VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Rodrigo Vianna: Golpe midiático em marcha repete o de 2006

25 de outubro de 2014 às 14h12

Captura de Tela 2014-10-25 às 13.59.30

Uma das “indecisas” do debate da Globo (enviado por Lucia Barbi, no Facebook)

Golpe midiático em marcha: Globo entra no “escândalo” da Veja


por Rodrigo Vianna, em seu blog

A Justiça reconheceu o caráter eleitoreiro da última edição de Veja – e proibiu que seja feita publicidade da revista.

Reparem: não se impede a circulação da revista, mas se proíbe que a edição cumpra seu papel nefasto de propaganda mentirosa a serviço do PSDB – às vésperas da eleição.

A decisão judicial traz alento. Mas não interrompe o golpe midiático.

Reparem também que a Globo, na sexta-feira, não deu qualquer repercussão à “denúncia” desesperada de Veja.

O JN fugiu desse terreno pantanoso. Por um motivo muito claro: Dilma, com seu duro pronunciamento contra o golpismo da Editora Abril, mandou um recado para Ali Kamel.

A presidenta avisou que, se a Globo entrasse na aventura, teria resposta no mesmo tom.

Imaginem a seguinte situação: o JN embarca na aventura golpista de Veja, promovendo a leitura da edição impressa em rede nacional, por volta de 20h de sexta-feira.

Menos de duas horas depois, Dilma abre o debate da Globo denunciando a própria Globo por golpismo.

Por isso, o JN fugiu do pau.

E, também, porque a revista da marginal não traz qualquer prova, nada. O texto da revista mesmo diz que os “fatos” narrados pelo doleiro não servem para comprometer Lula e Dilma (isso está lá no texto da revista – que me recuso a linkar).

panfleto-veja

Xerocada, a capa de Veja se converteu em material de campanha em São Paulo, diz Maria Frô

Ou seja, o texto faz a ressalva, mas a capa da revista da marginal serve como panfleto tucano.

Pois bem, esse era o quadro na sexta-feira…

Acontece que, neste sábado, Dilma já não terá voz para responder. Não há propaganda eleitoral. Não há debate. Os candidatos estão proibidos de falar. Mas a Globo de Ali Kamel está livre para agir – no limite da irresponsabilidade.

Do que estou falando?

A Folha, na edição deste sábado, deu manchete principal para a “criminosa” (nas palavras de Dilma) edição de Veja. A Folha endossou a denúncia de um bandido, feita sem provas, a 3 ou 4 dias da eleição.

Qual o objetivo dessa manchete da Folha? Oferecer uma saída plausível para que Ali Kamel e a família Marinho levem o golpismo midiático para o JN de sábado.

É assim que eles trabalham: operações casadas – como se pode ler aqui, num texto didático de Luiz Carlos Azenha.

Em 2006, eu estava na Globo. Azenha, eu e outros colegas acompanhamos de perto a cobertura enviesada promovida pela Globo no chamado escândalo dos “aloprados”.

A Globo colocou Lula na defensiva: o aparato jornalístico global – durante 10 dias – abria espaço para que os candidatos Alckmin (PSDB), Cristovam (PDT) e Heloisa Helena (PSOL) perguntassem no JN “de onde veio o dinheiro para a compra do dossiê dos aloprados?”.

Era um massacre com ares jornalísticos. E era a preparação para o grande final… que viria logo depois.

Faltando 3 dias para a eleição de 2006 (primeiro turno), as fotos do dinheiro apareceram.

Na verdade, o delegado Bruno (da PF) entregou as fotos para Cesar Tralli, da Globo. Um produtor da Globo me contou que, quando Tralli mostrou o material bombástico, a direção da Globo (Ali Kamel) teria dito: “não podemos dar essas fotos sozinhos; seremos acusados de um golpe; só podemos dar se o delegado vazar também para outros jornais”.

E assim se fez: no dia seguinte,  o delegado Bruno chamou meia dúzia de jornalistas e entregou as fotos.

A página do Estadão na internet logo publicou. Assim, o JN sentiu-se liberado para também noticiar o “fato” em sua edição, a 3 dias do primeiro turno.

O mesmo roteiro desenha-se agora.

Na sexta, a Globo fugiu do assunto: por cautela. Não seria bonito ver Dilma denunciando a Globo por golpismo dentro dos estúdios da Globo no Rio.

Mas nada como um dia depois do outro. O sábado chega, a “Folha” endossa a “Veja”, e assim Ali Kamel ganha o álibi perfeito: “poxa, virou um fato jornalístico, todo mundo está divulgando”.

Nessa tarde de sábado, essa decisão será amadurecida. Se houver chance de empurrar Aécio para a vitória, o JN levará a “denúncia” para o JN.

Um amigo jornalista – com mais de 30 anos de experiência – foi quem deu o alerta: “eles estão com o roteiro pronto –  da Veja para a Globo, com endosso da Folha”.

Segundo esse colega jornalista, a operação  se confirmada – “seria um fato ainda mais grave do que a manipulação do debate Collor x Lula em 89″.

Se Dilma mantiver uma dianteira folgada nas pesquisas (Ibope e DataFolha) que serão concluídas nas próximas horas, aí o JN provavelmente será comedido: pode simplesmente ignorar a Veja, ou então pode tratar a revista da marginal de forma mais discreta…

Mas se houver qualquer sinal de que Aécio pode reagir, a Globo entrará pesado. Não tenham dúvidas.

A Democracia brasileira segue sequestrada por meia dúzia de famílias que controlam as comunicações.

Dilma mostrou, na sexta, que carrega com ela a coragem brizolista para enfrentar os barões midiáticos.

Se conseguir a vitória, o confronto será mais do que necessário, será inevitável daqui pra frente.

Os golpistas tentam empurrar Aécio pra vitória, na marra. E se não conseguirem, já sinalizam que o caminho da oposição será o golpe jurídico-midiático.

O confronto está claro, cristalino. Não adianta mais fugir dele.

