VIOMUNDO

Safatle: Congresso gangsterizado não tem legitimidade para julgar sequer síndico de prédio

26 de março de 2016 às 16h06

VLADIMIR-SAFATLE-FILOSOFO-BR

Um golpe e nada mais

25/03/2016  02h00

por Vladimir Safatle, na Folha de S. Paulo

A crer no andar atual da carruagem, teremos um golpe de Estado travestido de impeachment já no próximo mês. O vice-presidente conspirador já discute abertamente a nova composição de seu gabinete de “união nacional” com velhos candidatos a presidente sempre derrotados. Um ar de alfazema de República Velha paira no ar.

O presidente da Câmara, homem ilibado que o procurador-geral da República definiu singelamente como “delinquente”, apressa-se em criar uma comissão de impeachment com mais da metade de deputados indiciados a fim de afastar uma presidenta acusada de “pedaladas fiscais” em um país no qual o orçamento é uma mera carta de intenções assumida por todos.

Se valesse realmente este princípio, não sobrava de pé um representante dos poderes executivos. O que se espera, na verdade, é que o impeachment permita jogar na sombra o fato de termos descoberto que a democracia brasileira é uma peça de ficção patrocinada por dinheiro de empreiteiras. Pode-se dizer que um impeachment não é um golpe, mas uma saída constitucional. No entanto, os argumentos elencados no pedido são risíveis, seus executores são réus em processos de corrupção e a lógica de expulsar um dos membros do consórcio governista para preservar os demais é de uma evidência pueril. Uma regra básica da justiça é: quem quer julgar precisa não ter participado dos mesmos atos que julga.

O atual Congresso, envolvido até o pescoço nos escândalos da Petrobras, não tem legitimidade para julgar sequer síndico de prédio e é parte interessada em sua própria sobrevivência. Por estas e outras, esse impeachment elevado à condição de farsa e ópera bufa será a pá de cal na combalida semi-democracia brasileira.

Alguns tentam vender a ideia de que um governo pós-impeachment seria momento de grande catarse de reunificação nacional e retomada das rédeas da economia.

Nada mais falso e os operadores do próximo Estado Oligárquico de Direito sabem disto muito bem. Sustentado em uma polícia militar que agora intervém até em reunião de sindicato para intimidar descontentes, por uma lei antiterrorismo nova em folha e por um poder judiciário capaz de destruir toda possibilidade dos cidadãos se defenderem do Estado quando acusados, operando escutas de advogados, vazamento seletivo e linchamento midiático, é certo que os novos operadores do poder se preparam para anos de recrudescimento de uma nova fase de antagonismos no Brasil em ritmo de bomba de gás lacrimogêneo e bala.

Uma fase na qual não teremos mais o sistema de acordos produzidos pela Nova República, mas teremos, em troca, uma sociedade cindida em dois.

O Brasil nunca foi um país. Ele sempre foi uma fenda. Sequer uma narrativa comum a respeito da ditadura militar fomos capazes de produzir. De certa forma, a Nova República forneceu uma aparência de conciliação que durou 20 anos. Hoje vemos qual foi seu preço: a criação de uma democracia fundada na corrupção generalizada, na explosão periódica de “mares de lama” (desde a CPI dos anões do orçamento) e na paralisia de transformações estruturais.

Tudo o que conseguimos produzir até agora foi uma democracia corrompida. A seguir este rumo, o que produziremos daqui para a frentes será, além disso, um país em estado permanente de guerra civil.

Os defensores do impeachment, quando confrontados à inanidade de seus argumentos, dizem que “alguma coisa precisa ser feita”. Afinal, o lugar vazio do poder é evidente e insuportável, logo, melhor tirar este governo. De fato, a sequência impressionante de casos de corrupção nos governos do PT, aliado à perda de sua base orgânica, eram um convite ao fim.

