VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Stedile:”Agronegócio tem mais poder econômico que o governo federal”

18 de junho de 2012 às 15h04

 

25 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Dirigente do MST diz que ministro Pepe Vargas está equivocado « Viomundo – O que você não vê na mídia

01/07/2012 - 15h45

[…] Stedile: “Agronegócio tem mais poder econômico que o governo federal” […]

Responder

Idilio Grimaldi: Com apoio da mídia, Paraguai inaugura o “golpe transgênico” « Viomundo – O que você não vê na mídia

23/06/2012 - 22h18

[…] Stédile: Agronegócio tem mais poder econômico que o governo federal brasileiro […]

Responder

Pão de Açúcar compra 15 toneladas de arroz orgânico do MST « Viomundo – O que você não vê na mídia

21/06/2012 - 13h45

[…] Stedile:”Agronegócio tem mais poder econômico que o governo federal” […]

Responder

Lu Witovisk

20/06/2012 - 12h18

Que aula!!! o “demonio” Stedile é de novo fantastico!! Já compartilhado.

Esse é o tipo de debate que os professores deveriam levar para sala de aula.

Responder

Valdir Rodrigues

20/06/2012 - 00h03

Mais uma entrevista sensacional do Stédile. Aliás, nunca vi esse homem falar sem ter algo a acrescentar à sociedade brasileira. Muito bom.

Responder

Alice Martins

19/06/2012 - 19h04

Essa entrevista teria que estar no curriculum escolar, pra que as crianças possam construir um Brasil de verdade, com um futuro que nos foi privado por uma burguesia inescrupulosa.

Responder

    Jotace

    19/06/2012 - 21h43

    Sugestão muito boa sua, Alice. Eu estudei numa escola rural do interior do Nordeste e em volta dela, em certa épocas do ano, estrepitavam tratores que tracionavam possantes arados ou grades que pulverizavam o solo que as chuvas depois carreavam. Hoje, os restos da antiga escola são rodeados pela mais completa desolação. A ‘agricultura moderna’ funcionou para isso e os vendedores de máquinas e de agroquímicos já se mudaram para outras plagas brasileiras a cumprirem sua missão de agentes da morte. Não há exagero, mas na paisagem do agonegócio, existe sequer uma árvore aonde um pássaro possa pousar ou fazer o ninho…É uma pena saber do despreparo com que os diplomados nas ciências agrárias deixam as universidades e escolas técnicas brasileiras quanto à agricultura ecológica. Por isso, o MST precisa ensinar àqueles profissionais quando se formam a única maneira de produzir alimentos de boa qualidade e cultivar a terra. Mas, as mesmas universidades colaboram com as multinacionais do veneno para que o consumo deles seja ainda maior. Um exemplo disso pode ser dado com a disciplina de‘Matologia’, criada para atender ao lobby e na qual se ensina como destruir com agrotóxicos a cobertura natural dos solos. Por que os governos ‘populares’ que temos tido investem tão pouco no MST ? Jotace

    dino

    24/06/2012 - 14h18

    aplausos…

André

19/06/2012 - 18h16

Essa entrevista, tinha que ser em Horário Nobre!

Responder

J Tavannes

19/06/2012 - 18h09

Tive a felicidade de assistir essa entrevista, com uma das maiores cabeças desse nosso Brasil. Nunca tinha presenciado alguém com tanta lucidez e conhecimento de causa.É o Brasil que não passa na mídia conservadora, que aprendemos a chamar PIG(Partido da Imprensa Golpista).

Responder

Jotace

19/06/2012 - 18h08

GOVERNO E MST

O Caio Prado Júnior, em seu antológico “A História Econômica do Brasil”, põe à mostra no capítulo intitulado ‘Imperialismo’ o sistema colonial brasileiro que reinava ainda nos idos de 1940, mas que ainda se mantém. Tal sistema, fundamentado na produção de matérias primas e gêneros alimentícios, voltada principalmente para a exportação, se agravou a tal ponto que já ameaça a própria nacionalidade, os destinos do Brasil como uma nação soberana. Curiosamente, programas como o do MST, honesta e patrioticamente conduzido pelo Stédile, recebem uma fração mais que miserável do copioso volume de recursos alocados ao agronegócio. Aonde está o nosso governo, e o que fazem os deputados e senadores do PT ? Aos que argumentam não ser possível num sistema democrático a correção do atual estado de coisas, que voltem os olhos da consciência para certos países vizinhos nos quais vêm triunfando governos honestos voltados para o povo. Jotace

Responder

    abolicionista

    20/06/2012 - 12h59

    Governo não é só presidente, Jotace. Veja o que o próprio Stédile diz sobre isso.

    Jotace

    20/06/2012 - 14h52

    Grato pela intervenção, abolicionista. ‘Formiga sabe que roça come’, Stédile tem toda a razão para não ir de encontro aonde pode encontrar algum apoio, mesmo mesquinho que seja. Mas eu abordei a questão como um todo e no qual o Exccutivo de Dilma (pelo qual muito lutei, também) tem adotado uma conduta de grande permissividade, sem que promova qualquer ação junto às bancadas do PT e, especialmente,à opinião pública, A cada dia temos conhecimento de mais uma entrega, de uma cessão aos e às piratas, do patrimônio do povo. Cordial abraço pra ti. Pela reestatização da Vale! Jotace

Kazuhiro Uehara

19/06/2012 - 11h21

Deveria ter uma punição à representante dos ruralistas e senadora por crime de lesa pátria.

