VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Ministro Marco Aurélio: “Sem fato jurídico que respalde o impeachment”, é golpe; veja o vídeo

30 de março de 2016 às 17h42

Captura de Tela 2016-03-30 às 20.13.03

Ministro do STF indica que sem fato jurídico impeachment ‘transparece como golpe’

O ministro Marco Aurélio Mello afirmou que o impeachment da presidente Dilma Rousseff não é capaz de resolver a crise

BEATRIZ BULLA – O ESTADO DE S.PAULO

30 Março 2016 | 15h 35 – Atualizado: 30 Março 2016 | 15h 43

Brasília – O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou nesta quarta-feira que o impeachment da presidente Dilma Rousseff não é capaz de resolver a crise vivida no País e indicou que se não houver fato jurídico para afastar a petista o processo “transparece como golpe”.

“É uma esperança vã, impossível de frutificar. Nós não teremos a solução e o afastamento das mazelas do Brasil apeando (derrubando) a presidente da República”, disse o ministro, ao chegar para sessão plenária do Tribunal nesta tarde.

“Após o impedimento o Brasil estará melhor?  O que nós teremos após o impedimento? A situação é diversa de 1992 porque temos dois segmentos que se mostram a essa altura antagônicos e não queremos conflitos sociais. Queremos a paz social”, completou o ministro, primo do ex-presidente Fernando Collor, que sofreu processo de impeachment em 1992.

Para ele, “não interessa” ao País retirar a chefe do Poder Executivo, o que pode gerar “muita insegurança”. O ministro criticou o desentendimento entre Legislativo e Executivo e a “insistência” em inviabilizar a governança.

“O ideal seria o entendimento entre os dois poderes como preconizado pela carta da República, pela Constituição Federal, para combater-se a crise que afeta o trabalhador, a mesa do trabalhador, que é a crise econômico-financeira. Por que não se sentam à mesa para discutir as medidas indispensáveis nesse momento? Por que insistem em inviabilizar a governança pátria? Nós não sabemos”, afirmou o ministro.

No início da tarde, em cerimônia no Palácio do Planalto, Dilma voltou a sugerir que a tentativa de tirá-la do cargo é um golpe. De acordo com a presidente, não há crime de responsabilidade praticado que gere a possibilidade de afastamento. “Nós estamos discutindo impeachment concreto sem crime de responsabilidade e impeachment sem crime de responsabilidade é golpe”, disse Dilma.

Para Marco Aurélio, se for “acertada a premissa” de que não há crime de responsabilidade, a presidente “tem toda a razão”.

“Se não houver fato jurídico que respalde o processo de impedimento, esse processo não se enquadra em figurino legal e transparece como golpe. Agora precisamos aguardar o funcionamento das instituições, precisamos nessa hora de temperança, precisamos guardar princípios e valores e precisamos ter uma visão prognóstica”, disse o ministro do STF.

Em manifestações recentes, ao menos quatro integrantes da Corte defenderam a legalidade do impeachment que tramita hoje na Câmara dos Deputados. Já se manifestaram nesse sentido o decano do tribunal, ministro Celso de Mello, e os ministros Cármen Lúcia, Dias Toffoli e Luís Roberto Barroso.

Em dezembro, a Corte definiu o rito do impeachment a ser obedecido pelo Congresso Nacional.

De acordo com Marco Aurélio Mello, o STF pode entrar no mérito da discussão sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, ou seja, discutir se há crime de responsabilidade ou não por parte da petista.

“O judiciário é a última trincheira da cidadania. E pode ter um questionamento para demonstrar que não há fato jurídico, muito embora haja fato político, suficiente ao impedimento”, disse o ministro. Em audiência com deputados do comando da Comissão do Impeachment, o ministro Luís Roberto Barroso sugeriu que o Supremo não tem a pretensão de discutir o mérito do impeachment.