O golpe pode não vir no JN de hoje, se Dilma mantiver a sólida vantagem de 8 ou 10 pontos que aparece nos trackings internos deste sábado.

Mas o golpismo voltará a cada semana, a cada manchete.

É hora de tratar os barões da mídia como de fato são: inimigos!

Não do PT e da esquerda; inimigos de um projeto social generoso, inimigos da Democracia.

Os barões da mídia representam o atraso, o preconceito, são o partido de direita no Brasil.

Um partido extremista, que precisa ser enfrentado, e derrotado. Nas urnas e nas ruas.

Captura de Tela 2014-10-25 às 14.20.36

PS do Viomundo: A Globo já deu o primeiro tiro, reproduzindo as denúncias da revista Veja no Jornal Hoje, em reportagem de 5 minutos e 21 segundos. Aproveitou-se de uma manifestação da UJS diante do prédio da Abril, em São Paulo. A reportagem de Ali Kamel não diz que a revista Veja antecipou sua edição em dois dias, nem que a Globo faz jogo casado com a Veja em campanhas eleitorais, nem que o esquema midiático funcionou em 2002, 2006 e 2010. Em resumo, a denúncia da “barbárie” dos jovens socialistas é feita de forma descontextualizada.

PS2 do Viomundo: Segue relato de um jornalista que trabalha na Abril sobre o clima no prédio da Marginal de Pinheiros:

Da editora Abril, coletei ontem e hoje o testemunho de jornalistas que trabalham em quatro publicações diferentes da casa – nenhum deles na Veja. A palavra mais repetida foi “vergonha”. Há um clima de intensa insatisfação no prédio da marginal Pinheiros. “Passou dos limites”, “Se pudesse, pedia demissão”, “Se não processar por calúnia, o governo é covarde” foram algumas das coisas que ouvi por telefone e whatsapp. A edição impressa foi disputada. Em ao menos uma redação, trechos da reportagem foram lidos em voz alta. As reações da plateia variavam entre o riso e a indignação. Em alguns andares, houve comemoração com a chegada da manifestação que picou revistas e pichou muros da editora. Há também quem esteja otimista, vislumbrando na manobra o canto do cisne do “reino da baixaria”, como definiu uma das fontes. “A Veja queima o nosso filme. Até por razões de mercado, a Abril não pode ficar marcada como sinônimo de ódio e irresponsabilidade. E isso justamente com a sua maior revista”.

PS3 do Viomundo: Vox Populi desta noite, chutamos, deve dar Dilma 54% x Aécio Neves 46%.

Leia também:

Lula e o “quem não pula é tucano” no centro de São Paulo

 

46 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Julio

26/10/2014 - 16h36

As mentiras sobre a morte do doleiro Yousseff e da revista veja comprovam que psdb = partido só de bandido

Responder

Sidnei Brito

26/10/2014 - 12h22

Hoje à noite, quando os âncoras e convidados estiverem tripudiando sobre a derrota de Dilma Rousseff e do PT, com mais virulência, impacto e abrangência do que em 1964, exorto a todos que simplesmente usem seu controle remoto! Finalmente poderemos colocar em prática o sábio ensinamento de que a melhor maneira de enfrentar o monopólio golpista midiático é usando o velho e bom controle remoto. Já tenho até sugestão para o nome do levante: a revolução do controle remoto.
Desculpem o desabafo carregado de ironia, meus amigos! No fundo, acho que Dilma, por estreita margem, vai ganhar. E já sabia, desde o começo do segundo turno, que ia ser sofrido.
Só me permiti fazer a piadinha acima porque já imagino o que vai acontecer.
Pressionada, Dilma sairá em busca de diálogos e fará acenos que busquem amainar os ânimos na luta política: virão novas receitas na Ana Maria, novas visitas à Folha, novas cartinhas melífluas para FHC.
Receberá o apoio de todos nós nessa empreitada, afinal ninguém imagina que a Veja atingirá um nível mais baixo, que a oposição seguirá tão aliada do submundo. Enfim, tudo continuará como antes.
“2006 foi a eleição mais suja da história, jamais será superada”. Ficou no chinelo perto da 2010. “A de 2010, com Serra e sua turma, só poderia dar na eleição mais suja da história, pior do que essa, impossível”. Está aí a de 2014 provando que tudo pode piorar.
Meu medo é que o governo Dilma e muitos de nós, seus apoiadores, acreditemos que Veja foi longe demais, que a oposição não pode continuar tão dependente da mídia e que, consequentemente, em 2018 teremos uma oposição e mídia mais civilizadas.
Por via das dúvidas, vou cuidar bem do controle remoto!

Responder

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 11h25

JANIO DE FREITAS – Os enganados e o mentiroso

A última investida originada na imprensa para interferir na disputa eleitoral –última, bem entendido, até a hora em que escrevo– é feita com o nome do doleiro Alberto Youssef, com abuso do condicional (“teria dito”, “teria feito”), com um hipotético delegado sem nome e com um tal depoimento de cujo teor nem o advogado do depoente ouviu falar.
Dado apenas como doleiro, Alberto Youssef é mentiroso profissional. E negócio são importações mentirosas para exportar dólares como pagamentos. Sua atual busca de delação premiada, em troca de liberdade apesar de criminoso confesso e comprovado, não é a primeira. Voltou a ser preso, há seis meses, porque, desfrutando de liberdade concedida pela Justiça como prêmio por antigas delações, dedicou-se aos mesmos crimes que se comprometera a não repetir. A delação premiada e o acordo com um juiz foram ambos mentirosos.
A investida e seus instrumentos são componentes que se mostram, como em outras eleições, da velha divisão do país.

O texto na íntegra aqui:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/especial/192559-os-enganados-e-o-mentiroso.shtml

Responder

Denys

26/10/2014 - 10h46

Votou no PSDB? Ah… vá tomar banho!
#paulistavotasujo

Responder

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 10h22

… Eu e a minha família [JÁ] votamos ‘BOMDilma’,

A Magnífica, ‘Coração Valente’, para a verdadeira nação brasileira continuar seguindo em frente!

