VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Leonardo Boff: A mídia comercial em guerra contra Lula e Dilma

24 de setembro de 2010 às 00h20

Por Leonardo Boff, na Adital, via Vermelho

23 de setembro de 2010

Sou profundamente pela liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o “silêncio obsequioso” pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o “Brasil Nunca Mais”, onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.

Esta história de vida me avalisa fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de ideias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa. Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Precisamos dar o nome a esta mídia comercial. São famílias que, quando veem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como “famiglia” mafiosa. São donos privados que pretendem falar para todo Brasil e manter sob tutela a assim chamada opinião pública. São os donos de O Estado de São Paulo, de A Folha de São Paulo, de O Globo, da revista Veja, na qual se instalou a razão cínica e o que há de mais falso e chulo da imprensa brasileira. Estes estão a serviço de um bloco histórico assentado sobre o capital que sempre explorou o povo e que não aceita um Presidente que vem desse povo. Mais que informar e fornecer material para a discusão pública, pois essa é a missão da imprensa, esta mídia empresarial se comporta como um feroz partido de oposição.

Na sua fúria, quais desesperados e inapelavelmente derrotados, seus donos, editorialistas e analistas não têm o mínimo respeito devido a mais alta autoridade do país, ao Presidente Lula. Nele veem apenas um peão a ser tratado com o chicote da palavra que humilha.

Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo.

Como o mostrou o grande historiador José Honório Rodrigues (Conciliação e Reforma), “a maioria dominante, conservadora ou liberal, foi sempre alienada, antiprogresssita, antinacional e não contemporânea. A liderança nunca se reconciliou com o povo. Nunca viu nele uma criatura de Deus, nunca o reconheceu, pois gostaria que ele fosse o que não é. Nunca viu suas virtudes, nem admirou seus serviços ao país, chamou-o de tudo -Jeca Tatu-; negou seus direitos; arrasou sua vida e logo que o viu crescer ela lhe negou, pouco a pouco, sua aprovação; conspirou para colocá-lo de novo na periferia, no lugar que contiua achando que lhe pertence (p.16)”.

Pois esse é o sentido da guerra que movem contra Lula. É uma guerra contra os pobres que estão se libertando. Eles não temem o pobre submisso. Eles têm pavor do pobre que pensa, que fala, que progride e que faz uma trajetória ascedente como Lula. Trata-se, como se depreende, de uma questão de classe. Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o Presidente de todos os brasileiros. Isso para eles é simplesmente intolerável.

Os donos e seus aliados ideológicos perderam o pulso da história. Não se deram conta de que o Brasil mudou. Surgiram redes de movimentos sociais organizados, de onde vem Lula, e tantas outras lideranças. Não há mais lugar para coroneis e para “fazedores de cabeça” do povo. Quando Lula afirmou que “a opinião pública somos nós”, frase tão distorcida por essa midia raivosa, quis enfatizar que o povo organizado e consciente arrebatou a pretensão da midia comercial de ser a formadora e a porta-voz exclusiva da opinião pública. Ela tem que renunciar à ditadura da palabra escrita, falada e televisionada e disputar com outras fontes de informação e de opinião.

O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo. Votou em Lula como o seu representante. Uma vez no Governo, operou uma revolução conceptual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros. De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida.

Outro conceito inovador foi o desenvolvimento com inclusão soicial e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome. Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas, importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados.

O que a grande maioria almeja é manter a continuidade deste processo de melhora e de mudança. Ora, esta continuidade é perigosa para a mídia comercial que assiste, assustada, ao fortalecimento da soberania popular que se torna crítica, não mais manipulável e com vontade de ser ator dessa nova história democrática do Brasil. Vai ser uma democracia cada vez mais participativa e não apenas delegatícia. Esta abria amplo espaço à corrupção das elites e dava preponderância aos interesses das classes opulentas e ao seu braço ideológico que é a mídia comercial. A democracia participativa escuta os movimentos sociais, faz do Movimento dos Sem Terra (MST), odiado especialmente pela VEJA, que faz questão de não ver; protagonista de mudanças sociais não somente com referência à terra, mas também ao modelo econômico e às formas cooperativas de produção.

O que está em jogo neste enfrentamento entre a midia comercial e Lula/Dilma é a questão: que Brasil queremos? Aquele injusto, neocoloncial, neoglobalizado e, no fundo, retrógrado e velhista; ou o Brasil novo com sujeitos históricos novos, antes sempre mantidos à margem e agora despontando com energias novas para construir um Brasil que ainda nunca tínhamos visto antes?

Esse Brasil é combatido na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma. Mas estes representam o que deve ser. E o que deve ser tem força. Irão triunfar a despeito das más vontades deste setor endurecido da midia comercial e empresarial. A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construido com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros.

Fonte: Adital

 

133 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

fernando

23/11/2010 - 11h02

Na verdade o povo esta deixando de ser tapado para evitar o pior porque senão no futuro com gente desse tipo na mídia o que vai ter é um gueto de onde o pobre só pode sair com um passe e serão marcados com uma estrela .

Responder

FERNANDO

23/11/2010 - 10h59

A liberdade de expressão é um direito sagrado o problema é o controle! a mídia no mundo esta nas mãos de seis ou sete : CNN,BBC,GLOBO etc ,não é por acaso que uma foto ou reportagem se repete em todos os meios de comunicação que estão a serviço do capital a solução é liberar as concessões de radio e TV para as comunidades, onde o povo vai poder falar e se identificar com sua região e não da maneira " onde se dizia que capim era bom para saúde e todo mundo comia" na semana passada um jornalista doido chamado luis carlos prates da globo santa catarina culpou todos os pobres miseráveis pelos acidentes de carro segundo ele a culpa era do governo lula que aumentou o crédito e colocou mais carros na rua , não sabe ele a FORD,CHEVROLET, WOLKSWAGEN que são maiores vendedoras de carros populares( que por sinal tem esse nome justamente porque é para o povão e não para os ricos) são os maiores anunciantes justamente na sua emissora ou seja vai ser burro assim no inferno .

Responder

LeoContesini

31/10/2010 - 13h07

Lamento que nos meus 54 anos de vida, ver uma pessoa como o sr. defender, sem sombra de dúvida o governo mais corrupto da história do Brasil, onde as ditas políticas sociais não passaram de assistencialismo barato onde o senhor deveria consultar os dados sociais(educação de base, igualdade social) para emitir um juízo. Só para exemplificar: a dita transposição do R. S. Francisco a quem está beneficiando? Não a população ribeirinha, mas sim o agronegócio que o senhor tanto ataca. Os números das educação de base(vide Unesco), são hoje pior do que no governo FHC, qjá foi ruim. Que dizer dos 4 bilhões aplicados nos jogos Pan Americanos e até agora sem uma prestação de contas? Que dizer dos 37 ministérios e secretarias, a maioria para empregar a "cumpanheirada". E os 30 bilhões de FUST eFUNTEL desviados para cobrir o déficit público? Fora senhor Boff que o aborto é da cartilha do PT sim senhor, me admira o senhor como cristão apoiar essa senhora, acompanhada desse desqualificado presidente. Parem. Me envergonho como antigo seu fão de sua postura antiética sobre a vida, defendendo um partido que de socialista não tem nada e ainda usa a política econômica de direita para pregar um falso socialismo. Lamentável.

Responder

Eliana Corso

23/10/2010 - 22h44

Leonardo Boff
É um bálsamo a sua reflexão ! Ninguém mais que os nordestinos entendem no coração e no estômago tudo o que o senhor fala com tanta propriedade.E nesta última semana é muito doloroso ver o escancaramento da parcialidade e manipulação da mídia. Que Deus te abençoe por nos defender

