VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Paulo Moreira Leite: Que tal abortar a hipocrisia?

06 de outubro de 2010 às 20h08

Que tal abortar a hipocrisia?
qua , 6/10/2010

Paulo Moreira Leite, no blog da Época

A discussão sobre a discriminalização do aborto foi um tema da reta final do primeiro turno e deve permanecer na segunda fase da campanha presidencial.

Há um lado peculiar nessa discussão. Ninguém falou de aborto nos últimos anos. Os vários projetos sobre o assunto, no Congresso jamais mereceram atenção da imprensa nem dos partidos políticos. Ficaram adormecidos e eram lembrados, como bandeira feminista, nos festejos de 8 de março ou outras datas semelhantes.
Na última semana da campanha, o debate surgiu.

Por que? Honestamente, só há uma explicação política: era uma forma de prejudicar a candidatura de Dilma Rouseff e tentar impedir sua vitória no primeiro turno.

Não é uma conspiração. É uma intervenção política, nos subterrâneos da campanha. É dificil imaginar que o aborto tenha surgido de forma espontânea. Foi um assunto provocado, de fora para dentro. Todos os grandes candidatos têm suas conexões religiosas e seus aliados neste universo.

Da mesma forma que um partido pode mobilizar sindicatos para defender uma candidatura ou um grupo de empresários para conseguir apoio, outra legenda pode mobilizar uma liderança religiosa para prejudicar um adversário.

Os adversários de Dilma descobriram um ponto sensível, onde seria possível atingir a candidata e colocaram o assunto na internet, produzindo o estrago que se conhece. Não é um ataque sem base.

A posição de Dilma e do PT modificou-se ao longo do tempo. O PT decidiu não colocar o assunto em discussão na campanha eleitoral, ainda que ele tivesse surgido na primeira versão do Plano Nacional de Direitos Humanos, sendo extirpado por decisão do presidente Lula, que não teve receio de desautorizar seus próprios auxiliares.  O eleitor tem o direito de saber que a liderança religiosa que condena um concorrente em função dessa questão tem vínculos com determinada candidatura e trabalha para ela.

Quem acha necessário  levantar a discusssão deve fazer isso de modo transparente, e não na forma de insinuações e acusações pela internet.  O esforço para criar um debate sem origem é revelador de uma operação eleitoral, de quem quer cativar o eleitor religioso sem perder apoio junto a setores da classe média urbana que tem outra visão sobre o assunto e pode achar esse comportamento reacionário e inaceitável.

A falta de interesse que o aborto costuma provocar na vida cotidiana do país só ressalta o caráter artificial dessa discussão agora.

Por exemplo: lendo a Folha de hoje descobri que o PV é a favor da legalização do aborto desde 2005. É espantoso, quando se recorda que é justamente o partido de Marina Silva.

(O PV também é a favor da legalização da maconha, diz o jornal. Não duvido que uma pesquisa aprofundada descubra uma resolução de algum encontro verde a favor de casamentos de homossexuais…)

Não acho essa revelação sobre a posição do PV sobre a legalização do aborto escandalosa. É sintomática.

A sociedade brasileira convive há muitos anos com o aborto, que é tolerado em todas as famílias com uma única diferença. Quando a pessoa tem posses, pode submeter-se a uma cirurgia como tantas outras. Caso contrário, é submetida a intervenções   de risco.  O debate é uma questão de saúde pública, acima de tudo.

Não conheço ninguém que seja a favor do aborto. Mas conheço muitas mulheres que realizaram um aborto porque não se sentiam capazes de criar um filho sob determinadas condições  — o que me parece uma atitude tão respeitável  como a daquela que não realiza o aborto por uma postura ética de não atentar contra a aquela forma de vida humana.

Acredito nos políticos que dizem que são contrários ao aborto. Não conheço nenhuma pessoa que, em pleno gozo de sua saúde mental, seja a favor de interromper o desenvolvimento de um feto, de modo gratuito, em vez de utilizar métodos anticoncepcionais.

Na vida pública, nossos políticos se comportam da mesma forma, independente de cor, filiação partidária ou origem religiosa: toleram o aborto. Por essa razão as clínicas que realizam esse tipo de cirurgia funcionam de forma discreta e jamais são incomodadas pelas autoridades. A partir de uma certa idade, toda mulher brasileira sabe onde pode encontrar o nome de um médico que pode interromper sua gravidez. Marie Claire, uma das grandes revistas do país, tem posição editorial firmada a favor da discriminalização do aborto.

Periodicamente, os jornais e revistas entrevistam celebridades que já fizeram aborto — e nada lhes acontece, ao contrário do que ocorreu com o galã Dado Dolabella, que será processado porque recentemente foi apanhado com algumas gramas de maconha.

Na prática, o país caminha em direção à discriminalização — mesmo que nem sempre seja conveniente admitir isso.  Essa discussão envolve um debate necessário e será lamentável se o assunto for transformado em troféu de uma guerra eleitoral.

Estamos num desses casos em que raramente se diz aquilo que se faz. Concorda?

 

74 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Serra é a favor do aborto – Freud explica « ESTILINGADA

07/10/2010 - 20h29

[…] “Época”, mas que tem a qualidade de não brigar com os fatos – acha que não. Confiram aqui o que diz o Moreira Leite sobre […]

Responder

@fllins

07/10/2010 - 13h39

"Não conheço ninguém que seja a favor do aborto."
Prazer, eu sou. E a favor da banalização do mesmo. Faz quem quer como quiser. Método anticoncepcional válido.

