VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Quem de fato é o pai dos genéricos?

18 de abril de 2010 às 19h43

do Viomundo antigo

Genéricos: Jamil Haddad denuncia Serra e PSDB

Atualizado em 16 de junho de 2009 — Publicado em 14 de junho de 2009

por Conceição Lemes

Um vídeo sobre saúde do PSBD, veiculado em 2004 e ainda disponível para exibição no site do partido, afirma: não faz muito tempo que só existiam no Brasil remédios de marca, muitos caros, que não eram para todo mundo. Aí, um partido feito por gente séria e responsável decidiu mudar isso e criou os genéricos. Junto com os remédios mais baratos, criou também…

Também em 2004, num vídeo de 30 segundos, José Serra, então presidente nacional do partido, declara: o PSDB implantou os genéricos.

Desde a última segunda-feira, dia 9, inserções de propaganda do PSDB, que faz 25 anos, estão no ar. Na que aparece o governador José Serra é dito que os genéricos completam 10 anos. Ela se refere evidentemente à época em que Serra esteve à frente do Ministério da Saúde.

Vários comentaristas que postaram na reportagem Aids: Serra assume como dele programa criado por Lair e Jatene tinham certeza ou, no mínimo, desconfiavam de que a propaganda dos genéricos não correspondia à verdade dos fatos.

“Serra, pai dos genéricos? PSDB, criador dos genéricos? Assumir como deles é um embuste! Se fizerem isso de novo, eu denuncio”, prometeu há menos de um mês a esta repórter o verdadeiro pai dos genéricos, o médico Jamil Haddad, 83 anos, ex-deputado federal, ex-prefeito do Rio Janeiro e ministro da Saúde de outubro de 1992 a agosto de1993, no governo Itamar Franco. “Em política, a traição é uma norma. Só não se sabe a data.”

Serra e o PSDB reincidiram. Jamil, presidente de honra do Partido Socialista Brasileiro (PSB), cumpriu a palavra. Em reportagem publicada nesse sábado, dia 13, no blog Os amigos do Presidente Lula, ele detalha a história.

“Já tentei denunciar isso várias vezes na grande imprensa, mas ela faz vista grossa”, revela a esta repórter. “É só pegar o decreto 793 de 5 abril de 1993 para descobrir a verdade. Eu baixei-o junto com o presidente Itamar, criando os medicamentos genéricos no Brasil”.

O decreto 793 de 5 de abril de 1993, do Ministério da Saúde, assinado por Jamil Haddad, está aqui. A indústria farmacêutica ignorava o governo, fazia o que queria, aumentava os remédios de marca ao bel prazer. A situação tornou-se insuportável. A produção dos genéricos era o caminho. Desde 1981, aliás, a política da OMS era estimular a produção dos genéricos como alternativa para assegurar a disponibilidade de medicamentos essenciais a preços mais baixos à população. Tanto que, em 1993, já eram realidade há muito tempo em vários países, como Estados Unidos, França e Itália.

“Em 1991, o médico e deputado Eduardo Jorge [na época, no PT-SP] havia apresentado à Câmara Federal projeto propondo a fabricação dos genéricos no País”, detalha Jamil Haddad. “Em 1993, já no Ministério da Saúde, vi que o projeto continuava na gaveta da Câmara e, ao mesmo tempo, a OMS nos solicitava a liberação dos genéricos. Consultei a assessoria jurídica do Ministério da Saúde que disse não haver necessidade de a autorização ser feita por lei. Podia ser por decreto. Eu preparei-o, levei ao presidente Itamar, que assinou junto comigo.”

“Na prática, em 1999, quando a lei foi aprovada e o Serra era o ministro da Saúde, genéricos já estavam sendo fabricados no Brasil”, enfatiza Jamil Haddad. “A lei de 1999 é apenas a regulamentação do decreto que já existia. O projeto aprovado foi um substitutivo que apresentei ao do Eduardo Jorge e que recebeu uma porção de emendas. Hoje, os genéricos são uma realidade no País. Até o laboratório multinacional Merck, Sharp & Dohme, que fez campanha feroz contra mim naquela época, entrou violentamente no mercado dos genéricos, como já fazia no restante do mundo. Você acha que ia deixar de comer uma fatia desse bolo?”

