VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Na Galeria dos Hipócritas, #1 é Raquel Muniz: Disse que o marido preso era exemplo, mas ambos foram acusados de montar fura fila de pacientes para elegê-la

19 de abril de 2016 às 02h29

Captura de Tela 2016-04-19 às 02.20.50

A casa da família em Montes Claros e o encontro com o presidente da Câmara antes da votação: o marido posteriormente preso, Cunha e a deputada federal Raquel Muniz (PSD-MG)

Por Luiz Carlos Azenha

O Viomundo está criando a Galeria dos Hipócritas, em espaço especial que será criado no site.

Trata-se de um banco de dados daqueles que votaram na abertura de processo de impeachment de Dilma Rousseff por pedaladas fiscais, para consulta em futuras eleições.

Nada contra quem votou a favor ou contra.

Trata-se de observar a relação entre o discurso e a prática daqueles que discursaram ao longo do processo.

Vamos criar financiamento para o projeto através do Catarse, com o objetivo de acelerar o trabalho.

Contamos com a colaboração dos internautas, que podem enviar dicas para [email protected].

Informações locais são sempre importantes para dar início às investigações, que gostaríamos de tornar contínuas.

As postagens serão atualizadas para acréscimo de informações, documentos e direitos de resposta (no Viomundo, é automático, bastando envio de e-mail para o endereço citado).

Vamos nos basear em documentos oficiais e oferecer links para a mídia regional ou local — sem endossar o conteúdo.

Textos assinados por mim, Conceição Lemes ou alguns de nossos jornalistas-colaboradores refletirão o ponto-de-vista do site.

Nosso primeiro caso é o da deputada federal #1Raquel Muniz, do PSD de Minas Gerais.

Palavras dela ao votar pela abertura de processo de impeachment contra Dilma:

“Meu voto é em homenagem às vítimas da BR-251. É para dizer que o Brasil tem jeito, e o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com sua gestão“.

Raquel é casada com o prefeito Ruy Muniz (PSB), do qual era chefe-de-gabinete antes de se afastar para concorrer à Câmara. A Procuradoria Eleitoral do MPF de Minas Gerais pediu a cassação do registro ou do diploma de Raquel alegando “abuso de autoridade e de poder político, com uso da máquina administrativa em benefício de sua candidatura”. Ela e o marido correm o risco de se tornar inelegíveis por 8 anos.

A acusação é de que o prefeito ofereceu vantagens financeiras com dinheiro público a servidores municipais que trabalharam como cabo eleitorais de Raquel. Além disso, para obter votos para a esposa em cidades vizinhas a Montes Claros, o prefeito é acusado pelo MPF de ter montado um esquema pelo qual pacientes de outras regiões recebiam prioridade de atendimento na rede pública de saúde do município. Não poderiam fazê-lo, por serem moradores de outros polos regionais. Era, por assim dizer, um fura-fila na saúde com objetivos eleitoreiros.

Tânia elegeu-se em 2014 pelo PSC. Oficialmente, gastou pouco mais de R$ 3,4 milhões na campanha. O fato que mais chama a atenção na prestação de contas é que ela doou para si mesma cerca de R$ 386 mil.

Duas das maiores contribuições foram da Construtora JRN, somando R$ 485 mil. O maior depósito em dinheiro vivo foi da Concretum Engenharia e Transportes, com R$ 100 mil. Outra empresa local, a Exito Construções e Incorporações, deu R$ 50 mil. Na soma das empreiteiras, são R$ 635 mil.

Raquel Muniz obteve 96.073 votos.

*****

Procuradoria Eleitoral pede inelegibilidade de deputada federal eleita

Raquel Muniz teria se valido da máquina administrativa em prol de sua candidatura. Seu marido, prefeito de Montes Claros, também pode ficar inelegível

19/12/2014

A Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais (PRE-MG) ajuizou ação de investigação judicial eleitoral (AIJE) contra o prefeito municipal de Montes Claros/MG, Ruy Adriano Borges Muniz, e contra sua esposa, Tânia Raquel de Queiroz Muniz, eleita deputada federal nas eleições de 2014.

Também são investigados os servidores públicos municipais Marcus Felipe do Ó, Cícero Júlio Campos de Oliveira e Maria Jacqueline de Matos Silva.