Responder

filho

07/10/2010 - 13h34

" Mas conheço muitas mulheres que realizaram um aborto porque não se sentiam capazes de criar um filho sob determinadas condições — o que me parece uma atitude tão respeitável como a daquela que não realiza o aborto por uma postura ética de não atentar contra a aquela forma de vida humana."

como pode ser uma atitude respeitável matar (abortar) uma forma de vida humana ? é crime portanto.

Responder

Paulo Silva

07/10/2010 - 12h17

Embora reconheça o poder mobilizador do tema, precisamos ter clareza a respeito dos principais motivos dessa sórdida campanha anti-Dilma. Há pouco li um posto que pode trazer os elementos necessários para uma justa reflexão sobre o assunto como material de propaganda: http://pedroayres.blogspot.com/2010/10/brasil-e-o

Responder

Se Nagao

07/10/2010 - 11h19

"Não é uma conspiração. É uma intervenção política, nos subterrâneos da campanha…."
"Quem acha necessário levantar a discusssão deve fazer isso de modo transparente, e não na forma de insinuações e acusações pela internet…"
Para que isso ocorra deve-se considerar que essa discussão não é "uma intervenção política, nos subterrâneos da campanha", é "uma conspiração". Relativizar do modo como o apresentado não pode ser levado a sério.
Ademais, estamos em uma campanha eleitoral para a Presidência da República e não em campanha para um plebiscito sobre a descriminalização do aborto. Transformar a eleição em plebiscito é trabalhar contra a dempcracia. A campanha eleitoral apresenta de forma cristalina dois projetos políticos muito distintos, da Dilma a favor da população brasileira e por conseqüência a favor do Brasil e outro, do Serra, contra a população brasileira.

Responder

turmadazica

07/10/2010 - 11h06

Lugar de religioso é junto a deus… Morto!

Responder

Marcelo de Matos

07/10/2010 - 10h53

(continuação)
Ela destaca que, neste segundo turno presidencial – nem Dilma, nem José Serra têm perfil religioso. Para ela, qualquer um dos dois tem chances de ganhar o apoio desses grupos por negociação.
– Eu percebo que existe um pragmatismo muito grande nos grupos religiosos. Eles sabem que estão lidando com dois candidatos que não são religiosos. Para a pesquisadora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), os pastores viram na polêmica uma chance de se estabelecerem na política”.

Responder

Marcelo de Matos

07/10/2010 - 10h52

Então, vamos abortar a hipocrisia e ir direto ao ponto. Duas matérias chamam a atenção nesse particular. No UOL: “Em reunião fechada com aliados, Marina Silva, atacou ontem a gula de dirigentes do partido por cargos e afirmou que não vai "se apequenar" nas negociações do segundo turno. Ela se mostrou irritada com a intenção do núcleo da campanha de José Serra de oferecer quatro ministérios em troca do apoio do PV. Em tom de ironia, Marina criticou o fisiologismo de parte da cúpula verde, sugerindo que a oferta seria alta demais para alguns dirigentes de seu partido”. O portal Terra, por sua vez, fala do pragmatismo dos líderes religiosos: “Pressão de evangélicos não é por fé, mas, por poder”. “Pressão de setores religiosos – principalmente evangélicos – sobre uma definição contra o aborto da campanha da presidenciável Dilma Rousseff não tem motivação religiosa, mas é uma forma de barganhar por poder, avalia a cientista Maria das Dores Campos Machado. (continua)

Responder

Geysa Guimarães

07/10/2010 - 10h51

Bom saber que o PV é pró-aborto desde 2005. Isso explica por que Marina diz que levaria a questão a plebiscito.
Deixar que o povo julgue não é outra atitude senão a de Pôncio Pilatos: ele não mandou matar Cristo, deixou ao povo
a tarefa.
Afinal, Marina é contra mas se o povo decidir "matar", tudo bem?

Responder

Francisco

07/10/2010 - 10h50

Será que foi obra do tal guru indiano???

Responder

Fernando José

07/10/2010 - 10h35

Quem introduziu o tema "aborto" no debate foi o próprio PT, com a inclusão da legalização do aborto entre as propostas do PNDH-III. Agora estão reclamando do quê?

Responder

João Manoel

07/10/2010 - 10h23

Só uma correção: A grafia correta é 'descriminilizar'.

Responder

    Marcelo de Matos

    07/10/2010 - 10h37

    Sua correção merece uma correção: descriminalizar, João.

    João Manoel

    07/10/2010 - 10h50

    Perfeito Marcelo, faltou o 'na'

    De Paula

    07/10/2010 - 11h37

    Todos estão certos: Discriminalizar é considerar o aborto um ato legal quando praticado por gente da elite e um crime quando praticado por gente pobre.
    Discriminilizar é tornar o aborto, não um crime mas um pecadilho, absolvido com três ave marias.
    Descriminalizar é tornar o aborto um ato legal.
    Para algumas seitas religiosas que acreditam em reencarnação, o aborto é a correção de um erro de feto.
    Com um pouquinho de humor, a gente até que leva o segundo turno.