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

54 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Na propaganda, Serra cria um universo paralelo sobre sua gestão na Saúde | Portal Fórum

22/09/2014 - 18h25

[…] O verdadeiro pai dos genéricos é o médico Jamil Haddad, ex-deputado federal, ex-prefeito do Rio Janeiro e ex-ministro da Saúde, falecido em 2009. Foi o próprio Jamil que denunciou Serra e o PSDB. […]

Responder

Serra manipula números da Saúde contra o governo federal e a favor dele « Viomundo - O que você não vê na mídia

21/09/2014 - 17h54

[…] verdadeiro pai dos genéricos é o médico Jamil Haddad, ex-deputado federal, ex-prefeito do Rio Janeiro e ex-ministro da Saúde, falecido em 2009. Foi o […]

Responder

A ‘inteligência’, a ‘coerência’, o ‘conhecimento’ de Serra, o gestor | Maria Frô

09/10/2012 - 13h06

[…] de campanha e não foi questionado pela grande mídia, como por exemplo a criação do FAT, dos Genéricos, nada disso foi feito por […]

Responder

Os tucanos só querem o seu bem: querem que você pague mais caro pela conta de luz | Maria Frô

05/10/2012 - 15h26

[…] diz que criou genéricos, o Fat, e requer a paternidade de uma série de outros projetos bem sucedidos! Tudo para o seu bem, […]

Responder

TIM faz cliente de trouxa. E privatização não era a solução?? | Blog João Carlos online

07/08/2012 - 11h26

[…] Se o que o PSDB tem de melhor a oferecer pra seus eleitores é a autoria dessa deplorável prestação de serviço, acho que vai ser cada vez mais comum ver tucano dizendo ser o ‘dono’ da idéia dos outros, exatamente como FHC fez com o Plano Real de Itamar, Serra com o  medicamento genérico de Jamil Haddad, etc.. […]

Responder

Mente, comumente | Morro do Baco Baco

28/08/2011 - 13h38

[…] que foi o criador dos genéricos. Mentira, como está demonstrado no texto “quem de fato é o pai dos genéricos”, publicado em 16 de junho de […]

Responder

Martins

03/11/2010 - 18h02

Em meados dos anos 80 (1984/1985), precisei de atendimento médico público, Posto da Rua Santo Antonio e 9 de Julho (INPS), ambos em S.Paulo, e recebi todos os medicamentos indicados pelos médicos que me atenderam, tanto quanto minha família. Todos genéricos, gratuitos e nunca faltou nenhum das receitas em nenhuma das farmácias destes Postos. Quem precisou na época e está vivo, sabe. Além aguentar a mentira de que foi perseguido pelo regime militar, quando na verdade tratava-se de um líder estudantil que, irresponsavelmente fazia baderna, contra a vida dos cidadãos, pelas ruas de S.Paulo.

Responder

Leo

29/10/2010 - 12h21

O link do decreto não está funcionando, apesar de saber a verdade. Mas por verocidade da notícia este link é importante para não deixá-la dúbia ou duvidosa.

Responder

Leo

28/10/2010 - 21h16

Dia 31 será o fim das mentiras do serra só desejo que seja de muito a diferença .
Dima 13 vamos lá.

Responder

RICARDO

26/10/2010 - 19h33

É MELHOR ACABARMOS COM ISSO DILMA VEZ!!!
DIA 31 DILMA 13 NELES!!!
O BRASIL É DE TODOS, QUE SÃO BRASILEIROS!!!

Responder

    Joao Domingos

    28/10/2010 - 14h49

    Ricardo: Você nao acha que Dilma vez é Dilmais pro Serra………Ele não aguentou nem uma bolinha de papel…

valter

03/08/2010 - 02h10

Os genéricos não foram implantados no Brasil por Serra, ele mentiu várias vezes, quando que ele vai pedir desculpas à população por tentar enganá-los?

Responder

Serra: Nem genéricos, nem programa de AIDS | Viomundo - O que você não vê na mídia

28/07/2010 - 14h48

[…] Viomundo denunciou aqui que Serra e o PSDB mentiam os genéricos. E aqui sobre o Programa Nacional de DST/Aids. […]

Responder

Morro do Baco Baco » Blog Archive » Mente, comumente

21/07/2010 - 16h02

[…] que foi o criador dos genéricos. Mentira, como está demonstrado no texto “quem de fato é o pai dos genéricos”, publicado em 16 de junho de […]

Responder

Serra, o acarajé, Pernambuco e a falsidade ideológica | Viomundo - O que você não vê na mídia

20/07/2010 - 23h20

[…] Serra, que já foi acusado de se apropriar indevidamente da lei dos genéricos, do programa de AIDS, do Fundo de Amparo ao Trabalhador e do Seguro-Desemprego, agora tenta um […]

Responder

Glecio_Tavares

05/05/2010 - 00h25

Isso ai Azenha. vamos mostrar quem é gente que mente.

genérico é um politico que não sabe nada de postura. Ele não apoia FHC, não critica Lula, diz que vai acabar com o mercosul, depois diz que vai flexibiliza-lo. Como diz o PHA : O que pensa este rapaz? E como eu digo: Naquela cabeça não cria nem piolho, quanto mais uma idéia original.
Sou mais Dilma, a legítima.

