VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

WikiLeaks: 2.855 documentos sobre o Brasil

01 de dezembro de 2010 às 14h30

30/11/2010

Por dentro do Wikileaks: a democracia passa pela transparência radical

do Opera Mundi

Fui convidada por Julian Assange e sua equipe para trazer ao público brasileiro os documentos que interessam ao nosso país. Para esse fim, o Wikileaks decidiu elaborar conteúdo próprio também em português. Todos os dias haverá no site matérias fresquinhas sobre os documentos da embaixada e consulados norte-americanos no Brasil.

Por trás dessa nova experiência está a vontade de democratizar ainda mais o acesso à informação. O Wikileaks quer ter um canal direto de comunicação com os internautas brasileiros, um dos maiores grupos do mundo, e com os ativistas no Brasil que lutam pela liberdade de imprensa e de informação. Nada mais apropriado para um ano em que a liberdade de informação dominou boa parte da pauta da campanha eleitoral.

Buscando jornalistas independentes, Assange busca furar o cerco de imprensa internacional e da maneira como ela acabada dominando a interpretação que o público vai dar aos documentos. Por isso, além dos cinco grandes jornais estrangeiros, somou-se ao projeto um grupo de jornalistas independentes. Numa próxima etapa, o Wikileaks vai começar a distribuir os documentos para veículos de imprensa e mídia nas mais diversas partes do mundo.

Assange e seu grupo perceberam que a maneira concentrada como as notícias são geradas – no nosso caso, a maior parte das vezes, apenas traduzindo o que as grandes agências escrevem – leva um determinado ângulo a ser reproduzido ao infinito. Não é assim que esses documentos merecem ser tratados: “São a coisa mais importante que eu já vi”, disse ele.

Não foi fácil. O Wikileaks já é conhecido por misturar técnicas de hackers para manter o anonimato das fontes, preservar a segurança das informações e se defender dos inevitáveis ataques virtuais de agências de segurança do mundo todo.

Assange e sua equipe precisam usar mensagens criptografadas e fazer ligações redirecionados para diferentes países que evitam o rastreamento. Os documentos são tão preciosos que qualquer um que tem acesso a eles tem de passar por um rígido controle de segurança. Além disso, Assange está sendo investigado por dois governos e tem um mandado de segurança internacional contra si por crimes sexuais na Suécia. Isso significou que Assange e sua equipe precisam ficar isolados enquanto lidam com o material. Uma verdadeira operação secreta.

Documentos sobre Brasil

No caso brasileiro, os documentos são riquíssimos. São 2.855 no total, sendo 1.947 da embaixada em Brasília, 12 do Consulado em Recife, 119 no Rio de Janeiro e 777 em São Paulo.

Nas próximas semanas, eles vão mostrar ao público brasileiro histórias pouco conhecidas de negociações do governo por debaixo do pano, informantes que costumam visitar a embaixada norte-americana, propostas de acordo contra vizinhos, o trabalho de lobby na venda dos caças para a Força Aérea Brasileira e de empresas de segurança e petróleo.

O Wikileaks vai publicar muitas dessas histórias a partir do seu próprio julgamento editorial. Também vai se aliar a veículos nacionais para conseguir seu objetivo – espalhar ao máximo essa informação. Assim, o público brasileiro vai ter uma oportunidade única: vai poder ver ao mesmo tempo como a mesma história exclusiva é relatada por um grande jornal e pelo Wikileaks. Além disso, todos os dias os documentos serão liberados no site do Wikileaks. Isso significa que todos os outros veículos e os próprios internautas, bloggers, jornalistas independentes vão poder fazer suas próprias reportagens. Democracia radical – também no jornalismo.

Impressões

A reação desesperada da Casa Branca ao vazamento mostra que os Estados Unidos erraram na sua política mundial – e sabem disso. Hillary Clinton ligou pessoalmente para diversos governos, inclusive o chinês, para pedir desculpas antecipadamente pelo que viria. Para muitos, não explicou direto do que se tratava, para outros narrou as histórias mais cabeludas que podiam constar nos 251 mil telegramas de embaixadas.

Ainda assim, não conseguiu frear o impacto do vazamento. O conteúdo dos telegramas é tão importante que nem o gerenciamento de crise de Washington nem a condenação do lançamento por regimes em todo o mundo – da Austrália ao Irã – vai conseguir reduzir o choque.

