VIOMUNDO

Serra aparece em planilha de doações; Folha esconde tucano

14 de dezembro de 2014 às 14h46

Lava Jato -Serra 1

1 - 1-lava jato SERRA 2 copia

Empreiteira associa valor de obra a doação

RUBENS VALENTE e GABRIEL MASCARENHAS

da Folha de S. Paulo

Planilhas apreendidas pela Polícia Federal na sede da empreiteira Queiroz Galvão, em São Paulo, indicam que a empresa vincula valores recebidos por obras públicas a doações eleitorais para partidos e candidatos.

O material foi recolhido em 14 de novembro passado, durante a sétima fase da Operação Lava Jato, denominada Juízo Final, que investiga o suposto desvio de recursos de obras da Petrobras.

Procurada pela Folha, a Queiroz Galvão confirmou que a planilha “representa estudos preliminares de disponibilidade de recursos em cada obra […] e que poderiam ser utilizados para doações, segundo avaliações ainda a serem realizadas”.

A empreiteira informou que os números “não necessariamente se converteram em doações” e que todas as doações realizadas “atenderam, estritamente, aos limites permitidos pela Lei”.

De acordo com a planilha, datada de 2014, para chegar ao valor da doação ao político a empreiteira fazia um cálculo sobre o valor recebido por determinada obra.

No caso do “VLT”, uma provável referência ao Veículo Leve sobre Trilhos da Baixada Santista, obra realizada pelo Governo de São Paulo por meio da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), foi aplicada uma fórmula sobre o “recebimento acumulado até med [medição]” de junho de 2014.

Após descontos, o valor chegava a “117.500”, possivelmente R$ 117,5 milhões, sobre o qual incidia o cálculo de “1,5%” vezes “66%”, resultando numa doação de R$ 1,16 milhão. Esse valor constituía uma “ProfPart”, que a Queiroz Galvão reconheceu ser uma “Provisão Financeira para o PSDB”, partido do governador Geraldo Alckmin.

Assim, segundo o cálculo, dois terços do valor destinado a doações (1,5% do recebido líquido) foi para o PSDB.

Em outra planilha apreendida ao lado da primeira, esse exato valor é atribuído ao “PSDB Nac. [nacional]”. Outros políticos destinatários de possíveis doações aparecem na planilha, com iniciais.

Segundo dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a empreiteira doou R$ 3,7 milhões ao diretório nacional do PSDB nas eleições de 2014.

Outro valor anotado na planilha, associado à obra “LV1″, uma possível referência a obras do Metrô, associa R$ 2,75 milhões em doações a “GOR”. Indagada pela Folha, a Queiroz disse que se trata de referência ao candidato do PT ao governo de São Paulo Alexandre Padilha.

A Queiroz Galvão doou R$ 3,5 milhões à campanha presidencial de Dilma Rousseff em 2014 mais R$ 11,1 milhões ao diretório nacional do PT, segundo os dados registros na Justiça Eleitoral.

A Queiroz Galvão explicou outras iniciais na planilha: “J.S.” é o senador eleito José Serra (PSDB-SP), “P.S.” é o candidato do PMDB ao governo Paulo Skaf e “E.A.” é o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Há outros valores associados a outras obras realizadas em São Paulo, como o CSS (Contorno de São Sebastião) e CEML (Consórcio Monotrilho Leste), realizados pelo governo de São Paulo, e a ETGUA, uma referência à Estação de Tratamento de Água de Guarulhos, na Grande São Paulo, esta executada pela Prefeitura de Guarulhos.

Procurado no início da noite desta sexta-feira (12) para comentar o assunto, o governo de São Paulo não havia se manifestado até a conclusão desta edição. A assessoria da prefeitura de Guarulhos não foi localizada.

Em nota, a Queiroz Galvão ressaltou ainda que “todos os anos a construtora recebe diversas solicitações originárias de vários departamentos da empresa para diferentes partidos e candidatos. As solicitações são avaliadas, não sendo aprovadas até decisão final da companhia”.

PS do Viomundo: Atentem à imagem no alto deste post. É a página A8 da edição deste domingo, 14 de dezembro,  da Folha de S. Paulo. O nome do senador  José Serra (SP-PSDB)  aparece no pé da página e na matéria que não é a principal. As flechas em vermelho sinalizam a localização.