Responder

Glecio_Tavares

05/05/2010 - 00h35

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/D0793.htm

Fui la bscar a legislação decreto 793 de 1993 Itamar Franco / Jamil Haddad

Serra, um embuste.

Responder

Serra e Mercosul: tiro no pé « Conexão Brasília Maranhão

03/05/2010 - 13h18

[…] que mente ao dizer que criou o programa de combate à AIDS (clique aqui) e os genéricos (clique aqui) – chamou o Mercosul de […]

Responder

luis

02/05/2010 - 07h57

Serra Mentiroso (vamos espalhar esse termo em todos os lugares (e provar se pedirem…generico, aids, 2 professores na escola, segurança em sp, etc)

Responder

Bate-papo Café » Serra, o homem do genérico

22/04/2010 - 22h43

[…] Serra é o pai dos genéricos? Só se for dos pensamentos genéricos, porque o pai dos medicamentos genéricos foi o Dr. Jamil Haddad. Veja mais em Viomundo. […]

Responder

A DITADURA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÕES « Martins Andrade e você…

20/04/2010 - 07h23

[…] Leia o post completo clicando aqui. […]

Responder

O Cyborg de 2010 « Luminária de Idéias

19/04/2010 - 20h42

[…] Leia o post completo clicando aqui. […]

Responder

Ubaldo

19/04/2010 - 18h30

Há quem diga que o Lula não é o pai do Bolsa Família.
Há quem diga que o Serra não é o pai dos genéricos.
Há quem diga que o FHC não foi o pai do Plano Real.

Como há gente pequena neste mundo.

Responder

    francisco.latorre

    19/04/2010 - 21h13

    há quem diga que o balde é furado.

    lesado o figura.

    ..

    francisco.latorre

    19/04/2010 - 21h15

    o bolsa família é do lula sim.

    os genéricos não são mesmo do serra maligno.

    e o plano real é do itamar.

    só idiotas contestam.

    ..

    Enteu

    19/04/2010 - 21h23

    Há quem diga que Jamil Hadad não é o pai dos genéricos.
    O que José Serra Fez foi revogar a lei que criou os genérios, criada por Itamar e Jamil Hadad, e lançou uma outra igual, desta vez de 'autoria" de José Serra. veja aqui:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9787.h

    Conceição Lemes

    19/04/2010 - 18h44

    JEnteu, Jamil Haddad é, sim, o pai dos genéricos. Abs

baader

19/04/2010 - 21h28

"Países como India estão utilizando [em 2003] esse período para adaptar suas capacidades e continuam não concedendo patentes para inovações na área de medicamentos, o que permite a indústria de genéricos indiana copiar, até hoje [2003] todos medicamentos anti-retrovirais manufaturados nos países desenvolvidos." Por outro lado, o Brasil nao utilizou da possibilidade do prazo maior para adequar sua capacidade de inovação e incorporaram, mais rapido que o necessário o acordo TRIPS (Fonte: ABIA, 2003. Rio).
É assim que o PSDB trabalha: entregando o Brasil.

Responder

baader

19/04/2010 - 21h28

Esta lei foi resultado de uma imposição do acordo TRIPS (Trade Related Aspects of Intellectual Rights Including Trade in Counterfeit Goods) da OMC (à época GATT) aos países signatários, como o Brasil, em reunião em abril de 1994 (Rodada do Uruguai). As resoluções aprovadas entraram em vigor a partir de janeiro de 1995, devendo levar onze anos para serem integralmente implementadas, período de adaptação dos países (Fonte: Escola Nacional de Saúde/Fiocruz, 2000). Países "renda média", como Brasil e India teriam até janeiro de 2000 para adaptar legislações internas, "mas essa obrigatoriedade poderia ser adiada até janeiro de 2005, para alguns produtos estratégicos, como medicamentos" (…) (continua)

Responder

baader

19/04/2010 - 21h28

Um pequeno comentário sobre a lei de patentes, 9279/96, que o Sr.Serra quer também fazer de sua autoria (embora seja do PSDB). Vem dizendo que foi ele quem a regulamentou. (Onde e como, não sabemos.)
De qualquer forma, se uma análise da lei for crítica, este senhor candidato, apoiado pelas forças golpistas que aparecem com mais força agora no país, vai desconversar, para dizer o mínimo. (continua)

Responder

J C Tavares

19/04/2010 - 20h51

Gostaria de saber como posso repassar essa matéria por E-mail. Porque esse Blog retirou a opção "Indique a um Amigo"????

