VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Rodrigo Vianna: A família que controla a verba, o verbo e esse tal de BV

05 de abril de 2013 às 11h52

Bilionária Família Marinho controla as verbas e o verbo

João, Irineu e José: os donos do BV

publicada sexta-feira, 05/04/2013 às 11:28 e atualizada sexta-feira, 05/04/2013 às 11:28

 por Rodrigo Vianna, no Escrevinhador

Chega de falar apenas em Roberto Marinho (morto há dez anos) e Ali Kamel (capataz dos patrões). A Globo tem 3 donos: João Roberto, Roberto Irineu e José Roberto. Eles mandam. Eles botam dinheiro no bolso. Eles interditam o debate.

É hora de espalhar a foto dos três, e dizer ao povo brasileiro: eles ficaram bilionários, graças ao monopolio da informação – que concentra verbas e verbo. Precisamos colocar os três no centro do debate.  Eles precisam rolar na lama da comunicação em que fazem o Brasil chafurdar.

Dilma acha importante reduzir juros. E está certíssima. Mas Dilma acha que não é hora de falar em ”Democratização da Mídia”. E aí Dilma erra feio. Os monopólios da mídia, construídos ao arrepio do que diz a Constituição, e na base de BV– Bônus de Volume  (veja texto abaixo publicado por PH Amorim), impedem um debate correto sobre redução dos juros. Parceiros dos bancos, os monopólios da mídia não querem juros baixos. Querem travar o Brasil. E constroem a fortuna bilionária de João, Irineu e José.

Na foto acima, eles aparecem (João, Irineu e José — da esquerda para a direita), com semblante de felicidade contida. Na época, o papai deles (ao centro da foto) ainda mandava. O patriarca fez a fortuna graças à parceria estabelecida com a ditadura militar. Roberto era apenas um milionário. Os filhos são bilionários, segundo a última lista da Forbes. Graças (também) ao BV. Graças ao monopólio.

Passamos anos na blogosfera dizendo que “ninguém sabe quem são os filhos de Roberto Marinho”. Está na hora de saber. Pra eles, é ótima essa situação. Discretos, poderosos, bilionários. Mas e para o Brasil?

Os três porquinhos da comunicação  são os donos do BV. Os três mandam processar quem critica a Globo. Hora de botar a carinha dos três pra circular. Eles sao inimigos da Democracia.

Está na hora – também – de questionar no STF a legalidade do BV. Joaquim Barbosa usou o BV para construir a tese de “corrupção” no julgamento do “Mensalão”. O BV serve pra condenar petistas. Mas o BV da Globo é intocável? Mais que isso: é ético que agências de publicidade recebam esse dinheiro – espécie de propina oficializada pelo mercado?

Se você não sabe direito o que é o tal BV, calma! Quase ninguém sabe. O BV é um segredo que constrói fortunas. E constrói o poder da Globo. Poder que trava a Democracia, trava  debate sobre juros, e permite que o capataz de João, José e Irineu use uma concessão pública para praticar um jornalismo de bolinhas de papel.

Leia abaixo a entrevista de um conhecido publicitário escocês que explica a PH Amorim o que é o BV…

===
(extraído do Conversa Afiada)
— É a bonificação por volume, essa propina que o Brasil legalizou, o BV.
— Explica isso ao nosso leigo navegante, Mestre, por favor.
— Leigo navegante, é assim. Quanto mais uma agência de publicidade programar a Globo, mais bônus, grana, ela tem. Você sabia que o BV da Globo é o maior item do faturamento das QUARENTA maiores agências de publicidade do país ?
— Que horror !, Mestre. Que horror ! Ou seja, independente da vontade do cliente, a agência vai lá e põe anúncio na Globo para ter bônus.
— Por aí, meu filho. Mas, o diabólico não é isso.
— É que a Globo transformou isso em lei.
— Mais diabólico, ainda.
— O que, Mestre ?
— É que a Globo ANTECIPA o pagamento do BV.
— E daí, Grande Mestre ?
— A agência recebe em janeiro por conta do que ela vai programar na Globo em dezembro.
— É que a Globo é generosa.
— Não, meu filho, é que a Globo prende a agência num cabresto. Obriga a agência a programar a Globo para cumprir a meta e receber o bônus inteiro. Entendeu ?
— É a cenoura. Para obrigar a agência a correr atrás da verba, pelo dinheiro que JÁ recebeu.
— Você é esperto, meu filho.
— Sim, Mestre, mas isso a Globo conseguiu aprovar no Congresso.
— Mas o Supremo rasgou a Lei …
— Sim, disso eu me lembro. Para encanar o Pizollatto e o Dirceu, o Supremo decidiu que o BV da Visanet era do Banco do Brasil e, não, das agências do Marcos Valeriodantas.
— Exatamente ! E isso rasga a Lei ?
— É claro ! O Supremo rasgou tudo para condenar o Dirceu. Por que não iria rasgar o BV ?
— Porque o BV do Pizolatto não é o BV da Globo, Mestre… É óbvio, desculpe.
— Sorry, meu filho. Você não alcançou a dimensão da questão.
— Qual a dimensão, caro Mestre ?
— Um dia, um tresloucado parlamentar, um Procurador ou um blogueiro sujo …
— Você sabe aí na Escócia da existência de blogueiros sujos …
— Meu filho, quem não lê o Azenha ?
— A Dilma por exemplo, ela não lê…
— Lê, meu filho. Lê e não conta … (Clique aqui para ler “Dilma perdeu boa oportunidade de defender o Azenha. Kamel celebra !!!”)
— Bom, vamos lá … Um dia, um blogueiro sujo … o que que é que tem ?
— Um dia um blogueiro sujo entra na Justiça com uma ação de prevaricação, de improbidade contra a SECOM por não recolher ao Banco do Brasil, à Petrobrás, à Caixa e ao Governo Federal o BV que, hoje, fica com a Globo e as agências que nela programaram.
— E o Banco do Brasil, a Caixa, o Governo Federal, a Petrobrás, esse pessoal programa mesmo é a Globo.
— Eles adoram a Globo ! Ouvem o plim-plim e abanam o rabim …
— Mestre, o senhor já foi melhor do que isso.
— Desculpe, mauvais moment …
— Bom, Mestre, se o Globope não medir certo a audiência e se o BV do Banco do Brasil tiver que ser do Banco do Brasil … o Governo Federal, que é um grande anunciante, está jogando o dinheiro do contribuinte no lixo.
— No lixo, não, meu filho, na Globo ! Não é exatamente a mesma coisa.
— É por isso que o senhor diz que o BV é mais importante do que a Ley de Medios.
— You got it, baby !
— Xiii, isso pode dar uma confusão …
— Confusão, não, meu filho. Pode dar cana … Olha o Pizollatto …

Pano rápido.

Leia também:

Juventude do MST denuncia criminalização dos blogueiros

 

100 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabio Passos

07/04/2013 - 19h50

Falta alguem na foto de famiglia.
Como esquecer?

A famiglia completa e papai roberto marinho, mamae ditadura e seu 3 filhotinhos: joao roberto, roberto irineu e jose roberto.

Responder

Armando Viana de Lima

07/04/2013 - 14h13

Boa notícia, descobri um site que mostra o outro lado do Brasil, algo
que é impossível de ver na nossa mídia manipuladora.

Responder

Luiz Cláudio Ribeiro

07/04/2013 - 11h47

O BV está na Lei n.º 12.232/2010, promulgada pelo Lula, que poderia ter vetado-a inteiramente ou alguns de seus dispositivos, particularmente aqueles que são questionados por muitos aqui, por ministros do STF, entre outros. Aliás, deveríamos consultar os anais do Congresso Nacional para checar a votação do projeto de lei e, verificar quem votou contra ou a favor. Creio que muitos deputados e senadores, tanto de situação quanto de oposição concordaram… Recomendo a leitura do artigo da Carta Maior sobre o assunto. O link é http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20833

Responder

Barbara B. Ferreiro

07/04/2013 - 11h46

P H A, Tudo Bem, O Que Significa STF ? Só Tucanalhas fanfarrões. é pré requisito ser tucanalha para ser juiz desta porcaria tão corrupta, que tem até um que é alienígena é o GILMAR DANTAS…!!!

Responder

    Sagarana

    08/04/2013 - 03h00

    Meu caro, dos atuais Ministros do STF.apenas três não foram indicados pelos governos petistas.

paulo ramos

07/04/2013 - 11h09

prezados luis carlos azenha e conceição lemos.voces como jornalistas acostumados a decifrar fatos estranhos,tentem nos explicar o porque das organizações globo ,em editorial. declarar incontestavel apoio ao ministro paulo bernardo.chamando de facções petistas aqueles que defendem o chamado marco regulatório .como esse trecho(é tão verdade esta fragmentação partidaria que o ministro da comunicação paulo bernardo,militante historico do pt tem sido alvo de duras criticas de facções abrigadas na legenda que jamais entenderão de qual regulação da midia o pais necessita)com uma defesa dessa o ministro ta bemm blindado ,e pode pensar mais tranquilo na campanha pra governadora.o recado foi dado

Responder

Luís CPPrudente

07/04/2013 - 10h44

A famiglia Marinho, a defensora da liberdade de imprensa, tirou o blog do Rodrigo Vianna do ar?

