VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Brasileiros: Bancos que receberam ajuda de FHC devem R$ 30 bi ao Banco Central

01 de fevereiro de 2016 às 20h52

fhc

Manual do perfeito midiota – 8

Você é bombardeado diariamente com a tese de que os problemas se devem aos gastos excessivos do setor público – o que leva o midiota a amaldiçoar os políticos e achincalhar todos os servidores do Estado e das autarquias

29/01/2016 12:31, atualizada às 29/01/2016 13:53

Luciano Martins Costa, na revista Brasileiros

Analistas de fundos de investimento voltam a alertar sobre novos sinais de agravamento da crise sistêmica que desestruturou a economia global em 2008. Na imprensa brasileira tradicional, com exceção do jornal Valor Econômico, tudo que se apresenta ao leitor é o risco de uma redução do apetite da China por commodities.

“Compla, compla, compla”, como diriam os torcedores do Corinthians: se os chineses param de comprar, a recessão bate à porta do mundo ocidental.

O que falta aos chamados diários genéricos está resumido no título de uma reportagem assim apresentada na edição de quinta-feira (29/01) do Valor: “Lucro do Bradesco cresce e passa de R$ 4 bilhões no trimestre; inadimplência sobe”.

Essa é uma boa matriz para se iniciar uma investigação jornalística sobre as dificuldades enfrentadas pelo Brasil. Sabe-se que a reforma do sistema financeiro nacional, realizada em 1995 com o Proer – Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional -, criou uma rede de grandes bancos dominantes e deixou para os cofres públicos a parte podre do sistema.

Você não vai ler muita coisa sobre isso na mídia tradicional nem vai ouvir comentários indignados nas emissoras hegemônicas de rádio e televisão. Para fugir à regra, um blogueiro do Estado de S. Paulo abordou o assunto no ano passado. Mas o tema fica longe das manchetes.

Você pode refletir como, num sistema financeiro praticamente oligopolizado, quem perde é sempre aquele que precisa de financiamento, por isso são importantes as recentes medidas para a retomada da oferta de crédito..

Talvez você não saiba que, no primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso, uma condição para que os bancos aceitassem a instabilidade na transição para o real foi essa reforma. Em resumo, tratou-se do seguinte: o governo resgatou com dinheiro público sete grandes bancos do País – Bamerindus, Nacional, Econômico, Mercantil, Crefisul, Pontual e Banorte. Foram injetados R$ 16 bilhões para salvar essas instituições.

Em seguida, o governo tomou o controle desses bancos e fez a seguinte operação: a parte boa, dos bancos que possuíam ativos valiosos, foi vendida de volta para o setor privado – o Itaú abocanhou o Nacional; o Bamerindus foi para o HSBC; o Econômico, envolvido em gestão fraudulenta, acabou nas mãos do Bradesco, e assim por diante.

Passados vinte anos, a parte podre ainda pesa na bolsa da viúva: três dos sete bancos que receberam ajuda do governo FHC devem ao Banco Central cerca de R$ 30 bilhões.

O ex-presidente Lula da Silva impediu que o Banco Central aceitasse o pagamento da dívida em FCVS, os Fundos de Compensação de Variações Salariais, considerada uma moeda podre, e a pressão voltou com a posse de Dilma Rousseff, mas ela vetou a operação em duas ocasiões.

Finalmente, em 2011, a presidente Dilma aprovou uma lei permitindo que os devedores entrassem para o plano de financiamento de dívidas do Refis, o que lhes valeu um enorme desconto mas garantiu o recolhimento de parte do esqueleto.

Se o governo tivesse aceitado a proposta dos banqueiros, o Banco Central teria sofrido uma perda superior a R$ 40 bilhões.

Mas você não vai se incomodar com isso, certo? Você está certo de que o problema do Brasil são os gastos do governo.

Afinal, essa é a resposta mais simples. E a vida do midiota, como sabemos, se resume a fugir de coisas complicadas.

