VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Gustavo Castañon: Fraude eleitoral ou na pesquisa de boca de urna?

11 de outubro de 2014 às 21h46

urna-eletronica-460

“Aquela-cujo-nome-não-deve-ser-dito”:  Fraude eleitoral

por Gustavo Castañon, especial para o Viomundo

Podemos ter assistido dia 05 a mais ousada e maciça fraude da história das eleições majoritárias brasileiras. Não tema os cínicos. Fale em voz alta. Isso não é uma estória de Harry Potter como a mídia quer fazer parecer. O nome do vilão não é Voldemort. Não, não é Sarney, Maluf, Bolsonaro, nem mesmo Eduardo Cunha. O nome do vilão é ‘urna eletrônica brasileira’, a única do mundo que é totalmente invulnerável à fiscalização.

Em 2010, previ em artigo que o segundo turno traria, como tem sido tradicional desde 1998, um resultado negativo para a esquerda no limite da margem de erro da pesquisa de boca de urna do Ibope e positivo para a direita  no mesmo limite, ou seja, dois por cento.

Foi o que aconteceu. Desta vez, no entanto, errei. Previ o mesmo limite no desvio do resultado, mas o que aconteceu agora foi selvagem. O resultado de Aécio foi muito além da margem de erro do Ibope, 3,5% além do previsto, e o de Dilma aquém, 2,5%.

Isso sem contar com o fato de que os levantamentos dos trackings e as próprias pesquisas Ibope e Datafolha de um dia anterior indicavam Aécio empatado com Marina… No dia seguinte, 12 pontos de diferença… O que uma noite não faz, não é mesmo? A questão é: faz o que, e aonde?

Mas vamos nos ater à boca de urna, porque a análise de seus números prova friamente que há fraude, em algum lugar. Quando falamos que uma pesquisa tem confiabilidade de 99% e margem de erro de 2% (o que foi o caso da boca de urna do Ibope), isso significa que o estado real das opiniões tem 99% de chances de estar no intervalo entre 2% a menos e 2% a mais que a previsão.

Em outras palavras, Aécio tinha 99% de chances de estar entre 28% e 32% dos votos. As chances dele ter mais que 32% eram de 0.5% (de ter menos idem). Ele teve 33,5%. 1,5% além da margem de erro. E pior do que isso: o outro “erro” foi justamente sobre os índices de Dilma. Ela teve 0,5% além da margem de erro. Pra menos. A chance de isso acontecer ao acaso? Grosseiramente, é bem menor do que 0,005 x 0,005: em outras palavras, menor do que 0.000025.

Isso é particularmente grave se considerarmos as características da pesquisa de boca de urna, e dessa em particular.

A boca de urna não sofre influência das abstenções, nem de mudanças de opinião posteriores, pois pergunta somente em quem a pessoa acabou de votar. E essa pesquisa entrevistou simplesmente 64.200 eleitores de todas as regiões do país.

Como a matéria do Estado de Minas (jornal que apóia Aécio) lembra muito bem, apesar de o Ibope ter “prudentemente” declarado uma margem de erro de 2%, uma amostra desse tamanho em relação ao eleitorado brasileiro tem, na verdade, margem de erro de somente 0,5%. O que aconteceu, é realmente incrível. E nem estamos aqui calculando a probabilidade desse desvio em relação à distância do resultado da margem de erro: quanto mais distante, mais exponencialmente irrelevante a possibilidade da ocorrência ao acaso.

Mais uma vez, saíram artigos na imprensa, como o artigo acima citado, falando da falência dos institutos de pesquisa, como acontece desde 82 com o caso Proconsult. O que convenhamos está além do patético. O PSDB, como faz desde 1998, declara que a verdadeira pesquisa é a das urnas, como se o Ibope e o Datafolha trabalhassem contra ele. Acreditar nisso, está além do ridículo. E a esquerda, como faz desde que perdeu Brizola, se cala. O que está além da covardia. Na verdade, imaginem: com a quantidade de processos que qualquer candidato sai de uma eleição, quem denunciará o TSE?

Vamos recapitular os últimos anos dessa curiosa impossibilidade estatística. Notem que a diferença na “margem de erro” sempre sai do PT para o adversário.

fraude
Se nós estamos falando de algo que tem 0,0025% de chances de acontecer ao acaso somente nessa eleição, imagine a probabilidade de isso ter acontecido ao acaso junto com os “erros” acima da margem de erro de 2010 (menos 4% pra Dilma) e de 2006 (mais 3,6 para o Alckmin). Acho que não é necessário mais fazer contas, não?

Mas se você acha tudo isso incrível, ainda não se apercebeu dos maiores absurdos dessas eleições.

Resultados virtualmente impossíveis aconteceram em todo país. A avalanche absurda de 40,4% dos votos em Sartori no Rio Grande do Sul, por exemplo, quando o resultado previsto na boca de urna era de 29%. É isso mesmo. A boca de urna (de 99% de confiabilidade) dava Genro (PT) 35%, Sartori (PMDB) 29%, Amélia (PP) 26%. As urnas deram Sartori 40,4%, Genro 32,5% e Amélia 21,7%. Não existem espaços nessa linha para os zeros que teríamos que escrever para expressar a probabilidade disto ter ocorrido ao acaso.

Olívio Dutra, também no RS, perdeu absurdamente a vaga no senado, depois de a boca de urna ter indicado sua vitória por 6% de diferença.

No Rio, nada menos que 8% dos votos parecem ter sido transferidos de Garotinho para Pezão e Crivella, materializando uma impossível (para quem conhece a política do Rio de Janeiro) ausência de Garotinho no segundo turno. Garotinho saiu da boca de urna com 28% e das urnas eletrônicas com 19,75% (será que todo político que enfrenta a Globo no Rio é alvo de fraude como foi Brizola?). Pezão teve mais 6% e Crivella mais de 2%, todos acima da margem de erro. No caso de Pezão e Garotinho, impossivelmente além da margem de erro. Em Minas Gerais, a vantagem que o Ibope registrou na boca de urna para Pimentel (PT) sobre Pimenta da Veiga (PSDB) se transformou de 53 a 37 para 53 a 42. E assim, a nave foi por todo país.

Há muito, muito mais barbaridades localizadas nessas eleições, e eu só estou considerando aqui aquelas que a boca de urna revelou. Mas a avalanche de Aécio em SP em 24 horas, a perda do PT no ABC, a derrota acachapante de Marina para Aécio em 48 horas, tudo isso é parte do terreno da literatura fantástica. Curiosamente, de todas essas surpresas, só uma a favor do PT: a de Rui em Salvador. A exceção que confirma (mascara) a regra? E se isso ocorreu na majoritária, porque será que temos o congresso eleito mais fisiológico de todos os tempos?

Pra mim, e pra muitos brasileiros, há algo errado com as urnas eletrônicas, não com as pesquisas de boca de urna.

No mínimo, esse erro é o STF bloquear a impressão de voto, usada em todo lugar do mundo onde se usam essas urnas, já aprovada no congresso e sancionada pela presidente. Ou em o TSE se negar a levar as urnas brasileiras, que são as mais inseguras do mundo, duas gerações à frente, como as fantásticas urnas argentinas.

Como negar ao brasileiro o direito de recontar seus votos? Isso é um crime em si mesmo contra qualquer processo democrático, e, sozinho, deveria provocar a indignação de qualquer cidadão. O sistema eleitoral brasileiro é um ultraje, rejeitado o mundo inteiro, até pelo Paraguai.

O estado das coisas se torna mais chocante com a quantidade de denúncias de fraude abafadas pela imprensa e o fato de o TSE ter terceirizado a operação das urnas nesta eleição de 2014 para empresas privadas. No fim de 2012, um hacker, em audiência pública, com a presença de deputados e vereadores, simplesmente confessou, com riqueza de detalhes, como ajudou a fraudar as eleições de 2010 no Rio de Janeiro. Incrivelmente, sua denúncia não foi apurada, a imprensa não publicou nada, a polícia não o prendeu e o TSE não se manifestou.

Ninguém aqui nega a reação conservadora nem o crescimento do sentimento anti-PT na sociedade. Mas para além disso, a maioria dos que acompanham as eleições cuidadosamente, tem algum nível de dúvida sobre seu resultado. Você pode dar de ombros e dizer que essa é uma teoria da conspiração, choro eleitoral, fanatismo, que Aécio subiu em 72 horas 14,5% sem nenhum fato novo, ou 24% em São Paulo em 24 horas (1% por hora!) porque as pessoas acordaram diferente, que Sartori ganhou 14 pontos em 24 horas no RS pelo mesmo motivo e assim por diante.

Eu só advirto que só restam duas possibilidades na mesa: ou o Ibope fraudou as pesquisas de boca de urna sem qualquer objetivo eleitoral e arruinou voluntariamente sua reputação, ou o Brasil viveu sua maior e mais escandalosa fraude até hoje. Escolha que teoria da conspiração lhe parece mais racional, porque, é só o que tem pra hoje. O acaso e o erro, estatisticamente, não são alternativa. Na verdade, não há qualquer terceira alternativa.

Gustavo Castañon é Doutor em Psicologia e Professor da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Leia também:

Bajonas: Subida de 14 pontos de Aécio em 72 horas deve ser investigada

 

94 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

MarcioGM

29/10/2014 - 20h34

Foi graças ao erro dos fraudadores de esquecer de combinar o resultado das pesquisas de boca de urna que pudemos visualizar o que talvez seja a eleição mais adulterada da história. Mas não cometerão este erro novamente. Vamos espalhar a ideia de fazer na próxima eleição uma pesquisa de boca de urna nós mesmos, com a ideia de provar a todos o que acontece na caixa preta.

O eleitor após votar pode declarar o seu voto, de forma sigilosa, anotando sua zona, seção e números dos candidatos e depositando em uma urna convencional. Assina uma declaração que se compromete de ter declarado exatamente o voto que digitou na urna eletrônica, até para evitar que se vote duas vezes.

Se forem declarados mais votos em uma zona e seção do que a que estiver impresso no BU, fica demostrado a fraude. Se isso ocorrer em dezenas, centenas de urnas, fica insustentável a tese de confiabilidade do TSE.

Espalhem esta ideia.

Responder

Arnaldo Costa

23/10/2014 - 11h34

E o atraso na apuração? E a demora em soltar a parcial para presidente? O que estava acontecendo nessa hora?

Responder

Arnaldo Costa

23/10/2014 - 11h32

http://www.jornalggn.com.br/noticia/como-se-montam-as-fraudes-eleitorais#comments

DENÚNCIAS GRAVES:

A 1ª não vou me estender muito e é a respeito do picareta da campanha de Aécio postando a informação de que, para evitar confronto, os eleitores de Dilma terão que votar (voto secreto) no dia 2. Sem comentários o tamanho da asneira.

A 2ª é mais grave e vou me ater mais a ela:

Quando o coronel #AécioBerlusconi se candidatou, avisei que essa turma era barra pesada e operavam como uma máfia, com tentáculos em diversos setores. O que vejo é que, mesmo aqui em Minas, somente nos bairros de classe alta o coronel #AécioBerlusconi tem maioria. Esse cenário se repete em diversas regiões. As pesquisas do primeiro turno se comportaram de forma bem atípica, com o candidato da direita chegando a minguar e virar nanico para depois, em dias, subir subitamente de uma forma no mínimo estranha. Nenhuma explicação dada foi verdadeiramente convincente. A mais aceitável de que a direita puxou voto de Marina, levaria a crer que, tendo isso acontecido, os votos dessa candidata para o segundo turno tenderiam mais para a Dilma, é o caso de Freixo, Caetano Velozo, Gil e tantos outros que tenho visto. Mesmo os institutos que trabalham contra o PT, erraram. Agora no 2º turno, estão mantendo uma margem de segurança através de um empate técnico, para justificarem o que vier acontecer. De qualquer forma, falam em tendência de crescimento de Dilma. A fiscalização tem que ficar em cima. Acho também que logicamente teria que haver o acompanhamento da ABIN, PF e TSE, é claro. É INACEITÁVEL ESSE TIPO DE SITUAÇÃO. Principalmente com tantas raposas circundando o galinheiro. Alguns pseudo-jornalistas , que acredito participarem da corja, estranhamente, se comportam como se já soubessem do golpe, apontando o collor2 a frente. O instituto macumunado com a CNT, do gangster amigo de Aécio Clésio Andrade, dá como certa a vitória desse sujeito. Mesmo as pesquisas de boca-de-urna erraram. CANSAMOS DE SER ENGANADOS. O TSE e outros devem assegurar a democracia a qualquer custo.