A famiglia Marinho é poderosa mesmo. É um monstro mafioso que precisa ser combatido.

Mas o Governo Dilma tem medo desse monstro mafioso chamado famiglia Marinho, que é uma verdadeira “organização”.

Responder

Messias Franca de Macedo

07/04/2013 - 10h00

[“NUMDISSE?!”]

#########################

Joaquim Barbosa faz diferença?

Uma decepção profunda tomou conta de mim, dias atrás, ao ver o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, aparecer na tevê, como qualquer estrela do show business, para receber o Prêmio Faz Diferença, outorgado pelo jornal O Globo. Trata-se de condecoração muito badalada, graças à força de propaganda do maior grupo editorial do País, e nem por isso se eleva acima de sua característica prosaicamente mundana. Em princípio, nada contra esses tipos de manifestações autocelebrativas (…) Nenhum purismo, então, ante atrizes e cantores, cineastas e novelistas, donos de restaurantes e de produtos de beleza, que desfilam em passarela num teatro carioca e se orgulham pela “honra” recebida, porque é considerado normal, segundo a moral corrente, fazer uso de tais instrumentos e ser usados.

[O presidente do STF recebe um prêmio da Globo, o jornal que mais o submeteu a pressões à época do “mensalão” .Foto: Nelson Jr./SCO/STF]
Ao constatar, contudo, que certoappeal da mundanidade chegue até o chefe do Judiciário, uma das mais altas figuras institucionais do País, experimentei uma grave frustração. A meu ver, o presidente do Supremo, como símbolo personificado da Justiça, deveria manter o perfil público e privado mais equilibrado e sóbrio, de maneira ainda mais atenta que outras personalidades dos vértices do Estado. Ao contrário, também o presidente Joaquim Barbosa, ao receber o título de personalidade do ano, sentiu-se “honrado” como qualquer outro “famoso”. Estrela da festa, ele aceitou de bom grado o pacote completo oferecido pela Globo: melíflua apresentação de seus heróicos feitos no “histórico” julgamento do “mensalão”, entrevistas extemporâneas e banais, com direito a foto final de grupo ao lado de gente muito simpática, e ali o único fora do lugar era exatamente o presidente do Supremo. Em suma, o Sistema Globo fez o próprio trabalho: instrumentalizou a personagem, como melhor não poderia ter feito, para seus fins políticos e comerciais. Mas ele, o presidente do Supremo, se deu conta disso e aceitou a situação em plena consciência, ou foi simplesmente vítima da própria ingênua vaidade?
(…)
Sem entrar nas polêmicas que se deram à época do “mensalão”, quero sublinhar minha convicção que efetivamente ocorreu entre 2003 e 2005 um fenômeno grave de corrupção política – não mensal, mas seguramente continuativa –, no relacionamento entre Executivo e Legislativo, fora da ética republicana e das leis. Portanto, me perguntei, então, se seria fundamentada a acusação aos juízes do Supremo de serem vítimas de um irresistível condicionamento midiático. Não quero afirmar, em todo caso, que tal bombardeio não existiu: muito pelo contrário, a pressão da imprensa conservadora foi mórbida e irrespeitosa do trabalho do Judiciário.
As fanfarras da mis-en-scène carioca celebram Barbosa e eu fico perplexo por ele considerar significativo tal reconhecimento ostentado pelo O Globo, o jornal que se distinguiu como o mais aceso e parcial dos torcedores. Tal promiscuidade, com o agravo da inoportuna atração mundana, faz correr a Barbosa um grave risco, que não é só de estilo, mas, sobretudo, de respeitabilidade diante do País e da comunidade internacional.
Por Claudio Bernabucci
Mídia e Poder
07.04.2013 09:14
http://www.cartacapital.com.br/politica/joaquim-barbosa-faz-diferenca/#todos-comentarios

Responder

Messias Franca de Macedo

07/04/2013 - 09h44

A MENTIRA ESTÁ NUA! ENTENDA

[A emissora do plim-plim e do Paulo Bernardo (sic) apresentou uma reportagem na qual o Joaquim Barbosa participava de um evento sendo ovacionado por uma legião de entusiastas jovens tietes! O comentarista do momento ressaltou a “fabulosa popularidade” do atual presidente do STF, o ministro do supremo que torna a linguagem do Judiciário compreensível ao povo! Joaquim, sorriso largo (e maroto!), por fim, uma celebridade!…
Subitamente, conversei com os botões da minha camisa de tecido ordinário: ‘Essa mutreta tem cara e DNA de claque montada para produzir antídoto a alguma revelação a caminho!’ “Batata”, não deu outra!…]

A próxima Retrato do Brasil, do consagrado jornalista Raimundo Rodrigues Pereira, trará na capa reportagem sob o título “A construção do mensalão – Como o Supremo Tribunal Federal, sob o comando do ministro Joaquim Barbosa, deu vida à invenção de Roberto Jefferson”
7 DE ABRIL DE 2013 ÀS 07:33
247 – Vem aí uma reportagem que promete desmontar a história construída no julgamento da Ação Penal 470 e rotulada como “mensalão”. Escrita por Raimundo Rodrigues Pereira, um dos maiores e mais minuciosos jornalistas brasileiros, ela estará na próxima capa da Retrato do Brasil. A novidade foi anunciada na coluna de Elio Gaspari:
NAS BANCAS
Está chegando às bancas uma edição especial da revista “Retrato”. Sua capa diz tudo:
“A construção do mensalão – Como o Supremo Tribunal Federal, sob o comando do ministro Joaquim Barbosa, deu vida à invenção de Roberto Jefferson”. Coisa do respeitado jornalista Raimundo Rodrigues Pereira.
Numa reportagem anterior, Raimundo já havia demonstrado que os recursos da Visanet, a suposta fonte de dinheiro público do mensalão, foram gastos exatamente de acordo com o fim a que se destinavam: publicidade e propaganda.

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/98200/Nas-bancas-reportagem-que-desmonta-o-mensal%C3%A3o.htm

[Sim, e agora?! O Joaquim, os Mellos, o Mendes, o [Merval] Pereira(!) do *“supremoTF” irão ficar impunes?! Os estragos perpetrados nas vidas dos “condenados” e dos seus familiares serão ressarcidos?! E os prejuízos causados à nação por conta dos quatro meses e meio de paralisia da “suprema” corte?! [corte grafada com ‘c’ minúsculo, revisor!
*“supremoTF”: aspas monstruosas e letras submicroscópicas!]

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Luiz Rogerio

07/04/2013 - 09h01

Então, porque um blogueiro sujo NÃO entra na Justiça com uma ação de prevaricação, de improbidade contra a SECOM por não recolher ao Banco do Brasil, à Petrobrás, à Caixa e ao Governo Federal ????? Cadê vocês????

Responder

Tadeu Silva

06/04/2013 - 22h27

1 berto, 2 berto, 3 berto. Aberto o que é de berto: o debate.

Responder

    Luís CPPrudente

    07/04/2013 - 23h57

    O que os três porquinhos da famiglia Marinho menos querem é debate. Os três porquinhos correm desesperados do debate.

    Apesar do desespero, os três porquinhos da famiglia Marinho estão na Forbes por conta do tal BV.

Marat

06/04/2013 - 21h10

Talvez esteja faltando o tal do clamor popular que o STF e seus companheiros tanto propalam… talvez falte manifestações em frente ao Globo, à Folha, ao moribundo Estadão, em frente ao monstro de lama da veja… aliás, a matéria-prima daquilo que se edita ali, vem das fétidas águas de nossos rios que os governos pessedebistas prometem limpar a mais mais de dez anos?
Bem, voltando ao clamor popular: temos que nos manifestarmos em frente aos bunkers dessa Gestapo que nos relega ao atraso… Vamos Azenha, Edu, Vianna, PHA et al… vamos… Já passou da hora!!!!!!!!!!!

Responder

Mário SF Alves

06/04/2013 - 17h42

“Finalmente, se a Conceição Lemes aprovasse comentários como os seus num blog de repórter da Globo o cara não duraria 48 horas na emissora…”

______________________________
Ei, por favor, alguém aí pode me explicar o que o Azenha quis dizer com isso?

“Finalmente, se a Conceição Lemes aprovasse comentários como os seus num blog de repórter da Globo o cara não duraria 48 horas na emissora…”

Responder

    FrancoAtirador

    07/04/2013 - 23h50

    .
    .
    Caro Mário SF Alves.

