uma vida digna como todos os anteriores, conclamo Paulo Paim a visitar este rincão por ocasião dos festejos em homenagem a um dos mais combativos e digno brasileiro.

Responder

Wagner Martos

12/11/2010 - 19h49

Azenha, isso não é uma carta de leitor, é um artigo publicado na coluna Opinião da Folha. Desculpe-me sujar seu blog com esse nome, mas é pelo bem da verdade.
Só mesmo esse jornaleco, que já defendeu a ditabranda tem a cara de pau de publicar uma enorme besteira como essa.
A dona Conceição deve estar feliz da vida pois agora ficou mais conhecida da sociedade e deve conseguir uns clientezinhos a mais.

Responder

paulo chacon

12/11/2010 - 19h49

Esta tal de janaina foi atingida por uma bolinha de papel que danificou o neurônio tico. O teco está na UTI.

Responder

Gabriela

12/11/2010 - 19h47

Seguindo o pensamento da Dra. Janaina, também devemos soltar todos os ladrões fruto da desigualdade social do país.

Responder

evaristo

12/11/2010 - 19h47

O Brasil, desde o seu descobrimento foi governado pela minoria pertencente a elite incrustrada em partidos políticos. Todos que presidiram esta nação até 2002, procuraram atender os interesses de grupos e setores da sociedade dominante em.detrimento do povo, este formado por POBRES E ESQUECIDOS. Portanto, precisou alguém proveniente dessa maioria esquecida, galgar a mais alta e nobre posição, a de Presidente do Brasil, para promover a primeira, porém, ainda tímida, distribuição de renda, Agora, vem a advogade e professora Janaína, dizer em sua peroração de que: "não há que se falar em governo para pobres ou para ricos" . Diz, ainda, que a culpa de ser racista não cabe à Mayara, sendo necessário e urgente denunciar que ela é resultado da política separatista há anos incentivada pelo governo federal. (leia-se LULA). Dra. Janaína, sua tese se apresenta inaceitável, pois, se aceita, poderíamos dizer que todos os crimes são resultados da política de exclusão praticada por todos os governos anteriores, que sabemos ser responsável pela fome e miséria que assolaram os filhos deste solo. Pátria amada Brasil.

Responder

Beto Crispim - BH

12/11/2010 - 19h46

Janaina Conceição, mais uma serrista desolada.

Responder

Donizeti

12/11/2010 - 19h45

A Advogada e Professora da São Francisco Janaina, meu Deus, a que ponto chegamos, deve ser signatária daquele MANIFESTO SÃO PAULO PARA PAULISTAS.

Meu Deus, a que ponto chegamos, que saudades das aulas do Mestre Gofredo da Silva Teles e outros gigantes do direito da USP, eu me formei na SANFRAN, década de 80.

Que profundidade do pensamento da Janaína, mal amarra todos os preconceitos cultuados pela mídia conservadora contra o governo Lula e a situação social no Brasil.

Realmente, os responsáveis pela miséria no Brasil são os pobres !!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

ivan

12/11/2010 - 19h44

Concordo, e nesse sentido o catalizador foi a campanha presidencial e não a coitadinha, exemplo claro de pobreza de espírito, como afirmou a professora.

Ivan, estudante de jornalismo.

Responder

Elizete

12/11/2010 - 19h41

Acho uma irresponsabilidade esse texto da professora Janaína, como pode realizar uma análise de tamanha complexidade de forma tão simplista, determinista. Ela sabe se realizar uma investigação séria vai se deparar com a origem de toda essa polêmica, hipoteticamente eu arrisco um palmite: Campanha do candidato derrotado, José Serra.

Responder

L. Settineri SAROBA

12/11/2010 - 19h41

Acho que o povo do nordeste deveria pedir desculpas aos paulistinos (adorei o neologismo!), afinal afogar uma pessoa nascida no nordeste aqui ou ali é um esporte que já foi praticado inclusive pela administração municipal da capital paulista nas enchentes do início do ano. Vocês lembram da "Mata-mendigo"? Aquela secretária de "bem estar social" que jogava os mendigos no Rio da Guarda? Será que já seria percursora deste movimento cívico (cínico?) dos paulistinos?
Quanto ao surgimento de várias Mayaras, só se for em Sumpa, pois o povo brasileiro em todos os estados são extremamente hospitaleiros e amam os povos do Oiapoque ao Chuí! Tente lembrar a parte "social"do curso que fizestes (não é Ciências Jurídicas e Sociais?) e fazer uma análise mais coerente, prezada causídica!
Saroba

Responder

Lili

12/11/2010 - 19h39

Qual o Brasil que essa Janaína vive? O Serra sofreu rejeição não pq é paulista, mas pq é um direitista que assumiu uma posição ultra reacionária, além de ser incompetente como governador de SP e suposto corrupto. E dizer que o Brasil não tem divisão de classes? Como assim? Sinceramente!

