Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

PF vai procurar corpo de criança queimada

publicado em 6 de janeiro de 2012 às 17:33

Os boatos na internet e o relato da criança queimada

por Luiz Carlos Azenha

O que existe de fato sobre uma criança indígena que teria sido queimada por madeireiros no interior de Maranhão é um relato de testemunhas indiretas, reproduzido por terceiros. Como disse o jornalista Renato Santana, assessor do Conselho Indigenista Missionário, em Brasília, cuidado com o que circula na internet.

O Cimi divulgou uma nota a respeito, em seu site:

O corpo foi encontrado carbonizado em outubro do ano passado num acampamento abandonado pelos Awá isolados, a cerca de 20 quilômetros da aldeia Patizal do povo Tenetehara, região localizada no município de Arame (MA). A Fundação Nacional do Índio (Funai) foi informada do episódio em novembro e nenhuma investigação do caso está em curso.

As suspeitas dão conta de que um ataque tenha ocorrido entre setembro e outubro contra o acampamento dos indígenas isolados. Clovis Tenetehara costumava ver os Awá-Guajá isolados durante caçadas na mata. No entanto, deixou de encontrá-los logo que localizou um acampamento com sinais de incêndio e os restos mortais de uma criança.

“Depois disso não foi mais visto o grupo isolado. Nesse período os madeireiros estavam lá. Eram muitos. Agora desapareceram. Não foram mais lá. Até para nós é perigoso andar, imagine para os isolados”, diz Luís Carlos Tenetehara, da aldeia Patizal. Os indígenas acreditam que o grupo isolado tenha se dispersado para outros pontos da Terra Indígena Araribóia temendo novos ataques.

Conversei também, por telefone, com Rosimeire Diniz, coordenadora do Cimi em São Luís do Maranhão, que confirmou a declaração dada por ela:

“A situação é denunciada há muito tempo. Tem se tornado frequente a presença desses grupos de madeireiros colocando em risco os indígenas isolados. Nenhuma medida concreta foi tomada para proteger esses povos”.

A Terra Indígena Araribóia tem 413 mil hectares devidamente homologados e demarcados. Nela os Tenetehara convivem com os Awá, um povo coletor.

Renato Santana negou a existência de alguma foto do corpo carbonizado. Só uma investigação oficial da Funai pode confirmar se de fato existe o corpo carbonizado e se de fato  é de uma criança. Além disso, é preciso esperar o testemunho direto de alguém que presenciou o episódio para saber se houve crime e, se houve, para tentar identificar os autores.

Dizer que “madeireiros mataram queimada uma criança indígena de oito anos” é, no mínimo, um exagero.

PS do Viomundo: A Funai e a Polícia Federal de Brasília acabam de informar ao repórter Gustavo Costa que equipes locais estão a caminho da reserva para apurar a denúncia.

PS do Viomundo2: Conversamos, por telefone, no Maranhão, com Gilderlar Rodrigues da Silva, do Cimi, e com Luis Carlos Guajajara, indígena. Ambos disseram que, embora não tenham visto pessoalmente o corpo, ouviram de terceiros relatos fidedignos sobre o assassinato. De qualquer forma, ambos disseram que esperam uma apuração oficial para esclarecer o caso. O repórter Gustavo Costa, da TV Record, está empenhado pessoalmente nesta apuração, já que pretende transformar a denúncia numa reportagem de alcance nacional, assim que ela se confirmar.

Esta é a foto da “criança indígena assassinada”, que recebi como sendo da criança morta no Maranhão, acompanhada pelo texto a que me referi acima, “madeireiros mataram queimada viva uma criança indígena de oito anos”.

Leia também:

Fernando Brito: As barbas do vizinho

 

55 Comentários para “PF vai procurar corpo de criança queimada”

  1. [...] http://www.viomundo.com.br/ Share this:CompartilharFacebookTwitterEmailGostar disso:GostoSeja o primeiro a gostar disso post. [...]

