VIOMUNDO

Bloco Minas Sem Censura representa contra Aécio no MPF

01 de junho de 2011 às 21h47

radio

por Conceição Lemes

Nessa terça-feira,31 de maio, o Bloco Parlamentar “Minas Sem Censura” entregou ao Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, representação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG),  sua irmã Andrea Neves da Cunha e a Rádio Arco-Íris.

Para o bloco,  formado pelo PT, PMDB, PCdoB e PRB,  “há fortes  indícios de sonegação fiscal, ocultação de patrimônio e crime eleitoral”. É exatamente a apuração desses indícios  que o “Minas Sem Censura” requereu ao Ministério Público Federal (MPF).

“Como em dezembro de 2010 o Aécio se tornou dono da rádio Arco-Íris, cujo valor de mercado é de R$ 15 milhões, se o patrimônio total declarado dele é R$ 617.938,42?”, quer saber o deputado Sávio Souza Cruz (PMDB),  vice-líder do bloco. “Também por que Aécio indicou para presidir a Codemig justamente o dono da empresa do jatinho que ele viaja para cima e para baixo?”

“Não há como confundir com o [Antonio] Palocci”, diz Cruz ao ser questionado se a representação não seria retaliação ou recurso para desviar a atenção do caso envolvendo ministro Chefe da Casa Civil. “Nós começamos a denunciar os desmandos do Aécio no dia em que ele se recusou a fazer o teste do bafômetro. O caso Palocci só surgiu há cerca de 15 dias. Outra coisa. O Palocci declarou o patrimônio e pode até ter dificuldade para esclarecê-lo. Já o Aécio oculta o patrimônio e não quer esclarecer. O importante é que se investigue tudo e puna, doa a quem doer.”

O inferno astral de Aécio Neves começou na madrugada de 17 de abril, quando, parado numa blitz de polícia, rejeitou o teste do bafômetro e teve a carteira de motorista apreendida, pois estava vencida.  A partir daí, o Bloco Parlamentar “Minas Sem Censura” foi revelando fatos até então desconhecidos, como a estranha frota de carros de luxo da rádio do senador, a história do jatinho e a denúncia à Justiça sobre a Rádio Arco-Íris.

A seguir, a íntegra da representação ao MPF:

Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral da República

ROGÉRIO CORREIA DE MOURA BAPTISTA, brasileiro, casado, Deputado Estadual à Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, CPF 471.025.006-53, Líder do Bloco Parlamentar “Minas Sem Censura”, formado pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), Partido Comunista do Brasil (PCdoB) e Partido Republicano Brasileiro (PRB), ANTÔNIO JÚLIO DE FARIA, brasileiro, casado, Deputado Estadual à Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, CPF: 164.171.516-20, Líder da Minoria, e LUIZ SÁVIO DE SOUZA CRUZ, brasileiro, casado, Deputado Estadual à Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais, CPF 359.815.396-15, todos com endereço na  Rua Rodrigues Caldas, nº 30, Bairro Santo Agostinho, Belo Horizonte, Minas Gerais, comparecem perante V. Exa. , para oferecer REPRESENTAÇÃO, requerendo seja instaurado o competente procedimento para apurar SONEGAÇÃO FISCAL E OCULTAÇÃO DE PATRIMÔNIO por AÉCIO NEVES DA CUNHA, brasileiro, separado judicialmente, SENADOR DA REPÚBLICA, com endereço declarado na Rua Samuel Pereira, nº237, apto 1101, Bairro Anchieta, Belo Horizonte, Minas Gerais, inscrito no CPF sob o n.º 667.289.837-91, por ANDREA NEVES DA CUNHA, brasileira, solteira, empresária, com endereço na Avenida Bandeirantes,  nº1975, apto 1601, Bairro Serra, CEP 30210-420, inscrita no CPF sob o n.º 551.224.007-25 e por RÁDIO ARCO IRIS LTDA, CNPJ  22731210/0001-92, com sede na Avenida Raja Gabaglia, n.º 1001, 1º andar, Luxemburgo, Belo Horizonte, pelos seguintes fatos e argumentos, para ao final requerer:

Do Primeiro Representado – Ocultação de Patrimônio ou Rendas

Conforme se demonstrará a seguir, o primeiro representado omite a realidade sobre o seu patrimônio e as suas rendas: A versão entregue à Justiça Eleitoral e à Receita Federal difere, em muito, daquela que suporta os seus elevados gastos e estilo de vida. Enquanto a primeira aponta um cidadão de pouco patrimônio, com rendas de servidor público, a real é a que lhe proporciona viagens constantes ao exterior, utilização de veículos de luxo, refeições e hospedagens em points do jet set nacional e internacional e a utilização de jatinhos particulares para o seu deslocamento.

Certamente, tais condutas e procedimentos não são próprios de um mero agente político, que ocupa cargos públicos desde os 18 anos de idade, quando então foi secretário particular do Governador de Minas Gerais.

O primeiro representado apresentou à Justiça Eleitoral, para seu registro de candidatura ao Senado da República no ano de 2010, a seguinte relação de bens, com os seguintes valores:

a)   Apartamento no Rio de Janeiro, no valor de R$ 109.500,00;

b)   Lote, no valor de R$ 6.639,73;

c)   Lote, no valor de R$ 9.715,62;

d)  Ações, no valor de R$ 0,09

e)   Ações, no valor de R$ 217,26

f)    Quotas de capital da IM Participações , no valor de R$ 95.179,12;

g)   Empréstimo a NC Participações Ltda., no valor de R$ 8.544,12;

h)  Objeto de Arte no valor de R$ 13.650,00;

i)  50% de imóvel rural, no valor de R$ 87.000,00;

j)    Saldo em conta corrente no valor de R$ 331,07;

k)   Aplicação financeira no valor de R$ 40.142,20;

l)     Saldo em conta corrente no valor de R$ 10,00;

m)   Aplicação financeira no valor de R$ 14.393,28;

n)     Saldo em conta bancária no valor de R$ 496,93

o)    Apartamento em Belo Horizonte no valor de R$ 222.000,00.

 

Total do patrimônio declarado : R$617.938,42

A declaração de bens apresentada pelo primeiro representado à Justiça Eleitoral possui os mesmos valores históricos, quanto ao patrimônio imobilizado, da declaração apresentada em 2006, quando de sua segunda candidatura a Governador de Minas Gerais, com pequenas variações.

Quanto ao patrimônio total, houve uma redução nominal em quatro anos da ordem de cerca de 20% (vinte por cento).Em quatro anos, o primeiro representado teve decrescido o seu patrimônio.