Responder

Bertold

12/11/2010 - 19h39

Muito sagaz e inteligente a profa. Janaina. Quem fêz o texto para ela assinar? …o Diogo Mainard? …o Reinaldo Azevedo?
Amei o brilhante argumento. Pena que eu também sou filho e neto de nordestinos e não consigo entender suas magnificas idéias.

Responder

Dimitri

12/11/2010 - 19h38

que texto ridículo!
espero como estudante de direito que sou nunca ser aluno te tão funesta figura!
que imbe…l!
e espero como profissional talvez um dia cruzar com uma mente de tamanha pequenez e mostrar-lhe que é possível ter o Direito e a Justiça do mesmo lado! essa figura nefasta que se diz professora só entende de Direito,há tempos pedeu de vista o que é bom,justo e lícito!

Responder

juarez campos

12/11/2010 - 19h37

Temos a felicidade de sermos um grande país com uma única língua e unidade territorial. Esquece a professora que o cisma existe há muito tempo e sempre é fomentado por pessoas da elite sulista, principalemente de São Paulo e do Rio Grande do Sul.
A Professora deveria verificar a Guerra dos Farrapos e a Revolução de 32 que queriam nada mais nada menos que dividir o país.
Quanto a afirmação de que São Paulo produz e o resto come é uma besteira de marca maior, pois se São paulo fosse um país, qual a razão de um mineiro (que também é discriminado aqui) comprar um automóvel de segunda em SP e deixar de adquirir um europeu com toda qualidade? Verifica-se que na verdade São paulo se locupleta dos outros Estados, para quem vende intensamente.
São Paulo na verdade depende do resto do Brasil e não o contrário.

Responder

Luciana

12/11/2010 - 19h35

Dez para Heloísa e Zero para Janaína, que obviamente votou no Serra.

Responder

Pitagoras

12/11/2010 - 19h32

Em que mundo vive a Prof. Janaína? Será que também acredita em duendes, papai noel, saci-pererê?
Nasci, cresci e vivi boa parte de minha vida no sul "maravilha". Há 65 anos que ouço os sulistas tratarem aqueles que nascem ao norte da Bahia como "paraíbas-de-obra". Se só isto não é preconceito, preciso jogar fora meu Aurélio online e atualizado.
O que mais me preocupa é constatar o tipo de gente que está cursando Direito. Atropeladores de inocentes, filhos de treficantes e de gangsteres, bandidos de toda espécie, e pessoas como a mal-fadada "pobrezinha". Pensar que em breve estarão advogando, julgando, acusando, com vidas de cidadãos em suas mãos é aterrador. Ministros de Cortes Superiores, juízes, advogados, promotores, estarão contribuindo para o pior judiciário da face da terra, com exceção, sem qualquer preconceito, para aqueles de países da África profunda.
À propósito, o sul de maravilha pouco tem. Tornou-se invivível e a única atitude possível é abandoná-lo.

Responder

Elizete

12/11/2010 - 19h31

Essa professora Janaína está querendo convencer quem com esse seu discurso de direita, que intenciona responsabilizar o presidente Lula. Ora, Lula é tão pacificador que o chamam "paz e amor". Os próprios elementos utilizados pela professora, em defesa de sua análise, por si, só já são discriminatórios e indutivos, não existindo a neutralidade científica. Uma análise séria a respeito da situação envolvendo a Mayara e que demonstrasse preocupação com o bem estar geral da sociedade seria ir na raiz, na fonte que formentou truoxe á tona a questão do preconceito

Responder

Roberto Gomes

12/11/2010 - 19h29

Parece texto do Reinaldo Azevedo, acho que ele escreveu e ela assinou, cupaldo é o poste que o carro bateu, fala serio.

Responder

Marcelo de Matos

12/11/2010 - 19h29

Mayara precisará mesmo de um profissional que a defenda. É claro que na Justiça, não na mídia, porque seus despautérios são injustificáveis. Como justificar perante o público as suas ofensas? Ela cometeu um crime e terá direito a defesa. Na Justiça, insisto. Será que é possível justificar qualquer crime perante o público? Mesmo botando a culpa no Lula, acho que não. Jânio Quadros dizia: Culpam-me de tudo. Até mesmo de Pedro Álvares Cabral ter errado o caminho das Índias e descoberto o Brasil. Lula, para a mídia e certos setores da sociedade, herdou as costas largas de Jânio. A sociedade brasileira precisa começar a olhar para si mesma. A precariedade educacional do país é culpa do Estado? Mesmo que haja maior investimento em educação a situação não mudará em curto prazo se a sociedade não contribuir com disciplina, empenho e valores. E nenhuma reforma política, tributária ou financeira será perpetrada se não houver empenho da sociedade. Como conciliar essas reformas com a corrupção, a sonegação e a agiotagem?