Assim foi feito. Esses casos não foram inventados pela imprensa, mas foram naturalizados pelo governo como modo normal de funcionamento. Ele paga agora o preço de suas escolhas.

Neste contexto, outras saídas, no entanto, são possíveis. Por exemplo, a melhor maneira de Dilma paralisar seu impeachment é convocando um plebiscito para saber se a população quer que ela e este Congresso Nacional (pois ele é parte orgânica de todo o problema) continuem. Fazer um plebiscito apenas sobre a presidência seria jogar o país nas mãos de um Congresso gangsterizado.

Em situações de crise, o poder instituinte deve ser convocado como única condição possível para reabrir as possibilidades políticas. Seria a melhor maneira de começar uma instauração democrática no país. Mas, a olhar as pesquisas de intenção de voto para presidente, tudo o que a oposição golpista teme atualmente é uma eleição, já que seus candidatos estão simplesmente em queda livre. Daí a reinvenção do impeachment.

 Leia também:

Possível acordo de leniência da Odebrecht alopra golpistas

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
38 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Julio Silveira

29/03/2016 - 09h41

Fico pensando muitas vezes em como a cidadania poderia se defender e evitar o ingresso desses gangsteres.
Esses que estão lá em sua maioria pela capacidade de lucrarem leiloando a cidadania. Tudo por conta desse bando de idiotas que elegem esses parias, inconsequentes, para brincar com suas próprias vidas, repetidores de bordões manjados, aplicados por quem não tem argumentos nem moral para convencer, senão com a lavagem cerebral articulada com seus parceiros de mídia corporativa corrupta.

Responder

jose junior

28/03/2016 - 20h32

Enquanto não houver um mínimo de controle sobre as empresas de mídia, este balcão de negócios de golpe irá continuar…

Responder

Urbano

28/03/2016 - 13h25

Em cada centímetro da pirâmide…

Responder

    Urbano

    28/03/2016 - 13h27

    O intervalo, claro.

Julio Silveira

28/03/2016 - 11h58

A Democracia é apenas uma expressão no Brasil, que de tempos e tempos e dependendo dos interesses dos mafiosos, precisa ser reinventada.

Responder

arlindo freire

28/03/2016 - 08h30

Safatle: outro artigo fundamentado, objetivo, verdadeiro,
dígno e sério acerca do Brasil atual com seus políticos
incoerentes, acomodados e alienados da realidade
em que vivemos, na esperança secular quer não chega.
Seria muito bom que todo mundo lesse – e tivesse cabeça
voltada para estes pensamentos acerca do Brasil com a
política da atualidade, sem considerar os efeitos e causas
do vem acontecendo, depois de tanto tempo – história, sem
definições racionais e indispensáveis para que venhamos
ser normais, segundo a Natureza Humana.
Somos responsáveis por esta situação, sobretudo
os políticos, governantes, lideranças, estudantes E DEMAIS
esclarecidos, além de qualquer ser humano.
!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

marcio ramos

27/03/2016 - 17h22

Perder para a direita medíocre jamais. Vai ter luta.

Responder

Messias Franca de Macedo

27/03/2016 - 12h41

O ODOR FÉTIDO DO GOLPE TORNA-SE CADA VEZ MAIS IRRESPIRÁVEL OS MIASMAS

Hoje,
involuntariamente,
arrostei o horizonte,
e avistei certo passado,
onde no ar
havia em suspensão
certa pureza,
certa ingenuidade
dos(as) matutos(as),
certa paz
– ainda que apesar de tudo -,
certo senso comum
de esperança!