Leia também:

Moro interpreta piada de Paes sobre sítio e barquinho de lata como prova contra Lula

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

19 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Celso José Bonifácio

31/03/2016 - 17h09

Senhores, a questão de Sua Excelência, o ex-presidente Collor, não foi o congresso quem o derrubara, não façamos analise incorreta. Quem o derrubou foi seu irmão, já que, tudo que sempre fez contra a nação, inclusive confisco de poupança (inconstitucional), foi feito com a proteção do congresso ou pelo menos, não houve nenhuma reação do congresso contra os malefícios que esse senhor cometia enquanto la esteve. Ele caiu, quando seu irmão trouxe a público, por motivos que não se sabe, elementos que até então, haviam-se, escondidos, assim, criou-se uma celeuma que nem a imprensa e nem o congresso podia ter feito alguma coisa para salva-lo, teve que ter tido o impeachment (pedido, ele renunciou-se antes), se assim não fosse, possivelmente, teria sido reeleito, já que depois de oito anos, o elegeram senador (povo). Enfim, quem o execrou, não foi o congresso e nem a imprensa e sim, seu irmão, ele foi a peça principal para saída de Sua Excelência, Ex-Presidente Fernando Collor de Mello. Essa é a verdade nua e crua, claro, opinião pessoal.

Responder

Eduardo Guimarães

31/03/2016 - 16h44

Vejo que gente importante não sabe ou inescrupulosamente defende o que é errado para colocar fogo, quando deveriam agir como bombeiros! As falas de Carlos Velloso e Yves Gandra no PIG foram verdadeiras agressões públicas à democracia e aos cidadãos regidos por uma constituição! Tudo que se possa imaginar acontecer com um cidadão está regulado na constituição! É óbvio, inquestionável, que um Presidente da república eleito democraticamente segundo as regras constitucionais, uma vez destituído por um processo “inteiramente legal”de impeachment que se ache destituído ilegalmente , pode e deve recorrer ao “Poder Judiciário” da república democrática para a qual foi eleito! Ora! Não precisaria que o Dr. Marco Aurélio ensinasse isso, principalmente a Carlos Velloso e Yves Gandra!

Responder

Urbano

31/03/2016 - 15h43

A motivação dos bandidos da oposição ao Brasil é sempre o butim, a base de suas riquezas.

Responder

    Urbano

    31/03/2016 - 17h34

    Além de que o impeachment não é para sanar a crise política e econômica do Brasil, mas sim que essa tal crise política e econômica foi engendra ao longo dos anos 2013, 2014, 2015 até os dias de hoje, pelos escroques fascistas da facção bandida da oposição ao Brasil, a fim de forjar, aí sim, o tal impeachment.

MNC

31/03/2016 - 08h40

Não se deve confundir fato jurídico com depoimentos de delatores, acusações de opositores, ilações da mídia e muito menos delírios nas redes sociais. No caso Collor houve denúncia da PGR e só foi “inocentado” por problemas “técnicos” em provas obtidas.

Responder

    Guilherme Soares Pinto

    31/03/2016 - 15h16

    Nas justificativas apresentadas para o impeachment da Dilma não tem nenhuma citação a delações, acusações de opositores e ilações da mídia!
    .
    As pedaladas foram comprovadas contabilmente pelo TCU!
    .
    Os decretos assinados por Dilma q deveriam passar pelo Congresso estão no Diário Oficial da União!
    .
    A parte da delação do Delcidio e da obstrução da justiça, com gravações inclusive de própria Dilma, só aparecem na denuncia da OAB, q ainda nem foi aceita pelo Presidente da Câmara…

