VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Mark Weisbrot: O Brasil precisa se manter vigilante diante da ameaça dos EUA

22 de abril de 2013 às 10h40

Na tentativa de desestabilizar Maduro e nos golpes contra Lugo e Zelaya,  as mãos dos EUA sobre a América Latina

As mãos dos EUA sobre a região

por Mark Weisbrot, Folha de S. Paulo

Acontecimentos recentes indicam que a administração Obama intensificou sua estratégia de “mudança de regime” contra os governos latino-americanos à esquerda do centro, promovendo conflito de maneiras que não eram vistas desde o golpe militar apoiado pelos EUA na Venezuela em 2002.

O exemplo mais destacado é o da própria Venezuela na última semana. No momento em que este artigo está sendo impresso, Washington está mais e mais isolada em seus esforços para desestabilizar o governo recém-eleito de Nicolás Maduro.

Mas a Venezuela não é o único país vitimado pelos esforços de Washington para reverter os resultados eleitorais dos últimos 15 anos na América Latina.

Está claro agora que o afastamento do presidente paraguaio Fernando Lugo, no ano passado, também teve a aprovação e o apoio do governo dos Estados Unidos.

Num trabalho investigativo brilhante para a agência Pública, a jornalista Natalia Viana mostrou que a administração Obama financiou os principais atores do chamado “golpe parlamentar” contra Lugo. Em seguida, Washington ajudou a organizar apoio internacional ao golpe.

O papel exercido pelos EUA no Paraguai é semelhante a seu papel na derrubada militar, em 2009, do presidente democraticamente eleito de Honduras, Manuel Zelaya, caso no qual Washington dominou a Organização de Estados Americanos e a utilizou para combater os esforços de governos sul-americanos que visavam restaurar a democracia.

Na Venezuela, na semana passada, Washington não pôde dominar a OEA, mas apenas seu secretário-geral, José Miguel Insulza, que reiterou a reivindicação da Casa Branca (e da oposição venezuelana) de uma recontagem de 100% dos votos.

Mas Insulza teve de recuar, como teve de fazer a Espanha, única aliada importante dos EUA nessa empreitada nefanda, por falta de apoio.

A exigência de uma recontagem na Venezuela é absurda, já que foi feita uma recontagem das cédulas de papel de uma amostra aleatória de 54% do sistema eletrônico. O total obtido nas máquinas foi comparado à contagem manual das cédulas de papel na presença de testemunhas de todos os lados.

Estatisticamente falando, não existe diferença prática entre essa auditoria enorme já realizada e a recontagem.

Jimmy Carter descreveu o sistema eleitoral da Venezuela como “o melhor do mundo”, e não há dúvida quanto à exatidão da contagem.

É bom ver Lula denunciando os EUA por sua ingerência, e Dilma juntando sua voz ao resto da América do Sul para defender o direito da Venezuela a eleições livres.

Mas não apenas a Venezuela e as democracias mais fracas que estão ameaçadas pelos EUA.

Conforme relatado nas páginas deste jornal, em 2005 os EUA financiaram e organizaram esforços para mudar a legislação brasileira com vistas a enfraquecer o PT. Essa informação foi descoberta em documentos do governo americano obtidos graças à lei americana de liberdade de informação. É provável que Washington tenha feito no Brasil muito mais e siga em segredo.

Está claro que os EUA não viram o levemente reformista Fernando Lugo como um elemento ameaçador ou radical. O problema era apenas sua proximidade excessiva com os outros governos de esquerda.

Como a administração Bush, a administração Obama não aceita que a região mudou. Seu objetivo é afastar os governos de esquerda, em parte porque tendem a ser mais independentes de Washington. Também o Brasil precisa se manter vigilante diante dessa ameaça à região.

MARK WEISBROT, 58, é codiretor do Centro de Pesquisas Econômicas e Políticas, em Washington, e presidente da Just Foreign Policy.

Tradução de CLARA ALLAIN

Leia também:

Os EUA ainda pretendem vender “inteligência” ao Brasil?

 

68 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Maximilien Arveláiz: O que a oposição na Venezuela quer - Viomundo - O que você não vê na mídia

23/05/2013 - 14h20

[…] Mark Weisbrot: O Brasil precisa se manter vigilante diante da ameaça dos EUA […]

Responder

A revolução grená fracassou na Venezuela. Por enquanto - Viomundo - O que você não vê na mídia

30/04/2013 - 15h05

[…] Mark Weisbrot: Brasil deve ficar atento à ameaça dos Estados Unidos […]

Responder

monica maria

28/04/2013 - 22h26

agora uma coissa que eu nao entendo e o povo brasileiro babam que so esses gringos filhos da mae eles querem botar o povo brasileiro no chinelo o resto do povo sulamericano puriso que eu detesto turista e principalmente amricano esse povo pensa que e o dono do mundo e enquanto isso milhoes de brasileiros passam o ano todo juntando dinheiro pra ir gastar com adisney eles devem achar os brasileiros uns indiotas eu ja li em varios saites que os americanos tem preconceito com brasileiro e os que moram la sao enjotados o milhados minha gente criem vergonha na cara tenha de guinidade respeitem o pais de voces e uma coissa que mais mim triga que quanto mais levam na cara e que vai mais pra la ha ha aonde eque esse pais vai parar com esse povo que nao sabe valorizar o seu proprio pais talveis se esse turismo todo vosse no brasil nosso pais vossi melhor economicamente e nao vem dezer que o brasil nao tem lugar pra visitar nao que ai seria amalhor e progrezia do mundo e respeito e bom e todo mundo gosta agora so depende de nois da o primeiro passo para tornamos um pais melhor.

Responder

    max

    26/05/2013 - 14h08

    o primeiro passo é a educação que você provavelmente não tem devido aos erros grotescos de português, por isso não esta habilitada a fazer uma crítica coerente.

Alex Ximango

25/04/2013 - 11h02

OPERAÇÃO URUBU

Hoje vou dormir mais amadurecido, como todo dia, mas algo em mim hoje tocou de forma mais marcante, a tentativa de golpe na democracia pela via dos aparelhos ideológicos do sistema, mas especificamente as vias midiáticas de massa que servem aos interesses corporativos, fedorentos e cretinos da direita nacional. Os governos do PT inauguraram muitas novidades neste país, uma delas é a possibilidade da classe trabalhadora passar ser a classe dirigente do Estado. Este fato não foi ainda digerido pelas elites conservadoras e acostumadas a dirigir os rumos da nação em confluência apenas com seus interesses. Os desdobramentos disso é a aceitação geral da possibilidade da ascensão política e social da classe proletária, aquela mesma que só servia para produzir as riquezas das classes burguesas, e limpar as sujeiras feitas por esta.

Outro dia ouvi um sujeito falar que os petistas eram um bando de famintos ávidos por comer. Esta afirmação não está de toda equivocada, pois muitos de nós, inclusive nosso maior líder – o Lula, passou fome. Lula não dispensou uma regalia presidencial que a constituição o garantia, e uma de suas primeiras ações foi tentar acabar com a fome de forma universal no país. Em seus discurso Lula se emocionava quando afirmava que queria ver cada brasileiro e brasileira ter pelo menos três refeições diárias, para isso ele criou diversos programas governamentais. Certamente o Presidente não teve êxito 100% em sua empreitada, mas conseguiu um avanço jamais visto, como ele mesmo diz, na história deste país. Hoje fico triste, pois uma das questões que mais valorizo na figura do ex-presidente é a sensibilidade aos graves problemas de seu povo, e não foi diferente com a Presidenta Dilma.