    Suponho que o Azenha quis dizer que a Globo

    bota pra rua repórter, jornalista, blogueiro

    ou qualquer outro funcionário que autorize

    a publicação até de um comentário que seja

    contrário aos interesses da empresa global.
    .
    .

Mario Nhardes

06/04/2013 - 13h20

Não estou conseguindo acessar o seite do Rodrigo Viana…
Agora são 13:20 h de 06.04.2013

Muito estranho…

Responder

    URGENTE - Rodrigo Vianna fora do ar

    06/04/2013 - 19h02

    GENTE!! O SITE DO RODRIGO VIANNA CONTINUA FORA DO AR!!! POR QUÊ?? Foi após denúncias contra a Globo?

    Ali Jamel

    07/04/2013 - 09h53

    Rodrigo Vianna só voltará a ter acesso caso se retrate perante os irmãos Marinho. E tenho dito.

Urbano

06/04/2013 - 12h47

Azenha, esta semana até fiz um comentário corroborando indiretamente com o que você disse num comentário abaixo. Uma vez fiz um, no estilo acender e jogar rápido, por puro descuido. Afinal, o compromisso que se firma com as pessoas deve ser cumprido à risca.

Responder

    gab

    06/04/2013 - 15h38

    Não estou conseguindo acessar tambem, porque será hein?

Mateus Silva

06/04/2013 - 12h40

Todos os donos dos conglomerados midiáticos são muito ricos, assim como os Marinho, o Silvio Santos, o Edir Macedo, o Saad. Todas as empresas de grande porte, midiáticas ou não, que está no topo, quer se manter no topo, e as outras, que estão a volta, querem ocupar esse topo, essa é a simples lei da concorrência. Não concordo, de jeito nenhum, com uma democratização da mídia no que tange a qualquer pessoa, sem uma formação acadêmica adequada ser jornalista. Cada um no seu lugar. Concordo com uma valorização dos diversos setores de mídia, das mídias alternativas. Um blog, ter uma opinião diferente é muito saudável, assim como uma emissora de tv dar um foco diferente às noticias também é saudável e importante. E isso nós temos no Brasil. Não existe isenção, imparcialidade, todos tem algum interesse. Se a globo fosse o 2º ou 3º lugar de audiência no Brasil, será que existiria tantos protestos contra a emissora? E não, a Globo não manipula ninguém. Ela não tem esse poder. Ela Tem e teve interesses políticos, assim como a Record, tem interesses políticos e religiosos, o SBT e a Band, também têm seus interesses.

Responder

    simas

    06/04/2013 - 21h39

    Quem pariu mateus? Poxa! Eu é q tenho de… ler, ouvir?
    Em fim…

francisco niterói

06/04/2013 - 08h38

Vcs querem apostar que na publicaçao dos acórdaos da AP 470 desaparecerão todas as referencias ao BV ditas em plenario?

Responder

Euler

06/04/2013 - 00h03

Um dado dos mais relevantes no artigo do corajoso jornalista Rodrigo Vianna é o fato de escancarar uma realidade que vive mascarada. Qual a realidade? Que uma única família tem mais poder do que os três poderes constituídos da “República”, juntos. Isso é democracia?

Responder

    Valmont

    06/04/2013 - 15h51

    Sim, Euler, a “famiglia” manipula os Três Poderes da República através dos seus tentáculos. Legislativo, Executivo e Judiciário são manietados pelos “Três Porquinhos”.
    Quem não acredita no poder de ação dessa máfia, pode dar uma olhada no balanço publicado aqui nos comentários por FrancoAtirador, onde se vê o lucro líquido anual do grupo: 3 BILHÕES DE REAIS.
    Isto é apenas o que está registrado na contabilidade formal, para o Fisco ver. Ninguém faz ideia da fortuna que circula “por fora”, pelos “paraísos” e caixas 2, alimentando a gigantesca máquina de corrupção e cooptação comandada por eles e seus associados, de dentro e de fora do Brasil.

    simas

    06/04/2013 - 22h33

    Euler,
    Democracia foi o apelido achado, numa boa, por essa turma, mesmo. E esse apelido, mentiroso, funciona, assim, em primeira instância, pra engabelar o povo; ajudando-o viver uma verdadeira epopeia, dentro de sua miséria e cegueira política.
    Pra vc ver como o vendilhões são bem remunerados. Estão à cargo de Washington e, ainda, altas compensações do próprio erário. Eles foram formatados, à revelia da lei, no passado, por poderoso grupo jornalístico americano; nos preâmbulos da “redentora” e, com seu advento, pela própria. Dai a pujança, técnica. Isso, não significa q as demais mídias sejam verde-amarelas… Todas são comprometidas com a elite, dominante.
    Qto ao nível de poder, meu caro, como se pode imaginar… limitado. Tdo dominado. Se estende desde o Poder Legislativo, passando pelo Judiciário e, descansando, por fim, nos braços do Executivo. A prova está nas crises, infindáveis, vividas pelo Poder Executivo – O presidente q não se submeter, plenamente, aos anseios da elite, dominante, corre riscos de ser defenestrado, sem apelação = veja, por exemplo, o caso da perda de mandato do Presidente, constitucional, paraguaio. Por lá, no Paraguai, corromperam as polícias, através dos tempos e, dizem, dom grama farta; promoveram um conflito armado, onde foi praticado assassinatos e, por fim, o Congresso, paraguaio, efetivou o golpe de estado. Aqui no Brasil, meu caro, não é, lá, mto diferente… Só a extensão das instituições a serem corrompidas. Aqui em nosso País está quase tudo dominado. Daê, a fraqueza, exposta, da Pres da República. Ou a presidenta tem o poder, de fato e de direito? Nem o seu partido político, o tem. Ganharam eleições; porém não têm o poder, de fato e de direito. Ainda são achincalhados, por uma mídia, mafiosa e terrorista.
    O pior de tudo, Euler, é q as nossas CA’s, q juraram diante de Deus, honrar a Pátria, fazem política e se comprometem com a tal elite, no fundo, transnacional.
    Tdo bem. Não estamos sendo “infectados”, sozinhos, no mundo… A verdade, um dia, triunfará.

    Ademar Fernades

    07/04/2013 - 04h37

    Euler, você disse tudo em poucas palavras. Parabéns ao corajoso Jornalista Rodrigo Vianna. A história nos mostra que muitos impérios foram derrubados e essa realidade reforça a nossa esperança de que os impérios opressores existentes hoje, também tenham o mesmo destino. Ninguém é contra o sucesso das pessoas em adquirem grandes fortunas. Ao que nós somos contra é a maneira pela qual essas pessoas se enriquecem ; aniquilando uma Nação.

Mirela Maria Vieira

05/04/2013 - 22h58

Que se estenda a investigação e os reclames sobre o BV aos outros donos da comunicação, do fundamentalista espertinho Edir Macedo (sorry, PHA..nada pessoal), ao seo Silvio Santos.
Por favor.

Responder

Marat

05/04/2013 - 22h56

Vianna e PHA são demaisssssssssssss!!!!!!!!!
Deram nome aos bois, ou melhor, aos porquinhos – rsrsrsrs, e ensinaram aos leigos (eu incluído) o que é o BV… Sensacional.
Pena, somente, que isso não sensibilizará Dilma, os deputados, os senadores e o solerte STF…

Responder

    Mário SF Alves

    06/04/2013 - 18h00

    STF…??? Cara… bem lembrado. Cadê o Joaquizão? Cadê o domínio do fato?

ricardo silveira

05/04/2013 - 22h38

A Globo é uma espécie de câncer da democracia. Tem cura, mas ainda não apareceu governo para aplicar o remédio.

Responder

Abel

05/04/2013 - 22h32

O João Roberto (que determina a linha editorial das Organizações Globo) possui um ótimo artigo na Wikipedia… em inglês. Em português, parece que tem medo dele ;)

Responder

Gerson Carneiro

05/04/2013 - 22h02

Responder

    Bonifa

    06/04/2013 - 00h26

    Para ter uma idéia do quanto retroagimos em termos de liberdade de imprensa, meu cara Gerson, não se via tal coisa desde há quinze anos atrás. Isto credencia a RedeTV e este é o caminho de uma emissora para a conquista da credibilidade e, consequentemente, do respeito e do aumento da audiência. Pena que a verdade ainda esteja proibida ao “horário nobre” e restrita a passar apenas às altas horas da noite. Mas já é alguma coisa a favor da verdade.