Como disse um internauta, Wikileaks é o que acontece quando a superpotência mundial é obrigada a passar por uma revista completa dessas de aeroporto. O que mais surpreende é que se trata de material de rotina, corriqueiro, do leva-e-traz da diplomacia dos EUA. Como diz Assange, eles mostram “como o mundo funciona”.

O Wikileaks tem causado tanto furor porque defende uma ideia simples: toda informação relevante deve ser distribuída. Talvez por isso os governos e poderes atuais não saibam direito como lidar com ele. Assange já foi taxado de espião, terrorista, criminoso. Outro dia, foi chamado até de pedófilo.

Wikileaks e o grupo e colaboradores que se reuniu para essa empreitada acreditam que injustiça em qualquer lugar é injustiça em todo lugar. E que, com a ajuda da internet, é possível levar a democracia a um patamar nunca imaginado, em que todo e qualquer poder tem de estar preparado para prestar contas sobre seus atos.

O que Assange traz de novo é a defesa radical da transparência. O raciocínio do grupo de jornalistas investigativos que se reúne em torno do projeto é que, se algum governo ou poder fez algo de que deveria se envergonhar, então o público deve saber. Não cabe aos governos, às assessorias de imprensa ou aos jornalistas esconder essa ou aquela informação por considerar que ela “pode gerar insegurança” ou “atrapalhar o andamento das coisas”. A imprensa simplesmente não tem esse direito.

É por isso que, enquanto o Wikileaks é chamado de “irresponsável”, “ativista”, “antiamericano” e Assange é perseguido, os cinco principais jornais do mundo que se associaram ao lançamento do Cablegate continuam sendo vistos como exemplos de bom jornalismo – objetivo, equilibrado, responsável e imparcial.

Uma ironia e tanto.

*Natália Viana é jornalista e colaboradora do Opera Mundi

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

52 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

marisa

05/02/2015 - 12h08

Denúncia do uso no Brasil de um software biométrico para torturar pessoas através de rádio frequência eletromagnética RFID com uso de implante cerebral. O mantimento de cárcere mental de vidas humanas. Tortura por radar ou assinatura de um indivíduo por EEG remoto realizado por operadores reais que detém todas as configurações da percepção de uma pessoa sendo tais completamente manipuláveis colocadas em prática como se fôssemos cobaias virtuais do escrutínio alheio.

Responder

moacir

16/03/2011 - 10h09

Democrácia pregada pelo Estados Unidos a favor do mundo só beneficia eles, manipulando e colocando governos__que recebem ordens suas,contra a população e pagando a grande mídia para falar bem exemplo a Globo

Responder

Oraldo

28/12/2010 - 10h21

Na minha opinião, o Wikileaks esta dando uma dimensão nova para o jornalismo investigativo, quebrando o controle da imprensa pelas grandes potencias e pelos governos. Até então eramos informado apenas o que os governos permitiam. Isso esta mudando felizmente. A imprensa já não é a mesma. É com ousadia e determinação que é possivel mudar as coisa pre-estabelicidas pelos poderosos.
Parabens para toda equipe do Wikileaks

Responder

    h987fy8r9ij0jgjrt

    05/02/2011 - 00h26

    viva a liberdade de expressão imposta pelos estados unidos, ou sera que vão prender o cara que jogou no ventilador a podridão americana

bene

17/12/2010 - 20h45

Viva a revolução pela informação verdadeira,,,o direito a verdade…chega de manipulações com o povo desse planeta …Graças a Deus…Morte as manipulações midiáticas as politicas mentirosa..Viva a verdade.

Deus abençoe a internet o wikileaks a Julian Assenge. Viva a Revolução, isso a de fazer um mundo melhor

Responder

bene

17/12/2010 - 20h40

Viva a revolução pela informação verdadeira,,,o direito a verdade…chega de manipulações com o povo desse planeta …Graças a Deus…Morte as manipulações midiáticas as politicas mentirosa..Viva a verdade.
Deus abençoe a internet ao wikileaks ao Julian Assenge..
Viva a Revolução da verdade dos fatos, isso vai fazer um mundo melhor. Graças a Deus .