O ato falho de Serra, o Estadão e Freud « CartaCapital

07/10/2010 - 09h50

[…] “Época”, mas que tem a qualidade de não brigar com os fatos – acha que não. Confiram aqui o que diz o Moreira Leite sobre isso. Mas, de volta ao ato falho… Serra, como sabemos, não é um […]

Responder

Marcelo de Matos

07/10/2010 - 09h49

"lendo a Folha de hoje descobri que o PV é a favor da legalização do aborto desde 2005. É espantoso, quando se recorda que é justamente o partido de Marina Silva". "O PV também é a favor da legalização da maconha, diz o jornal. Não duvido que uma pesquisa aprofundada descubra uma resolução de algum encontro verde a favor de casamentos de homossexuais"… Pena que o autor não forneceu o link para lermos a matéria na Folha. Mas, achei muito bom o artigo. Esclarecedor.

Responder

Roberto Locatelli

07/10/2010 - 09h06

Paulo Moreira Leite foi aquele chefe de redação da Veja que destruiu a carreira do então senador Ibsen Pinheiro (PMDB), com uma mentira. A Veja fez uma "denúncia" mentirosa dizendo que ele era corrupto. Com base nessa mentira, ele foi cassado.

Depois, o próprio jornalista subordinado ao sr. Leite denunciou a mentira.

Assim sendo, não acredito na sinceridade do sr. Leite. Ao contrário, desconfio das intenções por trás de tudo o que ele fala. Ele é um típico "jornalista" do PiG. Diplomado, mas mentiroso.

Responder

Gerson Carneiro

07/10/2010 - 09h05

Esse assunto será logo abortado em 01/11/2010.
Está em evidência. Infelizmente não pelo verdadeiro motivo da discussão que interessa, mas tão somente por esse objetivo vulgar de barrar uma candidata.

Responder

monge scéptico

07/10/2010 - 09h04

CALMA PESSOAL!O zé mente tanto, que numa mesma oração ele afirma e se desmente, é hilário!kikikiki.
esqueci-me de dizer(síndrome serrista? Vôute!) a hipocrisia aqui tem gestação normal de onze meses
(burros ou jegues sei lá)) e parto dolorido e normal. As eleições provaram isso! RAIOS!!

Responder

monge scéptico

07/10/2010 - 08h58

CALMA PESSOAL!O zé mente tanto, que numa mesma oração ele afirma e se desmente, é hilário!kikikiki.
NO BRASIL? Não! a maioria de nós nasce e morre hipócrita, amofinado em intermináveis discussões do
óbvio. O povim tem ouvidos afinados para a religião por preguiça e covardia em encarar os fatos, delegan-
-do a outros, Deus pastores, padres etc, aquilo que é da sua atribuição, resolver como macho. Na falta de
brio, voltam-se para mitos, na esperança que estes venham resolver, os problemas do dia a dia. Nessas
eleições provaram algo: estão perdidos no pasto, e o pastor só quer c….etc e tal. Obviamente, me refiro
a uma parcela do povo que pode ser contabilizada. Aqui entre os navegantes, é outro nível.
É IMPRESSIONANTE!

Responder

lucila

07/10/2010 - 08h14

Sugestão para tuitar:

FHC tem vergonha de Serra? ou Serra tem vergonha de FHC?

Responder

Carlos.

07/10/2010 - 08h01

Por todo o currículo de Paulo, eu não tenho dúvidas de que ele sabe muito bem do que está falando quando diz que o debate/difamação, calúnia sobre aborto foi uma tramóia da extrema-direita religiosa em cumplicidade com a extrema-direita política. Ele trabalha na TV Tucano, digo TV Cultura, Globonews, frequentou e frequenta o PIG serrista. Este texto escrito por ele vale como um verdadeiro veredito.

Responder

Alexandre Tambelli

07/10/2010 - 07h53

Azenha e Pessoal!

Excelente o artigo do Paulo Moreira Leite. O Problema é conseguir essa percepção em setores sociais mais alienados e que aceitam tudo o que diz a velha mídia como verdade absoluta. Minha mãe que é uma Católica fervorosa já compreende que é uma questão de saúde pública o aborto, porque compreende o papel da velha mídia. A questão religiosa é secundária, afinal o que conta é que não existe religiosidade que impeça uma mulher decidida em abortar da desistência do ato.

No Brasil nem todos são católicos, certo?! E não são todas as mulheres que vão se sensibilizar com o argumento dos católicos para não realizar o aborto. Ser a favor do Aborto é um posicionamento pessoal e não religioso.

Não adianta querer impor uma conduta para quem não é cristão, este não vai obedecer. Cada pessoa segue seus princípios e sua fé, certo? Devemos é cuidar da assistência à mulher, para um aborto seguro, se esta o desejar e quem sabe com um acompanhamento psicológico, em uma clínica segura, um hospital do Estado não demovê-la do ato. É muito mais didático o acompanhamento psicológico do que qualquer terrorismo anti lei de aborto.

Quem está decidida a realizá-lo fará independente da segurança do ato, sendo uma mulher com condições de ir em uma clínica segura ou não (quando se tratar mulheres menos abastadas), estas correndo até risco de Vida ao realizá-lo. Que se veja o aborto, então, como uma questão de SAÚDE PÚBLICA!

Responder

Cícero

07/10/2010 - 03h21

Agora são somente Dilma e Serra. A atriz demagoga Marina deixou o palco. Caíram as cortinas, As luzes do teatro se apagaram. Acabou a encenação. Começa agora o debate. E os dois vão ter que debater. Evidente que voltará à baila a questão do aborto, mas não acredito que esse assunto dominará o confronto das ideias. Creio que os debates englobarão diversos temas. E nesse clima, o aborto será apenas um assunto a mais. Deixará de ser o foco da disputa. Nesse contexto, e amparado por inabalável esperança, creio que Dilma vencerá, talvez não por uma larga diferença de votos, mas vencerá.