    Lu Witovisk

    06/04/2013 - 08h04

    Pô, mas 0h30 e 1h é sacanagem. É pra trabalhador nenhum ver mesmo.

abolicionista

05/04/2013 - 21h03

Isso só prova que a inércia do governo Dilma não tem nada a ver com recuo estratégico, o governo simplesmente não está interessado em peitar os poderosos barões da mídia. Não é só pelo marco regulatório, que de fato precisa de aprovação no congresso. Há uma infinidade de medidas que o governo poderia tomar para minar o poderio do oligopólio midiático. Dilma poderia cortar verbas e incentivos, poderia financiar um canal independente, jornais alternativos, descriminalizar as rádios comunitárias, incentivar programas de mídia comunitária. Poderia também processar esses jornais e programas de TV por promoverem uma campanha difamatória contra o PT (daí os barões experimentariam um pouco do seu próprio remédio). Em cinco minutos, eu consigo pensar em pelo menos vinte maneiras diferentes de minar o poderio da mídia corporativa. Não se trata de estratégia, mas de falta de convicção ideológica e de vontade política. Ao governo Dilma só interessa a estabilidade econômica e a reeleição e que se dane o resto (ou seja, a democracia).

Responder

    Mário SF Alves

    06/04/2013 - 16h50

    … Enchendo a boca pra falar em barões da mídia. Barões, meu caro? Barões??? Que que isso companheiro?
    _________________________________
    Primeiro: esses caras são escravos do imperialismo norte-americano. Não dão um pio sem que não seja na AGENDONA macabra neoliberal antipovo estado-minismista dos do Norte;

    Segundo: esses caras são burros pra car#%$o! A maioria deles, engendrada/parida e acostumada num regime de força e demogogia democrática, jamais vai entender nada que não seja a maldita e ainda preponderante força bruta. Ontem a rede PiG de televisão divulgou matéria sobre o Vietnã do Norte. Mostraram [mas pouco esclareceram] muitas, entre as quais hábitos alimentares, agricultura e cultura comercial; mostraram alguns brasileiros jogadores de futebol que são considerados ricos por lá; mostraram um trânsito inimaginavelmente caótico, e abarrotado de motocicletas; mostraram a generosidade do povo; mostraram a capacidade e inteligência posta em prática na resistência ao poderio militar estadunidense. Mostraram muita coisa. Só não mostraram que naquele àís não existe sobre aquele povo valente, aguerrido, um povo aguerrido

    abolicionista

    07/04/2013 - 11h43

    Caro Mário, considero que há “barões” uma qualificação pejorativa, mas é verdade que para eles pode soar nobre (essa gente ainda vive com a cabeça no “ancien régime”), podemos chamá-los simplesmente de canalhas. Quanto ao que você disse sobre o Vietnam do Norte, acho que o governo Dilma também precisa aprender com a experiência histórica desse povo. Fortalecer nossa democracia é fortalecer nosso povo. Retirá-lo do cabresto da rede Globo é condição para atingirmos um patamar mínimo de politização popular. Se não dá para passar um marco regulatório no congresso, isso não impede uma infinidade de medidas alternativas, já mencionei uma dezena delas em outro comentário, todas elas capazes de minar o poder dos canalhas da mídia corporativa. Só falta vontade.

    Carlos Roberto

    07/04/2013 - 10h25

    Em um minuto eu penso em uma solução definitiva. Decreto lei fechando todos os jornais rádios e tv privadas. Invade com a polícia e cana para todos os donos. Confisco puro e simples de tudo. Mídia estatal monoplizada. Está feita a Redenção do Brasil. Ah, esqueci…os sites de Internet também devem ser estatizados.

    abolicionista

    07/04/2013 - 16h12

    Só para lembrar, os canais de transmissão já são públicos, por isso o termo “concessão”.

Fabio Passos

05/04/2013 - 20h38

joao roberto
roberto irineu
jose roberto

O papai facinora apoiou assassinos e torturadores… e os filhotinhos da ditadura herdaram um monopolio da informacao.

Ate quando vamos tolerar estes tres figuras mantendo a ditadura ate hoje no Brasil.

Parabens ao Rodrigo Vianna pela coragem de dar nome e cara aos vigaristas que estao ferrando nosso pais.

Responder

    Mário SF Alves

    06/04/2013 - 17h26

    “Até quando vamos tolerar estes tres figuras mantendo a ditadura ate hoje no Brasil.”
    ___________________________________
    Fábio,

    As três figuras aí – muitíssimo bem [e honestamente!!!] remuneradas – não são nada além de novos capitães do mato empunhando o mesmo velho chicote. Só que desta vez o chicote que nos corta o lombo é ainda pior, é chicote ideológico, disfarçado de absoluta e por isso mesmo antidemocrática liberdade de imprensa.
    _____________________________________________
    Sonham a toda hora com a implantação do absolutismo no Brasil. Do banquete onde o prato principal é verde-amarelo, nem as migalhas gostariam de partilhar com o povo. Aliás pra eles, povo é aquele bicho que, em se neoliberalizando – à psdb – o Brasil, pode, da noite pro dia, poderia se livrar da morte certa ao metarmorfosear-se em bem sucedido empreendedor. Daí né, como o buraco da realidade é bem mais embaixo, haja comunidade solidária. Haja voluntarismo. Hum… E não é que achavam mesmo que o voluntarismo resolveria a neoliberalismo alucinado deles?

oziel f. albuquerque

05/04/2013 - 19h48

Esses filhos do Roberto Marinhos são tres mafiosos, são pessoas de extrama direita,apoiaram a ditadura e querem derrubar um governo eleito pelo povo.

Responder

    simas

    06/04/2013 - 23h11

    Isso.
    Pq a mídia, q chamo de maldita, é mafiosa e terrorista. Ela funciona nos moldes de uma máfia, objetivando crime, na extensão. E pra consecução de seus objetivos… criminosos, atualmente, praticam puro terrorismo, contra a atividade do Gov Federal e dos Partidos, políticos, da base governista. O fato é q essa máfia, midiática, vinha exercendo suas atividades, por bastante tempo; sem, contudo, alcançar êxito nos objetivos perseguidos. Acontece q, não obstante, tdas as suas interveniências, políticas, até desonestas, não vencem eleições e assistem, impotentes, a aprovação da atividade do Gov Central, só aumentar… Então, por esse motivo, partiram pro terrorismo, puro; como o uso da lide, jornalística, pra pregar o fim dos tempos, no espaço da atividade econômica, ou pra exigir medidas financeiras e econômicas, amplamente conhecidas, como desagregadoras. Estão, essa gente está promovendo à margem da Lei, um terrorismo, midiático.

    simas

    07/04/2013 - 00h13

    Essa gente percebeu q o Gov Progressista havia preparado, à contento, a economia, pra engendrar uma segunda e nova guinada em suas Políticas de Governo… desenvolvimentistas.
    O cenário é de economia estagnada; porém, em altíssimo nível. A inflação está com tendência de alta, consequência da demanda reprimida… Um quadro de emprego e renda em alta tem como consequência aumento de consumo. Como a produção está em baixa, procura equilíbrio com possível inflação.
    Aumentar o desemprego, o juros; circunscrever investimento do Estado é puro terrorismo. É isso q a mídia, mafiosa, propagandeia… criminosamente. Essa política de juros altos; desemprego, geral, já conhecemos de longa data, por aqui. Ademais, essa austeridade é o remédio, mortal, q se receita na Europa. Pelo volume de votos somados à legenda da Dona Dilma… realmente, não é, isso, q se deseja, por aqui.
    Então, com a queda dos juros, essa mania do setor produtivo se dedicar ao rentismo, em detrimento da produção, tende a acabar; pq se se aplicava grana, por ser mais fácil os resultados, agora, sem esses ganhos, sobra a atividade produtiva, mesmo. Além do mais, o capitalista só ganha o q gasta. Q gaste, então, com a produção; já q o rentismo é coisa morta…
    A mídia, tbm, espalha e semeia um futuro, negro, em nossa economia – terrorismo, puro. Ela deseja colher a insegurança, no cenário econômico, nacional. Influi junto ao capitalista, pequenos e médios produtores, o medo de investir num imaginário campo de pedras – puro terrorismo. Afinal, o Governo Federal está investindo, firme; ou procurando parcerias, pra investimento.
    Abraço, fraterno

francisco niterói

05/04/2013 - 19h30

Desde que no plenario do STF o BV foi considerado dinheiro publico, se advindo de publicidade de ente publico ou estatal, que É INADMISSIVEL que gestores financeiros da uniao, estados, DF, municipios e estatais nao queiram a devolucao destes valores.

Sendo assim, que tal a blogosfera comecar esta campanha visando ACOES POPULARES visando à devolucao aos cofres piblicos destes valores embolsados pelas agencias de publicidade.

Prstem atencao, a GLOBo cobrou X pela veiculacao, o ente publico, atraves da agencia, pagou o valor X. Acontece que ha um desconto oculto neste valor X ( que é o BV) e que a agencia embolsa.

Se ISSO nao É CRIMINOSO, nao sei de mais nada.