Responder

Paulo de Goes

03/10/2010 - 00h25

Você era tão bom teólogo… Tsc tsc tsc

Responder

Imprensa livre « Blogadona

02/10/2010 - 12h45

[…] Imprensa livre 02/10/2010 por Margareth Marmori Hoje um dos principais jornais da Dinamarca, o Politiken, traz reportagem de página inteira sobre as eleicões amanhã no Brasil. A reportagem é acompanhada de um artigo de opinião do editor internacional do jornal, Michael Jarlner que, entre outras coisas, diz que o Brasil é um exemplo de como se pode alcancar desenvolvimento econômico sem abrir mão da democracia. Ele compara a China, onde já controle rígido da oposicão, ao Brasil, onde há livre debate. O reconhecimento internacional do fortalecimento da democracia brasileira me deixa feliz e me faz compreender ainda mais as reacões de alguns setores da sociedade brasileira que se dizem preocupados com a ameaca à liberdade de expressão que o governo Lula representa. De vez em quando recebo e-mails ”denunciando” o risco que o atual governo brasileiro representa para a democracia no Brasil e que Lula vem cerceando a liberdade de expressão ao perseguir jornalistas e boicotar meios de comunicacão que não o apóiam. A última dessas mensagens veio de uma amiga que pediu minha opinião sobre o assunto. Para não falar bobagem, fiz uma pequena pesquisa na internet que confirmou o que eu já suspeitava. É verdade que o relacionamento do Lula com a imprensa tem sido conflituoso mas, na minha opinião e também na opinião de pessoas mais credenciadas do que eu, poucas vezes na história do Brasil a liberdade de imprensa e o direito de expressão foram exercidos de forma tão plena. Os ataques, algumas vezes ferozes que o Lula recebe da mídia, são uma evidência de que a liberdade de expressão no Brasil vai de vento em popa. Enquanto a imprensa internacional, que aliás não é controlada pelos governantes brasileiros, festeja o Lula e o coloca como um dos líderes mundiais mais importantes da atualidade, os veículos de comunicacão no Brasil achincalham e hostilizam o presidente. Lula reclama e esperneia, às vezes reage de maneira equivocada mas a imprensa continua falando o que lhe dá na telha. Um ex-professor meu, o jornalista e sociólogo Venício Artur de Lima, se pergunta o porque a razão de tanta hostilidade da mídia brasileira ao governo atual. Ele diz: ‘”Vivemos em plena liberdade da imprensa. O governo não deixou de aplicar vultosos recursos em publicidade oficial paga destinada exatamente à grande mídia. Apesar disso, além da oposição política publicamente admitida inclusive pela presidente da ANJ, a grande mídia insiste em anunciar que o atual governo constitui uma permanente ameaça à liberdade de expressão e que o seu partido padece de uma obsessão autoritária e stalinista de controlar a imprensa. (…) ”O que teria provocado, então, tamanha hostilidade dos grupos dominantes de mídia? Não tenho uma resposta, mas talvez uma das razões pode estar no fato do sucesso do governo Lula ter uma demosntracão cabal de que a mídia brasileira estava errada. Apostava que no governo Lula tudo ia dar errado, que o país para o buraco etc e tal. Curto e grosso, quebrou a cara. Sobre o assunto, leia também: Viva o Brasil : Luis Caversan Leonardo Boff: A mídia comercial em guerra contra Lula e Dilma […]

Responder

Luiz

01/10/2010 - 21h27

Parabéns, Sr Boff !!
Precisamos que pessoas com o seu currículo engrossem as fileiras dos que defendem o direito de todos ao torrão que Deus nos contemplou.
O povo resolveu votar em si é genial!!!
Pois o povo deve permanecer guardião do povo e, por consequência, da democracia.
Parabéns!!!

Responder

JAN PIN

30/09/2010 - 10h34

O Governo da Liberdade:
(Não me refiro a partidos políticos e sim ao tema liberdade e verdade)
"Liberdade não é ausência de tirania ou opressão. Liberdade não é permissão para fazer tudo o que se quer. A liberdade visa à verdade e se consuma na busca e na vivência humana da verdade…. Levada às últimas consequências, porém, a liberdade pode ser um risco. A liberdade que não obedece à verdade pode nos esmagar.(JPII)"
A impressão que tenho é que a " impunidade" contaminou a essência da liberdade. Ser livre, no contexto atual, é conviver amigavelmente com a impunidade. Nunca seremos livres enquanto a verdade for tratada com mero ponto de vista (relativismo). Ou buscamos a verdade original (DEUS) que nos liberta ou seremos deuses que usamos o argumento do relativismos porque perdemos a capacidade de distinguir entre liberdade e impunidade. A verdade serve a todos a impunidade somente para alguns!

Responder

@assisbarros

30/09/2010 - 00h10

Interessante como são as coisas e os fatos. O Presidente Lula, não fez nenhuma mudança estrutural ou radical e conseguiu dar uma cara nova ao país. Aliás até descaracterizou o velho PT, quando traz para seu lado José Alencar, para ser seu vice.

E não parou por aí. No rumo ao poder, acata os apóios de Antônio Carlos Magalhães, José Sarney e outros nomes que são legitimos representantes dessa elite arrogante, preconceituosa e desprovida de sensibilidade social que por longos anos consegue se manter atrelada ao poder.

Alguns comentarista se mostram perplexos em relação aos acontecimentos de corrupção no decorrer do Governo Lula e até questionam se tudo foi ou não verdade? ou se apenas invenção da mídia comercial comprometida apenas com o lucro e não com a informação?.

Se eles se dispuserem a fazer uma análise aprofundada da estrutura do poder nacional, vai ficar claro que houve muitos dos acontecimento noticiados. Vamos tomar como exemplo um caso. O do Sarney, todos pediram sua cassação e sua renúncia da Presidência do Senado e o que ocorreu? ele permaneceu. E pergunto por que?.

Depois de muito pensar e refletir cheguei ao seguinte entendimento: Sarney, é do PMDB, partido de sustenção do Governo Federal, o Presidente Lula precisa do apóio para conseguir esse mínimo, quase nada dessas elites. Pois o Programa de Distribuição de Renda implantado e tão críticado pelos "bacanas", recebe apenas 0,8% do PIB.

Em todos os Governos passados houve esses acordões, quem não lembra dos anões. Do Senador que acertou cem vezes na loteria, do Severino Cavalcante. A diferença é que antes, era deles pra eles. Aí vem um nordestino, analfabeto, passageiro de pau de arara, ex-morador das favelas de Santos e resolve redestribuir renda para o povo sofrido e abandonado.

Eu sou do povo, sou um pé rapado, mas num dos descuidos dos mandatários, entrei na escola e sai no ensino superior. Fazendo um esforço tremendo. Esse é um momento para que o "andar de baixo", não perca o ritmo e vá cada vez mais ocupando o espaço criado. Obrigatoriamente não precisa ser com Dilma, pode ser também com Marina. O essencial é a sencibilidade social, a vontade e o querer fazer.

Assis Barros.
blog
trocando ideias

Responder

suzana

29/09/2010 - 14h48

Porque tantos brasileiros não podem se ver simplesmente como indivíduos? Nós somos isso: indivíduos cidadãos brasileiros. E com esta consciência devíamos nos empenhar em melhorar este país, começando por melhorar a cada um de nós, individualmente. Esforçando-nos.
O que ganhamos repartindo-nos em facções, em partidos, em classes, em extratos, nesta velha dicotomia que nada tem a ver com a realidade? Olhar para seu semelhante e julgá-lo "pobre ou rico", "classe trabalhadora ou classe dominante", "elite ou povo", é no mínimo emburrecedor!
Alguém levanta a voz para dar uma opinião e… já querem saber se é "pobre ou rico", "elite ou povo" antes de ouvir o que ele tem a dizer. Quanta pobreza nos espíritos daqueles entregues ao ódio da ridícula e antiquada "luta de classes".
Sim, eu sou branca, tenho universidade, minha família tem casa e carro. Aí eu pergunto, qual meu pecado? Não obtive nada disso "explorando" ninguém… nem aceitando esmola-família!

Responder

A Tal Mineira – Blog da Sulamita

28/09/2010 - 13h03

[…] República e Dilma Roussef. Postado, originalmente, no  Vermelho e reproduzido pela Adital , pelo Vi o Mundo e Balaio do Kotcho, dentre outros. Análise serena, mas firme, e muito […]

Responder

JAN PIN

28/09/2010 - 11h54

"Por qué no te callas:"
Tudo o que Leonardo B. escreve é o que ele realmente pensa, vive e deseja. Na Igreja Católica foi "convidado" a manter "silêncio" por causa da "Teologia da Libertação" que prega uma "espécie" de ideologia "doutrinária" no qual a Igreja deve participar de ações políticas sociais. Leonardo Boff está realmente mais alinhado com as ideologias do PT e socialistas.
A Teologia da Libertação foi condenada pelo Vaticano depois da polêmica sobre as obras do agora ex frei Leonardo Boff. Este havia escrito uma série de livros que foram criticados pela Congregação da Doutrina da Fé. Um dos livros que causou maior oposição no Vaticano foi o intitulado "Igreja, Carisma e Poder" (Vozes, Petrópolis, 1981), embora muitos outros livros de Boff tivessem já causado grande escândalo.