Responder

Cícero

07/10/2010 - 03h20

HIPOCRISIA! É exatamente isso que está acontecendo nessas eleições. Nem os tucanos nem o PIG tinham argumentos suficientes para menoscabar o sucesso do governo Lula. Tentaram derrubá-lo com acusações caluniosas. Começaram com o caso Erenice. Não "colou". Não surtiu o efeito esperado. Depois vieram com aquela história de violação de dados na Receita Federal, insinuando que o PT seria o "mandante". Isso também não prosperou, e o tiro quase saiu pela culatra, já que, paralelamente à investigação do caso, surgiram denúncias contra a filha do Serra, que, segundo consta, teria violado dados de 60 milhões de contribuintes. Quando os tucanos e o PIG descobriram que nada disso estava influindo nas pesquisas de intenção de votos, então, alguém, em meio ao desespero que já tomava conta da imprensa golpista, diante da iminente vitória da Dilma já no 1º turno, repito, alguém, que não deve ser tucano, pois tucanos são desprovidos de inteligência e razão, teve a brilhante idéia de convocar setores conservadores da Igreja para atacar a Dilma, em questões polêmicas como a do aborto. É nesse momento que começa a surgir a Marina, como a mais "certinha", a mais "santinha", a mais "comportadinha", não no campo das idéias porque seu discurso é sempre o mesmo, mas no palco do teatro político. E nessa peça teatral do 1º turno, a Marina se destacou por ter sido a melhor atriz em cena, desempenhando com habilidade o papel de sua personagem política DEMAGOGA. Nesse sentido, o que se aplaudiu, portanto, não foi a Marina, mas a atriz. Agora são somente Dilma e Serra. A atriz saiu de cena. Começa agora o debate. E os dois vão ter que debater

Responder

Rodrigo

07/10/2010 - 02h15

Divulgando no Orkut IV:

PADRE LÉO ATACA SERRA POR CAUSA DO ABORTO: http://www.youtube.com/watch?v=tXTMkA2eGHc

Responder

Rodrigo

07/10/2010 - 02h13

JÁ ESTOU DIVULGANDO NO ORKUT – III:

Discordo do uso do tema aborto na eleição, mas a título de informação:

O ÚNICO CANDIDATO A
PRESIDENTE NESTAS ELEIÇÕES QUE JÁ ASSINOU MEDIDAS P/ FAZER ABORTO FOI JOSÉ SERRA (PSD, quando foi Ministro da
Saúde, em 1998. Ele assinou norma técnica para o SUS (Sistema Único de Saúde),
ordenando regras para fazer abortos até o 5º mês de gravidez.
A íntegra da norma pode ser lida aqui: http://www.cfemea.org.br/pdf/normatecnicams.pdf

Certamente, Serra jamais receberá votos de quem milita
incondicionalmente contra qualquer prática relacionada ao aborto

Responder

Rodrigo

07/10/2010 - 02h08

JÁ ESTOU DIVULGANDO NO ORKUT:

EM 1993 PSDB APRESENTOU PROJETO DE LEI LEGALIZANDO O ABORTO:
Senadora Eva Blay do PSDB, suplente de FHC, apresentou projeto legalizando o aborto.O
ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), partidário de José Serra, foi
eleito senador em 1986.

Em dezembro de 1992 saiu do senado, no meio do mandato, para ser ministro das
Relações Exteriores e depois da Fazenda, no governo Itamar Franco.

Assumiu sua suplente Eva Blay (PSDB). No dia 23 de junho de 1993, ela
apresentou o PROJETO DE LEI NO SENADO N° 78 / 1993, revogando
todos os artigos do Código Penal que criminalizam e penalizam a prática do
aborto.

Integra aqui: http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalh

Responder

Cícero

07/10/2010 - 02h04

HIPOCRISIA! É exatemente isso que está acontecendo nessas eleições. Nem os tucanos nem o PIG tinham argumentos suficientes para menoscabar o sucesso do governo Lula. Tentaram derrubá-lo com acusações caluniosas. Começaram com o caso Erenice. Não "colou". Não surtiu o efeito esperado. Depois vieram com aquela história de violação de dados na Receita Federal, insinuando que o PT seria o "mandante". Isso também não prosperou, e o tiro quase saiu pela culatra, já que, paralelamente à investigação do caso, surgiram denúncias contra a filha do Serra, a qual, segundo consta, teria violado também dados de 60 milhões de contribuintes. Quando os tucanso e o PIG descobriram nada disso estava influindo nas pesquisas de intenção de votos, então, alguém, em meio ao desespero que já tomava conta da imprensa golpista, diante da iminente vitória da Dilma já no 1º turno, repito, alguém, que não deve ser tucano, pois tucanos são desporvidos de inteligência e razão, teve a brilhante idéia de convocar setores conservadores da Igreja para atacar a Dilma, em questões polêmicas como a do aborto. É nesse momento do debate político que começa a surgir a Marina, como a mais "certinha", a mais "santinha", a mais "comportadinha", não no campo das idéias porque seu discurso é sempre o mesmo, mas no palco do teatro político. E nessa peça teatral do 1º turno, a Marina se destacou por ter sido a melhor atriz em cena, desempenhando com habilidade o papel de sua personagem política demagoga. Nesse sentido, o que se aplaudiu, portanto, não foi a Marina, mas a atriz. Agora são somente Dilma e Serra. Evidente que voltará à baila a questão do aborto, mas não acredito que esse assunto dominará o confronto das ideias. Creio que os debates englobarão diversos temas. E nesse clima, o aborto será apenas um assunto a mais. Deixará de ser o foco da disputa.