Acontece que alguns setores poderosos afetados pela crise internacional, como o agronegócio, a indústria paulista e as grandes empresas de comunicação, sonham com um novo Proer especialmente desenhado para eles.

Mas para isso precisam de um governo mais simpático ao capitalismo sem risco – ou melhor, àquele capitalismo de vinte anos atrás em que o lucro era privado e o prejuízo é público.

Ah, eles precisam principalmente da torcida organizada dos midiotas.

Leia também:

O Globo criminaliza presidente da CUT

 

9 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

LALVES

12/10/2017 - 19h45

FHC CRIOU EM 1995 UMA COMPLEXA UMA REDE DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA NA PGR (GERALDO BRINDEIRO ENGAVETADOR GERAL DA REPÚBLICA DE FHC), UMA TEIA NO STF, E TAMBÉM NO JUDICIÁRIO DO PARANÁ (O JUIZ NÃO CONCURSADO SERGIO MORO E O SINISTRO PROCURADOR SR CARLOS FERNANDES) PARA BLINDAR OS DOLEIROS E DOS 300 POLÍTICOS CORRUPTOS DEMO-TUCANOS QUE RECEBERAM PROPINAS BILIONÁRIAS DE MULTINACIONAIS NO ESQUEMA BANESTADO EM TROCA DAS PRIVATARIAS TUCANAS.

A CORRUPÇÃO ABAFADA PELA “TEIA DE PROTEÇÃO JUDICIÁRIA TUCANA” NA ROUBALHEIRA DO GOVERNO FHC NO BANCO DO ESTADO DO PARANÁ- 125 BILHÕES DÓLARES FORAM PAGOS PELAS MULTINACIONAIS A FAMILIARES DE 300 POLÍTICOS DEMOTUCANOS NAS PRIVATARIAS TUCANAS, TUDO ABAFADO POR SERGIO MORO NO ESCÂNDALO BANESTADO (1997-2002).

OS CORRUPTOS AÉCIO CHEIRA NEVES, TEMER E SEU QUADRILHÃO, O FILHO E GENRO DE FHC E PRIMO DE JOSÉ SERRA NA LAMA DA CORRUPÇÃO SÃO DELATADOS POR VÁRIOS DELATORES E BLINDADOS NO STF E NO PARANÁ.
FERNANDO BAIANO DELATA CORRUPTO FILHO DE FHC SR PHC EM PESADO ESQUEMA DE CORRUPÇÃO USANDO EMPRESAS DE FACAHADA OFFSHORE NO PANAMÁ E ILHAS CAYMAN E PROPINAS MILIONÁRIAS RECEBIDAS DE MULTINACIONAIS EM CONTRATOS ILÍCITOS NA ÉPOCA DOS APAGÕES, CONTRATOS DO GASBOL E NO DESASTRE DA PLATAFORMA P-36 COM GERMAN EFRAMOVITCH EM PARCERIA COM O CORRUPTO GENRO DE FHC DAVID ZYLBERSZTAJN
https://www.youtube.com/watch?v=AnKK51ITUQI