Segundo a ação, Raquel Muniz, na companhia do marido e prefeito Ruy Muniz, teria organizado um sistema de favorecimento de sua candidatura a deputada federal, com apoio de Marcus, Cícero e Maria Jacqueline, em duas frentes principais de atuação: concessão de gratificações a servidores municipais e encaminhamento de consultas e exames médicos de pacientes oriundos de outros municípios sem observância dos procedimentos adequados.

No caso das gratificações, o servidor Marcus Felipe, lotado na Secretaria de Articulação Política e Administração Regional do município, era quem indicava os beneficiários em troca da prestação de serviços na campanha de Tânia Muniz. Suspeita-se que mais de 20 servidores foram beneficiados com tal prática.

Para a PRE-MG, ficou evidente, a partir de depoimentos colhidos em investigação conduzida pelo Ministério Público Estadual, que a candidata “cooptava servidores públicos pagos com recursos do erário municipal, oferecendo-lhes gratificações que representariam acréscimo em suas remunerações, também custeadas com as verbas públicas de Montes Claros, para trabalharem em prol de seus interesses eleitoreiros particulares, incrementando, assim, o contingente de cabos eleitorais”.

Porém, o abuso de autoridade não se restringiu a essa conduta. A ação relata que Raquel Muniz, na condição de chefe de gabinete do marido, colocou a estrutura administrativa do Município de Montes Claros à disposição de eleitores de localidades próximas, sempre com o intuito de obter dividendos eleitorais.

“A liberalidade feita com recursos públicos se dava em reuniões com lideranças políticas da região em que eram fechados acordos, cuja contrapartida era a obtenção de apoio em prol da candidatura de RAQUEL MUNIZ a deputada federal nas eleições de 2014, pleito no qual se sagrou vencedora”, afirma a ação.

A PRE-MG explica que a irregularidade estava no fato de que tais pacientes só poderiam ser atendidos pelo sistema de saúde pública de Montes Claros caso seu município de origem integrasse o Polo da Microrregião de Montes Claros [composto por 10 municípios: Bocaiúva, Claro dos Poções, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Glaucilândia, Itacambira, Guaraciama, Joaquim Felício, Juramento e Olhos D’Agua], e, ainda assim, apenas e tão somente se fossem encaminhados oficialmente pela secretaria de saúde de sua localidade de origem.

Esse trâmite, no entanto, deixou de ser observado em razão dos “acordos costurados” pelo prefeito e pela candidata com prefeitos de outros municípios.

Foram encontrados, por exemplo, pacientes atendidos em Montes Claros, mas provenientes de locais como Japonvare Lontra, que pertencem a outros pólos regionais.

Para driblar a necessidade de encaminhamento pelas respectivas secretarias municipais, os servidores Marcus Fellipe, Cícero e Maria Jacqueline cooptaram médicos dos Centros de Saúde municipais, que subscreviam os pedidos de encaminhamento para consultas e exames especializados como se os pacientes residissem em Montes Claros.

A ação relata que Maria Jacqueline, “na qualidade de chefe do Centro de Saúde do Bairro Renascença, de seu turno, além de determinar aos médicos sob seu comando que assinassem os pedidos de encaminhamento sem que eles tivessem empreendido qualquer contato com os pacientes, frequentemente determinava o atendimento de pacientes que dizia já terem os exames marcados no sistema, a maioria deles para o mesmo dia da assinatura nos pedidos de encaminhamentos ou exames, fato que causava desconforto aos profissionais de saúde que lhe eram subordinados”.

Para a Procuradoria Eleitoral, “o expediente enganoso acabava por causar prejuízos não só aos cofres de Montes Claros, que deixavam de receber pelos serviços médicos prestados a pacientes de outros locais, como aos próprios munícipes de Montes Claros, que se viam preteridos em seus atendimentos em razão dos agendamentos irregulares”.

Na verdade, ambos os expedientes utilizados por Raquel Muniz configurariam, segundo a PRE-MG, abuso de autoridade e de poder político, com uso da máquina administrativa em benefício de sua candidatura, ressaltando-se que, mesmo após sua desincompatibilização do cargo de chefe de gabinete, a deputada eleita continuou a aparecer em eventos públicos e outros atos oficiais ao lado do marido.

Se a ação for julgada procedente, Raquel Muniz pode ter o registro ou diploma cassados, ficando sujeita ainda à decretação de sua inelegibilidade por oito anos, sanção que pode alcançar também todos os demais investigados, inclusive o atual prefeito de Montes Claros, Ruy Muniz.