Responder

    Jotace

    19/06/2012 - 14h58

    Prezado Kazuhiro,
    Também concordo com a sua afirmação. Aliás, e muito infelizmente para o Brasil, a senadora Kátia Abreu não está só no seu trabalho de vende-pátria. Há muitos “representantes do povo” da mesma categoria que a presidenta do CNA que, de igual modo, não se envergonham da forma em que atuam. Como defensora do agronegócio, a senadora não esconde suas aptidões como tal e chegou ao descaramento de afirmar que pobre deve comer agrotóxicos. Cordial abraço, Jotace

Nelson

19/06/2012 - 10h32

A constituição de um movimento social como o MST tem que ser exaltada, pois mostra a capacidade que temos de, unindo esforços, construir coisas nobres, em benefício de todos. Esta capacidade, infelizmente, ainda se encontra dormente entre a maioria dos brasileiros.
Assim, me sinto orgulhoso de que o MST tenha nascido aqui pertinho, na Encruzilhada Natalino, a não mais que 50km da minha cidade.

Vida longa ao MST!!!

Responder

Jotace

19/06/2012 - 03h21

A entrevista do Stédile foi magnífica e muito esclareceu ao grande público sobre o que realmente é e faz o MST. Ele não só demonstrou um conhecimento profundo da grande questão agrária, mas desfiou uma longa série de importantes realizações da entidade que preside. Deixou também claro o comportamento falaz, servil e anti-pátria, de grande parte da burguesia e da maioria da imprensa convencional quanto à magna questão da terra no Brasil. Mais ainda, denunciou o envolvimento de transnacionais que, não só arrebatam grandes extensões de terras do país, mas também desnacionalizam grandes segmentos da mineração e da agroindústria brasileiras. Numa demonstração de boa vontade para os dois últimos governos petistas, a cada dia recipientes de acusações de tibieza, de omissão e de inércia, atribuiu parte desse comportamento à necessidade de manter o Executivo ‘uma correlação de forças’ com os demais poderes. Os debatedores estiveram à altura do entrevistado, num programa de alto nível conduzido com maestria e elegância pelo jornalista e historiador Heródoto Barbero. Parabéns a ele e a Record por levarem à tela programa de tamanha relevância social. Jotace

Responder

francisco pereira neto

19/06/2012 - 00h43

Azenha
Estou muito preocupado com a total ausência de comentários neste post cuja entrevista com o Stedile foi incrível, magnífica.
As posições defendidas por ele são totalmente favoráveis a tudo que eu penso sobre a agricultura.
Quiçá tivessemos uns dez Stedile. A agricultura no país seria outra.

Responder

abolicionista

18/06/2012 - 23h27

Sempre fico impressionado com a clareza e a inteligência do Stédile. Faz a gente, que vive apertado aqui na cidade, ter uma noção da importância do MST. A compreensão que o Stédile tem da questão agrária no Brasil é inigualável. Mas que mais espanta é o quanto entender a questão agrária ajuda a entender o país como um todo. Brilhante! Todo apoio ao MST!

Responder

Christopher Rodrigues

18/06/2012 - 23h01

É a elite atrasada brasileira. Reforma agrária, já!

Responder

Renata

18/06/2012 - 22h50

Parabéns ao Stédile. Mais uma entrevista brilhante.

Responder

Fabio Passos

18/06/2012 - 21h41

Não tenha dúvida.

O agribusiness tem mais poder econômico do que o governo do Brasil.
A banca internacional é ainda mais forte.
Assim como as gigantescas transnacionais industriais.

O que o governo federal tem mais é confiança, apoio e votos da população.
É preciso acreditar na capacidade e força deste povo. Politizar os debates e lutar pela supremacia da democracia sobre o capital.

O governo não pode aceitar o jogo das mega-corporações capitalistas.

Temos a capacidade de mudar nosso futuro.
Não precisamos aceitar que as corporações definam nosso destino.

Responder

    Lucas Cardoso

    19/06/2012 - 20h21

    “O governo não pode aceitar o jogo das mega-corporações capitalistas.”

    O Estado brasileiro é capitalista, e como qualquer Estado capitalista, ele não trabalha contra as megacorporações, mas a favor delas. As corporações e o Estado não são oponentes, eles são duas cabeças da mesma hidra. Ainda mais no Brasil, onde o Capitalismo de Estado é a ideologia econômica dominante desde Getúlio Vargas.

    Não se pode esperar nessas circunstâncias que o governo faça outro jogo senão o da oligarquia plutocrática, nacional e internacional.

    Fabio Passos

    19/06/2012 - 21h17

    É claro que pode. E deve.
    Um governo do Partido dos Trabalhadores deve atender prioritariamente aos interesses do trabalho e não do capital.

Adilson

18/06/2012 - 20h58

Exelente entrevista..Que figura iluminada o Stédile.

Acima de tudo, um grande brasileiro.

Responder

Deixe uma resposta