A remuneração do Governador do Estado de Minas Gerais, ocupação principal do primeiro representado no período de janeiro de 2003 a abril de 2010, era de R$ 10.500,00 (dez mil e quinhentos reais) brutos, nos termos da Lei Estadual 16.658.

Durante esse período, o primeiro representado realizou 11 (onze) viagens ao exterior às suas expensas, segundo dados colhidos junto à Assembleia Legislativa, muitas vezes em companhia da família e segundo notas de imprensa, freqüentemente a destinos de alto luxo como Aspen, estação de esqui nos Estados Unidos.

De abril de 2010 a Fevereiro de 2011, quando voltou a assumir mandato eletivo, o primeiro representado esteve desempregado. Entretanto, continuou realizando viagens ao exterior,  com seus hábitos caros e pouco comuns à maioria esmagadora da população.

O primeiro representado tem uma de suas residências fixas na cidade do Rio de Janeiro, próximo à Lagoa Rodrigo de Freitas, no Bairro de Ipanema, considerado de classe alta. Outra, em Belo Horizonte, também em um bairro considerado zona residencial nobre.

O imóvel situado em Ipanema, certamente tem valor muito superior ao declarado no imposto de renda do primeiro representado.  Pela planta de valores da Prefeitura do Rio de Janeiro, para fins de IPTU, o valor venal de imóveis no endereço apontado na declaração do representado, é calculado tendo por base o valor de R$ 3.243,74 por metro quadrado de área construída. Entretanto, declara-se que seu valor é de módicos R$ 109.500,00 (cento e nove mil e quinhentos reais).

As despesas com manutenção de suas residências e de seu nababesco estilo de vida, compreendendo restaurantes de primeira linha, festas com celebridades, boates e viagens a bordo de jatos particulares são incompatíveis com os seus rendimentos declarados.

É bem verdade que o primeiro representado teve declarado em seu patrimônio a participação societária nas empresas NC Participações Ltda. (CNPJ 23205958/0001-14), no valor de R$ 9.819,00 (nove mil e oitocentos e dezenove reais) e da IM Participações e Administração Ltda. (CNPJ 28264463/0001-80) no valor de R$ 95.179,12 (noventa e cinco mil e cento e setenta e nove reais e doze centavos), esta com sede na residência de sua mãe, a Sra. Inês Maria Neves de Faria, com endereço na  Rua Pium-i, n.º 1601, apto 901, em Belo Horizonte e agora, incorporada ao seu patrimônio a Rádio Arco-Iris Ltda.,  cujas operações serão detalhadas a seguir.

Com relação à empresa IM Participações e Administração Ltda., observe-se que em 2010 ela teve alterado o seu contrato social, reduzindo o valor geral das cotas e a participação do primeiro representado para R$ 14.153,00 (quatorze mil e cento e cinquenta e três reais).

Mas seria o rendimento auferido pelo primeiro representado por sua participação acionária  nestas empresas que suportariam todas as elevadas despesas de seu estilo de  vida ostentoso ou, a exemplo do que acontece comprovadamente com a empresa Rádio Arco-Iris, o primeiro representado utiliza-se diretamente de recursos ou de patrimônio destas e de outras pessoas jurídicas para fazer frente aos seus gastos faraônicos?

Mesmo que fosse fruto de sucessão familiar, tais rendimentos deveriam constar de seu imposto de renda, mesmo considerando que originalmente a família do primeiro e do segundo representado não possuem volume de patrimônio considerável . Pelo que se observa do site do TJMG, o patrimônio declarado do espólio do genitor do primeiro e da segunda representada, que ainda não foi partilhado, não monta R$1500.000,00 (um milhão e quinhentos mil reais), também insuficientes para fazer face ao estilo de vida do representado.

Ao que se demonstra, o primeiro representado, face os seus rendimentos oficiais, apresenta sinais exteriores de riqueza incompatíveis com seus rendimentos, nos exatos termos do art. 6º da Lei Federal 8021/90, fruto de ocultação de patrimônio, de fraude fiscal ou de ambos.

 

Das Conexões Com Outras Empresas

 

Participação de Oswaldo Borges da Costa Júnior e Grupo Bandeirantes

O primeiro representado faz uso frequente de aviões particulares para seu deslocamento no Brasil e no exterior.

Constata-se por declarações dadas pelo representado à  imprensa, o uso frequente de um jato particular, cujo valor de avaliação é de 24 milhões de reais, de propriedade da Banjet Taxi Aéreo Ltda., é feito graciosamente, por cortesia da empresa.

Ocorre que tal empresa, pertencente ao grupo econômico do extinto Banco Bandeirantes, liquidado em ruidosa nuvem de má gestão, tem como sócio administrador o Sr. Oswaldo Borges da Costa Filho, presidente da Companhia de Desenvolvimento  Econômico de Minas Gerais, nomeado para aquele cargo pelo primeiro representado.

No que toca ao Sr. Oswaldo Borges da Costa Filho, figura das mais influentes na área de mineração em Minas Gerais, tendo em vista sua posição privilegiada como presidente de uma grande estatal, o mesmo participa da diretoria ou é sócio proprietário de outras pessoas jurídicas. Tal influência passou a ser exercida a partir da posse do primeiro representado no governo de Minas. Antes disso, o Sr. Oswaldo Borges da Costa Filho nada mais era do que um nome nas colunas sociais.

São elas :  Minasmáquinas S/A, BAMAQ S/A Bandeirantes Máquinas e Equipamentos, Companhia Mineradora do Pirocloro de Araxá COMIPA,  Comercial de Veículos Delta Ltda., CGO Administradora e Corretora de Seguros Ltda. e OEC Memória do Automóvel Ltda.

Foi também proprietário de outras empresas, juntamente com o ex banqueiro Clemente de Faria, como a  Star Diamantes Ltda., de sua propriedade quando já era presidente de empresa estatal.. A primeira e a segunda empresas citadas mantém relações comerciais com o Estado de Minas Gerais, da qual o primeiro representado foi Governador nos últimos dois mandatos e o Sr. Oswaldo foi e continua sendo presidente de estatal e membro de conselhos de administração de outras empresas.

Ainda sobre a Banjet Taxi Aéreo Ltda., CNPJ 23.348.345/0001-36, frise-se, pertencente ao mesmo grupo econômico do extinto Banco Bandeirantes, e que cede graciosamente suas aeronaves ao primeiro representado, aponte-se que suas aeronaves foram utilizadas na campanha de 2010 ao Governo de Minas e ao Senado da República pelos candidatos Antônio Anastasia, Aécio Neves e Itamar Franco. Estas informações estão no sítio eletrônico do TSE e o custo de tais locações superou o valor de R$ 900.000,00 (novecentos mil reais). A Banjet ainda locou suas aeronaves ao PSDB nacional, pelo que consta da prestação de contas daquele partido, também registrada no TSE.

