VIOMUNDO

Jessé Souza, sobre a mídia: “Tira onda de neutra, quando apenas obedece ao dinheiro”

11 de janeiro de 2016 às 12h31

Captura de Tela 2016-01-11 às 12.29.46

A quem serve a classe média indignada?

MARCELO COELHO, na Folha

Trechos da entrevista com Jessé Souza, presidente do IPEA, que lançou “A Tolice da Inteligência Brasileira”:

Minha tese é a de que, no Brasil, o patrimonialismo serve para duas coisas bem práticas:

1) A primeira é demonizar o Estado como ineficiente e corrupto e permitir a privatização e a virtual mercantilização de todas as áreas da sociedade, mesmo o acesso à educação e à saúde, que não deveria depender da sorte de nascer em berço privilegiado;

2) Serve como uma espécie de “senha” de ocasião para que o 1% que controla o dinheiro, a política (via financiamento privado de eleições) e a mídia em geral possa mandar no Estado mesmo sem voto. Não é coincidência que tenha havido grossa corrupção em todos os governos, mas apenas com Getúlio, Jango, Lula e Dilma, governos com alguma preocupação com a maioria da população, é que a “senha” do patrimonialismo tenha sido acionada com sucesso. Somos ou não feitos de tolos?

*****

Como não se pode dizer que o que se quer é uma gorda taxa Selic e o acesso “privado” às riquezas brasileiras, como petróleo e ferro, para essa meia dúzia, então diz-se que é para acabar com o “mar de lama”, sempre só no Estado, se ocupado por partidos populares, e sempre seletivamente construído via mídia conservadora em associação com as instituições que querem aumentar seu poder relativo vendendo-se como “guardiãs da moralidade pública”.

É esse discurso que transforma milhões de pessoas inteligentes em tolas. Essa parcela da classe média conservadora é explorada por esse 1% que lhe vende os milagres da privatização brasileira: a pior e mais cara telefonia do globo, por exemplo, campeã de reclamações. De resto, todos os bens e serviços produzidos aqui são piores e mais caros. Mas dessa espoliação da classe média por um mercado superfaturado que vai para o bolso do 1% mais rico ninguém fala.

O filho do “coxinha” quer ter acesso a uma boa universidade pública, e o avô dele, quando está doente e o plano não paga, tem que ir ao SUS para doenças graves e tratamentos caros. Um Estado fraco só serve ao 1% mais rico que pode ficar ainda mais rico embolsando a Petrobras a preço de ocasião. O “coxinha” só é feito de tolo.

A classe média “coxinha” que sai às ruas tirando onda de campeã da moralidade, por sua vez, explora e rouba o tempo das classes excluídas a baixo preço para poupar o tempo do trabalho doméstico e investir em mais estudo e mais trabalho valorizado e rentável.

Luta de classes não é só cassetete na cabeça de trabalhador. É uma luta silenciosa e invisível (para a maioria) que implica monopólio de recursos para as classes privilegiadas e condenações à miséria eterna para a maioria dos 70% que não são da classe média ou do 1% mais rico. A fanfarra do patrimonialismo e da corrupção só do Estado serve, antes de tudo, para tornar essas lutas invisíveis.

*****

A estrutura de impostos no Brasil tem de ser efetivamente revista no sentido de evitar impostos indiretos em produtos e serviços e atingir mais a renda diferencial, e, muito especialmente, o patrimônio. Desse ponto de vista, ela [classe média] pode ter um pouco de razão.

Mas o ponto mais importante para a tolice da classe média é que o Estado funciona como arrecadador de impostos, antes de tudo, para bancar e garantir a drenagem de recursos arrecadados da sociedade como um todo para a meia dúzia de plutocratas que manda na economia, na política via financiamento de eleições e na mídia. O pagamento de juros para essa meia dúzia e seus colegas estrangeiros – o único aspecto que ninguém nem sequer pensa em cortar em ocasiões de crise – compromete, por exemplo, o investimento em educação e saúde de qualidade para todos.

O plutocrata vai aos EUA se operar se for preciso e manda o filho estudar em Miami ou na Suíça, como acontece realmente hoje em dia. A classe média que sai às ruas para apoiá-lo precisa do SUS quando a chapa esquenta e só conta com a universidade pública aqui mesmo para o filho. Ao mesmo tempo, paga os serviços e produtos mais caros e de menor qualidade relativa do globo no nosso mercado superfaturado. Esse “extra” também é um imposto que sai da classe média direto para o bolso da elite econômica. Mas dele nunca se fala.