Responder

Gersier

12/11/2010 - 19h27

Essa mulher, apesar dos títulos, é uma completa idiota. Me fez lembrar uma que ,antes da eleição em uma chacrinha, deitava falação contra o Lula e o "bolsa esmola". Branca, "doutora", se gabava de ser "esclarecida". Na mão, uma revista veja que exibia com orgulho, para “comprovar” o que ela falava.Aí não resisti e disse a ela que apesar dos seus diplomas, não passava de uma manipulada desinformada que não conhecia nem o Brasil e muito menos a sua gente. Ela espantada ficou sem resposta. Disse a ela, vc é uma das muitas pessoas que se formou em Universidade Federal e critica o Governo que quer dar as pessoas carentes o mesmo direito que vc teve. Aí falei do PROUNI, do REUNI, do PAC, da melhoria de vida dos brasileiros mais carentes, de empresários que contrataram mais funcionários. Disse a ela que a veja é escrita sob medida para pessoas sem visão da realidade como ela. Um irmão dela me ligou depois dizendo que todo mundo gostou da minha reação, fazendo-a calar a boca, porque além de “metida a besta”, ninguém na família apoiava o racismo dela.

Responder

edu marcondes

12/11/2010 - 19h26

Sempre é bom lembrar que a "estudante Mayara" é apenas uma espécie de porta-voz incidental de um elitismo e intolerância que graça entre setores da sociedade paulista, mormente entre os mais bem bafejados pela sorte, pela riqueza, conforto e instrução formal, mais conhecidos como a elite branca, que não foi criada pelo presidente Lula, mas que de há muito existe e com êxito tem mantido seu status sócio econômico e político.

Responder

Gerson

12/11/2010 - 19h24

Prof., para seu governo,

…a rejeição sofrida pelo candidato da oposição, ocorreu porque ele é um FALSO DA ELITE.

Responder

Sergio

12/11/2010 - 19h23

Para defender sua tese, Janaína equivale elite e São Paulo. Não foi o Lula que "descobriu" que a elite brasileira é predatória. Até mesmo um prefeito de São Paulo, do DEM, chegou a acusar publicamente essa elite. Lula também não deixou de fazê-lo, mas até brandamente, dada a sua postura quase sempre conciliatória.

Mas São Paulo não equivale à elite. São Paulo é só um pedaço grande (em parcela da população) do Brasil. Tem elite e, ao lado dela miseráveis. Desigual como todo o Brasil. Janaína fala como se em São Paulo só houvesse ricos, mostrando uma absurda miopia.

Responder

newps

12/11/2010 - 19h23

Parabéns a professora Heloísa. Há pessoas que perdem grandes oportunidades de não serem ridículas, como a advogada Janaína. Tenho muita pena de ver uma pessoa passar por um vexame desnecessário.

Responder

newton

12/11/2010 - 19h21

Descobrimos! A sra. Janaína possuí a última versão do programa "Gerador de lero-lero"! que agora, pelo visto, vem com um plug-in chamado "gerador de clichês" . Para quem não conhece esse programa , segue o link: http://padrelevedo.hpg.ig.com.br/lerolero/leroler

Responder

Fernando

12/11/2010 - 19h19

Ô Lula malvado!

Responder

Eduardo

12/11/2010 - 19h19

Janaína,
Não afogue a verdade; o candidato-caô tem rejeição não por ser paulista, e sim por ser uma biruta-ambulante.
Eduardo Silva
Professor

Responder

Urbano

12/11/2010 - 19h18

Depois foi que percebi que a promovi de leitora para colunista da falha de São Paulo. No caso, tanto faz dar na cabeça como na cabeça dar.

Responder

Nonato Pereira

12/11/2010 - 19h18

Quem vem construindo a integração do País, quem vem reduzindo as desigualdades regionais e sociais é, segundo a escrivinhadora acima, o culpado pelo discurso de um grupo de paulistas contra a grande parte do Brasil. Para essa pessoa foi o Presidente Luis Inácio Lula da Silva quem cunhou o termo paraíba para todos que são nordestinos e nortistas. Desse jeito a escola brasileira vai para o brejo. Que educação a juventude brasileira recebe, heim? Parece que há um problema grave entre o sentir, o perceber e o conceber a realidade mais sério do que se possa imaginar. A idéia que nos passa a autora é a de que a realidade que se lixe, o que importa é a distorção que dela se faz.

