VIOMUNDO

Geraldo Elísio: “Forjando provas mediante intimidação”

07 de fevereiro de 2014 às 10h26

Acuso frontalmente o senador Aécio Neves e sua irmã…

do site do Minas Sem Censura, sugerido pelo Rodrigo Carvalho

O Bloco Minas Sem Censura entrevistou Geraldo Elísio Machado Lopes, que tem 54 anos de jornalismo, e foi vítima de ação de busca e apreensão em sua residência, na sexta-feira, 31 de janeiro. Ex-colaborador doNovo Jornal, do qual já se afastara há sete meses para cuidar da publicação de livros de sua autoria, Elísio foi novamente convocado para o front das lutas pela liberdade. E acusa abertamente Aécio e Andréa Neves de estarem por trás dos atos de perseguição aoNovo Jornal. Língua afiada, Geraldo Elísio faz, ao final de sua entrevista um desafio aos Neves. Leiam.

MSC – Quem é você profissionalmente?

Geraldo Elísio – Um jornalista com 54 anos de atuação em todas as áreas das diversas mídias existentes, com orgulho de nunca ter sido desmentido e uma carga de luta a favor da redemocratização do Brasil pós o golpe civil militar de 64.

E um Prêmio Esso Regional de Jornalismo, em 1977, do qual me orgulho mais ainda, não por vaidade, mas pelo sentido da causa: a luta a favor dos direitos humanos denunciando as torturas praticadas contra o operário Jorge Defensor Vieira, quando ainda existia o famigerado AI-5. Inúmeras coberturas políticas e algumas internacionais. Também artista multimidia.

MSC – O que aconteceu em sua residência na última sexta-feira 31 de janeiro de 2014?

Geraldo Elísio – Por volta das 15 horas o interfone do apartamento tocou, uma voz masculina perguntou por mim, me identifiquei e fui solicitado a comparecer ao portão. Assim o fiz e atendi a um delegado do Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri) e mais três policiais que o acompanhavam com uma autorização judicial de busca e apreensão, com a qual levaram meu netbook, pendrive, cds e cadernetas de telefone.

Não cito os nomes porque não deixaram sequer o número do documento portado por eles e nem uma cópia do que foi arrestado, inclusive isto me soa estranho, pois no site do Tribunal de Justiça nada consta. Sei que existe o nome de alguém do Ministério Público e de algum juiz, mas como nada deixaram não posso dizer nomes. Na ditadura civil militar vi residências violadas na marra, mas com ordem judicial (será mesmo?) creio ser pioneiro.

MSC – A quem você atribui tudo isto?

Geraldo Elísio – Acuso frontalmente o senador Aécio Neves e sua irmã Andréa Neves, no ímpeto de destruir as provas de denúncias formuladas pelo site Novojornal. Principalmente as que se referem a denúncias de desvio de dinheiro público e a acusação de que Aécio é dito usuário incurável de cocaína. Porque saber que eu trabalhei no jornal virtual é público e notório.

Foram quase seis anos com editoriais assinados, em todos oferecendo espontaneamente o direito de resposta a todas as pessoas físicas e jurídicas citadas em meus textos. E tenho convicção de estarem querendo desqualificar os documentos que comprovam o Mensalão Tucano Mineiro e a Lista de Furnas. Quanto à Lista de Furnas por que o senhor Dimas Fabiano Toledo a registrou em cartório?

A Lista de Furnas teve uma cópia xerox que foi periciada nos Estados Unidos e o perito que a declarou falsa já tinha sido preso por perjúrio. Além do mais a Polícia Federal já atestou que ela é verdadeira. Porém, Andréa Neves se julga um gênio da comunicação e como não é, troca os pés pelas mãos.

Tenho igualmente certeza de que a dupla formada pelos netos do doutor Tancredo Neves, autor da frase “O primeiro compromisso de Minas é com a liberdade” quer incriminar os deputados Rogério Correia e Sávio de Souza Cruz. Estão desesperamente tentando encontrar ou até forjar provas mediante intimidação.

Nasci no Grande Sertão Veredas e sei que “viver é muito perigoso.” Não temo, não me intimido e se algo me acontecer nem é preciso dizer de quem é a culpa, obviamente ressalvadas as causas naturais. Se morrer, baixo o meu espírito em médiuns especializados em psicografia e continuarei a denunciar as tramoias dos Neves ou quaisquer outras.