Nesse contexto, e amparado por inabalável esperança, creio que a Dilma vencerá. Talvez não por uma larga diferença de votos, mas vencerá.

Responder

Roger

07/10/2010 - 01h48

Off Topic – Marina Silva: Recordar é viver!
Outrora…
"A Srª Marina Silva (Bloco/PT – AC) – Senador Roberto Requião, depois do brilhante aparte do meu querido Senador José Eduardo Dutra, eu já me poderia sentir contemplada. Acho que foi muito inteligente da parte dele. Basta olhar para V. Exª. Quando o Jornal do Senado publicou aquela fotografia de V. Exª, no seu primeiro pronunciamento a esse respeito, com uma cara indignada, eu disse: "Meu Deus, para que colocar o Requião com essa cara de indignação tão perversa?" Mas, após o aparte do Senador Dutra, sinto-me confortada. A indignação de V. Exª é a indignação de um inocente. A coragem mostrada por V. Exª ao dizer todas essas coisas que acaba de dizer, ao não fazer o acordo, ao não vergar a espinha, essa coragem tem base numa única coisa: a inocência de V. Exª. A coragem dos inocentes prova que nos podem tirar tudo, menos a nossa dignidade; podem-nos tirar tudo, menos a nossa ética. Se não formos capazes de ser éticos conosco mesmos, como poderemos ser com os outros? Como V. Exª poderia ser ético com alguém nesta Casa que fosse agredido, caluniado, se V. Exª não tivesse a coragem de erguer a voz para defender a sua própria ética? Sempre repito uma frase muito bonita de alguém que falou sobre as árvores: dizem que a boa madeira não cresce em sossego; quanto mais forte o vento, mais fortes são as árvores. Aquelas árvores que nunca enfrentaram uma pequena ventania são muito frágeis. Mas V. Exª é uma árvore fincada – talvez um daqueles pinhos nativos do Paraná -, é uma árvore fincada com raízes profundas, que deve ter passado por muitas tempestades. E é por isso que V. Exª tem essa fúria, mas essa fúria é a fúria da inocência. Quero me solidarizar com V. Exª. Esta Casa, o Brasil, a juventude precisam dessa fúria inocente, porque senão estaremos todos nos calando diante daqueles que têm o poder – o poder da mídia, o poder da Justiça, que muitas vezes pratica a injustiça, ou seja lá qual o tipo de poder. Mede-se a dignidade de um homem pela forma como usa o seu poder, e usar o poder de forma covarde, contra um inocente, não é edificante para a democracia, não é edificante para o Brasil. Parabenizo V. Exª, porque tem a fúria, a coragem e a indignação do inocente. "
http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2005/07/

Responder

childerico IV

07/10/2010 - 01h28

Baixaria http://www.youtube.com/watch?v=bp6FME2lqrM

Responder

Laércio Nunes

06/10/2010 - 23h53

Tanto criticaram nossas relações com o Irã, mas querem implantar uma teocracia no Brasil…

Responder

RONALD

06/10/2010 - 23h50

AZENHA.
é assim como neste texto que procuramos esclarecer as idéias e as discussões…….parabéns….parabéns….tomei a liberdade de copiar este texto e passar para os amigos……

Responder

Allan Erick

06/10/2010 - 23h43

Paulo Moreira Leite é muito lúcido, embora pertença ao lado negro da força(PIG). Mas convenhamos, "algumas 'gramas' de maconha" é de lascar. Trucidou o português.

Responder

    José Henrique

    07/10/2010 - 01h28

    Eu notei. Rsrsrsrsrs! Mas não é tão grave assim. Já vi coisas piores, da lavra de quem por dever de ofício deveria ter pleno domínio do idioma no qual escreve.

    Eu acho que ele foi vítima de algumas associações involuntárias: "Grass" (palavra do idioma inglês) significa "grama", mas é também um dos nomes para a velha e apreciada maconha. Daí o "gramas de maconha".

    Só não irei cogitar que ele acabara de fumar maconha estragada quando cometeu o perdoável deslize.

    Gostei muito do texto do Moreira Leite. Independentemente de onde ele o tenha escrito. Não o teria conhecido não fosse a iniciativa do Azenha.

    Jair de Souza

    07/10/2010 - 09h17

    Caramba, que preocupação! Você me lembra o "grande" professor de português Pascuali Cipro Neto. Deixe as besteiras de formalidades para os incompetentes como ele. Recomendo a você a leitura de um livro de alguém do ramo: Preconceito linguístico, de Marcos Bagno. Você pode encontrá-lo na internet. Acho que a leitura desse livro te ajudará a ter um pensamento mais de acordo com quem entende o funcionamento de um didioma, e não de imbecis como o tal Pascuali.

Claudio Ribeiro

06/10/2010 - 23h25

A oposição, silenciosamente, vai apostando na guerra santa!
http://palavras-diversas.blogspot.com/2010/10/gue

O ódio, a mentira e o preconceito vão ganhando espaço na agenda da oposiçaõ e da mídia conservadora, na tentativa de por em segundo plano todos os avanços sociais e economicos do Governo de Lula e Dilma…

Responder

Bury

06/10/2010 - 23h24

Hipocrisia, a profissão de fé dos reacionários.