Mas nos perguntamos de fato qual o motivo de tanto ódio, especialmente de cinco dos principais meios de comunicação do país contra o PT e Lula? Uma das questões que me ajudam a responder é a questão da redistribuição das verbas publicitárias do Governo Federal com todos os meios de comunicação do país. Isso fez surgir uma concorrência maior entre os meios de comunicação, fez surgir novas empresas fortes no setor, antes dominadas por cinco grupos empresariais. Hoje temos duas redes de TV muito bem equipadas do ponto de vista tecnológico em uma cidade como Manaus, coisa que antes era quase impensável. Cito aqui a RBN e o Amazon Sat, as duas transmitindo via satélite para o Brasil e o Mundo. Como também redes estaduais se consolidando cada vez mais, como a Rede A Crítica.

Me indigna ver que poucos ou quase ninguém grita contra esta tentativa desesperada das grandes mídias de acabarem com o PT, o partido que não pestanejo em afirma, o partido político que mais contribuiu para a democratização do país, e para termos uma democracia de fato, com liberdades e controle social que temos hoje. Não sou hipócrita de afirmar que não temos em nossos quadros um ou outro gestor que tenha faltado com a ética, certamente tivemos e provavelmente temos. Mas isso não inviabiliza o partido como instituição ética e responsável em conduzir as transformações por que vem passando o país, e que todos nós vemos a cada dia. Aqueles que não se enquadrarem em nossos princípios políticos e éticos, assim como, com os preceitos republicanos e constitucionais, que sofram as penalidades previstas. O que não podemos aceitar, e não aceitamos, é desconstrução das conquistas políticos-institucionais que conseguimos com a luta das classes trabalhadoras deste país.

A tentativa de criminalizar a atividade política é uma prática não condizente ao modelo democrático conquistado com luta, sangue e suor da sociedade civil deste país, constituindo-se como uma prática golpista e fascista que deve ser combatida por todos e todas. Não aceitamos a desqualificação de nosso legado, como é sabido por todos, o PT não chegou ao poder sozinho, e nem somente com as esquerdas, temos uma aliança tática com setores da Direita nacional, mas muito diferente do nosso maior oponente, o PSDB, nos aliamos com setores da política que corroboraram historicamente com o processo democrático. Nossa aliança maior é com o PMDB, que como todos sabem foi a arca em que embarcaram os setores que combaterem os golpistas do regime militar. Por outro lado, o PSDB tem uma aliança estratégica com os herdeiros da opressão, os sanguinários da ARENA, que se transformou em PDS, que se transfigurou em PFL e que agora transmutado em um tal de DEM. É essa galera, cheia de pecado, com as mãos sujas de sangue que tenta nos desestabilizar, plantando mentiras e especulações em seu panfleto semanal, uma panfleto conservador que só vê o que lhe interessa, assim também como a Rede Globo de comunicação, que usa de todas as maneiras para atacar o Partido. Esta empresa, a Globo, foi a responsável por manipular historicamente as eleições no país, foi assim em 89, 94, 98 e em todas as eleições que disputamos. Mas qual o grande medo deles (os golpistas)?

1º – O grande medo da mídia superpoderosa é de um tal de controle social dos meios de comunicação de massa proposto pelas conferências de comunicação chamadas por nossos governos.

2º – Que os governos do PT façam, a exemplo do que fez Chávez na Venezuela e Cristina na Argentina em relação as suas grandes redes de comunicação, já que nosso partido faz parte da articulação internacional (Fórum de São Paulo), que os partidos destes governantes também fazem parte.

3º – O alinhamento estratégico e geopolítico do Brasil no Plano Internacional, o país hoje é um dos BRICS, coisa que assusta a grande burguesia conservadora e burra, pois quando o Brasil rezava na cartilha norte-americana eles não ganhavam tanto dinheiro quanto agora. A que os assusta é o viés ideológico estratégico deste bloco.

4º – Este ponto é mais mesquinho, é o preconceito de classe. Estes pés-rapados não tem fineza, não tem berço, nos envergonham ao mundo “civilizado europeu”, afirmam.

5º – O componente político-econômico. O político são os antigos donos do poder que ficaram sem ele, e o econômico são as perdas impostas à estes grupos nas diversas ações governamentais que os prejudicaram ( partilha de verbas publicitárias).

6º – Este talvez seja o mais mesquinho. O Lula de certa forma trabalhou no sentido de substituir a liderança das empresas privadas de comunicação de massa, por empresas públicas, ele fortaleceu e criou a EBC – Empresa Brasileira de Comunicação de está se consolidando, criando aos poucos um corpo para agir de forma mais forte no setor das comunicações, a exemplo da Telesur, ou mesmo da BBC.

7º – O alinhamento político do Lula com a Rede RECORD criou uma ciumeira nos demais meios de comunicação, a Globo a certo tempo atrás mirou sua ira tendo como alvo a TV do Edir Macedo, o Bispo que não é mole nem nada, revidou à altura, causando um desgaste ferrenho à Globo. Vendo que era uma Briga de Titãs, de alguém com o mesmo poder de fogo que ela, agora se volta à quem ela supõe ser os responsáveis por ter dado tanta corda à seu algoz. Lembremos que foi no governo do Presidente Lula que a Rede Record alcançou seu apogeu.

Poderíamos aqui enumerar uma infinidade de motivações das diversas ordens que provocam esta raiva incontrolável dos golpistas ao PT, propositadamente não quero aqui discorrer em seu braço político nas instâncias do judiciário, embora devíamos propor uma Mega CPMI para investigar a tentativa de golpe na democracia brasileira arquitetada por um vasto conjunto de interesses das mais diversas ordens. Maioria no congresso teríamos para isso. Certamente veríamos que há uma gigantesca quadrilha com ramificações em quase todas as institucionalidades da República e nas comunicações para dar um golpe de estado disfarçado de legalidade. Isso já aconteceu no Paraguai, em Honduras, na Venezuela em 2002, Tentaram na Bolívia, instigaram no Equador, na Argentina, agora está chegando no Brasil.

Vejam a coincidência. Todos os países que passaram por estas tentativas de golpe, e os que sofreram golpe e só nestes isso aconteceu, todos eram governados por partidos que compõem o Fórum de São Paulo, a articulação internacional dos partidos de esquerda da Latino-América. Isso nos mostra um cheiro de enxofre no ar vindo do “Big Brother do Norte”, provavelmente a operação agora não é mais “Condor”, talvez seja operação URUBU.

Responder

Bombas em Boston enterram a reforma da lei da imigração nos EUA - Viomundo - O que você não vê na mídia

24/04/2013 - 23h23

[…] Mark Weisbrot: O Brasil precisa se manter vigilante diante da ameaça dos EUA […]

Responder

Leonardo

24/04/2013 - 17h14

Fora a briga caseira por cadeiras, ta tudo dominado! Para que uma bomba ou golpe, não precisa de mais nada disso, senão vejamos: 5 bilhões (pelo que li aqui no blog é só a ponta do iceberg) pagos por eles mesmos para os enculturarmos e emburrecermos; o petróleo vai ser nosso e para eles vamos deixar 10% e que destes, 7% é taxa de serviço dos lobistas, desvios do caminho (porque a nação sofre de uma doença endêmica chamada corrupção) coitados vai chegar só 3% do petróleo para eles; a agricultura é nossa, da tecnologia ao grão que importamos tudo sem pagar imposto (nossos lobistas funcionaram muito bem na câmara); estamos agora adquirindo as terras deles ou melhor as sesmarias pois até agora conseguimos através de nossos aliados evitar a reforma agrária deles (fizemos a nossa a séculos!); e por fim nossos lobistas deram a cartada final e despejaram crédito fácil a juros de amigo e eles assinaram, estamos comendo metade do PIB deles todo o ano (aqui nossa taxa de juros não é tão rentável); e pra finalizar estamos comprando as empresas de serviço público deles e obtendo muitos lucros, graças aos contratos e a lei de responsabilidade fiscal que nos deu base legal para o assalto!

