VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Eduardo Vasco: Globo usa série sobre idosos para fazer propaganda da reforma que tira direitos dos idosos

10 de janeiro de 2017 às 12h59

Captura de Tela 2017-01-10 às 12.57.58

Globo utiliza série sobre idosos para fazer propaganda pela reforma da previdência

Eduardo Vasco, no Causa Operária

O monopólio Globo tem um histórico invejável de ataques aos direitos dos trabalhadores, desde as capas de jornais contra o 13º salário até as campanhas atuais pela PEC 55, reforma trabalhista e da previdência, passando pela propaganda de golpes de estado e perseguição a políticos de esquerda.

Essa manipulação e distorção dos fatos para enganar a população muitas vezes é feita de forma escancarada, e em outras é encoberta.

Esse é o caso da propaganda a favor da reforma da previdência, que o governo golpista busca implementar para fazer com que os trabalhadores só se aposentem até pouco antes de morrer.

O Jornal Nacional desta semana está com uma série de reportagens especiais sobre os idosos, como podem cuidar da saúde na velhice e viver melhor.

Curiosamente, segundo a reportagem desta quarta-feira (4), uma das maneiras de viver melhor para os idosos é trabalhando para um patrão até o fim da vida, e não utilizando seus últimos anos de vida para o lazer.

Os entrevistados da reportagem são idosos que gostam de trabalhar.

Um especialista afirma que um dos motivos de pessoas com idade para se aposentar continuarem trabalhando é a baixa renda dos trabalhadores.

O dinheiro da aposentadoria também é muito pouco.

A solução, para a Globo, é muito simples: que continuem a trabalhar, ora!

Aumentar o salário e a aposentadoria, isso nem passa pela cabeça dos patrões, obviamente.

Mas o pior vem a seguir: “É pouco dinheiro para quem recebe, mas é muito para quem paga”, diz o repórter, com ênfase no muito.

Exatamente a mesma lábia dos patrões, não?

E o argumento é aquele mesmo do governo golpista: a expectativa de vida está aumentando, a cada ano mais gente recebe aposentadoria mas menos gente contribui etc, etc, etc.

Aí vem um economista burguês dizer que a reforma da previdência é urgente!

Hélio Zylberstajn, professor da USP, é o entrevistado. Ele já deu declarações em outras reportagens da Globo a favor da reforma previdenciária, é aquele típico entrevistado de fachada que serve só para os jornais dizerem que são imparciais e estão apenas consultando a opinião de um especialista.

Tem mais. Outro “especialista” vem com um discurso ridículo, pra avacalhar de vez: desesperados para manipular a opinião da audiência, o argumento é o de que os idosos têm que trabalhar mais tempo porque sua simples presença deixa mais agradável o ambiente de trabalho e assim ele funciona melhor!

O trabalhador idoso, segundo a esdrúxula explanação do “especialista”, tem mais jogo de cintura pra conversar com seus colegas e com o chefe.

Ainda segundo a reportagem/propaganda, uma aposentadoria “precoce” (que foi um direito conquistado por anos de luta dos trabalhadores) acaba desperdiçando a experiência que o aposentado adquiriu ao longo da vida.

Então se for assim, para que a experiência do trabalhador não seja desperdiçada, ele deveria trabalhar até o último suspiro, porque quanto mais velho maior sua experiência.

O ato final da comédia midiática do Jornal Nacional é citar o exemplo do Japão: idosos com mais de 70 anos se “divertem” trabalhando.

O governo incentiva os idosos a trabalharem (ou obriga, como os golpistas daqui querem fazer?).

O Japão, que tem um dos sistemas de trabalho mais brutais e exploratórios do mundo, onde o trabalho é tão opressor que as pessoas enloquecem ou se suicidam para se livrar do excesso de exploração.

Segundo o governo japonês, mais de 2 mil trabalhadores se suicidam todos os anos por estresse relacionado ao excesso de trabalho (BBC, 29/12/16).