Responder

Ivonete

06/10/2010 - 23h17

Tenho a intuição de que a socidade brasileira vai pagar um alto preço por essa baixaria eleitoral baseada na revalorização do obscurantismo oriundo das masmorras da inquisição medieval. E eu não tenho dúvida, o responsável por isso será o sr José Serra. Sinceramente, espero que Marina, tenha bom senso e assuma as responsabilidades que nesse momento lhe cabe: jogar água fria nessa fervura e acabar com essas sandices. Se o seu desejo é aparecer como apaziguadora, a hora é esta.

Responder

Raphael Tsavkko

06/10/2010 - 23h15

Grande problema é a ignorância. Seja a natural ou a imposta por pastores.

E, do outro lado, a completa falta de mobilização e profissionalismo do governo e de seus assessores. A TFP tem site completo dizendo o que quer do PNDH-3. Mentiras e mais mentiras. E o que há do lado do governo e dos Movimentos Sociais? Nada.

Participei do Fórum em Defesa dos DH/PNDH-3 daqui de São Paulo e o máximo que produzimos foi um blog. Nos manifestamos umas duas vezes, mas sempre com poucas pessoas e porque? Porque não há mobilização da esquerda em defesa de seus interesses?

A chegada do PT ao poder acomodou os movimentos sociais, que acharam que tinham um governo "deles" e que estava tudo resolvido. Não estava e não está. O governo não é só do PT, também tem gente do PP, do PR, do PRB… Partidos dos mais conservadores e retrógrados do país. E também o PMDB, um balaio de gato que agrega de Requião à família Sarney.

O jogo não está ganho, está muito disputado e, em muitos casos, a esquerda está perdendo.

O segundo turno é reflexo disso. Nem Lula foi capaz de eleger a Dilma no primeiro turno. E não porque Marina seja fantástica, ela não é. É um bastião do atraso, mas que soube agregar, de alguma forma, desde as forças mais conservadoras do neopentecostalismo brasileiro, até uma parcela da juventude riquinha do eixo Leblon/Jardins, além de alguns gatos pingados com algum conteúdo que resolveram ser enganados pelo discurso verde e fechavam os olhos para seu medievalismo evangélico.

Enfim, faltou aos movimentos sociais pressionar e ao governo passar sua mensagem. Não adianta se concentrar só no Lula e achar que nada mais é necessário.

Os boatos estão aí e custaram à Dilma a eleição no primeiro turno e, se brincar, até mesmo o governo.
http://tsavkko.blogspot.com

Responder

luiza

06/10/2010 - 22h55

O melhor é verificar a situação de como ficou São Paulo, que desde 1982 vem sendo governada por esses mequetrefes do DEM e PPS. Gastos incontaveis com propaganda, SABESP gasta e não faz absolutamente o que deve ser feito, epidemias de violencia e crimes, crime contra a saude do povo, educação em crise permanente, trabalhador em segundo plano, o metro sempre com atrasos, panes e mortes, SP virou terra dos pedagios, Rodoanel supercaro e atrasado…. E aí vai a bagunça que tira varias empresas de SP para outros estados, que é o Imposto alto e o pagamento adiantado. Contando mais com a blindagem e falta de transparencia.

Responder

Luiza

06/10/2010 - 22h54

O que o Fernando Rodrigues diz no seu blog é muito contrario ao que o Sr Jairo Beraldo diz. Apenas faz alusão das tramoias da Reunião de Serra e seus discipulos do TFP (um tipo de maçonaria antiquada – Tradição, Familia e Propriedade), que lançam folhetos dizendo que no projeto PNDH-3 tem todas essas barbaries. Esta é mais uma invenção do Serra para ganhar no 2º turno. A pagina a que ele se refere é de um de seus discipulos Criador do TFP. Pesquisar em outros instrumentos de comunicação, inclusive no site da presidencia da Republica, vai achar que não se trata nada disso. Venhamos e convenhamos, isso é coisa de Serra mesmo.

Responder

francisco p neto

06/10/2010 - 22h53

É a cretinização do discurso político.
Quando Ciro Gomes disse que Serra não tem escrúpulos, não era mentira, embora nós soubessemos. Mas nunca é demais reforçar.
Agora se vê que Serra é capaz de tudo, inclusive passar com um trator na cabeça da mãe.
Então, essa discussão do aborto é apenas um traque no arsenal de guerra suja do senhor Serra.
Sou testemunha. Tenho colegas que se prestam a esse serviço. Fica me enviando spam, mesmo sabendo das minhas convicções.

Responder

Gerson

06/10/2010 - 22h50

No capítulo primeiro, versículo primeiro(primeiríssimo) do Deus Mercado está escrito:

"Vinde a mim os homens de BENS$$…"

Responder

kimparanoid

06/10/2010 - 22h39

Hipocrisia que é tanto maior quando a questão da descriminalização do aborto não depende do executivo, mas do Parlamento. Ou seja, pouco importa se o Serra ou a Dilma são a favor da descriminalização do aborto se, em última instância, a questão será decidida pelo Congresso. O que revela de maneira inquestionável a abordagem eleitoreira que está sendo dada à questão.

Responder

Marcos C. Campos

06/10/2010 - 22h33

Excelente texto , temos que espalhar ….