Responder

Lucas Cardoso

12/11/2010 - 19h18

Claro, se não fosse o Lula, a racistazinha não teria pedido pros nordestinos se afogarem! Incrível como tudo é culpa do Lula. Quando o Lula sair da presidência, alguém devia tentá processá ele, por que se metade das coisas pela qual ele é acusado fossem verdade, ele mereceria prisão perpétua.

Responder

Maria Libia F. Spina

12/11/2010 - 19h17

Quer dizer que mandar cometer vários assassinatos de nordestinos (ainda afogando os quem mais sofre pela seca), não é crime????????? Então é o que????????????? Lamento que JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL tenha estudado na USP, que é mantida pelos meus impostos, e cuja universidade eu não passo nem na porta.

Responder

Gadelha Neto

12/11/2010 - 19h16

a sofreguidão da ilustre profesora em justificar nazismo levou-a ao equívoco de acusar a Presidente eleita de haver esquecido a promessa salarial do candidato derrotado. Uma leitura mais isenta da questão daria melhor argumento à iustre penalista sobre o que levou a jovem Mayara a manifestar sua aversão a nordestinos; um bom mote seria o forte conteudo maniqueista veiculado na expressão "Serra é do Bem"; o uso de tal apelo, antecedido pela grotesca tentativa farisaica de demonizar, via aborto, a outra candidatura , tentou reduzir o segundo turno das eleições presidenciais a uma luta fundmentalista do bem contra o mal. Aquele que, por certeza maniqueista, crê estar do lado do bem sente-se no dever de odiar o que representa o mal e no direito de destruir tudo o que possa causar a derota do bem.

Responder

Fabiano

12/11/2010 - 19h13

Se propor abertamente uma guerra etnica não for algo condenável, "professora", desconheço o que de fato seja. Discordo que o país esteja desunido: eu o vejo bem coeso no combate a essas teses pavorosas que brotam do ideário de alguns dementes paulistas, conforme é o seu caso.

Responder

Wildner Arcanjo

12/11/2010 - 19h13

Firo porque me feriram. Mato porque me mataram. Não amo! Sou um poço de ódio!

É esse o pensamento?

Ainda bem que sou "índio" (ou sem as aspas, como queiram)!

Responder

Urbano

12/11/2010 - 19h13

A rejeição do candidato da oposição ao Brasil não é, nem foi por conta dele ser paulista. Esse argumento é falho e de pouca densidade de raciocínio. Não explicarei o porquê, em face de que o próprio mundo mineral sabe os motivos, logo, espero que a colunista também o conheça, caso não seja portadora de amnésia proposital.

Responder

Paulo Melo

12/11/2010 - 19h10

hehehehehe, a culpa é do Lula, claro. Alguém poderia esperar outro desfecho?

Responder

    Marat

    12/11/2010 - 22h39

    rsrsrs – ela se esqueceu de dizer que a culpa é do Lula, influenciado pelo Hugo Chávez – rsrsrs

Jordana Mamede

12/11/2010 - 19h09

Nem sei o que é que eu comento, viu? Coisa mais ridícula…

Responder

    Marat

    12/11/2010 - 22h38

    Imagine as "aulas" dela…

Luciano Prado

12/11/2010 - 19h09

Péssima aula. Deseduca, fortalece o preconceito e clama por um terceiro turno.

Responder

valmir marques

12/11/2010 - 19h08

Blogosfera em Transe ou Obrigado Mayara Petruso, Por Expor as Entranhas de Sua/Nossa Gente ou Só se Desilude Quem Se Ilude
É quase impossível ignorar certas ondas que surgem nas mídias sociais. São verdadeiras tsunamis de informações e conceitos que só se poderia deixar de tomar conhecimento se você estivesse morto ou enterrado vivo. O foco dessa introdução é a avalanche de torpeza, ignorância e ignomínia manifestada nas eleições presidenciais de outubro 2010.
E o catalisador foi a obra da famigerada (no sentido empregado no conto homônimo de JGR) advogada paulistana Mayara Petruso que, talvez por sua pouca idade e escassa vivencia, acabou expressando publicamente o que muitos de seus conterrâneos pensam mas não dizem:
Que seria um grande beneficio ao estado de São Paulo se cada um de seus nativos buscasse afogar um “nordestito” (ela queria dizer nordestino, mas parece ter muitos problemas com a língua pátria além dos que tem com os habitantes dessa região do país).