FERNANDO BAIANO DELATOU EM VÍDEO O MEGA CORRUPTO FILHO DE FHC O VAGABUNDO PHC NA CORRUPÇÃO COM MULTINACIONAIS EM CONTRATOS ILÍCITOS E OBRAS SUPERFATURADAS PARA CONSTRUÇÃO DE USINAS TERMELÉTRICAS NOS APAGÕES PLANEJADOS DE FHC NOS ESCÂNDALOS DO GASBOL E DA TERMO-RIO. NÃO FOI GRATUITA A NOMEAÇÃO DE PEDRO PARENTE COMO MINISTRO DOS APAGÕES, DO BANQUEIRO FRANCÊS HENRY PHILLIPE REISCHTULL AMIGO PESSOAL DO GENRO DE FHC NA PRESIDÊNCIA DA PETROBRAS, A NOMEAÇÃO DE BARUSCO NOS PROGRAMAS DE TERCEIRIZAÇÃO E AFRETAMENTOS. PARA NOMEAR ESTRANGEIROS NAS ESTATAIS FHC FEZ MUDANÇAS NO ESTATUTO E “RASGOU ACORDOS COLETIVOS” PARA A NOMEAR O ESPANHOL NESTOR CERVERÓ E NOMEAR PAULO ROBERTO COSTA FEROZ ALIADO DE FHC, E NOMEAR OS TUCANOS SR DELCIDIO DO AMARAL (PSDB-MT) E SERGIO MACAHADO (PSDB-CE) EMPOSSADOS POR FHC EM 1996 PARA MONTAR OS ESQUEMAS DAS PRIVATARIAS TUCANAS NA ÁREA DE PETRÓLEO E ENERGIA, JUSTIFICADAS PELOS APAGÕES PLANEJADOS DE FHC.
ISSO EXPLICA AS FORTUNAS BILIONÁRIAS DO FILHO DE FHC O CORRUPTO PAULO HENRIQUE CARDOSO NAS ILHAS CAYMAN E NO “PANAMÁ PAPERS” E AQUELE APARTAMENTO DE 37 MILHÕES DE REAIS NA CHAMPS ELISSÉS EM PARIS EM NOME DE FHC E TAMBÉM AS CONTAS SECRETAS BILIONÁRIAS NO CARIBE (CONTA TUCANO, CONTA MARÍLIA E CONTA CH J&T COM MAIS DE HUM BILHÃO DE DÓLARES).
AS EMPRESAS AMERICANAS ENVOLVIDAS COM A MAIOR PARTE DA CORRUPÇÃO QUE REMUNEROU COM PROPINAS BILIONÁRIAS O FILHO E O GENRO DE FHC E OS FAMILIARES DE JOSÉ SERRA E DE 300 POLÍTICOS DEMOTUCANOS SÃO A ENRON, SHELL, CHEVRON, EXXON MOBIL, AES E A EL PASO E BHP SAMARCO. TODAS ESSES ESQUEMAS DE CORRUPÇÃO FORAM CRIADOS NO GOVERNO FHC AINDA EM 1995 PARA PROMOVER AS PRIVATARIAS TUCANAS, DESMONTAR O ESTADO NACIONAL, FAZER OS TERRÍVEIS APAGÕES E ENTREGAR AS 137 MAIORES EMPRESAS NACIONAIS E AS RESERVAS MINERAIS E PETROLÍFERAS PARA O CAPITAL ESTRANGEIROE ESSAS PASSAGENS. O DELEGADO JOSÉ CASTILHO NETO DA PF PRENDEU OLGA YOUSSEF, ALBERTO YOUSSEF E OUTROS 70 DOLEIROS NO PARANÁ PASMEM, TODOS FORAM MANTIDOS SOLTOS PELO JUIZ TUCANO SERGIO MORO ORIENTADO NAQUELA SINISTRA “TEIA DE PROTEÇÃO TUCANA NO JUDICIÁRIO” CRIADA EM 1995 POR GERALDO BRINDEIRO E GILMAR MENDES.
OS MAPAS DA CORRUPÇÃO MONTADA NO GOVERNO FHC ESTÃO DETALHADOS NOS LIVROS:
1- “FHC, CRISE, DECADÊNCIA E CORRUPÇÃO”, H Fontana
2- “O MAPA DA CORRUPÇÃO NO GOVERNO FHC”, Larissa Burtone
3- “A OUTRA HISTÓRIA DA LAVA JATO” , Paulo Moreira Leite
4- “A PRIVATARIA TUCANA”,Amaury Junior
5- “YOUTUBE: REQUIÃO: BANESTADO FOI A MAIOR CORRUPÇÃO DA REPÚBLICA E ENVOLVE OS MESMOS JUIZES, OS MESMOS DOLEIROS E OS MESMOS POLÍTICOS DA LAVA JATO”
6- “EL COMPLT DEL FMI PARA LAS NACCIONES DE IBERO AMERICA”, lindon Larouche, 1993
7- “O BANESTADO E A LAVA JATO UM FEITIÇO DO TEMPO: OS MESMOS DOLEIROS E OS MESMOS JUÍZES E OS MESMOS PROCURADORES”, Jandira fegali
8- “TARDE DEMAIS PARA ESQUECER”, Bendito C Bonfim, 1995
9- “A PÁTRIA PEDE SOCORRO”, brigadeiro Ivan Frota, 1995
10_ “YOUTUBE: “BILL CLINTON PASSA SERMÃO EM FHC PELA PESADA CORRUPÇÃO NO ESQUEMA BANESTADO QUE USOU AGÊNCIA EM NY”, Florença Itália, novembro 1999