Viva o [verdadeiro] BRASIL!

Viva o sapiente, leal, generoso, impávido e honesto povo trabalhador brasileiro!

BRASIL – em homenagem ao [eterno] presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff, A Magnífica!

Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo e família!

Responder

lev santana

26/10/2014 - 09h22

Precisamos estatizar essas empresas e entregar aos trabalhadores o controle delas!

Expropriação já!!

Responder

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 07h43

ONDE ESTÁ O ESPÍRITO DEMOCRÁTICO DA “jornalista” eliane TACANHÊde “dos Frias &$ dos Marinhos”?!

Por que Diabos ‘a jornalista amiga dos patrões barões’ “optou” por usar o verbete ‘continuísmo’ [sentido pejorativo] em vez de continuidade, o que – de modo elementar – seria o termo mais apropriado?! Ao projetor o futuro, ‘a tucana de carteirinha eliane’ se apresenta como prestidigitadora ou ‘jornalista versada em mediunidade’?! Pausa para rir destas desgraças integrantes da atual “Banda de Música Udenista” que matou Getúlio Vargas!…

#######################

Eleição é paixão

(…)
É a democracia em ação, com tudo o que ela promove de avanços e com tudo o que ela carrega de retrocesso. Nesse turbilhão, mais de 140 milhões de eleitores poderão votar hoje pelo continuísmo de políticas sociais que deram certo ou pela mudança da política econômica para um futuro melhor para todos.
(…)
Dê Dilma ou dê Aécio, porém, a festa vai durar pouco. Com Dilma, o dólar vai disparar e as Bolsas vão despencar, pelo temor da estagflação. Com Aécio, MST, CUT, UNE vão acordar –e voltar a infernizar. E a investigação da Petrobras continua…

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/158324/Eliane-prev%C3%AA-caos-com-Dilma-ou-A%C3%A9cio.htm

e aqui:

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/192494-eleicao-e-paixao.shtml

##############

… E a articulista “cheirosa” (sic) ainda teve o desplante de encerrar o texto panfletário chinfrim afirmando: “Só não se esqueça da frase mestra dessa eleição tão fascinante: “Não vamos desistir do Brasil!”

Lá isso é jornalismo?! Lá isso é oPÓsição, sô?!

Responder

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 06h52

Por que Getúlio Vargas se matou?

Por Lira Neto

01/08/2004 00h00

(…)
A pergunta que se fez à época, e que até hoje ecoa, exatos 50 anos depois, é uma só: afinal, por qual motivo Getúlio se matou?
(…)
Foi impossível não ligar o atentado da Toneleros às críticas virulentas disparadas diariamente por Lacerda contra o governo pelas páginas da Tribuna da Imprensa. Com a linguagem destemperada de sempre, Lacerda chegara a chamar o presidente de “monstro”, o deputado Lutero Vargas de “filho rico e degenerado do Pai dos Pobres” e Oswaldo Aranha de “mentiroso e ladrão”.
“Acuso um só homem como responsável por esse crime. É o protetor dos ladrões, cuja impunidade lhes dá a audácia para atos como o desta noite. Esse homem é Getúlio Vargas”, escreveu Lacerda.
(…)
Manifestações de protesto civis e militares pipocavam na capital federal, deixando o governo cada vez mais acuado.
(…)
No dia 8, com as acusações desabando sobre sua mesa de trabalho, Getúlio resolveu dissolver a guarda pessoal e franquear as dependências do Catete para as investigações. Tal atitude não satisfez a ira dos adversários. No Congresso, deputados da conservadora UDN (União Democrática Nacional), agrupados na chamada “Banda de Música” – assim conhecida pelo barulho que provocava em plenário com seus discursos inflamados e orquestrados –, passaram a exigir a renúncia de Vargas.
(…)
Fazendo coro à “Banda de Música” udenista, membros do Alto Comando das Forças Armadas decidiram bombardear a resistência do presidente.
(…)
Após a reunião, sozinho em seu quarto, Getúlio não conseguiu pregar o olho.
(…)
Às 08h30 da manhã, ouviu-se um tiro.
(…)
“Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada da resistência”, diria certo trecho da carta-testamento. Há quem diga que o texto não era de Getúlio e sim do jornalista José Soares Maciel Filho, que o escrevera sob encomenda. Porém, nesta história cheia de controvérsias, pontos obscuros e detalhes nunca esclarecidos, a autoria da carta é o que menos importa.
(…)
Outro ponto pendente é que, vivo, Getúlio, ou pelo menos sua família, teria de enfrentar a Justiça. “A chamada ‘República do Galeão’ prosseguiria fustigando-o, num processo que talvez culminasse com sua prisão ou a prisão de gente muito próxima a ele”,
afirma o *historiador Marco Antônio Villa.
(…)
Assim, os que conspiraram contra ele tiveram que esperar dez anos para, só então, concretizar seus planos. Antes disso, apesar de algumas tentativas, não houve clima político nem apoio popular para tal. Só exatamente uma década depois a “Banda de Música” udenista e os mesmos militares que assinaram o Manifesto dos Generais conseguiriam chegar ao poder, após derrubarem o herdeiro direto do getulismo, João Goulart. Afinal, o golpe de Estado que o país assistiria em 1964 foi, em edição revista e atualizada, o mesmo que Getúlio adiou, em 1954, ao apontar contra o próprio peito o cano frio do Colt calibre 32 com cabo de madrepérola.

* Marco Antônio Villa – o mesmo historiador que atualmente integra a “Banda de Música Udenista” ao lado de Merval Pereira, Augusto Nunes, Reinaldo Azevedo, Josias de Souza, Eliane Cantanhêde, Arnaldo Jabor, deputados tucanos Carlos Sampaio, Álvaro Dias, Mário Couto, Antônio Imbassahy et caterva! Adendo nosso!

FONTE: http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/getulio-se-matou-433744.shtml

###############

Que a história não se repita enquanto tragédia pois já reproduzida enquanto farsa!