Enfim eles são um país Democrático com Liberdade de Expressão, são o Celeiro do Mundo, estamos levando a Copa e as Olimpíadas, o que mais eles querem?

Responder

Luca K

24/04/2013 - 17h10

Um líder como Chavez aparece muito raramente. Um autêntico nacionalista e esse tinha cohones de aço!! Lamento muito sua partida. Espero q Maduro possa dar continuidade ao seu projeto.
Quanto aos EUA, não respeitam a soberania de ninguém, nem dão a mínima para o direito internacional. Quem tiver chance, veja o documentário ‘o dia q durou 21 anos’, sobre o envolvimento dos EUA no golpe q deu início a nossa longa ditadura militar. O que é fato é q aqui o Brasil, como em outros países, os americanos sempre encontram entreguistas, idiotas úteis e lustra-botas oportunistas, prontos para entregar a pátria numa bandeja…

Responder

Apavorado por Vírus e Bactérias

24/04/2013 - 14h43

O Supremo Supremo já está com o Golpe em andamento, que começou com o Mentirão do Barbosa e do Gurgel, com reinvenção de Teoria de Domínio de Fato alemã e tudo.

Responder

Apavorado por Vírus e Bactérias

24/04/2013 - 14h40

Aqui no Brasil, a dona Cureau, porta voz institucionalizada da direita brasileira e o Supremo Supremo deram o golpe da recontagem. Não há papel para recontar porque a dona Cureau pediu ao Supremo que não deixasse isso acontecer e o Supremo agente da direita julgou o que já estava decidido, com ingerência sobre outro poder, já que o voto em papel não fere a constituição e o supremo não poderia meter o bedelho. Os inteligentes do Supremo Supremo inventaram uma desculpa esfarrapada para vetar a recontagem, evitando assim que se possa auditar o voto. Numa eleição que não haja ninguém olhando, pode crer que eles darão o golpe. Será que é a eleição de 2014 ou a de 2018? Temos que fazer passar no Congresso uma lei da recontagem, sem ingerência desses cargos não eletivos do Supremo Supremo. Essa gente detona o Brasil e os brasileiros.

Responder

Narr

24/04/2013 - 09h46

Ora, se toda a eleição eletrônica tivesse que ter apuração paralela dos votos escritos, chegaríamos a um impasse. Se houvesse discrepância significativa (mudança nos nomes eleitos), qual seria mais confiável? A eletrônica ou a do papel? Se é a do papel, então fechem-se as urnas eletrônicas para sempre. Todavia, o critério mais racional é usar os papéis para realizar apurações puntuais, em regiões com resultados duvidosos. Se houver fraude, bastam amostras estatisticamente significativas (e reduzidas o bastante para serem lidas com agilidade e fiscalização hábil por parte dos partidos. O resto é esperneio casuístico.

Responder

Aloísio da Costa Val

23/04/2013 - 23h00

Temos que cantar com o João Nogueira: “Esse mar é meu, leva esse barco prá lá deste mar…”. Mas, por via das dúvidas, fortalecer nossas forças armadas e a industria brasileira, dando sempre apoio as forças populares e democráticas.

Responder

H. Back™

23/04/2013 - 14h11

Ta aí! A direita precisa da esquerda, tanto quanto a esquerda precisa da direita! Um sistema não existe sem o outro. A cada ação equivale uma reação contrária.

Responder

Rodolfo Machado

23/04/2013 - 13h30

O Fome Zero mexicano e seu papel na contra-insurgência em Chiapas

Do site “Diário Liberdade”

http://www.diarioliberdade.org/america-latina/laboral-economia/37775-o-fome-zero-mexicano-e-seu-papel-na-contra-insurg%C3%AAncia-em-chiapas.html

México – Zapateando – [Javier Hernández Apízar] ¿Be Bop a Lula? – Exportação da política de conciliação de classes lulista.

“Me como un cerdo y quiero más, más, más… / Viva la gula / Viva el pavo / Vivan la carne y el pescado/ Viva la gula / Viva el pavo / Me gusta comer, me gusta comer, me gusta comer…” Parodia de “Be Bop a Lula” feita pelo grupo Naftalina.

Antes de tirar a foto com Peña Nieto, segundo a nota de Proceso, Lula disse: “a fome não existe por falta de dinheiro ou produção agrícola, nem por ausência de tecnologia, a fome existe por falta de vergonha dos governantes no mundo em que não se preocupam com o povo pobre”.

Não é uma surpresa completa. Recordo ter escutado a Luiz Inácio Lula da Silva numa entrevista radiofônica, ao vivo no estúdio com Pdero Ferriz de com. Parecía, uma espécie de lua de mel entre o locutor da direita recalcitrante, dos que pedem intervenção da polícia cada vez que alguém protesta, se manifesta, e pior faz uma greve. E então presidente do Brasil, pelo partido dos trabalhadores, em aliança eleitoral com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Lula falou com a sensatez de um velho militante: “Na minha geração, como operário qualificado podia obter um posto de trabalho que pague melhor que os meus filhos com título profissional universtiário hoje”. Ferriz se mostrava encantado com Lula. Estava no México para uma cúpula de Presidentes, e sua opinião sobre Fox era muito positiva, falou maravilhas da cooperação entre os governos de México (FOX) e o seu. Algo me parece claro: O fato de Ferriz se encantar com Lula era um sintoma; que Fox não chamou o brasileiro para dizer: “Comes e vai embora” era outro sintoma.

Os avisos foram soando mais e mais: De repente, para os comentaristas da fábrica de Ferriz e para o locutor, Lula se transformou no referente de uma esquerda inteligente. Para os seguidores da esquerda eleitoral, também. Esta consciência entre direita e esquerda no México em sua admiração pelos “estadistas” como Obama (lembram a fascinação dos seguidores de Manuel Lopez Obrador quando Obama tomava posse, ele sim, legítimo e destinatário das cartas de AMLO?) ou por Lula me parece que evidencia a falta de distância entre a esquerda eleitoral e a direita.

Para comparar rabiscos e ver quem dos dois competidores da esquerda eleitoral mexicana era o melhor galo, alguns analistas colocavam Lula como referente. Quem se pareceria mais a Lula, Manuel Lopez Obrador ou seu golfinho e esportista competidor Ebrard? Ninguém questionava se Lula deveria ser o referente…

Alguma nota em Proceso mostrava as resistências na América Latina contra as represas hidroelétricas. A secretária do ramo de meio ambiente do governo renunciou porque se negou a servir de comparsa para a construção das represas no Rio Amazonas, as quais Lula estava impulsionando. Acaso não era a mesma política desenvolvimentista e entreguista que em México foi impulsionada por Fox e Calderón, e que hoje é levada a cabo por Peña (e que prometeu em 2006 e 2012 AMLO?)? Porque a esquerda moderna e pragmática governa com projeto que destrói o meio ambiente e esse desenvolvimentistas que se parecem tanto com a direita? Esquerda e direita num mesmo modelo de desenvolvimento…

Em algumas dessas notas internacionais que buscamos acompanhar nos meios impressos as reportagens da tragédia mexicana diária, nota-se um distanciamento do Movimento Sem Terra em resepeito a Lula e ao PT. Aqui ninguém parecia acusar recebimento da informação…

Acaso se imaginam que Lula não está informado sobre México? Não sabiam quem era Fox, não sabe quem é Peña? Não sabe que a “Cruzada contra a fome” é uma estratégia eleitoreira, demagógica e, no contexto de Chiapas, contrainsurgente?

No entanto, Lula está aqui, estendendo a mão a Peña Nieto e dando a benção a um projeto (de empresas como Pepsico e Nestlé) para lucrar politicamente com a pobreza dos mexicanos mais afetados pelo “Livre comércio”.