Essa classe média, portanto, é espoliada pela elite por mecanismos tanto de Estado quanto de mercado, e é ela que depois sai às ruas para defender os interesses dessa mesma elite usando o espantalho seletivo da corrupção apenas estatal.

Essa é a real história da tolice pré-fabricada entre nós.

*****

O principal erro do PT para mim foi duplo e reflete sua dependência da narrativa liberal tão importante nele quanto em um partido conservador da elite como o PSDB. Esse foi um dos temas centrais do livro: mostrar que a ideologia liberal amesquinhada dominou também a dita “esquerda”, colonizando a tradição social-democrata ou socialista democrática.

O PT teria que ter criado uma narrativa independente mostrando a importância do passo a passo da ascensão social possível e mostrando as dificuldades também – sem cair, por exemplo, na fantasia da nova classe média, que gerou expectativas desmedidas.

Essa narrativa poderia ter sido uma versão politizada, mostrando a importância da política inclusiva e da “vontade política” para a mobilidade social, de modo a se contrapor à leitura individualista da ascensão social da religião evangélica.

Mas, para isso, teria sido necessário tocar no nó górdio da dominação social no Brasil, que é o papel de “partido político da elite” assumido pela imprensa conservadora desde o golpe contra Getúlio.

É ela, afinal, quem chama a classe média moralista e feita de tola às ruas e é ela que manipula seletivamente e a seu bel-prazer o tema da corrupção como única moeda dos conservadores para mascarar seus interesses mais mesquinhos em pseudointeresse geral. É ela quem tira onda de “neutra”, quando apenas obedece ao dinheiro.

O medo desse confronto foi a real causa do que agora acontece. Em uma sociedade midiática, onde toda informação vem de cima para baixo, tem que existir o contraditório, a opinião alternativa, senão o voto do eleitor não é esclarecido nem autônomo, ou seja, rigorosamente, não tem democracia.

Nesse sentido estamos mais perto da Coreia do Norte do que da Inglaterra ou da Alemanha. Confiar apenas nos “movimentos sociais” nesse contexto é ingenuidade. Esses movimentos também estão sob a égide do discurso único da mídia conservadora. Essa é para mim a real razão do fracasso relativo do projeto petista.

Leia também:

Edemilson Paraná: Estão roubando seu tempo (e, assim, seu dinheiro)

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
14 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Urbano

15/01/2016 - 14h57

A liderança do pig é composta pelo que há de mais escroque e nefasto, que possa se imaginar na natureza humana. E isso não é porque eu queira que seja assim, obviamente. Afinal, determinar-se a trabalhar diuturnamente por décadas e décadas para jogar a Nação brasileira na miséria total, tendo por única e exclusiva motivação o enriquecimento ilícito e mais insano, não há outra explicação a ser empregada.

Responder

Messias Franca de Macedo

13/01/2016 - 20h43

… Ontem mesmo foram necessárias menos de 12 horas para o PIG materializar a profecia mais trivial do século:
mandar para o Inferno do ‘vazamento do esquecimento’ a propina de R$ 01 bilhão do Petrolão do DEMoTucano FHC!

NOTA: o período de tempo mencionado acima teve como parâmetro a página principal do portal uol/Folha!
No site da congênere escrota ‘veja’ a notícia sequer foi colocada no rodapé!

Responder

Messias Franca de Macedo

13/01/2016 - 08h25

Mario Prata no Roda Viva: “A imprensa, atualmente, está muito careta, muito séria e, principalmente, muito mentirosa. (…) Hoje só tem cronista caga regras na imprensa brasileira”

Por jornalista Carlos Eduardo
13/01/2016

Em entrevista memorável ao programa Roda Viva, o cronista Mario Prata critica a falta de imparcialidade da imprensa brasileira e seus cronistas que espalham o ódio pelo país.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.ocafezinho.com/2016/01/13/mario-prata-no-roda-viva-hoje-so-tem-cronista-caga-regras-na-imprensa-brasileira/

https://www.youtube.com/watch?v=B02cgjFAMQo

Responder

FrancoAtirador

13/01/2016 - 00h37

.
.
O SISTEMA DA DÍVIDA E A CORRUPÇÃO NO BRASIL
.
(https://youtu.be/q-LPGwUIadQ?t=476)
.
(https://youtu.be/rRQHG5kd-Q0)
.
(https://youtu.be/lYRIV9pkzpM)
.
.
Enquanto a Maioria aceitar passivamente
o Sistema Usurário da Dívida Pública da União,
Ditado pelo Capital Financeiro Transnacional,
o Brasil estará em Permanente Crise Econômica,
sem Capacidade de Custeio e Investimento.
.
.