Responder

El Cid

06/10/2010 - 22h31

aos fundamentalistas religiosos (evangélicos e católicos, como eu): vamos ouvir o sermão deste padre:

[youtube Ee–U_CyQtE http://www.youtube.com/watch?v=Ee–U_CyQtE youtube]

Responder

    LEGENDRE

    07/10/2010 - 01h35

    El Cid, assisti a esse filme. Bonito, denso e muito bem dirigido. O ator é um dos melhores que temos hoje. Parabéns pela escolha.

Marcelo

06/10/2010 - 22h31

Todos sabem, desde o início, que esse assunto foi trazido à tona para prejudicar Dilma. O ato falho de José Serra, hoje, revela a falta de vergonha de um candidato que, primeiro, quis ganhar no tapetão, depois, apelando a mentiras, depois à religião. Mesmo se vencer, e não vai, Serra será um perdedor.

Responder

Bonifa

06/10/2010 - 22h14

Bem, mestre Azenha, parece que o lado do Serra está se aproximando muito do obscurantismo. Da escuridão do obscurantismo, que mete muito mais medo do que o aborto. Como explorar isso?

Por outro lado, Globo, Veja, Folha, cada um acha que Serra lhe deve o segundo turno. E o comando de campanha serrista deve achar que tudo aconteceu graças à assessoria do indiano-americano que, em ser indiano, conhece o poder destrutivo da fofoca religiosa e de costumes. É quase certo que a fábrica de boatos seja importada, o que talvez tenha ignorado e não contasse com este detalhe da perigosa aproximação com o obscurantismo.

O maior problema da campamha da Dilma agora, a nosso ver, é este clima de perplexidade e até de um certo baixo astral que tem tomado conta de seus eleitores. De onde vem isso? Vem de uma percepção, provavelmente exagerada, de que o inimigo é por demais poderoso. Como se combate isso? A nosso ver, o modo mais correto de combater isso é mostrar musculatura. Rugir mais forte que o inimigo. E como fazer isso? Não é ficando na defensiva, acompanhando a agenda do inimigo com desmentidos e pedidos de desculpas. É atacando sem atacar. Mostrando força no programa de TV, que é o que mais importa, na verdade. Como? Um bom exemplo seria o de incluir no início do programa da Dilma a apresentação de uma galeria de pessoas conhecidas e respeitáveis, quase unanimidades nacionais, dando cada uma delas um depoimento curto e forte sobre seu apoio a Dilma. Sem dúvida que Isto seria mostrar poder real. E quem seriam estas pessoas? Bem… Aí já é quase um detalhamento. Gil… Chico… Mãos à obra.

Responder

ruypenalva

06/10/2010 - 22h10

O aborto é só uma deixa, pois não acredito que os brasileiros, salvo as mulheres da TFP, estão preocupados com ele. A mensagem era outra: Dilma mata criancinhas.

Responder

    Teca

    06/10/2010 - 23h17

    Eles esquecem que o PSDB mata o Pai, a Mãe e Os Vagabundos Avós das criancinhas.
    Teca

lucia

06/10/2010 - 22h08

Eu acho um absurdo tratarem o aborto como tema eleitoral. É uma coisa muito séria e só quem é mulher sabe a dor de ter que fazer um aborto. Não é uma questão de religião, nem assunto para ser tratado com preconceito, nem com hipocrisia. Eu mesma não gosto da idéia de aborto, mas fiz, num tempo em que era jovem, saudável, casada, com dois filhos, mas com problemas financeiros sérios, morando em casa cedida e pegando leite no posto. É um assunto muito sério, porque é cheio de contradições. Eu não gostaria que minha filha tivesse que fazer um aborto, mas quem pode atirar a primeira pedra? Sem a palavra, os homens, por favor…

Responder

francisco.latorre

06/10/2010 - 22h06

paulo moreira leite.

irmão do querido fábio moreira leite. maior pintor/artista da geração. genial fantástico.

que foi já. e deixou saudade. incontrolável brilhante fulgurante. gênio.

o mercadinho.. dito de arte.. ignorou. o que é distinção.

faz falta o fábio.

abraço pra rita.

..

Responder

Nadraas

06/10/2010 - 21h50

De certa forma nao importa se Dilma eh contra o aborto assim como nao importarao muitos dos seus esclarecimentos se isto nao chegar aos eleitores: aquilo que voce nao toma conhecimento, nao aconteceu – ou existe.
Se falta muito para a informacao disponivel na internet chegar a maioria do eleitor o que se dira de, alem disso, ter de contrabalancar as mentiras e ma fe que a midia convencional divulga.

Responder

Hélio césar

06/10/2010 - 21h38

Há tanto pra ser feito pelas igrejas. Elas já esqueceram do terror provocado pela inquisição (simples adulterio feminino). E a pedofilia, os abusos aos seus fiés(cobrança de dizimos), a venda de um lugar no Céu, etc. Aborto é questão politica e deve ser discutida pelo congresso e a sociedade (é SAÚDE PÚBLICA), sim. Estamos em plen o seculo XXI. A sociedade evolui, assim como as escrituras "sagradas" ,que tanto mudou ao longo dos tempos.

Responder

Amereno

06/10/2010 - 21h37

Se qualquer um dos candidatos (Serra ou Dilma), forem derrotados por defenderem a discriminalização do aborto, das drogas leves ou proibir união gay, por causa de fundamentalismo que remonta a Idade Média, nos equipararemos aos grupos que desejam executar Salman Rushide, vou pedir socorro ao Voltaire. Adolf Datena é o Afanázio Jazadi do século XXI.Porque todo reporter esportivo mediocre, tem uma tendência a mudar para o jornalismo policial?,será que enjoaram dos bandidos do esporte?