Responder

filosofofansfunderingar

10/12/2010 - 15h05

Nao existe fumaca se nao tem fogo! O mundo tem gírado… a internete tem vantagens e desvantagens, mas com ela a nata nao tem mais controle,e o povo tem direito de saber a verdade. O Wikileaks se precisa.Tomara que exista mais fotes com o wikileaks,para combater os virus,entao nao precisa de baonetes canhoes ou metralhadoras…..a verdade vem a tona sem derramar sangue.

Responder

SILOÉ

04/12/2010 - 01h58

Depois da Internet não existem mais segredos; nem os de pé de ouvido pois o Google street e os leitores labiais desvendam tudo.

Responder

Edson Ferreira

03/12/2010 - 00h42

TERRORISMO DE GABINETE! Essa é a tônica de um artigo que estou escrevendo.
Vida longa ao /wikileaks

Responder

marcos

02/12/2010 - 19h58

Boa noite a todos e a todas.Essa avalanche de informações é Histórica, ouso dizer, que está a altura da Queda Da Bastilha, sem dúvida alguma.Mas, nós que por opção literária ou investigativa temos alguns mestres que sempre lutaram pela transparência radical da informação, cito o, para mim e tenho certeza mais uns quantos espalhados pelo mundo, que é:o Sr. Noam Chomsky, sem dúvida um dos homens mais importante do nossa história recente.Adoro sua lucidez.Outro que descobri, não diria recentemente, foi o livro intitulado "HISTÓRIA DE UM ASSASSINO ECONÔMICO" John Perkins.Baita livro.Enfim o wikileaks é a Catálise de uma geração de jornalistas e intelectuais verdadeiramente Revolucionários.O legal é que agora, esse povo todo tá se juntando e vamos continuar com as revelações de " como o mundo funciona", palavras de Julian Assange.Acho que agora o Século 21 engatou, não acham?Abraços

Responder

@JosodGuarapuava

02/12/2010 - 01h06

Só uma coisa…
Te cuida Julian Assange, que até agora é o maior perdedor nessa brincadeirinha de Wikileaks.

Responder

    Cláudio Timoteo

    19/01/2011 - 11h13

    Acredito eu que Julian Assange é um home que é usado por DEUS pq tanto sofrimento da raça humana no mundo todo o culpado é só um o governo dos Estados Unidos que manipula o mundo inteiro e outra se matarem ele outros quererao fazer o mesmo ou até melhor do que Julian ASSANGE PQ mICHAEL jACKSON FOI MORTO PQ TAVA DIVULGANDO PODRES DO eSTADOS uNIDOS

Paralelo XIV

01/12/2010 - 22h42

Qualquer um que, por acaso, tenha duvidas a respeito da veracidade dessa leva de documentos do Wikileaks, tal como se isso apenas fosse mais uma ação de contra-inteligência americana, terá suas duvidas sanadas indiscutivelmente pelo seguinte fato autenticador: as opiniões e, quiçá, ações das missões americanas direcionadas ao PIG e José Serra.

Nenhum funcionário da contra-inteligência americana tem como nos suplantar nisso. Qualquer nusga, fragmento, tendência ou nuance fora do padrão "Piguiano" e "Zéchiriquiano" que tão bem conhecemos (nós aqui dos blogs sujos somos formados em "teoria e pratica da conspiração do PIG/Coiso"), será por nós desmascarados de pronto.

Algo como, por exemplo, um jantar com o embaixador americano Sobel no qual Otavinho da Folha defenda com unhas e dentes o presidente Lula!! Ou o José Serra afirmando que Aécio seria um bom presidente.

Se derem um mole desses, tudo pode ser falso no Wikileaks.

Mas eu sinceramente duvido dessa hipótese.

Acho que o PIG tá se preparando para reagir, porque sabe que vão jogar merda no ventilador e expor a Imprensa Golpista. E vai começar a escorrer pelo Instituto Millenium.

A conferir.

Responder

FrancoAtirador

01/12/2010 - 22h33

.
#cablefacts

iavelar: Em irado pronunciamento no Alasca, Sarah Palin promete "fechar essa tal de Wikipédia"

Esses e essas que querem mandar no mundo.

Responder

Marat

01/12/2010 - 22h28

Vai ser um grande barato. O Assange dá uma verdadeira aula de democracia nua e crua. Os que se dizem democráticos, deveriam gostar, não é mesmo?
Quero saber sobre as relações de certos jornalistas com certos consulados e embaixadas!