    • Nós do Blog Resistencia Indigena Continental apoiamos investigações sérias e também temos relatos fidedignos da prática costumeira de setores economicos que atacam indios em isolamento voluntário. Sabemos de indias cortadas por motosserra e acreditamos na veracidade do ataque contra os Awa. Que o Grande Espirito proteja nossos parentes isolados e os não indios parem de exterminá-los.

      RESISTENCIA INDIGENA CONTINENTAL !!! ANO 520 !!!

  2. [...] giornalista Luis Carlos Watermill ha invitato però alla cautela: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma [...]

  3. [...] giornalista Luis Carlos Watermill ha invitato però alla cautela: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma [...]

  4. [...] Luis Carlos Azenha, on the other hand, urged caution: Renato Santana [press officer of CIMI] denied the existence of any photo of the charred body. Only [...]

  5. [...] Journalist Luis Carlos Azenha andererseits rief zur Vorsicht auf [pt]: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma foto do corpo [...]

  6. qua, 11/01/2012 - 0:06
    Amanda

    Azenha por favor veja aí o sistema porque eu coloquei um comentário aqui e apareceu a mensagem aguardando publicação… Cadê?

  7. [...] Luis Carlos Azenha, on a other hand, urged caution [pt]: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma foto do corpo [...]

  8. [...] Luis Carlos Azenha, on the other hand, urged caution [pt]: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma foto do corpo [...]

  9. [...] Luis Carlos Azenha, on the other hand, urged caution [pt]: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma foto do corpo [...]

  10. [...] jornalista Luis Carlos Azenha, por outro lado, pediu cautela: Renato Santana [assessor de imprensa do CIMI] negou a existência de alguma foto do corpo [...]

  11. dom, 08/01/2012 - 0:07
    Ana Giulia Zortea

    Que horror, coitado deste indiozinho, estou chocada, queria que isto não fosse verdade.Não sei nem o que dizer.

  12. sáb, 07/01/2012 - 20:34
    Isack

    Basta ver as indústrias ou "destroindúnstrias da monocultura " devastando tudo e todos para nosso regresso e progresso do "GRINGOS".

    Agora vamos massivamente comprar maquinários agrícolas, florestais e tudo mais relacionados a este voraz faminto mercado da monocultura, todos importados, pois somos precionados para comprar, comprar, comprar. Casas, TVs a cabo, celulares, água, luz, material construção civil, bancos, empréstimos, metalúrgica, IMPORTADOS, IMPORTADOS E MAIS IMPORTADOS, gerando riqueza pors "GRINGOS" e pobreza para nós. Criminosos invadindo suas ruas, fileiras e fileiras de desempregados, homicídios (ou melhor genocídios), nossa cultura nordestina (camponesa ) devastada, arrasada por imensos topetes americanos, gente parda linda como a nossa sendo estuprada por ideologia racista européia. VOCÊS QUEREM UMA INFERNO DE SÃO PAULO AÍ NO PARAÍSO!????????

    COMSUMIR, CONSUMIR, ROUBAR, MATAR, CONSUMIR, GRINGOS RICOS, BRASILEIROS ESCRAVOS.

  13. sáb, 07/01/2012 - 19:11
    Mariana Parra

    Pergunta básica: se não tivesse estourado na internet, a PF e a FUNAI estariam empenhadas??????????? Estavam antes??????? a denúncia foi fundamental sim, deve ser respeitada, mesmo sendo de testemunhas sem conseguirem provas. Você acha que é fácil conseguir provas, conseguir um processo rápido em relação à um assassinato de um indígena de uma tribo isolada nessa região do país???? só quem não entende absolutamente nada da questão indígena no Brasil e desse rincão do país que solta uma nota nesse tom.

  14. sáb, 07/01/2012 - 14:56
    Bruno

    Acho que devia constar no texto a informação divulgada pela Funai:
    O órgão, por sua vez, informa ter recebido em novembro uma denúncia anônima sobre a ocorrência de um conflito na região em outubro, com assassinato de indígenas. “A denuncia não citava a morte de uma criança”, destaca em nota. “Ainda em novembro, a Funai protocolou a denuncia junto a Polícia Federal e solicitou que esta realizasse uma investigação.”

