VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas

Greenwald denuncia: Datafolha omite perguntas e produz pesquisa para beneficiar Michel Temer

20 de julho de 2016 às 10h28

Captura de Tela 2016-07-20 às 13.40.34

Folha comete fraude jornalística com pesquisa manipulada visando alavancar Temer

Glenn Greenwald e Erick Dau, no Intercept, July 20 2016, 7:12 a.m.

Um dos mistérios mais obscuros da crise política que atingiu o país nos últimos meses (conforme relatado inúmeras vezes pela Intercept ) tem sido a ausência completa de pesquisas de opinião nos grandes meios de comunicação e órgãos de pesquisa do país.

Há mais de três meses, no dia 17 de abril, a Câmara dos Deputados votou em favor de enviar ao Senado Federal o pedido de impeachment da presidente democraticamente eleita, Dilma Rousseff, resultando na investidura temporária de seu vice-presidente, Michel Temer, como “presidente interino”.

Desde a posse de Temer, o Datafolha – instituto de pesquisa utilizado pelo maior jornal do país, Folha de São Paulo – não havia publicado pesquisas de opinião sobre o impeachment da presidente, nem sobre o impeachment de Temer, e nem mesmo sobre a realização de novas eleições para presidente.

A última pesquisa do instituto antes da votação do impeachment foi realizada em 9 de abril e apontava que 60% da população apoiava o impeachment de Dilma, enquanto 58% era favorável ao impeachment de Temer.

Além disso, a sondagem indicou que 60% dos entrevistados desejavam a renúncia de Temer após o impeachment de Dilma, e 79% defendiam novas eleições após a saída de ambos.

A última pesquisa de outra grande empresa do setor, o Ibope, foi publicada em 25 de abril, e concluiu que 62% desejavam que Dilma e Temer saíssem e que novas eleições fossem realizadas; 25% queriam a permanência de Dilma e a conclusão de seu mandato; e apenas 8% eram favoráveis a situação atual: com suspensão de Dilma e Temer como presidente interino.

Essa pesquisa, mesmo sendo negativa para Temer, foi realizada há algum tempo, em abril deste ano.

De forma surpreendente, mesmo três meses depois da entrada de Temer, a poucas semanas da votação final do impeachment de Dilma no Senado e com toda a atenção do mundo voltada para o Brasil por conta das Olimpíadas, nenhuma pesquisa havia sido publicada até o último final de semana.

No sábado, a Folha de São Paulo anunciou uma nova pesquisa realizada pelo Datafolha que se demonstrou, ao mesmo tempo, surpreendente e positiva para o presidente interino, Michel Temer, além de apresentar uma grande variação com relação a pesquisas anteriores.

A manchete principal impressa pela Folha, que rapidamente se alastrou pelo país como era de se esperar, dizia que metade do país deseja que Temer permaneça como presidente até o fim do mandato que seria de Dilma no final de 2018.

A iminência da votação final do impeachment torna esse resultado (50% dos brasileiros desejam que Temer conclua o mandato de Dilma) extremamente significativo.

Igualmente importante foi a afirmação da Folha de que apenas 4% disseram não querer nenhum dos dois presidentes, e somente 3% desejam a realização de novas eleições. O artigo on-line de destaque no sábado:

data folhapoll-540x475

O jornal também estampou o resultado na primeira página da edição impressa de domingo, a edição de jornal mais lida do país:

data 1 folhacov-1000x534

Esse resultado não foi apenas surpreendente por conta da ampla hostilidade com relação a Temer revelada pelas pesquisas anteriores, mas também porque simplesmente não faz sentido.

Para começar, outras perguntas foram colocadas aos eleitores pelo Datafolha sobre quem prefeririam que se tornasse presidente em 2018 e os resultados apontaram que apenas 5% escolheriam Temer, enquanto o líder da pesquisa, o ex-presidente Lula, obteve entre 21% e 23% das intenções de voto, seguido por Marina Silva, com 18%.