Isso sem contar as mortes por problemas de saúde resultantes do trabalho excessivo. “Karoshi” é o termo utilizado para designar esse tipo de suicídio, de tão comum que se tornou a prática.

A Globo, comandada pela família mais rica da história recente do Brasil, sonegadora de impostos e benefeciária de grande fatia de dinheiro público por investimento do governo, utiliza mais uma vez seu monopólio para fazer campanha de ataques aos direitos da classe operária, como é o direito à aposentadoria.

Seguindo os interesses da sua própria classe burguesa, ela quer que o trabalhador produza a riqueza para encher os bolsos do patrão até que morra por morte natural aos 80 anos, ou então até que morra enquanto trabalha em condições miseráveis aos 75, sendo superexplorado e dando lucros para o patrão e sem receber qualquer migalha de aposentadoria.

Leia também:

Wadih Damous: Temer e Moraes fazem espuma sobre crise prisional

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

11 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Viviane

11/01/2017 - 18h16

Zylberstajn… Por acaso não é o sobrenome de um genro de FHC? Ou estou enganada?

Responder

RONALD

10/01/2017 - 22h01

O Povo tem que parar de ver a golpista globolóide. Como dizia muito bem o saudoso Bob Marley: Eu não preciso ler jornais( mídia em geral), pois sei mentir sozinho.

Ver a globolóide é alimentar o câncer que irá nos matar…

A minha parte de sangue já parei de dar a este câncer há muito tempo !!!! leia o Viomundo e os canais de notícias alternativas que será bem informado e não cairá em armadilhas da mídia corporativa podre e degenerada.

Responder

Messias Franca de Macedo

10/01/2017 - 22h00

Um texto que ajudou-me a sair um pouco da depressão!
Ainda há esperança?

***

Economista Luiz Gonzaga Belluzzo: Moro é o sábio idiota

publicado 10/01/2017

O Conversa Afiada reproduz entrevista concedida pelo economista Luiz Gonzaga Belluzzo à Rede Brasil Atual

(…)
Um exemplo para ilustrar a cor cinzenta do horizonte hoje é a chamada “PEC do Fim do Mundo”, que congela gastos públicos em áreas vitais como saúde e educação. “É uma insensatez. Qualquer pessoa com inteligência acima de dois neurônios se dá conta de que isso é um desastre. É coisa de hospício.”
Os episódios recentes nos presídios brasileiros para dizer, citando o filósofo italiano Norberto Bobbio (autor de Teoria Geral da Política), que se pode avaliar “o grau de civilidade de uma sociedade pela forma como trata as crianças, os velhos e os prisioneiros”. “Quanto mais selvagem e mais bárbara a sociedade, pior o tratamento que dá a essas categorias de pessoas”.
(…)
Acho que o Sérgio Moro, por exemplo, nem sabe o que está fazendo. Isso é o pior nessa sociedade em que nós vivemos. Tanto ele (Moro) quanto os que deflagraram o ajuste não têm consciência exata do que estão fazendo. Há estudos agora sobre o caráter da informação, da língua, da linguística, dos falsos conceitos, o que tem a ver com a mídia brasileira, escancaradamente de quinta categoria.
O Moro é o que nos anos 1920 ainda se chamava idiot savant, uma expressão psiquiátrica, para falar do sábio idiota, aquele que só conhece a área dele e não consegue fazer uma relação entre a área dele e as demais. Então não acho que o Moro seja um conspirador. Ele está encharcado dessas convicções, foi ensinado assim, estudou lá, percebe-se claramente que não tem uma cultura mais ampla. Aliás, isso faz falta entre operadores de direito e de economia. A gente sempre precisa achar que a gente sabe menos do que acha que sabe
(…)
Há o atraso secular do Brasil, atraso social, moral e ideológico que vem lá do escravismo, e depois vem da desigualdade, e de todas as mazelas das quais esse país não se livrou. Isso tudo está cristalizado hoje em duas coisas: no mercado financeiro e na mídia de massas. Isso é que conforma o imaginário, a compreensão de muitos brasileiros entregues a isso sem nenhum poder de reação e nenhuma possibilidade de se informar alternativamente.
(…)
O que é assustador aqui é nosso atraso cultural, intelectual, sobretudo nas camadas dos que se consideram acima dos mais fracos e mais pobres. Seria bom que o Brasil tivesse uma elite, mas não tem. O Brasil tem ricos, mas não tem elite.
As camadas superiores não querem saber do Brasil. É como se estivéssemos voltando à época do pau-brasil, isso aqui virou um campo de caça. Como se viessem fazer uma coisa extrativista: tirar e ir morar em Miami. Não têm solidariedade com o outro. E isso é fundamental, foi o que cimentou a construção do Estado do bem estar, que hoje está começando a se dissolver também na Europa. Isso é que é terrível. O capitalismo não consegue mais se proteger dele mesmo.
(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: https://www.conversaafiada.com.br/brasil/belluzzo-moro-e-o-sabio-idiota

