VIOMUNDO

Altamiro Borges: Será que os deputados federais fisgados pela Rede concordam com as declarações da chefona da sigla?

10 de janeiro de 2016 às 13h37

marina e aécio

Marina Silva volta aos braços de Aécio

por Altamiro Borges, em seu blog

A egocêntrica Marina Silva não aguentou ficar muito tempo distante dos holofotes da mídia. Nos últimos meses, no processo de legalização do seu partido, ela até controlou os seus ímpetos. A Rede conseguiu garantir o seu registro e fisgar cinco deputados federais. Diante da conspiração orquestrada pelo correntista suíço Eduardo Cunha e os líderes do PSDB, DEM, PPS e SD, a nova sigla procurou se diferenciar, rejeitando a proposta golpista do impeachment de Dilma. Agora, porém, ela sofre uma nova recaída e retorna aos braços do cambaleante Aécio Neves, a quem apoiou no segundo turno das eleições presidenciais. Com isso, lógico, Marina Silva garante generosos espaços na imprensa tucana.

Em entrevista à Rádio Gaúcha, nesta quinta-feira (7), ele defendeu exatamente a mesma proposta do rancoroso tucano – que até hoje não engoliu o derrota nas urnas. Para ela, a presidenta reeleita “não tem mais liderança política no país nem maioria no Congresso… O melhor caminho para o Brasil é o processo que está no TSE, porque teria a cassação da chapa com a comprovação de que o dinheiro da corrupção foi usado para a campanha do vice e da presidente”. A arrivista, que até hoje não se dignou a explicar a origem dos recursos do jatinho que transportava o encabeçador da sua chapa, o falecido Eduardo Campos (PSB), adora posar de pura, ingênua e paladina da ética.

Na sua deprimente recaída, Marina Silva usou até o mesmo argumento do cambaleante Aécio Neves: “Impeachment não é golpe”. Só faltou expressar seu apoio ao fundamentalista Eduardo Cunha – o que não causaria maiores surpresas. Na campanha eleitoral de 2014, a ex-verde se aliou a inúmeros trastes da direita religiosa. Será que os deputados federais que foram fisgados pela Rede concordam com as declarações de Marina Silva, a chefona da sigla? Será que a nova legenda irá se unir aos golpistas do PSDB, DEM, PPS e SD na ofensiva pelo impeachment de Dilma? Com a palavra, os convertidos de Marina Silva!

 Leia também:

Edmilson Paraná: Duas mentiras que a mídia dissemina para roubar o tempo do seu trabalho

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
8 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Samuel Souza

13/01/2016 - 18h01

E ai nobre deputado Alessandro Molon. O sr está com a palavra!

Responder

jossimar

11/01/2016 - 18h12

Sugiro uma matéria que explique do que a Marina vive?
Será que ela é assalariada do ITAÚ?
Recebe dividendos da Natura?
Mora de favor em alguma mansão de milionários?
Quem paga o que ela come?

Responder

Patrice L

10/01/2016 - 16h11

(Excelente artigo! Bem como o postado pelo Cafezinho! Aguardando figuras éticas como o Molon se pronunciarem!)

Insensível e oportunista, Marina fêz campanha com sorrisos e selfies em cima do cadáver do próprio companheiro de chapa (Eduardo Campos).

Agora, também golpista, quer fazê-lo em cima do cadáver da democracia.

Aliás, de há muito golpista: quis ganhar no tapetão – e com acusações falsas ao PT – a legalização da Rede (segundo o seu próprio companheiro Sirkis sugeriu, Marina apostou errado de que o seu carisma levaria a Rede a facilmente obter o mínimo de assinaturas de eleitores e simpatizantes, o que acabou não acontecendo).

Responder

Mauricio Gomes

10/01/2016 - 15h58

Essa picareta nunca me enganou, sempre foi uma traíra, egocêntrica e oportunista. Traiu os ideais do Chico Mendes, cuspiu no prato do partido que lhe deu todos seus mandatos e ainda por cima agora apoia o estupro da democracia em benefício próprio. Isso sem contar seu silêncio ensurdecedor sobre o desastre da Vale/Samarco em Mariana e sobre o jatinho fantasma sem dono.

Responder

FrancoAtirador

10/01/2016 - 14h25

.
.
O Resultado da Votação no TSE está Condicionada à Recondução de Gilmar Mendes pelo STF.
.
O 1º Mandato de Gilmar expira em 13/02/2016, e o Julgamento da AIME será a partir de Março.
.
(http://www.tse.jus.br/institucional/ministros/ministros)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    10/01/2016 - 14h34

    .
    .
    Composição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)
    .
    A Corte do Tribunal Superior Eleitoral, conforme determina
    o art. 119 da Constituição Federal de 1988, é composta
    de Sete Magistrados, escolhidos da seguinte maneira:
    .
    = Três ministros são eleitos dentre os membros do Supremo Tribunal Federal (STF);
    .
    = Dois ministros são eleitos dentre os membros do Superior Tribunal de Justiça (STJ);
    .
    = Dois ministros são nomeados pelo presidente da República,
    escolhidos dentre seis advogados de notável saber jurídico
    e idoneidade moral, indicados pelo STF.
    .
    Cada ministro é eleito para um biênio, sendo proibida a recondução
    após dois biênios consecutivos (CF/88, art. 121, 1ª parte).
    .
    O TSE elege seu presidente e vice-presidente dentre os ministros do STF,
    e o corregedor eleitoral dentre os ministros do STJ (CF/88, art. 119, parágrafo único).
    .
    Para cada ministro efetivo, é eleito um substituto escolhido
    pelo mesmo processo (CF/88, art. 121, § 2º, in fine).
    .
    A rotatividade dos juízes no âmbito da Justiça Eleitoral
    visa a manter o caráter apolítico [SIC] dos tribunais eleitorais,
    de modo a garantir a isonomia nos processos eleitorais.
    .
    .

    Patrice L

    11/01/2016 - 01h25

    Boas notas, Franco!
    O STF, se não for corporativista, tem o dever de não reconduzí-lo. Ultra partidário que é, Gilmar Dantas já deu sua posição anti-Dilma e anti-PT a conhecer faz tempo. Mas vamos fingir que o STF vai ser criterioso nesse caso…

    FrancoAtirador

    11/01/2016 - 13h34

    .
    .
    É isso aí, Patrice L.
    .
    Eles fingem que são ‘Apolíticos’
    .
    e nós fingimos que acreditamos.
    .
    .

Deixe uma resposta