Apenas 14% aprovam o governo de Temer, enquanto 31% o consideram ruim/péssimo e 41%, regular.

Além disso, um terço dos eleitores não sabe o nome do Presidente Temer.

E, conforme observou um site de esquerda ao denunciar a recente manchete sobre a pesquisa da Folha como uma “fraude estatística”, é simplesmente inconcebível que a porcentagem de brasileiros favoráveis às novas eleições tenha caído de 60%, em abril, para apenas 3% agora, enquanto a porcentagem da população que deseja a permanência de Temer na Presidência da República tenha disparado de 8% para 50%.

Considerando todos esses dados, fica extremamente difícil compreender como a manchete principal da Folha – 50% dos entrevistados querem que Temer continue como presidente até o fim do mandato de Dilma – possa corresponder à realidade.

Ela contradiz todos os dados conhecidos. A Folha é o maior jornal do país e o Datafolha é uma empresa de pesquisa de credibilidade considerável.

Ambos foram categóricos em sua manchete e gráfico principal a respeito do resultado da pesquisa.

Curiosamente, a Folha não publicou no artigo as perguntas realizadas, nem os dados de suporte, impossibilitando a verificação dos fatos que sustentam as afirmações do jornal.

Como resultado disso, a manchete – que sugere que metade da população deseja a permanência de Temer na Presidência até 2018 – foi reproduzida por grande parte dos veículos de comunicação do país e rapidamente passou a ser considerada uma verdade indiscutível: como um fato decisivo, com potencial para selar o destino de Dilma.

Afinal, se literalmente 50% do país deseja que Temer permaneça na Presidência até 2018, é difícil acreditar que Senadores indecisos contrariem a vontade de metade da população.

Mas ontem, os dados completos e as perguntas complementares foram divulgados.

Tornou-se evidente que, seja por desonestidade ou incompetência extrema, a Folha cometeu uma fraude jornalística.

Apenas 3% dos entrevistados disseram que desejavam a realização de novas eleições, e apenas 4% disseram que não queriam nem Temer nem Dilma como presidentes, porque nenhuma dessas opções de resposta encontrava-se disponível na pesquisa.

data 2datafolha1-540x139

Conforme observado pelo jornalista Alex Cuadros hoje, a pergunta colocada deu aos entrevistados apenas duas opções de resposta: (1) Dilma retornar à Presidência ou (2) Temer continuar como presidente até 2018.

Portanto, fica evidente que os 50% de entrevistados não disseram que seria melhor para o país se Temer continuasse até o fim do mandato de Dilma em 2018: eles disseram apenas que essa seria a melhor opção se a única alternativa fosse o retorno de Dilma.

Além disso, simplesmente não procede alegar que apenas 3% dos entrevistados querem novas eleições, já que essa pergunta não foi feita. O que aconteceu foi que 3% dos entrevistados fizeram um esforço extra para responder dessa forma frente a opção binária entre “Dilma retorna” ou “Temer fica”.

É impossível determinar com base nessa pesquisa a porcentagem real de eleitores que desejam a permanência de Temer até 2018, novas eleições ou o retorno de Dilma. Ao limitar de forma infundada as respostas a apenas duas opções, a Folha gerou as amplas distorções observadas nos resultados.

É totalmente injustificável, por inúmeras razões, que a pergunta tenha sido colocada dessa maneira, excluindo todas as outras opções, com exceção das duas respostas disponíveis.

Primeiramente, o Supremo Tribunal Federal já havia decidido que a votação do impeachment de Temer deve prosseguir, visto que o interino cometeu o mesmo ato que Dilma.

Em segundo lugar, diversas figuras de destaque político no país – incluindo o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa e a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, bem como um editorial da própria Folha – se manifestaram em favor de novas eleições para presidente após o impeachment de Dilma.

Andréa Freitas, Professora de Ciência Política na Unicamp, disse à Intercept: “como as novas eleições são uma opção viável, deveriam ter sido incluídas como uma das opções”.