Responder

joão bravo

12/11/2010 - 19h08

"Igualmente triste a rejeição sofrida pelo candidato da oposição à Presidência da República, muito em função de ele ser paulista"
Isto está cheirando a dor de cotovelo.

Responder

valmir marques

12/11/2010 - 19h08

Automaticamente relacionei sua façanha com os abundantes desastres de transito, que cada vez matam e mutilam mais em nosso país.
A relação pode não ser muito evidente e tem a ver com a teoria econômica conhecida por “desenvolvimento induzido”, que, grosso modo, explica a súbita prosperidade de um país a partir, principalmente, de uma intervenção estrangeira, externa, com escassa eu nenhuma evolução educacional, cultural e existencial se seu próprio povo. Isso foi mais ou menos que ocorreu em nosso país em tempos recentes. Carros em mão de loucos e internet ao alcance de
insensatos. Nem por isso se pense em proibir o acesso a carros ou a internet, é claro.

Responder

marcos de desterro

12/11/2010 - 19h07

Acho que realmente não se deve demonizar a tal Mayara. Obervar o óbvio, qual seja: que a estudante Mayara produziu um agenciamento neo-racista não é a demonizar. Acho também que esse agenciamento foi produzido dentro de uma circunstância concreta. Mayara é a prova maior da falência e da perversidade das políticas implementadas pelos governantes do estado do São Paulo. A mentalidade neo-racista da paulíceia desvairada é conseqüência da aplicação a-crítica do capitalismo de choques que, como se sabe, leva ao fundamentalismo. A própria crítica da sociologa Janaína só faz sentido nos termos desse agenciamento neo-racista.

Minha percepção é bem diversa. Quem primeiro investiu no separatismo foi o PSDB. Na virada do primeiro para o segundo turno em 2006, o mote da campanha Alckmin foi de que era o candidato do Brasil moderno contra o candidato do Brasil atrasado. Se não me falha a memória é uma dádiva do sóciologo carioca Fernando Henrique Cardoso. Pelo menos, quem eu primeiro vi disseminar essa oposição – moderno/atraso (sul/nordeste) foi o FHC.

Responder

valmir marques

12/11/2010 - 19h07

A situação do transito sempre me espantou; ver a enorme importância que a mídia dá ao assim chamado “terrorismo” e quase nenhuma à guerra diária do transito me levou a pesquisar os números. Descobri uma estatística na Revista das Forças Armadas informando que nos últimos 7 (sete) anos em todo o mundo estima-se que atentados terroristas tenham tirado a vida de 39.000 pessoas… EM TODO O MUNDO. Todos os anos nossos compatriotas motoristas-terroristas matam quase 50.000 brasileiros, e mutilam um numero muito maior: são 10 vezes mais letais que todos os terroristas do mundo inteiro. Isso não é pouca coisa.
Penso que seria fazer pouco da inteligência e perspicácia alheias tentar explicar mais o que quero dizer.

Responder

Domngos

12/11/2010 - 19h07

É professora, também sou, então a culpa é do LULA? Isso parece brincadeira, como a FSP coloca um artigo desse para o leitor analisar. Por isso, cancelei minha assinatura.

Responder

    Marat

    12/11/2010 - 22h37

    A Folha está completamente sem noção. O nível do pessoal que ali escreve é lamentável!

Elizete

12/11/2010 - 19h07

Considero bastante dúbio, contraditório o texto da professora janaína, pois tenta justificar a atitude da addolescente racista culpabilizando o presidente Lula, que diante de sua política pacificadora está entre os indicados ao prêmio Nobel da Paz. Esse texto é caluniador, são palavras infames contra o nosso presidente. A referida professora omite que essa onda de discórdia foi formentada pelo candidato derrotado, José Serra.

Responder

Lima

12/11/2010 - 19h06

Não tive estômago para terminar a leitura.

Responder

    Marat

    12/11/2010 - 22h33

    Digo o mesmo!

    Marat

    12/11/2010 - 22h34

    De todo modo, vou tomar um digestivo e tentar ler aquilo até o fim, para saber como a direita radical pensa!

marilamar

12/11/2010 - 19h05

é assim mesmo, e a partir dessa defesa a Rede Globo nao tem culpa, os arabes sao culpados? O Serra será o proximo Papa?….Gilmar Mendes sera indicado pelo Papa Serra como o santo defensor dos pobres e humildes do Brasil?…..e eu sou o Papai Noel? brincadeira, só no Brasil!!!