Em Veracruz, há inversões de capital brasileiro para represas hidroelétricas e para a extração de petróleo que o governo estatal anunciou com orgulho (outro nexo brasileiro com um governo priista), mas que os moradores de Veracruz, defensores do meio ambiente, denunciam como lesivas para o país e especialmente para as pessoas que será despojada, despejada, e doentes pelos seus efeitos ambientais. Já se inteiraram dos altos índices de mercúrio no cabelo dos pescadores e vendedores de peixes comestíveis na zona de Coatzacoalcos – Minatitlán?

No entanto, em México há um afã de seguir admirando os governos que na América Latina se apresentam como esquerda, mas governam com projetos predadores de seus próprio território e população (Cristina Kirchner e seus nexos com a mega mineraria e a soja transgênica, ambas tóxicas). Dos governos da América Latina que certa esquerda eleitoral mexicana coloca como referente, todos tem problemas com seus povos índios, a maioria estão por um triz de romper ou já romperam com os movimentos de esquerda que foram seus aliados eleitorais. Alguns como Correa em Equador, dogmatizam que Marx apoiaria o extrativismo mineiro, negando-se a reconhecer as lutas dos próprios cidadãos por se livrar desta praga tóxica e criminal.

Talvez a lição é começar a olha aos povos organizados mais que aos governos e sobretudo @s governantes da suposta esquerda que finalmente, em suas relações com México, comumente preferem ao PRI, como aconteceu sempre os Castros cubanos, grandes amigos e sócios de Gutiérrez Barrios, dos Echeverría e dos Salinas.

Não tudo o qe disse “povo, povo” é realmente de esquerda: Apresentar-se como comparsa do PRI em um dos momentos de maior vitimização criminal do povo mexicano é zombação. Seria como afagar aos ditadores militares do Cone Sul ou aos regimes militares da América Central, do Caribe em nome da “esquerda mexicana”…

E essa “esquerda mexicana”, comparsa eleitoral do PAN, comparsa do PRI no Pacto contra México, comparsa de contrainsurgência e, depois de ser a recicladora de quadros aposentados do Salinismo [referência ao governo de Salinas de Gortari, presidente do México de 1988 à 1994, período que antecedeu o levantamento zapatista] e o priismo [atual partido que governa o México], agora provedora de quadros de apoio do PRI, desta esquerda amarela por fora, mas azul por dentro, já melhor nem falemos disso…

Obs: Esse título foi dado pelo tradutor do texto, tendo em vista que o título original não permitia vislumbrar o conteúdo do texto em questão.

Responder

    Edgar Rocha

    23/04/2013 - 23h51

    Rodolfo, se entendi direito, a crítica à prática “desenvolvimentista” da esquerda representada por Lula se traduz em mais desumanidades e no mesmo desprezo reincidente em nosso país, seja pelos marginalizados ou por setores organizados em movimentos sociais. Esta crítica tem de ser feita e o fundamentalismo ideológico que sustenta esta situação deve ser extirpado do meio militante. A militância tem de deixar de ser submissa e exigir a participação a que tem direito nos caminhos de seus partidos e nas atuações de suas lideranças. Mas, peço desculpas por não compreender o impacto desta discussão sobre as investidas imperialistas dos EUA na América Latina. O que pra mim parece claro é que o poder de fogo dos Estados latinoamericanos contra a influência americana se apoia justamente nesta política desenvolvimentista que, se por um lado onera a sociedade e age inconsequentemente em relação a questões antes contempladas no discurso de esquerda, como meio ambiente e qualidade de vida, por outro lado garante o espaço político em nível internacional acenando com uma proposta palpável de sustentabilidade política capaz de colocar um país antes risível como o Brasil, em pé de igualdade com outros países em discussões econômicas e na busca por espaço mercadológico e político. Não estou defendendo, com esta constatação, que seja o caminho certo pra se alcançar valores cada vez mais negligenciados pelo discurso e pela prática política da esquerda. Mas, o que quer dizer a apresentação deste texto (muito esclarecedor por sinal) num espaço em que se discute o risco da influência externa para a estabilidade e manutenção da democracia em nossa região? Faço esta pergunta devido a relevância deste texto apresentado por você. Queria entender melhor. Meus respeitos.

    Rodolfo Machado

    24/04/2013 - 09h41

    caro Edgar, coloquei o texto aqui como sugestão de leitura, realmente ele não esta ligado diretamente ao assunto do post, mas, na falta de um lugar melhor, coloquei aqui apenas como sugestão de leitura, talvez o Azenha pudesse criar um espaço do tipo “fora de pauta” em seu blog para postarmos sugestãoes de leitura.Abraços.

    Julio Silveira

    24/04/2013 - 10h04

    Achei muito interessante teu texto, é para pensantes. No tocante ao nosso ex presidente Lula, um fato inquestionavel não podemos desconsiderar, que é o grande preconceito ao nosso maior lider contemporaneo. Aqueles que não simpatizam com sua figura assim o sentem por pura má vontade baseada em algo intangivel. Já que em sã consciência teriam que reconhecer que ele trouxe para nosso país isso que voce mostra no texto, ou seja protagonismo.
    Aqui dentro, muita gente “letrada” com egos maiores que a Lua, talvez que o sol, não o perdoam por isso. Nós mesmos fomos doutrinados a acreditar que nossa redenção deveria vir pelas mãos generosas de nossos manipuladores.
    Só mesmo aqui, um presidente da grandeza internacionalmente reconhecida do Lula, ainda é estimulado por grande parte da “inteligencia” nacional a ser tratado como apedeuta. As vezes paro a pensar, será que o estadunidenses tão admirados no que tem de pior, dariam igual, ou mesmo, dão igual, tratamento ao seu Abrahão Lincon? que em termos culturais se aproxima muito do nosso Lula. Assim como creio também em inteligencia politica. Será que os Yankes chamaram ou chamariam seu grande lider de apedeuta? creio que não. Agora não tenho duvidas que riem quando tratam nosso. Não o cidadão americano comum, que é manipulado nos mesmos moldes que o nosso, que é ignorante aos mesmo moldes que o nosso, com a diferença de terem mais escolaridade, mais cultura literária, mas isso não garante a eles um livre arbitrio com todas aquelas corporações dominando com lobyes seu congresso. Nosso exemplo de democracia. Estimulada e invejada por nossas corporações. Usam a cidadania lá é cá como rebanhos para lhes dar o leite. Permitir um lider assim como o Lula por aqui, um lider que eleva nosso país a um nivel de grandeza que ofusque-os, é quase certo que desestimulam nas suas infiltradas linhas internas nacionais, que existe, podem ter certeza.
    Cada um tem direito de gostar ou não do Lula, eu mesmo, que gosto, não concordei com todos os atos do ex presidente em seu governo. Mas acredito ter entendido sua pretenção de fazer do limão uma limonada. De usar a pratica economica usual no páis como contra veneno da direita, retirar-lhes o discurso e mostrar que com boa vontade poderiam fazer melhor para grande parte da cidadania. Ele só não contava (ao meu ver) que nosso problema nunca foi economico, sempre foi de claro interesse na manutenção do desnivel entre as classes sociais. Nosso sociedade do alto sempre pretendeu a exclusividade, mesmo alguns que se diziam e dizem voltados pela melhoria da vida popular, sempre mantiveram suas prerrogativas ocultas das vistas populares. O nosso ex presidente um genio politico, mas ingenuo (ao meu ver), não entendeu que a resistência a mudança nunca foi motivada por interesses economicos, no fundo sempre foram fatores sociais. A elite brasileira gosta de olhar a cidadania de cima mantendo uma vivida lembrança do império.