Responder

Escrevinhador

06/10/2010 - 21h33

[…] mas que tem a qualidade de não brigar com os fatos  – acha que não. Confiram aqui o que diz o Moreira Leite sobre […]

Responder

Messias Macedo

06/10/2010 - 21h30

[DA CENTRAL PARALELA ANTIBAIXARIA [DEMo]TUCANÊS ‘VADE RETRO SATANAZES’
– MONTADA NUM QG INSTALADO NUM CASEBRE CIBERNÉTICO DO AGRESTE/SERTÃO BAIANO
FALA MATUTO ‘BANANIENSE’!
BOLETIM II]

AS BAIXARIAS DA CAMPANHA (S)ERRAnte! ENTENDA A NATUREZA!
… As baixarias da campanha do candidato (S)ERRAnte servem, principalmente, para demonstrar, cabalmente, que os [nefastos e MENTEcaptos] DEMotucanos & [infames] a$$ecla$ não têm – e nunca tiveram – um projeto de nação! A campanha covarde, difamatória, criminosa… Que escorre nos esgotos do PIG e nas masmorras de piso de mármore das putrefatas mansões das “ellites”, revela, de forma lapidar, a natureza sinistra desta gente! Sem programa de governo voltado para o bem do povo brasileiro e para a emancipação do país enquanto nacional, a campanha (S)ERRAnte chafurda no obscurantismo, na promiscuidade desvairada e ensandecida… Aposta na barbárie de sempre!…
… E os olhos gordos da corrupção meneiam para a privatização do Estado, a receita neoliberal da antiga UDN de hoje!

República Destes Bananas Fascistas Eternos, irrecuperáveis!
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Luiz Soares

06/10/2010 - 21h30

A palavra correta é DESCRIMINALIZAÇÃO. Obviamente, essa observação liguística não tira o mérito do escrito.

Responder

NELSON NISENBAUM

06/10/2010 - 21h29

Perfeito, completo, irretocável.

Responder

Jairo_Beraldo

06/10/2010 - 21h24

“Você sabe o que é o PNDH-3? Se você é uma pessoa que pensa em votar na Dilma, conheça bem este projeto antes de votar.
“O PNDH-3 é um projeto de lei que tem por objetivo implantar em nossas leis a legalização do aborto, acabar com o direito da propriedade privada, limitar a liberdade religiosa, perseguir cristãos, legalizar a prostituição (e onde fica a dignidade dessas mulheres?), manipular e controlar os meios de comunicação, acabar com a liberdade de imprensa, taxas sobre fortunas o que afastará investimentos, dentre outros. É um decreto preparatório para um regime ditatorial.
“O que podemos esperar de um governo que tenta atropelar a sua constituição, tratados e convenções internacionais? Não duvide da veracidade dessas informações, pesquise a respeito e voto consciente!"(Blog do Fernando Rodrigues, no UOL)

Responder

    francisco.latorre

    06/10/2010 - 21h59

    fernando rodrigues.

    pra não esquecer.

    ..

    Orlando Bernardes

    06/10/2010 - 22h22

    Ou você é muito burro, ignorante e não sabe ler e interpretar o que está lendo ou é um mal intencionado. Ou ambos!

    Volte e leia novamente o PNDH-3. E não fale sandices,ok?

    Jairo_Beraldo

    06/10/2010 - 23h48

    Orlando Bernardes, caro INTELIGENTE..eu coloquei, o que fora postado no site UOL.

    OK? Não foi um comentario. Consegue captar? Grato!

    Sergio F. Castro

    07/10/2010 - 09h56

    É Jairo, mas o risco de se usar esta figura de retorica são os interlocutores que não tem capacidade intelectual para perceber o objetivo do comentário. Estas respostas (a seu comentário) empobrecem o debate.

    Cícero

    07/10/2010 - 00h58

    Calma galera! O Jairo_Beraldo é nosso mano, joga no nosso time (do blog do azenha); seus comentários são sempre construtivos e oportunos.

    Poxa, irmão, será que você esqueceu que as ASPAS servem, entre outras coisas, para evidenciar que o texto transcrito foi escrito por outra pessoa?

    Mas tá tudo bem, tá tudo bom, tá tudo certo. Vamos em frente.

    Jairo_Beraldo

    07/10/2010 - 11h02

    Obrigado pela força Cícero. Só queria mostrar o que estão fazendo com nossa candidata!

    Marinilda Carvalho

    06/10/2010 - 23h23

    não leio o fernando rodrigues, mas duvideodó que ele tenha escrito esta sandice. ouço o cidadão às vezes na CBN, tem voz empostada de padre (ou de deputado baiano, sei lá), mas jamais escreveria tal besteirol. ele tem alguma instrução.

    meu deus, se um leitor do azenha é capaz de divullgar isso, o que dizer dos demais brasileiros?

    acho que estamos perdidos.

    Vera

    06/10/2010 - 23h48

    Você deve ser louco como o Serra…. Vá pesquisar melhor você…. e principalmente aprenda a ler….

    Jairo_Beraldo

    07/10/2010 - 11h37

    Voce escreveu isso pra mim? Se não, tudo bem…se sim, leia abaixo cometario de pessoas que sabem interpretar.

Deixe uma resposta