Responder

José Carlos

28/09/2010 - 11h41

Parabéns Leonardo Boff. Essa luta não é de hoje. Até a entrada de Lula no poder, eu com meus 48 anos de vida, nunca tive esperança num país tão maltratado, derrotado, explorado, sucateado como o Brasil. Quantas vezes tive vontade de ir embora do Brasil e nunca mais voltar. Achava que aqui não valeria a pena viver, principalmente sem dignidade.
Porém, hoje é diferente, sinto orgulho de ser brasileiro, de ver meu país ser respeitado fora, vê-lo crescendo e se desenvolvendo, formando os Bric, o G-20, líder da América Latina, com emprego e renda, com inclusão social, com a Petrobrás se tornando a quarta maior empresa do mundo.
Não é para se orgulhar??? e quem conseguiu isso?? foi a elite brasileira?? foi FHC ?? foi o PSDB ??
Não meus conterrâneos, foi aquele que saiu do povo, eleito pelo povo. Queiram ou não, foi ele que em todo esse tempo de Républica mudou o Brasil e isso é só o começo se o povo souber colocar homens patriotas no governo.

José Carlos.

Responder

    Renato

    28/09/2010 - 14h51

    Eu sugiro viver em Cuba, se ainda você encontrar emprego, ou na China onde praticam o capitalismo selvagem.

QUIMTONE

27/09/2010 - 22h21

MUITO BOM..
EU PREFIRO UMA DILMA VOANDO COM A NAÇÃO PARA O PRIMEIRO MUNDO DO QUE EU E O POVO NA MÃO DOS TUCANOS E SIMPATIZANTES.
BUENAS.

Responder

Claudio

27/09/2010 - 21h33

Curioso… será mesmo Boff que assina este artigo, afirmando ser a candidatura Dilma & Lula a melhor solução para o Brasil? O mesmo Boff que assume publicamente que alinha-se ao movimento pela eleição de Marina Silva, cuja reputação e caráter considera inquestionavelmente a melhor alternativa para o país? (veja http://www.youtube.com/watch?v=VA6bJDzmr_A)

Mistério…

Responder

    Gabriel

    29/09/2010 - 11h22

    Vou votar em Plínio ou Marina provavelmente (ainda não decidido), nem por isso deixo da achar que há uma falta de seriedade por parte da maior parte da mídia em relação às eleições.

eduarda

26/09/2010 - 21h51

Desculpem…..desculpem….mas não posso crer que vcs. acreditem que Lula seja esta maravilha. Dilma então…… Boff….faz questão de manter uma posição e não quer ver os fatos tão claros…..Ser pessoa simples não acarreta obrigatoriamente ser uma pessoa correta . Que bom seria.

Responder

Paulo Limas

26/09/2010 - 20h34

Parabens precisamos de alguem que de uma visao melhor do que esta acontecendo nestas eleiçoes .

Responder

José Moreira

26/09/2010 - 20h06

A questão é ser um líder… A outra é fazer uso dessa liderança para blindar alguém, as impunidades advindas dessa liderança é o ridículo, só um interessado ou em despreparado não consegue enxergar os desmandos de um governo mesquinhamente acobertador de oportunistas do poder, me admira muito uma pessoa preparada como vc fazer essa comparação….

Responder

Marcelo de Matos

26/09/2010 - 19h38

O Estadão achou que era chegada a hora de “explicitar” seu apoio a Serra. Em editorial, o jornalão deixa claro: Por que Serra? E esclarece: “Não apenas pelos méritos do candidato, por seu currículo exemplar de homem público e pelo que ele pode representar para a recondução do país ao desenvolvimento econômico e social pautado por valores éticos.” Alguém tinha dúvidas de que o Estadão apoiava Serra?

Responder

Alberto

26/09/2010 - 19h22

Belo texto! Lamento apenas que ele vote em Marina.

Responder

Gerson Carneiro

26/09/2010 - 19h18

Enquanto o Governo Federal olha com olhos clínicos a questão da liberdade de imprensa, o setor da imprensa que esbraveja olha com olhos cínicos, julgando inquestionável o atual modelo imposto e utilizado por este setor que privatiza o direito à critica e censura a divulgação democrática da informação, impondo o pensamento único. A privatização do pensamento.

Responder

frederico

26/09/2010 - 19h09

Parabéns sr Boff,

Gostei de sua análise

Dilma 2010

Responder

Gina Lund

26/09/2010 - 18h08

Para Otílio:

Você devia se envergonhar do que diz, cabecinha de borboleta.

Responder

    Wilson R.

    26/09/2010 - 18h44

    .

    Bom saber que este governo é livre de corrupção, que todos os envolvidos em escândalos foram devidamente punidos. Que bom que tudo está tão bem!
    Na verdade, meus bravos, no quesito honestidade, o governo não muda há décadas.
    Somando os governos de FHC e Lula, temos mais de duzentos casos escancarados de corrupção, a esmagadora maioria terminada em pizzas e mais pizzas. Antes, havia menos, porém, era bem mais fácil ocultar as coisas. Nada muda faz muito tempo. Mas, afinal, honestidade pra quê, não é? Acostumamos, mesmo…

    Os olhos de todos ficam mirando Dilma, Serra e os dois bois sonsos… quando o problema é a súcia que vai assumir senado e câmara.

    Enfim… que vá.

    Abraços.

    .

Daiane

26/09/2010 - 16h28

Parabéns ao Leonardo Boff, sempre o admirei.
Estava lembrando esta semana, que durante as 2 campanhas vitoriosas do Presidente Lula esta mídia e os demotucanos pregavam a inexperiencia administrativa do Lula, como fato prepondereante para o fracasso do Brasil, o que não chegou a ocorreu, como a Mirian (ops! eles) pregavam. E agora estão fazendo o mesmo com a Dilma.
2010 será marcado como o fim de uma era na política brasileira. O fim dos coronéis. Bahia, Pernambuco, Amazonas, Piauí, e alguns outros Estados já vivem uma nova era. Ceará, São Paulo e Rio de Janeiro serão os próximos. Uma nova fase vai começar. Quem quiser viver na política terá que inovar, terá que superar o Lula, o metalúrgico, pobre, analfabeto, nordestino.

Os demotucanos terão que contratar um bom ortopedista, porque a dor de cotovelo será grande!!!

Bye, bye demos e tucanos….

Responder

Mario

26/09/2010 - 16h04

Admiro a inteligência de Leonardo Boff. Li seus livros, mas francamente… Quero entender apenas, como se transforma as mais sérias denúncias de corrupção, lobby, personalidades envolvidas em escândalos clamorosos, em mentiras e mal-entendidos. A imprensa oposicionista, chamada de mentirosa, e toda a sua equipe de jornalistas e editorialistas, são simplesmente apodados de mentirosos; não houve mensalão, não existe nenhuma Erenice e toda a sua família regiamente empregada em Estatais e Ministérios; não houve um Dirceu et caterva… Tudo mentira! O Ilustre Presidente da República, ignora todas as bandalheiras ocorridas. Nada sabe a respeito de nada! Por que se repete sempre o velho refrão, quando se trata de denunciar a corrupção? Quero apenas entender…

Responder

Marcelo de Matos

26/09/2010 - 15h55

Certos intelectuais gozam de ampla liberdade de expressão. É o caso de Frei Leonardo, de Luis Fernando Veríssimo e, até certo ponto, de José Dirceu. Frequentam, assiduamente, o blog do Noblat, como pipocam, ou podem pipocar, em qualquer outro blog. Em geral, são bem aceitos onde quer que se apresentem. Frei Leonardo e Veríssimo são os mais festejados. Dirceu fica mais restrito ao seu próprio blog e ao do Noblat. Muito combatido pela mídia, estaria sendo evitado pela blogosfera? Será que publicar um artigo do Dirceu queima o filme do blog?

Responder

Luci

26/09/2010 - 13h10

Parabéns,pela coragem,pela sabedoria! Esse texto,como uma carta profética,nos ilumina e dá discernimento,para escolher o candidato que vai governar ,pensando nos desprotegidos.Bastante oportuno e esclarecedor,próprio de um cristão.Grata pela palavra de VIDA !

Responder

Pedro

25/09/2010 - 21h19

Até o capitalismo dessa mídia é subdesenvolvido e colonial. Até no que se refere ao capitalismo, Lula contraria essa turma, na qual se incluem também os empressários, pois para eles basta essa exporação subdesenvolvida e colonial dos trabalhadores. Acostumaram-se ao papel de gendarme. Por isso reagem ao brilhantismo de Lula, com inveja e tremenda dor de corno. Só se prepararam para o papel de coadjuvantes. Eles têm tamanho medo da verdade que pouco se importam de serem chamados de mentirosos.

Responder

    Renato

    28/09/2010 - 14h52

    Daí eu demito todo os companheiros que trabalham na minha indústria, fecho a industria e vou investir no mercado financeiro.