Mário SF Alves

23/04/2013 - 11h09

Moral da estória e resumo da ópera: democracia boa é só a “democracia” que PLENAMENTE atenda aos interesses de WASHINGTON. E mais crucial ainda, mais terrível ainda, é quando a questão central incide sobre um gigante pela própria natureza chamado Brasil. Imagine se um Brasil, um país-Continente como este, situado aos fundos do mais temível país do mundo, pode se desenvolver.
___________________________________
Aliás, e por falar nisso, o “relaxa e goza” do PT tem tudo a ver. Mesmo porque, haja estratégia, haja inteligência, haja pragmatismo e haja tolerância pra enfrentar a pressão e a barra que é confrontar tais interesses. Os 350 mil telegramas vazados pelo ¹WikiLeaks que o digam. O Assange que o diga. O soldado Bradley Manning, de 22 anos, que o diga. Os blogs ditos sujos que o digam.
___________________________________________
¹Em 02 de fevereiro de 2011, o WikiLeaks foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz,pelo parlamentar norueguês Snorre Valen. O autor da proposta disse que o WikiLeaks é “uma das contribuições mais importantes para a liberdade de expressão e transparência” no século XXI. “Ao divulgar informações sobre corrupção, violações dos direitos humanos e crimes de guerra, o WikiLeaks é um candidato natural ao Prêmio Nobel da Paz”, acrescentou. Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/WikiLeaks

Responder

Mardones

23/04/2013 - 08h37

A bancada do PSDB e do DEM é totalmente favorável a essa intromissão dos EUA. E com a ajuda da Ministra Global Helena Chagas e seus milhões de reais investidos no PIG fica mais fácil preparar o terreno para sucessivos golpes no Brasil.

O mentirão já foi um ”sucesso” para a massa cheirosa.

Responder

    Mário SF Alves

    23/04/2013 - 11h14

    Pois é, prezado Mardones, o detalhe é esse: “e seus milhões de reais investidos no PIG”. É o rentismo. Mas, ainda que não fossem milhões… ainda que fosse um milhão… ainda que fosse 500 mil… e o resto? E aquilo que muito possivelmente pode estar preso?

Jose Mario HRP

23/04/2013 - 06h36

Quem manda é o presidente!

Responder

Alexandro Rodrigues

23/04/2013 - 03h44

O Brasil precisa da BOMBA!

Responder

Marcelo Rodrigues

23/04/2013 - 00h30

Provavelmente os americanos estão pensando em usar a OEA para tentar um golpe contra a esquerda brasileira, mediante “influência” sobre os juízes da Corte dos Direitos Humanos para que confirmem as penas do Mentirão.

Responder

    Laura

    24/04/2013 - 15h09

    Já estão até premiando o Joaquim através da revista TIMES!

    Bonifa

    24/04/2013 - 18h39

    A escolha da revista Time é muito preocupante. Sabe-se que a diplomacia americana, que é prá lá de eficiente, utiliza fartamente o recurso das premiações para massagear egos e cooptar apoios. Não faltam empresas e instituições prontas a conferir tais prêmios. E ainda para remunerar serviços bem prestados, afinal ninguém questionará o dinheiro ganho de premiação por vezes de fonte muito prestigiosa. Assim, esta premiação ao Joaquim Barbosa é de fato o acontecimento mais inquietante dos últimos tempos para quem se preocupa com o futuro do país. A rigor, é injustificável do ponto de vista jurídico. E bem analisada, se vê que é visceralmente de ordem política, nada mais que política. Pelas pessoas que envolve, pelos países que envolve, é extremamente preocupante.

    Jotace

    25/04/2013 - 16h11

    Caro Bonifa,

    Compartilham por certo de tua percuciente e justa maneira de analisar os fatos, todos os brasileiros que enxergam o Brasil como sua pátria e que pra ela sempre estão a desejar melhores dias. Cordial abraço…

Fabio Passos

22/04/2013 - 23h12

O PiG e ponta de lanca dos interesses imperialistas.
A campanha do PiG contra a politica desenvolvimentista e reflexo da submissao da “elite” branca e rica as ordens de washington.

O Brasil, que tem potencial humano e riquezas naturais fabulosas, deveria ser uma das nacoes mais desenvolvidas do planeta.
Durante praticamente toda nossa historia fomos governados pelos interesses dos exploradores… apenas com muita luta vamos derrotar os entreguistas e a cobica imperialista.

Liberdade e emancipacao nao caem do ceu. Sao conquistadas.

Responder

MARCOS

22/04/2013 - 22h58

No documentário WAR ON DEMOCRACY aparece um trecho em que um entrevistado na tv americana diz que Chavez teria que ser assassinado.Chavez diz que sempre tentou o diálogo com os Estados Unidos mas que não teve o retorno.

Responder

Antônio Ângelo

22/04/2013 - 22h27

Só faltam querer culpar o Brasil de ser o culpado pela crise e Lula ser a principal peça do jogo…um horror!

Responder

Elias

22/04/2013 - 21h33

Tudo bem, o continente americano sempre esteve sob o espectro golpista do império estadunidense. Mas no Brasil de hoje, com Lula sendo aplaudido de pé pelos sindicalistas em Washington e dizendo a todos que se Obama errar, nuca mais os EUA elegem outro negro, creio que não há clima para golpe num país que tem tudo para ser a 5ª economia do mundo, segundo o próprio Lula, sugerindo inclusive uma aliança entre Dilma e Obama. Mas sem dúvida, cautela e caldo de galinha não faz mal a ninguém.

Responder

marcosomag

22/04/2013 - 21h25

Enquanto isso, o PT tenta adiar para depois da eleição de 2014 a vigência da nova lei que acaba com a farra de novos partidos com tempo na televisão. Lei muito boa para a governabilidade e que “fura a bola” da tática “dividir para conquistar” da oposição com Aébrio/Blabarina/Campriles contra Dilma e com tempo no horário eleitoral gratuito.

No campo midiático, o governo está perdendo mais uma grande oportunidade de influir na mentalidade da classe média deixando o velho OESP ser vendido para a Globo. Um jornal com uma “grife” que representa tanto para o conservadorismo paulista nas mãos de aliados seria uma ótima ponta-de-lança contra a artilharia da Folha/Veja/Globo contra a reeleição de Dilma.

As oportunidades vêm desde o início do período petista, em 2003, quando a Globo estava afundando na gigantesca dívida que restou do enorme fracasso da Globocabo. Ao invés de colocar os Marinhos no cabresto do BNDES e libertar a redação do JN, o José Dirceu socorreu a Globo sem exigir contrapartidas. Ganhou como prova de “gratidão” um par de algemas com o qual terá direito de desfilar em rede nacional em um JN com a redação amordaçada pelo Ratzinger global!

E a ABIN deveria examinar cada movimento do Cardeal Bertoglio, o Karol Wojytila sul-americano, em seu conluio com os EUA e a cúpula conservadora do clero brasileiro, além da direita política. Não tenho dúvida que este senhor foi colocado lá para ser instrumento de desestabilização dos governos que promovem democracia com justiça social na região.

Responder

Paulo Brasil

22/04/2013 - 21h19

Ao imperialista cabe cumprir o seu papel de subjugar qualquer povo.
Escravizado esta, o povo que nao luta por sua liberdade.

A casa grande e o pig sao capachos dos imperialistas. Temos que desmascara-los.

Lei de Medios,ja.

Responder

RicardãoCarioca

22/04/2013 - 21h16

E deram o Nobel da Paz ao Obama! Se o Nobel fosse dado ao Hitler pelo menos a piada ficaria esclarecida desde o primeiro instante.

Responder

Palomino

22/04/2013 - 21h02

Engano pensar que a AL está fora de controle do império. As eleições recentes na Venezuela e Paraguai mostraram bem isso. O Maduro ganhou por um nariz à frente do rival neoliberal e o Paraguai festeja a volta da direita pró-americana. Enquanto isso, o Lula foi ao México bater zabumba com o corrupto e direitista presidente de lá e a Dilma congratulou-se com o novo mandatário paraguaio. Durma-se com um barulho deste.