Responder

    @izolan

    22/04/2010 - 18h16

    Em cima do título do post tem 3 botões. Um deles se chama "E-mail".

Teófilo Fernandes

19/04/2010 - 20h27

A questão dos Genéricos é um, entre muitos outros assuntos que o povo precisa exigir seriedade e manter viva na memória de cada brasileiro sua importância. Tenho 22 anos na Indústria farmacêutica como simples trabalhador na comercial e sei que Serra nunca foi idealizador dos genéricos e sim um tremendo de um oportunista para fazer campanha e o mais absurdo, desencadear uma campanha criminosa de troca de prescrição médica por produtos desconhecidos da classe médica, mas muito conhecidos pelos investidores da Indústria Farmacêutica Nacional, dos comerciantes e dos balconistas. MEDICAMENTO É COISA SÉRIA, não é justo que políticos aproveitadores peguem carona sem o menor escrúpulo. Os benefícios advindos dos Genéricos merecem respeito, porém as infrações sanitárias praticadas pela Indústria e comerciantes de medicamentos precisam ser punidas severamente. Foi após o decreto do Jamil Haddad que um executivo pertencente a uma multinacional lançou no Brasil, com um marketing muito tímido uma linha de genéricos chamada de BASFGenerix, esta linha de produtos causou impacto significativo em algumas marcas conhecidas. No momento quem for pai dos genéricos devem assumir a responsabilidade para denunciar os absurdos que muitos empresários praticam com seus filhos (genéricos). O mal do eleitor brasileiro é acreditar em propaganda ou conversas vazias sem o mínimo de conhecimento de causa…

Responder

O Cyborg de 2010 « Diálogos Políticos

19/04/2010 - 09h44

[…] Leia o post completo clicando aqui. […]

Responder

SÁVIO - do Ceará

19/04/2010 - 12h27

Não se assustem se O Serra falar ,que os dois filhos bastardos(fora do casamento) do FHC são seus …

Responder

Matheus Nahkur

19/04/2010 - 12h02

Ótima reportagem, Conceição! Muitos a receberão por e-mail, com o link para o Vi o Mundo, ainda hoje.

Responder

O Cyborg de 2010 | Viomundo - O que você não vê na mídia

19/04/2010 - 03h47

[…] Leia o post completo clicando aqui. […]

Responder

Serra e as vacinas | Viomundo - O que você não vê na mídia

19/04/2010 - 03h16

[…] “Serra, pai dos genéricos? PSDB, criador dos genéricos? Assumir como deles é um embuste!”, disse em junho de 2009 ao Viomundo, o médico Jamil Haddad, falecido no final de dezembro, aos 83 anos. Ex- deputado federal, ex-prefeito do Rio Janeiro e ministro da Saúde de outubro de 1992 a agosto de1993, Jamil Haddad é o verdadeiro pai dos genéricos do Brasil. […]

Responder

Gerson Carneiro

19/04/2010 - 05h31

Pessoal,

Vamos votar nos comentários. O Ubaldo está fazendo a parte dele.

Responder

Gerson Carneiro

19/04/2010 - 01h14

Então o principal concorrente da Dilma nessas eleições é o Pinóquio?

Responder

Ubaldo

18/04/2010 - 23h54

Nesse raciocínio estreito o Lula não fez nada. Na Economia são Mantega e Meirelles. No comércio exterior Amorim e Garcia.
Na assistência social Ananias.
Evidente que ninguém implanta programas sozinho. Mas quando mencionamos que, por exemplo, FHC implantou a Lei de Responsabilidade Fiscal nos referimos a ele e seus ministros, assessores e ao deputados e senadores que aprovaram a Lei. Assim, genéricos, Serra sim.