Leia também:

Flávio Dino terá rádio pública e internet para enfrentar reação dos Sarney

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

33 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Maria

16/12/2014 - 16h34

Enquanto isso….. paga-se 76,00 de mínimo de assinatura em S. Paulo, na Vivo, isto mesmo sem usar, sem ligar pra outra cidade, sem internet.

E paga-se 150,oo por um pacote de dados de NET que evaporam em tempos cada vez menores. Até que vc se enfada, não tem a quem recorrer e corta o contrato antes de 1 ano. E paga 448,00 de distrato à vista. Este valor nunca foi mencionado no contrato, ver modelo de contrato na NET.

http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2014/12/16/pesquisa-cgi-gestao-paulo-bernardo-fez-brasil-ficar-para-tras-em-proporcao-de-conectados/

O que podemos fazer contra crápulas que permitem isso?

Responder

Jorge

16/12/2014 - 10h43

A globo também não mostrou…
hj de manhã no jornal bom dia São Paulo ficou 10 minutos metendo o pau na ciclovia feita pelo Addad…É isso aí…lei de meios já…

Responder

RodrigoR

16/12/2014 - 08h51

Do site Oriente Mídia
Relatório do Congresso sobre a tortura confirma que a Al- Qaeda não está implicada nos atentados de 11 de setembro.

http://www.orientemidia.org/relatorio-do-congresso-sobre-a-tortura-confirma-que-a-al-qaeda-nao-esta-implicada-nos-atentados-de-11-de-setembro/

A Marinha dos E.U. colocou em prática durante os mandatos do presidente George W. Bush; um programa que levou a raptar, no mundo inteiro, e a sequestrar mais de 80. 000 pessoas, em 17 barcos de fundo chato, estacionados em águas internacionais (estes navios são: o USS Bataan:, USS Peleliu, USS Ashland, USNS Stockham, USNS Watson, USNS Watkins, USNS Sister, USNS Charlton, USNS Pomeroy, USNS Red Cloud, USNS Soderman, USNS Dahl, MV PFC William B Baugh, MV Alex Bonnyman, MV Franklin J Phillips, MV Louis J Huage Jr, MV James Anderson Jr.). Ele limita-se a analisar o conteúdo de 119 casos de cobaias humanas, submetidas a experiências psicológicas em Guantanamo e em cerca de cinquenta prisões secretas, entre 2002 e final de 2009, ou seja, um ano após a eleição de Barack Obama.

Ao final restam as perguntas:

No entanto, as reais perguntas estão algures: porque é que a CIA cometeu tais crimes ? Porque é que ela fabricou confissões, permitindo conectar artificialmente a al-Qaida aos atentados de 11– de-Setembro? E, por conseguinte, não tendo a al-Qaida nenhuma relação com os atentados de 11– de—Setembro, quem é que a CIA procurou proteger?

Enfim, os EUA serão responsabilizados por crimes de Guerra, e crimes contra a Humanidade?

Responder

ricardo silveira

16/12/2014 - 02h11

Se tivéssemos um estado zeloso da sua democracia, dos direitos dos cidadãos, um jornal como Folha de São Paulo já estaria fechado há muito tempo. No entanto continua trabalhando para os tucanos sem nenhum constrangimento.

Responder

abolicionista

16/12/2014 - 00h57

Esperar o que de quem financiou tortura, assassinato e estupro. O pessoal fica perguntando o que sobrou da ditadura, mas o difícil é saber o que não sobrou…

Responder

De Paula

15/12/2014 - 18h22

O que é que preciso fazer para que aceitem meus comentários? Se for pendurar uma melancia no pescoço, posso tentar agora.

Responder

De Paula

15/12/2014 - 17h07

POEMINHA DO MIDIÁTICO PREOCUPADO:
Tucano, tucaninho;
Dá um tempinho.
Já não dá prá esconder
o sujo de teu caminho.

Responder

Arquimedes Andrade

15/12/2014 - 15h58

A grande mídia comercial é tucana ou seja parcial. Só tem porrada pra cima do PT que, aliás, já devia ter um grande jornal com todas as forças progressista à serviço do povo brasileiro.