  15. sáb, 07/01/2012 - 13:33
    Luci

    Eu sou leitora diária do Vi o Mundo e constato que o que a mídia publica e divulga é pura distração social com raríssimas exceções, para manter uma dominação oligárquica, coronelista, elitista, que privilegia a minoria e lhes garante impunidade, contrariando nossas leis.
    Se confirmada pela Polícia Federal mais esta denúncia de indigena assassinado e queimado em outubro é a real constatação de que a Democracia , a República e o Estado Democrático de Direito tem problemas gravíssimos.
    http://www.escoladegoverno.org.br/artigos/241-ent… , importante leitura de entrevista do professor Fábio Konder Comparato sobre República, Democracia e Estado Democrátido de Direito, entrevista à Carta Capital.

  16. sáb, 07/01/2012 - 12:40
    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    Alias, a procura da verdade factual, que o Azenha se referiu aqui, deveria ser assimilada por muitos dos acompanhantes deste fórum.Alguns aqui estão no "automático":falou de Globo, Veja, Folha, Sao Paulo, PSDB, não querem nem saber, e o "PIG ao contrario".Ja sentenciam , condenam e executam.Ja se e Dilma , Lula, PT, ah, ai se fizer alguma critica.So vale aquelas criticas "vaselina" igual a comentarista do PIG quando e falha do lado deles:"quando o Brasil vai mudar, os políticos são todos iguais, o Judiciario nao sei o que", mas nada de dar nominho ao boi…E ai de quem coloca alguma questão diferente:da-lhe negativinho…

  17. sáb, 07/01/2012 - 12:25
    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    E ai, não vão falar nada sobre o "e , os maranhenses gostam disso"?Quando e noticia de Sao Paulo, tem sempre uns caras que vem fazer este link.E no Maranhão , não?Nordestinos "são melhores"?

  18. O que me chama atenção é que só depois de 2 meses é que alguém vai apurar o que aconteceu, e só por que vazou nas redes sociais, isso é um absurdo! É preciso responsabilizar as autoridades locais, governo estadual…ah…lembrei…terra do Sarney, ali é praticamente outro país…com leis e regime próprios…

  19. sáb, 07/01/2012 - 3:24
    ana

    Não se esqueçam do caso da "escola base", na aclimação. Denunciaram os proprietários da escola como pedófilos, e, imediatamente apareceu a divulgação na mídia. No dia seguinte, a escola estava depredada e os donos jurados de morte. Após concluída a investigação, viram que não havia nenhum prova contra eles, e foram declarados inocentes. Algo que a população julgava como verdade absoluta, por ser horrendo, não passou de um pequeno engano. Agora imagina como foi a vida desse homem e de sua mulher durante este ínterim.
    Isso foi só um exemplo de que não podemos julgar nada sem provas fundamentadas.

  20. sex, 06/01/2012 - 23:16
    Luci

    Gravíssimo pela violência e desumanidade. Revolta ler uma notícia lamentável e dantesca como esta.
    Não dá mais para suportar impunidade com a violência contra indigenas, quilombolas e contra todos nós.
    Tantas instituições, cargos, e continua a violência por posse de terra? E o desaparecimento do índio Nisio Gomes foi esclarecido?

  21. sex, 06/01/2012 - 21:48
    Samantha

    demorou um pouco para irem apurar, né? se não fosse pela pressão na internet…

  22. sex, 06/01/2012 - 21:29
    Francisco

    grande Azenha….como bom jornalista, vc sabe que onde há fumaça, há fogo.

  23. sex, 06/01/2012 - 20:44
    Gerson Carneiro

    Será que os Globais do vídeo contra Belo Monte já estão preparando outro vídeo contra os madereiros?

    (bem, pelo que vi no vídeo contra Belo Monte aqueles atores e atrizes devem achar que Madereiros são os fãs da Malu Mader).