Responder

Luis

12/11/2010 - 19h05

Temo pelos alunos da moça. A "teoria" dela é fundada num epistemologismo e num antropologismo nauseabundos: existiria uma "unidade" natural de brasileiros e brasileiras,que estaria sendo violentada pelo Lula?!
Esse "apriorismo" do conhecimento, não-científico, portanto, vulgar não merece outro nome:charlatanismo.
Se ela quer promoção pessoal, para "advogar" em defesa da tal Mayara, aproveitando o momento para divulgar sua carteirinha da OAB, tudo bem. Advogado também é gente. Ou Geyse.
Vamos começar do básico, para ver se ela entende: existem diferenças entre seres humanos. Exemplo: homens e mulheres. Crianças e adultos. Diferenças étnicas. De classe social. De frações de classes. De gostos estéticos etc.
É por isso que existem partidos. Disse o Poeta das Gerais: "Este é um tempo partido. Um tempo de homens partidos".
A "ciência" poítica dela defenderia o PUN: Partido da Unidade Nacional.
Fia: O Serra perdeu no Sudeste; a Dilma teve + de 40% dos votos do Sul. E do Centro-oeste também.
Ora, ora: vá estudar, Ô Magda!

Responder

Regina

12/11/2010 - 19h05

É impressionante como os Itagibas e as Janaínas distorcem tudo a seu favor, para deleite dos setores envernizados….
Se fosse desavisada terminaria o texto aos prantos, com peninha da :Mayara….e da Janaina. Com peninha até da Foia…

Responder

Sil

12/11/2010 - 19h03

Realmente é uma louca racista do avesso!!!

Deus nos livre destas criaturas!!!

Abs

Responder

União Tupiniquim

12/11/2010 - 19h02

Isso que ela diz é o mesmo que: se alguem estiver em um semaforo esperando abrir, e for assaltado e depois esse alguem vai registrar o B.O e o policial fala.
– Isso só aconteçeu porque vc saiu na rua, agora aguenta.

Por que esta advogada defente a elite racista? e detalhe ein a culpa é do Lula.

Responder

André

12/11/2010 - 19h01

Folha: não dá pra (…) ler!

Responder

Domiciano

12/11/2010 - 19h00

Quem nunca sofreu discriminação ou preconceito obviamente não sabe o que isso significa.
Argumentos sofríveis dessa advogada.

Responder

Armando P. Silva Jr.

12/11/2010 - 18h57

O último parágrafo do texto dessa senhora, é de um cinismo que não tem tamanho. Ela fala em tolerância, e tem a cara de pau, de lembrar o avô, que diz ela, ser pernambucano. Minha senhora, não podemos ter tolerância com racismo, é inaceitável. Se a senhora é tolerante com racismo, nós não somos.

Responder

Emilio Matos

12/11/2010 - 18h56

Tanta deturpação que é difícil saber por onde começar.

1. Quem disse que os que acham que Aécio teria mais chance que o Serra acham isso em razão de Serra ser paulista? Que coisa distorcida… Eu acho que Aécio teria mais chance, mas não tem nada a ver com ser paulista ou não. O problema não é que o Serra é paulista, o problema é que o Serra é, bem, … o SERRA!!!

2. Que loucura foi essa de que a permanência do PT no poder se deveu a uma estratégia de cisão? Essa senhora não tem o mínimo de informação para saber que somando apenas votos do Sudeste e Sul a Dilma ganha?

Responder

    Emilio Matos

    12/11/2010 - 18h56

    3. Com partes do último parágrafo, se lido de outra maneira, até que é possível concordar. "Se não dermos um basta a esse estratagema para manutenção no poder" (O estratagema é aumentar o PIB, diminuir o desemprego, aumentar a renda e diminuir a desigualdade. Que estratagema maquiavélico!!! Que horror!!!) "várias Mayaras surgirão, em São Paulo, em Pernambuco, por todo o Brasil" (Realmente deu para ver que mantida a queda na desigualdade, corremos o risco de os neoudenistas realmente surgirem com suas ações estridentes e racistas por todo canto do Brasil).

    4. Distorcer as coisas para dizer que quem disseminou a mensagem racista é que é a verdadeira vítima é baixo, vil, cínico, estúpido. Meus talentos retóricos não são suficientes para expressar a minha indignação.

Francisco

12/11/2010 - 18h56

é uma vergonha e imoralidade a argumentação dessa advogada professora Janaína; o que ela chama de tolerância é cumplicidade e incentivo ao crime de racismo e preconceito contra os brasileiros das regiões pobres.