Responder

Mancini

15/12/2014 - 11h29

O que que isso, minha gente?! ‘Assim não dá, assim não pode’… Não pode ser vero. O homem dos genéricos prevaricou. O termo seria esse. Os genéricos seriam dele mesmo. Tem cabelo o verdadeiro pai, não lembro!
http://refazenda2010.blogspot.com.br/

Responder

anac

15/12/2014 - 10h24

Os tucanos são inimputáveis. Seletivamente o PiG, MP e o Judiciário escolhem a quem punir. Punir não para acabar com a CORRUPÇÃO que sempre reinou no Brasil desde a época de Cabral. O coxinha que não fugiu do Mobral ou da aula de historia do Brasil sabe que as favelas, a miséria, a violência, produtos da corrupção, não surgiram em 2003 com a chegada do PT ao poder. A corrupção enriquecia ilicitamente os coronéis do Nordeste as custas do sofrimento do povo sertanejo. É historia. Fatos. Qualquer obra no Brasil só é feita a base de corrupção. Brasilia foi uma. As maiorias das empreiteiras envolvida no caso Petrobrás enriqueceram nessa época. Se tornaram o que são, bilionárias, com Brasilia, ponte Rio Niterói, Itaipu etc. Mas sempre o PiG apena se interessou em expor os corruptos, a raia miúda, até porque Globo, Folha, Estadão enriqueceram na ditadura quando a corrupção campeou e quem denunciasse acabava num pau de arara morto e desaparecido. Os corruptores sempre foram deixados livres para continuar delinquindo. Hoje foram pego como boi de piranha para pegar o PT e o governo Dilma possibilitando o golpe, foram levados ao sacrifício. Mesmo assim duvido que sejam punidos. O processo deverá ser propositadamente instruído com provas viciadas produzidas no inquérito da PF que possibilitarão sua anulação. E tudo permanecerá como antes no quartel de Abrantes, os corruptores livres para continuar delinquindo. O objetivo único alcançado, paralisar o governo Dilma.

Responder

Maria

15/12/2014 - 10h21

EU SEMPRE DISSE que a difernça entre PT e PSDB é que o PSDB corrompe a Injustiça.

Responder

Julio silveira

15/12/2014 - 09h18

A luta da midia venal não é por moralidade publica, por que a imoralidade publica muitos lhes beneficiaram e beneficiam, a luta é apenas pela concentração dessas oportunidades imorais nas mão mãos de seus mais afinados facilitadores. Aqueles que fazem de tudo para encobrir suas trapaças comuns e as cumplicidades escondidas no podre submundo das facilidades, essas que enriquecem clãs e lhes dão a proeminencia e as prerrogativas na hipocrisia nacional que vivenciamos.

Responder

leo

15/12/2014 - 08h21

Dois pontos precisam ser esclarecidos. Em primeiro lugar, não há dúvida de que a corrupção neste país não tem cara de partido, já que esse mal engloba centro, situação e oposição. O discurso cínico e demagogo de quaisquer lados não convence mais.

Em segundo lugar, ao invés de a esquerda apurar as devidas responsabilidades ou, pelo menos, se defender das acusações, ela procura a todo momento trazer a oposição para o olho do furacão. Na verdade, a esquerda pensa que, ao colar na situação a imagem de corrupta, estará se safando de todas as condenações.

Responder

    anac

    15/12/2014 - 10h27

    A PF do governo Dilma é que está possibilitando com as investigações essa devassa. Na época do PSDB ela estava literalmente amarrada. Esqueceu do obvio o coxinha rola bosta leo.

    anac

    15/12/2014 - 10h49

    Outra, no Brasil a punição sempre foi seletiva. Não por acaso os presídios estão sobrecarregadas apenas dos três ps: prostitutas, pretos e pobres. Acrescentar mais um p – petistas – aos que são escolhidos para cumprir pena de prisão não acabará com a corrupção no Brasil, muito pelo contrario. A corrupção existe porque uma das pontas um dos sujeitos, o ativo, os corruptores, nunca foram punidos, porque poderosos e potentes, membros da CASAGRANDE, fazem parte do grupo seleto dos 1%. A impunidade desde sempre garantida aos 1% no Brasil é o mal maior que impede que o pais avance. É a mãe de todos os males, a corrupção, a violência, a miséria, as favelas, etc. Os tucanos estão na turma dos inimputáveis, a quem é garantida a impunidade. Assim não acabaremos nunca com a corrupção. Muito pelo contrario, é um aviso de que fazendo parte de um seleto grupo o criminosos está autorizando delinquir está acima da lei. E ainda se passam de vestais como no Brasil acusando e denunciando os maus feitos dos outros. Ou damos um basta nisso ou não mudaremos nunca.