Estas informações apenas ilustram o perfil das empresas dirigidas pelo Sr. Oswaldo Borges da Costa Filho,  figura das mais influentes no cenário empresarial mineiro.

Mas o que levanta suspeitas é o fato de que pertenceram ao grupo econômico do extinto Banco Bandeirantes, que tinha um de seus endereços na Avenida Rio de Janeiro, 600,  Belo Horizonte, coincidentemente o mesmo endereço da empresa IM Participações  e Administração Ltda., à época em que a genitora do primeiro representado, Inês Maria Neves Faria, era uma das gestoras do malfadado Banco, juntamente com o seu marido já falecido, o ex banqueiro Gilberto Faria.

Observe-se que a empresa IM Participações e Administração Ltda. é de propriedade do primeiro representado, da segunda representada e de sua mãe, viúva do ex banqueiro, conforme documento anexo.

Como é de praxe, são essas empresas de participação quem administram inteiras fortunas, para acobertar patrimônio de particulares, que não tem como justificar contabilmente a aquisição de ativos.

Haveria aí uma triangulação de patrimônio, de forma que não só a Banjet Taxi Aéreo Ltda., como outras empresas ligadas ao grupo econômico do extinto Banco Bandeirantes ou não fossem de co-propriedade do primeiro e da segunda representada ? Certamente.   Tal triangulação seria possível uma vez que a genitora de ambos  representados era gestora de empresas ligadas ao banco e sócia daqueles.

 

Da Representada – Rádio Arco-Iris Ltda.

Um dos instrumentos utilizados pelo primeiro representado para ocultação de patrimônio é a Rádio Arco-Iris Ltda.

A empresa Rádio Arco-Iris Ltda. (terceira representada) é de propriedade do primeiro e da segunda representados, segundo consta de registro extraído da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais.

A aquisição de cotas da empresa foi realizada pelo primeiro representado no ano de 2010, quando ainda se encontrava desempregado e, portanto, sem nenhuma renda formal.

Segundo o mesmo registro, a sociedade tem por objeto “a execução de serviços de radiodifusão sonora de quaisquer modalidades, em quaisquer localidades do país, desde que para tanto o Governo Federal lhe outorgue permissão e/ou concessões, podendo paralelamente explorar a propaganda comercial e a música funcional.”

Para a consecução de seu objeto social, a sociedade poderá ter os gastos de custeio exclusivamente vinculados aos seus fins.

Pressupõe-se pois que as despesas legítimas que podem ser utilizadas contabilmente para dedução na receita e via de consequência abatimento no lucro são aquelas afetas aos serviços de radiodifusão sonora e, paralelamente, exploração de propaganda comercial e a música funcional.

Assim, ter-se-ão como despesas ordinárias e possíveis de constar no passivo da terceira representada as referentes a aluguel de imóvel, compra e manutenção de equipamentos, salários e encargos trabalhistas, manutenção geral das suas dependências, bem como locação, manutenção e despesas referentes a veículos colocados à disposição das finalidades da empresa, dentre outros gastos, desde que não configurado o desvio das finalidades empresariais.

O recente episódio envolvendo o primeiro representado, Sr. Aécio Neves da Cunha, parado em operação policial na cidade do Rio de Janeiro, que ganhou repercussão nacional, face às infrações de trânsito cometidas por um Senador da República e ex-governador de Estado, não passariam de noticiário e de impressões de natureza política, não fosse o primeiro representado o condutor de um veículo de propriedade de uma empresa concessionária de serviço de radiodifusão, in casu, a terceira representada.

Constatou-se, à ocasião, que o primeiro representado conduzia o veículo Land Rover “TDV8 Vogue”, ano 2010, placa HMA 1003, de valor aproximado de mercado de R$255.000,00, adquirido após as últimas eleições pela “Rádio Arco-Iris”, de propriedade do segundo e da terceira representada.

Segundo informações fornecidas pela Assessoria de Imprensa do primeiro representado, o veículo ficava à disposição da família do primeiro e da segunda representada, que são irmãos, e era utilizado por eles durante seus deslocamentos de caráter particular e privado,  no Estado do Rio de Janeiro.

Constatou-se também ser a empresa Rádio Arco-Iris, terceira representada,  é proprietária de 12 veículos registrados no DETRAN-MG, sendo eles:

Observe-se que dos 12 veículos registrados em nome da Rádio Arco-Iris, seis deles, pelo menos, não guardam qualquer nexo com os veículos de utilização normal da empresa e para os fins do objeto empresarial. Indubitavelmente são automóveis de passeio, não utilitários, e de categoria de luxo.

Além disso, tratando-se de emissora com sede e transmissão na região metropolitana de Belo Horizonte, a frequente autuação de seus veículos, no Estado do Rio de Janeiro, também atesta que os veículos não são utilizados em serviços da empresa.

As multas aplicadas aos veículos de n.º 1 e de n.º 2 da lista acima, conforme site do DETRAN/MG, esclarecem que foram flagrados em excesso de velocidade em Búzios (RJ), Rio Bonito (RJ) em rodovias no Estado do Rio de Janeiro e também na cidade do Rio de Janeiro.

Não é crível que tais automóveis estivessem a serviço da Rádio Arco-Iris naquele Estado, tanto mais considerando que a mesma é uma Rádio que não possui departamento de jornalismo, atendo-se tão somente ao entretenimento do público jovem e adolescente através de programação musical e, vale lembrar, transmite sua programação na região metropolitana de Belo Horizonte.

Ad argumentandum , apesar de a Rádio Arco-Iris ser a retransmissora da Rádio Jovem Pan, e conforme declarado pela Assessoria de Imprensa do primeiro representado, possuir alto faturamento anual(sic), recebendo fatia considerável dos recursos públicos destinados a publicidade oficial (documento juntado) é inegável estar havendo desvio de finalidade patrimonial da empresa.

Mesmo sem entrar no mérito da destinação pelo primeiro e segundo representados de verbas públicas de publicidade ao terceiro representado, não se justifica a imobilização de patrimônio através de aquisição de veículos de luxo, imprestáveis à finalidade empresarial.

Obtempere-se que, a propriedade de tais veículos, por parte da terceira representada , poderão se prestar a:

a)  contabilização de seu custeio como despesas da empresa. Assim, o pagamento dos altíssimos valores de seguro, IPVA, multas e taxas, são lançados como despesa e portanto dedutíveis para a apuração do lucro, o mesmo ocorrendo com as despesas de combustível, revisão e peças;

b)  contabilização da depreciação patrimonial dos veículos, também dedutível para apuração do lucro;

c) contabilização dos possíveis contratos de arrendamento mercantil, se houver, como despesa corrente, também passível de dedução no lucro.