E como Cuadros observou, pesquisas anteriores sobre Dilma e Temer, incluindo a pesquisa de 9 de abril do Datafolha, perguntaram explicitamente aos entrevistados a respeito de novas eleições.

Portanto, é difícil entender por que essa pesquisa do Datafolha omitiria propositadamente o impeachment de Temer e as novas eleições, e limitar as opções a “Dilma volta” ou “Temer fica”.

Mas o argumento a respeito de limitar as possíveis respostas a apenas duas opções é simplesmente referente à metodologia da pesquisa. O que aconteceu foi muito mais grave.

Após ter decidido limitar as opções de resposta dessa forma, a Folha não pode enganar o país fingindo ter oferecido aos entrevistados todas as opções possíveis.

Com a omissão desse fato, a manchete e o gráfico principal do artigo da Folha se tornam enganosos e completamente falsos.

É simplesmente incorreto alegar (como fez o gráfico da Folha) que apenas 3% dos brasileiros acreditam que “novas eleições são o melhor para o país”, já que a pesquisa não colocou essa pergunta aos entrevistados. E ainda mais prejudicial: é completamente incorreto dizer que “50% dos brasileiros acreditam que a permanência de Temer seja melhor para o país” até o fim do mandato de Dilma.

Só é possível afirmar que 50% da população deseja a permanência de Temer se a única outra opção for o retorno de Dilma.

Mas se outras opções forem incluídas – impeachment de Temer, renúncia de Temer, novas eleições – é praticamente certo que a porcentagem de brasileiros que desejam a permanência de Temer até 2018 caia vertiginosamente.

Como observou a Professora Andréa Freitas: “pode ser que 50% da população prefira Temer a Dilma se essas forem as únicas opções, mas parte desses 50% pode ser favorável a novas eleições. Com a ausência dessa opção, não há como estabelecer que essas pessoas prefiram o Temer”.

Isso não é trivial. Não se pode subestimar o impacto dessa pesquisa. É a única pesquisa de um instituto com credibilidade a ser publicada em meses.

Sua publicação se deu exatamente antes da votação final do impeachment no Senado. E contém a extraordinária alegação de que metade do país deseja que o Michel Temer permaneça na presidência até 2018: uma manchete tão sensacionalista quanto falsa.

Considere como os resultados dessa pesquisa foram reproduzidos de forma incansável – como era de se esperar – em manchetes de outros grandes veículos do país:

data 3 uol-540x423

No primeiro parágrafo: “Pesquisa do Instituto Datafolha realizada nos dias 14 e 15 aponta que 50% dos brasileiros preferem que o presidente interino Michel Temer continue no poder até 2018. A volta da presidente afastada Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto foi a opção de 32% dos entrevistados. Os 18% restantes não escolheram nenhum dos dois, disseram não saber ou que preferiam novas eleições”.

data 4 globo-540x427

Em entrevista à Intercept, Luciana Schong do Datafolha insistiu que foi a Folha, e não o instituto de pesquisa, quem estabeleceu as perguntas a serem colocadas.

Ela reconheceu o aspecto enganoso na afirmação de que 3% dos brasileiros querem novas eleições “já que essa pergunta não foi feita aos entrevistados”.

Luciana Schong também conta que qualquer análise desses dados que alegue que 50% dos brasileiros querem Temer como presidente seriam imprecisos, sem a informação de que as opções de resposta estavam limitadas a apenas duas.

No fim de abril, a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF) publicou seu ranking anual de liberdade de imprensa e o Brasil caiu para a 104ª posição, em parte devido à “propriedade dos meios de comunicação continuar concentrada nas mãos de famílias dominantes vinculadas à classe política”.

Mais especificamente, o grupo observou que “de forma pouco velada, a mídia nacional dominante encorajou o povo a ajudar a derrubar a Presidente Dilma Rousseff” e “os jornalistas que trabalham nesses grupos midiáticos estão evidentemente sujeitos à influência de interesses privados e partidários, e esses conflitos de interesse permanentes são obviamente prejudiciais à qualidade do jornalismo produzido”.

data 5 rsf-1024x607

Uma coisa é a mídia plutocrática brasileira incentivar e incitar abertamente a queda de um governo democraticamente eleito.