    Maria

    16/12/2014 - 16h36

    Você faz confusão com os termos ao escrever.

Luciano Costa

15/12/2014 - 07h46

E AGORA, DILMA?

Poder
‘Corrupção privada é mais perniciosa para a democracia’, diz Jorge Chavarría Guzmán
Situação pode gerar crise mundial como em 2008, diz secretário-geral da Associação Ibero Americana de Ministérios Públicos; punição a cartel da Lava Jato pararia o País
por André Barrocal — publicado 14/12/2014 08:02

http://www.cartacapital.com.br/politica/corrupcao-privada-e-mais-perniciosa-para-a-democracia-2359.html

Guzmán: “Hoje a corrupção por agentes econômicos lícitos ou ilícitos é a mais perniciosa para a democracia e o cidadão”
Leia também
Gerente da Petrobras que fez denúncias teria sido ameaçada, diz jornal
Lava Jato: MPF denuncia 35 envolvidos
Lava Jato: Janot critica tentativa de “desacreditar investigações”

Vista a olho nu pelos brasileiros em fraudes na Petrobras e no Metrô de São Paulo, a face privada da corrupção costuma despertar reações menos iradas – quando desperta. Deveria, porém, escandalizar bem mais, na opinião do secretário-geral da Associação Ibero Americana de Ministérios Públicos (Aiamp), Jorge Chavarría Guzmán. “Hoje a corrupção por agentes econômicos lícitos ou ilícitos é a mais perniciosa para a democracia e o cidadão”, diz.

Guzmán é procurador-geral de Justiça da Costa Rica, país caribenho de 5 milhões de habitantes que sedia a Corte Interamericana de Direitos Humanos e, por decisão da própria, extinguiu há décadas as Forças Armadas, para evitar golpes. Esteve em Brasília na terça-feira 9 em uma conferência pelo Dia Mundial de Combate à Corrupção promovida pelo Ministério Público Federal (MPF). Deixou suas impressões em uma curta palestra e em uma rápida conversa com CartaCapital.

“Na origem da corrupção”, afirma Guzmán, “está o interesse em tirar vantagens econômicas”. Um fenômeno humano, fruto de “egoísmo e ambição”, cujo potencial de estrago alcançou níveis inéditos. “A corrupção promovida desde os membros das diretorias das empresas do setor imobiliário levou a uma crise mundial em 2008”, diz. Milhões de empregos sumiram desde então, e até hoje há países tentando recuperar-se economicamente.

O escândalo da Petrobras é um exemplo local da capacidade de a corrupção privada causar dano em larga escala. Se as empreiteiras metidas nas fraudes fossem punidas como aparentemente merecem, o Brasil pararia. Quase todas as grandes construtoras tiveram dirigentes denunciados criminalmente pelo MPF na quinta-feira 11: OAS, Camargo Corrêa, Galvão Engenharia, Mendes Junior, Engevix, UTC. O grupo toca não apenas obras de refinarias petrolíferas suspeitas de superfaturamento. Está em projetos de diferentes setores por todo o País.

No início de dezembro, a Controladoria Geral da União (CGU) abriu processos administrativos contra as seis empreiteiras agora denunciadas e mais outras duas, Queiroz Galvão e Iesa. As apurações podem gerar desde multas até a proibição de as empresas assumirem novas obras. É improvável, no entanto, que tal proibição seja recomendada. E menos ainda que se proponha excluí-las de contratos públicos já em vigor. Em reuniões prévias na Casa Civil, o governo entendeu que era preciso punir as empreiteiras, não o País.

Em um encontro na segunda-feira 8 com a presidenta Dilma Rousseff, dirigentes das principais centrais sindicais reclamaram que em obras comandadas por empreiteiras envolvidas na Operação Lava Jato já estariam ocorrendo demissões e atraso de salários. Para os sindicalistas, a Petrobras deveria assumir os pagamentos.