Tais operações contábeis, se ocorreram, configuram burla ao fisco e evidenciam o lançamento de despesas estranhas à atividade empresarial na contabilidade da empresa, reduzindo a base de cálculo para a apuração do quantum devido à Receita Federal, em todos os tributos e contribuições fiscais e parafiscais em que o lucro for a base de cálculo. Constitui, portanto, sonegação fiscal, devendo ser apurada para a responsabilização dos envolvidos.

Da aquisição da empresa pelo primeiro representado.

As cotas da Rádio Arco-Iris foram adquiridas pelo primeiro representado em 28/12/2010, com o valor declarado à Junta Comercial do Estado de Minas Gerais de R$88.000,00 (oitenta e oito mil reais) de um total de cotas da sociedade de 200.000 cotas, no valor total de R$200.000,00 (duzentos mil reais).

Sobre este item, deve-se considerar o seguinte:

a) O valor declarado à JUCEMG não representa necessariamente o valor real da empresa;

b) Somente os veículos registrados no DETRAN-MG em nome da empresa têm valor de mercado de aproximadamente R$715.000,00 (setecentos e quinze mil reais). – conforme Tabela FIPE

c) O valor comercial da concessão da Rádio Arco-Iris Ltda., retransmissora da Rádio Jovem Pan e ocupante do 6º lugar no ranking de audiência é de aproximadamente R$15.000.000,00 (quinze milhões de reais), segundo informações de mercado;

d)  o primeiro representado não possuía patrimônio declarado para a aquisição de tal empresa, conforme já demonstrado.

Como dito, a empresa Rádio Arco-Iris é apenas um dos mecanismos utilizados pelo primeiro representado para ocultação de seu patrimônio e a prática de sonegação fiscal.  Só foi detectada em função de mais um excesso público cometido pelo primeiro representado,  o qual é useiro e vezeiro. Apenas a investigação criteriosa poderá detectar outros métodos de sonegação utilizados pelo primeiro representado, bem como a extensão dos danos ao erário.

Relatados os fatos, com os documentos que instruem a presente representação,  REQUEREM:

A instauração do competente procedimento pelo Ministério Público Federal, objetivando a apuração dos fatos apontados, e em especial:

a)  Com relação à terceira representada, apurar se as despesas relativas aos veículos de uso particular do primeiro e segunda representados estão sendo contabilizados para fins de dedução no lucro , bem como a depreciação dos mesmos;

b) Com relação ao primeiro representado, a apuração de omissão de receitas e de patrimônio, tendo em vista os evidentes sinais exteriores de riqueza incompatíveis com  sua renda disponível;

c) Com relação à segunda representada, a responsabilização pela gestão fiscal da terceira representada;

d)  Com relação às empresas IM Participações e Administração Ltda. e NC Participações Ltda., das quais o primeiro representado é co-proprietário, a verificação da utilização de suas rendas e patrimônio.

e)  Com relação às empresas empresas IM Participações e Administração Ltda. e NC Participações Ltda., a verificação de qual é o seu patrimônio e quais empresas tem as mesmas em seu quadro acionário .

f) Demais providências necessárias por parte do Ministério Público Federal e da Receita Federal.

Colocam-se  à disposição os representantes para as informações ou esclarecimentos ulteriores que se fizerem necessários.

Brasília, 30 de Maio de 2011

Deputado Rogério Correia

Líder do Bloco Minas Sem Censura

PT-PMDB – PCdoB – PRB

Deputado Antônio Júlio de Faria

Líder da Minoria

Deputado Luiz Sávio de Souza Cruz

Vice-Líder

 

83 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O balanço das denúncias contra Aécio que a mídia ignorou | MANHAS & MANHÃS

21/10/2014 - 06h20

[…] feitas e reiteradas desde 2011 em relação ao governo de Aécio Neves (confiraaqui, aqui eaqui). Por isso, nós resgatamos agora – 17 de outubro, às 21h30 – a reportagem abaixo, que foi […]

Responder

O Palheiro | Lemes: O balanço das denúncias contra Aécio que a mídia ignorou.

20/10/2014 - 10h39

[…] e reiteradas desde  2011 em relação ao governo de Aécio Neves  (confira aqui [5], aqui [6] e aqui […]

Responder

Bomba: como o MP blindou a corrupção do Aecínico ! | Conversa Afiada

20/10/2014 - 10h32

[…] Assim como mídia corporativa menosprezou essa e outras denúncias feitas e reiteradas desde  2011 em relação ao governo de Aécio Neves  (confira aqui, aqui e aqui). […]

Responder

Aos 19 anos, Aécio morava no Rio e "trabalhava" em Brasília « Viomundo - O que você não vê na mídia

15/10/2014 - 11h04

[…] O Viomundo tratou disso, com exclusividade, aqui. E também aqui. […]

Responder

“Se o Gurgel não abrir inquérito contra o Aécio, estará prevaricando”, afirma deputado « novobloglimpinhoecheiroso

20/02/2013 - 16h32

[…] Nenhuma dessas denúncias, praticamente desprezadas pela mídia corporativa, é novidade. Todas, desde 2011, têm sido feitas e reiteradas (confira aqui, aqui e aqui). […]

Responder

Rogério Correia: “Se o Gurgel não abrir inquérito contra o Aécio, estará prevaricando” « Viomundo – O que você não vê na mídia

17/02/2013 - 18h43

[…] Nenhuma dessas denúncias, praticamente desprezadas pela mídia corporativa, é novidade. Todas, desde 2011, têm sido feitas e reiteradas (confira aqui, aqui e aqui). […]

Responder

Rebecka Nízia

16/06/2011 - 13h55

Aécio, Paloci, Lulinha, não importa a qual partido: roubou é ladrão!!!
FORAAAAA!!!!

Aí, não vi nada falando contra o PT, é tudo farinha do mesmo saco! Quero ver se vão divulgar!

Responder

    Pedro Ferraz

    08/12/2011 - 15h26

    Porra,falaram do Pallocci ali em cima… Custa nada aprender a interpretar textos

Minas Sem Censura pendura Sarney e ACM no pescoço de Aécio Neves | Viomundo - O que você não vê na mídia

08/06/2011 - 17h17

[…] A rádio Arco-Íris é um dos questionamentos da representação ao Ministério Público Federal (MP… […]

Responder

Marco Aurelio

03/06/2011 - 21h48

Primeiro suplente do senador Itamar Franco tem patrimônio invejável que o TRE desconhece

O Ministério Público de Minas instaurou procedimento investigatório para analisar a evolução patrimonial do ex-deputado, José de Oliveira Costa, o Zezé Perrella (PDT). Mais conhecido por presidir o Cruzeiro, Perrella é o primeiro suplente do senador Itamar Franco (PPS), que se licenciou na semana passada para tratar de uma leucemia.