FrancoAtirador

31/03/2016 - 06h03

.
.
Não houve Lesão ao Erário Público! Simples Assim!
.
.
A Caixa Econômica Federal (CEF) é uma Empresa Pública*,
.
cujo Capital Pertence Integralmente à União Federal,
.
sob Regulação do Ministério da Fazenda e Fiscalização
.
do Banco Central, Órgãos Integrantes do Governo Federal.
.
.
O Ministro da Fazenda e @ Presidente do Banco Central e @ da CEF
.
são Cargos de Livre e Exclusiva Nomeação d@ Presidente da República
.
que é a Chefe do Poder Executivo Federal – de Governo e de Estado.
.
.
O Atual Estatuto da Caixa Econômica Federal foi, Inclusive, Instituído
.
pelo Decreto Nº 7.973 de 28 de Março de 2013 (D.O.U. 1º e 5.4.2013),
.
da Presidente da República Federativa do Brasil, Dilma Vana Rousseff,
.
que, no Artigo 5º, elencou os Objetivos da CEF, entre os quais, os seguintes:
.
“XI – prestar, direta ou indiretamente, serviços relacionados às atividades de fomento
da Cultura e do Turismo, inclusive mediante intermediação e apoio financeiro;
.
XII – atuar como Agente Financeiro dos Programas Oficiais de Habitação e Saneamento
e como Principal Órgão de Execução da Política Habitacional e de Saneamento
do Governo Federal, e operar como Sociedade de Crédito Imobiliário
para promover o Acesso à Moradia, especialmente para a População de Menor Renda; [!!!]
.
XIII – atuar como Agente Operador e Financeiro do FGTS;
.
XIV – administrar Fundos e Programas Delegados pelo Governo Federal; [!!!]
.
XV- conceder Empréstimos e Financiamentos de Natureza Social
de Acordo com a Política do Governo Federal [!!!],
observadas as condições de retorno, que deverão, no Mínimo (!!!),
ressarcir os Custos Operacionais, de Captação e de Capital Alocado;
.
XVI – manter Linhas de Crédito Específicas para as Microempresas
e para as Empresas de Pequeno Porte;
.
XVII – realizar, na Qualidade de Agente do Governo Federal [!!!], por Conta e Ordem Deste [!!!],
Quaisquer Operações ou Serviços que lhe forem Delegados, nos Mercados Financeiro e de Capitais;
.
XVIII – prestar serviços de custódia de valores mobiliários;
.
XIX – prestar serviços de assessoria, consultoria e gerenciamento de atividades econômicas,
de Políticas Públicas, de previdência e de outras matérias relacionadas a sua área de atuação,
diretamente ou mediante convênio ou consórcio com órgãos, entidades ou empresas;
.
XX – atuar na exploração comercial de mercado digital voltada para seus fins institucionais;
.
XXI – atuar em projetos e programas de cooperação técnica internacional
para auxiliar na solução de problemas sociais e econômicos; e
.
XXII – realizar, na forma fixada pelo Conselho Diretor e aprovada pelo Conselho
de Administração da CEF, aplicações não reembolsáveis ou parcialmente reembolsáveis
destinadas especificamente a apoiar projetos e investimentos de caráter socioambiental,
que se enquadrem em seus programas e ações, que beneficiem prioritariamente
a população de baixa renda, e principalmente nas áreas de habitação de interesse social,
saneamento ambiental, gestão ambiental, geração de trabalho e renda, saúde, educação,
desportos, cultura, justiça, alimentação, desenvolvimento institucional, desenvolvimento rural,
e outras vinculadas ao desenvolvimento sustentável.”
.
.
A CEF é, portanto, uma Instituição 100% Pública
que realiza Atividades e Operações Financeiras
e que funciona como Agente do Governo Federal.
.
O Dinheiro Circulante entre o Tesouro Nacional
e a Caixa Econômica Federal é, todo ele, Público,
não havendo, por conseguinte, Prejuízo ao Erário
nas Operações Contábeis no Ano de Competência.
.
*(https://pt.wikipedia.org/wiki/Empresa_p%C3%BAblica)
**(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del0759.htm)
***(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2013/Decreto/D7973.htm)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 06h09

    .
    .
    Detalhe
    .
    Preparem-se para a Revogação do Estatuto da CEF
    em um Eventual Governo PMDB/PSDB, Pós-Impíxi.
    .
    Porque os Ataques aos Atos da Presidente da República
    são também subliminarmente Desferidos contra a CEF.
    .
    .

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 06h11

    .
    .
    Os Setúbal do Itáu já estão salivando
    preparando a Digestão desse Manjar.
    .
    .