De acordo com a RSF, esse comportamento representa uma ameaça direta à democracia e à liberdade de imprensa.

Mas é muito diferente testemunhar a fabricação de manchetes e narrativas falsas insinuando que uma grande parte do país apoia o indivíduo que tomou o poder de forma antidemocrática, quando isso não é verdade.

Leia também:

Governo Temer amordaça professores e ataca a autonomia universitária, como na ditadura 

 

38 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Elias

21/07/2016 - 12h48

A Folha é cabeça de papel
O Jornal Nacional é cabeça de TV
Essas duas cabeças fazem a cabeça de “muita gente”
E quando essa “muita gente” gente acorda o golpe já foi dado
Ainda é tempo de reverter essa TRAIÇÃO
Todos às ruas gritando FORA TEMER!

Responder

FrancoAtirador

21/07/2016 - 08h45

.
.
“O Catadão da Folha e o Meu Remorso”
.
Por Letícia Sallorenzo*, a Jornalista que intuiu a Fraude da Folha
e a Primeira a Apontar a Omissão das Perguntas pelo DataFolha.
.
http://www.objetivandodisponibilizar.com.br/o-catadao-da-folha-e-o-meu-remorso
.
*Letícia Sallorenzo é menos conhecida
que seu antológico personagem
“A Madrasta do Texto Ruim”,
com que desanca(va)
o impropriamente escrito
pela vasta fauna jornalística.
.
http://www.objetivandodisponibilizar.com.br
http://jornalggn.com.br/autor/a-madrasta-do-texto-ruim
http://www.tijolaco.com.br/blog/joga-o-lula-na-moldura-de-corrupto-nao-colou-joga-mais-mais-mais-por-leticia-sallorenzo
http://www.tijolaco.com.br/blog/folha-greenwald-e-o-acaso-que-fez-o-tijolaco-desmontar-farsa
.
.

Responder

Serjão

20/07/2016 - 23h03

Vergonha de ter sido assinante desse pasquim. De qualquer maneira, a mim não perguntaram nada. Por falar nisso, se respondi a duas pesquisas a minha vida toda foi muito. As pesquisas, quaisquer que sejam, só confirmam a tese de quem as financia.

Responder

rita

20/07/2016 - 21h02

é a pesquisa sem partido
leia a fellha e fique maluco beleza!

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 19h55

.
.
Fraude do DataFolha
.
Tijolaço Matou a Charada

Folha Deliberadamente Ocultou
Algumas Perguntas da Pesquisa
e as Respectivas Respostas.

P.14 Sem Têmer e Sem Dilma:

62% Querem Novas Eleições
30% Não Admitem a Hipótese
8% Indiferentes/Não Opinaram

https://pbs.twimg.com/media/Cn10-zUXYAA-TSK.jpg

http://tijola.co/8ieav
https://twitter.com/tijolaco/status/755888937021890560

http://www.tijolaco.com.br/blog/o-datafolha-escondeu-e-o-tijolaco-achou-pesquisa-62-querem-novas-eleicoes
.
.

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 17h28

.
.
E tem Mais Fraude do Grupo Folha

Questionário do DataFrias Vinculou, de Má-Fé,
o Impíxi da Presidente da República no Senado
à Corrupção Derivada da Operação Lava-Jato.

https://t.co/0piHAN1xSU
https://twitter.com/JornalGGN/status/755849745172541441

http://jornalggn.com.br/noticia/datafolha-usou-lava-jato-nao-as-pedaladas-para-saber-se-dilma-merecia-impeachment
.
.

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 17h01

.
.
“Golpe está Permitindo ao Mundo Conhecer o PIG.
Por isso a Surpresa de um Norte-Americano
com Fraude em Pesquisa DataFolha”

https://t.co/cTMGYnuvpM
https://twitter.com/eduguim/status/755853079552098304
.
.