Maria das Graças

25/09/2010 - 11h31

È simplesmente reconfortante ler Leonardo e confirmar mais uma vez que a lucidez e a honestidade intelectual continuam a permiar sua trajetória de luta.Bravo!!!!

Responder

    Lourival Rezende

    26/09/2010 - 10h15

    Leonardo Boff é, realmente, um iluminado. Reli seu artigo sobre a "Carta da Terra", que me ajuda a manter a esperança e a dignidade. Salve a mãe terra!

Paulo C Teixeira

25/09/2010 - 00h14

Reparem que o Boff está usando camisa vermelha, e não verde, hehehehehhh…

Responder

Horacio

24/09/2010 - 23h29

Pelo comentário do senhor Otílio (postado acima), talvez ele não tenha entendido a mensagem contida no texto do senhor Leonardo Boff.

Responder

    Otilio

    25/09/2010 - 14h46

    Caro Horácio, penso que eu entendi o comentário do Leonardo Boff. O que fiz foram alguns questionamentos que estou esperando respostas. Não se pode criticar a parcialidade sendo parcial. O que eu esperava de uma posição lúcida e imparcial seria apontar as inconsistências de ambos os lados, não apenas para ficar bonito na foto, mas de uma maneira objetiva dizer que existe uma guerra suja de informações de ambos os lados. Se a imprensa publicar uma inverdade que se aponte. Se o governo praticar uma maracutaia que se seja denunciado. É apenas isso meu caro.

Eduardo Bessa

24/09/2010 - 19h23

Resumo muito bom do contexto atual. A História se incumbirá de ratificar.

Responder

Adriano Américo

24/09/2010 - 18h48

Para o rapaz que comentou um pouco abaixo chamado Otílio a campanha presidencial começou há dez dias. Onde você estava até agora, meu caro?

Responder

    Otilio

    25/09/2010 - 14h13

    Caro Adriano, estou no Brasil e tenho acompanhado a canpanha eleitoral de uma maneira crítica, não embarco em questões passionais, tratando a eleição como se fosse um Fla x Flu, visto que não sou onisciente, por isso procuro buscar indícios, evidências para formar minha consciência crítica. As questões que eu levantei no meu comentário continuam sem respostas. Você poderia respondê-las objetivamente?

Luiz Carlos

24/09/2010 - 17h52

Fico impressionado com a clareza de pensamento de Leonardo Boff.
Traduz tudo que penso, sinto e vejo (sem trocadilhos).
Seu texto me faz vibrar, emocionar e acreditar.

Responder

    joao carlos

    25/09/2010 - 05h15

    é precisa acreditar com muita fé pois a maquina ta ai criando ministerios e direitos e quem paga adivinha só

Maria Amélia (Bsb)

24/09/2010 - 17h33

Sou sua fã e leitora, excelente texto.__Azenha conta pra gente sobre o ato ontem em São Paulo contra o PIG. Não vi nada relacionado sobre o assunto.

Responder

Maria Amélia (Bsb)

24/09/2010 - 16h31

Sou sua fã e leitora, excelente texto.__Azenha conta pra gente sobre o ato ontem em São Paulo contra o PIG. Não vi nada relacionado sobre o assunto.
ET. O Ficha Suja Roriz aliado do Serrote desiste da candidatura e apresenta sua mulher em seu lugar.

Responder

Otilio

24/09/2010 - 16h28

Então, eu pergunto: que guerra? Que factóide? Que fatos foram distorcidos? Quais foram as mentiras? Gostaria que o Boff tivesse sido mais explícito e indicado quais foram as mentiras veiculadas pela Veja e pela Folha SP. Então, não foi verdade que o filho da Erenice fez um balcão de negócios na Casa Civil? O próprio Lula afirmou ontem que a Erenice perdeu uma grande oportunidade de ser uma grande servidora pública. Espera aí, então foi tudo mentira e invenção da revista Veja? Então, explica pra mim, não houve quebra do sigilo fiscal da filha do José Serra? Isso não é crime? Então, servidores da Receita podem bisbilhotar o sigilo fiscal dos contribuintes? Isto foi invenção da Folha? Não houve montagem de dossiê no comitê do PT contra o Eduardo Jorge? Isto é uma invenção da imprensa?

Responder

    Rob

    24/09/2010 - 17h11

    Otilia,
    Onde estão as provas?
    ou provas para vc se resume apenas em ilações?

    carlos lisboa

    24/09/2010 - 17h40

    Prezado Otilio,
    A servidora do Serpro cedida à Receita já confessou que faz isso há muito tempo e não só ela, mas outros funcionários da Receita. Fazem isso para engordar seus salários. Vendem aleatoriamente dados e quaisquer pessoas para quaisquer pessoas. Curioso que estes sacessos aos dados de alguns cidadãos se deram em agosto de 2009 e só agora a revista divulga com um estardalhaço doido. O prejuizo à candidata Dilma já foi produzido. Nenhum canal de TV disse nestes últimos dias que os funcionários da Receita faziam isto e fazem com o único intuito de vender e ganhar dinheiro. Não foi com a intenção de produzir dossiê contra ninguém. É bom que a policia federal coloque alguns da Receita na cadeia para que isso não mais aconteça. Quanto ao caso dos chegados de Erenice, vejo uma grande armação feita pelos próprios tucanos no sentido de montar um fictício financiamento do BNDES para a empresa de energia solar, de alguns bilhões de reais. Acontece que um dos representantes interessados nesta grana, responde a alguns processos como: receptação de contrabando, posse de dinheiro falso e outros delitos mais. Tanto é que permaneceu preso em presídio por algum tempo. Eles montaram uma arapuca e uns tontos e famintos do DF cairam de quatro na arapuca. Atrás de comissões para a liberação do suposto empréstimo. Estava muito claro que uma firmazinha de fundo de quintal representada por um ex-presidiário não teria condições de tomar alguns bilhões. Prova é que o BNDES não emprestou o dinheiro. Mas a grande imprensa não noticia estes detalhes. Se noticiarem , o povo vai perceber quão malandros são os tucanos. sds carlos lisboa

    Otilio

    25/09/2010 - 14h38

    Meu Caro Carlos, confesso a minha ignorãncia, não sabia que este balcão de comércio de sigilos existia na Receita. Se isto que você diz sobre a armação dos chegados a Erenice é verdade, realmente os tucanos são uns grandes mafiosos. Mas, aí eu te pergunto: então estamos assistindo a um jogo entre bandidos e mocinhos? Os tucanos são bandidos e a turma do PT são os mocinhos? Olha, pelas evidências que venho juntando tem bandidos dos dois lados, meu amigo. Discordo de você sobre a afirmação de que "se a grande imprensa publicar estes detalhes, o povo vai perceber qu'ao malandro são os tucanos". Meu caro, o povão não acompanha a grande imprensa.

    leonel

    24/09/2010 - 18h41

    no SBT Brasil o excelente reporter Sérgio Utsch, fingiu ter desligado a camera e o suposto empresario envolvido no "escandalo da receita" , respondeu que havia falado com partidarios do PSDB a 1 ou 2 dias antes da entrevista, e que havia estado em brasilia um dia antes, seguindo sua linha de raciocinio, voce entao acredita que o empresario supostamente beneficiado pelo esquema foi um empresario ficticio criado pelo ZE SERRA?

    valder

    25/09/2010 - 03h07

    Otílio: o que o Boff quer dizer é que há uma parcialidade proposital dessa imprensa que ele citou. As denúncias quando bem fundamentadas devem sim, serem divulgadas mas todas e de todos os lados. É claro que quebrar sigilo é grave mas "e os 60 milhões que foram quebrados pela empresa das 2 Verônicas: a do Serra e a do Dantas? Vão para debaixo do tapete? E a recente notícia gravada das propinas negociadas entre o Governador do Mato Grosso do Sul e os Deputados coligados ao PSDB? E os mensalões do PSDB de Minas (onde foi gerado) e o de Brasília cujo Governador seria o escolhido pelo candidato Serra para ser seu Vice. Ora! E os contratos exclusivos que o governo serra celebrou com a imprensa escrita: Veja, Isto é, Estadão, Folha de São Paulo… deixando propositadamente de fora a Carta Capital. Será que foi esquecimento? Convenhamos. Todos escolhemos um lado, não sejamos hipócritas. Mas somos seres racionais e inteligentes para poder distinguir o que é verdade e o que é jogo político. Cegueira, não!