Hoje, 21/03/2016

Messias Franca de Macedo – um simples matuto ‘bananiense’!
Feira de Santana, Bahia
República de ‘Nois’ Bananas

Responder

    Messias Franca de Macedo

    27/03/2016 - 15h36

    retificação:

    Hoje, 27/03/2016

Somente o povo para salvar o que resta da ideia de democracia

27/03/2016 - 12h36

Antes de mais nada,como muitos já bem fizeram, gostaria de opinar sobre uma “discussão” quase infantil, ou tentativa desesperada, forçosamente levantada pela velha mídia. Segue a linha de Goebbels, o nazista,ou seja, mesma sendo a mentira descabida, o importante é o estrago causado na mente do alienado. Veja bem, tentam fazer um deslocamento do centro de argumentação por não haver argumentos para rebater o óbvio; impedimento sem crime de responsabilidade, forçosamente aprovado num tribunal suspeito, é um golpe e um crime contra a democracia. Ou seja, infantilmente, pois isso é um atestado do golpismo, tentam levar a discussão do particular para o geral . Se não fossem golpistas, tentariam desconstruir um só argumento; a inexistência de crime de responsabilidade. Por que não fazem? Porque não existe razão , lógica, para tal façanha. Sendo assim, restam duas questões; ou acham que o brasileiro é estúpido , ou desconhecem a si mesmos… Nem criança faz birra deste jeito, quer dizer, só as mimadas fazem. Mas , os justos, não menosprezem ou se enervem, se não podemos contar com alguns juízes, se a velha mídia desfocou a posição caberia no mínimo um esclarecimento publico, se não for conluio pura e simplesmente; pois bem, podemos contar com a história e com o povo. Ela nos absolverá , ele resistirá com todas suas forças. Se chegamos aqui, no poder a emanar do povo, na democracia construída pela razão máxima da história humana, podemos aclarar dois caminhos agora. Mesmo que Marx tenha avisado, dizendo: democracia e capitalismo são duas ideias contraditórias. Queremos ainda acreditar numa democracia verdadeira, como os sensatos sabiam que nunca foi, mas esperavam ser. Os caminhos? Um destrói , para não renovar nada, e o outro preserva, mesmo o que está em frangalhos. Um impedimento à força, nestas circunstâncias, neste grau de consciência do povo, só trará mais caos para o Brasil. Um caos imprevisível e sem data de expiração. Mas , além disso, representará a falência completa da democracia brasileira. Por ser esse o regime da justiça e da sensatez, não das maiorias alienadas, sim do povo com consciência política e social, o golpe será evidencia de ser a ideia de democracia ineficaz para nosso contexto de sociedade. Pois não terá cumprido sua obrigação primordial, a justiça social pela razão. Caminho perigoso, de futuro imprevisível, qual uma roleta russa. A preservação e a justiça, por outro lado, combatido os focos de tensão artificiais a alimentar o golpe, será certamente o caminho mais seguro e racional. Esqueça mercado e as outros pretextos criados artificialmente para fomentar a revolta nas massas alienadas. Para o Brasil superar suas dificuldades, pois oposição também é governo, judiciário igualmente, é preciso que os golpistas deixem de lado suas fraquezas e passem a trabalhar para o Brasil.Para concluir; a democracia, sua preservação, é a continuidade do dialogo entre os opostos, o cerne do que nos transformou em humanos. A ruptura, pelo golpe, é o rompimento com as palavras; que, sinceramente, já estão ficando cansativas devido ao comportamento infantil de algumas pessoas. Então, quando se rompe com o diálogo, sedimentado na razão, retrocedemos ao mesmo patamar de animais selvagens. É a lei da força, da selvageria dos regimes totalitários, da apreensão e do medo das selvas primitivas . É preciso um pouco de responsabilidade agora, pois a historia naturalmente elegerá os culpados, em tribunal informal, se o pior ocorrer ao Brasil. Os imperialistas, nem preciso dizer, pouco se importam com as consequências . Resistência e união, sem ter vergonha disso, sem medo de tomar as ruas, para todos nós, para Dilma Rousseff e Lula, pelo que resta da democracia; pelo que resta da esperança na boa humanidade.