*****

Sobre o marido de Raquel, Ruy Muniz (PSB), um blog foi criado por adversários políticos dele. Apesar de oferecer o link, o Viomundo não endossa o conteúdo.

A respeito da prisão do marido de Raquel em Brasília, na manhã seguinte à votação da abertura do processo de impeachment, O Estado de Minas publicou:

Segundo a Policia Federal, “as investigações demonstram que os acusados, direta e indiretamente, valendo-se meios fraudulentos, tentaram destruir e/ou inviabilizar a existência e o funcionamento dos hospitais públicos (Hospital Universitário Clemente de Faria) e filantrópicos (Santa Casa, Fundação Aroldo Tourinho e Fundação Dilson Godinho) de Montes Claros, que atendem uma população de aproximadamente 1,6 milhão de pessoas, distribuídas nos 86 hospitais do Norte de Minas”. A PF cita que, em outubro de 2015, o prefeito e a secretária fizeram a retirada de cerca de 26 mil consultas e especializadas e 11 mil exames dos hospitais, “deixando de prestar os correspondentes serviços pela rede municipal, causando graves problemas à população”.

Com isso, relata a PF, “os acusados pretendiam favorecer o Hospital das Clínicas Mário Ribeiro da Silveira (Ambar Saúde), “pertencente e gerido, de fato pelo prefeito municipal, seus familiares e respectivo grupo econômico”. Ainda conforme a Policia Federal, o prefeito e a secretária [de Saúde de Montes Claros, Ana Paula Nascimento] vão responder pelos crimes de falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação pública, estelionato, prevaricação e peculato.

Em resumo, segundo a Polícia Federal, teria sido um segundo esquema envolvendo os serviços de saúde, desta vez prejudicando pacientes do SUS em benefício dos próprios negócios.

O Viomundo coloca a deputada federal Raquel Muniz (PSD-MG) na Galeria dos Hipócritas por acreditar que os fatos acima são incompatíveis com a declaração dela, segundo a qual “o Brasil tem jeito, e o prefeito de Montes Claros mostra isso para todos nós com sua gestão”.

Leia também:

Autor do voto decisivo aparece como recebedor de R$ 300 mil na contabilidade paralela da Odebrecht, mas só declarou R$ 100 mil

 

39 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

20/04/2016 - 10h33

.
.
Entrevista com o Todo Poderoso no Sul21
.
Leitura Proibida para Maiores de 18 Anos.
.
(https://t.co/Y06OXNXEtO)
(https://twitter.com/jornalSul21/status/722772040210493440)
.
.

Responder

FrancoAtirador

19/04/2016 - 20h52

.
.
Hímen Complacente Contra-Ataca Grelo Duro
.
De Novo, Panfleto Fétido da Marginal se Superou
.
(https://twitter.com/bileia/status/722561968121495552)
.
.

Responder

José Fernandes

19/04/2016 - 20h45

Pela insanidade de 362 picaretas sem noção e 2 ladroes deixaram a Pátria nua, diante mundo, esses cara não tem a menos consciência do fizeram… A globo e os jornaloes de merda,pagar muito caro.

Responder

Urbano

19/04/2016 - 16h46

Dos que votaram ‘sim’, aquele que não fazia parte da imundiz passou a fazer no último domingo. Até novo rico que nem sequer se desfez das cicatrizes da miséria votou pelo sim…

Responder

    Urbano

    19/04/2016 - 16h51

    Eu só queria saber que danado tem pobre inteligente, que quando passa a ser novo rico embrutece.

C.Paoliello

19/04/2016 - 16h31

Vídeo: como se dirigir a um deputado federal

https://www.youtube.com/watch?v=1ciMC4eJKVg

Responder

roberto

19/04/2016 - 14h33

Essa velhota ,”super honesta e bem casada”, deve recitar todos os dias ,aquela famosa frase da Globo :
“CORRUPTOS SÃO OS OUTROS,EU SOU APENAS UMA LADRAZINHA VAGABUNDA “.

Responder

Marat

19/04/2016 - 14h05

Prezados, não percamos tempo: camisas vermelhas, adesivos com frases repudiando os golpistas em todos os lugares e a disseminação ampla dos blogs sujos. O tempo urge. Não temam. Não ao canalha Temer!!!