ACOES POPULARES para recuperar estes valores é o minimo que devemos fazer. E pra todos: uniao, estados, DF, municipios e estatais.

Responder

Mário SF Alves

05/04/2013 - 19h26

Vendo a cara dos três, fico a imaginar a cara com que pintariam os blogueiros, caso os referidos três e ecossistemas associados restabelecessema a ditadura (sob que forma for). Bom, que tal cara seria suja, disso já sabemos.
_____________________________________
Gozado… o PiG pode fazer política (ou pseudo política neliberal) o tempo todo; pode confrontar os governos do PT e preconizar a volta dos “insensatos” implantadores de Estados Ínfimos (só pro povo) o tempo todo… no entanto os blogueiros que lutam bravamente pela democratização da mídia não podem fazer política em tempo nenhum. Assim, até a janaína.

Responder

jõao

05/04/2013 - 19h18

Tucanos da Privataria em pânico: investigação desnuda políticos em paraísos fiscais

O Jornal Nacional não deu esta notícia. Será por quê?

O Jornal Nacional não deu esta notícia. Será por quê? Dois milhões de emails, relacionados principalmente com o paraíso fiscal das Ilhas Virgens Britânicas [do livro “A Privataria Tucana”] revelam negócios de várias personalidades do mundo inteiro emoff-shores, locais onde circularão cerca de 32 biliões de dólares (32 milhões de milhões) livres de impostos. A revelação faz parte de uma investigação jornalística que começou a ser publicada esta quinta-feira em órgãos de comunicação social de todo o mundo, sob a égide do International Consortium of Investigative Journalists [ICIJ], uma associação sem fins lucrativos com sede em Washington.
Entre os envolvidos nestes emails estão vários políticos, banqueiros e homens de negócios, cujas atividades começaram ou começarão agora a ser escrutinadas em todo o mundo. Alguns exemplos:

• Jean-Jacques Augier, co-tesoureiro da campanha eleitoral de François Hollande, lançou uma distribuidora na China com base nas ilhas Caimão e tendo como sócio uma empresa sediada nas Ilhas Virgens Britânicas.

• Um magnata da construção do Azerbaijão, Hassan Gozal, controla diversas entidades nos nomes das duas filhas do presidente do país.

• O marido de uma senadora canadiana depositou mais de 1,7 milhões de dólares num off-shore. Pagou as custas em dinheiro e pediu para que as comunicações escritas fossem reduzidas ao mínimo.

• A mais conhecida colecionadora de arte espanhola, a baronesa Carmen Thyssen-Bornemisza, usa off-shores para comprar quadros. Um dos cinco Van Gogh que adquiriu, Moinho de Água em Gennep, foi comprado através de uma sociedade nas ilhas Cook.

• Um dos clientes dos off-shores nos Estados Unidos é Denise Rich, ex-mulher do magnata do petróleo Marc Rich, que esteve envolvido em acusações de fuga aos impostos por parte do ex-Presidente Clinton. Denise Rich colocou 144 milhões de dólares no Dry Trust, nas ilhas Cook.

Para analisar os dois milhões de emails a que teve acesso, o ICIJ contou com jornalistas das publicações The Guardian (Reino Unido), Le Monde (França), Süddeutsche Zeitung (Alemanha) e da Canadian Broadcasting Corporation, para além de mais 33 parceiros no mundo inteiro. Oitenta e seis jornalistas de 46 países investigaram informações e registos bancários que cobrem mais de 30 anos. Segundo o ICIJ, trata-se do maior trabalho de investigação jornalística da história, em número de órgãos de comunicação e países envolvidos. (da RPT)
Veja também a reportagem da TV Brasil:
Continue Lendo aqui »
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

Responder

    Mateus Silva

    06/04/2013 - 12h41

    Algum outro telejornal do Brasil, deu essa notícia?

Antonio Carlos - Brasilia

05/04/2013 - 18h59

A melhor solução pra isso é acabar com isso. Eh, eh, eh! Só tem um jeito: acabar com a mina de ouro, matar a galinha dos ovos de ouro. Governo não tem que fazer propaganda! Governo tem que é prestar contas de uma forma regrada, por lei. É isto que temos que implementar.
Isto é tão óbvio.

Vamos acabar com essa mamata de um governo, já nos três primeiros meses (acreditem!) iniciar uma campanha publicitária do que ele VAI fazer. Agnelo fez isso aqui em Brasília! Parecia continuação da campanha eleitoral. Nessas horas a Globo achou é “bãodi+sô”, como se diz na minha terrinha.

Então, culpar só a mídia tá errado. A mídia é só um ator.

Responder

Osvaldo

05/04/2013 - 18h53

A ditadura pariu um monstro: a grande mídia.

O governo é refém da grande mídia.

A grande mídia pode derrubar qualquer governo ao transformar milhares de bolinhas de papel em mega-escândalos.

E a ignorância política dos seus consumidores fazer o resto do serviço, apoiando o golpe.

Responder

J Souza

05/04/2013 - 18h19

Isso mesmo, Rodrigo. É para falar mesmo…

Propina para vender propaganda superfaturada, e que tem como clientes bancos, multinacionais, estatais e… o governo Dilma!

Responder

Lourival Filho

05/04/2013 - 17h11

Vocês parem de ficar falando a verdade, eles adoram processar quem mostra os podres deles…

Responder

Malvina Cruela

05/04/2013 - 17h10

“mas como que vc não acredita em nada????!!! eu acredito em tudo”

Responder

jose-arimathea cunha

05/04/2013 - 16h45

Pronto,com esse texto do Rodrigo Viana num tem jeito da dona Dilma nao se mexer. Isso que ta ai vai obrigar a quem de direito tomar as atitudes nescessárias esclarendo ponto a ponto o assunto. Do contrário,so crescerá o desanimo e desesperança em reeleger a Dona Dilma pensem bem.

Responder

Rodrigo Leme

05/04/2013 - 16h26

Isso!!! Precisamos de verdadeiros democratas da comunicação e da informação, como EDIR MACEDO, que não fica rico com BV, nem manipula informação para seu interesse, muito menos compactua com mentir para a sociedade, manipular as pessoas e outras praticas semelhantes!!!

EDIR MACEDO = MAIOR DEMOCRATA DA MÍDIA BRASILEIRA

Responder

    Gerson Carneiro

    05/04/2013 - 18h29

    Rodrigo Leme,

    Aguardo um post teu sobre as façanhas do Edir Macedo. Tome coragem. Se acaso tu for processado injustamente por ter falado alguma verdade, a blogosfera progressista não se furtará em te socorrer.

    A democratização da informação que buscamos permite inclusive a você denunciar tudo que você tem conhecimento e considera um entrave para a Democracia desta país.

    A luta pela democratização da informação é uma batalha coletiva. Colabore.

    Ronaldo Silva

    06/04/2013 - 11h42

    Estava olhando este boxeador e me deparei com vc esbofeteando o Rodrigo rsrs…usando letras, gostei.

    Julio Silveira

    05/04/2013 - 19h37

    Rodrigo, não entendi tua lógica, ao que me parece a critica vai contra os interesses de todos os que se alimentam desse tal BV. Então, ou não entendi, ou a critica não é excludente, contra ou a favor de quem quer que seja, apenas situa a Globo como maior recebedora de recursos publicos a grande beneficiária dessa indecência chamada BV e ao se combater esse BV estará atingindo a todos os que se locupletam desse sistema. Ou voce concorda com essa excrescência que não é de dominio publico? que passa ao largo do conhecimento da grande massa, que paga, da cidadania?

    abolicionista

    05/04/2013 - 19h47

    Engraçado, não me lembro de matéria aqui do Viomundo defendendo o Edir Macedo ou chamando ele de democrata. Vai ver você se enganou de site. Ou se esquece de que o Viomundo não recebe verba federal? A propósito, você já sabia dessa história de BV, Rodrigo. Se sabia, por que não avisou ninguém? Você é a favor dessa espoliação? Por favor, sacie minha curiosidade.

    Rodrigo Leme

    06/04/2013 - 08h01

    Você tbm nunca o viu aqui identificado pelo nome como um dos barões da mídia que são tão combatidos aqui. Nunca viu uma critica que fosse à altíssima concentração de mídia da IURD, que se bobear tem mais concessões de radio e TV que a Globo.

    E claro, não custa lembrar que a Globo é a maior concorrente da Record. Segundo entrevista do bispo, o plano é passar a Globo em 5 anos, em audiência e FATURAMENTO: http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/1252675-edir-macedo-da-5-anos-para-record-alcancar-a-globo.shtml

    E pq até hoje blogs como este, ou do PHA ou do Rodrigo Vianna nem ao menos citam um conglomerado de mídia deste tamanho, que usa os mesmos expedientes da Globo no mercado publicitário, além de ser talvez a maior concentradora de mídia do país?

    Cuido para não comprar uma briga que no fundo é comercial, e não política.