Responder

Lukas

27/03/2016 - 07h32

Entendo. Mas é esse mesmo congresso gangsterizado que, até pouco tempo, em sua grande maioria, fazia a base de apoio do governo.

Se os congresssistas eleitos pelo povo podem apoiar o governo do PT, podem também tirá-lo. Será que, caso continue no governo, a ex-presidente Dilma abrirá mão do apoio dos gangsters do congresso? Terá coragem de ficar ao lado apenas dos puros? Ou talvez alguns até virem ministros?

Não vai ter golpe.

Responder

Cláudio

27/03/2016 - 04h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo A(s) Voz(es) do Bra♥♥S♥♥il (e do mundo) e postando: Um vídeo muito interessante de Socialista Morena sobre PROPAGANDA – The Western Propaganda Exposed – Legendado, longo mas imperdível e muito bom:
*
OBS.: Leia antes (ou depois) a respectiva postagem da Cynara Menezes em #CineMorena. O “link” que segue é direto do YouTube:
:
https://www.youtube.com/watch?v=G7FAn3JZ7NQ#t=73
*
* 1 * 2 * 13 * 4
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 23h13

… Ainda sobre revelações de farsas…

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

O cruzamento da planilha da Odebrecht com dados do TSE

Por conspícuo e intrépido jornalista Miguel do Rosário

26/03/2016

Thais Moya, cidadã brasileira, cruzou os números da planilha da Odebrecht com os dados do TSE.
O resultado, segundo ela, explica porque a mídia e a Lava Jato resolveram abafar a planilha.
(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.ocafezinho.com/2016/03/26/internauta-cruza-planilha-da-odebrecht-com-dados-do-tse/

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 21h09

MAIS UM MÍSSIL NO CASCO E NAS PATAS IMUNDAS DOS CARANGUEJOS DA [ETERNA] oPÓsição AO BRASIL!

… Algo que o “ex-supremo” [“ex-supremo”!] Eros Grau deve considerar “que não vem ao caso”!

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

STF desarquiva ações contra ministros de FHC – entre eles, José Serra – por improbidade

26/03/2016 – 19:33

(…)

FONTE, pasme: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1754414-stf-desarquiva-acoes-contra-ministros-de-fhc-por-improbidade.shtml

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26/03/2016 - 21h10

    “Repare nos olhos dele!
    E a mão no bolso comprido não é mera coincidência!….”

FrancoAtirador

26/03/2016 - 20h59

.
.
“A Cadéla do Fascismo
Está Sempre no Cio”
Bertolt Brecht
.
(http://jornalggn.com.br/noticia/teste-adivinhe-se-as-manchetes-sao-de-1964-ou-de-2016)
.
.