Responder

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 06h16

MAIS UM ALERTA CONTRA O GOLPE DAS FRAUDES NAS URNAS ELETRÔNICAS DE PRIMEIRA GERAÇÃO – atualmente, somente utilizadas, pasme, no Brasil e na Índia!

###############

Fraude eletrônica nas eleições

Osvaldo Maneschy – jornalista no Rio de Janeiro (RJ)

http://www.egov.ufsc.br/portal/sites/default/files/anexos/19182-19183-1-PB.htm

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26/10/2014 - 06h25

    Eleições presidenciais podem vir a ser adiadas nas Filipinas

    06 maio 2010

    As presidenciais previstas para 10 de Maio nas Filipinas podem ser adiadas devido a problemas técnicos que afectam as máquinas de votação, afirmou ontem um porta-voz da Presidente Gloria Arroyo, Gary Olivar. “O sucesso da automatização é mais importante do que a data do escrutínio”, afirmou Olivar. “Se as questões técnicas exigirem mais tempo e nos obrigarem a adiar (as eleições), não é uma decisão insensata.”
    (…)

    FONTE: http://www.dn.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1561775&seccao=%C1sia

Messias Franca de Macedo

26/10/2014 - 06h01

EXTRA! EXTRA!

Dadas as condições e circunstâncias concretas, a Constituição Federal brasileira assegura o adiamento de um pleito eleitoral

###############################

A Carta Magna plasmou, dentre seus Princípios Fundamentais, a Cidadania e a Dignidade da Pessoa Humana, além do Poder a ser exercido pelo povo, por meio de representantes eleitos. O Preâmbulo da Constituição, tal como o farol que ilumina e sinaliza às embarcações nas noites de tempestade, institui “um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social …”. Com razão e prudência, a Constituição Federal determina, em seu art. 5º, § 2º que “os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados, ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte”. Por sua vez, a legislação eleitoral é matéria infraconstitucional – podendo, em alguns pontos, conflitar com a Carta Magna.
(…)
Isso posto, é de se pensar, com urgência, na possibilidade de adiamento das eleições brasileiras – tudo em nome do superior interesse público e equilíbrio das eleições. Um pacto entre todas as correntes políticas, mais o Legislativo e Judiciário, torna possível a construção dessa alternativa – para o bem do Brasil.
O que está em jogo não é um mero pleito eleitoral, mas o destino de uma Nação, enfim, de mais de duzentos milhões de brasileiros.

Por Milton Cordova Junior – Advogado, pós-graduado em Direito Público, com extensões em Direito Constitucional e Direito Constitucional Tributário. Empregado de empresa pública federal. Recebeu Voto de Aplauso do Senado Federal por relevantes contribuições à efetivação da cidadania e dos direitos políticos

Responder

    Messias Franca de Macedo

    26/10/2014 - 06h13

    Investigação judicial eleitoral

    1.1 Aspectos gerais

    A investigação judicial eleitoral está prevista na Lei Complementar nº 64/90.

    A investigação judicial visa apurar o uso indevido, desvio ou abuso do poder econômico ou do poder de autoridade, ou utilização indevida de veículos ou meios de comunicação social, em benefício de candidato ou de partido político.
    (…)
    O bem jurídico protegido pela norma é a vontade do eleitor e não o resultado das eleições

Willian

26/10/2014 - 00h50

Pessoal,

RECEITA INFALÍVEL PARA ANULAR O PANFLETO DA VEJA:

No site do TSE tem a notícia da decisão que concedeu o direito de resposta à Dilma.

Vamos imprimir e espalhar pra todo mundo amanhã, sem esquecer de postar no facebook também.

Basta destacarmos este trecho da decisão, que os indecisos irão abrir os olhos na hora. Palavras do próprio juiz, na referida decisão:

“o direito de resposta não possui contornos de sanção, mas o exercício constitucional da liberdade de expressão, por meio do mesmo veículo, conquanto se aviste ofensa grave… ……………………………..E/OU AFIRMAÇÃO SABIDAMENTE INVERÍDICA………………………” (GRIFO NOSSO).

Para ler a notícia na íntegra (TSE), basta ir no link abaixo:

http://www.tse.jus.br/noticias-tse/2014/Outubro/concedido-direito-de-resposta-a-coligacao-de-dilma-na-revista-veja

Em quem o povo irá acreditar ??? Na palavra de um Ministro, que foi publicada no site do TSE, ou na palavra de um criminoso (doleiro), que foi publicada na VEJA ???

Responder

Hélio

25/10/2014 - 23h53

As ruas são a única saída. Levante já! Contra o PIG e suas ir responsabilidades! Todos às ruas já!!!

Responder

Alexandre

25/10/2014 - 22h48

Revista Veja não cumpre determinação do TSE para direito de resposta concedida ao PT e candidatura Dilma. 22h49: Até agora o site não acatou a decisão judicial, muito pelo contrário, a revista mantém em sua página inicial a capa criminosa e ainda por cima faz propaganda para Aécio como se nada tivesse acontecido. O PiG está acima da lei?
A Editora Abril com sua revista sórdida despreza a lei. Esta é a prova que faltava para termos a certeza que a ditadura e o fascismo estão muito vivos.
Rede Bandeirantes faz o papel sujo no lugar da Globo:
Band e Band News veiculam incessantemente a capa criminosa da Veja.
Que país é esse? A verdade dos fatos: TSE é ignorado pelo PiG.
A imprensa oligárquica está acima da lei.

Responder

    Mário SF Alves

    25/10/2014 - 23h46

    Esse é o estado de fato, companheiro. É o poder de fato, como sempre, sabotando e se opondo ao poder de direito, e que é o poder que emana do povo e/ou através do povo.

    Aṕesar de tudo isso, venceremos. Bom… a não que sabotem também a votação nas urnas,

    Fabio Silva

    26/10/2014 - 00h13

    Agora é 0H11 do Domingo da eleição, e ainda não publicaram a resposta do PT. E mais, continuaram com a propaganda da capa no site, ignorando também nesse caso a ordem judicial.