O PATRIMÔNIO PÚBLICO FOI PARA O RALO DA CORRUPÇÃO NO “ESQUEMA BANESTADO NAS PRIVATARIAS DE FHC”: ISSO MESMO 15 TRILHÕES DE DÓLARES, PARA OS BOLSOS DOS GRINGOS E PARA O RALO DA CORRUPÇÃO NO GOVERNO FHC!!MUITOS MIDIOTAS TEM PREGUIÇA DE LER LIVROS, TODA A BIBLIOGRAFIA ESTÁ CITADA NAS FONTES CITADA NA MATÉRIA, MAS VAMOS LÁ:

RESPOSTA SOBRE OS VALORES PATRIMONIAIS DOADOS POR FHC EM TROCA DE PROPINAS BLIONÁRIAS PAGAS PELAS MULTINACIONAIS NO “ESQUEMA BANESTADO- BANCO DO ESTADO DO PARANÁ” QUE O DELEGADO JOSÉ CASTILHO NETO INVESTIGOU E PRENDEU 70 DOLEIROS NO PARANÁ E INDICIOU 300 POLÍTICOS DEMO-TUCANOS
Sugiro uma leitura no documento publicado no RR RELATÓRIO RESERVADO (no Google) PRELIMINARY IDEAS STEP BAY STEP FOR A PRIVATIZATION MASTER PLAN IN BRAZIL OF ELETROBRAS GROUP, TELEBRAS GROUP, PETROCHEMICAL GROUP, PETROBRAS GROUP, VALE DO RIO DOCE GROUP AND INFRAERO GROUP – CONFIDENTIAL MEMORANDUM”. A elaboração desse documento teve a partiucipação de notáveis traidores e lesa pátrias: FHC então ministro das relações exteriores e o sr Henrique Meireles atuou como diretor do First Suisse Bank of Boston pelo Brasil; o lesa pátria Salinas pelo México que foi o mandante da morte do candidato presidenciável Luis Donaldo em 1994, o lesa pátria Carlos Menen e Cavallo pela Argentina, todos figuras notáveis da corrupção. O sr Meirelles ao sair do banco americano ele tornou-se diretor financeiro do GRUPO JBS e lá permaneceu entre 1999 e 2015 todos conhecem o final desse filme de Meirelles com a JBS.
valores patrimoniais que foram doados por FHC e seus 300 políticos corruptos remunerados pelas multinacionais no ESCÂNDALO BANESTADO NO PARANÁ (ABAFADO POR SERGIO MORO ENTRE 1997 E 2002):
1- O ESCÂNDALO DA PRIVATARIA DA VALE DO RIO DOCE: 5 TRILHÕES DE DÓLARES (18 TRILHÕES DE REAIS)