Responder

FrancoAtirador

26/03/2016 - 20h25

.
.
Em 1964, o Presidente do Conselho Federal da OAB
Apoiou o Golpe de Estado Contra o Presidente Jango.
.
Em 20 de Março Daquele Ano, Um Dia Após a “Marcha
da Família com Deus pela Liberdade” em São Paulo,
Povina Cavalcanti convocou uma Reunião Extraordinária
em que os Conselheiros Federais votaram pelo Golpe.
.
A Confissão Histórica está lá no próprio sítio da OAB Nacional:
.
“…setores conservadores, sob a liderança da ala ortodoxa da Igreja
organizaram a Marcha da Família com Deus pela Liberdade,
que reuniu mais de 500 mil pessoas nas ruas de São Paulo,
a 19 do mês de março. No dia seguinte, os membros do Conselho Federal da OAB
foram convocados, extraordinariamente, para debaterem”…
.
“Para o Conselho Federal da OAB,
a Ação das Forças Armadas
foi vista como uma Medida Emergencial”…
.
“Dessa forma, a Ordem Recebeu com Satisfação a Notícia do Golpe,
ratificando as Declarações do Presidente Povina Cavalcanti,
que louvaram a derrocada das forças subversivas [SIC].
.
Povina parabenizou a atuação do Conselho,
considerando-a lúcida e patriótica ao alertar,
durante a reunião realizada a 20 de março”…
.
“Em maio de 1964, Povina Cavalcanti
ainda participou da comissão designada
pelo presidente [SIC] Castelo Branco”…
.
“Passados os Primeiros Meses do Golpe,
o Conselho Federal começou a vislumbrar
a Verdadeira Face do Novo Regime,
registrando o Crescimento do Autoritarismo
e das Arbitrariedades Cometidas pelos Militares,
que não manifestavam o desejo de abandonar o poder
e convocar novas eleições, como era esperado.
.
O primeiro passo dado pela OAB para contrapor-se ao Regime
ocorreu na Sessão de Junho de 1964, quando a Ordem decidiu
que os Advogados com os Direitos Políticos Suspensos pelo Governo
não estavam Impedidos de Exercer a Profissão.
.
O segundo passo foi concretizado
na sessão extraordinária de 15 de Outubro,
quando os Conselheiros protestaram contra os atentados
e perseguições praticadas em prejuízo de advogados”…
.
(http://www.oab.org.br/historiaoab/estado_excecao.htm)
.
(http://www.geocities.ws/politicausp/cultesoc/estado/Edson.pdf)
.
.

Responder

Euler

26/03/2016 - 19h53

Texto de boa qualidade, com críticas sinceras e acertos na análise em quase tudo. Quase. Vou me ater a alguns pontos: 1) o exagero no papel da corrupção nos governos do PT. Como se o PT tivesse força para impedir as práticas de propinas e caixa dois que existem não apenas no âmbito federal, mas em todas as esferas dos poderes públicos, inclusive no judiciário. Para mudar isso, teria que haver um movimento constituinte, capaz de alterar todo o sistema político e não apenas um governante eleito. Dilma bem que propôs uma constituinte exclusiva durante as manifestações de meados de 2013. O que aconteceu? A mídia e a oposição, e mesmo sua base de apoio, só faltaram pedir a execução dela em praça pública.

Um segundo ponto que merece destaque na boa crônica do autor é quando ele diz que a imprensa não inventa a corrupção. Pois sim. Esqueceu-se de dizer que ela aumenta quando se trata de PT e blinda completamente quando se trata de PSDB e afins. Assim fica difícil jogar o jogo. O próprio autor do texto fala numa “sequência impressionante de casos de corrupção nos governos do PT”. Em 13 anos de gestões petistas, os dois escândalos de grande monta foram o Mensalão e o agora chamado Petrolão – que nem começou no governo petista.

O PT foi o maior beneficiário, em propinas, nestes escândalos? Não. Foram justamente PMDB e PP os maiores beneficiários, e também o PSDB, em cujo governo de oito anos, aí sim, foi conivente e beneficiário de uma “sequência impressionante” de escândalos: Banestado, Pasta Rosa, Mensalão Tucano de MG, Privataria Tucana (só esta já supera a corrupção de todos os outros governos), Furnas, entre outros. Claro que um erro não justifica o outro, mas deixar de mencionar os outros é uma forma de corrupção também. Me pergunto se estas práticas seletivas de vazamento, condenação, e outras ilegalidades dos paladinos da Lava-jato são menos corrupção do que aquilo que eles combatem.

No final, que mal faz a corrupção ao país? Ceifa alguns bilhões da saúde e da Educação. Pois sim. Que tal calcularmos as perdas com a sonegação não combatida pelos paladinos da moralidade, e também as perdas causadas pela operação lava-jato em parceria com a Globo, que quase destruiu a Petrobras e grandes empreiteiras? São muitos bilhões acima da corrupção apurada até agora. E o pior: uma apuração seletiva, o que torna a lava-jato uma operação conivente com a corrupção de alguns. Vide a Lista da Odebrecht, que desmanchou a narrativa da lava-jato de que tudo começou com o PT e somente com o PT.