O QUE MAIS ME IMPRESSIONA É COMO DEMOSTUCANOS TÊM LICENÇA PARA COMETEREM CRIMES.

OBS: Tem outra forma de fraudar a votação, mas não vou falar para os pulhas demotucanos.

Responder

mari

21/10/2014 - 00h00

Outra coisa que muito tenho observado nesse processo são; pessoas votando com identificação duvidosa, sem documentos com fotos, juízes eleitorais, presidentes, mesários parciais, usando do poder para intimidar as pessoas que faz qualquer questionamento. Fiscais de partidos com pouca capacitação e conhecimento para fiscalizar.

Responder

    lucia

    23/10/2014 - 01h48

    Em Guarulhos aconteceu que aparecia a foto da Dilma…na hora de votar e tb. um outro eleitor estava reclamando para a fiscal e ela disse nada poder fazer por ele já ter sido enviado o voto e outros problemas..trabalho com pesquisa eleitoral o Ibope não ia errar com essa margem de erro para se comprometer. acredito que o sistema foi invadido, houve uma fraude generalizada…pode ter certeza..para dep. fed. senador e presidente da república…com conivencia do tre

Roberto Locatelli

18/10/2014 - 08h58

Sim, foi muito estranho que milhões de eleitores tenham mudado de opinião em uma noite.
Se essa hipótese de fraude for real (e eu acho que é) será preciso aumentar bem a distância entre Dilma e Aécio para eles não fraudarem novamente. Pelos trackings do PT, essa distância já está em 5%, mas precisamos aumentá-la ainda mais.

Responder

Nelson

15/10/2014 - 20h16

Repito o que já afirmei em outro post neste mesmo sítio.

A informática é uma caixa preta. Pode-se, perfeitamente, “bolar” um programa que vai transferir uma determinada percentagem de votos de um determinado candidato para outro na medida certa para que este acabe ganhando a eleição.

Como não há possibilidade de recontagem de votos, uma vez que a urna não emite comprovante de voto, não haverá como questionar os resultados.

Responder

Helder

14/10/2014 - 17h58

Se a urna está fraudada, como dizem, desde 2002, porque a esquerda sempre ganhou as eleições desde então?
Os “fraudadores” só agem no primeiro turno? E mesmo assim, agem de forma a dar a derrota ao seu candidato, e não a vitória (o PSDB ficou em 2º no primeiro turno desde então)?
No segundo turno, não há fraude?
Porque o Lula ganhou em 2002 e 2006, e a Dilma em 2010, se havia a aludida fraude?
Porque só queremos enxergar a fraude quando estamos no perigo de perder as eleições?
Porque queremos ver fraude nas urnas de São Paulo (onde o PSDB sempre ganhou) e ninguém fala em fraude nas urnas de Minas Gerais, onde o candidato que outrora obteve 80% de votos para se reeleger governador e, nestas eleições, ficou atrás da candidata governista?
A impressão dos votos não mudaria em nada essa alegação de fraude, porque se o sistema transfere eletronicamente o voto de um candidato para o outro, com a mesma facilidade faria a impressão em nome do candidato errado. E a possibilidade de se ter um “comprovante” do voto pelo eleitor representaria uma moderna possibilidade, aí sim, de se controlar o voto das pessoas, ressucitando o “voto de cabresto”.

Responder

    Rafael

    14/10/2014 - 21h40

    Ele mostra que as margens de erros percentuais sempre aconteceram de forma muito curiosa e da mesma maneira.Sempre pra cima com adversarios do PT e pra baixo nos numeros dele.Mas sempre acontecia dentro da margem “possível”. O que já caracterizaria – pelo numero de vezes que aconteceu – uma coincidência monumental.

    Já nesse ano de 2014 a coisa parece ESCANCARADA – sem cerimônia nenhuma – com as mais surreais e improvavéis possibilidades acontecendo em varios estados e JUNTAS numa mesma eleiçao.

    As evidências são muito fortes.

    Saraiva

    20/10/2014 - 20h32

    A questão é que as margens pró-PT nas eleições anteriores não possibilitavam manobra. Se houvesse, seria algo muito escandaloso. Como a vantagem agora parece ser menor, qualquer manobra até mesmo dentro da margem de erro das pesquisas pode dar vitória ao PSDB. Não duvido.
    Quanto à impressão do voto, acredito que pode ser colocada uma urna ao lado da cabine eletrônica para que o eleitor deposite o voto. Não haveria cabresto e poderíamos fazer recontagem quando julgarmos necessário.

    MarcioGM

    22/10/2014 - 13h13

    Me desculpe a sinceridade, mas nunca vi tanta asneira usada como argumentos.

    Para começar, as eleições de 2002 foram fraudadas sim, iniciando com uma parcial NEGATIVA de 40 mil votos contra o Lula que provocou o desligamento do telão de apuração. Lula teria ganho com uma margem muito maior: http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/mid161020026.htm

    Desde o caso Proconsul de 1982, que quase provocou uma comoção pública no RJ, eles tem sido muito cautelosos, desviam uma parte dos votos para melhorar as chances dos seus candidatos preferidos. Bom, até agora, pois já está ficando escancarado.

    “A impressão dos votos não mudaria em nada essa alegação de fraude, porque se o sistema transfere eletronicamente o voto de um candidato para o outro, com a mesma facilidade faria a impressão em nome do candidato errado.”

    Então quer dizer que se você votasse na Dilma e visse Aécio no papelzinho você deixaria para lá? Ninguém deixaria! Agora, se o software faz o mesmo no boletim eletrônico ninguém consegue ver. Esse argumento não pode ser sério.

    “E a possibilidade de se ter um “comprovante” do voto pelo eleitor representaria uma moderna possibilidade, aí sim, de se controlar o voto das pessoas, ressucitando o “voto de cabresto”.”

    Argumento ridículo, ninguém poderia levar o comprovante para casa, ele seria depositado em uma urna convencional. O argumento do TSE é sobre um número que serviria para garantir a autenticidade do impresso, eles só não explicam como isso é feito no mundo inteiro sem prejuízo do sigilo do voto. O boletim eletrônico sim é um atendado ao sigilo do voto como provou uma equipe da USP em 2012.

    Luís Henrique

    27/10/2014 - 13h52

    O caso Proconsult?

    Ora, mas o caso Proconsult só foi possível por que NÃO havia urna eletrônica; o voto era em papel e levava semanas para ser apurado, permitindo uma apuração “paralela” mais rápida, usada para desanimar a fiscalização do partido prejudicado (no caso o PDT).

    A urna eletrônica justamente acabou com a possibilidade de ações como a da Proconsult!

    MarcioGM

    28/10/2014 - 15h30

    O Proconsult foi o início da votação eletrônica, consistia em um sistema eletrônico de totalização do voto como existe hoje. Porém, na época era possível recontar os votos em caso de dúvida e hoje não!
    A urna eletrônica não permite recontagem, o que ela permite é a fraude sem risco para o fraudador.
    (Nota: Falei em equipe da USP, na verdade era uma equipe da UnB)

FrancoAtirador

13/10/2014 - 16h14

.
.
Pela Tentativa Desesperada dos BOTS TUCANOS,

Em Justificar a Total Lisura Desta Eleição,

Pode-se Deduzir que Certamente Houve Fraude(s).
.
.

Responder

Raphael

13/10/2014 - 15h12

Com todo o respeito, procure estudar um pouco de estatística e fazer uma análise crítica sobre o que os institutes de pesquisa eleitoral no Brasil fazem. Há quatro anos, nas eleições de 2010, escrevi um pouco sobre isso: http://bayesruleskishtables.blogspot.com/2010/10/incoerencia-das-margens-de-erro-nas.html

Responder

Julio Silveira

13/10/2014 - 14h47

Essa eleição está sendo totalmente atipica, desde a morte de um dos candiatos, ce maneira estranha para mim e muitos, até essa estranha divergencia entre o resultado e a previsão. Hoje em dia não estranho nada, se nos States, considerada a potencia do mundo já mataram mais de um presidente em sua história, e fazem miséria para permanecerem no topo do poder mundial, imagina o que pode acontecer no Brasil, um país que em termo de legalidade é uma piada, que na duvida pratica-se o ilicito pela certeza da impunidade. Tudo é possivel, sem sombra de duvidas.

Responder

Wladimir

13/10/2014 - 13h27

A ausência de comprovante é igual a você pagar uma dívida e o recebedor não te fornecer o comprovante de quitação (recibo); se ele estiver de má-fé poderá cobrar a dívida novamente e você não terá como comprovar que pagou da primeira vez; e, fatalmente você terá de pagar novamente. Qual o argumento da Justiça Eleitoral para que a urna não imprima o comprovante? “Movimento pela impressão do comprovante já!!!!!!”

Responder

Christian Fernandes

13/10/2014 - 12h35

Claro que houve fraude e a prova esteve estampada na capa do UOL a semana toda: é o mapa de votação na cidade de São Paulo, que indicou bairros, historicamente segregados pela elite branca e seus acólitos, a votar justamente… no candidato da elite branca e seus acólitos!

Alckmin “ganhou”, de lavada, no percurso das trágicas linhas 3, do Metrô, e 7, 8, 10, 11 e 12 da CPTM. Para quem não mora em SP, são as linhas daquelas famosas fotos do povo amontoado nas estações, especialmente na Luz, Sé, Brás, Itaquera e Guaianases.

Minto, no distrito de Guaianases, o Alckmin perdeu… por diferença de 794 votos (0,73%)!

Em nenhum distrito o Skaf ganhou, NENHUM! E foi bem votado em TODOS!

Me dá um “F”…

Responder

MZ

13/10/2014 - 12h03

Eu só ficaria seguro se ao votar saísse um comprovante impresso com o meu voto e outra cópia impresso fosse para a urna. Para se evitar a identificação do voto a cópia seria destacada e cairia na urna individualmente para futuras auditorias.

Responder

Lando Carlos

13/10/2014 - 12h02

Quando falamos de pesquisas, não devemos nos ater somente às eleitorais. Existem vários outros tipos de pesquisas de opinião que são feitas para medir uma infinidade de coisas. Desde a satisfação com produtos e serviços, a aceitação popular de alguma medida, enfim, realmente se trata de uma “infinidade” de pesquisas solicitadas e que servem de parâmetro para que se faça ou deixe de fazer alguma coisa. O que aconteceu com as pesquisa eleitorais nesse pleito, atinge o nível do escandaloso. Nem mesmo essa aberração que é a pesquisa de boca de urna, que sempre serviu para mascarar as distorções no dia da votação, ofereceu números de acordo com a realidade. Em outros pleitos as pesquisas “acertaram” precisamente e anteciparam as “surpresas”, como aconteceu na já distante vitória da candidata a prefeita Luiza Erundina, que já era anunciada como prefeita eleita pelas malfadadas pesquisas de boca de urna.
Uma coisa é certa, qual é a garantia dada por essas urnas eletrônicas de que a escolha dos eleitores será respeitada ? Como o eleitor não pode ter sua escolha confirmada e o sistema tem vulnerabilidades, principalmente num País que não é produtor de tecnologias de ponta, vivemos essa insegurança causada pelos resultados produzidos pelas pesquisas eleitorais. Por culpa dos partidos, um assunto que é discutido a tanto tempo ainda não foi resolvido. A questão é que não deve existir nenhum questionamento acerca de algo tão importante e vital para a democracia, que é o respeito à vontade dos eleitores. Não deveria pairar duvidas sobre isso.
A imagem de distanciamento passada pela Justiça, somado ao tratamento desigual que estabelece que existe cidadão de primeira classe e outros sem classe alguma no sistema de Justiça, complica ainda mais a situação. Não se pode conviver com isso. Os meios de comunicação precisam de regulação, tudo isso está relacionado com a falta de responsabilidade civil. Todos devem ser responsáveis pelos atos que praticam e as consequências produzidas por esses atos na sociedade.