Responder

Regina

01/12/2010 - 22h11

O Brasil vive uma paranóia com questões de fronteira e pré-sal…Pois a minha paranóia supera a do Brasil,além do submarino quero armas nucleares…Se Jobim passar a informaçaõ,aproveita e fala que tbém naõ gosto da artimanha para liberar o Dantas…Quem sabe se o wikileaks conta no próximo capítulo a história do Oportunity,antes que o Malocci faça a lei ser aprovada.

Responder

echofloripa

01/12/2010 - 20h44

Cada vez mais estou achando que os documentos diplomáticos foram entregues ao wikileaks com um objetivo. Os EUA receberão um impacto negativo, mas quase todos os documentos estão indo a favor da política dos EUA: aumentar a histeria sobre a sua falsa guerra ao terrorismo (onde a CIA e FBI estão envolvidos até o pescoço) e aumentar a pressão internacional sobre o Iran, a Coreia do Norte e a China. Até agora, vários documentos sustentam a idéia que existem financiadores de terrorismo internacional no Brasil. Não se enganem…

Estou colocando em um só lugar todos os documentos relacionados com o Brasil:
http://blog.antinovaordemmundial.com/2010/11/cabl

Responder

Emília

01/12/2010 - 20h43

Ao mesmo tempo que estou achando isso muito bom, estou achando muito estranho a proporção de informações denegrindo os países que os EUA estão doidinhos para detonar.

Responder

    Pedro

    01/12/2010 - 23h40

    É claro que vai ter isso aos montes, não se esqueça que são documentos provenientes das próprias embaixadas americanas, vai ter o clima de paranoia que reje o governo dos EUA.

Klaus

01/12/2010 - 20h28

Transparência radical: vamos liberar todos os telegramas e arquivos do governo brasileiro dos ultimos 16 anos.

Responder

BugHunter

01/12/2010 - 19h03

O Wikileaks só comprova a visão etnocentrista do governo norte americano.

Responder

Mariana

01/12/2010 - 18h51

Não se pode esquecer que cabeça de americano não é igual à nossa. Eles escrevem tudo sob a sua ótica, sua interpretação.Por exemplo, "ultra nacionalista brasileiro" equivale à anti americano! Por que? Ófi Córse , mai diar! Tudo que não for a favor deles, É CONTRA!!!!!!!!!!!! Imagino mesmo o festival de besteira que eles escreveram sobre nós! E o estrago que podem fazer essas informações – corretas os equivocadas – no nosso meio e no meio internacional.

Responder

daniel

01/12/2010 - 18h25

Azenha, parece que o Assenge se tornou o Bin-Laden louro! O ocidente descobriu o "Fatwa"!
http://www.guardian.co.uk/world/2010/dec/01/us-em

Um candidato republicano, Sarah Palin e até um conselheiro canadense (este pediu para que ele fosse assassinado em plena rede nacional de tv!! WTF) querem que ele seja executado. Isso mostra a amoralidade e hipocrisia dessa gente!

Responder

Jairo_Beraldo

01/12/2010 - 17h29

O que vem por aí?

Já foi expedido mandado de prisão a dono do site WikiLeaks.

Claro que o Império iria contra atacar…afinal, são Democratas!

Responder

Jorge Corrêa

01/12/2010 - 17h29

Azenha

Que maravilha. É uma revolução e, como toda revolução, alguns sairão perdendo.

A grande mídia cheia de empáfia que fique esperta.

Responder

Fernando

01/12/2010 - 16h51

É bom a Dilma segurar a composição do ministério, porque pode ter mais gente envolvida com a Casa Branca.

Responder

tiago

01/12/2010 - 16h45

O William Homer disse se referiu ao WiKileaks como um site de fofoca? Não é a toa que eu, ao assistir o JN, sinto uma imensa vontade de sentar na privada!

Responder

    Gersier

    01/12/2010 - 22h48

    Rapaz faça como eu e muitos brasileiros,migre pro Jornal da Rede Record que dá de dez a zero no JM, jornal das mentiras.Vai te fazerumbemdanado.Nunca mais tive urticártia,gastrite,enjôo,etc.
    Falando nisso dêem umaolhadaanesselink
    http://blogdadilma.blog.br/2010/12/jornalista-ful

Adroaldo Lima L.