Responder

Flavio Wittlin

12/01/2016 - 07h57

Texto impecável mas somente (mais) um (altamente qualificado)
diagnóstico da realidade. O que e como fazer uma práxis que a supere?

Responder

Marcelo

11/01/2016 - 21h00

Um dos maiores livros que já tive oportunidade de ler. Parabéns ao autor, com certeza trata-se do maior trabalho que conheço na areada ciência sociológica e política. E mais quebra nossa visão sobre vários tabus criados cientificamente sobre nós brasileiros.

Responder

Rafael

11/01/2016 - 20h05

Vale a pena divulgar a entrevista que Jessé deu ao Nassif programa Brasilianas.
http://jornalggn.com.br/tag/blogs/jesse-souza

Responder

roberto

11/01/2016 - 17h18

A foto está sensacional. INTERVENÇÃO “CONSTITUCIONAL” MILITAR JÁ.
hahahahahaha……
O cara que bolou esse cartaz e a frase ,possui fezes de guaxinim no lugar do cérebro.

Responder

Apolônio

11/01/2016 - 17h10

Amigos internautas que por aqui mourejam, por favor entre na Telesur e veja o caso do jornalista, victor Hugo Morales, inclusive tem uma certa pertinência com o texto.

Responder

Carlito estevan

11/01/2016 - 16h32

Eu já escrevi no tijolaço,investigar politico graúdo que tem destaque na sigla do PSDB abre um leque perigoso porque isto envolve partidos políticos como DEM,PMDB,PSDB que é o de menos, o problema passa a ser grave porque conforme o leque vai abrindo pega parte da justiça brasileira,empresas como bancos,a mídia e até mesmo observadores estrangeiros,não é qualquer justiça que tem coragem de bater de frente com esta monta ,eles distribuíram as tarefas e o Aécio ficou com a mais difícil que é tirar dima do poder para eles extinguirem a lava jato e a justiça vendo que isto não vai ser fácil começa a preparar a sociedade dizendo que o PT e Dilma encerraram a lava jato por falta de dinheiro,eles tem uma intenção de acabar com este jato porque está chegando aonde não deve.

Responder

Apolônio

11/01/2016 - 16h07

Por falar em mídia, por favor Azenha, ou algum internauta, entre agora na Telesur, ou na seção de notícias desse mesmo periódico e pegue o vídeo do jornalista Uruguaio, Victor Hugo Morales, que foi despedido de uma rádio na Argentina, depois de trabalhar durante anos a fios. Ele esclarece inclusive o porquê. Vale muito a pena nos dias que estamos vivendo , ou poderemos viver num futuro próximo. Espero que o depoimento desse jornalista espalhe e sirva de alerta para todos que são amantes da liberdade de informação e da verdadeira liberdade de imprensa.

Responder

FrancoAtirador

11/01/2016 - 15h32

.
.
A Mídia Jabáculê Corrupta, Comprada e Vendida,
.
é Patrocinada por Administradoras de Cartões,
.
Bancos e Corporações Econômico-Financeiras.
.
Nada mais Lógico que se dirija especificamente
.
a quem usa Cheque Especial e Cartão de Crédito.
.
.

Responder

Ramon

11/01/2016 - 14h28

Lamentavelmente o PT não trabalhou para fazer mudanças estruturais no país, entre as quais a democratização da mídia. Nesse texto só não concordo com a crítica aos movimentos sociais, pois estes lentamente e com suas contradições internas, estão tentando fazer um trabalho político mais profundo. A pouca adesão da massa é porque os meios não estão em suas mãos, veja como exemplo as rádios comunitárias, que praticamente inexistem ao menos no meu estado, o Maranhão.

Responder

Messias Franca de Macedom

11/01/2016 - 13h23

DA SÉRIE ‘O QUE O PIG NÃO NOTICIA’ I

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Atualizado, governo FHC recebeu R$ 1 bilhão de propina da Petrobras, diz Nestor Cerveró

SEG, 11/01/2016 – 11:45

O vazamento só ocorre após busca em gabinete do senador petista Delcídio Amaral, onde documentos citando o ex-presidente tucano foram apreendidos. Cerveró ainda cita o envolvimento do ex-presidente argentino Carlos Menem

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://jornalggn.com.br/noticia/atualizado-governo-fhc-recebeu-r-1-bilhao-de-propina-da-petrobras-diz-cervero

Responder

Deixe uma resposta