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público do MP Estadual abriu investigação com base em reportagem do jornal Hoje em Dia, segundo a qual Perrella teria ocultado de seu patrimônio uma fazenda avaliada em cerca de R$ 60 milhões.

Em maio do ano passado, a Polícia Federal abriu inquérito para apurar enriquecimento ilícito do ex-deputado e de seu irmão, Alvimar de Oliveira Costa, que também já presidiu o clube mineiro. Ambos são suspeitos de lavagem de dinheiro e evasão de divisas na venda de jogadores ao exterior, como o zagueiro Luisão e o volante Ramires.

Mais Detalhes: http://osamigosdobrasil.com.br/2011/05/30/primeir

Responder

Rasec

03/06/2011 - 12h25

O povinho parece que é doido e não sabe que o MP é vendido aos tucanos! Aqui em São Paulo, então, vixe Maria. Que dirá em Minas, uai!
Desencanem, nada será apurado!

Responder

ZePovinho

03/06/2011 - 09h58

Esse menino dá um trabalho!!!!!!!!!!!

[youtube ssBtn1cBSM8 http://www.youtube.com/watch?v=ssBtn1cBSM8 youtube]

Responder

Melinho

03/06/2011 - 08h00

EU ERA FEDLIZ E NÃO SABIA.

Meu Deus, eu descobri que Aécio Neves é mais pobre do que eu. Que homem probo!

Vejam o patrimônio declarado do pobre coitado: Total do patrimônio declarado : R$617.938,42

Mas ele parece que esqueceu de declarar a frota de carros importados da Rádio Arco-Iris. Mas é claro que se trata de um pequeno lapso de memória.

Sem dúvida, esse é o tipo de mineiro que trabalha em silêncio. Aguardem para breve uma descoberta bomba: Aécio teria 28 filhos no Rio e 58 nas Alterosas.

Agora, silêncio! O homen está trabalhando.

Responder

Yarus

03/06/2011 - 04h46

Ei, cade as caixas de uisque que não constam na lista do Aébrio Neves? Ah, tá, isso não é bem durável na mão dele, né?

Responder

FrancoAtirador

03/06/2011 - 01h23

.
.
Aécio entrará em lista de donos de rádio e TV

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) passará a figurar no cadastro oficial de donos de rádios e TVs quando o Ministério das Comunicações aprovar o processo que pede a inclusão de seu nome na sociedade da rádio Arco-Íris.

Segundo o ministério, Aécio não está na listagem divulgada na internet porque o processo relacionado a ele, protocolado em janeiro, ainda não foi analisado.

Constam da lista os nomes da mãe de Aécio, Inês Maria, e de sua irmã, Andrea, proprietárias da rádio.

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticia.asp?cod

Responder

betinho2

03/06/2011 - 00h11

Azenha
Um artigo emocionante:
http://rsurgente.opsblog.org/2011/05/29/das-coisa

Responder

joenas

02/06/2011 - 23h28

O povo brasileiro é uma insignificante massa de manobra.Lê pouco e assiste muita porcaria;não conhece seus direitos,ama seus queridos ladrões.
O Brasil têm "Minas" inesgotáveis de escândalos.
Uma verdadeira festa com dinheiro público.
Informações privilegiadas a preços módicos!

Responder

    Rebecka Nízia

    16/06/2011 - 12h41

    É Joenas, você disse tudo: o povo brasileiro ama seus queridos ladrões!!! Uma infelicidade!

Márcio Martins

02/06/2011 - 23h19

Aécio: o típico político que vive escolhendo palavras. Tradução: demagogo. Ao contrário por exemplo, de Lula, que é espontâneo, entenderam a diferença?

Responder

ZePovinho

02/06/2011 - 22h52

http://www.portalcorreio.com.br/noticias/matler.a

quinta-feira, 2 de junho de 2011
LIBERDADE RELATIVA: MARCELO TAS QUER ME PROCESSAR

Estou indignada, mas vou me esforçar para não parecer tão indignada. Ontem, como vocês viram, publiquei um post mandando o CQC pra PQP. Isso foi no título. No texto em si eu estava muito mais comedida, e expliquei porque é misoginia ter nojo da anatomia feminina (principalmente quando esta anatomia não está a serviço dos homens adultos e héteros, como no caso da vagina no parto e dos seios na amamentação). Por que fiquei tão revoltada? Por uma questão de princípios. Não sou mãe, nunca quis ser mãe, e agora, prestes a completar 44 anos na próxima segunda, definitivamente não serei mãe. Portanto, nunca amamentei. Também nunca fiz aborto, e no entanto sou 100% a favor da legalização do aborto. Assim como não sou lésbica, mas comemorei quando a união homoafetiva passou no Supremo. Não sou negra, mas faça uma piadinha racista perto de mim. E por aí vai. Eu não defendo apenas as causas que me beneficiam diretamente………………………………

Responder

    ZePovinho

    02/06/2011 - 23h20

    Tá errado o link!!!!!!!!!É esse:
    http://escrevalolaescreva.blogspot.com/2011/06/li

    Vamos ajudar essa professora da Universidade Federal do Ceará!!!!!!!!!!!

    Bonifa

    03/06/2011 - 10h10

    Que coisa mais feia, seu Marcelo Tas. Feia, coisa de quem não sabe e de quem não quer saber! Coisinha. Mesquinharia. Falta de humor. Coisa figadal. Coisa de enfesado.

Valéria Brandão

02/06/2011 - 22h07

Eu, mineira, soube por São Paulo das estripulias do Aécio no Rio de Janeiro. Aqui pouco se falou das farras do ex-governador. Enquanto cidadã, espero que esse tipo de coisa não acabe em pizza, porque por mais que se tenham "amigos" que nos dêm ou emprestem bens e dinheiro, afirmo que aqui em Minas isso é o coronelismo que ainda impera. Situação triste a nossa, Minas já foi um bom lugar para se morar!