01/12/2010 - 16h26

e tem orelhudos(as) dizendo que sao "fofocas"!

Responder

Jorge

01/12/2010 - 16h24

Nenhum dos PiG's tem moral jornalística para outra coisa senão publicar o assunto como foi liberado. Desqualificaram-se de tal maneira nos episódios das eleições que hoje nem mesmo se prestam como blogs confiáveis, algo que permitissem fossem consultados como "o outro lado" e permitir que pessoas interessadas formem opinião e juízo. O que dizer então de Globo e da opinião de seus serviçais?

Responder

Julio Silveira

01/12/2010 - 16h09

A julgar pelo que o presidente Lula disse sobre a informação do Jobim, deve ser tudo coisa sem importancia.

Responder

    Jairo_Beraldo

    01/12/2010 - 17h30

    Claro que o Lula disse de forma irônica aos estadunidenses, conhecidos mundialmente pela falsidade crônica.

PedroCosta

01/12/2010 - 16h06

Se o Bonner disser que é fofoca, não é; se o Bonner disser que não é fofoca, é. Interferência nos assuntos internos do país (com colaboração do Jobim, Nelson) é espionagem e trairagem.

Responder

    Jairo_Beraldo

    01/12/2010 - 17h32

    E o pior, é que a presidente Dilma vai mantê-lo no cargo. Dilma está me decepcionando a cada dia… Malocci, Cardozo, Jobim…sei não…isso vai dar mer…..!

    Carlos

    01/12/2010 - 21h51

    Certamente!

    Mário SF Alves

    21/12/2010 - 16h08

    Não existe planejamento sustentável que não leve em conta a variável tempo. Portanto, dê tempo ao tempo, meu caro! A coisa passa por curtíssimo, curto, médio e longo prazos.

AlderOeSilva

01/12/2010 - 16h03

Toda essa história de ordem de captura do fundador do WikiLeaks é para tentar desqualificar os importantíssimos documentos que o site tem revelado. É evidente que o Assange está sendo vítima de perseguição. Ele mexeu com gente poderosa de mais. Mas, mesmo que o prendam, o site vai continuar revelando para o mundo como é que funcionam as "relações diplomáticas" do Tio Sam e de outros países.
E esse William HOMER não passa de um energúmeno metido a besta. Site que parece de FOFOCA é aquela porcaria de G1.

Responder

echofloripa

01/12/2010 - 15h56

Cada vez mais estou achando que os documentos diplomáticos foram entregues ao wikileaks com um objetivo. Os EUA receberão um impacto negativo, mas quase todos os documentos estão indo a favor da política dos EUA: aumentar a histeria sobre a sua falsa guerra ao terrorismo (onde a CIA e FBI estão envolvidos até o pescoço) e aumentar a pressão internacional sobre o Iran, a Coreia do Norte e a China. Até agora, vários documentos sustentam a idéia que existem financiadores de terrorismo internacional no Brasil. Não se enganem…

Responder

FrancoAtirador

01/12/2010 - 15h48

.
AGORA É QUE A COBRA VAI FUMAR !

http://www.rodrigovianna.com.br/wp-content/upload

Responder

Vanda

01/12/2010 - 15h41

eu quero mais é que não fique pedra sobre pedras….fofoca em rede mundial, o que será das caras e contigos da vida rsrsrs

Responder

    Jairo_Beraldo

    01/12/2010 - 17h33

    Quanta maldade Vanda…esqueceu de mencionar a Veja!

FrancoAtirador

01/12/2010 - 15h27

.
O Editor-Chefe e apresentador do JN da RGTV, W. Homer, mudou o nome do WikiLeaks para

FUXIKILEAKS.

#FicaCelsoAmorim #FORAJOBIM !
.