Responder

Caio

22/04/2013 - 20h59

É isso aí! É “interesse nacional” dos EUA influenciar não só nos governos eleitos mas também nas oposições. Eles vem fazendo isso há décadas e há evidências abundantes de que talvez todos os regimes militares da América Latina a partir da década de 60 tiveram algum tipo de apoio dos Estados Unidos – normalmente treinamento, pesquise A ESCOLA DAS AMÉRICAS e a OPERAÇÃO CONDOR.

Há documentos que mostram que Donald Rumsfeld planejou invadir o Iraque HORAS DEPOIS do 11 de Setembro de 2001 (a invasão foi em Março/2003). Outras evidências (testemunho do General Wesley Clark, e a Ordem Executiva – EXORD – de 2006, também de Rumsfeld) apontam para uma infiltração militar dos EUA em países como Mali, Síria, Líbia, Nigéria, Somália, Yemen, Sudão, entre outros, pelo menos a partir de 2006.

Os EUA possuem acordos militares – bases – no Peru, na Colômbia e no Equador. Possivelmente Guiana, Guiana Francesa e Suriname também tem acordos militares.

Temos que manter os olhos abertos mesmo. Parabéns pelo artigo!

Responder

jaime

22/04/2013 - 20h45

Estão ameaçados os “governos latino-americanos À ESQUERDA DO CENTRO”. Nesse caso, não precisamos nos preocupar. Segundo li um dia em algum comentário aqui mesmo, o PT nunca disse que era esquerda… e pelo que parece, não é mesmo.

Responder

José BSB

22/04/2013 - 20h30

EUA legitimaram os “golpes constitucionais” no Paraguai e Honduras mas exigem recontagem dos votos na Venezuela. A servil oposição brasileira trilha o mesmo caminho, guiada por uma espécie de cabresto.
É brincadeira.

Responder

Jotace

22/04/2013 - 20h30

A IGREJA IMPERIAL

O novo ocupante do trono do Vaticano, Francisco I, enviou uma mensagem ao povo da Venezuela em sua prédica deste domingo a numerosos fieis. Nela referiu, como o faz toda a direita internacional, sob a batuta estadunidense, “sua viva preocupação pela crise” que envolve aquele país. Destacou os incidentes que nele vêm ocorrendo e insta o povo, particularmente os governantes e políticos a fim de promoverem o diálogo em busca da paz. Tudo muito bonito não fora haver juntado no mesmo balaio vítimas e agressores, além do fato de que a iniciativa da forma que foi apresentada vai ao encontro dos interesses de governos e oligarcas que pretendem desestabilizar o governo Bolivariano democraticamente eleito. Continuar a instalar a dúvida quanto à legitimidade da eleição de Maduro faz parte do processo. E nada mais conveniente para a bandidagem da oposição que o sangramento do governo legitimamente constituído permitindo assim que ela se fortifique cada vez mais para um golpe definitivo. Por outro lado se de tais negociações participem elementos inidôneos, vendepátrias, ajudariam certamente a Capriles a ampliar a sua condição de ‘líder’ e atenuar, ou mesmo dirimir, uma eventual punição judicial decorrente de sua responsabilidade na tentativa de abrir caminho para um golpe como se deu. Ensaio falhado, mas que implicou em mortes, lesões, agressões físicas e morais, incêndios, e destruição de patrimônio público, destacadamente centros médicos. Por isso mesmo, a mensagem imperial foi assunto de destaque nas celebradas Rede Globo e GloboVisión, esta última uma das grandes agentes do golpe de estado de 2002. Para isto a tal rede televisiva, através do apresentador Leopoldo Castillo, de imediato promoveu uma entrevista com outro celebrado “defensor da paz”, o Cardeal Urosa Sabino. Visou a entrevista promovê-lo na opinião pública como o interlocutor necessário entre o governo e a oposição nas “negociações pela paz” sugeridas pelo Vaticano. Aqui é bom recordar que, quanto a Leopoldo Castillo, líder do programa televisivo cujo tempo é integralmente dedicado há anos unicamente a atacar o governo Bolivariano, seus adversários asseguram estar ele envolvido com o financiamento dos paramilitares que fizeram a matança dos seis jesuítas em 1987 na República de El Salvador. A esse tempo Castillo, também conhecido na Venezuela por Matacura (Matapadre), exercia o cargo de embaixador da Venezuela naquele país. Quanto ao segundo, o Cardeal Urosa Sabino, trata-se de um provável ganhador do próximo Nobel da Paz agora atribuído àqueles que pregam ou fazem a guerra. Urosa tem sido um dos maiores adversários da República Bolivariana e detrator impenitente dos notáveis programas sociais de Chávez considerado por ele um facínora e culpado, entre muitos outros crimes, pelo derramamento de sangue quando do golpe de estado fracassado e que, na realidade, foi ocasionado pela direita da qual Urosa sempre fez parte. Atuando descaradamente como político, o que sempre nega, o então Arcebispo da Igreja Católica foi um dos signatários do grupo que deu posse a Carmona o Breve, no cargo de Presidente da República. Integrante da linha ultra-conservadora da Igreja, ligado aos fascistas espanhóis, admirador do Pinochet, o cardeal ‘pacifista’, reconhecido comensal da crème de la crème da oligarquia venezuelana, não perdôa os programas sociais do Governo Bolivariano. Com ligações no Vaticano, usa o nome e a influência da Igreja num país católico para vilipendiá-los e tem idéias muito especiais a respeito de como será feita, por exemplo, a educação quando a direita retomar as rédeas governamentais no país. Conforme declarou em programa de televisão (vídeo no you tube, com comentário de Chávez a seguir), os nascidos na pobreza devem conformar-se com tal condição por toda sua vida e servir com obediência àqueles que são ricos e jamais pensar em trocarem a ordem social…Prega também que ao estado cabe prover os recursos, mas a educação deve ser feita pela Igreja Católica. No recentíssimo programa da Globo Visión, entrevistado – como deve ter sido combinado previamente- a respeito da mensagem papal, Urosa afirmou de forma descarada que lhe agrada ser o interlocutor da paz na Venezuela…A propósito da sugestão papal de renunciarem, governo e oposição, à violência, Maduro a respondeu sábia e inteligentemente com uma mensagem no twitter nos seguintes termos: “De acuerdo Papa Francisco, estoy preocupado por la Intolerancia El Odio y la Violencia que generó muertos y heridos” deixando assim claro que tais sentimentos e comportamento não fizeram nem fazem parte do roteiro dos que compõem o governo…

Responder

    Mário SF Alves

    23/04/2013 - 10h37

    Prezado Jotace,

    “… os nascidos na pobreza devem conformar-se com tal condição por toda sua vida e servir com obediência àqueles que são ricos e jamais pensar em trocarem a ordem social…”
    _______________________________________
    Eis aí a grande síntese do pensamento conservador.
    _________________________________________________
    Esse tal vigário, mérito ou loucura dele, ao menos teve a audácia de exprimí-la em sua totalidade (e totalitarismo!). E não duvidemos da existência de calhamaços de filosofias/retóricas teológicas, filhas unigênitas do imponderável, especialmente desenvolvidas e/ou viabilizadas (por gente de barrigona cheia), e prontamente disponíveis para justificar o injustificável; especialmente ali, na Venezuela, terra da fome por excelência. A mesma exclusão sobre a qual, anos a fio, nos fazia refletir pretéritas Campanhas da Fraternidade ao antever o vir-a-ser do Ocidente, massacrado sob as botas da – intrinsecamente dissimulada – ditadura fascista do pensamento único e privatização antipovo neoliberal.
    _____________________________________________________
    A propósito, você tem como me dizer se é possível ter acesso a alguma referência bibliográfica que ajude a entender em que momento, circunstância e forma teve início a hodierna, religiosamente dissimulada, e, também por isso, covarde exploração do homem pelo homem? Mesmo porque, como ela se mantém não há sequer sombra de dúvida.
    _____________________________________________________
    Fraternalmente,
    Mário SF Alves.