    Otilio

    25/09/2010 - 14h26

    É isto que eu procuro fazer meu caro Valder. Procuro utilizar o raciocínio crítico. Os questionamentos que eu fiz não foram respondidos objetivamente ainda por ninguém. Não sou partidário, quero lhe informar que não escolhi ainda o meu lado, tenho evidências para admitir que estou assistindo a uma guerra suja de informações. É cada lado querendo enlamear o outro, ninguém responde concretamente a nada, cada um busca desqualificar o adversário e esconder a sujeira debaixo do tapete. Eu, pesoalmente, não participo deste jogo sujo. Pelo que estou vendo isto não é um debate sério, democrático, onde as pessoas estão buscando a verdade. Não gosto destes raciocínios genéricos de condenar tudo sem apresentar evidências.

    evaristo

    25/09/2010 - 03h30

    Otílio, não se faça de ingênuo. Você sabe muito bem que o texto do Frei Boff retrata a pura realidade, a não ser que voce não leia jornal e não assista televisão. Neste caso, seria exigir muito de um alienado.

    Otilio

    25/09/2010 - 14h18

    Evaristo, não sou dono da verdade, mas também sei que não ingênuo. Procuro buscar um equilíbrio não me deixando levar por questões passionais. Será que isso é possível? Então, tudo é uma questão de tomar um partido? Se assim for meu caro, então, todo o processo dialético de busca da verdade através das evidências é uma mera quimera. Tenho sim buscado me manter informado do que acontece em meu país através dos diversos meios de comunicação. Leio jornais mais e vejo menos televisão, sei o que está acontecendo.

    Frugalista

    26/09/2010 - 17h09

    Otilio, meu caro, a imprensa no Brasil nao segue as tecnicas jornalistica de busca de evidencias, como acontece em outros paises, como os Estados Unidos, por exemplo. Esse e defeitos da imprensa brasileira. Outro defeito da imprensa nacional e o jornalista agir como um ator politico. Isso vem de longe no Brasil. Basta estudar um pouco da historia da imprensa brasileira pra se chegar a essa conclusao. E a imprensa no Brasil e, sim, assustadoramente antinacional. Faco pos-graduacao na area no exterior. Pode-se reclamar de tudo na imprensa americana, menos de que e uma imprensa anti-nacional. Pelo contrario, a imprensa norte-americana difunde ardorosamente uma ideologia nacional (norte-americana). Respeitam o presidente, a autoridade maior do pais, mesmo quando ele nao e apreciado pela populacao, como no caso de Bush. Agora, qual e razao dessa campanha cheia de odio que a imprensa brasileira faz contra o Lula, um presidente que se sustenta pela sua competencia? Uma imprensa tao anti-nacional merece o respeito da populacao, quando esta imprensa e formada por uma elite que despreza o povo brasileiro?

André C Neto

24/09/2010 - 16h06

Simplesmente MAGNIFICO!!! Divulguem essa análise profunda do momento brasileiro. Com certeza presenciaremos no dia 03 de outubro a afirmação desse processo de avanço social e independência geral do País.

Responder

rubem almeida

24/09/2010 - 15h47

Boicotar o filme de Jabour , não ée sacrificio, renuncia, pois o "truao" da corte " o macaco das elites conservadores" é um pseudo diretor, sem nenhum talento, é tambemum pseudo comentarista sem nenhuam ética e isenção no que fala. enfim ,gostaria de sugerir que todos divulguem " Carta aberta a Jabour" de Mauro Carrara, neste texto fenomenal, Carrara desnuda e expoe o que verdadeiramente jabour sifgnifica para elite um verdadeiro "bobo da corte" que é pago para divertir a elite brasileira mais conservadora e raivosa.

Responder

    Jorge Filó

    24/09/2010 - 17h04

    Um presente pra você.
    Já tem uns anos que fiz.

    O dia em que Arnaldo Jabor se olhou no espelho… e se viu.

    Este cordel que apresento
    Sem nenhuma pretensão
    E mesmo que lhe pareça
    Ser verdadeira a versão
    Ainda que eu não garanta
    É uma mera ficção.

    Assim começa o cordel
    Justo na reflexão
    Tô falando do espelho
    Da nossa imaginação
    Que as vezes num belo dia
    Prega em nós grande lição.

    Como se Arnaldo Jabor
    Num exame de consciência
    Um belo dia acordasse
    Com toda sua eloqüência
    E em conversa mostrasse
    Sua verdadeira essência.

    “Caros amigos leitores
    Eu sou Arnaldo Jabor
    Cineasta e jornalista
    Direitista e traidor
    Também sou um caga-pau
    Xeleleu e delator.

    Do clã Roberto Marinho
    Sou baba-ovo da hora
    Digo só o que eles querem
    Creio e nego, sem demora
    Sou um neo-liberalista
    Por enquanto, ate agora..

    Um dia já fui esquerda
    Era na luta engajado
    No cinema brasileiro
    Contestei fui contestado
    Hoje meu cinema é outro
    Pelo poder fui comprado.

    Hoje voto na direita
    No maior descaramento
    Nego tudo que outrora
    Mostrava em meu pensamento
    Glauber Rocha tando vivo
    Seria o meu tormento.

    Mudei de convicções
    As antigas companhias
    Agora sou um amigo
    Das grandes oligarquias
    Digo tudo qu`eles mandam
    Mentiras, patifarias.

    É assim que a coisa anda
    É assim que o mundo gira
    Sou um lobo carniceiro
    A serviço da mentira
    Se eu não tirar o meu
    Chega outro vem e tira.

    Faço uso da palavra
    Pra defender meu quinhão
    Quero mais é que se fôda
    Quem defende esta nação
    Meu caviá garantido
    Para quê preocupação.

    Sou perverso no que digo
    E ainda sou respeitado
    Pois a mentira é quem dita
    Dita por quem ta do lado
    Dos grandes exploradores
    Do poder televisado.

    Faço do verbo navalha
    Quero mais é ta por cima
    Vai viver sempre enganado
    Aquele que subestima
    A minha capacidade
    De cagar uma obra-prima.

    Agora devo ir embora
    Meu trabalho me espera
    Vou inventar outra estória
    Para parecer de Vera
    E quem ler sempre acredita
    Na minha nova quimera.”

    Este cordel esquisito
    Que acabamos de ler
    É fruto do pensamento
    Que acabo de escrever
    Me chamo Jorge Filó
    Em mim você pode crer.

    Poeta Jorge Filó.
    Recife – Pernambuco – Brasil

    Fabiane

    25/09/2010 - 10h48

    GENIAL Jorge! Adorei!

    vera oliveira

    25/09/2010 - 14h37

    adorei também,vou postar no meu blog ,
    anja.ou.demonia.blogspot

@REDALLELASTE

24/09/2010 - 15h27

Leonardo Boff .
Uma análise dessas só poderia sair de uma pessoa competente como você.
Serenidade, sabedoria e coragem, sempre foi sua marca.
Sou seu leitor e fã.

Responder

regina gonçalves

24/09/2010 - 15h17

Excelente texto. Claro e direto. Disse tudo o que penso, acho e gostaria de dizer em alto e bom som para toda a população brasileira;

Responder

Geysa Guimarães

24/09/2010 - 13h54

Bendito seja Leonardo Boff!
Lembro-me bem da mordaça que o Vaticano lhe colocou, o que lhe confere autoridade para
detectar onde "mora" a censura.

Responder

Valdir

24/09/2010 - 13h45

"O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo". Votou em Lula e agora votará em Dilma.
Leonardo Boff é um grande escritor e intelectual. Talento, lucidez e serenidade nunca faltaram a esse incansável lutador das causas sociais. Jamais deixaria seu companheiro Lula e a Dilma sem redigir um texto apologético. Durante décadas o Tribunal da Inquisição do Vaticano e do Cardeal Ratzinger (papa Bento XVI) tentaram calar a voz desse implacável defensor dos injustiçados.
E não será desta vez que PIG acenderá a fogueira ardente para queimar o maior presidente brasileiro da sua história e reduzir a candidata Dilma como se fosse uma bruxa indefensável.

Responder

robledo duarte

24/09/2010 - 12h46

Acho que não precisamos mais de outra pessoa para falar sobre o que está acontecendo no Brasil pré eleitoral. Frei Boff foi bem na jugular. Por trás de toda esta imprensa suja e golpista estão as elites mais retrógadas, cruéis e incultas do mundo inteiro. Elas não mudam desdeo século 18,e acham que ainda trabalhador é escravo e coisas do gênero. E nada melhor do que para exemplificar esta malta do que a burguesia paulista, inculta, aculturada e fútil, tipo ir a Nova Iorque e assistir um show da Ivete Sangalo,por exemplo…..

Responder

Helena Mansano

24/09/2010 - 12h43

Simplesmente incrivel!! Inteligente e lucido como sempre!!!
Temos que divulgar esse texto para todos.
Wunderbar!!!