A CIA VALE DO RIO DOCE E TODAS AS SUAS SUBSIDIÁRIAS (DOCENAVE: 49 NAVIOS), JAZIDAS MINERAIS EM PLENA PRODUÇÃO EM MINAS GERAIS, BAHIA, GOIÁS, MATO GROSSO, PARÁ (CARAJÁS), ETC: PATRIMÔNIO 5 TRILHÕES DE DÓLARES (18 trilhões de reais).
Uma auditoria avaliou os equipamentos e instalações da VALE DO RIO DOCE em 380 bilhões de dólares, hum trilhão e meio de reais, e as jazidas de metais avaliadas em cinco trilhões de dólares, TUDO FOI DOADO PELA BAGATELA DE 3 BILHÕES DE REAIS NA “BACIA DAS ALMAS” (MENOS QUE O,2% DO VALOR PATRIMONIAL) PARA O GRUPO BHP SAMARCO E GRUPO BILLITON COM PARTICIPAÇÃO DO BRADESCO PARTICIPAÇÕES NAS NEGOCIATAS (envolve o ex-diretor do BRADESPAR SR ROGER AGNELLI QUE APÓS PERMANECER 15 ANOS NA PRESIDÊNCIA DA VALE PRIVATIZADA ELE SOFREU UM DESASTRE AÉREO EM SP LOGO APÓS O ACIDENTE DA SAMARCO EM MARIANA QUE GEROU PREJUIZOS DE 370 BILHÕES DE REAIS AO BRASIL (MINAS GERAIS E ESPÍRITO SANTO) E A COMPLETA DESTRUIÇÃO DO RIO DOCE. Esses valores de avaliação da maior mineradora do planeta A VALE DO RIO DOCE na época da sua privataização, foram publicados no livro “EL COMPLOT PARA ANIAQUILAR LAS NACCIONES DE IBERO AMERICA”, Lindon Larouche, 1993. O livro cita FHC como signatário do famigerado Consenso de Washington e dos acordos secretos com o FMI e MEGA ESPECULADORES INTERNACIONAIS. 460 BILHÕES DE DÓLARES + 160 BILHÕES DE DÓLARES EM SISTEMAS FIXOS QUE ESTÁ SENDO DOADO AGORA POR KASSAB NO GOVERNO GOLPISTA DE “MI-SHELL” TEMER QUE PLANEJOU O GOLPE COM SERRA E O PAVÃO DE CURITIBA PARA ENTREGAR O PRESAL QUE VALE 20 TRILHÕES US$ CONFIRAM NA ENTREVISTA NO YOUTUBE: “ROCKEFELLER: “PRESAL VALE 20 TRILHÕES DE US$ E SEIS MILHÕES DE EMPREGOS: 30 VEZES O PIB DO BRASIL” . ESSA PARTE NÃO VAMOS COMENTAR NO PREJUIZOS POIS FOI O ALVO PRINCIPAL DO GOLPE DE 2016 MAIS RECENTE, VAMOS FOCAR NA MATÉRIA ANEXA. OS PREJUIZOS COM A PERDA DO PRESAL E A DOAÇÃO DE RESERVAS PARA AS PETROLÍFERAS FORAM ARMADAS NO PLANEJAMENTO DO GOLPE E NO TREINAMENTO DE SERGIO MORO NA CIA EM 2009 (PROJETO PONTE)

2- PRIVATARIAS DAS TELECOMUNICAÇÕES- MAIS CONHECIDO COMO “ESCÂNDALO DAS TELES NO LIMITE DA IRRESPONSABILIDADE” -OUTUBRO 1998- 300 BILHÕES DE DÓLARES E MAIS 160 BILHÕES DE DÓLARES EM PRÉDIOS, INSTALAÇÕES, ANTENAS SATÉLITES E ESTAÇÕES TERRESTRES.
Os grampos da Polícia Federal foram publicados pela REVISTA ISTOE em outubro de 1998, conversas palacianas falam descaradamente sobre corrupção e concessão de empréstimo-doação no BNDES (MARCIO FORTES E MENDONÇA DE BARROS, SERGIO MOTA, FHC, VERÔNICA SERRA, DANIEL DANTAS E JOSÉ SERRA) de dois bilhões de dólares para os gringos ganhadores das raspadinhas da doação de 38 empresas de telefonia móvel e celular. O banqueiro Dantas e o tucano Jereissati receberam a doação de 8 empresas de telefonia celular no norte e nordeste tendo a filha de Serra como testa de ferro, e os gringos da RTP TELECOM DE PORTUGAL E A ESPANHOLA TELEFÔNICA RECEBERAM A DOAÇÃO DE 28 EMPRESAS DE TELEFONIA FIXA E CELULAR NOS DEMAIS REGIÕES DO BRASIL. O prejuízo estimado foi de 300 bilhões de dólares cerca de hum trilhão e meio de reais na época dessa privataria. AS PROPINAS FORAM PAGAS NO ESQUEMA BANESTADO NO PARANÁ E LAVADAS PELOS DOLEIROS OFFICE BOYS DOS TUCANOS NO PARANÁ ALBERTO YOUSSEF E OLGA YOUSSEF E OUTROS 70 DOLEIROS PRESOS NO PARANÁ E SOLTOS POR SERGIO MORO ELES FORAM PRESOS EM 1999 NA “OPERAÇÃO MACUCO”