O autor esqueceu também de mencionar o papel da mídia neste contexto de crise e de golpe. Todos os rádios e TVs e jornais e revistas de maior circulação dedicam 24 horas por dia de ataques ao PT, ao ex-presidente Lula e ao governo Dilma, enquanto esconde os demais e não mostra os pontos positivos das gestões Lula e Dilma. Ora, este criminoso monopólio da mídia nas mãos de meia dúzia de mafiosos barões é, talvez, um dos maiores males da realidade brasileira. Pior até do que a corrupção, porque esta, de tempos em tempos é possível combater e até recuperar parte do dinheiro roubado. Já o estrago que a mídia fez à população brasileira é algo incalculável.

Toda essa horda de lobotomizados e alfabetizados pelas verdades absolutas da mídia golpista não nasceu de forma espontânea. Imaginem um Brasil sem o jornalismo, aspas, da Globo, Band e outros meios? Seguramente estaria muito melhor resolvido. De nada vai adiantar derrubar uma presidenta legitimamente eleita e colocar um fantoche da Globo e da Casa Grande como Temer ou Aécio ou Serra, porque o resultado será sempre negativo para a maioria da população. O que eles querem é conhecido: entregar o pré-sal, congelar o salário mínimo, implantar a terceirização generalizada, confiscar salários e garantir grandes lucros para os grupos de rapina como banqueiros, Globo, entre outros.

No mais, a análise quanto ao absurdo de um congresso formado majoritariamente por beneficiários de propinas e caixa dois com poder para derrubar uma presidenta honesta, está corretíssimo. E olhando retrospectivamente percebemos como alguns personagens foram usados como palhaços com o perfil de paladinos da moralidade. Desde a calculada parceria entre a Globo e o juiz Moro e sua equipe, na condição de sempre só atacar ao PT, Lula e o governo federal, passando pelos imbecis que desfilam de verde e amarelo contra a corrupção, esta velha conhecida da direita golpista.

No final, se vingar o golpe via congresso – em forma de impeachment – as velhas e vigaristas raposas políticas – Aécio, Temer, Serra, entre outros, vão dividir o poder entre si e seus aliados e apoiadores, incluindo a Globo e afins, que certamente garantirão verbas fartas de publicidade e empréstimos a fundo perdido. O juiz Moro será promovido – se colaborar com o golpe, o que não será difícil para ele, já que é isso que tem feito – ou preso, se tentar incriminar os golpistas.

A única coisa aparentemente positiva desse processo, mas a um preço altíssimo (o do fim da democracia), é que as pessoas vão perceber o quanto estão (foram) enganadas em atribuir a culpa dos problemas do Brasil ao governo Dilma, especificamente, e à corrupção de forma geral. Mas, aí já será tarde demais, pois a Globo e seus afins vão apostar todas as fichas num novo “pacto social”, numa “união nacional” para salvar o país. Cinismo à parte, quero ver o povo cobrando mais emprego, mais salário, mais políticas sociais num governo que tenha à frente essa quadrilha que se desenha.

Finalmente, em outras circunstâncias, sobretudo numa eleição regular, Dilma até que merecia perder o poder, pelo que deixou de fazer no seu segundo mandato – propostas econômicas voltadas para o crescimento, e não esse ajuste neoliberal que contribuiu com o golpe; e também por ter permitido que a PF fosse instrumentalizada pela oposição golpista, como aconteceu de fato. O juiz Moro manda mais na PF do que a presidenta eleita pelo povo brasileiro, algo inaceitável! Colocar 200 policiais federais para sequestrar Lula foi a demonstração de que o governo não governa. Desde quando um juiz de primeira instância consegue escalar 200 policiais federais sem que o serviço de inteligência do governo ficasse sabendo e impedisse esta ação? Se escapar do impeachment, Dilma terá que demonstrar que é a presidenta de fato, ou então renunciar.