Fabio Silva

25/10/2014 - 21h27

Vixi! Exclusivo!

Próxima Capa da Veja:

“EU TE AMO ALDO REBELO! Um abraço da Famiglia Civita”.

Agora, sem brincadeira, a Veja não devia ter parado de fazer propaganda da Capa-Panfleto? Tá no site, bem grandão!

Responder

italo

25/10/2014 - 20h27

Inacreditável, o clima de ‘já ganhou’ na concessão pública tá forte. Na Band também, vão tirar a virada da Dilma e entregar para o Aécio. E aí TSE, STF, a globo, veja e o doleiro preso vão eleger o Presidente no Brasil, em 2014? A corrupção descontente vai conseguir abalar a única força que sustenta o primeiro governo à investigar a corrupção. A força do apoio popular será derrotado pela corrupção, nas barbas da Justiça?

Responder

Jair de Souza

25/10/2014 - 19h50

A direção do PCdoB deveria fazer uma imediata investigação para saber se aqueles que foram fazer pichação em frente da revista criminosa Veja são realmente militantes de sua Juventude Socialista ou agentes infiltrados.

Se realmente se tratar de militantes de sua organização juvenil, deveriam ser severamente recriminados pela infantilidade que praticaram, dando aos bandidos agressores um pretexto para posarem de vítimas. Isso era tudo o que a máfia midiática desejava. Por isso, fico com a sensação de que o ato pode ter sido praticado por provocadores profissionais a serviço da máfia midiática.

É claro que, se não fosse por isso, eles arrumariam outro pretexto. Mas o PCdoB deveria se pronunciar.

Responder

elizabeth pretel

25/10/2014 - 19h28

Será que a veja não teve tempo de fazer a capa da revista, teve que USAR UMA REPRODUÇÃO usada em agosto de 2012 (falando sobre a novela avenida brasil)? É só entrar no google e comparar (capa da veja já havia sido utilizada em agosto de 2012 falando s/a novela avenida brasil). É muita pressa, o que comprova a correria para divulgar a “matéria?” na sexta feira, dois dias antes da eleição. E depois vêm dizer que isso não é crime!!!.

Responder

Maria Paula

25/10/2014 - 19h26

Não se poderia esperar outra coisa desta traidora da pátria. Pior é ver
jornalistas e artistas submetidos ou aprovando.
#Dilma 13

Responder

roberto

25/10/2014 - 18h27

Só que desta vez, a globo vai receber um processo no lombo.
A Dilma tem que dizer, que os milhões que o governo ganhar da Veja e globo nesses processos, serão investidos até o último centavo, no Bolsa Família,Minha Casa Minha Vida. Minha Casa Melhor, Ciência Sem Fronteiras, Pronatec, ProUni, etc etc.
Mata 3 coelhos:
-Detona duas mídias neo-nazistas.
-Consegue o apoio total do povo.
-Faz propaganda de todos os programas sociais do governo.

Responder

Fabio Silva

25/10/2014 - 18h21

Na Globo, chamadas insistentes durante o futebol para a divulgação das pesquisas Datafolha e Ibope daqui a pouco, às 18H30. A conferir.

Responder

Laura

25/10/2014 - 18h16

viomundo, acorda: http://jornalggn.com.br/noticia/o-tse-e-a-descoberta-do-programa-de-fraude-nas-urnas-eletronicas
O Nassif esta indo atras e pegou o touro a unha graças a DEUS. Estiou denunciando tudo isso faz DIAS.

Responder

Estelina Rodrigues de Farias

25/10/2014 - 18h03

Era de se esperar mais uma baixaria da Veja e sua comparsa na véspera da eleicao, mas sua tentativa de golpe nos moldes de República de Banana da primeira metade do século passado ultrapassou todos os limites. O eleitor tem de fazer uso de sua inteligencia neste domingo, votando em Dilma, para mostrar que nao se deixa ludibriar pelos interesses dos bananas donos da imprensa marron, como as famílias Civita, Marinho, Frias e Mesquita

Responder

Estelina Rodrigues de Farias

25/10/2014 - 18h01

Era de se esperar mais uma baixaria da Veja e sua comparsa TV Globo na véspera da eleicao, mas sua tentativa de golpe nos moldes de República de Banana da primeira metade do século passado ultrapassou todos os limites. O eleitor tem de fazer uso de sua inteligencia neste domingo, votando em Dilma, para mostrar que nao se deixa ludibriar pelos interesses dos bananas donos da imprensa marron, como as famílias Civita, Marinho, Frias e Mesquita

Responder

Joao Palma

25/10/2014 - 17h43

Sabado, meio dia, paulista com augusta, sampa. Enquanto pequenos grupos pró-Aécio distribuiam adesivos, recebi a matéria completa da veja, capa mais 4 paginas, excelente qualidade fotográfica, bom papel, grampeado, sem qq identificação de responsável, editado, partes internas grifadas. Em grande quantidade. Perguntei a quem me entregava se sabia que aquilo era crime, proibido pelo TSE – e diante do olhar agressivo blefei dizendo que poderia chamar a polícia. Com calma, me explicou que a justiça havia liberado o material e o que eu fazia era interditar a liberdade de expressão e tal. Dito isto, sumiu, com um grande pacote de exemplares. Na descida da Augusta, no chão, via-se uma quantidade razoável de outro material, neste caso só a capa da revista, em tamanho reduzido, também colorido e de boa qualidade. Muitos carros na rua, a maioria bem caros, com bandeiras do Aécio provocando transeuntes com algum sinal da campanha da Dilma – que por sorte são muitos no pedaço. Provocações baixaria, claro. Estão nervosos. Camionetas pagas do psdb cheias de bandeiras e material circulam o tempo todo. Imagino que por toda a cidade. Haja nervos. Haja dinheiro. Muita calma nessa hora, todos na rua, de vermelho, mais do que nunca é fundamental marcar presença e fiscalizar. Não pode haver vacilo de nossa parte. Eles têm tudo a perder. Avante.