    Jotace

    23/04/2013 - 20h57

    Caro Mário,

    Grato pelas suas considerações a propósito das reflexões que aqui apresentei. Sinto não ter dados especificos sobre seu questionamento da bibliografia mas creio que, pela importância que assume o tema, deve ter recebido muita atenção de filósofos, sociólogos, politólogos e teólogos. O Miguel Angel Pirella, do programa televisivo venezuelano Cahiendo y Corriendo, tem justamente quase todos esses títulos, obtidos de teses de doutorado e outras, em universidades européias. Por que não lhe faz uma indagação? Creio que ele teria muito prazer em lhe responder. Aliás, pelo que imagino, ele vez por outra viaja ao Brasil. Voltando ao assunto que abordei anteriormente, diria que o comportamento da Igreja Católica no Caribe, América do Sul (mais evidente nos países de língua espanhola), como de resto em outros continentes (o caso das Filipinas é antológico) merece muita atenção, pois toda atividade que desenvolve, com poucas exceções, o faz dentro da linha fascista herdada dos tempos de Franco. Ou de outras ditaduras da mesma época que, partidas da Alemanha e da Itália, flagelaram o mundo. E tem atuado sempre como uma espécie de sanguessuga gigante e faminta aliada seja a corsários na antiguidade como Cortez ou Pizarro, ou aos da atualidade que se aliam com ela nos países vitimados, às oligarquias apátridas. A linha oficial é esta,pública ou não,a do já beatificado (!?) Karol Wojtyla e a do Alois Ratzinger. De minha parte não creio que irá ser mudada mas apenas dissimulada e de maneira sutíl e inteligente, o que é ainda piór. Sempre ajudará o anti-povo como o faz descaradamente no atual Chile pinochetista e estará contra os governos progressistas, como o da Argentina e da Venezuela. A mesma linha fascista, que condenou “ao silêncio respeitoso” teólogos e filósofos como Leonardo Boff, que deixou abandonados para o martírio até bispos como sucedeu em El Salvador por se preocuparem com os excluídos, os miseráveis. Com a Europa quase toda falida, seríssimas dificuldades econômicas dos Estados Unidos que aliás estão cobrando de sua aliada somas vultosas pelos atos dos sacerdotes pederastas, a África na pobreza – como também estão os países asiáticos em que pode atuar mais livremente -, resta como área de atuação a América Latina com todas as suas riquezas e frouxidão contra a pirataria de batina.

    Abraço fraternal, Jotace

Jayme Vasconcellos Soares

22/04/2013 - 20h06

O importante é que o governo da Venezuela imponha uma lei da mídia que coíba a divulgação de informações falsas, e propagandas utilizadas para desestabilizar os programas sociais ora em vigor. O governo da Venezuela deve manter programas de educação profundos e intensos, para que a população saiba defender a sua própria cidadania.

Responder

Francisco

22/04/2013 - 19h36

O erro é imaginar que a região “mudou”.

Feliciano, Kathia Abreu e Bolssonaro estão onde sempre estiveram.

Sem falar nos quinta-colunas, figuras essenciais da História da “nuestra” América: Gurgel, Serra, Fux e demais.

Nada mudou até o povo mudar. O que o PT esta fazendo para o povo mudar?

Essa é a questão.

Responder

Fabio Passos

22/04/2013 - 19h29

Sem duvida.
Os ianques participaram dos golpes em Honduras e no Paraguai e tambem da tentativa frustrada de golpe na Venezuela.
E claro que corremos risco. Toda a democracia no continente corre risco.
E os ianques contam com apoio das “elites” brancas e ricas, amarguradas com a sequencia de derrotas eleitorais e espumando racismo, odio e pre-conceito de classe… basta acompanhar a insanidade do PiG para perceber: Os golpistas ja nao escondem seu desprezo pela vontade da maioria.
O instrumento para o golpe? O stf presidido pelo capacho da casa-grande joaquim barbosa.

Responder

Vlad

22/04/2013 - 19h10

Afinal, quem autorizou o PIG a usar nosso discurso?

QUEM??????!!!!!!

Responder

João Carlos

22/04/2013 - 18h26

É secular este “modus operandi” dos governos estadunidenses contra governo democráticos da AL. Está tudo dissecado no livro “Fórmula para o caos”, do historiador Moniz Bandeira, com base em documentos oficiais do governo norte-americano.

Responder

Olavo

22/04/2013 - 17h38

E Obama não foi saudado mundo a fora por ocasião de sua eleição, como se fosse trazer alguma mudança!?

Responder

    J Souza

    22/04/2013 - 18h31

    É política de Estado, não de governo.
    Pode entrar quem quer que seja, vai ser sempre assim…

Roberto Locatelli

22/04/2013 - 16h50

Não surpreende que os eua estejam financiando a desestabilização do Continente, inclusive do Brasil.

Os eua precisam que a América Latina volte a ser seu quintal. Precisa que os governos latinoamericanos sejam submissos tanto politicamente como comercialmente.

A direita latinoamericana é obediente a washington. Ambas as forças querem aplicar aqui a mesma política econômica que o fmi impôs à Europa. Os resultados estamos vendo lá: recessão, desemprego, miséria e fome. Aqui, seria muito pior, pois não temos o arcabouço social que os Europeus ainda têm.

Não esperemos grandes movimentos de resistência do governo Dilma. Os rios de dinheiro que Dilma injeta na mídia direitista já mostram que ela ainda não entendeu a situação. Essa mídia comandará a condenação de Lula, a cassação do registro do PT na justiça eleitoral e a cassação do mandato de Dilma.

Para barrar o avanço da direita, só há uma saída: organização e mobilização da sociedade.

Responder

Mário SF Alves

22/04/2013 - 15h49

Os iluminados sabem a hora certa de alertar contra o perigo. Tá aí, ó: https://www.youtube.com/watch?v=jXUYZQWD-fg
_________________________________
“E quem garante que a História é carroça abandonada
Numa beira de estrada ou numa estação inglória
A História é um carro alegre, cheio de um povo contente
Que atropela indiferente todo aquele que a negue”. Grande companheiro Chico Buarque de Holanda.

Responder

oziel f. albuquerque

22/04/2013 - 15h40

O governo americano e autoritario seja qual for o presidente do pais. Ate porque, eles sao capitalistas selvagem.

Responder

J Souza

22/04/2013 - 14h48

Se os EUA não se importam nem com os norte-americanos pobres, que são muitos, imaginem com os pobres latino-americanos…
Quem manda por lá são as corporações, e para estas interessa um governo ainda mais neoliberal do que o atual, da Sra. Rousseff.

Responder

jacó

22/04/2013 - 14h09

LULA é um DEUS na politica e contra um DEUS o mundo nada pode fazer para derrotar e muinto menos um pais mequetrefe como os eua.tenho dito.

Responder

    Anônino do Prado

    22/04/2013 - 15h04

    Que São Serapião te proteja.

maria olimpia

22/04/2013 - 13h45

Concordo! Todo cuidado é pouco!

Responder

renato

22/04/2013 - 13h25

Tem razão Elvys, há algo de estranho no ar.
Seria mais um presidente, a ter câncer.
Porque calaram-se diante da Koreia do Norte até
então.
Que recado quiseram mandar ao Mundo, quando explodiram
as bombas na Maratona.(explodiram não significa mataram).
Eles não gostaram de eliminar armas dentro do território,
para o povo.Porque será que o POVO americano não gosta de
ficar desarmado. Será que conhecem o inimigo que mora ao
lado.
Acredito agora, de verdade, que o povo que mora nos EUA,
não conhecem os DONOS DO MUNDO, OS SANGUINÁRIOS.
A muito tempo atrás já denominaram estes seres.
Tenho que dar vaza ao meu lado caótico,desgraçado, para
poder enxergar o que meus olhos de brasileiro que gosta
de churrasco amigos e um truquinho, não conseguem ver.
Mas que há algo estranho, isto há, e acredito que a força
mais destruidora do mundo já esta percebendo.
E já há movimentos, infelizmente.