    Luiz Carlos Azenha

    06/04/2013 - 09h19

    Rodrigo, adoro teorias conspiratórias: eu, a serviço comercial da IURD! Sou, como você, assalariado. Nem dono, nem sócio da Record. Sou repórter de uma emissora de TV. Que me dá muito mais liberdade que eu tinha na Globo, por exemplo. Um dado seu é claramente falso: sobre o tamanho das emissoras. E se o BV de fato beneficia mais a Record que a Globo, como vc argumenta, qual seria o interesse do agente infiltrado da IURD combater o BV? Oh, lógica doida. Finalmente, se a Conceição Lemes aprovasse comentários como os seus num blog de repórter da Globo o cara não duraria 48 horas na emissora…

    Paulo

    05/04/2013 - 20h38

    Pois é! O Bispo Edir foi um bom camarada “democrata”. “Malafala então, nem se faia!”

    Mas, ao que parece, existem pastores lúcidos, acho!

    Recorte de entrevista de um pastor “herege” na CC.

    CC: O senhor escreveu um artigo intitulado “Deus nos Livre de um Brasil Evangélico”. Por que um pastor evangélico afirma isso?

    RG: Porque esse projeto impõe não só a espiritualidade, mas toda a cultura, estética e cosmovisão do mundo evangélico, o que não é de nenhum modo desejável. Seria a talebanização do Brasil. Precisamos da diversidade cultural e religiosa. O movimento evangélico se expande com a proposta de ser a maioria, para poder cada vez mais definir o rumo das eleições e, quem sabe, escolher o presidente da República. Isso fica muito claro no projeto da Igreja Universal. O objetivo de ter o pastor no Congresso, nas instâncias de poder, é o de facilitar a expansão da igreja. E, nesse sentido, o movimento é maquiavélico. Se é para salvar o Brasil da perdição, os fins justificam os meios.

    ref.: http://www.cartacapital.com.br/sociedade/o-pastor-herege/

    Aonde a Record entra na “ley de medios”?

    Luciano Bastiani

    05/04/2013 - 22h14

    Com toda a sinceridade, camará, se tu virasse esses zóinho pra baixo, ia ver melhor a merda em que a tua adorada goebbels pôs o Brasil nas últimas décadas.
    Faz isso, vai. Vai ser bom pra vc mesmo!

    Bonifa

    06/04/2013 - 00h33

    Esta não é uma boa filosofia, Rodrigo. Crer que todos são patifes para justificar a patifaria.

    abolicionista

    06/04/2013 - 13h54

    Pois é, Bonifa, e se não me engano, isso se chama cinismo.

    Lu Witovisk

    06/04/2013 - 08h07

    Quem não tem argumentos e PRECISA dizer algo faz isso: age como tolo.

Gerson Carneiro

05/04/2013 - 15h39

Na prática esse BV também é conhecido como “Boa Vida”.

Responder

assalariado.

05/04/2013 - 15h33

Vamos homenagear essa familia. Aliás, esta familia global, do grupo time life americana, apenas é porta voz, é o titanic do capital internacional em mares brasileiros, defensores ideologicos dos interesses dos donos do capital, na america latina. São os ideologos e comandantes mor da midia burguesa e da marujada capitalista vendida, travestida de capital nacional, mas que, na real, os seus gostos e raciocínios e projetos de sociedade, tem ancoras lá no G7. Será que esta charge, do jeito que colei vai aparecer? São os irmãos metralha.

http://www.google.com.br/url?sa=i&source=images&cd=&cad=rja&docid=UwgdMTfDBBJ86M&tbnid=uLhXl0EvlHs7eM:&ved=0CAUQjRw&url=http%3A%2F%2Fkuentro.blogspot.com%2F2012%2F03%2Fbdpress-331-irmaos-metralha-60-anos-de.html&ei=NQlfUfPiN5Cc9QTUtYD4CQ&psig=AFQjCNHENy7GJVKxoRyyYQqNBQ5-GFqXjQ&ust=1365269145704423

Observação: se a charge aparecer, os méritos são meus. Porém, se não aparecer foi o FrancoAtirador que ensinou errado, rs, rs, rs, …

Saudações Socialistas.

Responder

Francisco Antonio da Silva

05/04/2013 - 15h00

Enquanto voces ajudam o PIG desqualificando o governo Dilma, vejam o que anda acontecendo:

Em janeiro de 2009, Novojornal publicou a matéria; Discreto clube da elite, relatando que banqueiros e economistas se associam para transformar uma mansão carioca num centro de debates dos problemas brasileiros

Quando foi comprada por Moreira Sales, a Casa das Garças era apenas uma mansão abandonada na Gávea, no Rio de Janeiro. Desenhada por Oscar Niemeyer na década de 50, ganhou esse nome porque fica na confluência de dois rios, o que acabava atraindo essas aves.

A reportagem informava ainda que o imóvel se transformara em ponto de encontro de alguns dos economistas e banqueiros mais influentes e poderosos do país. Ali se reúnem uma vez por mês gente do calibre de André Lara Resende, Edmar Bacha e Pérsio Arida (autores do Plano Real), do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga e de Pedro Moreira Salles.

A Casa das Garças é o Instituto de Estudos de Política Econômica, um filhote do Departamento de Economia da PUC do Rio de Janeiro. Todos os seus 16 integrantes são professores ou alunos ilustres que já passaram pela universidade.

Nesta casa financiada pela CBMM pertencente ao grupo Moreira Sales que explora a maior mina de Nióbio do planeta localizada no município de Araxá, pertencente ao Governo de Minas Gerais, planejou-se nos últimos quatro anos a candidatura de Aécio a presidência da Republica em 2014.

Os integrantes da Casa das Garças neste período alem de planejar a candidatura percorreram as principais economias do Planeta para manter contato com suas lideranças vendendo a imagem do senador mineiro com o parceiro ideal para concretizar seus interesses econômicos no Brasil.

Foram através destas viagens que em troca do apoio do capital internacional as pretensões de Aécio que o Governo de Minas permitiu a desnacionalização da exploração do Nióbio, através da venda de participação acionaria na CBMM. Entregue a uma empresa estatal Japonesa e outra Chinesa, conforme noticiado por Novojornal; CBMM vende à estatal japonesa poder de veto sobre o Nióbio.

Diante da denuncia do Novojornal a área de inteligência ligada às forças armadas descobriu que está operação teria gerado um caixa bilionário para campanha de Aécio Neves.

Parte da receita da venda da participação acionaria na CBMM, algo em torno de R$ 1 bilhão de reais teria como destinação, 30% para os sócios da Rede Globo incluindo nesta operação o pagamento da compra da empresa em Minas Gerais, conforme noticiado por Novojornal; Contrabando de Nióbio estaria financiando Rede Globo Minas e outros 30% para o grupo Abril, dono da Revista Veja, o restante seria distribuído entre outros veículos da mídia nacional.

Além desta gigantesca importância, que seria desembolsada em 12 meses, parte da diferença entre o valor declarado e o cobrado no exterior na venda do Nióbio, até a eleição de 2014, traria uma renda mensal superior á R$ 60 milhões de reais para campanha de Aécio.

Ocorre que com a crise instalada no grupo Itaú, estes recursos que viriam em parcelas mensais ganharam outra destinação, pois o grupo deixou de honrar seus compromissos internacionais. Segundo gestores da campanha esta situação vem trazendo sérios transtornos, pois desde fevereiro deste ano nenhuma parcela do acordo foi repassada para seus destinatários.

No caso do jornal mineiro Estado de Minas á situação transformou-se em pesadelo, pois em função do que receberia celebrara um empréstimo no próprio Banco Itaú, que agora já se encontra atrasado á dois meses exigindo pela controladoria do banco que o mesmo seja declarado nos relatórios de riscos enviados ao Banco Central.

Não por outro motivo que o Financial Times, além de sair na defesa da candidatura de Aécio Neves vem questionando alem do modelo econômico adotado no Brasil, os juros fixados pelo governo, que segundo os administradores do Itaú estaria levando a instituição à crise, comportamento idêntico adotado pela grande imprensa que pelo visto esta fazendo tudo para não ficarem com o “Mico”, da campanha de Aécio.

Mostrando que seus compromissos são com a instituição financeira que os patrocinam os integrantes da Casa das Garças já começam a abandonar a campanha.

Responder

    Marisa

    05/04/2013 - 20h50

    Francisco, é verdadeira essa ‘estória’? Ou vc ouviu falar? Ou é uma peça de ficção?

    Bonifa

    06/04/2013 - 01h22

    É verdade. E o pior é que certos ministros julgam que, se nos Estados Unidos a Suprema Corte liberou geral para as contribuições financeiras às campanhas, isto autoriza (por jurisprudência colonial) o Brasil a fazer o mesmo. Porém, refletimos muito nos últimos tempos. E mesmo com tanto movimento que “aparece” e com tanto esforço, vamos falar agora uma coisa que o Coimbra falou há poucos dias e na ocasião não acreditamos: Dilma ganhará as eleições de 2014 no primeiro turno.