Responder

Regina Braga

13/10/2014 - 11h23

Achei o resultado muito estranho…Não foi só com a eleição da Dilma.Sei que as pesquisas, indicavam Alckmin no primeiro Turno…nada de mais.Mas a minha Cidade é muito conservadora e eu andei perguntando ,pra muitas pessoas em quem haviam votado…ninguém respondeu que foi no Alckmin.Votos para deputados…Um deputado da minhã região,chegou a 167 mil votos….concorrentes ou de oposição a ele,nenhum eleito! Alguma coisa ocorreu,a eleição, teve problemas,sim!

Responder

De Paula

13/10/2014 - 11h10

A denúncia é consistente e grave; sobretudo porque apontou um precedente de vulnerabilidade do sistema, sem que nada tenha sido feito saná-la. Em outras palavras, desde a introdução das urnas eletrônicas estamos sendo tungados. Num sistema confiável, as sucessivas vitórias do PT teriam maior expressão numérica e não teríamos tantos parlamentos sem representatividade.

Responder

Euler

13/10/2014 - 10h10

A pesquisa forjada é parte integrante da estratégia do golpe. O Brasil vive um clima de golpe. Neste novo golpe, estamos diante de dois bandidos confessos, dispostos a fazer qualquer coisa para se livrarem das penas duríssimas a que fazem jus, e três outros atores (bandidos?) que participam da trama. Um é o juiz, que pretende alçar vôo à mais alta Corte do judiciário. A senha é simples: me ajuda que eu te ajudo. Qual é a ajuda? Prepare o interrogatório e libere seletivamente aquilo que possa ser usado em horário nobre durante 15 ou 20 dias, a conta-gotas, qual capítulo de novela, para destruir o PT e Dilma. Falando em novela, entra em cena o segundo ator: a Globo. Ardilosamente, a Globo montou uma novela para este caso da Petrobras, com cenas fortes programadas para acontecer às vésperas do primeiro turno das eleições e na entrada do segundo turno. Tudo calculado, tudo pensado e cronometrado. Notícias fortes contra o PT, combinadas com adesões rápidas e programadas ao candidato das elites – partidos de aluguel, Marina de Neca, Viúva alegre -, e, qual um jogo ensaiado, a Globo levanta a bola nos telejornais para o playboy marcar no horário eleitoral. Não se sabe bem quem faz o quê ali. Se são os maqueteiros de Aécio que fazem o Jornal Nacional, ou se são os editores da Globo que produzem os programas eleitorais de Aécio. O terceiro ator, claro, o próprio candidato fantoche, que só fez dizer sim, sim, e sim… para os de cima, lógico. Sim para o juiz que será recompensado pelo menos com algum cargo; sim para Marina, que poderá escolher uma embaixada qualquer ou valorizar suas palestras para banqueiros; sim, para a Globo, que voltará a dominar toda a verba publicitária do governo federal juntamente com a Veja e a Folha – a Band se contenta com as sobras da Globo, sempre; sim para os banqueiros, que não terão mais a concorrência dos bancos públicos e poderão praticar juros altos à vontade; sim, para o imperialismo norte-americano e países ricos da Europa, cujos grupos de rapina em breve se apropriarão do pré-sal, da petrobras e do mercado interno brasileiro. Serviço sujo feito, pacote entregue, quem paga a conta, infelizmente, seremos nós, o povo brasileiro, se não tivermos condições de denunciar e desarmar o golpe – mais um, aliás, entre tantos que a mídia golpista brasileira já aprontou, contra Getúlio, Jango, Brizola, Lula e agora contra Dilma.

Responder

Tonho

13/10/2014 - 10h02

Diga-se de passagem, é o segundo artigo que apresenta argumentação consistente, ainda mais quantitativa, para a hipótese de fraude nas urnas.
Ressalta-se que foram ambos escritos por professores doutores, portanto, duas pessoas treinadas em métodos de pesquisa acadêmica.
Não se trata, então, de “teóricos da conspiração”. Me parece que houve, sim, fraude eleitoral.
E se houve, é grande a possibilidade de vitória do Aécio por repetição desse método de fraude.
Se isso não é golpe de Estado, não sei o que é.
Se assim for, o mandato de Aécio será praticamente uma ditadura (não muito) disfarçada.
A índole autoritária e corrupta, pró-imperialista e privatista do tucano mineiro é bem conhecida, e o Congressso ultra-reacionário se encarregará de legitimar o mandato ditatorial.
Sou muito crítico em relação ao PT e creio que o partido ajudou a cavar a sua própria cova, ao se apegar aos privilégios conquistados e confiar demais na direita institucional e de menos nos militantes (não só do partido, mas da esquerda e das classes populares em geral). Seguindo esse caminho, infelizmente, o PT acabará destronado por seus aliados, depois de passar mais de um ano praguejando contra manifestantes, grevistas e ocupiers.

Responder

José Ricardo Romero

13/10/2014 - 09h46

Na serie de tv americana “Scandall” um presidente foi eleito pela seguinte fraude eleitoral: substitui-se o programa da urna por outro idêntico, exceto por uma única linha de programação que transfere parte das digitações 13 para 45 (ou 131 para 451). Os discos de memória destas urnas, sem que ninguém tenha condições de saber, enviam os dados para a central de apuração de forma fraudada. Um funcionário “terceirizado” ou mesmo um juiz eleitoral pode fazer isso.

Responder

    Narr

    13/10/2014 - 11h00

    Acontece que imediatamente após o fechamento da urna, o resultado é impresso e exposto para quem quiser.

    Basta os fiscais do partido colherem os dados e, por amostragem, compararem com as totalizações.

    Além disso, por amostragem, periciar as urnas após o encerramento da votação.

    Tem que prefere xingar o árbitro em vez de incentivar o time para reagir.

    FrancoAtirador

    13/10/2014 - 15h24

    .
    .
    Cara, tu vais continuar insistindo nessa falácia.

    O Sistema do TSE imprime só o nº total de votos

    dados aos candidatos, aos nulos e em branco,

    apenas para confrontar com o nº total de votantes,

    isto é, para saber se houve correspondência exata

    com o nº de eleitores que registraram voto na Seção.

    Com essa impressão simplória não há como identificar,

    por exemplo, se o voto em um candidato foi para outro.
    .
    .

Vicente

13/10/2014 - 08h59

Acho que o problema não está nas urnas e sim nas pesquisas.
Aécio sempre foi o segundo colocado ao longo da campanha, e os institutos juntamente com a mídia “inventaram” Marina para desviar o combate do PT e preservar o candidato do PSDB, assim ele ganhou um alívio em toda a campanha, não foi atacado nem exposto.
Se formos transformar os pontos percentuais das pesquisas em números absolutos a “virada” de Aécio em São Paulo foi algo em torno de 6 milhões de votos em menos de 48 horas, é muita coisa.

Responder

Daniel

13/10/2014 - 08h45

Eu já tinha reparado isso. Em todas as eleições para presidente (desde que o PT chegou ao poder) o candidato do partido sempre tem MENOS votos na urna do que na pesquisa de boca de urna. E o candidato do PSDB sempre tem MAIS votos na urna do que na pesquisa de boca de urna. Uma estranha coincidência?

Mais fraude?

A boca de urna do Ibope na Bahia para governador apontou, 39% para Paulo Souto (DEM) e 49% para Rui Costa (PT). Computados todos os votos, Rui foi eleito no primeiro turno com 54% dos votos. E Souto teve 37%

No Ceará a boca de urna do Ibope apontou 49% para Eunício (PMDB) e 44% para Camilo (PT). Computados todos os votos, Camilo acabou terminando o primeiro turno na frente com 47%. E Camilo teve 46%

Responder

giovani montagner

13/10/2014 - 01h09

Estava desde o dia posterior a votação com a sensação de fraude, aos poucos ela foi se transformando em certeza.
Minha desconfiança por um golpe aumenta gradativamente e sem nenhuma ideia de como contê-lo.

Responder

marco

12/10/2014 - 23h32

Eu sugeri a outros blogs e publicações,a reprodução dessa excelente matéria,pra mim uma das mais importantes para o momento que estamos vivenciando.Até como PANFLETO DE CAMPANHA deve ser utilizado.Rogo aos membros deste blog,fazerem chegar o mais longe possível,esse trabalho,pra mim o mais importante até aqui produzido,atinente ao processo eleitoral.Tem cheiro e vulto de mutretágem no ar!Muito oportuno.Por favor,publicizem o mais que puderem.Saudações…

Responder

graça

12/10/2014 - 23h26

Sempre desconfiei dessa urna eletrônica. O comprovante de votação é indispensável! Faltando tão poucos dias da eleição, o que o PT poderia fazer para denunciar e coibir o abuso!!! O PSDB age como se o Brasil fosse o aecioporto.

Responder

José Carlos Vieira Filho

12/10/2014 - 22h06

O verdadeiro partido de oposição a qualquer projeto de país que desmonte a Casa Grande, é, e sempre foi, a corporação Judiciário-MP. Alí está o cerne da corrupção no país, com sua indústria de sentenças e seu esquema de blindagem do andar de cima, andar de cima este do qual fazem parte as Famiglias da mídia (veja-se a fortuna dos Marinho e sua origem).
Ora, todo o processo eleitoral é controlado por esta corporação, cuja corrupção está se desvelando (ver o caso do juizinho do Paraná).

Responder

FrancoAtirador

12/10/2014 - 22h01

.
.
EMBAIXADA DOS UNITED STATES COMEMORA,

EM 30 DE AGOSTO, DIA DO VOLUNTARIADO,

COM AÇÕES EM VÁRIOS CANTOS DO BRAzIL

United States of America
Departamento de Estado
Embaixada no Brasil
Consulado Geral do Rio de Janeiro

NOTAS À IMPRENSA

Embaixada dos EUA comemora Dia do Voluntariado
com ações em vários cantos do Brasil

Rio de Janeiro, 26 de agosto de 2014

No dia 30 de agosto, a Embaixada dos Estados Unidos,
em parceria com mais de 350 voluntários,
incluídos profissionais e estudantes brasileiros
de 16 cidades (Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, Manaus, Porto Alegre, Porto Velho, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Sorocaba e Uberaba),
realizará várias ações de voluntariado para lançar a “USBEAlumni Day”,
primeira comunidade interativa para brasileiros que participaram
de programas educacionais e profissionais financiados pelo governo dos Estados Unidos.

As equipes desenvolverão ações de voluntariado em comunidades, escolas, creches e asilos, farão doações de cobertores, alimentos, livros, e ministrarão oficinas de leitura e de alimentação saudável e conscientização ambiental.

A Embaixada dos Estados Unidos convida a população a juntar-se a essas ações.

Conheça os projetos na sua região
e participe dessa incrível oportunidade de aprendizado.

“Temos um imenso orgulho em saber que muitos brasileiros e americanos participam de intercâmbios que fortalecem os laços entre os dois países. Estamos honrados em poder participar juntamente com eles do “USBEAlumni Day” para comemorar o Dia Nacional do Voluntariado”, disse a embaixadora dos Estados Unidos Liliana Ayalde.

Veículos de imprensa interessados em fazer a cobertura do “USBEAlumni Day” devem entrar em contato com Assessoria de Imprensa da Embaixada dos EUA: (61) 3312-7367 / 7364.

Projeto de Voluntariado da Embaixada dos EUA (USBEAlumni Day):

A Embaixada dos Estados Unidos lançou uma comunidade interativa para brasileiros que participaram de programas educacionais e profissionais financiados pelo governo dos Estados Unidos. Para celebrar este novo engajamento e conectar com esses participantes, a embaixada organizou o “USBEAlumni Day”, dia dedicado ao voluntariado.

Dia Nacional do Voluntariado:

Instituído pela Lei nº 7.352, de 28 de agosto de 1985, pelo então Presidente da República, José Sarney, o Dia Nacional do Voluntariado busca reconhecer e destacar o trabalho das pessoas que doam tempo, trabalho e talento, de maneira voluntária, para causas de interesse social e para o bem da comunidade. O dia 28 de agosto é celebrado anualmente.