Responder

Fabio H. Amaral

12/11/2010 - 18h56

É realmente impressionante. Soa como aquela velha postura machista de que se a mulher corre o risco de ser estuprada é por que ela pede ao usar roupas provocantes. São Paulo só tem o tamanho e a importância que tem em função de se valer do estado Brasileiro como seu fundo pessoal. A tão afamada utilização da máquina pública é a principal marca de São Paulo desde os tempos do Convênio de Taubaté. Agora que há um governo que tenta minimamente fazer a máquina estatal funcionar para a maioria isso soa errado. Eu acho que esta história da Mayara está rendendo demais, e propositalmente. Sei que aqui no Paraná e em outros estados temos muitos grupos que simpatizam com este tipo de idéias e que estas pessoas estão muito ansiosas para poderem estravazá-las.
Francamente só na Folha mesmo, jornal que só serve para o terceiro olho.

Responder

Miriam

12/11/2010 - 18h54

Melhor ignorar. Ela mostrou bem a preocupação que tem com a união das pessoas, soube argumentar que nem o "nariz" (melhor dizer "nariz", apesar de ser pig). Alguém já disse, sabiamente, por aqui que, quando um não quer, dois não brigam. Melhor que tudo, vou rezar por ela.

Responder

Fabio_Passos

12/11/2010 - 18h50

Inacreditável.

Como pode esta Janaina Conceição Paschoal, professora de direito, ter uma visão do Brasil e do mundo limitada ao que a mídia-afrikaaner divulga?

A grande desunião existe. É a desunião entre a realidade e o que vai em sua cabecinha…

Responder

    Gersier

    12/11/2010 - 21h55

    Esse tipo de gente não conhece o Brasil. Vivem naquele mundinho ilusório e fantasioso deles.Consomem a veja,assistem a globo e são assinantes da folha de São Paulo.

    Fabio_Passos

    12/11/2010 - 22h19

    Como pode?
    Uma professora universitária…

    Será algum tipo de auto-flagelo?

Alberto Nasiasene

12/11/2010 - 18h50

Concordo com a professora Heloísa Fernandes quanto ao antigo hábito de nosso racismo às avessas que está sendo questionado fortemente (e precisa continuar a sê-lo). Aqui no Brasil temos uma direita covarde e hipócrita que não gosta de se considerar direita nem racista (mas isto não a torna socialdemocrata). São as ideias fora de lugar de que falava um de nossos críticos literários. Não é porque nossas elites não se consideram racistas e afirmam que não há racismo e discriminação no Brasil que o racismo não existe concretamente em nossa realidade histórica e cotidiana. Não vou chover no molhado e re-afirmar aquilo que todo negro ou mulato está careca de saber, porque esta não é uma questão retórica a se defender em um tribunal jurídico qualquer, mas uma realidade social e histórica ontológica que está além das ideologias, porque é material e cotidiana (pior cego, como dizem, é o que se recusa a ver). Mas tudo isto é tão típico em nossas elites que fico até constrangido em afirmar o óbvio, afirmo apenas que, em pleno século XXI, isto faz parte do atual cinismo de nossas elites direitistas o de se consideram vítimas dos que são oprimidos por eles (o que a campanha demo-tucana desenterrou do limbo em 2010 foi um antigo modo de ser braslieiro que a realidade do século XXI não aceita mais e esta é uma das explicações da derrota que eles sofreram; não a única, é claro). Mas aqui mesmo, no espírito ideológico da campanha proto-fascista do Serra, é que mora o antigo fantasma da colonização que não deixou de assombrar a mente de grande parte de nossas elites colonizadas mentalmente: os colonizadores foram aquele que supostamente vieram para as Américas e para a África e Ásia para "civilizá-las" (claro que este movimento histórico, no ponto de vista deles, não foi o de genocídio, exploração e destruição sócio-ambiental sem limites, mas um movimento de compaixão, em nome de Cristoe do papa, pelos povos atrasados que não tinham o mesmo nível de civilização dos brancos cristãos europeus). Isto é, a culpa pelo "atraso" e pela miséria não tem nada a ver com a estrutura social profundamente desigual que eles dominam, mas é culpa dos próprios miseráveis e atrasados que estão por baixo nesta escola social e de valores. O problema maior para eles é que esta "realidade desagradável" está se rebelando contra os preconceitos deles sem nenhuma subserviência., porque também está conquistando seu espaço sócio-econômico, cultural e político sem pedir licença.