Responder

Vera Silva

24/09/2010 - 12h16

Do texto destaco: "Uma vez no Governo, operou uma revolução conceptual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros. De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa de fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, em fim, a melhorar de vida. …………………………………………………………………… Outro conceito inovador foi o desenvolvimento com inclusão soicial e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome. Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas, importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados."
O texto contém uma síntese clara do que foi feito no governo Lula, uma crítica do que falta fazer, um reconhecimento de que o governo Lula cumpriu sua promessa de campanha e uma análise perfeita do porque Dilma está à frente da votação. Mais não se poderia pedir dele. Assim como o PSOL do RS, este verde reconhece quem tem alimentado o jardim.
Precisamos aprender a separar o joio do trigo. Se não o fizermos sempre a direita vencerá. Esta para mim é uma qualidade do Lula e vejo que também do Leonardo Boff.

Responder

A.PIMENTA

24/09/2010 - 12h06

Copiei este comentário e por concordar, posto aqui
Em razão da crescente onda de perda da unidade familiar, da crença nas virtudes divinas e nos valores cívicos e da Pátria, ouso comentar a brilhante matéria, pois o obscurantismo populista, decorrente de dogma de um Presidente que se acha formador da opinião pública em decorrência de sua popularidade, põe em risco a própria noção de Democracia e Soberania Popular. A unanimidade, muitas vezes, é cega, cabendo àqueles que possuem a Luz disseminar a Verdade, decorrente da profundidade de conceitos, da exaustiva investigação e coerência das idéias, a fim de combater a ignorância, a corrupção, os vícios e preconceitos. A ignorância fatalmente conduzirá as pessoas, em decorrência de sucessiva e gradual supressão da LIBERDADE (educação, imprensa, comunicação estatal) e da fragilização da Justiça Distributiva (valorização pelo mérito), a se tornarem DEPENDENTE e SERVIENTE, criando uma massa CRENTE nos novos ideais (cegueira absoluta, PERDA DA RAZÃO). Se falhar a Justiça Distributiva, veremos a natural substituição do JUSTO pelo AUTORITARISMO, que fará das indicações seu "jogo de influências e interesse", gerando bajulações e especulações de toda ordem, corrompendo as Instituições Democráticas de Direito, as organizações privadas e os homens comuns, levando as pessoas a miséria moral (as vezes até material), intensificação dos conflitos, e, principalmente, a perda de sua própria dignidade (honra, família, lar, propriedade). O fruto deste ambiente Injusto, cuja IGUALDADE de oportunidades será suprimida (Justiça Comutativa), será o estabelecimento de uma nova Ordem, mantida pela opressão "manus militares" (fortalecimento da polícia investigativa, mecanismos publicitários das ações "de interesse" – prisões exemplares, elaboração de "dôssie" de adversários políticos), prevalecendo o dogmatismo estatal, a ARROGÂNCIA das autoridades (prepotência diante dos jornalistas e intelectuais) e IGNORÂNCIA popular (mantidos pela subsistência estatal). A deturpação da Verdade, será intensificado pela exploração da Justiça Social, pela prática reiterada e de intensas propagandas, levando a população a deturparem sua visão ética de solidariedade, de caridade cristã, levando-os, pouco a pouco, a corromperem suas almas, em troca do materialismo sedutor das vantagens individuais (bolsa família, por exemplo), desvalorizando a virtude do Trabalho, da Vida (aceitação do aborto, como manifestação libertatória da mulher, prevalecendo o prazer em relação à responsabiliade – maturidade) e das conquistas individuais, pelo conforto e segurança provida por um "Estado Protetor dos Oprimidos (Operários, Camponeses)", ou seja, a FRATERNIDADE será substituída pela CORRUPÇÃO, EGOÍSMO, PREGUIÇA e outros VÍCIOS. Opomos, portanto a qualquer forma de construção do Poder decorrente da manipulação da Verdade e destruição de seus opositores, sem considerar a Ética como o limite de suas ações, pois entendemos que sem essa fronteira deontológica os detentores do poder levarão, fatalmente, a criação de um Estado mostruoso de intolerância, preconceitos e perseguições (vide o nazismo e comunismo), cuja história está farta em evidenciar as barbáries e atrocidades, que ultrajaram a própria consciência humana e cristã. Rogo a Deus, para que os verdadeiros patriotas, guerreiros incansáveis e anônimos, cujo suor, honra e lagrima, construtores do progresso de uma Humanidade mais justa, solidária e perfeita não sejam apontados como responsáveis pelas misérias alheias pela manipulação da Verdade e subtraídos, solapados, vilipendiados em sua honra moral e patrimonial. Portanto, como patriota, democrata convicto, hei de juntar-me àqueles que honrarão o compromisso em defender seu Deus, sua Terra e sua Honra, com o sacrifício e compromisso de Sangue, pois os filhos das ARCADAS DO LARGO SÃO FRANCISCO e das COLUNAS DO BARRO BRANCO (Influência Iluminista Francesa) sabem, em regra, honrar os memoráveis Heróis de 32, inspirados na LUZ e nos valores da DEMOCRACIA.ANTONIO DE QUEIROZ
22/9/2010 12:14:12

Responder

    augusto

    24/09/2010 - 12h35

    Eu por ex. creio na undiade familiar, nas virtudes divinas e nos valores civicos.
    Pena que os valores dos Civita sao entendidos de outra forma: ete ano por ex. mandei pra ele uma boa grana do meu bolso em forma de assinaturas compulsorias de revistas do proprio e dos acionistas,.
    Os manifesto aí ficava bem em 1/4/1964.
    Se vossencia assina emb aixo desse texto todo, lamento: o mundo gira e cada homem vale UM VOTO desde Jefferson, madison e cia.

Dinha

24/09/2010 - 11h32

Excelente texto do Boff. Isso prova que mesmo apoiando outro candidato, que não está sendo esmagado por essa mídia, teve a sensibilidade de perceber o que estão fazendo.

Responder

José Almi

24/09/2010 - 11h22

Perfeito. Leonardo Boff escreveu tudo aquilo que nós queríamos dizer e não conseguíamos. Uma lucidez que apenas ele tem.

Parabens

Responder

Domngos

24/09/2010 - 11h08

Sempre gostei das ideias de Leonardo Boff, agora ainda mais. Posso ficar tranquilo o Brasil possui pessoas que pensam com a cabeça e não com o bolso.

Responder

Marcos

24/09/2010 - 11h01

Se a imprensa cumprisse seu papel, este artigo seria publicado imediatamente em todos os jornais.

Responder

Flavio Valente

24/09/2010 - 11h00

Aposto que esse não irá sair no Noblat.

Responder

sergio

24/09/2010 - 10h51

Bela análise, digna de um homem com a trajetória de Leonardo Boff.

Responder

Roberto

24/09/2010 - 10h47

Interessante todos os comentários. Podemos ver bem a qualidade de todos.
Resumindo: Se Leonardo Boff é a favor de Marina, é um lixo; mas se é a favor de Dilma, é um gênio.
Parabéns por provarem a inteligência geral.

Responder

    augusto

    24/09/2010 - 14h14

    onde voce estudou lógica elementar, roberto?

    evaristo

    25/09/2010 - 02h49

    Roberto, votar em Serra (com todos os seus defeitos, principalmente, ser mentiroso) é um direito seu, porém, nenhum comentário foi postado no sentido por você interpretado. Frei Boff também tem direito de votar em Marina, contudo o pensamento expresso em seu texto ninguém poderá contestar, pois é a verdade dos fatos.

deborah d. lopes

24/09/2010 - 10h47

Simplesmente maravilhoso e sensível, assim como o Boff

Responder

Coutinho

24/09/2010 - 10h38

Leonardo Boff é uma das mais respeitadas pessoas do país. Grande filósofo, seu pensamento se iguala ao de Dom Helder Câmara, Dom Paulo Evaristo Arns etc. Estou muito feliz (até orgulhoso) porque ele disse exatamente o que penso e costumo dizer às pessoas.
Esse depoimento é mais um grande serviço que Leonardo Boff, com a sua autoridade insofismável, presta ao país. Vou copíar e distribuir

Responder

rubem almeida

24/09/2010 - 10h26

Valeu Leonardo sempre lúcido,
Agora nesta reta final da campanha a militância de esquerda tem que partir pra Luta, vamos enfrentar a grande mídia, com a mídia progressista dos BLOG`s independente, vamos divulgar, estas mensagens esclarecedoras a amigos, familiares, colegas de trabalho, vamos divulgar tambem, os BLOG `s : Conversa afiada, tijolaço,Escrivinhador, Viomundo, Nassif on line, Eduardo guimaraes, Maria flor etc.