(http://portuguese.riodejaneiro.usconsulate.gov/pr-26082014.html)
.
.
Projetos do Dia do Voluntariado

Rio de Janeiro-RJ

Democracia 2.0
Um projeto para encorajar os jovens de 14 a 18 anos a votar com consciência.

Local: Colégio Estadual Brigadeiro Schorcht- Jacaré Pagua- RJ
Horário: 10h00
Contato:Ricardo Barros (21) 98708.1707

Outras Cidades:

Manaus-AM

Yes, we give it back!
Irão coletar itens para montagem de cestas básicas que serão doadas aos residentes da Casa do Idoso São Vicente de Paula. A competição “Yes, I give it back!” consiste em um mecanismo para captação dos recursos necessários ao alcance do objetivo do USBEA DAY, ou seja, a competição será criada para que a meta em arrecadação dos itens para compor as cestas de higiene seja atingida com sucesso.

Local: Casa do Idoso Sao Vicente de Paulo
Horário: 9h00
Contato: Isa Akel- (92) 3232.5919/5311

Salvador-BA

Voluntariar: Juntos podemos mais!
O projeto VOLUNTARIAR consiste em um projeto de âmbito sociocultural que visa por meio de oficinas, estimular a cultura como objeto transformador em um bairro carente que se encontra em situação de risco social devido à alta criminalidade e tráfico de drogas.

Local: Colégio Estadual Dionísio Cerqueira – Santa Cruz / Complexo do Nordeste de Amaralina.
Horário: 8h00
Contato: Carlos Izaias- (71) 9319.7060

Fortaleza-CE

Projeto ECOAR
Como foco na Sustentabilidade Ecológica e Social, o Projeto visa o empoderamento da comunidade, por meio da ação social que envolve a ecologia e a arte, para que os moradores possam ter uma identidade social com o meio onde vivem para que assim possam preservar tanto a natureza quanto os bens públicos e comuns à todos.

Local: Comunidade Serviluz
Horáro: 8rhs.
Contato: Nathalia Santiago- (85) 9804.7868

Brasília-DF

Ação Esperança
A comunidade do Vale do Amanhecer em Planaltina-DF, uma comunidade onde os jovens se encontram em situação de risco pela violência, evasão escolar e preconceito, necessita da conscientização de todos os indivíduos para ações que unam e desenvolvam o ambiente social por meio da transformação individual desses jovens, empregando instrumentos de transformação social como educação, dança, música, artes, esportes, entre outros.

Local: Vale do Amanhecer em Planaltina-DF
Horário: 10h00
Contato: Alba Cobra – (61) 8189.6202

Goiânia-GO

Doe mais que um bem material, doe um sorriso!
A ideia principal é conscientizar de que existem pessoas que tem necessidades que vão muito além de bens materiais, nesse ponto a campanha pretende também promover além da doação de bens para o asilo a doação de uma tarde para os internos neles, para que a população adquira um senso maior de humanidade e compreenda que além de doar bens materiais às vezes é preciso fazer algo um pouco maior, se doar.

Local: Abrigo de Idosos São Vicente de Paulo localizado na Vila Americano.
Horário: 13h00
Contato: Vander Finotti Bosco- (62) 9228.1665

Uberaba-MG

We are the future
O Projeto “We are the Future” tem como base levar a conscientização ambiental para as crianças da comunidade da cidade de Uberaba com várias atividades sobre a natureza, nas quais elas aprenderão um pouco mais sobre como ajudar o meio ambiente. Contamos com o apoio de um grupo de alunos do curso de Ciências biológicas do Instituto Federal do Triângulo Mineiro.

Local: Praça Rui Barbosa, Uberaba-MG
Horário: 9h00
Contato: Gabriela Pelet- (34) 9131.1450

Belo Horizonte- MG

Vamos brincar de ler?
Será feita uma campanha de conscientização da importância da leitura no processo educativo e seus resultados através de workshops para professores e pais, rodas de leitura com as crianças, decoração convidativa da biblioteca da escola, bem como arrecadação de livros.

Local: Escola Estadual Professor Pedro Aleixo, Belo Horizonte- MG
Horário: 9h00
Contato: Larissa Moreira- (31) 7517.3458

Belém-PA

Leitura, Ideias & Ideais: Doe oportunidades para novas leituras
O projeto consiste em promover ação de voluntariado a partir da doação de livros e criar kits de leitura Os livros arrecadados serão organizados, nos próprios pontos de arrecadação, transportados e expostos no dia 30
(USBEAlumni Day) no local do evento.

Local: Sede do Grêmio Recreativo Jurunense: “Rancho Não Posso Me Amofiná” no bairro Jurunas, Belém, PA
Horário: 9h00
Contato: Valdinei Mendes da Silva, Prof. Dr. (91) 8156.8448

Curitiba-PR

Projeto Send It On (Passe adiante)
Em 30 de agosto é comemorado o Dia Nacional do Trabalho Voluntário. O projeto Send It On (Passe Adiante), com o apoio da Embaixada dos EUA, estarão desenvolvendo uma ação na Casa de Apoio Tia Sula, uma ONG que
acolhe crianças que vivem em situações de risco. Será uma tarde de diversão, alegria e aprendizado para as crianças e doações de produtos de necessidades básicas para o cuidado das crianças da casa.

Local: Casa de Apoio Tia Sula
Horário: 14h00
Contato: Fernanda Lima- (41) 9650.3969

Recife-PE

Ação para promoção da qualidade de vida
Seram realizadas: avaliação antropométrica (peso corporal, estatura, pregascutâneas, circunferência torácica e abdominal) e entrega de panfletos com informações pertinentes à orientação nutricional, além da aplicação de um QFA, questionário de frequência alimentar, para avaliar consumo alimentar.

Horário: 8h00
Local: As atividades serão realizadas em quatro locais no dia 30/08/2014:
Equipe 01: ABA, durante a “Global Citizenship Conference” (GCC), das 14h00 às 18h00
Equipe 02: Asilo Conviver Geriátrico, das 14h00 às 17h00
Equipe 03: UFPE Campus Recife, das 8h00 às 17h00
Equipe 04: UFPE Campus Vitória de Santo Antão, das 8h00 às 13h00
Contato: Manuella Hornsby (81) 9146.1611

Porto Alegre-RS

Inclusão BRAZUSA: Incluindo cultura, alegrando vidas!
O projeto Inclusão BRAZUSA foi criado com o objetivo de fazer uma boa ação e dar esperança de um futuro bom para crianças e adolescentes que crescem, por vezes, em meio às drogas e em situações socioeconômicas nada favoráveis ao seu crescimento como cidadãos conscientes dos seus direitos e deveres tanto em suas comunidades, quanto no mundo. Pretendemos, então, dar início ao projeto e, cada vez mais, melhorar e ampliar nossas ações na comunidade e em outras comunidades necessitadas de apoio.

Local: EMEF Bom Jesus, Gravataí-RS
Horário: 10h00
Contato: Vanessa Machado- (51) 9126.1254

Porto Velho-RO

Sensibilização Ambiental – Coleta Seletiva
Com este projeto, buscamos informar a população sobre como realizar a coleta seletiva, que é o gargalo da cadeia de reciclagem, qual a importância de realizar a separação do lixo e será exposto, ainda, qual o impacto que os lixões causam no meio ambiente, abordando alguns pontos citados na lei 12.305/2010.

Local: Arraial Flor de Maracujá, Porto Velho-RO
Horário: 18h00
Contato: Vânia Sales (69) 8408.6453

Florianópolis-SC

Beloved Casalar
O Projeto visa reformar a Instituição Casa Lar do Emaús (Instituição que abriga crianças e adolescentes e auxilia estes fornecendo moradia, alimentação, orientação escolar e civil) localizada no bairro Santa Mônica, Florianópolis.

Local: Instituição Casa Lar do Emaús, Florianópolis-SC
Horário: 8h00
Contato: Israel Rocha (48) 9970.1277

São Paulo-SP

English for Amateur Olympics Athletes
O projeto consiste em ensinar inglês e incentivar atletas amadores a aprender a língua.

Contato: Annamaria Galeotti (11) 98445.3320

Sorocaba-SP

Projeto Atiara
O Projeto Atiara tem por principal objetivo a união de práticas transformadoras para a melhoria da realidade de um bairro carente de Sorocaba.

Local: Bairro Nova Esperança, Sorocaba-SP.
Horário: 12h30
Contato: Amanda Ferraz (15) 99624.1963

(http://portuguese.riodejaneiro.usconsulate.gov/pr-26082014-projetos-alumniday.html)
.
.

Responder

rioberto ravena

12/10/2014 - 21h59

Nesta eleição, se você sabe de possível fraude eleitoral e tem provas, denuncie.

O povo brasileiro lhe será eternamente grato por nos livrar de tenebroso e profundo atraso, além de imenso ciclo de miséria, comandado pelos ianques.

Responder

rioberto ravena

12/10/2014 - 21h08

O fato é que pode ter havido fraude nas urnas. Como nós brasileiros podemos fazer para coibir essa fraude no segundo turno? Podemos como cidadãos solicitar que especialistas examinem urnas nos locais mais prováveis de fraude no dia da votação? Podemos pedir que especialistas examinem os equipamentos de transferência de votos? Temos que fazer alguma coisa que melhore a chance de não haver fraude ou solicitar a anulação da eleição no dia 26 por suspeita de fraude e solicitar a marcação de nova data com urna e votação em papel, com cópia para o eleitor. O Supremo Tribunal Federal nos tirou o papel, tirando também a confiabilidade das urnas, pois não há como haver confrontação no pleito. E esses caras do supremo nem foram eleitos, mas mandam como é feita a eleição. Esse tipo de coisa não podemos tolerar numa democracia. Vejam o link: http://josiasdesouza.blogosfera.uol.com.br/2013/11/06/stf-sepulta-voto-impresso-em-urna-eletronica/

Responder

Narr

12/10/2014 - 20h41

Vamos devagar com o conspiracionismo.

Os dados das urnas são transmitidos por uma rede particular, não tem como um hacker acessar.

É como achar que seu vizinho poderia usar sua geladeira.

Não há um senha geral, cada urna é criptografada.

Assim que termina a votação, o resultado a urna é impresso a exposto, qualquer partido tem acesso. Basta recolher esses dados e, por amostragem, verificar se batem na transmissão para saber se houve filtragem lá dentro da totalização.

Vamos baixar a bola conspiracionista.

E vamos lutar pra Dilma ser eleita em vez de começar a fantasiar.

A VW fez meu automóvel mas os alemães não determinam para onde vou.

Se a classe trabalhadora for derrotada, paciência, não seria a primeira vez em que a direita ganharia uma eleição no Brasil (não vivi Jânio mas sofri com o Collor eleito).

A Dilma não perdeu.

A Dilma está empatada.

Se está empatada e ainda há duas semanas para propaganda e para debate com Aécio, o que temer? A eleição é nossa, tá no papo, a direitalha vai perder mais outra.

Confiança!!

Responder

    FrancoAtirador

    13/10/2014 - 04h43

    .
    .
    Fake.
    .
    .

    Leandro_O

    13/10/2014 - 08h03

    Não basta confiança. Há que se ter organização e foco. O PSDB representa interesses das famílias mais ricas do país e que detêm a mídia televisiva e de radiodifusão. Se a esquerda perder agora é por falta de organização, pois aqueles lá são muito bem organizados.

    MarcioGM

    22/10/2014 - 14h21

    Não existe teoria conspiratória, as nossas urnas eletrônicas de 1ª geração já foi comprovada como insegura em absolutamente todos os outros países do mundo que a testaram. É fato incontestável que nenhum outro pais do mundo hoje utiliza o voto eletrônico sem a prova física, só no Brasil isso representa algum perigo para o sigilo do voto.

    Agora me diga: o TSE também tem uma internet particular? Como são transmitidos os BUs das zonas eleitorais para o TSE totalizar? E quanto a um ataque interno? Todos se tornam anjos só por trabalharem para o TSE?