    • sex, 06/01/2012 - 23:32
      Lucas Secanechia

      Os globais eu não sei, mas e você? Vai falar algo da violação dos direitos de indígenas na construção da obra de BM? Tirando as diferenças claras de ambos os casos, eles possuem similaridade, ambos são ações de grupos que veem os indígenas como entrave ao lucro fácil (ou desenvolvimentismo).

      • sáb, 07/01/2012 - 6:12
        Gerson Carneiro

        Pois sim. Assista até o final. Tudo que penso sobre Belo Monte está aqui.

        [youtube feG2ipL_pTg http://www.youtube.com/watch?v=feG2ipL_pTg youtube]

      • sáb, 07/01/2012 - 9:26
        Lucas Secanechia

        Eu poderia apresentar outros vídeos de mesma feitura deste seu, mas prefiro este que guarda toda a sinceridade de uma autoridade que pensava estar em off: http://www.youtube.com/watch?v=XruOTNQGKUc&fe

      • sáb, 07/01/2012 - 9:45
        Gerson Carneiro

        Fica evidente que Curt Trennepohl estava ironizando a repórter australiana.

        Fico feliz em saber que não é o PIG da Austrália quem determina o que temos que fazer.

        Gostei do vídeo.

      • HAHAHAHAHA, ironizando? Para, cara, pelo amor! Isso aí já é boçalidade!

      • sáb, 07/01/2012 - 15:13
        Lucas Secanechia

        A interpretação é livre, mas depois quando chega ao nível de tragédia consumada todo mundo faz de desentendido. Beleza então.

      • Então, sinto lhe informar, mas o que você entende por Belo Monte não passa de mentiras.
        http://www.tsavkko.com.br/2011/12/os-videos-sobre

        "Esse vídeo consegue ser pior que o dos estudantes da UNICAMP. Ao menos no caso do povo de Campinas, se limitaram a fingir que não tem gente na região, os da UnB simplesente mentem.

        Novamente, verifique os fatos, mas defenda a morte da população local. Só importa dinheiro e "desenvolvimento", vidas não são relevantes.

        Admito não ter aguentado ver o vídeo inteiro tamanhos absurdos ditos. Logo no começo a afirmação bombástica: Nenhuma terra indígena será alagada.

        Oras, e quem disse que seriam?

        As terras indígenas sofrerão da seca da Volta Grande do Xingu. SECA.

        E os "estudantes" afirmam que os indígenas foram sim ouvidos… Engraçado, os indígenas estão mentindo? O cacique Megaron Txucarramãe está mentindo (aliás, ele foi DEMITIDO da Funai por se opor a Belo Monte)?"

      • dom, 08/01/2012 - 16:34
        Alberto

        Sabem qual é a melhor coisa sobre a construção da usina de Belo Monte? Ela é uma excelente forma de se ver quem é fiel a partido, e que é fiel a ideologia.

  24. sex, 06/01/2012 - 19:48
    Mirtes Trinta

    Funai apura morte de criança indígena carbonizada no MA
    06 de janeiro de 2012 • 19h33

    A Fundação Nacional do Índi owww.afp-direct.compor madeireiros em outubro no Maranhão. De acordo com o órgão, uma equipe vai de Imperatriz até a terra indígena de Arariboia, onde o caso aconteceu. De acordo com a Funai, informações mais precisas deverão ser divulgadas na segunda-feira.

    O crime teve destaque nesta semana com a ajuda de redes sociais, embora tenha ocorrido há mais de dois meses, segundo o Conselho Indigenista Missionário (Cimi). A criança era da etnia Awá-Guajá, que vive isolada do contato com brancos e divide o território com outros povos. O assassinato foi denunciado pelo povo Tenetehara, que também vive em Arariboia.

    Os Tenetahara afirmaram que costumavam ver os Awá-Guajá em caçadas na mata, mas que deixaram de encontrá-los depois que viram um acampamento com sinais de incêndio e com os restos mortais da criança. "Depois disso não foi mais visto o grupo isolado. Nesse período, os madeireiros estavam lá. Eram muitos. Agora, desapareceram. Não foram mais lá. Até para nós é perigoso andar, imagine para os isolados", disse Luís Carlos Tenetehara.