3- A PRIVATARIA DOS CAMPOS PETROLÍFEROS DO BRASIL EM LEILÕES LESA PÁTRIAS: 4 TRILHÕES DE DÓLARES (14 TRILHÕES DE REAIS)

ESSA PERDA REPRESENTA 20% DO VALOR DA DOAÇÃO FEITA PELA PEC LESA PÁTRIA DE JOSÉ SERRA (PEC-131) PARA ENTREGA DOS CAMPOS GIGANTES E ULTRA PRODUTIVOS DO PRESAL DOADOS PELO VAMPIRÃO CONDE DRÁCULA “MI-SHELL” TEMER EM 2016 E 2017 ESSE FOI O PREÇO DO GOLPE PARLAMENTAR E JUDICIÁRIO NO BRASIL. DESDE 2011 O EX AGENTE DA CIA EDWARD SNOWDEN JÁ ALERTAVA QUE O BRASIL SERIA ESPIONADO E GOLPEADO COM A AJUDA DE JUÍZES TREINADOS EM 2009 PELA CIA E FBI JUNTO COM JUIZES DO PARAGUAI.

29 BACIAS SEDIMENTARES E 200 CAMPOS PETROLÍFEROS DOADOS PELA ANP LOGO APÓS A SUA CRIAÇÃO EM 1997. NOTEM QUE UM MÊS ANTES DE CRIA-LA FHC COLOCOU TROPAS DO EXÉRCITO NA SEDE DA EX-ESTATAL PETROBRAS E ROUBOU MILHARES DE MAPAS DE PETRÓLEO DA PETROBRAS E FHC ENTREGOU AO CORRUPTO GENRO DAVID ZYLBERSZTAJN QUE OS NEGOCIOU COM AS PETROLÍFERAS ESTRANGEIRAS

O PREJUÍZO COM ESSA DOAÇÃO DE 200 CAMPOS PETROLÍFEROS EM 29 BACIAS SEDIMENTARES NO PÓS SAL FOI DE QUATRO TRILHÕES DE DÓLARES. CENTENAS DE CAMPOS FORAM VENDIDOS POR PREÇOS DE APARTAMENTOS E ATÉ DE UMA HONDA CIVIC NA BACIA DAS ALMAS EM TROCA DE PROPINAS PARA DAVID.

O sinistro genro de FHC DAVID ZYLBERSZTAJN foi nomeado em janeiro de 1997 pelo sogro o corrupto sr FHC, MAIS CONHECIDO COMO “CROCODILO CAIMÃO FHC” pelas ações secretas e obscuras no ESCÂNDALO BANESTADO E O DOSSIÊ CAYMAN MANTIDO ABAFADO PELO PRG GERALDO BRINDEIRO O ENGAVETADOR GERAL DA REPÚBLICA DE FHC.