Uélintom

05/04/2013 - 14h23

A agência de publicidade ganha do cliente para fazer um anuncio de papel higiênico, e depois ganha da Globo para colocar o papel higiênico no intervalo do Jornal Nacional?

Se o cliente anunciante diz que não quer anunciar na Globo, a agência de publicidade não aceita fazer o anúncio porque não vai ganhar o BV da Globo? É isso?

Responder

    Conceição Lemes

    05/04/2013 - 19h40

    Uélinton, programar é o compromisso que a agência de publicidade assume com a emissora de colocar nela o anúncio do cliente x ou y. Quem normalmente faz o plano de mídia de um produto, ou seja, em que veículos ele será veiculado, é a agência de publicidade. abs

Uélintom

05/04/2013 - 14h19

E o que quer dizer “agência de publicidade programar a Globo”?

Responder

    marcos

    05/04/2013 - 23h35

    Programar, no caso, é comprar espaço na planilha de anúncios da emissora.

João-PR

05/04/2013 - 14h10

Azenha e Conceição (passem essa sugestão ao PHA e ao Miro):

Uma instituição (o Barão, por exemplo) poderia instar o Supremo Tribunal Federal a se pronunciar, por escrito, sobre o entendimento do mesmo sobre o BV (como funciona o mesmo, à luz da jurisprudência firmada no caso da Ação Penal 470).

Fica a sugestão meus caros. Seria uma consulta simples, sem grandes custos, e que obrigaria o STF a tornar público o que ele já decidiu na Ação Penal 470.
Grande abraço. Continuo esperando a abertura da conta

Responder

jaime

05/04/2013 - 14h04

Em todo o caso, perguntem ao Requião como se faz com a mídia.

Responder

H.92

05/04/2013 - 14h01

A famiglia Marinho é a verdadeira censora da liberdade de expressão neste país, o que dói é saber nós é que bancamos esses caras com nossos impostos, eles ficam bilionários, mentem, omitem ou distorcem as informações, fazem lobby para sempre ganharem, mesmo que o país perca tudo.

Me sinto impotente e envergonhado…

Responder

maria de sobral

05/04/2013 - 14h00

Marinhos, mostraram a tua cara. Era um, que virou tres que ganharam trilhoes, na calada das noites sombrias.

Responder

maria olimpia

05/04/2013 - 13h52

Importante “desvendar” este “imbroglio”! Inclusive para o conhecimento da maioria dos ministros do stf, parabéns pela coragem Rodrigo Vianna!

Responder

Ricardo da Costa

05/04/2013 - 13h34

Enquanto tivermos no Brasil um povo mau esclarecido e uma elite traidora da pátria, a coisa não se resolve.
Lula foi eleito para fazer o que Hugo Chaves fez bem na Venezuela.
Mas infelizmente, ele preferiu dar continuidade aos desmandos de FHC.
A Operação Satiaghara e Cachoeira Poluída, mostram isso com clareza..
Tudo elo da mesma corrente podre!!!

Responder

    Willian

    05/04/2013 - 15h36

    Brasil está melhor que a Venezuela.

    Mário SF Alves

    06/04/2013 - 18h09

    Tabula rasa… aí vou eeeeeeeeeeeeeeu.
    ____________________________
    É… Willian, essa coisa de estabelecer analogia entre entidades ou grandezas incomparáveis virou vício mesmo, heim?
    ________________________________________
    Brasil. Vou soletrar: Bra-sil. Agora vou soletrar o nome do outro País: Ve-ne-zu-e-la. Viu a diferença? Ou alguém aí teria de desenhar?

Alemao

05/04/2013 - 13h24

Estou louco para ver o fim da publicidade de qualquer esfera do governo. Vamos acabar com essa mamata, chega de calar a mídia com publicidade!

Responder

Julio Silveira

05/04/2013 - 12h47

Coitada da cidadania leiga e crente. Muitos ainda acreditam que vivamos em democracia plena. Devem ficar estarrecidos com as informações que pingam da resistência. Mal sabe ela que ainda vivemos, como sempre, a democracia para acobertar o conluio entre os oportunistas e os aproveitadores. Mas faço voto de fé, a cada dia que passa muitos acabam por entender os meandros de como se definem suas vidas, e com isso possamos estar a caminho, cada vez mais próximos, de uma verdadeira democracia.

Responder

jaime

05/04/2013 - 12h31

Esse assunto é um vespeiro. Acho melhor a gente não mexer com isso…

Responder

    H. Back™

    05/04/2013 - 14h49

    Temos que cuidar das vespas enquanto elas são novas, porque quando estiverem estiverem velhas (em maior número) fatalmente elas irão te ferrar.

    tiago carneiro

    05/04/2013 - 15h36

    Pois estou vendo que você é tao COVARDE quanto nossa amada presidenta.

    jaime

    05/04/2013 - 16h04

    Eu apenas deixei de colocar aspas, porque essa é a fala mais do que conhecida da “amada” presidente (não minha – talvez a sua presidenta). Se liga!

Adalberto

05/04/2013 - 12h28

Azenha,

O balanço publicado da GLOBO Comunicação e Participações é um tapa na cara da transparência que eles tanto cobram do governo!

As notas explicativas, que é a parte que faz a abertura dos números do balanço, foi publicada apenas até o item 2.24. E o que está escrito não explica nada com nada. Qualquer balanço de empresa chega fácil em pelo menos até o item 20.

Até nos seus números a Globo seleciona o que divulgar. E isso já vem de longa data.

Tem um número no resultado da Globo que é emblemático: R$1.225.533.000 (é bilhão mesmo) que eles apresentaram como receita financeira. O que será isso?

Tem também uma aplicação financeira no balanço de R$5.938.140.000. Caramba, será que eles também tem banco?

Se alguém conseguir esse balanço completo me envie, por favor.
Segue link para acesso no site do Valor on Line antes que seja retirado do ar:
http://www.valor.com.br/sites/default/files/upload_element/27-03_globo_bal_6x52_c_asura.pdf

Como comparação, veja o que o SBT publicou com maior detalhamento:
http://www.valor.com.br/sites/default/files/27-09_sbt_balanco_completo.pdf

Responder

    Marco Aurélio Mello

    05/04/2013 - 15h00

    Adalberto, você podia fazer este estudo para nós. Vou pedir ao Stanley e ao Amaury que levantem esse balanço para você. Topa?

    Willian

    05/04/2013 - 16h45

    Adalberto, você é que é o contador, não eu, mas será que realmente é muito uma receita financeira de R$1.225.533.000,00 para quem informa que tem títulos e valores mobiliários de R$5.938.140.000,00?

    Na sua experiência de contador, é muito ou pouco esta relação? Tem alguma coisa a ver isto?

    Marco Aurélio, você como um editor de economia, não teria um contador amigo e de confiança para analisar os números? Vai confiar num comentarista do blog?

    Ronaldo Silva

    05/04/2013 - 20h34

    Vc deixou o willian com medo…rss

    FrancoAtirador

    06/04/2013 - 00h18

    .
    .
    O Adalberto pisou no rabo da Globo.
    .
    .

    FrancoAtirador

    06/04/2013 - 03h54

    .
    .
    Agradeço ao caríssimo comentarista Adalberto que fez chegar ao conhecimento de todos os leitores do Viomundo

    o Balanço Contábil Anual da empresa GLOBO COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÕES S.A.
    (“Relatório da Administração”)

    (http://www.valor.com.br/sites/default/files/upload_element/27-03_globo_bal_6x52_c_asura.pdf).