    O grupo acredita que os Awá tenham se dispersado para outros pontos de Arariboia temendo novos ataques. Segundo eles, a ação de madeireiros na região tem feito com que os Awá migrem do centro do território para as periferias, ficando sujeitos ao contato com a sociedade. As migrações também são motivadas pela extração madeireira, já que os Awá são essencialmente coletores.

    A Funai informou que recebeu, em novembro, uma denúncia anônima sobre assassinatos de índios na região, porém sem especificar que havia uma criança entre as vítimas. O órgão também disse que protocolou denúncia junto à Polícia Federal e solicitou que uma investigação fosse feita.
    http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,O…

  25. sex, 06/01/2012 - 19:30
    Daniela P.

    O título do texto induz à interpretação errada, já que foi destacada a palavra BOATO, parecendo que o relato sobre a morte do índio foi inventada na redes sociais. Tem gente aí chamando a história de meme.
    Não era BOATO já que de fato as denúncias do CIMI existem. Melhor que ficasse mais claro que o CIMI não reconhece apenas a foto, não a denúncia.
    No IG, há uma matéria muito feita sobre o caso, fica a dica.

  26. sex, 06/01/2012 - 18:37
    Jay

    Poxa, tadinhos dos madeireiros, são tão legais né?! Então só porque estamos numa época em que tudo é fotografado o relato de alguém não pode ser levado como alarmante e apenas a idéia de que tamanha atrocidade aconteceu não pode nos comover? Tadinhos dos Awá… A dor deles não tem o devido respeito só porque eles não tem Iphone pra documentá-la? O QUE É ISSO MINHA GENTE?

    • Aparentemente você faltou na aula de interpretação de texto. Existe uma denúncia a ser apurada. O Conselho Indigenista Missionário, autor da denúncia, não reconhece como verdadeira a foto que está circulando na rede como sendo da criança morta. abs

      • sex, 06/01/2012 - 19:55
        Jay

        Não faltei a aula de interpretação de texto não Azenha, sou graduada em comunicação, mas quem escreveu aqui foi a cidadã indignada! Você realmente acha que teremos provas nessas condições remotas? Nesta profusão de notícias e imagens fake da internet, é bem provável que não tenhamos uma foto desta "notícia"… Mas já fiz minha parte, no lugar de esperar. Se aconteceu realmente, é crime federal, uma vez que as terras indígenas são propriedade do estado. Vou ficar esperando a apuração.

      • Jay, eu não estou dizendo que é preciso existir uma foto para provar o crime. Eu estou dizendo que a foto que circula na rede como sendo do corpo da criança queimada é fake. Sou jornalista e trabalho com fatos. Existe uma denúncia. A Polícia Federal vai apurar. abs

  27. sex, 06/01/2012 - 18:36
    Maurício Alves

    É curioso notar que as "versões" sobre o fato vem de veículos como a UOL e chancelados pelo mesmo CMI. http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2012/01/06/m
    Muito mais do que me perguntar o motivo desse "conflito de versões", eu fico me indagando se a imprensa chapa-branca não está sendo chamada a apagar incêndios ocorridos no governo Dilma com potencial destrutivo que só um meme de rede possui.

  28. sex, 06/01/2012 - 18:24
    Alice Abad

    Vi a notícia e fiquei chocada. Se é verdade não sei mas é comum crianças indígenas (meninos e meninas) serem estuprados – "carne fresca" – por garimpeiros, madeireiros, etc, e depois ou mortos ou jogados na selva. Isso acontece diariamente com vistas grossas da FUNAI.