Responder

FrancoAtirador

26/03/2016 - 18h07

.
.
‘SUICIDOU-SE’
COM A GRAVATA
DE QUEM, MESMO?
.
.

Responder

FrancoAtirador

26/03/2016 - 17h59

.
.
“GANG” = ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA (OC); BANDO; QUADRILHA.
.
Em inglês, Gang é uma Organização de Indivíduos que se associam
para, em conjunto, alcançar algum Objetivo Ilícito ou Propósito Criminoso.
.
Gangster é o Termo que designa o membro de uma Gang; Bandido; Quadrilheiro.
.
Em português, escrevem-se Gangue e Gângster.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    26/03/2016 - 18h03

    .
    .
    Exemplos:
    Mercado Financeiro; Mídia Jabáculê; FIESP;
    OAB; CFM; JF/MP/PF-PR; PPSDemB; PMDB…
    .
    .

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 17h37

De Raymundo Faoro até Moro, passando por Joaquim Barbosa

Em recente discurso memorável o jurista Flávio Dino – e atual governador do Maranhão (PC do B/MA) – sentenciou:
“A OAB apoia o golpe contra a democracia brasileira!
No entanto, a OAB também apoiou o golpe militar de 1964!
E, hoje, ninguém lembra mais o nome do presidente da OAB daquela [sinistra] época!
No entanto, todos lembram do eminente e impávido jurista Raymundo Faoro.”

Hoje, eu tive a curiosidade de acessar o google no sentido de pesquisar a última notícia relacionada ao rábula psicopata do Mentirão!
Dileto(a) leitor(a), a última notícia relacionada ao rábula psicopata do Mentirão está associada a uma mensagem de natureza ‘fofocal’ eivada de mesquinharia e ignorância dos fatos publicada no twitter do mesmo Joaquim Barbosa, e repercutida por um site da escória da internet, senão vejamos:

Joaquim Barbosa mata a pau: cadê as palestras do Lula na internet?
10/03/2016
(…)

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE [IMUNDA!]: http://www.canalgama.com.br/joaquim-barbosa-mata-a-pau-cade-as-palestras-do-lula-na-internet/

NOTA FÚNEBRE:
lendo alguns comentários asquerosos ‘dos(as) coxinhas’ do lixo cibernético, há relatos afirmando que o texto procede de uma conta fake do Joaquim Barbosa.

RESCALDO:
quiçá, um dos maiores legados do rábula psicopata do Mentirão: não é a primeira vez – e muito menos será a última – em que o Joaquim Barbosa é usado criminosamente por bestas-feras do esgoto do esgoto da internet!

EM TEMPOS FASCIGOLPISTAS:
do exposto, ‘nois’ podemos depreender um pouco mais acerca do ‘ostracismo anunciado’ do [suposto] juiz sérgio ‘mor(T)o’:
decerto, será mil vezes pior do que o do seu “magnânimo” predecessor!
E não estamos proferindo imprecações:
‘São as Divinas Leis da natureza, estúpido!’

Ou ainda: A Verdade Vos Libertará! Preceito bíblico

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 17h36

Para ex-procurador do Paraná, Moro adota uma prática jurídica da Idade Média

SAB, 26/03/2016 – 16:27

Do Brasil de Fato

Moro é serviçal de uma investigação política e logo será descartado, afirma ex-Procurador Geral do Paraná

Para o jurista Carlos Frederico Mares de Souza Filho, o juiz Sergio Moro “passou da linha” e adota uma prática jurídica da Idade Média ao assumir papel de investigador.

Por Ednubia Ghisi, de Curitiba

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://jornalggn.com.br/noticia/para-ex-procurador-do-parana-moro-adota-uma-pratica-juridica-da-idade-media

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 17h33

[Até “o supremo” psicopata Gilmar Mendes já sugeriu a psicopatia do rábula psicopata sérgio ‘mor(T)o’!]