Responder

    Vera Lucia Mercucci

    25/10/2014 - 18h50

    Avanti amigo! Bom te ver na luta! Sim, ela continua e por muito tempo ainda A
    bçs

MAAR

25/10/2014 - 17h22

UM FUTURO MELHOR

A deslealdade da direita golpista ao utilizar a divulgação de acusações caluniosas, sem nenhuma comprovação, exatamente no final da campanha eleitoral, constitui um claro atentado contra a democracia e uma criminosa tentativa de induzir o eleitorado ao erro de acreditar que tais insinuações fossem verdadeiras.

Portanto, além de explicitar a face desleal e desonesta desta tentativa de golpe contra a democracia, é fundamental prosseguir no debate sobre os dados de realidade, concretos e verificáveis, para manter em destaque aquilo que é relevante para a decisão do eleitor, do modo a deixar evidente a importância de garantir a reeleição.

A quantidade de motivos pelos quais se deve reeleger Dilma Roussef para Presidente da República é imensa, mas creio que os principais podem ser agrupados em seis tópicos, a saber: soberania, economia, democracia, saúde, educação e segurança.

O primeiro deles, a soberania, está relacionado com o fato de que, com Dilma na Presidência, o Brasil adquiriu um destaque e um vanguardismo na agenda mundial muito maior do que já teve em qualquer tempo, do qual resulta em um grau de reconhecimento, de admiração e de liderança internacional admiráveis.

Boa parte deste excelente desempenho internacional decorre da atitude destemida, firme e rigorosamente correta adotada pela Presidente diante das denúncias sobre a criminosa espionagem política promovida pelas agências de informação norte americanas. O discurso incisivo e indignado feito por Dilma na Assembléia da ONU, no qual exigiu retratação do governo dos Estados Unidos, constitui um marco na resistência política às práticas fascistas de espionagem invasiva e ilegal adotadas em nome de uma pseudo segurança que, na realidade, serve a interesses escusos da pior espécie. E a postura exemplar de nossa Presidente serviu de inspiração para a mudança de postura de governos até mais poderosos que o nosso, como a Alemanha de Merkel.

Além disso, a imagem do Brasil como país de vanguarda na agenda internacional foi fortemente engrandecida em razão da aprovação do Marco Civil da internet, que teve o apoio determinante do governo Dilma. E a importância desta legislação para o futuro da democracia no mundo é de primeira grandeza, conforme se verá adiante.

Para complementar este tópico relativo à soberania, cabe acrescentar que nosso papel de liderança internacional na defesa dos princípios democráticos resultou amplamente revigorado com a postura clara e firme demonstrada pela Presidente Dilma na plena condenação da política genocida criminosamente empreendida pelo estado de Israel na Palestina. E esta atitude da Presidente conquistou, muito merecidamente, um grande reconhecimento internacional e a gratidão dos povos oprimidos.

Outro tópico de enorme relevância para demonstrar a importância indispensável da reeleição da Presidente Dilma reúne os itens relativos à economia.

Para começar, é crucial destacar que este segundo turno eleitoral mostra o embate entre dois padrões antagônicos de administração das questões econômicas. De um lado temos a visão neoliberal, aferrada à idéia do estado mínimo e à plena liberdade dos mercados, com especial favorecimento aos rentistas e à especulação financeira, representado pelo candidato do PSDB. E de outro lado temos a concepção do estado como principal indutor do desenvolvimento econômico aliado à promoção do bem estar social, cujo papel essencial na preservação e ampliação das condições necessárias para a concreta redução das desigualdades sociais e regionais foi demonstrado de modo claro ao longo dos últimos doze anos de administração petista no governo federal.

Vale ressaltar que o modelo neoliberal esposado pelo PSDB tem causado enormes danos na economia européia, onde os efeitos negativos da crise internacional iniciada em 2008 têm sido muito mais profundos do que em nosso país. E o melhor indicador para aferir esta realidade objetiva talvez sejam os índices de desemprego, que cresceram intensamente na maioria dos países europeus, tendo atingido na atualidade patamares que são o dobro ou mais dos níveis anteriores à crise. Enquanto no Brasil estes índices de desemprego diminuíram do modo consistente e continuado, e estão hoje no menor nível de todos os tempos. E isto é algo palpável, pois está vinculado à comprovada geração de milhões de empregos, resultante das políticas anti cíclicas do governo.

O posicionamento do PSDB em relação a este tema parte da premissa falsa e perigosa de negar a própria existência da crise, que segundo seus arautos neoliberais teria sido superada desde 2009. Tal falácia é absurda e fica evidente diante da multiplicidade e da frequência de declarações oficiais dos principais organismos internacionais desta seara, tais como FMI, Banco Mundial e OSCE, além de declarações de operadores do próprio mercado financeiro internacional, todas elas unânimes em considerar insuficientes as políticas de promoção do crescimento econômico já adotadas nas principais economias, em clamar pela adoção urgente demais políticas anti cíclicas.

A estratégia do PT no governo federal para enfrentar a crise foi pautada essencialmente pelo estímulo aos investimentos produtivos, através de juros de longo prazo favoráveis e à oferta de crédito em escala adequada através dos bancos públicos, aliada à ampliação do financiamento ao consumo e à expansão dos rendimentos do trabalho. Esta é a receita básica que explica o fato da crise ter feito menos estragos no Brasil do que tem feito na Europa, e é esta receita que está ameaçada pelo risco de um improvável governo do PSDB, pois os arautos do tucanato elitista deixam escapar seus verdadeiros objetivos sombrios quando falam em estarem preparados para adotar medidas impopulares, em considerarem que o salário mínimo está muito alto, em acreditarem que não deverá restar muita coisa dos bancos públicos depois da reestruturação que almejam, etc.