Responder

Ivan Moraes

24/09/2010 - 10h11

Abaixo o Golpismo Midiático!
Viva os blogueiros progressistas!
http://migre.me/1ofDc

.

Responder

Ricardo

24/09/2010 - 10h11

Quanta lucidez!

Já estava na hora de alguém falar abertamente a verdade sobre nossos " formadores de opinião". É preciso que o povo tome ciência do preconceito e da intolerância dessa mídia comercial.

Responder

maria paula

24/09/2010 - 09h52

Obrigada por texto. Lava a alma.

Responder

ruypenalva

24/09/2010 - 09h39

Esse é o único Boff que eu aceito.

Responder

ValmontRS

24/09/2010 - 09h38

Leonardo Boff tem se manifestado francamente em favor da candidatura Dilma Roussef e merece aplausos.
Quem somos nós para condená-lo por eventuais enganos em relação a Marina e seu partido verdoso?
Ele tem muito crédito e merece toda a nossa admiração, especialmente depois desse corajoso artigo contra as "famiglias" da máfia midiática. É, pois, um aliado de grande valor na luta pela democracia e merece o máximo respeito pela sua história de militância social e política. Ademais, Boff tem-se destacado muito mais pela sua atuação como pensador e ativista social do que meramente por sua inspiração religiosa. Justiça seja feita.

Responder

    valdeci vicente

    24/09/2010 - 11h07

    Boff esta com toda ranzao , ele sabe bem mas que tantas pensao ,nos sabemos bem a sua tragetoria ,detro e fora da igreja , suas opinioes fasem com que nus elertamos ,para o risco que corremos com esta impreça , como A GLOBO,FOLHA,VEJA,e tem agora DATA folha querendo a qualquer custo mundar o voto do povo brasileiro . Os mais pobres,jovens,nordestino como eu sei bem o que E isso ; onde essa garotada resebem o direito aus conhecimentos as informaçoes, estuda,com financiamento do PROUNI,bouças; familia,escola,projovem com ajuda de custo ECT: O medo que nos temos de voutar ao atraso EEEEEE de mais . DILMA sim PARA o brasil seguir MUDANDO.

Jair de Souza

24/09/2010 - 09h34

Repito como comentário geral o que havia postado como resposta a outros. Chega de intolerância com Leonardo Boff. É para que fiquemos felizes ao constatar que ele está retificando a posição equivocada que tinha adotado em apoio a Marina Silva. Será que alguém que leu este texto não notou que ele está defendendo veementemente o voto em Dilma? Será que devemos então forçá-lo a voltar à posição anterior, dizer-lhe: já que estava apoiando Marina no começo, fique com ela até o fim? Parece que algumas pessoas estão empenhadas em conquistar adversários e não aliados. Para mim (e deveria ser para todo mundo interessado na vitória do povo) a felicidade é imensa ao saber que um grande humanista como Leonardo Boff reconhece seu erro e se realinha junto com o povo humilde para derrotar a máfia midiática e o capitalismo neoliberal que ela incorpora e defende.

Responder

Dejair Brasil

24/09/2010 - 09h17

Parabéns pelo texto. Se o frei Boff declarou voto em Marina, no inicio da campanha, ele está perdoado pelo excelente texto. Amém!

Responder

    valdeci vicente

    24/09/2010 - 11h28

    Descupem ,mas se o BOFF declarou o voto na MARINA estou convencido de que agora ele mudou,ou sera que LEONARDO BOFF pretende passa por tudo que ja passou.

Maria

24/09/2010 - 09h08

É muito bom ler Leonardo Boff, sempre. Na reta final em que os ânimos estão exaltados, a mídia desesperada colocando mais lenha na fogueira. O texto nos renova a confiança num Brasil melhor. Meu voto é da Dilma mas o que espero dos outros é o respeito pela minha escolha, assim como procuro respeitar a escolha de quem quer que seja. A campanha está sendo suja, não há a menor dúvida. Mas democracia não significa pensamento único como a grande imprensa quis disseminar. Manifestamos aqui nossa indignação, nosso apoio ao governo atual e à Dilma, somos contra aqueles quem usam de artifícios para manipular, mas não somos inocentes nem novatos em campanhas eleitorais. Muito Bom. Até o dia 03 de outubro.

Responder

ana

24/09/2010 - 08h47

Eu não quero mais o Brasil pedinte do FMI sendo humilhado.

Responder

ana

24/09/2010 - 08h46

São so golpistas de sempre, que sempre conspiraram contra o Brasil. Getulio Vargas, Juscelino, Jango, Brizola foram vitimas deles. Mas o Brasil – povo brasileiro – foi a maior vitima deles. E hoje o povo sofre as consequencias dos demandos com a miseria, a fome e a violencia.

Responder

lindivaldo

24/09/2010 - 08h28

Excelente artigo! Diz tudo!
Por favor, não deixe a Marina ser usada por essa elite!

Responder

@ubira13

24/09/2010 - 08h23

Li, estarrecido, um comentário, aqui, de que na Bahia (Salvador), pensa-se em dissolução do PT. É sério isso?

Responder

Reinaldo C. Zanardi

24/09/2010 - 08h17

Muito boa a análise. A mídia se comporta mesmo como cão de guarda dos interesses da elite brasileira. Isso é natural, faz parte da ideologia de grupo. O pior é ver pobre, que estuda pelo Prouni, beneficiado pelas Bolsas, reproduzir esse mesmo discurso. Nem vale citar a classe média, a dita formadora de opinião, porque parte dessa já perdeu o senso do ridículo faz tempo.

Responder

eroni spinato

24/09/2010 - 08h14

Gostaria que o Leonardo Boff me explicasse como o Lula iria governar e fazer as modificações sem uma aliança no congresso. Por exemplo se a Marina ganhar com que maioria ela iria governar?… e se o Brasil está no rumo certo, que já foi um MILAGRE do Lula, falar e muito fácil, fazer meu amigo Leonardo é muito dificil.

Responder

    jose marcos

    24/09/2010 - 09h40

    eroni não entendi voce deve ter lido outro texto, não faz nenhum sentido

    evaristo

    25/09/2010 - 03h18

    Frei Leonardo Boff, como cidadão brasileiro tem todo o direito de votar em quem quiser, Optou por Marina como poderia optar por qualquer outro candidato. Contudo, o maravilhoso texto exposto neste espaço desnuda a imprensa tradicional, utilizando-se de sua experiência de vida e da cultura adquirida, mostra a todos nós a transformação dessa mesma imprensa em partido político, atuando, de forma aviltante, contra o PT e sua candidata. Este texto deve ser alastrado pela internete levando ao conhecimento do maior número possível de pessoas. Eroni, Leonardo defendeu a Dilma mais do que o próprio PT.

Roberto

24/09/2010 - 08h12

Texto maravilhoso, Dilma já.

Responder

Cássio

24/09/2010 - 08h05

Muito bom, mas pense antes de votar em Marina.

Responder

Archibaldo S. Braga

24/09/2010 - 08h01

Tenho sempre em mente a grande frase do Kadunk(é assim mesmo que se escreve?) Os grandes são grandes porque voce está de joelhos!!! E o povo está desdobrando os joelhos, Professor! E aos poucos está ficando ereto! E aA. S. Bragas Digite o texto aqui!est

Responder

Aracy_

24/09/2010 - 07h58

Boff resumiu a ópera. A grande mídia comercial brasileira é controlada por tutta buona gente, uma organização de fazer inveja a Al Capone.

Responder

J_Amaro

24/09/2010 - 07h40

Pra pensar: se o PT fosse favorável à invasão da Palestina, os ribeirinhos do Tietê não seriam correligionários do Serra.

Responder

    ValmontRS

    24/09/2010 - 09h59

    Ribeirinhos do Tietê?!!!…
    Ah, tá! Agora o alienígena aqui entendeu de onde vem a expressão "jornalismo de esgoto". A redação da Folha é "ribeirinha"! (ou seria "esgotinha"?) :]]]]]

    J_Amaro

    24/09/2010 - 11h50

    A folha é limeirinha (Rua Barão de Limeira) Mas são todos detritos do mesmo esgoto. Um abraço a vc e aos demais familiares. A Dilma é porreta como todas as nossas lindas mulheres.

    J_Amaro

    24/09/2010 - 12h12

    Em tempo: a sede dos limeirinhos fica na zona conhecida como "boca do lixo".Parece, mas não é piada pronta.

Marat

24/09/2010 - 07h39

Tirando uma ou outra declaração, Boff sempre se mostrou muito equilibrado e desejoso de um Brasil melhor!