O escândalo na estatal ilustra os malefícios da corrupção privada cometida por agentes lícitos. Mas há também casos praticados por agentes ilícitos, ou seja, criminosos. É o que acaba de se ver por exemplo no México, diz Jorge Guzmán. No fim de setembro, 43 estudantes desapareceram em uma das regiões mais pobres do país. Um mês depois, descobriu-se que foram assassinados por policiais e narcotraficantes. O mentor da chacina? Um prefeito (José Luis Abarca) e sua esposa (María de los Ángeles Pineda), segundo a Procuradoria de Justiça mexicana. O casal estaria no bolso do cartel das drogas. Abarca foi cassado e está preso com María desde o início de novembro.

Com um aparente ceticismo sobre as possibilidades de se combater corruptores privados, Guzmán aponta dois caminhos. O primeiro é acabar com um sentimento disseminado de impunidade. As polícias necessitam ser mais bem preparadas para investigar, as Procuradorias de Justiça precisam de independência, o Judiciário tem de julgar, doa a quem doer. Já o segundo… “Contra uma oferta de milhão de dólares, só o que lhe resta é o que o seu pai, o seu avô lhe ensinaram

Responder

FrancoAtirador

15/12/2014 - 06h27

.
.
O PSDB está em todas as Planilhas de Doações.

Devidamente guardadas nas Gavetas das Redações

de Globo, Folha, Estadão e do Detrito Fétido.
.
.

Responder

FrancoAtirador

14/12/2014 - 19h20

.
.
Em alguns casos, a Justiça vai a Jato. Em outros, pega o Jato.

29 Maio 2012 | 16h12 | Texto Atualizado às 19h35
O ESTADO DE S. PAULO [ESTADÃO]

“Gilmar Mendes admite dois voos em aviões cedidos por Demóstenes”

Mariângela Galucci

Ministro do STF nega, no entanto, que tenha viajado
em aeronaves de Carlinhos Cachoeira

BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)

Gilmar Mendes disse nesta terça-feira, 29,

que nunca voou em avião de Carlos Augusto Ramos,

o Carlinhos Cachoeira, mas que por duas vezes viajou

em aeronaves cedidas pelo senador Demóstenes Torres [DEM/GO].

As duas viagens, segundo Mendes, foram de Brasília para Goiânia

e realizadas em aviões de uma empresa de táxi aéreo chamada Voar.

Mendes afirmou ter viajado para participar de um jantar

e de uma formatura, em 2010 e 2011.

Nas duas ocasiões, o ministro Dias Toffoli também estava no avião,
de acordo com Mendes.

Em uma das viagens, também estava [o ex-presidente do STF, Nelson] Jobim

e na outra, a ministra Nancy Andrighi, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

“Vamos dizer que o Demóstenes me oferecesse uma carona num avião
se ele tivesse. Teria algo de anormal?”,
perguntou Mendes, numa sinalização de que não haveria problemas.

Indagado sobre o fato de o ex-ministro Nelson Jobim não ter confirmado
a suposta tentativa de Lula de intimidá-lo, Mendes respondeu:
“Se eu fosse Juruna eu gravava a conversa, né?
Ficaria interessantíssimo.”
“Estou dizendo a vocês o que ocorreu.
Posso ter uma interpretação errada,
é um relato de uma conversa de quase duas horas.
Mas os senhores sabem de uma coisa:
eu não tenho a tradição de mentir [SIC]*.
Eu posso até interpretar os fatos,
mas os senhores não me viram me desmentindo
ao longo da minha carreira”, declarou.

Mendes contou que não tem falado
com Demóstenes, de quem era amigo.

Ele disse que antes do escândalo
o senador parecia ser uma pessoa diferente…

(http://naofo.de/27r2)
(http://abre.ai/gilmar-e-demostenes-no-jatinho-do-cachoeira)
.
.
[*] Gilmar admite que foi ele quem pediu reunião com Lula à época

Ministro do STF reafirmou que só falou à imprensa,
que foi pressionado por Lula na casa de Jobim,
após ouvir jornalistas nos bastidores [em off].

Por Cíntia Alves

Jornal GGN – Na segunda parte da entrevista publicada nesta segunda-feira (1/12) pela Veja online,
o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal,
admitiu que pediu uma reunião com o ex-presidente Lula em meados de 2012,
época de efervescência em torno do julgamento do mensalão e da CPI do Cachoeira.

