VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Depois de destinar R$ 4,3 bi a acionistas, Alckmin quer aumentar preço da água
Denúncias

Depois de destinar R$ 4,3 bi a acionistas, Alckmin quer aumentar preço da água


26/02/2015 - 19h26

Foto: Assessoria de imprensa  do Governo do Estado de São Paulo

Foto: Assessoria de imprensa do Governo do Estado de São Paulo

26/02/2015 – CRISE HÍDRICA

ALCKMIN FAVORECE ACIONISTAS E PREPARA NOVO AUMENTO DA ÁGUA

Por Júlio Gardesani, no ABCD Maior

 Governador já estuda elevar novamente a tarifa, para alegria dos investidores e prejuízo da população

Após aumentar a conta de água, no final do ano passado, e aplicar multa aos consumidores, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) agora quer novo reajuste na tarifa, desta vez, acima da inflação. A notícia é mais um motivo de preocupação para a população, que já convive com a crise de abastecimento de água. No entanto, faz a alegria de um seleto grupo de pessoas: os sócios da Sabesp, que negociam as ações da empresa na Bolsa de Nova York. No final, quem vai pagar a conta dos “prejuízos” são os próprios paulistas. A majoração nas contas só pode ocorrer a partir de abril e ainda depende de liberação da Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo).

A pressão para o novo reajuste, que pode ser superior a 7% (valor da inflação oficial nos últimos 12 meses, medida pelo IPCA – Índice de Preços ao Consumidor Amplo), parte dos próprios acionistas. Isso porque, o que é bom para a população, não necessariamente é rentável para o mercado financeiro. Os descontos concedidos nas tarifas de água aplicados pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) em meados de 2014, associado à queda do consumo – já que poupar água é a única solução para crise -, diminuiriam a arrecadação da empresa, fazendo com que os investidores da bolsa ganhassem menos dinheiro.

Assim, desde que a notícia do novo aumento começou a ganhar força, as ações da Sabesp voltaram a subir na Bolsa de Nova York. Depois de confirmar à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) que “estuda” reajuste acima da inflação, na última segunda-feira (23/02), os papeis da empresa dispararam e os acionistas voltaram a lucrar. Nos últimos três dias, com a notícia do aumento, as ações subiram 5,4%.

O reajuste a ser aplicado pela Sabesp trouxe de volta o sorriso ao rosto de seus sócios, que, desde o final de junho, quando o governo começou a aplicar o bônus aos usuários que consumissem menos água, viram as ações da empresa despencar em 45% até os dias de hoje.

Em depoimento à Câmara de São Paulo, o presidente da Sabesp, Jerson Kelman, admitiu nesta quarta-feira (25/02) que o novo aumento acima da inflação se daria por conta dos descontos concedidos à população.

“Não interessa a ninguém uma Sabesp que esteja, sob o ponto de vista econômico e financeiro, desequilibrada. Se ficar desequilibrada ela não presta o serviço que precisa à população”, argumentou Kelman.

O último aumento da tarifa anunciado pelo governo do Estado ocorreu em novembro do ano passado, somente após a reeleição de Alckmin, quando o valor foi reajustado em 6,49%.

Sabesp, bolsa de valores e os interesses da população


A Sabesp abriu o capital da empresa ao mercado financeiro em 1994, com a desculpa de que, com isso, teria mais dinheiro para investir em obras. Atualmente, 50,3% de seu controle acionário se encontram nas mãos do Estado, enquanto 47,7% das ações são de propriedade de investidores brasileiros (25,5%) e estrangeiros (24,2%)

Embora o estatuto social da Sabesp determine que os acionistas podem receber 25% do lucro líquido anual da empresa, a concessionária entregou, em 2003, 60,5% do total aos cofres dos sócios.

Nos últimos dez anos, entre 2003 e 2013 (o balanço anual da empresa relativo a 2014 ainda não foi apresentado), dos R$ 13,1 bilhões que a Sabesp obteve de lucro com a cobrança de água da população, R$ 4,3 bilhões foram destinados aos acionistas, conforme relatório da Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores da Sabesp, apresentado em março de 2014.