    “Não há um senha geral, cada urna é criptografada.”

    Você está enganado, só existe uma chave de criptografia para todas as urnas eletrônicas, e esta chave fica gravada as claras nos pendrives que são utilizados por empresas terceirizadas para fazer a garga das urnas.

    O boletim da urna só exibe a totalização da urna, que pode, repito, pode ou não ter sido adulterado pelo software.

    Os partidos, o OAB e o MP tem o direito de fiscalizar este código, mas quem fiscalizou este ano? Só o PDT, e encontrou vários problemas de segurança, inclusive que a assinatura do software é num computador com acesso a internet! Jogando por terra até este alegação. Para que você não diga que estou mentindo, veja o relatório que enviado ao TSE pelo PTD:

    http://www.cic.unb.br/~rezende/trabs/eleicoes2014/ufba2014-Cida.pdf#8

    O software da urna é composto por cerca de 17 milhões de linhas de código, uma complexidade absolutamente desnecessária, e só seriam necessárias umas 5 linhas de código para fazer o desvio dos votos, tornando humanamente impossível alguém encontrar em poucas horas e com todas as restrições impostas pelo TSE o código da fraude.

    Mesmo que, duvido, o próprio TSE nada tivesse haver com a fraude, basta um único técnico mal intencionado para inocular um código praticamente impossível de detectar que fizesse uma fraude absolutamente impossível de ser comprovada.

    Isto tudo, meu amigo, não é teoria conspiratória, é o mais triste fato de que a nossa democracia provavelmente é a maior mentira da história brasileira.

    Agora, se você prefere acreditar que os institutos de pesquisas conspiraram para acabar com a própria reputação…

Narr

12/10/2014 - 20h35

Resposta oficial da Assessoria de Imprensa do TRE-RJ a respeito das urnas eletrônicas:

“Após o encerramento da votação a urna eletrônica imprime o resultado da votação.

Uma cópia é fixada de forma ostensiva nas instalações da seção eleitoral e demais cópias são distribuídas aos ficais de partidos e interessados que estejam no local de votação.

Essa iniciativa apesar de parecer simples, tem um grande significado estratégico com relação a transparência do processo, pois significa que no momento do encerramento da votação o resultado da eleição já é de conhecimento público, considerando que ocorre simultaneamente em todas seções eleitorais.

A partir desse ponto, todo trâmite da transmissão e totalização tornam-se totalmente auditáveis.

Após a impressão do boletim de urna os dados são criptografados e assinados digitalmente e gravados em mídia digital da urna eletrônica que é retirada dela e levada até um ponto de transmissão da rede privativa da Justiça Eleitoral.

O boletim de urna chega no datacenter de cada TRE e passa por um checklist onde são verificados vários itens, dentre eles a decifração do arquivo e a verificação da assinatura digital.

Após passar por essa análise o resultado é apresentado na internet e por fim é totalizado. A apresentação do dado na internet viabiliza a conferência do boletim que foi recebido pelo fiscal do partido na seção eleitoral, com o resultado que chegou para totalização.

A partir daí todos os dados são de acesso público por meio do sítio do TSE na internet, tornando sem sentido qualquer preocupação com sua proteção.”

Responder

    José Ricardo Romero

    14/10/2014 - 10h52

    Cara, você já foi contestado apropriadamente pelo Francoatirador lá encima. Pare de insistir na idiotice. Não tenho paciência com gente como você. Leia mais atentamente a minha suspeita para ver onde você está equivocado, se é que está argumentando de boa fé.

ansogo

12/10/2014 - 20h28

Os governos de LULA, DILMA e PT não tiveram peito de enfrentar o PIG pensando que eles não tomariam posições contra eles. Ledo engano e em todas as eleições armaram em cima do PT, inclusive na desconstrução do partido. Quando houve o caso de que iam roubar a eleição do BRIZOLA deveriam fazer frente no congresso para exigir das urnas eletrônicas o seu comprovante de votação. Foram coniventes com muitas coisas e estão comendo o pão que o diabo amassou, com o PIG.

Responder

rhô

12/10/2014 - 20h17

Pensei que a “desconfiada” fosse só eu… gente, isto tudo tem manipulação ou mágica!

Responder

Mark

12/10/2014 - 18h21

Só vou acreditar na integridade do processo eleitoral via urna eletronica quando, após votar, eu receber duas vias impressas de meu voto: uma para eu depositar numa urna, que permita uma eventual recontagem, e outra para eu levar para casa. Está na hora do povo brasileiro EXIGIR isso, porque, afinal, é ele que paga a coisa toda.

Responder

    Marcello Hameister

    21/10/2014 - 15h12

    Estaria inventada a venda de voto com recibo!

FrancoAtirador

12/10/2014 - 16h41

.
.
UMA FRAUDE NÃO EXCLUI A OUTRA (Parte 1)

I – A Manipulação da Pesquisa Eleitoral Presidencial pressupõe fundamentalmente:

1) A Existência de uma Anterior, Originária, com Dados Verdadeiros,
aos quais, a princípio, Só Têm Acesso os Envolvidos,
que Determinarão a Extensão e o Limite da Fraude.

2) O Conluio entre @ Contratante, o Contratado e o Candidato Beneficiário,
por Evidentes Interesses Comuns, Político-Ideológicos e Econômicos,
para Obter Vantagens da Distorção Deliberada dos Resultados Reais da Sondagem.

II – As Vantagens Obtidas pelos Fraudadores são:

1) Financeiras, especialmente para @ Contratante e o Contratado.

2) Políticas, principalmente ao Candidato, Beneficiário Direto.

III- Os Objetivos da Adulteração, com Efeitos Concomitantes ou Alternativos, são os seguintes:

1) Influenciar o(a) Eleitor(a) na Decisão de Escolha do Candidato,
mediante a Publicação com Repercussão Nacional da Pesquisa Fraudada
nos Veículos de Comunicação das Empresas da Mídia Oligárquica
(Jornais, Revistas, Rádio, TV e Internet).

2) Estimular os Cabos Eleitorais do Candidato Beneficiário do Resultado Manipulado.

3) Desanimar a Militância e @ Eleitor(@) d@(s) Candidat@(s) Adversári@(s).
.
.

Responder

Francisco

12/10/2014 - 16h20

Concordo com cada palavra do articulista, MAS há um senão: o PT teve doze anos para IMPOR ao TSE a necessidade do “papelzinho” de que falava Brizola.

Não fez. Houve outras providencias institucionais que o PT não tomou e não tomar providencias NÃO era opcional: garantir a liberdade de expressão de todos os brasileiros e garantir que a vontade eleitoral popular seja cumprida.

Alguém do TSE argumentava que “iria ficar caro”. Ora, pagar o sala´rio dos funcionários do TSE também é caro, mas o povo aceita pagar. É meu dinheiro, eu – o Povo (com letra maiúscula…) – gasto como achar que devo e já que o dinheiro seria gasto com o meu Poder de mando, é muito bem gasto!

Há possibilidade de a esquerda brasileira passar os próximos cem anos se perguntando, “perdemos o Poder porque alguém de Aécio era amiguinho de alguém do TSE?”. O que é uma pergunta idiota: é só ver a apuração do mensalão tucano. Apuração de voto e de mensalão é tudo a mesma latrina.

O PT, como virgens, se pergunta SE haverá manipulação, o povo (escolado…), se pergunta quando, quanto e onde.

E ai? Fazer o quê? Chupar o dedo, chorar e nomear algum Ministro da Justiça que não tenha maçaneta e dobradiça…

Responder

laura

12/10/2014 - 16h19

NA URNA: Olha a empresa do coordenador da campanha do Aecio ganhando licitaçoes para gerir as urnas eletronicas no TSE: Ate 2012 com direito a prorrogaçao é dele:SO FALTA SABER SE CONTINUAM EM 2012 ou quem continua. now how a turma de aeco tem de como fraudar se quiser. http://www.prdf.mpf.mp.br/…/10-03-2014-mpf-acompanha… 10/03/2014 – MPF acompanha licitação do TSE para contratar serviço de apoio às urnas eletrônicas
Tribunal informou que recomendação do Ministério Público será acatada para garantir maior competitividade à licitação dos serviços de suporte ao voto informatizado nas eleições de 2014
10/03/2014 12:50

Trazer mais competição à licitação e, com isso, diminuir os gastos da administração pública com a manutenção e operação das urnas eletrônicas utilizadas nas eleições do país. Esse é o objetivo da recomendação feita pelo Ministério Público Federal (MPF) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No documento, o órgão sugere medidas para garantir que a contratação dos serviços – prevista para os próximos meses – seja feita de acordo com as disposições legais vigentes.

O MPF ressalta pelo menos dois aspectos básicos que devem ser seguidos pelo TSE para assegurar a regularidade da licitação. O primeiro é que a contratação de serviços distintos seja feita separadamente, com um edital para cada objeto. O segundo é evitar cláusulas que restrinjam a competição do certame desnecessariamente, como exigir um número excessivo de profissionais habilitados para comprovar a prévia prestação de serviço pelas empresas concorrentes.

O documento é assinado pelo procurador da República Frederico Paiva, que investiga possíveis irregularidades em contratações semelhantes feitas pelo TSE anteriormente. “Queremos evitar que problemas identificados nos processos anteriores sejam repetidos na próxima licitação”, explica o membro do MPF.

Em resposta à recomendação, o diretor-geral do TSE, Athayde Fontoura, informou que os pontos salientados pelo Ministério Público “estão sendo observados na elaboração do projeto básico que resultará no edital de licitação para contratação de serviços de suporte técnico às eleições de 2014.” Paiva afirma que o órgão continuará acompanhando o caso.

Contratações milionárias – Em duas representações encaminhadas ao Tribunal de Contas da União (TCU) em abril do ano passado, o MPF narra o histórico das contratações desse tipo de serviço feitas pelo TSE desde 2004, e solicita providências à corte de contas.

Naquele ano, a vencedora do certame foi a empresa Probank, apesar de sua proposta ser R$ 4 milhões mais cara que a primeira colocada no pregão. Segundo o TSE, a empresa Embratel foi desclassificada por não cumprir requisitos de qualificação técnica. O serviço foi contratado por cerca de R$ 43 milhões.

Em 2006, uma nova licitação foi realizada. Apenas duas empresas participaram do certame e a Probank foi novamente escolhida para prestar os serviços de suporte ao voto informatizado, dessa vez por apresentar a proposta mais vantajosa à administração. Ainda assim, o contrato 37/2006 custou aos cofres públicos mais que o dobro do contrato anterior, cerca de R$ 92 milhões.

A vigência inicial do contrato era de 12 meses. Até julho de 2011, entretanto, foram cinco prorrogações sucessivas. A medida é considerada antieconômica pelo MPF já que, conforme o próprio TSE afirma, o custo com a manutenção preventiva das urnas soma menos de 10% do valor contratual total. “A manutenção de serviços de apoio às eleições em períodos sem calendário eleitoral sugere possíveis indícios de ocorrência de ato de gestão ilegítimo ou antieconômico”, afirma Frederico Paiva em representação encaminhada ao TCU.

Em 2012, um novo pregão para prestação de serviços de exercitação das urnas eletrônicas foi realizado e a empresa Engetec Tecnologia, ligada a parentes do sócio da empresa Probank, foi contratada pelo valor anual de R$ 129 milhões, com possibilidade de prorrogação por até 60 meses. Ao analisar a licitação, o MPF identificou algumas falhas, que serviram de base para a recomendação.

A primeira é que o contrato abrange dois tipos de serviços: de suporte ao voto informatizado e de manutenção preventiva das urnas eletrônicas. Enquanto para o primeiro são necessários cerca de 11 mil técnicos de urnas durante o período que antecede as eleições gerais, ou seja, a cada dois anos; o segundo demanda mil técnicos de caráter permanente. Para Paiva, “o englobamento de dois objetos distintos em uma mesma licitação é medida antieconômica”.