    Guilherme Soares Pinto

    31/03/2016 - 15h01

    É proibido por lei um banco público emprestar dinheiro para a União!
    .
    Simples assim…

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 18h50

    .
    .
    Não houve Empréstimo,
    .
    Houve Atraso no Repasse.
    .
    E não houve Prejuízo Algum,
    .
    Nem à CEF nem ao Tesouro.
    .
    .

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 19h02

    .
    .
    O Procurador-Geral do Banco Central afirmou
    que, no entendimento da Autoridade Monetária,
    .
    que é quem regula o Sistema Financeiro Nacional,
    .
    os Pagamentos feitos pelos Bancos, no lugar da União,
    não podem ser considerados empréstimos.
    .
    O que existe, afirmou o Procurador-Geral do BACEN,
    são Contratos de Prestação de Serviços Financeiros
    entre o Governo Federal e as Instituições Bancárias.
    .
    “Se houve pagamento de juros pela União
    aos bancos, pelo atraso, isso ocorreu
    porque está previsto no Código Civil.
    Nem todo ativo,
    sobre o qual incide juro,
    é operação de crédito”
    .
    .

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 19h15

    .
    .
    Ademais, Eventual Irregularidade Meramente Contábil,
    .
    nesse tipo de Operação, é de Natureza Civil, não Penal.
    .
    Portanto, neste Caso, não há sequer Crime Comum,
    .
    que dirá de Responsabilidade da Presidente da República.
    .
    .

antonio

31/03/2016 - 05h19

não é de hoje que o ministro marco aurélio,defende o pt sabemos que ele tem filha que ocupa cargo no governo.

Responder

lulipe

30/03/2016 - 22h40

Falou o Ministro conhecido entre seus pares por “voto vencido” e que teve a filha nomeada, mesmo sendo a mais inexperiente da lista, para o TRF por…Dilma.

Responder

Guilherme Soares Pinto

30/03/2016 - 20h33

Qual o “fato jurídico” q respaldou o impeachment de Collor?
.
Lembro q Collor foi inocentado de TODAS AS ACUSAÇÕES q foram feitas contra ele e basearam o pedido de impeachment!
.
Quer dizer q no caso de Collor foi golpe?
.
O PT participou de um golpe para depor Collor?
.
O impeachment é um processo POLÍTICO e não jurídico!
.
Tanto é assim, q que o processo de impeachment é decidido no Congresso e não nos tribunais!
.
Há acusações contra Dilma?
.
Há… e muitas!
.
Pedaladas fiscais (sim é crime!), decretos q ela assinou e q deveriam passar pelo Congresso, tentativa de calar Delcídio (gravação do Mercadante), tentativa de obstruir a justiça com a nomeação de Lula pra Ministro…
.
Se Dilma vai ser condenada por essas acusações, não sabemos! Depende da justiça…
.
Mas assim como Collor, q foi absolvido, isso não é relevante para um processo de impeachment!
.
Falar em golpe, é apenas choro de quem já sabe q perdeu…

Responder

    Dan

    31/03/2016 - 00h54

    Se é político, então por que enumerar supostos crimes? Se não é jurídico, então é político; e se é político é golpe, pois não é jurídico. Colocar no mesmo nível o governo Collor e o governo Dilma é mais um dos seus sofismas simplistas. Você poderia incluir na sua lógica torta as privatarias e todas as mazelas do governo FHC, incluindo a menor de todas: pedaladas fiscais. Mas a questão não é jurídica, não é, e sim política. Não queira misturar alhos com bugalhos. Se há choro, é porque golpistas vulgares como você querem pôr fim na democracia duramente conquistada.

    FrancoAtirador

    31/03/2016 - 07h30

    .
    .
    O quê?!? Uma Conversa do Mercadante
    com o Delcídio é Crime da Dilma?!?
    .
    Vocês perderam a Vergonha, Mesmo!
    .
    O Ciro tem Razão: “Sindicato de Ladrões”,
    Mentem Despudoradamente, na Cara Dura!
    .
    .

    Guilherme Soares Pinto

    31/03/2016 - 16h40

    Dan/Fraco Atirador
    .
    Respondi a vcs 2 mas… aparentemente fui censurado!
    .
    Fazer o q, né!?

Deixe uma resposta