Responder

C.Paoliello

19/04/2016 - 12h38

O juiz diante do crime iminente. A omissão do STF:

http://www.tijolaco.com.br/blog/como-nao-age-o-stf-diante-de-um-crime/comment-page-1/#comment-277699

Responder

Marat

19/04/2016 - 12h10

É importante descobrir onde a canalha golpista está escondida e ir sté ali. Seja em esgotos ou covis. É necessário ir lá e escilachá-Los. Onde andam os movimentos sociais?

Responder

    Lukas

    19/04/2016 - 15h17

    Marat, estão planejando um abaixo-assinado. Aguarde.

    Marat

    19/04/2016 - 20h39

    Lukas, pela primeira vez concordo contigo…, mas acredite, aqui é um espaço democrático, diferente do antro da veja e outros quejandos… Abraços

    José Fernandes

    19/04/2016 - 21h50

    Não precisas ir muito longe,meu .nas marginais Tietê ficam tres,na pinheiros ficam 2 esses são a escória da escória.. Da mídia… Tudo começou alí. Mas sabe se esse golpe vigar quero ver muita gente reclamando,quero ver a autonomia do Brasil e a merda com essa gente,quero ver, o futuro governo,cunha /temer lambendo a bunda dos americanos, quero ver esse classe que hoje grita,rir,da pulos de alergia reclamar… Mas já vão está na lama e nús.

FabioT

19/04/2016 - 12h04

mas por que esperaram a votação e na manha seguinte a prisão ?

Responder

Bacellar

19/04/2016 - 11h36

Hall of Shame.

Responder

Vieira

19/04/2016 - 10h37

Digas com quem andas, que te direi quem és. A turma que clama Deus em vão o tempo todo é mais envolvida em corrupção do supõe a vã filosofia.

Responder

Marat

19/04/2016 - 09h42

Aliás, este tragicômico golpe góspel (Golspel?), esta ópera-bufa, independente de religião de Deus protagonistas, apenas provou que eles são um bando de moneyteístas… não é mesmo, Tiririca?

Responder

    roberto

    19/04/2016 - 14h46

    O pastor ou pastador, como queiram, Feliciano, certa vez disse em um programa desses de TV ,em horário comprado com dinheiro das ovelhas tosquiadas, que havia recebido através de uma “vizinha”, um recadinho rápido do próprio Deus , que dizia:
    “INVESTI MUITO EM VOCÊ, MEU PASTORZINHO, AVISE QUE VOU FRITAR QUEM SE METER NO SEU CAMINHO”
    hahahaha. …. Quase tive um infarto, pois não conseguia parar de rir,enquanto os otários da platéia choravam profusamente.
    Esse pastor deputado é um daqueles que disse,SIM EM NOME DE DEUS.

    Marat

    19/04/2016 - 20h40

    Pois é, Roberto… templo é dinheiro!!!

    FrancoAtirador

    19/04/2016 - 20h56

    .
    .
    E Homenageou o Astrólogo da Vírginia, Olavo de Caralho.
    .
    .

Marcio

19/04/2016 - 09h41

Dr. Mário Ribeiro da Silveira é irmão do Saudoso Darci Ribeiro?
Pela primeira vez sinto vergonha de ser brasileiro e transformado em bananeiro.

Responder

    Jair Fonseca

    19/04/2016 - 12h24

    Sim, Mário Ribeiro era irmão de Darcy. Médico, foi prefeito de Montes Claros. E infelizmente “homenageado” com seu nome no empreendimento privado que Muniz supria com dinheiro público.

FrancoAtirador

19/04/2016 - 09h06

.
.
O Astrólogo da Virgínia, Filósofo das FamiGlias
$ANTA$ dos Puros Homens e Mulheres de Ben$,
a quem, inclusive, um Deputado dedicou o Sim,
Vangloria-se de haver sido o Mentor Intelectual
do Golpe da Deputança à Fé na Casa do Cunha
e Afirma que o Subestimaram aqui no Brasil.
.
(https://twitter.com/odecarvalho)
(https://www.facebook.com/carvalho.olavo)
.
.

