VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Impeachment é do Eduardo Cunha e “tem muita gente querendo financiar esse negócio”, diz Paulinho da Força

19 de março de 2016 às 13h16

Captura de Tela 2016-03-19 às 13.00.22

Da Redação

O líder da Força Sindical, Paulinho da Força, prevê que até dia 5 ou 10 de abril a presidenta Dilma Rousseff será deposta.

O discurso atribuído a ele está sendo distribuído através de grupos do WhatsApp.

Paulinho é réu no Supremo Tribunal Federal acusado de desviar dinheiro do BNDES.

Na fala, ele diz que o impeachment é de Eduardo Cunha. Cunha, presidente da Câmara, que é réu na Operação Lava Jato.

Em viagens internacionais durante 2 anos, Cunha, a mulher e a filha gastaram R$ 880 mil, provenientes de contas secretas na Suiça, segundo a Procuradoria Geral da República.

A presidenta Dilma Rousseff, que Cunha e Paulinho prometem derrubar, não é acusada no âmbito da Operação Lava Jato.

Em sua fala, Paulinho da Força diz que está tratando de imprimir adesivos e botons pelo impeachment de Dilma e que “tem muita gente querendo financiar esse negócio”, sem entrar em detalhes.

Ouçam trecho da fala abaixo:

Leia também:

Boulos: Golpe será barrado nas ruas

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

11 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Urbano

20/03/2016 - 16h00

Paulo, digo, pau que nasce troncho, morre troncho…

Responder

Daniel Leite

20/03/2016 - 01h07

Dilma é um soldado do PT.
Uma Tecnocrata incompetente.
Lula um poço de candura. Tudo que os presos do PT no mensalão e lava jato não é verdade, é novela de ficção da Globo ????
Se informem melhor. ..

Responder

FrancoAtirador

20/03/2016 - 00h28

.
.
Folha de S.Paulo
Coluna Painel
.
Câmara exigiu que Jovair Arantes fizesse relatório
a favor de impeachment para colocá-lo em relatoria
.
Acordo tácito
Na noite de quarta-feira (16), líderes partidários
e reuniram na residência oficial de Eduardo Cunha (PMDB)
e acertaram, ali, o roteiro do impeachment de Dilma Rousseff.
.
Nomearam Jovair Arantes (PTB-GO) relator do processo,
mas exigiram do deputado o compromisso
de que não faria o jogo do governo.
.
Os convivas deixaram o jantar convictos de que o parecer de Arantes
recomendará a cassação da petista.
“O futuro do país foi forjado naquela noite”, disse um dos presentes.
.
Jogada
Nas palavras de um dos parlamentares,
a nomeação de Arantes foi um grande lance da oposição.
“Sendo ele da base, como vão reclamar
quando fizer o relatório condenando Dilma?”
.
Será?
A oposição quis emplacar Rodrigo Maia (DEM-RJ), questionando se Jovair Arantes manteria o acordo, mas saiu convencida. “Ele é firme”, garantiu um dos deputados.
.
Veja bem
Arantes não retornou os contatos feitos pela coluna.
Um aliado diz que, confrontado em reunião da base aliada sobre o apoio dos rivais ,
afirmou que não tem compromisso nem com o governo, nem com a oposição.
.
(http://painel.blogfolha.uol.com.br/perfil)
.
.

Responder

Ivone

19/03/2016 - 22h40

Elite golpista

Responder

oylas pereira

19/03/2016 - 18h25

Resistir a qualquer custo, até com a vida se preciso. se do lado de lá vale tudo pelo golpe, inclusive esbofetear a lei, do lado de cá vale tudo pela liberdade, limitada pelo Estado Democrático de direito. A rua é o caminho.

Responder

Maria

19/03/2016 - 17h05

Rodrigo Viana já tinha escrito sobre o Golpe por Cima e o recado de Aécio para os empresários. Agora Pedro Maciel escreve quase o mesmo.

Haveria um acordo entre o PMDB e PSDB para o golpe.

Pergunto. Como pode Requião continuar no PMDB? Ele seria um traidor? Um dos últimos? Ou partido é uma coisa à toa?

Como a nação vai se virar com Cunha?

Teremos de nos unir aos coxinhas.

Responder

    Maria

    19/03/2016 - 17h07

    Como suportaremos o Traíra na presidência calados?

    Acho que haverá guerra mesmo.

Deixe uma resposta