    Realmente, para não fugir à praxe da Rede Globo, as “Notas Explicativas da Administração às Demonstrações Financeiras”(*) são um tanto quanto, digamos, genéricas, para não dizer obscuras,

    de forma que só é possível determinar que a denominada “Controladora” é o “Grupo Globo” formado conjuntamente pela própria “Globo Comunicação e Participações S.A.” (‘Companhia’), inscrita no CNPJ sob o nº 27.865.757/0001-02, “e suas subsidiárias” não reveladas. (vide item 1)

    Também não há identificação de quais são as entidades “Controladas” que, somadas à “Controladora”, perfazem o “Consolidado”.
    E nem há menção dos nomes das “Joint Ventures” e das empresas “Coligadas”.
    (vide cabeçalho do item 2 e sub-itens 2.1, 2.2 e 2.3)

    (http://direito.folha.uol.com.br/1/post/2012/03/para-entender-a-diferena-entre-controlada-coligada-e-subsidiria.html)
    (http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=2110:catid=28&Itemid=23)

    É possível, porém, extrair algumas conclusões dos números expressos nas tabelas de “Demonstrações de Resultados” (TODOS NAS CASAS DE BILHÕES E MILHÕES DE REAIS):

    O “LUCRO BRUTO” DO “GRUPO GLOBO” (Controladora), no ano de 2012, foi de R$ 3.629.816.000,00
    (TRÊS BILHÕES E SEISCENTOS E VINTE E NOVE MILHÕES E OITOCENTOS E DEZESSEIS MIL REAIS).
    Esse valor é resultado da “Receita Líquida com vendas, propagandas e serviços” obtida de “Terceiros” (R$ 9.135.222.000,00) [no “Consolidado” chegou à cifra de R$ 12.596.127.000,00] e “Partes relacionadas” (R$ 289.893.000,00) subtraída do “Custo das vendas e serviços” (R$ 5.598.234.000,00) [!!! Aqui está o furo da bala !!!]. (vide sub-item 2.5)
    Diminuindo-se do “Lucro Bruto” o total de “Despesas Operacionais” (“Despesas com vendas” + “Despesas gerais e administrativas” – “Ganho na venda de imobilizado e intangível”) obteve-se o “Resultado operacional líquido antes do resultado financeiro e dos investimentos” no valor de R$ 1.716.277.000,00.
    Adicionando esse valor aos expressos nas rubricas “Receita financeira” e “Resultado de equivalência patrimonial” e subtraindo-o dos valores indicados como “Despesa financeira” e “Outros resultados de investimento” chega-se ao “Lucro antes do imposto de renda e da contribuição social”, isto é: R$ 3.629.816.000,00.

    O “Imposto de Renda e a Contribuição Social”, pagos no mesmo exercício anual, totalizaram o valor de R$ 663.084.000,00 (SEISCENTOS E SESSENTA E TRÊS MILHÕES E OITENTA E QUATRO MIL REAIS).
    [Não houve discriminação das importâncias dispendidas em tributos e encargos sociais].

    Assim, deduzidos o “Imposto de Renda e a Contribuição Social”, chega-se ao “LUCRO LÍQUIDO” do “GRUPO GLOBO” (Globo Comunicação e Participações S.A. e subsidiárias), no exercício de 2012: R$ 2.966.732.000,00
    (DOIS BILHÕES E NOVECENTOS E SESSENTA E SEIS MILHÕES E TREZENTOS E TRINTA E DOIS MIL REAIS)
    .
    .
    (*) “NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS”

    1. Informações Gerais

    Globo Comunicação e Participações S.A.(“Companhia”) e suas subsidiárias (de forma conjunta “Globo”) constituem-se em um grupo de emissoras de televisão aberta e de negócios de internet e atua, através de suas controladas e controladas em conjunto, em negócios de programação de TV por assinatura e publicação de revistas, formando o maior grupo de mídia do Brasil.
    A Companhia é uma empresa sociedade por ações de capital fechado, domiciliada no Brasil.

    2.Bases de Preparação e Apresentação das Demonstrações Financeiras

    As presentes demonstrações financeiras (Controladora e Consolidado) são de responsabilidade da administração…

    2.1. Base de consolidação

    Controladas
    Controladas são todas as entidades sobre as quais a Globo tem o poder de gerir as políticas financeiras e operacionais, que geralmente está representado por uma participação societária de mais da metade dos títulos com direitos de voto.
    A existência e o efetivo direito potencial de voto que sejam exercíveis são levados em consideração ao avaliar se a Globo controla uma entidade.
    As controladas são consolidadas integralmente a partir da data em que o controle é transferido para a Globo e continuam sendo consolidadas até a data em que cessa este controle.
    As alterações nas participações societárias nas controladas que não resultem em perda no controle são registradas no patrimônio liquido como “outras reservas”.
    As demonstrações financeiras das controladas são elaboradas com base em práticas contábeis consoantes com aquelas adotadas pela Companhia.

    Consolidação
    A Globo consolida todas as suas controladas.
    A consolidação consiste na soma de ativos, passivos, receitas e despesas, segundo a sua natureza, complementada pelos seguintes ajustes e eliminações:
    ► Os efeitos das transações significativas realizadas entre as empresas consolidadas;
    ► As participações da Globo no capital, reservas e lucros ou prejuízos acumulados das controladas e resultado não abrangente;
    ► Os saldos de empréstimos, contas correntes e outros ativos e passivos mantidos entre as companhias consolidadas;
    ► A participação dos acionistas não controladores no patrimônio líquido e resultados das operações das empresas consolidadas é registrada como “participação dos acionistas não controladores”.

    2.2. Investimentos em controladas em conjunto (“JointVenture”)

    A Globo possui participações societárias em controladas em conjunto, pelos quais tem acordos que estabelecem o controle conjunto sobre as atividades econômicas dessas entidades.
    Os investimentos em controladas em conjunto são contabilizados pelo método da equivalência patrimonial.
    As demonstrações financeiras das controladas em conjunto são preparadas para o mesmo período da Globo.
    Ajustes são efetuados sempre que necessário para tornar as práticas contábeis consistentes com as práticas da Globo. (SIC)
    No caso de perda do controle compartilhado, o investimento remanescente, se houver, é reavaliado ao valor justo por meio do resultado.

    2.3. Investimentos em Coligadas

    Coligadas são entidades sobre as quais a Globo tem influência significativa mas não o controle, geralmente associada a uma participação entre 20% e 50% das ações com direito a voto.
    Os investimentos nas coligadas são reconhecidos utilizando o método da equivalência patrimonial.
    Pelo método da equivalência patrimonial, o investimento na coligada é contabilizado no balanço patrimonial pelo custo mais as variações posteriores de aquisição da participação acionária da Globo nos ativos líquidos da coligada.

    2.5. Reconhecimento da receita

    A receita é reconhecida na extensão em que for provável que benefícios econômicos serão gerados para a Globo e possa ser mensurada de maneira confiável.
    A receita é mensurada com base no valor justo da contraprestação recebida ou a receber, deduzidas de qualquer desconto comercial, tais como abatimentos, notas de crédito,reembolsos, ajustes de taxas, descontos e impostos ou encargos sobre vendas.
    Todas as receitas, bem como os custos e despesas, são registrados pelo regime de competência.

    As principais classes de receitas são reconhecidas conforme a seguir:

    Tipo de receita ============== Reconhecimento
    1) Veiculação/inserção de publicidade = Na transmissão ou publicação
    2) Publicidade de internet = Na exibição
    3) Programação e conteúdo = Mensalmente, pelo regime de competência
    4) Publicações = Quando da efetiva entrega
    5) Serviços de internet e comércio eletrônico = Quando o serviço é prestado ou os produtos são entregues
    6) Eventos = Na data do evento

    Um resumo das práticas de reconhecimento de receita por atividades significativas está descrito abaixo:

    Receitas de publicidade
    As principais receitas de publicidade são provenientes de transmissão na televisão aberta e de canais de televisão por assinatura, merchandising inserido na programação própria, publicação em revistas e exibição em sites de internet.
    Essas receitas são reconhecidas quando a publicidade é exibida ou publicada ao longo do período do contrato de publicidade.
    A receita de vendas de revistas é considerada quando o produto é entregue ao varejista e estiver disponível para compra pelo público em geral, líquida das devoluções estimadas.
    Receitas de publicidade on-line são reconhecidas durante o período em que os anúncios são exibidos, de acordo com os contratos.
    Uma parcela significativa das receitas é recebida como adiantamento de clientes, principalmente em relação aos patrocínios de eventos esportivos a serem transmitidos em períodos futuros.
    Assim, esses adiantamentos são registrados no passivo [!!!] (adiantamentos de clientes) e as receitas são reconhecidas quando a publicidade é exibida.

    Programação e conteúdo
    As receitas de programação da televisão por assinatura são reconhecidas mensalmente pelo regime de competência, de acordo com a base de assinantes e os preços estabelecidos nos contratos.
    As receitas de licenciamento de programas televisivos, filmes coproduzidos e eventos ao vivo são reconhecidas quando os programas são licenciados e se tornam disponíveis para a transmissão.
    A receita proveniente de licenças fonográficas é reconhecida de acordo com o regime de competência.

    Publicações
    As receitas editoriais consistem nas vendas de livros e revistas nas bancas e livrarias diretamente aos consumidores e para assinantes.
    As receitas de circulação são reconhecidas no mês em que a revista é vendida.
    As receitas com assinantes são reconhecidas no momento das entregas efetivas das unidades para os assinantes.
    A publicação e venda de livros são reconhecidas no momento da entrega dos produtos aos clientes.
    A receita relativa a qualquer publicação específica é reconhecida no mês de sua publicação.
    Adiantamentos de assinantes de revistas são registrados como adiantamentos de clientes, e as receitas são reconhecidas no momento da entrega do produto.

Deixe uma resposta