Responder

    helena catin

    03/06/2011 - 14h25

    Enquanto os mineiros enxergarem nas atitudes de Aético ESTRIPULIAS onde há roubo, improbidade, abuso de poder, fraude com a receita federal, estamos ferrados de verde e amarelo, é preciso que nós mineiros sejamos os primeiros a repudiar esse engodo para não sermos assaltados em nosso patrimonio no futuro.

luis

02/06/2011 - 21h55

Enquanto o PT acreditar no republicanismo abstrato, numa sociedade de classes e tratar inimigos como amigos, esse tipo de coisa vai acontecer. O cara é pego numa blitz, daí se abrem informações comprometedoras sobre seu "patrimônio" escondido, surgem ligações perigosas com o tal Oswaldo B. Costa e… o Partido dos Trabalhadores, pela sua direção nacional e bancadas federais ficam na defensiva.

Responder

    Rebecka Nízia

    16/06/2011 - 12h49

    A Luiz, me poupe!!! Estou aqui indignada com Aécio como estou do Lula, Dilma, Palocci e toda a PTralhada!!!
    Por favor Brasil!!! Parem com essa baboseira de defender partido!!! Ladrão não deveria ter partido!!! Seja de PSDB, de PT ou do "escambau a quatro"!!!
    Cadeia para os ladrões!!!
    Você Luis, fala com uma condescendência dessa turma de PTralhas, como se fossem santos e ingênuos! Não são! Têm sede do poder e vende qualquer mãe para manterem-se lá.
    ROUBOU? É LADRÃO!!! SEJA DE QUE PARTIDO FOR!
    AJUDA AÍ!!!

betinho2

02/06/2011 - 21h52

Politicamente, a quem favore uma campanha de descriminalização de drogas?
Uns 3 anos de campanha, poderiam diminuir o preconceito contra algum candidato emPÓado?
Essa questão certamente será levantada numa campanha em que Aécim seja candidato.
Quanto menos o eleitor julgar como um problema o consumo de droga, mais favorece o Aécim, tido
como usuário.
Elementar "caro" FHCia?

Responder

    marcio gaúcho

    02/06/2011 - 23h59

    É conhecido no Brasil inteiro como "aspirador de pó".

Zé Brasil

02/06/2011 - 20h36

Prezado Jornalista Azenha,

Há alguns anos atrás, lá pela década de 80, houve uma festa numa cidade do sul do Rio de Janeiro e que ficou conhecida como a Festa da Sirisada.
De fato, um sujeito, maitre d'hotel de conhecido estabelecimento hoteleiro patrocinou uma festa em sua residência, local onde foi servida aos convivas por sua esposa uma sirisada muito bem feita, conforme atestaram alguns dos participantes do jantar que mais ttarde relataram o ocorrido. Lá pelas tantas ia a festa animada e a esposa do anfitrião dá por falta deste e o procura pela casa terminando por encontrá-lo no quarto do casal acompanhado por um jovem garçon que servia a festa e numa situação como diria o Odorico Paraguassú "deverasmente comprometedora". Diante do espanto e revolta da esposa o sujeito saiu-se com esta:- Não é nada disto que você está pensando!
Assim saem-se sempre dos escândalos os ungidos pelo PIG: pegos de calças na mão, literalmente, tal e qual o maitre da Festa da Sirisada negam uma situação de fato. Com o Aébrio Bebes não será diferente, podem apostar. Haja sirí!

Responder

Neila

02/06/2011 - 19h27

É impressionante, o PSDB está todo trincado. O DEM esvaindo. O PPS onde sempre esteve: como sublegenda sem espinha dorsal. E a mídia golpista transforma o caso Palocci num drama sem precedentes. E o caso Aécio? Muito mais grave, cronologicamente anterior, nascido de um evento fortuito de abuso de autoridade e carteirada no Rio, o caso Aécio foi tratado pela midia como mais uma travessura de adolescente cinqüentão. Lamentável.

Responder

    Bonifa

    03/06/2011 - 10h13

    Sem querer defender o caquético PIG, longe disso. Mas o Aécio não é, ainda, o primeiro-ministro do Brasil.

MGsemcensura

02/06/2011 - 19h16

O caso Aécio precede ao do Palocci. Envolve as ações de Aécio e de sua irmã aínda em seu governo. Se a midia tradicional acha o tal caso Palocci grave, então o do Aécio é gravíssimo. Longe das desqualificações dessa midia, o bloco Minas Sem Censura afirma que sao casos distintos. Um declarou patrimônio e é cobrado a explicar. O outro oculta patrimônio, triangula transferência de propriedade da rádio, aloca recursos públicos em radio da mãe e da irmã, nomeia para cargo em seu governo o dono do jatinho que lhe é emprestado com frequencia etc. Ambos os casos devem ser apurados pelas instâncias competentes e não pela midia conservadora. Não há pacto de negligência e nem contrapeso. Doa em quem doer!

Responder

Fabiano

02/06/2011 - 19h14

Se explica aí Aécio Never!

Responder

Fabiano

02/06/2011 - 19h13

Esse bloco Minas sem Censura tá ficando bão!

Responder

El Cid

02/06/2011 - 19h07

Parece haver um equívoco no argumento que relaciona o caso Palloci com a denúncia do Bloco Minas sem censura.

O trabalho do Bloco iniciou-se antes do caso Palloci. Antes mesmo da constituição do Bloco, os deputados que o compõem já pelejavam na Assembléia de Minas denunciando o governo Aécio Anastasia. Quem assiste com alguma regularidade a TV Assembléia sabe que estas questões não resultam de um oportunismo partidário nem de uma manobra orquestrada de fora.

Agora, Adivinhem se o Jornal Estado de Minas e seu portal Uai escreveu uma linha sobre a questão. A página do jornal O tempo na internet e do Hoje em dia traziam ontem, ainda que timidamente, a notícia. O tal do Novo (velhíssimo) Jornal sequer menciona o assunto…

Responder

El Cid

02/06/2011 - 19h05

Cadê a Folha, o Estadão, Veja, Globo? Caladinhos? Será que alguém me explica o silêncio desses grupos?

… e aí "Estado de Minas – o grande jornal dos mineiros" ??? tá caladim pq ???

Responder

El Cid

02/06/2011 - 19h04

… procura-se apartamento no Leblon custando na faixa de 105 mil reais. Aécio têm um !!

Responder

El Cid

02/06/2011 - 18h58

… O PIG blinda ele, que tenha se enriquecido ilicitamente e de forma não declarada. Apesar da blindagem do PIG, a PGR tem muitas provas para por a mão no "gatuno gente fina".