Responder

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 08h44

    Por isso declarou voto em Marina Traíra, que além de jogar sua biografia no lixo, ainda despreza seus antigos companheiros em Xapuri/AC.

    J_Amaro

    24/09/2010 - 12h02

    Tremendo papo tucano o seu.

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 17h13

    Voce deve ser daqueles que papeiam entre progressista e na hora H crava 45!

Celso - SP

24/09/2010 - 05h27

Muito bem Leonardo Boff, mas o senhor vai votar na Marina, igual o Caetano Veloso.
Para quem como o senhor, um dos pioneiros da teologia da libertação, unir-se a Serra via a Marina parece não ajudar muito a combater tudo aquilo que esta escrito acima.
É incrível, quando a gente mais precisa da igreja ela acaba ficando do lado da elite.
Foi assim em 1964 e quando a ditadura se instala vem o arrependimento.
Prefiro continuar a acreditar no Lula.

Responder

    Joana

    24/09/2010 - 09h23

    Celso, no final ele fala "A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construído com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros". Eu entendo que ele vai votar na Dilma… depois desse texto e do que a Marina tucana vem demonstrando, ele não escreveria assim.

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 10h55

    Mas sempre manifestou voto em Marina.

    augusto

    24/09/2010 - 14h21

    O voto e secreto e livre. Mas o processo é dinamico ao longo do tempo. E boff nao se omite, como voce vê.

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 17h14

    Verdade..livre….mas que assuma sua verdadeira posição!

mauro ispain

24/09/2010 - 05h10

Olá Vi o mundo,

Azenha, esta noite (23 de setembro) fui em uma destas grandes padarias que existem aqui em São Paulo, onde também sempre tem a revista Veja a venda. Notei que estava a venda a revista da Abril "Comer e Beber"(de 20 de setembro) envolvida em um envelope plástico transparente, normalmente usado para vendas de revistas "casadas", ou seja, venda de uma revista juntamente com outro produto. Esta revista é uma boa revista sobre estes dois temas e reparei que esta edição esta mais caprichada, com muito mais paginas, e por isto parei para olha-la. Para minha surpresa, notei que a revista que estava "casada" (junto no envelope plástico) era a última edição da Veja.(deste sabado) Ou seja, estão tentando vender a Veja para um público que normalmente não compra a Veja mas que gosta de comprar esta revista "Comer e Beber" e com isto tentar angariar mais votos para o Serra. Afinal que vantagem financeira teria o público habitué da Veja em compra-la novamente. Tudo bem que eles adoram se iludir com aquelas reportagens infundadas, mas quando pega no bolso do brasileiro o amor acaba na hora.

Responder

Valdeci

24/09/2010 - 03h45

O senhor soube expor aquilo que estamos enfrentando desses quatro canais. Concordo em tudo o que o senhor disse. Parabéns. Leio seus livros. O senhor é demais. Mas frei acho que há um componente a mais ai. Há um ódio misógino contra a Dilma. Parece que o fato da dilma ser mulher os incomoda muito mais. Na verdade, eles são grosseiros mesmo, usam da mesma vilania que o Bruno e seus asseclas usaram para destruir a Elisa Samúdio. É o pior disso é que algumas mulheres jornalistas estão demonstrando o quanto no Brasil a misoginia está entranhada em algumas mulheres. Isso é nojento.

Responder

tito bahiense

24/09/2010 - 03h18

Comovente palavras do mestre Leonardo Boff. Lágrimas me vem…
Palavras de um homem do povo falando de um legítimo representante do povo.
Me sinto mais PT do que nunca! Quero um País melhor cada vez mais!! Lógico!
Fico a meditar os comentários contra Dilma de pessoas que são simples, iguais a mim, e a ficha não cai…
Aqui em Salvador a campanha está a mil a favor de dissolução do PT, MAS… NO INTERIOR DO ESTADO NÃO!! Wagner ganha Penso que sem dúvida estamos no caminho certo. Meu argumento enquanto baiano é: Wagner reeleito. DILMA LÁ!!!!

Responder

FatimaBahia

24/09/2010 - 02h28

Se não me engano,no início da campanha,o Boff havia declarado apoio a Marina!Que bom ler reflexão tão honesta e clara sobre a realidade do que está acontecendo.

Responder

Torquemada

24/09/2010 - 02h15

Uau! Esse é o Leonardo Boff que eu conheço o do qual, em conjunto com o irmão ou sozinho, li pelo menos 4 livros!
Só não entendi porque achou que devia se engajar na campanha da verdinha neo-capitalista Marina, mas um texto lúcido e brilhante como esse me faz esquecer qualquer recaída. Ma-ra-vi-lha!

Responder

Paulo Rick

24/09/2010 - 02h14

A comparação é muito pertinente, agem como se fossem famílias mafiosas, no entanto, o governo tem culpa em não ter desmascarado essa máfia antes. Está na hora de ser tomar alguma atitude.

Responder

Gerson Carneiro

24/09/2010 - 02h14

Para engrossar o caldo do caldeirão do diabo, o longa-metragem, "Lula, o filho do Brasil", acaba de ser escolhido pela comissão de seleção do Ministério da Cultura para ser o representante brasileiro por uma das cinco vagas da indicação ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira.

Superando postulantes como "A Suprema Felicidade". De quem, de quem, de quem??? Arnaldo Jabor.
Agora o bicho vai espumar.

Responder

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 07h27

    Achei que Jabor tinha se aposentado da telona. Ele não é só mais um ventríquolo da elite branca de olhos azuis não?

    Gerson Carneiro

    24/09/2010 - 08h09

    Acho que a próxima produção dele será "A Suprema Infelicidade".

    ValmontRS

    24/09/2010 - 09h22

    Jabobo, o Truão, é a imagem da decrepitude.
    O melhor que podemos fazer é esquecê-lo. Não vale a pena perder tempo com essa figura deplorável.

Pedro

24/09/2010 - 01h48

Bom o texto é uma importante reflexão, mas gostaria que o sr. Leonardo Boff também dissertasse sobre o papel daqueles que fazem o jogo das elites, como por exemplo sua candidata Marina. Aliás, o sr. Boff poderia começar este texto fazendo uma profunda auto crítica em relação ao seu apoio a candidata verde, quando se prestou a servir de porta-voz no seu lançamento, quando afirmou que a dita cuja iria resgatar uma forma ética de fazer polítca. E o que estamos assistindo é a sra. Marina servindo de quinta coluna ao bando fascista e entreguista dos tucanos.

Responder

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 07h34

    E com uma postura de pessoa indignada, que não engana nem mesmo seus antigos aliados abandonados lá em Xapuri/AC. Pedro, voce tocou num ponto que deixa desnudo a hipocrisia de religiosos. Por isso, com todo respeito que merece Boff, não me deixo seduzir por eles.

    Jair de Souza

    24/09/2010 - 09h24

    De onde vem está intolerância com o Leonardo Boff. Ele está fazendo uma forte autocrítica de suas posturas, reconhecendo o valor do processo comandado por Lula, admitindo que apesar das vacilações ecológicas do governo este tem se caracterizado por levar adiante um movimento de integração dos mais humildes. Aqui o que há é motivação para ficar feliz. Constatar que alguém de boa índole que tinha feito uma avaliazão errônea se corrige e volta ao cauce dos interesses populares é ótimo. Ou você gostaria de que ele, a estas alturas, estivesse se posicionando juntamente com Marina, Serra e a máfia midiática? Sejamos mais compreensivos, se não só saberemos formar adversários e não aliados.

Elisangela

24/09/2010 - 01h27

Só dá pra dizer que o texto é brilhante. Faltam palavras.

Responder

duducoutinho

24/09/2010 - 01h26

o papelão de Ellen Gracie. votou a favor pq a imprensa tava olhando, mas na hora do desempate(que ela sabia que ia ocorrer) votou com Gilmar Dantas e cia. Ela acha que o povo nao percebe a desfaçatez do ato dela

Responder

    Jairo_Beraldo

    24/09/2010 - 07h29

    Esqueceu que ela é da turma academica de Madame Cureau e o inventor da babá eletronica Nelson jobim? Acha que ela iria votar a favor do Brasil? A favor da ética, da moral?

Charles

24/09/2010 - 01h08

Belo texto! Não existe palavras prá parabenizar o autor desse texto , disse tudo e não errou a mão em nenhum ponto.
O Brasil é do povo………..seja esse povo rico ou pobre, negro ou branco , intelectual ou analfabeto.

Responder

odilo

24/09/2010 - 00h55

É Leonardo!
Voce é bom demais. Realmente que Brasil queremos?
Dilmais neles!

Responder

Deixe uma resposta