Responder

Marcilio

12/11/2010 - 18h48

O que sucede é que alguns acham que SP sustenta o "resto". Investir no Nordeste para alguns é rasgar dinheiro. O que acontece é que esta estudante somente é simbolo de um separatismo que existe, de forma velada mas existe. Tentar eleger um bode espiatorio, seja transformando todos paulistas em udenistas ou todos os nordestinos em coitadinhos é algo inaceitavel, porém é natural esse pensamento em um centro financeiro, seja ele qual for, pois este separatismo é baseado naqueles que acham que sustentam cabeças chatas "vagabundos"

Responder

Ayrton

12/11/2010 - 18h46

JANAINA, MY DEAR
Vai procurar sua turma filha. Para quem você acha que está escrevendo?
Você tem algum interesse na carreira Universitária que a obriga a tais disparates?
deve ser isso porque parece que de direito você conhece pouco. Ou apenas o suficiente para distorcer!!

Responder

edu marcondes

12/11/2010 - 18h39

Sempre é bom lembrar que a "estudante Mayara" é apenas uma espécie de porta-voz incidental de um elitismo e intolerância que graça entre setores da sociedade paulista, mormente entre os mais bem bafejados pela sorte, pela riqueza, conforto e instrução formal, mais conhecidos como a elite branca, que não foi criada pelo presidente Lula, mas que de há muito existe e com êxito tem mantido seu status sócio econômico e político.
Essa cultura elitista, muitas vezes xenofóbica e misógina vem sendo cultivada por uma parcela d e lideranças intelectuais e políticas paulistas desde principios do século passado quando algumas famílias ligadas ao setor agro-exportador ascendem a uma posição de poder pelo êxito de seus negócios e pelo controle da máquina política republicana. Naturalmente conservadores, para preservar seu status e seus valores, essa elite não pucas v ezes se levantou contra mudanças, particularmente quanda essas vinham associadas a ações do outro, o não-paulista.
Recentemente, entusiasmada com a possibilidade de ver um representante das forças políticas conservadoras e paulistas de volta à presidência da República assistimos à soltura das bestas do ódio, da misoginia, do moralismo exacerbado e da homofobia tomar conta da campanha do dandidato José Serra. A frustração, o inconformismo pela derrota eleitoral deste produziu a reprodução desses monstros nas redes sociais da internet, não poucas vezes contando com a simpatia pouco disfarçada de profissionais de imprensa.

Responder

Natalia

12/11/2010 - 18h38

invenção de elites? as elites não existem?? me diz em q país essa advogada mora, q eu quero me mudar pra lá.

e qd as pessoas dizem q o aecio teria dado mais trab de derrotar nao eh por ele ser mineiro, mas por nao ser o serra! nao tem nada a ver com a naturalidade do serra, pelamor!

Responder

Geraldo

12/11/2010 - 18h25

Sério q a Folha publicou isso?????
Eu ainda não sei se rio ou choro.
Professora da USP (me refiro a Janaína, e não Heloísa) com pensamentos como esse… Não é à toa que endossando Mayara havia + de 1.000 perfis no Facebook e Twitter.

Responder

marinildac

12/11/2010 - 18h16

Sorte dos alunos da USP, têm professoras como Heloísa Fernandes. Dá calafrio imaginar o porão que seria uma universidade de Janaínas.

Responder

Roseni

12/11/2010 - 18h13

Pensamento como o de Mayara, filosoficamente falando, é muito filho da puta ( com o respeito a todas as mães). Com perdão à janaina, o que disse é muito filho da puta ( aí nem as mães perdoam). Com todo respeito.

Responder

Jairo_Beraldo

12/11/2010 - 18h07

Parei de ler a sandice da Sra. Janaína e mais abaixo vi o comentario lúcido da professora associada de Sociologia da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo, Dra. Heloísa Fernandes. Faço de suas palavras as minhas! Era tudo que ia dizer!

Responder

Ana Bednarski

12/11/2010 - 17h58

Se a maianara (minuscula proposital) tem professores que usam esse tipo de argumentação esta explicado o caso dela, esta é boa, a culpa de haver racismo é de quem é discriminado então???Querida professora, talves voce tenha que começar seus estudos pelo 1º grau numa escola inclusiva para aprender algo e depois poder ensinar, a menos que a Sociologia que vc ensine seja a sociologia do nazismo por exemplo!

Responder

@Adir00

12/11/2010 - 17h38

Parabéns a professora Heloísa Fernandes, daqui a pouco os outros vão ter que pedir desculpas a essass Mayaras!!!
Vergonhosa Reação Conservadora à Vitória de Dilma … http://youtu.be/D0vRQ0y08is?a

Responder

Enockc

12/11/2010 - 17h35

Ok JANAINA CONCEIÇÃO PASCHOAL, de que tamanho foi o depósito na sua conta-poupança?

Responder

Deixe uma resposta