Responder

Messias Franca de Macedo

20/07/2016 - 15h48

A sentença do Tribunal Internacional Pela Democracia no Brasil – AO VIVO
https://www.youtube.com/watch?v=M6RMpy0owI8

Responder

Alfredo Rangel

20/07/2016 - 15h41

Essa folha de s.paulo, grafada com letras minúsculas, não é o jornal que conheci no passado. Isto prova que tem gente e tem jornais que não tem um mínimo de dignidade e vergonha na cara.

Responder

Urbano

20/07/2016 - 14h47

O hino da república ‘um banho em ali’ terá como escolha o ‘se gritar pega’… Também pudera! É o que se pode dizer ‘nunca dantes em quinhentos e dezesseis anos’…

Responder

Urbano

20/07/2016 - 14h38

Os sombreiros de mágicos do pig usam sempre luvas de pelica para tratar os seus iguais e do mesmo saco…

Responder

    Urbano

    20/07/2016 - 14h40

    … para tratarem…

FrancoAtirador

20/07/2016 - 14h17

.
.
Globétes acham que são Hillary/Obama

mas na Realidade são Trump/McCarthy

https://twitter.com/palmeriodoria
.
.

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 14h11

.
.
MiShell Jaburu Embaixo do Rabo do Cão

https://twitter.com/mariana_godoy/status/755802657185468416
.
.

Responder

Bacellar

20/07/2016 - 14h01

Para que urnas se temos o datafolha não? Para que ritos jurídicos se povo “escolheu” Temer?

Perdi totalmente a confiança nessas pesquisas de forma empírica. Em 2010 respondi uma e testemunhei a manipulação nada sútil a qual os entrevistados são expostos. Recentemente presenciei um pesquisador escolhendo a dedo quem entrevistar numa manifestação; vi com meus olhos o rapaz entrevistar pessoas que estavam no ponto de ônibus da via interditada (obviamente irritadas por esperar mais a condução).

Esse tipo de fraude e manipulação não surpreende em nada e a esquerda tem de perder o hábito de comemorar quando saem resultados “favoráveis” nessas pataquadas do datafolha e do ibope…

Responder

Messias Franca de Macedo

20/07/2016 - 13h59

Midiática e mediúnica – Vidente da Globo faz golpistas anteciparem defesas

Por *Bajonas Teixeira
20 de julho de 2016

(…)

*Bajonas Teixeira de Brito Júnior – doutor em filosofia, UFRJ, autor dos livros Lógica do disparate, Método e delírio e Lógica dos fantasmas, e professor do departamento de comunicação social da UFES.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.ocafezinho.com/2016/07/20/midiatica-e-mediunica-vidente-da-globo-faz-golpistas-anteciparem-defesas/

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 13h17

.
.
Drogaria UOL/Folha
https://youtu.be/sVMtPkRNLec
.
Novo Fosfosol para Desmemoriados

Cápsulas de DataFrias Marca MiShell

https://youtu.be/Q4Kwz4JOaaQ
fosfosol.com.br/wp-content/uploads/2013/08/fosfosol8.jpg
.
Aproveite a Promoção e Leve Também

Biotônico Ari Fontoura Plim Plim

Para Políticos com Baixo Nível de Caráter
e Crescimento Retardado de Popularidade

https://youtu.be/kUaeGiyr59o?t=580
https://youtu.be/tHlmLcBy5OI
.
https://www.youtube.com/results?search_query=Propagandas+Comerciais+Antigas
.

Responder

Henrique

20/07/2016 - 13h07

A Ditabranda, ops foia, ops, folha é um jornal ou um panfleto subordinado a golpistas?
A Ditabranda, ops, folha, está se tornando um papel higiênico.
As diferenças, na Ditabranda, são cada vez mais respeitadas por uma minoria.
A crítica da Ditabranda: é unilateral.
O independente da Ditabranda: – só para pouquíssimos.
A Ditabranda apartidária: – só se foi na ditadura, ops, Ditabranda.
A Ditabranda é pluralista – só se for na distribuição dos exemplares.