E há um ponto em que este tópico sobre economia se entrelaça com o tópico soberania, quando se trata dos interesses da Petrobrás, mais especificamente da exploração das imensas riquezas do Pré-Sal. Reeleger a Presidente Dilma é indispensável para afastar o risco óbvio do PSDB colocar em prática seus funestos planos voltados para a mudança do regime de partilha, que foi criado pelo governo do PT e que garante para o estado brasileiro uma parcela muito maior da riqueza produzida do que resultaria do regime de concessão que vigorava antes. São nítidos e inegáveis os indícios de que o PSDB quer assumir o governo para favorecer os interesses de empresas estrangeiras na exploração do Pré-Sal, especialmente de empresas norte americanas e inglesas.

Assim, a reeleição do PT para a presidência da República é indispensável para impedir as danosas pretensões entreguistas e privatistas do PSDB, que na gestão FHC vendeu a preço de banana empresas públicas valiosíssimas, como a Vale, a CSN, a Embraer, e inclusive boa parte do controle acionário da própria Petrobrás.

Além disso, a reeleição da Presidente Dilma é também indispensável para garantir a continuidade do modelo de administração das atividades de exploração do petróleo de forma a gerar demanda para a indústria nacional, com a manutenção de uma política industrial ativa que já recuperou em grande medida a indústria naval brasileira, tem gerado impacto positivo na indústria de bens de capital, e deverá gerar ganhos de escala crescentes em todo o parque industrial de nosso país.

Outro ponto em que o tópico economia se encontra com temas ligados à soberania é o assunto vinculado à decisão firme adotada pela Presidente Dilma na escolha da opção apresentada pelos fabricantes do avião de caça Grypen para equipar a Força Aérea Brasileira. Esta decisão mostrou a importância de uma visão atenta à preservação dos interesses nacionais, ao descartar o lobbie de fornecedores que se recusaram a contratar a garantia de repasse integral do conhecimento tecnológico. A sábia opção feita pela Presidente Dilma terá um imenso impacto positivo no futuro, no que diz respeito ao desenvolvimento das indústrias de alta tecnologia, e marcam uma nítida e diametral diferença em relação à postura mostrada pelos governo do PSDB quando da infeliz e tortuosa contratação do sistema de vigilância da Amazônia – SIVAM.

No tópico relativo à democracia, a importância da reeleição de Dilma Roussef está relacionada tanto com as questões relativas à implantação do Marco Civil da internet, quanto com a postura firme na defesa das prerrogativas de liberdade e privacidade demonstradas no enfrentamento da inaceitável e ilegal política de espionagem que foi tacitamente admitida pelas agências de informação norte americanas.

Urge ressaltar que o Marco Civil da internet é fundamental para preservar a neutralidade da rede, de modo a garantir o acesso amplo e irrestrito a informação diversificada,e isto terá uma valor imenso para a juventude e para as próximas gerações, pois implica na defesa da liberdade de expressão e de acesso ao conhecimento.

E a importância da reeleição de Dilma para o futuro da democracia está também relacionada com a postura de absoluto respeito ao livre funcionamento das instituições, especialmente do poder judiciário, em contraste com a conhecida tradição do PSDB no engavetamento de denúncias de corrupção e no uso de todo o arcaico poder político e econômico para impedir a investigação e punição de inúmeros ilícitos.

Estão registrados na história os esforços bem sucedidos do PSDB na ocultação e na garantia da prescrição de casos conhecidos como SIVAM, Pasta Rosa, Banestado, Lista de Frunas, CC5 e outros assemelhados, além da reeleição de FHC. Contrasta com esta daninha tradição acorbertadora do PSDB para com os ilícitos nos quais estiveram envolvidos seus expoentes e apaniguados, a postura de máximo respeito ao princípio da independência ente os poderes da república, demonstrada pelo PT ao deixar correr solta a investigação e até a indevida condenação na farsa denominada mensalão.

O chamado mensalão do PT na verdade não passou de um esquema de financiamento de campanha utilizado antes pelo PSDB, e ao invés de ser julgado com base nas provas que mostram isto, foi conduzido através de tramitação processual irregular, para resultar numa condenação por crimes que não existiram, tais como formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. É de se esperar inclusive que no futuro seja requerida, pelas vias judiciais adequadas, uma revisão do julgamento, com base na imperativa observação das provas ignoradas na indevida condenação proferida pelo STF.

Mas no momento, o que importa é o contraste entre a postura imparcial e republicana do PT, que manteve uma atitude de pleno respeito ao livre funcionamento das instituições do poder judiciário, ao contrário do comportamento oportunista do PSDB, que sempre utilizou artifícios e expedientes para garantir a impunidade dos seus escândalos.

No tópico relativo à saúde, basta destacar a importância dos programas SAMU e Mais Médicos, criados pelos governos petistas e responsáveis por melhoras significativas no acesso da população mais carente a um atendimento de emergência e a um atendimento básico na área clínica cujo valor não pode ser negado. E vale acrescentar também a proposta de implementação do programa Mais Especialidades, que deverá agregar mais qualidade e agilidade ao sistema de saúde pública.

Quanto ao tópico que diz respeito à educação, a importância da reeleição está vinculada ao prosseguimento e ampliação da política desenvolvida pelo PT em programas de facilitação do acesso e da manutenção dos estudantes carentes no ensino superior, bem como a prioridade conferida à construção de creches, numa escala nunca dantes vista. E cabe frisar também a significativa ampliação do número de instituições e de vagas nas universidades federais, além da dimensão e relevância do PRONATEC

Por fim, no tópico segurança, cumpre destacar a novidade consistente na inovação concreta relativa à ação integrada das polícias civil, militar e federal, cuja importância foi muito bem percebida na experiência pioneira durante a Copa. Este novo diferencial na administração da política de segurança pública apresenta potencial de futuro para uma melhora significativa nas práticas e nos indicadores da área.

Cumpre destacar também que a política de combate ao déficit habitacional, promovida pelo programa Minha Casa Vida, que trata tanto da construção de moradias populares em grande escala quanto do financiamento subsidiado da aquisição destas moradias pela população carente, auxilia indiretamente o combate à violência através da ampliação das oportunidades de trabalho e da renda dos trabalhadores.