Responder

crazy horse

19/04/2016 - 09h00

Pilantra

Responder

FrancoAtirador

19/04/2016 - 08h15

.
.
“Imprensa de Maior Credibilidade no Mundo
Noticia Escandalizada o que se Passa no Brasil
como o Mais Descarado Golpismo
enquanto a nossa ignora”
:
Jornalista Hildegard Angel
(https://twitter.com/hilde_angel/status/722367508678864896)
.
.
Der Spiegel (Alemanha):
“A INSSURREIÇÃO DOS HIPÓCRITAS”
:
(https://twitter.com/PauloEduardoGa3/status/722353194240765952)

TV5Monde (França):
Eduardo Cunha, o Maquiavél Brasileiro
Que Jurou a Derrota de Dilma Rousseff
:
(http://information.tv5monde.com/en-continu/eduardo-cunha-le-machiavel-bresilien-qui-jure-la-perte-de-dilma-rousseff-102407)
.
SIC TV (Portugal)
“Bandalheira” no Congresso Brasileiro:
“Assembléia Geral de Bandidos Comandada
por um Bandido Chamado Eduardo Cunha”
:
(https://twitter.com/BrGil39/status/722269036692811777)
https://www.facebook.com/josecarlos.coelhobrandao.5/videos/1701618046745357
.
The Guardian (Inglaterra) [Editorial]:
“Impeachment de Dilma Rousseff:
Uma Tragédia e Um Escândalo”
:
(https://twitter.com/anabellbar/status/722368951733395456)
(http://www.theguardian.com/commentisfree/2016/apr/18/the-guardian-view-on-dilma-rousseffs-impeachment-a-tragedy-and-a-scandal)
.
New York Times (EUA):
“Honesta, Dilma Pode Ser Afastada Por Criminosos”
:
(https://t.co/r5n4vfDxRT)
(https://twitter.com/marcelorubens/status/722085962944233472)
.
.

Responder

lucas campos

19/04/2016 - 07h57

RAQUEL MUNIZ, RAQUEL!!!
DE ONDE TIRARAM TÂNIA?

Responder

Marat

19/04/2016 - 07h48

E se vocês criarem a Comenda Falso Beato, Malafaia será Hors Concours!

Responder

Furlan

19/04/2016 - 07h40

Fora de Pauta? Será?

Se aposentados seriam menos nocivos

Como (não) age o STF diante de um crime
POR FERNANDO BRITO · 19/04/2016

Há um grupo de homens e mulheres que não pode ser excluído do enojado julgamento que se faz, hoje, daquele espetáculo de imundície cívica que se viu na noite de domingo na Câmara dos Deputados.

Nenhum deles se alterou, ninguém invocou Deus, ninguém chamou o nome dos netinhos e dos filhinhos.

Mas o Supremo Tribunal Federal – com as ressalvas honrosas a seu presidente Ricardo Lewandowski e de Marco Aurélio Mello – agiu com idêntico cinismo.

Disse ao país que a votação na Câmara não deveria ser submetida a controles de legalidade ou constitucionalidade porque era, apenas, um pedido de admissão que, em si, não provoca qualquer consequência.

Não, excelências?

Que planeta habitam os senhores ministros?

Há um crime sendo executado e vou narrar, passo a passo, a atitude dos senhores.

Um homem, homem que está como réu diante dos senhores, pega uma arma e a municia.

Os senhores dizem que não há problema, ele tem o porte devido e não há condenação formal sobre ele, embora existam todas as evidências de crime e o país inteiro ouça-o prometer um assassinato.

Este homem aponta a arma para uma mulher.

De novo, dizem os senhores, não há o que fazer, pois ele é livre para apontar a mão a quem quer que seja, de vez que não constitui crime aponta-la, ainda que armada, em qualquer direção e não se pode supor que o gesto vá significar um assassinato.

Decidem assim, mesmo diante de muitos que gritam: “ele vai matá-la, o covarde vai matá-la”.

Então, excelências, o criminoso puxa o cão do revólver e novamente os senhores dizem que é seu direito, porque não se trata senão de um gesto mecânico, impessoal, e a Constituição diz que ninguém será impedido de fazer algo senão pela lei e não há lei que impeça engatilhar um revólver.

Como vossas excelências (em minúsculas, como os senhores merecem) permitiram, a ousadia do bandido vai ao máximo e ele dispara.

Bem, foi só um disparo e disparo não é crime. Neste microssegundo dos dias que vivemos pode-se dizer que não há lesão alguma. A bala ainda caminha no ar,é cedo para dizer se atingirá mortalmente seu alvo. Quem sabe ele se abaixará, fugirá da trajetória assassina, quem sabe? Cedo para dizer, não é, senhores?

E é assim que estamos, senhores juízes. Já todos sabem onde a bala chegará, já são só centímetros a separá-la do coração de uma mulher que, se erros pode ter, criminosa não é como é seu algoz.