Responder

Flávio Luiz Sartori

10/01/2017 - 18h42

Amanha em Campinas

Manifestação contra o abusivo aumento nas passagens de ônibus para R$ 4,50 uma das mais caras do Brasil.

http://cartacampinas.com.br/2017/01/protesto-e-marcado-para-esta-quarta-feira-11-contra-aumento-da-passagem-em-campinas/

Se puderem enviar e mail ou como fazer contato, vamos estar fazendo cobertura da manifestação.

Flávio Luiz Sartori

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

10/01/2017 - 16h38

“É pouco dinheiro para quem recebe, mas é muito para quem paga”, diz o repórter, com ênfase no muito.

Como podemos interpretar essa frase? Isso veio de um trabalhador da Globo? Ou a Globo faz com seus funcionários o mesmo que faz com seus telespectadores? Ou seja: são midiotizados também? Mas o capitalismo funciona assim mesmo, o lucro é sempre “aquém da meta” e os salários pagos são “além do que querem pagar”. Ferro no povo.

Responder

Paulo Roberto

10/01/2017 - 16h38

E o patrão para economizar não quer colocar jovens para aprender junto com os veteranos, a tempo de assimilar experiência, antes que o ele aposente (ou morra, como querem agora). A própria empresa perde com o pouco treinamento dos novatos.

Responder

Homero Mattos Jr.

10/01/2017 - 14h26

a ‘mão invisível’ do Mercado…
pesada, livre e solta. à toda.
Crackolândia, Sp, SP?
não. LA, CA.
https://www.youtube.com/watch?v=E7HozzSGakA

Responder

Nelson

10/01/2017 - 13h58

Os órgãos da mídia hegemônica se utilizam de dinheiro do governo – portanto, pertencente ao povo – para mentir, mentir e mentir, para este próprio povo. E nós, que estamos pagando a conta, pouco ou nada fazemos. Nos limitamos a ficar sentados “no trono de um apartamento, com a boca escancarada cheia de dentes [nem tão cheia assim], esperando a morte chegar”

Responder

eduardo

10/01/2017 - 13h54

Embora ainda apareça gente “progressista” para depositar alguma coisa de culpa na Dilma e no PT, vale lembrar que os idosos fizeram em 2014 nada menos que 18 milhões de viagens consideradas de turismo.

Responder

Cunha

10/01/2017 - 13h16

Os desgraçados querem acabar com a aposentadoria especial dos trabalhadores do campo! Soube pelo guia que um cortador de cana em PE ganha R$3,00 por TONELADA cortada! Imaginem se chegariam na idade máxima! Impossível!
#FORATEMER
#FORAGOLPISTAS!

Responder

    Terceiro Mundo

    10/01/2017 - 14h27

    Sixteen tons what do you get? Another day older and deeper in debt….

Deixe uma resposta