STF já analisou ‘excessos’ do juiz Sérgio Moro no caso Banestado

Estadão Conteúdo
Em Brasília
26/03/2016 11h32

(…)
Em 2010, a 2ª Turma do tribunal começou um julgamento só encerrado em 2013 em que foram contestados atos do magistrado relativos à Operação Banestado –escândalo de evasão de dezenas bilhões de reais do Banco do Estado do Paraná na década de 1990.
Na ocasião, sobraram críticas feitas pelos ministros da Corte presentes à condução das investigações por Moro.
(…)
O STF encaminhou as contestações aos atos do juiz do Paraná ao Conselho Nacional de Justiça, onde a apuração foi arquivada.
Um dos ministros mais críticos aos procedimentos do juiz em 2013 foi Gilmar Mendes, que pediu vista do processo em 2010 ao revelar preocupação com os atos de Moro.
Para ele, o caso mostrava um “conjunto de atos abusivos” e “excessos censuráveis” praticados pelo juiz.
(…)
Gilmar Mendes escreveu no acórdão que juízes que reiteram decreto de prisão após decisão contrária de tribunal praticam um “desserviço e desrespeito ao sistema jurisdicional e ao Estado de Direito”, com autoridade “absolutista, acima da própria Justiça, conduzindo o processo ao seu livre arbítrio, bradando sua independência funcional”.
“Revelam-se abusivas as reiterações de prisões desconstituídas por instâncias superiores e as medidas excessivas tomadas para sua efetivação, principalmente o monitoramento dos patronos da defesa [os advogados], sendo passíveis inclusive de sanção administrativa”, escreveu o ministro.
(…)

FONTE, pasme: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/03/26/stf-ja-analisou-excesso-de-moro-no-caso-banestado.htm

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26/03/2016 - 17h33

    ajuste desprezível:

    … “o supremo psicopata” Gilmar Mendes…

Dan

26/03/2016 - 16h54

Este texto do Vladimir foi um dos mais fracos que eu já li até agora sobre a conjuntura política e o contexto social brasileiros. O autor simplesmente sugere uma medida inconstitucional para solucionar a crise através de um plebiscito, admitindo, juntamente com os golpistas, que o país está desgovernado. Tal solução, além de ser delirante, pois é provável que todo o congresso gangsterizado seria reeleito e a presidenta Dilma, devido à intensa campanha midiática, não, convém justamente aos propósitos das oligarquias associadas ao capital estrangeiro. A questão fundamental, como temos acompanhados no Viomundo e outros blogs, não se resume a escaramuças da política doméstica. Há muito tenho percebido que o PSOL, em busca de um lugar ao sol no vácuo político deixado pelas esquerdas, evita radicalizar à esquerda sem, no entanto, aliar-se ao reformismo ptista, o que faz com que o partido fique completamente destoado da realidade e só dê bola fora. Isso acontece mesmo na política estudantil quando o partido assume francamente uma postura de direita e desmobilizadora.

Responder

anac

26/03/2016 - 16h11

URGENTE
http://www.debateprogressista.com.br/2016/03/ex-policial-civil-lucas-gomes-arcanjo-e.html
Policial Civil Lucas Gomes Arcanjo é encontrado morto em Belo Horizonte

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26/03/2016 - 17h41

    … Estamos perplexos diante deste gravíssimo fato lamentável – ainda que com nuanças de ‘tragédia anunciada’!…

    Lamentamos profundamente a morte do bravo e valoroso Lucas Gomes Arcanjo!

    Nossos protestos de pesar à família enlutada!
    E a todos e todas que corajosamente lutam por um Brasil mais decente!

    Messias Macedo

    FrancoAtirador

    26/03/2016 - 18h14

    .
    .
    ‘SUICIDOU-SE’ COM A GRAVATA… DE QUEM, MESMO?
    .
    .

Deixe uma resposta