Responder

Paulo Melo

02/06/2011 - 18h31

Esperamos que desta vez, a cupula do judiciáriuo não poupe mais umj ladrão. Chega de roubalheira e malandragen do país. Até quando vamos continuar pagando a conta para um monte de bandido dos cofres públicos. Antes roubavam bancos, hoje roubam o estado. Falei e assinei. Paulo Melo http://unaimg.com.br/?p=1317
ARTIGOS E REFLEXÕES SOBRE O MEIO AMBIENTE E A GESTÃO PÚBLICA, VAMOS CUIDAR ATIVAMENTE DE NOSSO PATRIMÔNIO. DENUNCIAR OS MAUS TRATOS É ATO DE AMOR.

Responder

Jorge Zimbábue

02/06/2011 - 18h14

O "Aeciômetro" é Tucano e Tucano, assim como Daniel Dantas, a filha do Cerra que quebrou o sigilo bancário de milhões de brasileiros e que teve seu patrimonio aumentado em 53.000 (veja no Conversa Afiada) vezes em um mês, esses não vão prá cadeia! Vê se o Senador Sarney apurou a representação contra os flagrantes delitos do todo poderoso ex-presidente do supremo "Gilmar Dantas?" E assim caminha o Brasil, pro beleléu…..Cadeia é prá pobre, preto e prostituta no meu Brasil varonil.

Responder

ZePovinho

02/06/2011 - 16h57

Vocês não entenderam nada.O resto do patrimônio que ele não declarou foi gasto com aquela substância pulverulenta que dá a maior onda tipo adrenalina,saca?Tá ligado?

Responder

Roberto

02/06/2011 - 15h57

Todo sujeito que finge ser bonzinho e possui um sorriso amarelo do tipo "sorriso que mifu",podem ter certeza que é um bom f.d.p. É só cavar raso que a sujeira vem toda á tona. Como um cara desses chegou a governador é fácil de explicar num país que teve o FHC como presidente.

Responder

edmil

02/06/2011 - 15h43

É AQUI NO RIO TEM EX-GOVERNADOR QUE DIZ TER UM PATRIMONIO DE 80.000 00
AQUI NO RIO TEM GOVERNADOR QUE DECLAROU CASA NO VALOR DE 200,000,00 E O VALOR É DE 4 000 000 00( milhoes) é uma mansao em mangaratiba e O MP NÃO FAZ NADA

Responder

    Conceição Lemes

    02/06/2011 - 18h22

    Edmil, letras minúsculas nos próximos comentários, por favor. abs

Maria

02/06/2011 - 15h31

Espero que o pig dê a esse caso do Aécio, o mesmo tratamento dado ao caso Palocci. Dois pesos e duas medidas, não pode. Vamos acompanhar para tirarmos a limpo se foi perseguição política à Dilma… vamos observando o comportamento da mídia.

Responder

Lu Pereira - BH

02/06/2011 - 14h17

Uma matéria bem fundamentada. Li tb na Folha, Estadão, Hoje em Dia e O Tempo….Vamos ver agora se o MPF vai apurar. Coisa ai tem….

Responder

helena catin

02/06/2011 - 14h16

O bolso do Aético é grande o suficiente para caber TODA a elite de Minas: mineradoras, legislativo, executivo, judiciario, empresarios, imprensa GASPARZINHO, e tendo todos estes no bolsinho é facil hipnotizar a mineirada que só sente o sangue pulsando nas veias qdo tem clássico atleticox cruzeiro, ou quando alguém fala mal de Minas e dos mineiros, aí sente-se um agito no sangue, mas passa rápido logo tudo volta ao normal ou seja a apatia imutável do nosso povo que é mais fatalista que arabes: maktub.

Responder

Julio Silveira

02/06/2011 - 13h36

Depois de ler que o procurador foi uma "dama" com o Palloci, acho que inauguramos outra fase na procuradoria desde o engavetador, agora temos o procurador "gentil".

Responder

Robson Porto

02/06/2011 - 13h33

Realmente tudo muito bonito… À guisa de combater a falta de ética, a oposição recorre a uma FRAUDE para convocar o Ministro. Piada mais pronta que essa nem o Simão fabrica…

PS: Já em relação ao patrimônio de Aécio, nem um pio por parte de nossa insuspeita imprensa… e quem piar será acusado de violador.

Responder

marta

02/06/2011 - 13h06

Em Minas, falam com carinho desse dissimulado, os que não procuram outras informações , que não Rede globo & cia. Considero uma vergonha a imprensa de um Estado como Minas, não poder denunciar falcatruas desse político, porque é intimidade por ele. Como pode em pleno século XXI ainda existir algo semelhante aos comandos do Clero na Idade Média. Tomara que "Minas sem sensura" consiga colocar um pouco de luz nas trevas que pairam na Imprensa de sua terra..

Responder

Marcelo de Matos

02/06/2011 - 12h12

Sem dúvida vamos estar cara a cara com dois Aécios: o playboy que é parado pelos policiais do bafômetro, dá porrada em loira no camarote da Sapucaí e o bom moço que a mídia irá nos apresentar na campanha eleitoral. Tudo isso permitirá a Serra tentar de novo a Presidência, talvez pelo Partido Social Democrático, do seu amigo Kassab.

Responder

macmonteiro

02/06/2011 - 11h21

Estive em MInas recentemente e fiquei chocado ao perceber como algumas pessoas ainda falam do "nosso antigo governador" com tanto carinho! Certamente, o cretino é bom de lábia…

Deve achar também que somos todos muito burros, para não estranhar a dissipação do "bon vivant"…

Responder

    Almerindo

    02/06/2011 - 11h51

    ??? Bom não!!! EXCELENTE de lábia… E a MAIORIA ESMAGADORA do povo mineiro acredita nele e em sua turma!!!

    Bonifa

    03/06/2011 - 17h04

    Veja bem, pode não ser assim… Diziam que o Jereisate era imbatível lá no Ceará e o povo deu-lhe um golpe de karatê fatal nas urnas…

    quantotempodura

    02/06/2011 - 13h42

    Te garanto que 98% da população de Minas não faz a menor idéia de que o Aécio mora no Rio.
    Imprensa comprada, população desinteressada. Fica difícil.

Álvaro

02/06/2011 - 10h59

Vão por mim…..não dá em nada não……a maioria dos nossos representantes do legislativo tão mais sujos que pau de galinheiro, e se apresentam como paladinos da ética…..

Responder

Gustavo

02/06/2011 - 10h49

Adivinhem se o Jornal Estado de Minas e seu portal Uai escreveu uma linha sobre a questão. A página do jornal O tempo na internet e do Hoje em dia traziam ontem, ainda que timidamente, a notícia.

Responder

Marco Santo

02/06/2011 - 10h47

Por um FIAT o Collor foi cassado em 1992. Evoluiram as leis no país?

Responder

    Fabio SP

    02/06/2011 - 17h33

    Segundo o Sarney não houve cassassão nenhuma. Tá lá na galeria do Senado… ou melhor, não está.