Responder

Messias Franca de Macedo

20/07/2016 - 12h33

Tribunal Internacional Pela Democracia no Brasil – AO VIVO
20/07/2016
O veredicto da Corte
https://www.youtube.com/watch?v=M6RMpy0owI8

Responder

    lulipe

    20/07/2016 - 17h35

    Eita, Messias, agora Dilmá volta!!!

FrancoAtirador

20/07/2016 - 11h22

.
.
Confissão Explícita: jornalggn.com.br/sites/default/files/admin/fraude.jpg

Em entrevista à Intercept, Luciana Schong do Datafolha

insistiu que foi a Folha, e não o instituto de pesquisa,

quem estabeleceu as perguntas a serem colocadas.

Ela reconheceu o aspecto enganoso na afirmação
de que 3% dos brasileiros querem novas eleições
“já que essa pergunta não foi feita aos entrevistados”.

Luciana Schong também conta que qualquer análise desses dados
que alegue que 50% dos brasileiros querem Temer como presidente
seriam imprecisos, sem a informação de que as opções de resposta
estavam limitadas a apenas duas.
.
http://www.debateprogressista.com.br/gerente-do-datafolha-confirma-que-pesquisa-que-favorece-temer-e-enganosa
.
http://jornalggn.com.br/noticia/datafolha-admite-manipulacao-em-pesquisa-que-favoreceu-temer
.
http://clickpolitica.com.br/brasil/desmentindo-datafolha-reconhece-que-favoreceu-temer-em-pesquisa-de-opiniao-confira
.
http://www.sganoticias.com.br/2016/07/imprensa-brasileira-representa-uma.html
.
.

Responder

Messias Franca de Macedo

20/07/2016 - 11h20

A que ponto chega a criminalidade desavergonhada do INFAME conluio nazigolpista/PIMG…

$$$$$$$$$$$$$$

Governo enviará ao congresso até o final do ano três propostas [*de reforma] trabalhistas
[*a expressão ‘de reforma’ foi um acréscimo nosso!
‘Capiche’ a malandragem da máfia?!]

20/07/2016

(…)

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE [IMUNDA!]: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/07/1793537-governo-enviara-ao-congresso-ate-final-do-ano-tres-propostas-trabalhistas.shtml

EM TEMPO:
até o final do ano são as putas que pariram estes meliantes!
Perdão às dignas, honradas, limpas e saudáveis meretrizes, incapazes que são de gerar canalhas tão abjetos e asquerosos!
Perdão aos vermes asquerosos!
Solitária em presídio de segurança máxima ainda é pouco para estes sacripantas IMUNDOS &$ (A)morais!…

PIMG (Partido da Imprensa Mafiosa &$ Golpista)

Responder

FrancoAtirador

20/07/2016 - 11h05

.
.
Why do only 3% of Brazilians now say they want elections?
Because pollsters didn’t specifically ask them this time

The question is: Was @folha just inept,
or did it willfully present the data in a misleading way?
(I’m a generous soul, going with inept)

https://twitter.com/alexcuadros/status/755425857435500544
.
.

Responder

Nelson

20/07/2016 - 10h59

O descaramento, que abre espaço para que a hipocrisia e o cinismo abundem, só faz aumentar.

Eles distorcem e omitem e informações, quando não mentem, pura e simplesmente, e tornam a distorcer e a omitir e a mentir, repetida e insistentemente, e não esboçam o mais mínimo escrúpulo.

Realmente, a cada dia que passa a podridão dos que querem o poder para si eternamente escala cumes nunca imagináveis. Coisas tão inacreditáveis que, muito provavelmente, se formos contar o que está a acontecer no Brasil para alguns estrangeiros, eles tenderão a nos chamar de inventores de estórias, de contadores de causos ou coisa que o valha ou até mesmo de mentirosos.

Responder

Deixe uma resposta