A segunda falha apontada pelo Ministério Público refere-se à inserção de cláusulas restritivas à competitividade. O órgão considera “excessiva e inadequada”, por exemplo, a exigência de comprovação da prévia prestação de serviços de informática envolvendo equipes com, no mínimo, cinco mil profissionais habilitados trabalhando em períodos simultâneos em, no mínimo, dez estados brasileiros. Paiva conta que, mais de uma vez, o requisito foi responsável pela desclassificação de empresas que apresentaram propostas mais baratas.

O terceiro ponto de impugnação remete às taxas de administração e de lucro fixadas pelo TSE, cujos percentuais são superiores àqueles recomendados pelo TCU em contratos de terceirização de mão de obra.

Leia a íntegra da recomendação e a resposta do TSE.

ICP 1.16.000.000032/2008-55

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República no Distrito Federal
(61) 3313-5460/5458
twitter.com/MPF_DF

OI aqui: Cara vinculado ao Aecio tem empresa PROBAN que apresenta-se ao TSE para cuidar de urnas eletronicas Por Viomundo e Hélcio Zolini, em seu blog no R7

O coordenador da campanha do PSDB à Presidência da República, o empresário Wilson Nélio Brumer, um dos responsáveis na equipe de notáveis encarregada de elaborar o plano de governo para a área energética do candidato tucano Aécio Neves, é acusado de, na sua atividade empresarial, ter dado um calote de R$ 160 milhões na praça e de ter direcionado nos últimos anos grande volume de dinheiro para os chamados paraísos fiscais.

Ao lado do parceiro no negócios, Luiz Carlos Martins, que trabalha atualmente no comitê de campanha do candidato do PSDB ao governo de Minas, Pimenta da Veiga, ele teria se valido da Probank S/A e de outras empresas de fachada para fazer a operação que resultou no rombo milionário.

A Probank cresceu ganhando diversas licitações junto aos Tribunais Regionais Eleitorais de todo o País para organizar as eleições eletrônicas no país, mas entrou em processo de falência. http://www.jornali9.com/

Responder

    laura

    12/10/2014 - 16h21

    O edital era esse: TODO pais uma empresa só http://www.justicaeleitoral.jus.br/arquivos/tse-edital-pa-n-8396-2012

    laura

    12/10/2014 - 16h24

    pODIA SER UMA EMPRESA SÓ SE CONSORCIADA, RETIFICO

    laura

    12/10/2014 - 16h27

    Pode ter empresa estrangeira no consorcio para organizar as urnas eletronicas: PODE TER ENTAO EMPRESA ESTRANGEIRA. QUEM SABE A CIA ne nao?…………………… No caso de formação de consórcio com empresas estrangeiras que não
    funcionem no Brasil, essas poderão apresentar, em substituição aos
    documentos de habilitação exigidos neste Edital, documentos equivalentes de
    seu país de origem, devidamente autenticados pelos respectivos consulados
    ou registrados em cartório de títulos e documentos e traduzidos por tradutor
    juramentado, devendo ter representação legal no Brasil com poderes
    expressos para receber citação e responder administrativa e judicialmente.

    Laura

    12/10/2014 - 16h45

    A ENGETEC empresa de familiares do coordenador da campanha de Aecio segundo suas proprias informaçoes em sua pagina do FACE informa que:Engetec.it
    4 de agosto · Editado
    A empresa Engetec foi contratada pelos TREs do estados de CE, DF, MG, PA, PE, RJ e RS, para realizar o suporte técnico às Eleições 2014.
    As inscrições serão feitas pelo site da Engetec a partir do dia 05/08/2014.

    http://www.engetec.it/
    Portanto, pelo menos aqui, esta clao o caminho das pedras para hipotese de fraude e anulaçao desta eleiçao. PONTO FINALE URNAS NAO VERIFICAVEIS. ACABOU>Como pode cuidar das urnas empresa ligada a um candidato?

    laura

    12/10/2014 - 17h07

    EM 2012 o CONSORCIO LIDERADO PELA EMPRESA DO COORDENADOR DA CAMPANHA DO AECIO cuidava das urnas eletronicas NACIONALMENTE. Segue noticia do consorcio vencido pela Engetec ( da familia do coordenador do Aecio) para cuidar das urnas eletronicas no Brasil. Tem uma empresa dos EUA em Barbados 2012.Éra para o Brasil INTEIRO> Continua em 2014? http://www.engetec.it/…/materia-publicada-no-valor…

Sidnei Brito

12/10/2014 - 15h40

Mas os institutos têm uma boa desculpa: o voto envergonhado.
Só que isso pode até ter servido para a eleição do Janio, em 1985.
Hoje, seria mais fácil, ante o massacre midiático, que um eleitor de Dilma, sobretudo em grandes centros urbanos, tivesse vergonha de admitir voto nela.
Nesse caso, claro, ela teria tido mais votos na urna do que os apurados nas pesquisas.
Não queria acreditar em bruxas. Mas que elas existem, existem!

Responder

AlvaroTadeu

12/10/2014 - 13h54

Concordo com no Gustavo. Durante a Ditadura, Maluf sempre tinha mais votos do que indicavam as pesquisas. O DataFolha afirmou à época que o voto em Maluf era o “voto envergonhado”, que seus eleitores não tinham coragem de se assumirem como apoiadores do regime. Mas nunca vi erro desses em boca de urna. O sujeito votou há 5 minutos, sempre vai falar a verdade. A margem de erro, se houver será sempre na escolha dos entrevistados. Eu assino embaixo, há um cheiro (fedor) de fraude no ar.Se nos calarmos, seremos varridos do mapa. Se você faz um pagamento eletrônico, a maquininha imprime como prova de que você pagou. Por que com o voto é diferente?

Responder

Eunice

12/10/2014 - 12h26

Deram o golpe.
Podemos ainda exigir recibos para recontagem do segundo turno.Adiar as eleicoes.

Responder

Urbano

12/10/2014 - 12h26

… de uma parte dos capas pretas fazer…

Responder

Urbano

12/10/2014 - 12h23

Falta de aviso é que não foi. Pelo que se viu de uma parte dos capas pretas fazerem, acreditar num pleito limpo e sadio, só mesmo para acéfalos. É coisa para milagre não haver escaterina antes ou durante ou depois ou nas três etapas. Quero acusar algum ilícito? NAO! São os de sempre que vêm fazendo o maior esforço para mostrar a todo mundo outras farsas grotescas, daí dando asas enormes para, pelo menos, se imaginar mais uma possibilidade. Ou não se trabalha com esse tipo de demanda? Agora digam mesmo, depois de mutretas em cima de mutretas, além dos nada consta para bandidos ricos, e prisão para pessoas verdadeiramente de bem, vamos acreditar em quê? Tenham certeza, que o grande desejo da maior parte dos brasileiros é que as Instituições governamentais e seus servidores sejam íntegros e honestos até a medula.

Responder

Tiago Ribeiro

12/10/2014 - 11h42

Estimado colega,

existe sim uma terceira alternativa, falha na metodologia de pesquisa. Para mim, as falhas das pesquisas em refletir os resultados finais das eleições se deve ao fato do eleitorado brasileiro ser muito heterogêneo, mesmo quando se considera populações muito pequenas, dentro de um certo município ou mesmo bairros. Para obter os resultados as pesquisas consideram que o eleitorado é homogêneo dentro de uma certa população que na verdade não é. Por exemplo, imagine uma cidade que possui 5 zonas eleitorais e que o instituto possui capacidade para fazer o levantamento em apenas 2 deles. Supondo que as 5 zonas tenham o mesmo número de eleitor e que eles votam de maneiro igual, fazer o levantamento em 2 deles deve fornecer resultados consistentes. Entretanto, se tivermos uma diversidade de número de eleitores por zona e se essas zonas tiverem distribuição de eleitorado muito distintas, as pesquisas provavelmente errarão acima da margem esperada.

Felizmente, eu creio que essa é uma teoria que pode ser testada. Basta descobrir quais as zonas eleitorais que foram estudadas nas pesquisas e comparar os resultados. Depois disso, pode se fazer uma analise mais detalhada por zona para tentar descobrir a heterogeneidade da distribuição de votos. Pode-se também procurar por “números redondos” em certas zonas eleitorais. Isso pode dar um indicativo de que os números foram manipulados.

Fora isso, 13 neles!

Abraço!

Responder

Pedro

12/10/2014 - 11h03

Com todo respeito ao autor, não houve erro nem fraude. Os institutos, como sempre, acertaram. Acreditem: institutos de pesquisa sérios não erram o resultado, assim como nossas urnas também são invulneráveis a ataques.
O que temos que fazer é reforçar a militância pra levar mais uma, ao invés de perder tempo com discussões inúteis. O que está em jogo é o futuro do país! Não podemos retroceder!

Responder

    Daniel

    12/10/2014 - 12h08

    Me desculpe mas eu não acredito em conto de fadas. E eu como profissional de informática lhe afirmo categoricamente que qualquer um que lhe diga que existe “sistema de informação invulnerável” é um mentiroso grosseiro. Me deixe em Brasília na sede do TSE que eu provavelmente encontrarei alguma falha séria em um dia ou menos.

    Pedro

    12/10/2014 - 14h39

    Caro Daniel,
    Nosso sistema eleitoral é sim confiável e invulnerável!
    Acho que temos é que confiar mais em nossas instituições públicas! O Brasil é uma das maiores potências da história da humanidade, não simplesmente uma republiqueta qualquer, como querem vender no eixo Faria Lima-Miami. Esse tipo de coisa não acontece por aqui.
    Aqui é Brasil!
    Dilma 2014!

    José Carlos

    12/10/2014 - 12h33

    … Pedro, estou com você, temos mais é que ir à luta o resto é perda de tempo … DILMA_2014

    Geysa Guimarães

    12/10/2014 - 12h54

    Invulneráveis? Há alguns anos o Fantástico levou ao ar um programa com o maior expert no assunto, e encerrou com a pergunta:
    “O que o senhor poderia fazer pelo senhor se fosse candidato?
    R- “Eu faria de mim presidente da República”.

    Pedro

    12/10/2014 - 14h34

    Fantástico? Com todo respeito à companheira, não se trata exatamente de uma fonte confiável.

Flavio de Oliveira Lima

12/10/2014 - 10h01

Somos o elo fraco dos BRIc (AfSul é meio “convidada”). E os eua vieram com tudo pra impedir a continuidade de um governo minimamente progressista no Brasil. Tornaremos a ser uma republicassa de bananas.

Responder

Rodrigo Alves

12/10/2014 - 09h39

Meu caro Gustavo Castañon,

Isso que você constata, agora, já tinha sido alertado em 19/07/2014:

Fonte: http://www.blogdacidadania.com.br/2014/07/governo-dilma-duvida-do-datafolha-principalmente-sobre-2o-turno/

Todos nós sabemos que em NENHUMA eleição os votos dos demais candidatos, migram automaticamente para um só candidato !!!

Porém, contrariando TODAS os conceitos estatísticos existentes, o Datafalha quer colocar na cabeça das pessoas que haverá segundo turno e que, quando ele ocorrer, os dois candidatos estarão empatados!!!

Essa manipulação, de dizer que haverá empate entre os candidatos no segundo turno tem um objetivo e ele está muito bem descrito abaixo…legitimar uma possível fraude nas urnas.

Somente com o suporte de várias pesquisas, apontando que o candidato “X” está empatado com o candidato “y” é possível realizar a adulteração das urnas.

Não tinha entendido o porque da manipulação…lendo o comentário abaixo, ficou cristalino para mim o motivo.

Não adianta quer interpretar numericamente as pesquisas fajutas…tem que entender o que está por trás desta manipulação de mentes e corações.

Será que a lei de acesso a informação nos permite solicitar o contrato existente entre o TSE e a empresa privada que realiza a eleição ?!?

http://www.tse.jus.br/transparencia/nucleo-de-informacao-ao-cidadao-1/nucleo-de-informacao-ao-cidadao

—————————————————————————————————————

Edu,

Sendo bem direto.

As pesquisas eleitorais tinham apenas um signaificado: Tentar direcionar a boiada !!!

O que eu quero dizer com isso…que as pesquisas só existiam para direcionar a população alienada politicamente (grande maioria do povo) a votar no candidato que está na frente nas intenções de voto, para assim, o incauto eleitor não “desperdiçar” o seu voto.