Captura de Tela 2015-02-26 às 19.21.47

Leia também:

Sabesp gastou R$ 1,1 bi em redução de perdas, mas perdas de água aumentaram

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fabio SP

02 de março de 2015 às 08h39

Depois de dar 88 bi para os corruptos na Petrobrás, Dilma aumentou o diesel, a gasolina e o alcoól…

Responder

Almir

01 de março de 2015 às 20h04

Todo mundo concorda que a água é um elemento essencial à vida. Mas os neoliberais também consideram a água como uma mercadoria altamente lucrativa e vendável pras indústrias. Depois, é só botar a culpa em São Pedro, pra enganar os pobres de direita. No youtube tem vários canais tratando desse assunto – é só digitar “Cantareira”.

Responder

Sérgio

01 de março de 2015 às 16h40

A demonização dos dividendos e dos acionistas baseia-se em uma idéia torta, a de que os acionistas estão recebendo “de graça” os dividendos, esquecendo-se que os acionistas tiraram dinheiro do bolso para comprar ações da empresa – por isso são acionistas e não doadores de dinheiro.
Se não querem pagar dividendos aos acionistas é fácil, é só devolver o dinheiro que eles aplicaram na empresa.
E obter tal dinheiro dos bancos, pagando os respectivos juros.

Responder

Sidnei Brito

28 de fevereiro de 2015 às 18h59

Eu estou enganado, ou é a mesma coisa que aconteceu depois do apagão de energia no segundo governo FHC?
Depois de tantos esforços na economia de energia, veio um aumento sensacional para… compensar as perdas das distribuidoras de energia durante o período em que as pessoas foram obrigadas a economizar.
Esses tucanos…

Responder

abolicionista

28 de fevereiro de 2015 às 18h14

A classe média paulista pode pagar caro e beber merda se quiser, mas o povão não vai tolerar essa palhaçada.

Responder

Leo V

28 de fevereiro de 2015 às 02h20

O interessante é que a mesma lógica que mercantiliza tudo opera no transporte coletivo e os neopetistas acham legal.

No transporte também se aumenta tarifa para o suposto equilírio da empresa (o lucro na verdade). E quando se aumenta a tarifa se exclui pessoas do transporte, que por sua vez com menos gente usando pressiona para novo aumento.
A mesma coisa vai acontecer com a água.

Responder

Vicente

27 de fevereiro de 2015 às 20h03

A velhacaria e perversidade da casa grande…
Aumentando preços, quem tem bala na agulha, chora mas consome o quanto quiser, enquanto os mais pobres vão reduzir o consumo na marra, ou tornarem-se inadimplentes ( demandas dos mais pobres criminalizadas para variar, assim como moradia, transporte e tudo mais);
Tudo para evitar o racionamento justo e igualitário: cada um tem sua cota de água e ponto final, seja pobre, remediado ou rico.

Responder

almeida

27 de fevereiro de 2015 às 14h56

Acho que o LAURO CORDEIRO DINIZ,anda bebendo água da Sabesp, sem ferver.
Isso causa desorientação e pensamentos confusos.

Responder

roberto

27 de fevereiro de 2015 às 14h50

Pura, límpida,sublime e maravilhosa corrupção tucana, daquela que o PIG adora,respeita e reverencia.
Coxinhas, vocês são abençoados e agraciados por seu amor incondicional à SAOSTA (sacanagens do PSDbosta).

Responder

Ricardo Gonçalves

27 de fevereiro de 2015 às 09h57

Alguém avise ao Sr. Kelman: A SABESP não presta o serviço que à população precisa FAZ TEMPO!!!!!!!!
O Gepetto fez um irmãozinho pro Alkimin e colocou ele de presidente da SABESP…

Responder

Julio Silveira

27 de fevereiro de 2015 às 07h47

Isso daí é para os privatistas que apoiam a entrega de bens estrategicos e essenciais, estrategia dos Tungano$. Isso, dos paulistas estarem começando a ver as consequencias é só uma mostra do que o Brasil se arrisca entregando seus minerios e grupos estrategicos nas mãos estrangeiras, como os Tungano$ pretendem.