E é dever lembrar também que a melhoria dos indicadores sociais, os programas de bem estar vinculados a contrapartidas no cuidado básico com a infância, e o aumento das oportunidades de educação e emprego, compõem o quadro mais amplo necessário para a efetiva redução dos índices de violência. E a prova maior disto está na perceptível redução do contingente de crianças abandonadas nas ruas das cidades brasileiras, o que certamente tem relação com as contrapartidas exigidas para a permanência no programa Bolsa Família, que exige a comprovação da frequência na escola.

Há dezenas de outros itens relevantes que demonstram à exaustão a importância de garantir a reeleição de Dilma Roussef para Presidente da República e, por acreditar que a maior parte do eleitorado conhece bem esta realidade concreta, tenho esperança de ver amanhã vitorioso este projeto de um futuro mais digno, mais humano e mais feliz para nossa amada Nação Brasileira.

Responder

MARCOS LIMA

25/10/2014 - 16h21

ÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊÊ

EU NÃO ME ENGANO CEARÁ

NÃO É TERRA DE tucano

Responder

Francisco de Assis

25/10/2014 - 16h10

Esqueçam o pusilânime Toffoli (TSE), submisso ao Chicaneiro-Geral da República Gilmar Mendes.

Peçam direito de resposta ao Chefe do Poder Judiciário, o Presidente do STF ministro Ricardo Lewandowsky.

Responder

FrancoAtirador

25/10/2014 - 15h55

.
.
A TV Globo do Clã dos Marinho é mais perigosa, por causa da Audiência.

Mas os Clãs da Máfias de Menor Ibope também se consorciaram com a Veja.

Foi articulado um Golpe em rádios, jornais, TVs e internet jamais visto.
.
.
Se…

Com todo esse Banditismo Fascista Solto nas Ruas e nas Redes Virtuais;

Com toda essa Corja Tucana Instalada em todas as Instâncias Estatais;

Com toda essa Propaganda AntiPetista de Profissionais Liberais da Saúde;

Com toda essa Trama Judiciária Manipulando todos os Processos Eleitorais;

Com toda essa Máfia Midiática a Mentir, Diuturnamente, por Meios AudioVisuais,

Em todos os Veículos de Comunicação Empresarial Espalhados por todo o País;

E, ainda, com a Possibilidade Técnica de Fraude à votação nas e-Urnas dos TREs;

Se, mesmo assim e apesar de tudo, Dilma Vana (13) Vencer o Pleito em 26/10,

Será, em Verdade, o Feito mais Memorável, Inédito, Epopéico e Heróico,

de Resistência de um Governante, a entrar na História das Eleições do
Brasil.
.
.
! FASCISTAS, NO PASARÁN !
.
.
!!! DILMA VANA = 13 !!!

!! EM TODOS OS TURNOS !!
.
.
! HASTA LA VICTORIA, COMPAÑ[email protected] !

!!! SIEMPRE !!!

(http://imgur.com/5SgFWk9)
i.imgur.com/5SgFWk9.jpg
.
.

Responder

rodrigo

25/10/2014 - 15h51

a historia da globo e essa desde Getúlio Vargas, e o Boni já confessou.

Responder

Sidney

25/10/2014 - 15h48

Se houver a confirmação da vitória do projeto popular nas urnas e não acontecer o enfrentamento desse assunto que é a regulação da propriedade dos meios de comunicação e o fim do poder político dos barões midiáticos, nao será mais covardia do PT e sim traição a democracia brasileira. Lembrando que a presidenta recém eleita no seu primeiro mandato foi fritar bolinhos no programa brega chique de Ana Maria Braga, mas acho que dessa vez sera diferente. Obrigado pelo ótimo texto!

Responder

    Paulo

    25/10/2014 - 17h04

    Concordo!Se apesar de tudo isso,vencermos amanhã,e não houver enfrentamento desses meios e também de funcionarios(PF),deveremos nos considerar traídos pelo PT.

Euler

25/10/2014 - 15h41

Caros Azenha e Rodrigo Vianna, não seria o caso do departamento jurídico do PT entrar com uma ação preventiva, levando em conta os antecedentes, buscando proibir a Globo de noticiar esta calúnia? E, caso o faça, que seja garantida a Dilma o direito de resposta imediatamente após o JN? (convenhamos: direito de resposta após as eleições não terão sentido algum).

Responder

leandro

25/10/2014 - 15h24

Pois Dilma deveria ter antecipado,estes fatos ontem no debate,preparado a população para o golpe que se avizinha,avisado textualmente que a globo pelo histórico deveria endossar a farsa,seria uma defesa antecipada que esvaziaria o golpe global

Responder

Paulo

25/10/2014 - 15h23

Disso sempre tive certeza. É histórico.

Responder

José Lucena

25/10/2014 - 15h06

Quando um “filhote” do dono de um grande jornalão empunhava uma faixa afirmando “FODA-SE a Venezuela” verdadeiramente dizia FODA-SE O BRASIL pois esse é o pensamento de todo o PiG + admiradores e seguidores. Eles só pensam neles!

Responder

naldo

25/10/2014 - 15h04

O golpe já está em marcha com a divulgação da pesquisa cnt, deveriam proibir pesquisas dois dias antes da eleição por que é outra forma de influenciar, mas o tse pelo visto vai preferir prender as pessoas que trabalham por vinte reiais o dia e deixa o poder economico e midiatico deitar e rolar.

Responder

marco

25/10/2014 - 14h46

Enquanto isso o Paulo Bernardo continua firme e forte à frente do Ministério das Comunicações, pra alegria dos barões da mídia e das teles….

Responder

Estilac

25/10/2014 - 14h43

Ontem mesmo, eu fiz um comentario aqui dizendo que isso iria acontencer, a VEJA se apresentar como vitima, provocar, provocar, e esperar pela ação de um manisfestante mais exaltado contra a VEJA. Mais como disse o R. Viana, já é um roteiro conhecido. E o povo não é bobo!!!

Responder

Deixe uma resposta