Bonifa

02/06/2011 - 10h40

Taí o que conseguimos tentando afastar Palocci do governo. Quando o figura é atacado por todos os lados e consegue manter-se de pé, o que é que acontece? Seu prestígio cresce, entre aliados e inimigos. Acumula respeito. É o manjadíssimo efeito pão, quanto mais se sova mais a massa cresce, ainda que seja massa podre. E depois que os governistas mostraram que estão dispostos a se descabelar e se esbofar pelo Palocci, sua importância multiplicou-se. O resultado aí está: – o Palocci todo pimpão, mais feliz que nunca, nadando como um atum nas águas ministeriais. Palocci agora é a mais fulgurante imagem do governo, o governo é o próprio Palocci. Os outros ministros nem aparecem e a própria Dilma arrisca-se a transformar-se em figura secundária, encolhidinha num canto, debaixo das sete pragas do PIG.

Responder

gorgona

02/06/2011 - 10h09

E quanto à filha do Serra? O Pt covarde de São Paulo não se manifestará? Será que é na prática outro PSDB enrustido? Tem de procurar o Ministério Público Federal como fizeram os mineiros. Não adianta nenhuma ação que tenha origem aqui em meu estado. Aqui em São Paulo já "está tudo dominado, há 20 anos"

Responder

    Bonifa

    02/06/2011 - 12h14

    E São Paulo ainda tem PT?

Palmas

02/06/2011 - 09h51

É o representante do PSDB nas próximas eleições presiddenciais??Cerra se foi, agora Aécinho.Esse PSDB cheira mal mesmo e prá quem é Basileiro está indo pró fundinho do poço. BYE.

Responder

Ivonete

02/06/2011 - 09h32

Não vai ser fácil elevar o Aécio à figura máxima da oposição, o PIG vai tantar, já está tentando. Enquanto isso, o Garotinho vai ganhando espaço político no congresso. Garotinho está na base de apoio ao governo apenas para ganhar força política. Eu aposto que logo ele acha uma maneira de romper com o governo, e se investirá no papel de líder de oposição. Matreiro, articulado, fisiológico, conservador, vai ser uma assombração.

Responder

Pedro Candido

02/06/2011 - 09h23

Olha só a trabalheira que o "Minas Sem Censura" teve pra levantar todos estes dados!! Gente, isso não é papel da nossa "IMPRENSA" . O PIG prefere o mais fácil, como o caso Palocci, que declarou seus bens, tá certo que de forma meio duvidosa, mais declarou. Aí fica fácil né, é só arrumar alguém pra vazar as informações e pronto, tá armado o circo!!

Responder

Leonardo Câmara

02/06/2011 - 08h50

Se fosse o procurador anterior Aécio estaria frito. Mas com esse aí, tenho minhas dúvidas…

Responder

Jorge Nunes

02/06/2011 - 08h34

Mas só um lado será investigado. Que é o lado do PT.

Acho que isso até pode ser bom. Olhe os outros partidos. O PT apresentou mais renovação que a oposição. Na oposição o paladino da ética no senado é Alvaro Dias que precisa de um trabalho de edição para não parecer muito idiota… compare com os senadores do PT mais novos e mais combativos (sempre sendo cortados da TV).

A cobrança da mídia e a insistência em criar escândalos fez o PT se renovar, se não Palocci já seria presidente. E vai ter que buscar novos nomes para o secessão de Dilma.

Haddad é aposta para São Paulo e outros vão surgindo para o Brasil.

O PT pode chegar nas próximas eleições completamente renovado. O PSDB por outro lado vai levar o mesmo Serra. No Rio os nomes são os mesmos… as vezes da mesma família.

Responder

mariazinha

02/06/2011 - 07h01

Esse mocinho nunca me enganou. Agora…Só quero ver se essa pauta vai ficar durante todo mês, diuturnamente, na mídia.

Responder

spin

02/06/2011 - 05h47

Segue link para imagem http://www.advivo.com.br/blog/iv-avatar-do-rio-me

Responder

Jose

02/06/2011 - 05h42

Isso pode ser a ponta do iceberg……..

Responder

flavio jose

02/06/2011 - 04h57

Agora começo a ver uma luz no fim do tunel da moralidade. É isso aí gente. Brasil pra frente. Vamos ver se a jlustiça atiinge tambem erros do psdb e do dem. Sabemos que a mídia cínica, corrupta e vagabundo vai tentar esconder esta realidade.

Responder

Geysa Guimarães

02/06/2011 - 01h35

É por aí. Comecemos pela juventude festiva do PSDB, depois a gente enquadra a 3a. idade.
Que se investigue o Palocci, mas também os outros. Varredura ampla, geral e irrestrita.

Responder

    franciscão

    02/06/2011 - 09h26

    Esse ambiente meio maluco de caça às bruxas, atende, antes de tudo, àqueles que têm interêsse na pavimentação do golpe de amanhã.

    Mário SF Alves

    02/06/2011 - 23h37

    Golpe a favor do quê? De um gerente-governo-capitalista ainda mais dócil?

    SAVIO SOBREIRA

    02/06/2011 - 10h24

    De acordo com os comentários do boca-mole, Boris Casoy(substituto do Paulo Francis), " Temos que passar o Brasil à LIMPO" , já está passando da hora. Politicos não deviam ter sigilo fiscal, temos que investigar o Aécio Neves também, por que não?????? Uma investigação não inviabiliza a outra!!!

Orellano Paz

02/06/2011 - 00h43

Dá-lhe "Bloco Minas Sem Censura"!

Responder

Fabio SP

02/06/2011 - 00h27

Amanhã ninguém aguenta o Azenha: SSSSAAAAANNNNNTTTTTTOOOOSSSSS na final da Libertadores.

Responder

betinho2

02/06/2011 - 00h11

E agora PHA, vamos detonar o Aécim?

Responder

FrancoAtirador

02/06/2011 - 00h02

.
.
É tudo verdade ?!?

A, É CIM !!!
.
.

Responder

    priscila presotto

    02/06/2011 - 02h07

    kkkkkkkkk!

    Mário SF Alves

    02/06/2011 - 23h31

    E o Brasil, é nosso?
    Ah! ÉCim! Sem sombra de dúvida; ou melhor, sem nem sequer a sombra de uma re(s)pública.

betinho2

01/06/2011 - 23h39

Saaiiii do matoooo Gerviiitaaaaa…A casa caiuuuuu

Responder

SILOÉ -RJ

01/06/2011 - 22h51

Se o ministério público não se manifestou antes, é por que já está no bolso do Aécio.

Responder

Deixe uma resposta