Na imprensa, circulou uma versão de que Gilmar e Lula
teriam se encontrado em um jantar oferecido pelo ex-ministro Nelson Jobim,
e que o petista teria oferecido proteção a Gilmar na CPI em troca do retardamento do julgamento da AP 470.

À Veja, o ministro do Supremo reafirmou o que havia dito, em maio de 2012, ao jornal Zero Hora: que o encontro se deu no escritório de Jobim.

Mas esclareceu que ele mesmo solicitou a reunião.

Gilmar afirmou que só contou à imprensa,
que Lula o havia pressionado para adiar o julgamento do mensalão,

após ouvir de jornalistas, em off, que o Planalto espalhara boatos

sobre seu envolvimento com Cachoeira e Demóstenes Torres.

Naquele ano, ele disse ao jornal: “Como eu venho defendendo expressamente o julgamento [do mensalão] o mais rápido possível, é capaz que alguma mente tenha pensado: ‘Vamos amedrontá-lo’. E é capaz que o próprio presidente esteja sob pressão dessas pessoas.”

A jornalista de Veja quis ouvir do ministro, novamente, se houve,
por parte de Lula, pressão para que o julgamento do mensalão
não acontecesse em 2012, na tentativa de evitar a politização do episódio.

“Houve tentativa de achaque, à época?”, perguntou ela.
“Eu interpretei que sim”, respondeu o ministro.

“Mas na verdade, isso precisa ser contextualizado”, emendou.

“Eu queria falar com Lula em função de sua doença.

Eu cultivei boa relação com ele à época de sua presidência.

Eu liguei várias vezes para saber do seu estado de saúde.

E em uma conversa com Jobim, eu disse que quando Lula estivesse em Brasília,

eu gostaria de encontrá-lo”, justificou.

(http://jornalggn.com.br/noticia/gilmar-admite-que-foi-ele-quem-pediu-reuniao-com-lula-a-epoca-do-mensalao)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    14/12/2014 - 19h56

    .
    .
    Leia também:

    Ministro Gilmar, do STF, concede liminar
    para ex-Senador do DEM, Demóstenes Torres,
    retornar às atividades no MP de Goiás

    03/07/2014 19h23
    Folha de S.Paulo

    Gilmar Mendes autoriza Demóstenes a trabalhar no Ministério Público

    Mariana Haubert, de Brasília

    O ministro Gilmar Mendes (Supremo Tribunal Federal) concedeu uma liminar

    nesta quinta-feira (3) para permitir que o ex-senador Demóstenes Torres [DEM/GO]

    volte a atuar como Procurador de Justiça no Ministério Público de Goiás.

    Como a decisão é liminar, o plenário da Corte ainda precisará analisar o caso,

    mas enquanto isso não acontece, Demóstenes pode assumir o cargo novamente.

    (http://abre.ai/gang-do-cachoeira_gilmar-livra-demostenes)
    .
    .
    São Paulo, quinta-feira, 30 de setembro de 2010
    Folha de S.Paulo

    Após falar com Serra, Mendes para sessão

    Ministro do STF adiou julgamento que pode derrubar
    exigência de dois documentos na hora de votar

    Candidato e ministro negam conversa, que foi presenciada pela Folha;

    MOACYR LOPES JUNIOR
    CATIA SEABRA
    DE SÃO PAULO

    Após receber uma ligação do candidato do PSDB

    à Presidência da República, José Serra,

    o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes

    interrompeu o julgamento de um recurso do PT

    contra a obrigatoriedade de apresentação

    dos dois documentos na hora de votar.

    Serra pediu que um assessor telefonasse para Mendes

    pouco antes das 14h, depois de participar de um encontro

    com representantes de servidores públicos em São Paulo.

    A solicitação foi testemunhada pela Folha.

    No fim da tarde, Mendes pediu vista (mais prazo para análise),

    adiando o julgamento.

    Sete ministros já haviam votado pela exigência de apresentação

    de apenas um documento com foto, descartando a necessidade do título de eleitor.

    “MEU PRESIDENTE”

    Ontem, após pedir que o assessor ligasse para o ministro,
    Serra recebeu um celular das mãos de um ajudante de ordens,
    que o informou que Mendes estava na linha.

    Ao telefone, Serra cumprimentou o interlocutor como “meu presidente”.