Responder

    Gerson Carneiro

    19/04/2010 - 00h43

    Mas não temos o Mantega, Meirelles, Amorim e Garcia, Ananias e os demais, propagando como deles, e somente deles, ou seja, tomando para si, os respectivos trabalhos desenvolvidos em função de um Governo Federal. E é isto o que está sendo posto em evidência. Porque esta é a postura que o teu candidato nos revela. Contradizendo a afirmação do astrólogo que diz que ele "tem habilidade de trabalhar em equipe".

    Lucia

    19/04/2010 - 01h53

    O problema é que ele separa do MS da governo federal, como se um ministério fosse independente, aliás ele age como se só tivesse existido o Ministério da Saúde. Aliás, como ele se apresenta como o "melhor ministro da sáude", dar a impressão de só existia o MS.

    Fabio

    19/04/2010 - 14h19

    Ubaldão, meu caro:

    Lula não fez nada além de tirar 30 milhões de pessoas da pobreza, reduzir a miséria em 43%, facilitar crédito imobiliário para famílas de baixa renda, levar eletricidade para 11 milhões de pessoas, construir mais escolas técnicas e universidades federais no país que qualquer outro presidente…

    Pensando bem, não fez nada este tal de Lula, não é, meu caro amigo Ubaldão?

    Ubaldo

    19/04/2010 - 18h27

    Lula fez muito mais:
    Quem elevou a dívida pública bruta de R$ 687 bilhões para os atuais R$ 2 trilhões e vai deixar para nossos filhos e netos pagarem?
    Quem, para se eleger, escreveu uma Carta à Nação se dirigindo aos banqueiros e que paga a eles R$ 140 bilhões,só de juros?
    Quem vai deixar um legado de 45 milhões de dependentes do Bolsa Família qual consomem R$ 15 bilhões ao ano?
    Quem mistura ideologia e comércio exterior e diminuiu expressivamente o comércio com os EUA?
    Quem se aliou ao Sarney, mantendo-o como presidente do Senado e barganhando com o apoio do PMDB à sua candidata indicada sem ao menos consultar seu partido?
    Quem se aliou ao Collor, Jader Barbalho, Temer e outros só para se manter no poder?
    Quem se orgulha em não ter diploma e não respeita a liturgia do cargo?
    Quem gosta de levar os louros da glória mas quando há problema sempre diz que não sabe de nada?
    Quem desrespeita o TRE e a Justiça e que deveria ser o primeiro a protege-los?
    Se você retrucar……..eu continuo.

    francisco.latorre

    19/04/2010 - 21h19

    'eu continuo.'

    a função do barata é mesmo azucrinar.

    ..

    Ubaldo

    19/04/2010 - 22h18

    Como você retrucou vou continuar mais um pouquinho:

    Quem disse que não sabia do Mensalão do PT, mesmo tendo sido avisado pelo Roberto Jefferson e reconhecido posteriormente que foi avisado?
    Quem disse que infelizmente o povo brasileiro votava com o estômago e bastava meia dúzia de cestas básicas para conquistar seu voto?
    Quem disse que o povo brasileiro está na merda e que vai tirá-lo?
    Não retruque senão eu continuo…

    francisco.latorre

    04/05/2010 - 22h16

    transborda mais um pouco..

    mané lesado. lesadoô.

    ..

    Ricardo Martins

    05/07/2010 - 14h53

    Para falarmos sério que tal falarmos sobre o
    Mensalão do Azeredo e do Panetonegate?

    Regis

    19/04/2010 - 21h56

    Puxa vida, que fraquinho…
    Esse Ubaldo me faz lembrar um balde que minha vó deixava debaixo da cama.
    Não era bem um balde mas o conteúdo era similar.
    Só não precisa retrucar senão "u baldo" transborda.

    dukrai

    21/10/2012 - 22h47

    Ubaldinho, desculpe a ausência, tava com saudades de vc, por que no te callas?

Marat

18/04/2010 - 22h58

É isso que dá querer colocar um genérico do império, apoiado pelo PIG… vou vou de original, ou melhor, da original. Nada de genéricos, é Dilma lá!!!

Responder

    Hanibal

    19/04/2010 - 14h02

    Acertou na mosca, Marat.
    Genérico do Império.

    "Os genéricos surgiram no mundo há mais de 40 anos. A indústria teve origem nos Estados Unidos, na década de 1960, por iniciativa, PASMEM!!!!!!, do governo americano"

    Ou seja, se "pai" há, não é brasileiro.
    Jamil Haddad e Serra: menos, menos. Podem ter contribuído no parto, mas ser "Pai" já é delírio.

Deixe uma resposta