Bom, só que no caso dessas eleições de 2014, com o Senador Carioca no páreo, a preocupação tem que ser outra.

Você sabe como funciona o sistema eleitoral brasileiro ?!?
Você sabia que ele foi “privatizado” ?!?

O TSE tem um contrato com uma empresa privada para a realização das eleições. Esta empresa é responsável, entre outras coisas, por:

– Instalar e manter ativo TODO o serviço de comunicação dos cartórios eleitores.
– Preparar as urnas, com os flashes cards com os nomes, números e fotos dos candidatos.
– Fazer a transmissão e a recepção dos dados da votação.

Já o TSE tem a única preocupação de processar o mais rápido possível todos os dados, de todas as urnas.

Em resumo:

Aquilo que você vê no dia da votação: mesários, responsável do TRE pela zona eleitoral, fiscais partidários e soldados do exercito trazendo e levando as urnas, não passa de pura encenação.

NÃO EXISTE, repito, NÃO EXISTE, segurança NENHUMA de que o seu voto, dado ao candidato “X” irá, realmente, para esse candidato.

Qualquer um, que tem o mínimo conhecimento em TI sabe que:

As urnas já podem chegar “recheadas” com os votos dos candidatos, ou os votos podem ser alterados durante a transmissão, ou que é mais simples ainda….alterar a somatória final dos votos.

Veja essas matérias da Band:
http://www.youtube.com/watch?v=wKDtgPenvhs
http://www.portaldomaranhao.com/Noticias/20096/CAXIAS–Policia-Federal-abre-inquerito-para-apurar-suspeita-de-fraude-nas-eleicoes–municipais-

Veja porque outros países não adotaram a urna eletrônica brasileira:
http://www.fraudeurnaseletronicas.com.br/2011/01/urnas-eletronicas-brasileiras-pelo.html

A mesma empresa brasileira que é responsável pelas eleições no Brasil, também “tentou” fazer as eleições no exterior…veja no que deu:
http://g1.globo.com/Noticias/Mundo/0,,AA1336131-5602,00.html
http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/story/2006/10/061018_equador_evote_crg.shtml

Diversos técnicos já deram inúmeros pareceres CONTRÁRIOS ao uso das urnas eletrônicas:
http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/SSI2000.htm
http://jus.com.br/pareceres/16792/nota-tecnica-para-comissao-da-camara-critica-seguranca-das-urnas-eletronicas/3
http://www.fraudeurnaseletronicas.com.br/
http://www.brunazo.eng.br/voto-e/

Aí você pergunta…tá, mas o que o Senador Carioca tem a ver com isso ?!?

Simples…a fraude das urnas eletrônicas só é possível se os candidatos estiverem próximos nas pesquisas !!!

Não dá para mudar o resultado das urnas se as pesquisas indicarem uma diferença muito grande entre os candidatos !!!

Por isso, o esforço das pesquisas em empatar os candidatos no segundo turno.

Você acha que isso é teoria da conspiração ?!?

OK…tente descobrir, então, maiores informações sobre essa empresa privada responsável pelas eleições…

Tente descobrir onde ela está instalada ?
Quais os contratos públicos que ela tem ?
Quem são os seus diretores ?
Quais as relações existentes entre esta empresa e o governo de MG ?
Quantas vezes esta empresa faliu e reabriu com outro nome ?
Tente descobrir quem são e o que fazem naquela salinha anexa ao TSE, no térreo do prédio ?
Tente descobrir como é faturada a prestação de serviço ?

A maior caixa preta do judiciário brasileiro chamasse TSE.

Responder

    Daniel

    12/10/2014 - 12h17

    Exato. Com as senhas corretas eu poderia com facilidade alterar os números da totalização sem nem precisar mexer nas urnas em si (que seria realmente trabalhoso, custoso e difícil de esconder por causa do número de urnas que precisariam ser adulteradas), e se eu tivesse “comprado” o responsável por fazer a inspeção dos acessos (lembrem-se, vivemos em um país corrupto) ninguém ficaria sabendo que eu fiz o sistema mudar os resultados vindos das urnas antes de chegar no total geral. É irônico considerar que até aonde eu vi as urnas têm meios para serem re-checadas se necessário (não teria porque apagar o total interno de votos da urna depois da transmissão para a central), mas no meu cenário seria fácil com o apoio da mídia convencer todo mundo que tal procedimento é “desnecessário”.

    Eu nunca faria tal coisa porque eu sou um brasileiro defeituoso: eu sou honesto por mais que isso me prejudique (é arriscado ser honesto em um país corrupto, lembrem), mas não consigo dormir direito ao pensar como é fácil para outros fazerem isso sem nem precisarem do meu nível de conhecimento.

    laura

    12/10/2014 - 17h45

    EU JÁ ACHEI E POSTEI ALGUMAS POR aqui algumas informaçoes sobre os contratos. em 2012 o consorcio era nacional e liderado por empresa de coordenador da campanha de Aecio Neves. Este ano consegui apurar que a ENGETEC de familiares dele do dono da Proban e coordenador da campanha de Aecio( nao sei as outras, nao duvido nada que sejam também dele ou compradas) organiza e cuida das urnas de:CE DF MG PA PE RJ e RS. POrtanto nao tenho duvida nenhuma que esta eleiçao já foi adulterada.
    Ou seja, NAO VALE NADA.
    o QUE FAZER? cOMO PODE O COORDENADOR DE UMA CAMPANHA CUIDAR DE URNAS DE VOTAÇAO QUE NAO PODEM SER VERIFICADAS?

    Pedro Domingues

    12/10/2014 - 20h41

    As empresas, contratadas pelo TSE e que cuidavam de todo o processo eleitoral tinham sede em BH:

    Probank S.A.
    Via Telecom S.A.

    Elas entraram com pedido de falência:

    http://www.radaroficial.com.br/d/5814245883117568

    Porém, elas reabriram com outro nome: http://www.engetec.it/pt/

    O mais impressionante é que eles continuam com o contrato do TSE para a realização das eleições!!!

    Veja esses links:

    http://www.fraudeurnaseletronicas.com.br/2011/01/urnas-eletronicas-brasileiras-pelo.html

    A empresa E-Vote era um consórcio firmado entre as empresas Probank, fornecedora de mão-de-obra terceirizada (técnicos de urna) para a Justiça Eleitoral brasileira e a Via Telecom.

    Infelizmente, o conteúdo desta pagina do Ministério da Fazenda está bloqueado até o fim do período eleitoral.
    http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=331851

    Só não enxerga o golpe quem não quiser…

LeandroS

12/10/2014 - 08h19

Eu sou formado em ciência da computação, x sempre tive um pé atrás com votação eletrônica. O programa pode, muito bem ser escrito, de forma a transferir a cada x votos do total de votos y% de votos para um candidato específico. Ou pior, a cada x% de votos em um candidato, transferir y% de votos para um outro candidato qualquer. Pior ainda, mesmo com o tal sonhado papelzinho do Brizola, o papel poderia ser fraudado, pois o próprio programa de votação seria o responsável por gerar o comprovante e poderia muito bem gerar o comprovante confirmando a fraude. Deste modo, simplesmente é um crime eleitoral perfeito impossível de se obter provas. O ideal dos ideais seria fazer votação redundante em que o eleitor votasse na urna eletrônica e também em papel, nos moldes antigos, e se houvesse dúvidas quanto à contagem de votos do eletrônico, os partidos que se sentissem lesados poderiam pedir a recontagem dos votos pelo papel. Não há outra forma de garantir um processo de votação mais confiável e isento do que este que falei.

Responder

    José Carlos

    12/10/2014 - 12h28

    … e, ainda, o redundante seria impresso pela própria maquina, cabendo ao eleitor somente a conferência, evitando a pseudo fraude voto em um e indico no papel outro e inválido a eleição…

    FrancoAtirador

    12/10/2014 - 14h55

    .
    .
    Concordo, José Carlos.

    Essa é a forma mais simples, correta e justa.

    Cada eleitor(a) digita na Urna Eletrônica

    e, a seguir, imprime o(s) voto(s) e confere.

    Depois, deposita o voto impresso em outra urna

    que servirá eventualmente para uma recontagem.
    .
    .

    FrancoAtirador

    12/10/2014 - 18h18

    .
    .
    Caro LeandroS.

    Concretamente isto já ocorreu e foi documentado na Índia

    :: 23/08/2010
    Convergência Digital | Seção: Segurança

    Índia prende especialista que mostrou
    vulnerabilidade da urna eletrônica

    Depois que a comissão eleitoral da Índia

    desistiu de ceder uma urna eletrônica para os testes,

    EQUIPE CONSEGUIU URNA DE UMA FONTE INTERNA ANÔNIMA

    E MOSTROU SER POSSÍVEL PROGRAMAR A MÁQUINA VIRTUAL

    PARA DESVIAR VOTOS PARA UM DETERMINADO CANDIDATO.

    As urnas indianas são similares às utilizadas no Brasil.

    A demonstração de que é possível fraudar eleições realizadas com urnas eletrônicas criou uma situação curiosa na Índia.

    O líder da equipe responsável pela demonstração da vulnerabilidade, o pesquisador Hari Prasad, foi preso por não revelar a fonte que lhe forneceu uma das urnas para a realização dos testes.

    Prasad, juntamente com o professor da Universidade de Michigan, nos EUA, Alex Halderman, e o ativista holandês Rop Gonggrijp, demonstraram no início deste ano que o sistema eletrônico de votação pode ser manipulado.

    A demonstração pode ser conferida em um site na internet (http://indiaevm.org/).

    A urna eletrônica indiana é similar a utilizada nas eleições do Brasil.

    Segundo os responsáveis pelo teste, um dos ataques envolve a substituição de uma pequena peça da urna, similar ao componente real, pela qual a máquina pode ser instruída a transferir parte dos votos para um dos candidatos.

    Outra demonstração foi capaz de alterar os votos armazenados na urna eletrônica.

    “Esses ataques não são complicados ou difíceis de serem feitos,
    mas seriam difíceis de serem detectados ou evitados.

    A melhor maneira de prevenir é contar os votos
    utilizando-se as cédulas de papel”,
    diz o site sobre a apresentação dos testes,
    defendendo o sistema de impressão dos votos.

    Prasad chegou a combinar um teste com a comissão eleitoral indiana,
    mas a entidade recuou e ele conseguiu uma urna graças a uma fonte anônima.

    A decisão de não revelar essa fonte foi o argumento usado
    pelas autoridades indianas para a prisão do especialista.

    (http://www3.convergenciadigital.com.br/busca/vermateria.php?infoID=23533)
    .
    .

    Narr

    12/10/2014 - 20h34

    Assim que se encerra a votação, a máquina imprime os votos da urna. Os dados são acessíveis a qualquer partido que pode pedir a perícia da máquina.

    A perícia por amostragem é suficiente para constatar se houve fraude.

    FrancoAtirador

    13/10/2014 - 04h22

    .
    .
    Não, Narr.

    No encerramento, só há impressão do número de votos

    computados para cada candidato na Urna Eletrônica.

    A conferência que ocorre é o cruzamento desses dados

    com o número total de votantes da Seção Eleitoral.

    Aqui no Blog tratamos de Fraude ao Sistema Informatizado,

    em nível de reprogramação por meio de interceptação de Hacker

    ou de substituição do software por agente interno cooptado.
    .
    .

    FrancoAtirador

    13/10/2014 - 04h39

    .
    .
    A maioria dos servidores públicos não tem preço.

    Mas alguns têm e, às vezes, cobram até barato

    para cometer Fraude de Tamanha Envergadura.

    Em grande parte, inclusive, são FGs, FCs e CCs

    ou de prestadoras de serviços terceirizados.
    .
    .

FrancoAtirador

12/10/2014 - 04h53

.
.
Neste PaíZ, onde 4 Organizações Mafiosas Midiáticas

Formam um Oligopólio para Exercer um Poder Paralelo,

Fraude Eleitoral e Financeira é o que Menos Falta.