    Durante a conversa, caminhou pelo auditório.

    Após desligar, brincou com os jornalistas:
    “O que estão xeretando?”

    Depois, por meio de suas assessorias, Serra e Mendes
    negaram a existência da conversa.

    O resultado do julgamento já está praticamente definido,
    mas o seu final depende agora de Mendes.

    Se o Supremo não julgar a ação a tempo das eleições,
    no próximo domingo, continuará valendo a exigência.

    À Folha, o ministro disse que pretende
    apresentar seu voto na sessão de hoje.

    Colaboraram FELIPE SELIGMAN e LARISSA GUIMARÃES,
    da Sucursal de Brasília

    (http://abre.ai/gilmar-serra_duplinha-infernal)
    .
    .

    anac

    15/12/2014 - 11h12

    Para quem não entende o que significa o aparelhamento politico de uma instituição ou órgão publico, Gilmar é um belo exemplo de aparelhamento pelo PSDB. Geraldo Brindeiro ex-PGR é outro, engavetava TUDO que dizia respeito ao governo FHC. Dois exemplos perfeitos e acabados de aparelhamentos que deram certo. Nesse quesito do aparelhamento os petistas são no mínimo amadores, a meu ver um bando de incompetentes, vide Joaquim e Toffoli.

Carlos

14/12/2014 - 19h02

Esta manipulação terá reflexo destrutivo em gerações futuras. Aliás, isso já existe há uma década. Sempre feito descaradamente. E o que se vê hoje é um despreparo completo de jovens brasileiros. Aqueles que os enganam; são vistos como verdadeiros heróis.

Responder

Abelardo

14/12/2014 - 18h43

CORREÇÃO: Há um fato intrigante sobre a relação e o comportamento da grande mídia com os últimos grandes escândalos de corrupção no Brasil. Se formos raciocinar com total independência e isenção de pensamento e nos atermos exclusivamente ao padrão de comportamento usado pela grande mídia nos últimos escândalos de corrupção no país, certamente nos surpreenderemos com várias dúvidas e perguntas, que, até o momento, estão sem respostas. Entre algumas, a que mais me intriga é a seguinte: “Se a grande mídia brasileira, diante do mundo, arrisca-se a ser questionada, a ser mal vista, a perder conceito e respeito por adotar abertamente e sem pudor o uso imoral de noticiários abusivos e radicais contra um determinado grupo político, com intuito flagrante de enfraquecê-lo, prejudicá-lo e tentar, talvez, eliminá-lo do cenário político brasileiro, é sinal que essa cortina de fumaça tenta esconder e camuflar outras verdades, muito mais sérias e graves”. Sendo for correto esse raciocínio, já que com o outro grupo (que é opositor)não acontece nada disso explica-se porque, ainda com o possível constrangimento de alguns profissionais do ramo, ela submete-se a esse vexatório comportamento para o mundo. Mas, o que poderão ser essas terríveis verdades que a grande mídia tem tanto medo que se revele? Serão como já se disse verdades suficientes para acabar com a república? Quantas e quais serão as majestosas autoridades, que ela tenta encobrir e quais são os segmentos importantes a que elas pertencem? Se, talvez, ela tenta encobrir e camuflar celebridades e/ou autoridades da elite brasileira com tanto vigor, com tanto estardalhaço e com tão alto risco de descrédito e punição, estará ela também envolvida? Se ela estiver mesma envolvida, o desespero e o destempero se justificam. Mas, sendo assim, esse envolvimento seria então desde quando, até quanto e em que nível de participação?
Existirá força moral e ética no país com coragem de apurar, julgar e punir tantos abusos, escárnios e covardias patrocinadas pela grande mídia, sem se preocuparem com as verdades que possam surgir? Afinal, o que não falta, a grande mídia, é demonstrações vergonhosas de desrespeito as leis, entre outros maus exemplos.
“Você nunca conhece realmente as pessoas. O ser humano é mesmo o mais imprevisível dos animais. Das criaturas”. (Hilda Hilst)
Responder

Responder

    anac

    15/12/2014 - 11h17

    A mídia tem o mesmo DNA corruptor das empreiteiras. Enriqueceram ilicitamente na corrupção. No final vão produzir um processo cheio de vícios – provas viciadas – para anula-lo para que saiam impunes os potentes e poderosos. Não é a primeira vez que as empreiteiras são pegas com as calças curtas e se safaram antes e se safarão agora. Não há nenhum interesse de acabar com a corrupção que possibilitou os 1%, dono da mídia e empreiteiras ficarem bilionários. Foi por causa da corrupção que eles enriqueceram.

renato

14/12/2014 - 18h40

Assim é dificil.
Enquanto isto a Veja enquadra toda semana o PT.
Quem perde com isto é a esquerda brasileira..
Que fica num silencio ensurdecedor..