Responder

Marcos Antônio

26 de fevereiro de 2015 às 22h50

O PSDB privatizou a telefonia que hoje está entre as mais caras do mundo!
A água do paulistano se tornará uma das mais caras do mundo e continuará a pagar POUPUDOS dividendos aos seus acionistas!

Responder

    Charles Neto

    27 de fevereiro de 2015 às 18h59

    Que em doze anos não fez nada para baixar as tarifas, né. Acho que já deu tempo o suficiente para o PT fazer alguma coisa,não? Ou serão necessários uns cem anos para que o PT possa fazer algo para baixar as tarifas de telefonia?

Lauro Cordeiro Diniz

26 de fevereiro de 2015 às 21h42

Vcs poderiam fazer um post com a seguinte manchete:

“Depois de quebrar o setor elétrico reduzindo a conta de luz em 20%, Dilma é forçada a aumentar a luz em até 80%”

ou

“Dilma prometeu o céu na campanha e entrega o inferno no início do seu mandato!”

Seriam temas interessantes!

Responder

    Antonio Lopes

    27 de fevereiro de 2015 às 06h59

    Esse aumento da energia só acontece no seu Facebook, desespero tucano.

    Lagrange

    27 de fevereiro de 2015 às 09h00

    Cordeirinho….

    Ricardo Gonçalves

    27 de fevereiro de 2015 às 09h58

    Só faltou sua mensagem ser verdade, essa é a pequena diferença…

    Bruna

    27 de fevereiro de 2015 às 20h28

    Sabia que a matéria se refere ao governo ESTADUAL????
    Que diabos a Dilma tem a ver com a falta d’água em São Paulo?
    Bateu a cabeça, foi?

    Rodrigo

    27 de fevereiro de 2015 às 22h06

    Antonio Lopez disse: “Esse aumento da energia só acontece no seu Facebook”

    Acho que o idealismo deixa alguns cegos. Se criticam o governo estadual por aumentar a água, por que diabos não podemos criticar o governo federal pelo aumento da luz?

    A impressão que dá é que apesar de todos estarmos levando no rabo, alguns aceitam com alguma simpatia, desde que seja seu partido preferido o dono da p… que irá entrar.

    destruidor

    28 de fevereiro de 2015 às 00h08

    Engraçado quando a Dilma tirou os impostos da luz, o Alckmin aumentou o preço da água. Agora ela voltou com os mesmos impostos. Por favor, use argumente inteligente. Por que em 2013 e 2014, o preço da água aumentou. Antigamente vc pagava mais caro pela energia, desde 2003 o preço da água é mais caro que o da energia. Isso em São Paulo.

abolicionista

26 de fevereiro de 2015 às 21h35

Quer uma revolução? Coloque um tucano no poder. São Paulo vai pegar fogo, esperem pra ver.

Responder

Lagrange

26 de fevereiro de 2015 às 21h20

Não interessa a ninguém uma Sabesp que esteja, sob o ponto de vista econômico e financeiro, desequilibrada. Se ficar desequilibrada ela não presta o serviço que precisa à população”, argumentou Kelman.

Pelo que foi visto até agora, as contas andaram bem desequilibradas. E vão continuar assim: os acionistas na jogatina internacional e os usuários bancando a mesa. Desequilíbrio total.

Esse cara é um debil mental ou acha que os paulistanos são parvos demais pra entender essa crise.

Responder

FrancoAtirador

26 de fevereiro de 2015 às 20h17

.
.
O culto povo paulista não acredita em notícia publicada
por sindicato pelego do PT, nem lê blog chapa branca.
.
Só crê no que sai em Globo, Veja, Folha e Estadão.
.
Se deu na Veja e saiu no Jornal Nacional, ponto.
Então a culpa é do incompetente prefeito petista!
.
.

Responder

    Fabio SP

    02 de março de 2015 às 08h41

    Até que enfim alguém reconhece a incompetência do prefeito ciclovia…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.