    • dom, 08/01/2012 - 11:09

      Não há vistas grossas,Alice A Funai não se omite nunca. O grande problema é as condições em que ela atua. Os agentes da FUNAI atuam em sua maioria em regiões isoladas e cobrem grandes extensões de terra onde, na maioria da vezes, o acesso se dá por trilhas de mata fechada e para se chegar demora dias. Para funcionar como deveria a FUNAI precisaria de mais recursos. E por que isso não acontece? Simples, porque o Ministério da Justiça não tem esses recursos. E não tem por uma razão simples a dotação orçamentária anual tem que cobrir outros órgão como a PF, a Força Nacional de Segurança, a PRF e o sistema penitenciário nacional. Ou seja é impossível dar

  29. A nota diz que foi encontrado um corpo carbonizado. Isto está confirmado pela nota. O resto é que sao conjecturas, mas é preciso chegar ao fundo da história. Criança ou adulto, é um crime bárbaro imperdoável. Agradeçamos ao governo federal que vem se calando ou mesmo atuando contra os indígenas. Guarani-Kaioas sofrendo genocídio no MS, Xingu ameaçado por Belo Monte e agora o Maranhão…

    Cadê Funai? Cadê Dilma? Será que ela está tão entretida com a Katia Abreu que esqueceu dos brasileiros?

    • Exatamente, é preciso cobrar da Funai uma investigação. E atender aos antigos reclamos dos indígenas quanto à invasão dos madeireiros. abs

      • Funai não, PF. Funai, segundo diversas fontes, tem envolvimento com madeireiros da região, não é totalmente imparcial, tanto que sabe do fato desde novembro e até agora não se mexeu, ou melhor, se mexeu, quando teve publicidade.

      • A PF está a caminho. Vamos aguardar. abs

      • sáb, 07/01/2012 - 14:50
        Bruno

        A Funai encaminhou a denuncia pra PF em novembro, e a PF não fez nada até agora (só a PF pode investigar, a Funai não tem poder investigativo, e até arriscado entrar naquela area sem escolta). A Funai é muito mais confiável que a PF. Veja o exemplo do Sul da Bahia, onde a PF tem preendido e torturado índios recorrentemente.

      • Cobrar da Funai? Numa região q tão usando até correntão? Espero q vcs tenham idéia do q significa isso! Se o pessoal da Funai começar a cutucar muito vai acabar como os fiscais do MTrab em Unaí. Isso é caso para INTERVENÇÃO FEDERAL! Não é de hj q se sabe q essas madeireiras formam uma rede internacional de tráfico de DNA e de madeiras nobres. A maioria delas atua de forma ilegal, não precisa morar com os Awa-Guajá pra saber disso. E o q esse #GovernoFail tem feito? ABSOLUTAMENTE NADA!
        E pra quem achou exagerada nossa reação, pergunto: e se o tal blog não tivesse publicado akele relato? E se os indignados não tivessem feito estardalhaço internet afora?

      • Sim, mas a sua indignação não substitui a verdade factual. Quanto ao seu comentário em si, o Luiz Malavolta fez ainda na TV Globo uma reportagem maravilhosa no Pará, mostrando que a maior parte da madeira retirada ilegalmente de uma região específica não ia parar no Exterior, mas em São Paulo. abs

      • Meu caro, tirar uma realidade complexa e diversa como a Amazônia por uma única reportagem? Já leu "AMAZÔNIA" do Aziz Ab'Saber? Já leu os artigos da pesquisadora Lia Osório sobre as redes criminosas na Amazônia? Tem noção de qto tá um m³ de mogno no mercado paralelo internacional? blz, vamos aguardar a verdade dos fatos-apurados-3-meses-depois-junto-a-uma-tribo-nômade-isolada-no-Maranhão.
        forte abraço.

      • Mais do que ler, já estive lá. Já denunciei os crimes contra os indígenas na Raposa Terra do Sol, em "Luta na Terra de Macunaima", documentário que disputou a final do prêmio Esso. Eu denuncio crimes contra indígenas desde o tempo em que os irmãos Villas Boas atuavam em Bauru, onde comecei no jornalismo. Porém, para não comprometer as denúncias a gente tem de ter a certeza absoluta de que são consistentes e prováveis diante da opinião pública, correndo o risco de desmoralizar as denúncias se elas forem inconsistentes. abs

      • sáb, 07/01/2012 - 11:28
        Gerson Carneiro

        Tóin!!!

Comentar