MSC – E o que você pretende agora?

Geraldo Elísio – Eu já tinha decidido me afastar de enfrentamentos políticos, mas recebi um convite para uma briga boa. Estou no ringue. Claro, tenho os meus defeitos mas não preciso me envergonhar deles. Se ser pobre não é motivo de orgulho também não o é para vergonha. Vou oferecer a quebra de todos os meus sigilos, fiscal, bancário e telefônico às autoridades competentes e espero que Aécio e Andréa Neves façam o mesmo, pois ao contrário deles respeito o princípio jurídico de que até prova em contrário todos são inocentes e creio terem eles condições de tomarem a mesma atitude que eu. Irei ou enviarei correspondência a todos os órgãos ligados aos Direitos Humanos, inclusive à ONU denunciando o Estado de Exceção em Minas Gerais. E como no meu netbook existem os textos de três livros inéditos denuncio a minha condição de perseguido político sujeito à censura prévia de minhas obras. E a luta segue em frente.

Leia também:

Preso diz que oferta de delação em MG buscava comprometer petista

Pochmann: 2014 pode ter última eleição com “candidaturas populares”

 

12 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

David Avelar

03/03/2014 - 17h35

Estamos vivendo um regime de exceção, como cita Geraldo Elísio, não somente no Estado de Minas, mas em todos o Brasil. A grande imprensa está vendida em troca de pagamentos de dividas pelo BNDES. E o que mais preocupa. Não temos partidos de oposição com força suficiente para encerrar esta década de mentiras, de um partido em que depositamos todas as esperanças. Nunca votei ou votaria no PT, mas pelo menos achávamos que era um partido com ideologia e personalidade própria. Agora vemos que é um filho do que pior há nas ideologias de antanho, que estão contaminando a América Latina. Corremos o risco de virar uma Venezuela, uma Bolívia e até mesmo uma Argentina. O que dá medo é que hoje temos a certeza que os três poderes estão corrompidos.

Responder

Marat

07/02/2014 - 22h03

PSDB é uma máfia, que docemente mantém a impren$$$a quietinha e o STF no seu sacrossanto direito de somente julgar quem lhes convêm!

Responder

renato

07/02/2014 - 20h30

Grande cara este!!!
Merece toda a atenção do povo brasileiro.
Toda a atenção.
E que abrilhante sua luta contra os poderosos.

Responder

Luís Carlos

07/02/2014 - 17h37

Aécio e irmã, escória da política nacional.

Responder

Luiz

07/02/2014 - 16h51

“Se morrer, baixo o meu espírito em médiuns especializados em psicografia e continuarei a denunciar as tramoias dos Neves ou quaisquer outras.” Genial!

Responder

abolicionista

07/02/2014 - 14h53

Acho que não veremos muitos trolls de direita por aqui…

Responder

Nícia

07/02/2014 - 13h54

Eita cabra macho, sô! Precisamos de mais brasileiros corajosos como este!
Qual será o próximo passo (sempre em falso, sempre cambaleante)do “Ah, é sim”?

Responder

Fernando

07/02/2014 - 13h50

PSDB vai sentar no colo do capeta!

Responder

Roberto Locatelli

07/02/2014 - 12h33

Esta é nossa valorosa oposição…

Responder

Regina Fe

07/02/2014 - 12h30

Do jeito que as coisas estão acontecendo, quem tem a coragem para enfrentar os poderosos precisa se precaver cada vez mais. Manter cópia dos arquivos e documentos em local seguro e longe da residência e do trabalho, preferencialmente com alguém de muita confiança. Ter o telefone de um bom advogado que possa ser chamado em caso de emergência, para acompanhar essas visitas estranhas. Manter os arquivos em vários pen drive guardados em local seguro (um cofre de banco, por exemplo, ainda que implique em custo) e deixar a chave em local secreto. Manter os nomes dos contatos em local seguro. E ainda ter muito estômago e sangue frio para aguentar toda essa canalhice que vem assolando a democracia brasileira.

Responder

    Apavorado com a cara-de-pau humana.

    07/02/2014 - 15h46

    E não descer ao portão sem uma testemunha que possa fotografar os cabras.

SILOÉ-RJ

07/02/2014 - 11h00

CORRENDO SÉRIOS RISCOS.

Responder

Deixe uma resposta