Responder

echofloripa

01/12/2010 - 15h19

Cada vez mais estou achando que os documentos diplomáticos foram entregues ao wikileaks com um objetivo. Os EUA receberão um impacto negativo, mas quase todos os documentos estão indo a favor da política dos EUA: aumentar a histeria sobre a sua falsa guerra ao terrorismo (onde a CIA e FBI estão envolvidos até o pescoço) e aumentar a pressão internacional sobre o Iran, a Coreia do Norte e a China. Até agora, vários documentos sustentam a idéia que existem financiadores de terrorismo internacional no Brasil. Não se enganem…

Estou colocando em um só lugar todos os documentos relacionados com o Brasil:
http://blog.antinovaordemmundial.com/2010/11/cabl

Responder

    daniel

    01/12/2010 - 18h03

    Concordo com você. Mais beneficiado ainda foi Israel, que disse gostou do vazamento (A imprensa de alguns países acham que tudo isto é obra do Mossad). Putin acha que a wikileaks foi ludibriada para atingir um objetivo político, mas seria de algum grupo americano (http://www.guardian.co.uk/world/2010/dec/01/wikileaks-row-putin-reaction-batman-robin). O objetivo seria enfraquecer Obama, e esgotar o caminho diplomático. Com a desmoralização da diplomacia americana, só restaria o meio bélico para resolver o impasse com o Irão. O EUA se mostraram relutantes em usar esse meio, já que recebeu pressão até dos Saudis (até tu, Brutus?) para atacá-lo.

    Mário SF Alves

    21/12/2010 - 16h20

    Enquanto isso… enquanto a gente fica por aqui especulando, tem um garoto de apenas 20 e poucos anos, um ex-hacker, que há mais de cinco meses encontra-se sob tortura -incomunicável – em uma prisão estadunidense. Seu nome é Bradley Manning (aproximadamente 1.590.000 resultados em 0,42 segundos, no Google), e seu crime foi vazar os 250.000 documentos diplomáticos e militares para um louro louco chamado Julian Assange, líder do WikiLeaks.

    M. Iack

    01/12/2010 - 23h03

    Concordo plenamente.

Marcelo de Matos

01/12/2010 - 14h50

Ontem, no Jornal Nacional, William Bonner disse que o Wikileaks parecia um grande site de fofocas, com a diferença de que se baseava em documentos reais. Fico perplexo ao ver como as fofocas já transcendem o mundo das revistas femininas. A mídia tem se especializado em devassar tudo. Recentemente conseguiram captar o que um ministro e uma ministra do STF digitavam em seus notebooks. Agora temos as fofocas em nível diplomático. Logo saberemos a marca da brilhantina usada pelo Amorim e a do chimarrão usado pelo Jobim. Não haverá mais privacidade. Aliás, a mídia sempre foi contrária a ela. Pensam que têm o dever de divulgar tudo. O povo não tem o sagrado direito de saber o quanto tempo um juiz fica no banheiro? Que tipo de revista lê quando está sentado no vaso? Que gesto fez o Marco Aurélio Garcia em seu gabinete, quando o Jornal Nacional divulgou que o acidente com o avião da TAM ocorreu por defeito técnico e não por falta de ranhuras na pista? A emissora não tem o dever/direito de colocar o top top no ar?

Responder

    echofloripa

    01/12/2010 - 15h22

    Olá Marcelo, não se deixe levar pelo o que você lê na rede globo, os documentos contêm muito mais do que cômicas impressões de líderes pelo mundo inteiro, mas também prova de que os EUA espiona ativamente a ONU e a grande maioria de seus aliados.

    Por outro lado, estes documentos podem ter sido deixar vazar, para que a agenda de uma pequena elite seja satisfeita, isto compensaria a queda da credibilidade dos EUA, se é que já havia alguma…

    Gustavo Pamplona

    01/12/2010 - 15h32

    Depois que a Globo gostou da experiência do Big Brother ela agora acha que ninguém deve ter privacidade mais. Ela adora uma câmera e acha que todo mundo agora dever ser vigiado.

    Mas o mais interessante é quando um artista ou um jornalista dela é pego fazendo e falando "merda" (*) ela esconde ou acha que não é com ela.

    (*) Vide o caso do jornalista racista da RBS Luiz Carlos Prates

    Polengo

    01/12/2010 - 15h40

    Caro Marcelo:

    Acredito que privacidade é coisa a nível pessoal.
    Quanto a decisões oficiais, embaixadas no caso, é interessante saber, afinal… não deveria ser tudo às claras?

    Jairo_Beraldo

    01/12/2010 - 17h34

    Matos, voce é um machista…a fofoca é universal, não tem sexo.

    Gerson Carneiro

    01/12/2010 - 18h23

    Por falar nisso Cumpadi, tenho uma coisa pra te contar.

Deixe uma resposta