Semanalmente Veja/Abril/Naspers Mente Criminosamente
.
.
CONTADORA DE YOUSSEF DESMENTE REVISTA VEJA NA CPMI

Meire Poza:
“Eu não disse o que Veja colocou.
Não disse que Youssef tinha ascendência
sobre prefeituras do PT”.

O tesoureiro do PT, João Vaccari,
seria o “operador” do esquema ?

A contadora disse não ter informação sobre isso.

A Capa da Veja dizia: ‘Eram malas e malas de dinheiro’.

“Isto é a Veja, não é o que eu disse”, afirmou Meire.

A Veja relatou que ‘Meire Poza viu malas de dinheiro
saindo da sede de grandes empreiteiras,
sendo embarcadas em aviões
e entregues às mãos de políticos’.

“Não é o meu depoimento. Isso é a Veja”,
contestou Meire Poza.

(http://alhoeolho.blogspot.com.br)
.
.

Responder

MarcusM

12/10/2014 - 03h38

No FB também apareceu uma página falando de fraude… contra o Aécio (bizarro). Para mim, isso é para despistar, é como vc falasse que os dois lados estão reclamando de fraude, portanto nenhum tem razão, assim como torcedor fanático sempre achar que o juiz tá roubando contra seu time. Agora por acaso lembrei do Collor acusando o Lula que iria confiscar a poupança…

Responder

Cláudio

12/10/2014 - 03h13

De Morvan, Usuário Linux #433640: ♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥♥ Dilma, Vamos Para Cima. Vamos Fazer Política: Reformas Constituinte Exclusiva e do Judiciário, Urgentes; Lei da Mídia e “Paper Track” na Urna Eletrônica Já! Seja Legal; seja Livre. Use Linux.

Com Dilma, a verdade vai vencer a mentira assim como a esperança já venceu o medo (em 2002 e 2006) e o amor já venceu o ódio (em 2010). ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

Responder

Léo

12/10/2014 - 02h53

Pesquisas eleitorais é muito parecidas com a publicidade de bens e serviços.No caso do primeiro turno houve uma “explosão da assustadora ascensão” de Aécio. Segundo o TSE, pesquisas são feitas por qualquer um tendo por obrigação de mostrar o numero de pesquisados, regiões (não necessariamente o local onde foram feitas as entrevistas), empresas contratantes dos serviços e só.
Inclinando um pouco para a “conspiração” da grande mídia, podem ter feitos pesquisas errôneas justamente para causar esse alvoroço todo, em torno do seu candidato.

Responder

Leo V

12/10/2014 - 02h21

Pelo jeito vai rolar como na eleição que coloco Bush filho no poder. Fraude, que os Democratas silenciaram para não colocar o sistema abaixo, como se estivesse na hora de voltar os Republicanos depois de 8 anos de Clinton.

E assim vai se legitimando um sistema econômico e político capitalista.

Outro detalhe. Não assiste a cobertura do dia da eleição pela TV. Mas de tarde um amigo me chamou a atenção que a cobertura da Globonews estava diferente do que o costumeiro em eleições, falando muito sobre fraude. O que pensei foi: estão preparando terreno para contestar a votação caso a Dilma ganhasse em primeiro turno.
Tudo muito estranho. Essa gente é capaz de coisa muito pior, fraudar eleição é fichinha.

Responder

Messias Franca de Macedo

12/10/2014 - 01h30

… A DIREITONA FASCIGOLPISTA aposta na blindagem do PIG &$ do Judiciário – e na desqualificação das ‘teorias conspiratórias’ desde “a queda” [acidental?! Providência Divina pró Marina (Silva?!)] do avião do Eduardo Campos…

###################

Denúncias

*Bajonas: Subida de 14 pontos de Aécio em 72 horas deve ser investigada

publicado em 7 de outubro de 2014 às 21:24

O parodoxo de Aécio (ou: por que investigar os resultados do primeiro turno)
Aécio ganhar 14,5 pontos percentuais em 72h, sem nada capaz de explicar tal ascensão, “desafia a lógica e os fatos”, diz professor, estranhando o silêncio sobre a diferença entre votos dados ao tucano e o que previam as pesquisas

por Congresso em Foco | 07/10/2014 12:19

por *Bajonas Teixeira de Brito Junior

** Bajonas Teixeira de Brito Junior é doutor em Filosofia, duas vezes premiado pelo Ministério da Cultura por seus ensaios sobre o pensamento social e cultura no Brasil, professor universitário e escritor.

http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/o-parodoxo-de-aecio-ou-por-que-investigar-os-resultados-do-primeiro-turno/

ou aqui:
http://www.viomundo.com.br/denuncias/bajonas-teixeira-junior-subida-de-145-pontos-de-aecio-em-72-horas-precisa-ser-investigada.html

Responder

Júlio César Carneiro da Silva Crespo

11/10/2014 - 23h47

Essas urnas são comprovadamente fraudáveis há pelo menos dois anos. Porque só agora vocês dos blogs e sites de esquerda estão falando sobre isso??? Será pelo perigo de derrota no dia 26???

Responder

    rffsa

    12/10/2014 - 01h39

    na verdade, este blog já fala disso faz tempo, vc é que não o frequenta

    Daniel

    12/10/2014 - 12h23

    Desde que apresentaram a idéia da urna eletrônica os profissionais da área (como eu) protestam que não é uma boa idéia e já cansaram de mostrar como é fácil fraudar as mesmas (e o sistema envolvido) com os recursos certos. Você é que têm memória extremamente curta para conseguir lembrar disso, aliás, a mídia adora você exatamente por você ter memória curta demais para lembrar como eram as coisas quando ela mandava e desmandava.

    FrancoAtirador

    12/10/2014 - 17h55

    .
    .
    É a Mais Pura Verdade, Daniel.

    :: 14/04/2014 11:29
    Depois de quebra do sigilo da urna, TSE evita novos testes
    (http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=36487&sid=18)

    :: 15/10/2013 16:47
    Eleição 2014: Especialistas cobram voto impresso e denunciam falhas do TSE

    :: 20/09/2012 11:52
    TSE recua e muda algoritmo de segurança da urna eletrônica

    :: 16/08/2012 12:33
    TSE abre novo sistema de votação eletrônico aos partidos

    :: 18/07/2012 15:05
    TSE define pregão e gasta R$ 129 milhões com urna eletrônica

    :: 09/05/2012 15:20
    Procuradoria da República mantém veto ao voto impresso

    :: 22/03/2012 15:12
    TSE altera sistema da urna, mas nega quebra do sigilo do voto

    :: 22/03/2012 09:37
    UnB quebra o sigilo do voto da urna eletrônica

    :: 09/03/2012 18:30
    Urna eletrônica: Investigadores decifram código-fonte e preparam ‘ataque’

    :: 06/03/2012 18:02
    TSE abre acesso aos códigos-fonte da urna eletrônica

    :: 23/08/2010
    Índia prende especialista que mostrou vulnerabilidade da urna eletrônica
    Depois que a comissão eleitoral da Índia desistiu de ceder uma urna eletrônica para os testes, equipe conseguiu uma com uma fonte anônima e mostrou ser possível programar a máquina para desviar votos a um determinado candidato. As urnas indianas são similares às utilizadas no Brasil.

    :: 18/08/2010
    Eleição 2010: TSE abre programas eleitorais para auditoria dos partidos
    Partidos estão autorizados a analisar os códigos-fonte dos sistemas eleitorais para chegar se os programas que o compõem e que serão utilizados no pleito de outubro estão funcionando de maneira correta. Os testes de simulação vão acontecer de 24 de agosto a 02 de setembro.

    :: 02/08/2010
    Para TSE, mudanças na Lei Eleitoral “são dinamites” e aumentam chance de fraudes
    Nova legislação estabeleceu a volta do voto impresso e a separação do equipamento de identificação do eleitor da urna eletrônica. Mas segundo o secretário de TI do Tribunal Superior Eleitoral, Giuseppe Janino, as alterações mais do que desnecessárias, “são dinamites em pilares do processo eleitoral”.

    :: 25/06/2010
    Mudança de software coloca em risco segurança da urna eletrônica, adverte TSE
    O presidente do Tribunal, ministro Ricardo Lewandowski, enviou um ofício ao Senado informando que qualquer alteração no sistema implicaria mudanças em três software do sistema eletrônico: o de votação, o de totalização e o de divulgação.

    :: 11/11/2009
    MPF participa dos testes da urna eletrônica
    a Secretaria de Tecnologia da Informação do órgão apresentou uma proposta de trabalho para alterar o código original da urna, tentando fazer com que o voto do eleitor seja desviado para outro candidato. O objetivo é testar a segurança de parte do processo eletrônico. TSE faz teste até sexta-feira, 13.

    :: 09/11/2009
    Hackers não terão acesso à rede de dados do TSE
    Os testes começam nesta terça-feira, 10/11, nas urnas eletrônicas. Eles pretendem quebrar o sigilo do voto ou alterar os votos digitados por meio de interações com o software, com o hardware da urna eletrônica ou ainda por meio dos procedimentos eleitorais.

    :: 27/10/2009
    TSE seleciona 32 ‘hackers’ para testar urnas eletrônicas
    Segundo informou o tribunal, serão realizados dez tipos diferentes de testes que tentarão quebrar o sigilo do voto ou alterar os votos digitados. Propostos pelos inscritos, os exames vão durar de uma hora a até quatro dias de trabalho e serão realizados de 10 a 13 de novembro, na sede do Tribunal, em Brasília.

    :: 11/09/2009
    TSE vai permitir testes públicos na urna eletrônica
    Qualquer brasileiro pode se inscrever para ter acesso integral ao sistema eletrônico de votação, que além da urna inclui a geração e utilização das mídias que transferem informações entre tribunais e sessões eleitorais, a preparação da urna e o sistema de transmissão de dados para a totalização dos votos. Os testes serão de 10 a 13 de novembro, na sede do TSE, em Brasília.

    :: 15/06/2009
    RJ inicia cadastramento biométrico de eleitores
    O Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro (TRE/RJ) iniciou o cadastramento biométrico dos eleitores fluminenses, arquivando as impressões digitais dos 20.124 eleitores do município de Armação dos Búzios, na Região dos Lagos. Inicialmente, o custo de cadastramento biométrico por eleitor está orçado em US$ 3,50.

    :: 10/09/2008
    TRE/RJ proíbe uso de celulares nas cabines eleitorais
    O presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, Roberto Wider, proibiu o uso de celulares, câmaras fotográficas e de vídeo ou qualquer outro tipo de aparelho que capture imagens nas cabines eleitorais. Objetivo da proibição é impedir que grupos de criminosos possam vir a usar a tecnologia para coagir eleitores. Medida poderá ser usada em outros estados.

    :: 03/09/2008
    Abin responde pela criptografia usada nas urnas eletrônicas
    O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Jorge Armando Félix, informou que a participação da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e do Centro de Pesquisa para a Segurança das Comunicações no processo eleitoral brasileiro são restritas à colocação da criptografia em um módulo da urna eletrônico. A confiabilidade das urnas eletrônicas, em tempos de “grampolândia”, foi posta em dúvida por parlamentares.

    (http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=29450&sid=11#.VDrqI6i8BIb)
    (http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=advsearch)
    .
    .

Gerson Carneiro

11/10/2014 - 22h27

Segundo o IBOPE e o DataFolha eu vou votar no Aécio (só não me consultaram).

Responder

    FrancoAtirador

    11/10/2014 - 22h55

    .
    .
    Também Conforme os Prostitutos de Pesquisas Globope e DataFrias

    Eu Nem Preciso ir Votar, dia 26, porque AérioNéco já está Eleito.
    .
    .

    Manu

    13/10/2014 - 23h16

    Sou mesário há vários anos, a eleição este ano estava tão bagunçada, que a Presidente não foi, deu 8:40 hs comuniquei ao responsável, ele disse que iria ligar para presidente, nesta mesma sala estava a urna, então peguei a mesma e levei para sala para instalar, pois estava próximo ao horário de começar a eleição. Não me pediram identificação nada. Qualquer pessoa tem acesso a urna, este é o grande problema…

    Narr

    12/10/2014 - 20h32

    Aécio ganhou. Então, quem votou na Marina já pode votar nulo.

Deixe uma resposta