Responder

Julio Silveira

22/04/2013 - 13h22

O Brasil sempre esteve sitiado pelo estadunidenses. Sempre foi o alvo principal nas suas estratégias de dominância e para formação de um corredor ideológico. Isso é lógico, para qualquer cidadão mais ou menos lucido que interpreta as redes geopoliticas que regem esse nosso planeta. A quarta frota é um recado que não deve ser subestimado. Nosso país é rico em território e recursos naturais, temos um povo dócil, para manipulações nacionais a serviço de interesses internacionais, sem tradição civica e de facil arrebanhamento. Investiram e investem nos pastores certos. Não duvido nada que hajam aqui dentro gente que admire mais a cultura americana e que busque mesmo incorporá-la exemplarmente na relação com a nossa. Preterindo a busca pelo aprofundamento de uma cultura nossa, democratica, propria. Aqui dentro do nosso Brasil de raíses lusas, muitos sequer conhecem a história da formação da identidade lusa, mas com certeza ignorantes se envergonham dela, ouço isso toda hora, muitos teriam o maior prazer em se entregar a uma cidadania anglo, preferencialmente estadunidense, de igual abrangente ignorância nacional sobre sua formação cultural. Sequer entendem que em suas raizes houve uma história ancestral construida por corsários e piratas, também de executores de um colonialismo perverso para seus conquistados.

Responder

Ana Cruzzeli

22/04/2013 - 13h17

Obama está mais virulento que o Bush com toda a certeza.
Há sinais claros de desajustamento que eu me negava a enxergar tempos atrás. Há sinais claros de declaração de se não de um embate, pelo menos de um desrespeito imensurável .
A coragem do Obama em declarar guerra a Libia direto de Brasilia não é tipico de pessoas desajustadas coisa nenhuma. Havia uma intenção clara de embate publico
O Obama planejou meticulosamente, assim como Joaquim Barbosa, TODOS os seus momentos de confronto. Como dizem que a M…. está nos detalhes ai está um Obomba vestido para guerra faz tempo.

Venezuela está cada dia mais forte, contudo não me sai da cabeça que a morte do Chavez teve a mão impiedosa de um Obomba cada vez mais temeroso da ruina bancária que se avizinha do segundo estágio. Como muitos já dizem: Há uma Europa prontinha para explodir tamanho o desemprego existente e com horizonte de maior aprofundamento
Tanto o Paraguai quanto a Venezuela vão precisar e muito da ajuda dos vizinhos e logicamente por cá a coisa será cada vez mais tentada o golpe contra Dilma, mas ela sobreviveu a um em sua juventude, agora não há de vingar tampouco.

A revolução caminha, agora com carros inteligentes atropelando as Anas Marias tomateiras da vida. Foi se meter com Dilminha Vana Roussef.. Se deu mão Ana Maria.

P.S. A piada agora é: O carro era sim SUPER INTELIGENTE, quem disser o contrário mente

Responder

João Grillo

22/04/2013 - 13h15

O que espanta não é a arrogância secular americana, é a frouxidão dos cagões do PT…Aí tem.

Responder

Mário SF Alves

22/04/2013 - 13h11

“Conforme relatado nas páginas deste jornal, em 2005 os EUA financiaram e organizaram esforços para mudar a legislação brasileira com vistas a enfraquecer o PT. Essa informação foi descoberta em documentos do governo americano obtidos graças à lei americana de liberdade de informação. É provável que Washington tenha feito no Brasil muito mais e siga em segredo.”
_____________________________
Tá vendo? E ainda tem mané que vive criticando o PT. Eu, mesmo, outro dia levantei a “hipótese” do “relaxa e goza”.
______________________________________________
Mas, afinal, jornalista do PiG FSP nos falando sobre isso? Êpa!!! Esse angú tem caroço! E nhem-nhem todo sobre esquerda isso, esquerda aquilo. Que esquerda, cara pálida? Que esquerda?
_____________________________________________________
Mas, pensando bem, faz sentido. Até porque, ser democrata num Páis como esse – terra da pior elite do mundo, do sui generis capitalismo subdesenvolvimentista “estadosunidos-nacional, da colonização por dentro, onde [infelizmente] ainda prevalece o secular regime casa-grande-braZil-eterna-… todo mundo já sabe.. e… como dizia, ser democrata nesse País é ser diuturnamente confundido com ideólogos de esquerda. Então tá claro. É de pleno sentido.

Responder

Maria Rita

22/04/2013 - 12h42

Obama não passa de um homem bem sucedido que, por acaso, é negro. Todos se emocionaram com a chegada de um presidente negro na Casa Branca. Que já chegou ganhando o prêmio Nobel da Paz. Até hoje, não sabemos o motivo desse prêmio, diga-se de passagem.Tristemente, ele está dando sinais que é oficialmente o primeiro negro a desmerecer as lutas de um grande homem que morreu desejando igualdade e paz para todos e que mudou as leis para todos os negros discriminados nos EEUU. Seu nome era Martin Luther King. Obama irá tripudiar sobre o sonho de Luther KIng e de sua memória? Shameful.

Responder

Valcir Barsanulfo

22/04/2013 - 12h37

O golpismo Yankee vem de longe, eles se propagam como xerifes do mundo, e faz interferências em todos os governos progressistas que aparecerem; eles gostam mesmo é de LACAIOS, como o foi o governo neo liberal do cínico sociólogo fhc(minúsculo).

Responder

Francisca Sandra Sampaio Sales

22/04/2013 - 12h13

Estão tentando derrubar a democracia do nosso país.Uma vontade enorme de serem donos da nossa Amazônia, petróleo e pré-sal. Querem mesmo que o Brasil sai do caminho do desenvolvimento. Acho que os ianques se tremeram quado sentiram a nossa estabilidade econômica. Não querem isso, jamais!!Pior de tudo tem a ajuda do PIG.

Responder

PedroAurelioZabaleta

22/04/2013 - 11h58

Na falha?
Por que eles publicaram uma matéria sobre algo que eles negam há décadas?Vou passar no sitiozinho deles pra conferir.
Desculpem, mas não tô conseguindo acreditar.

Responder

Antonio Carlos - Brasilia

22/04/2013 - 11h06

Eu já sabia. Sempre duvidei que os americanos iriam aceitar passivamente a estabilidade democrática, que dá chances enormes às esquerdas, na América do Sul. E agora os acontecimentos provam isso. A política de império americano independe do presidente de plantão. Me lembro da eleição do Obama, muitas pessoas se iludiram tanto que hoje dá dó de vê-las tão decepcionadas.

Responder

Os EUA de olho na AL… e no governo do PT | Marcos Aurélio

22/04/2013 - 11h03

[…] por Mark Weisbrot (Reproduzido do Vi  Mundo, aqui) […]

Responder

Elvys

22/04/2013 - 10h56

A folha de sao paulo publicou isso? Nao entendi o porque e ainda assim, algo me incomoda, algo que nao consigo identificar no momento.

Responder

    Fábio

    22/04/2013 - 13h58

    Às vezes, quando se joga sinuca, os pontos só valem se a caçapa alvo da bola for anunciada antes da tacada.

    demetrius

    22/04/2013 - 18h14

    e os grandes rituais seguem o mesmo cronograma: anunciar antes o que está para acontecer

Deixe uma resposta