Mas, tecnicamente, nada aconteceu, senão um estrondo e o cheiro fétido da pólvora se espalhando no ar.

Quem sabe a bala vá andar lentamente, como nos truques do Matrix, e a futura vítima escape? Ela ainda olha para os senhores, a dor pressentida em seus olhos, ainda lhes espera um gesto milagroso e o milagre seria apenas que cumprissem seu dever.

Ah, é de lembrar um antecedente, que todos os senhores conhecem de fato e ainda não pode subir ao exame de vossas excelências, ocupados que estavam discutindo os pleitos salariais dos procuradores dos municípios.

É que aquela senhora, percebendo as intenções iminentes de seu futuro assassino, tomou nas mãos um colete que poderia protegê-la, defendê-la.

Veloz como um raio, um dos senhores, o de caratonha mais beiçuda e feroz, veio e impediu a de vesti-lo. “Pera lá”, disse ele, “pode haver um desvio de finalidade neste colete”, precisamos revirá-lo, ver sua nota fiscal, prazo de validade, registros, selos, taxas e emolumentos. Enquanto isso, está proibida de vesti-lo.

Há um mês, excelências.

A bala atingiu seu alvo, penetrou-lhe o peito, aos gritos de Deus, de “Felipe, Aline, Antenor, meu filhinhos e meus netinhos”.

E os senhores a dizer: não, não há crime, a vitima está de pé, seu coração ainda bate, o que houve é apenas a admissibilidade de sua morte, o que só os médicos do Senado poderão atestar, isso depois de levá-la para a UTI e ao coma induzido de 180 dias, com confortável leito no Alvorada.

É assim que contarei ao meu filho pequeno como agiu a Suprema Corte de meu país.

Ele vai achar que os senhores são idiotas e que são tão responsáveis pelo crime quanto a mão canalha que tomou, armou e disparou a arma com a sua omissão.

Eu, infelizmente, terei que concordar com o julgamento de uma criança que, com seus 11 anos, parece saber melhor do que os senhores que quando um gesto intenta um crime, criminoso o gesto é.

Deu-me asco ver as togas. como anteontem vi a bandeira tão querida e respeitada, a servir como manto de canalhas, ouvindo os gritos: “pela devida vênia, pela lei 1.059, pela alínea C do artigo 1212111 do Regimento da Câmara, eu voto simmmmmm!”.

Responder

FrancoAtirador

19/04/2016 - 07h28

.
.
(https://twitter.com/cridaonews1/status/722221882376716288)
.
.

Responder

Marat

19/04/2016 - 06h55

Agora que existe um Ministro da Justiça, e não um Zé qualquer, a coisa vai andar… pena que vai durar pouco. Assim que os golpistas sujos assumirem, os plutocratas, como a malandra de Tânia, vão deitar e rolar!

Responder

Marat

19/04/2016 - 06h23

Não tivéssemos uma justiça tão leniente com empresários sonegadores e direitistas sujos, a situação não estaria assim…

Responder

Marat

19/04/2016 - 06h20

Parabéns à equipe do Viomundo. Assim como há livros que já nascem clássicos, a Galeria dos Hipócritas já nasce importante. Ele ficará gorda logo, logo. Como singela sugestão, creio que praticamente todo o psdb-SP está parte desta galeria e, para tanto, talvez haja que se pensar em categorias de hipócritas…

Responder

FrancoAtirador

19/04/2016 - 05h10

.
.
Hipocrisia é o Zuckerberg, Dono da Facebook,
.
falar em Defesa da Liberdade de Expressão
.
e Bloquear Perfis de Pessoas de Esquerda
.
e Liberar Nazi-Fascistas no FB e WhatsApp.
.
Ou $erá que Não é Exatamente Hipocrisia?
.
(https://twitter.com/emirsader/status/722326501534928896)
(http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/blog-na-rede/2016/04/facebook-censura-fernando-morais-e-fere-liberdade-de-expressao-no-brasil-3060.html)
.
.

Responder

FrancoAtirador

19/04/2016 - 03h20

.
.
RAQUEL MUNIZ – PSD/MG
.
Nome: Tania Raquel de Queiroz Muniz
Naturalidade: Montes Claros, MG
.
Elegeu-se Deputada Federal em 2014, pelo PSC,
desfiliando-se em 2016, para se filiar ao PSD.
.
http://www2.camara.leg.br/deputados/pesquisa/layouts_deputados_biografia?pk=178998
.
.

Responder

Deixe uma resposta