Responder

Abelardo

14/12/2014 - 18h37

Há um fato intrigante sobre a relação e o comportamento da mídia com os últimos grandes escândalos de corrupção no Brasil. Se formos raciocinar com total independência e isenção de pensamento e nos atermos exclusivamente ao padrão de comportamento usado pela mídia nos últimos escândalos de corrupção no país, certamente nos surpreenderemos com várias dúvidas e perguntas, que, até o momento, estão sem respostas. Entre algumas, a que mais me intriga é a seguinte: “Se a grande mídia brasileira, diante do mundo, arrisca-se a ser questionada, a ser mal vista, a perder conceito e respeito por adotar abertamente e sem pudor o uso imoral de noticiários abusivos e radicais contra um determinado grupo político, com intuito flagrante de enfraquecê-lo, prejudicá-lo e tentar, talvez, eliminá-lo do cenário político brasileiro, é sinal que essa cortina de fumaça tenta esconder e camuflar outras verdades, muito mais sérias e graves”. Sendo for correto esse raciocínio explica-se porque, ainda com o possível constrangimento de alguns profissionais do ramo, ela submete-se a esse vexatório comportamento para o mundo. Mas, o que poderão ser essas terríveis verdades que a grande mídia tem tanto medo que se revele? Serão como já se disse verdades suficientes para acabar com a república? Quantas e quais serão as majestosas autoridades, que ela tenta encobrir e quais são os segmentos importantes a que elas pertencem? Se, talvez, ela tenta encobrir e camuflar celebridades e/ou autoridades da elite brasileira com tanto vigor, com tanto estardalhaço e com tão alto risco de descrédito e punição, estará ela também envolvida? Se ela estiver mesma envolvida, o desespero e o destempero se justificam. Mas, sendo assim, esse envolvimento seria então desde quando, até quanto e em que nível de participação?
Existirá força moral e ética no país com coragem de apurar, julgar e punir tantos abusos, escárnios e covardias patrocinadas pela grande mídia, sem se preocuparem com as verdades que possam surgir? Afinal, o que não falta, a grande mídia, é demonstrações vergonhosas de respeito as leis, entre outros maus exemplos.
“Você nunca conhece realmente as pessoas. O ser humano é mesmo o mais imprevisível dos animais. Das criaturas”. (Hilda Hilst)

Responder

Nelson Sales e Silva.

14/12/2014 - 17h56

É inacreditavel a cortina que a midia estende sobre a corrupção do psdb. Será que a gatunagem só é prejudicial se partir do P.T.?

Responder

Nelson

14/12/2014 - 17h02

Não raro, em seus textos, o sociólogo argentino, Atílio Borón, faz alusão ao”apodrecimento moral da sociedade ocidental”, quando se refere à Europa ocidental e aos Estados Unidos, países que se dizem democráticos.

Pois o apodrecimento moral da Folha e da nossa mídia hegemônica como um todo parece não ter limites.

Responder

Luciano Prado

14/12/2014 - 16h52

Eu havia desconfiado das declarações de Serra sobre o boicote ao trem-bala. Fez questão de falar isso publicamente. Certamente vai usar essas declarações no futuro quando a coisa apertar.Anotem.

Responder

Lukas

14/12/2014 - 15h40

Até que enfim uma noticia da Petrobras por aqui, achei que havia censura.

Parabéns.

Responder

    Julio silveira

    15/12/2014 - 09h12

    Como sempre o sr Lukas só percebe a critica quando atinge seu umbigo.

Cascatinha

14/12/2014 - 15h00

Esses fatos deveriam estar circulando nas emissoras de tv. seria mais interessante do que ficar repetindo as mesmas noticias sobre a petrobras.

Responder

Deixe uma resposta