4- A DOAÇÃO DE 32 EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA NO BRASIL E SUAS CENTENAS DE SUBSIDIÁRIAS – OS APAGÕES PLANEJADOS DE FHC PARA JUSTIFICAR AS PRIVATARIAS: PREJUÍZOS DE 3,5 TRILHÕES DE DÓLARES DE DÓLARES (13 TRILHÕES DE REAIS), AS CONTAS DE ENERGIA QUINTUPLICARAM DESDE 1999 PASSANDO O KWH DA FAIXA DOS CINCO CENTAVOS PARA OS ATUAIS NOVENTA CENTAVOS POR KWH (UM AUMENTO DE 4 MIL POR CENTO)
Essa privataria foi a mais escandalosa do Brasil e foi planejada cuidadosamente através dos APAGÕES que foram ações de SABOTAGEM do governo FHC na paralisação de serviços de manutenção nas subestações, linhas de transmissão, redes públicas, estações abaixadoras, centrais hidrelétricas que geraram entre 1996 e 2001 muitos transtornos e enormes prejuízos para a indústria e para a população para JUSTIFICAR AS PRIVATARIAS. FHC CONFESSOU DE PRÓPRIO PUNHO NO LIVRO DIÁRIOS DA PRESIDÊNCIA QUE PLANEJOU OS APAGÕES COM AJUDA DE CONSULTORIAS ESTRANGEIRAS QUE ADMITIU ATOS DE SABOTAGEM E DESLEIXO NAS INSTALAÇÕES E CORTES DE INVESTIMENTOS NAS LINHAS DE TRANSMISSÃO PARA QUE A ENERGIA FOSSE PROPOSITADAMENTE RACIONADA E ASSIM JUSTIFICAR A ENTREGA DE EMPRESAS GIGANTES DE ENERGIA COMO A ELETROPAULO (DOADA PELO CORRUPTO GENRO DE FHC PARA A AMERICANA AES) E CENTENAS DE PRIVATARIAS, O CASO MAIS GRAVE FOI A PRIVATARIA DA CERJ CENTRAIS ELÉTRICAS DO RIO DE JANEIRO E A CEG – CIA ESTADUAL DE GÁS DOADAS PARA LIGHT E PARA A ELETRICITÉ DE FRANCE PASMEM NA BACIA DAS ALMAS E DEPOIS A SEGUNDA FOI REVENDIDA PELA EMPRESA FRANCESA PARA A LAIGHT TORNADO A CONCESSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E GÁS EM UMA UNICA EMPRESA: UM PERIGOSO NEGÓCIO PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO. ENERGIA ELETRICA E GÁS PASSARAM A SER CONDUZIDOS PASMEM NUM UNICO DUTO GERANDO EXPLOSÕES DE BUEIROS: “A MUSICA DE CARNAVAL VIROU DEBOCHE “BUEIRO DO RIO CALOR QUE PROVOCA ARREPIO” LEMBRANDO OS VELHOS TEMPOS DAS CRÍTICAS À LIGHT NOS ANOS 1940 COM AMUSICA DE CARNAVAL DE 1944:”RIO CIDADE QUE RELUZ, DE DIA FALTA ÁGUA E DE NOITE FALTA LUZ!!”

5- A PRIVATIZAÇÃO BRANCA DA PETROBRAS – ENTREGA DE SEIS BILHÕES DE AÇÕES PREFERENCIAIS DA PETROBRAS NA BACIA DAS ALMAS NO DIA 10 DE JANEIRO DE 2000. PREJUIZO DE HUM TRILHÃO DE DÓLARES

A PETROBRAS FOI A EMPRESA QUE MAIS SOFREU BAIXAS, EXTINÇÃO E PRIVATARIA DE DEZENAS DE SUBSIDIÁRIAS, DESMONTES, FATIAMENTO EM UNIDADES DE NEGÓCIO, ENTREGA DE SEIS BILHÕES DE AÇÕES VENDIDAS NA BACIA DAS ALMAS E TROCADAS POR MOEDAS PODRES DO MERCADO IMOBILIÁRIO, UMA VERGONHOSA NEGOCIATA FEITA POR FHC E O CORRUPTO GENRO DAVID E SR REISCHTULL NA BOLSA DE NEW YORK E FEROZES ATAQUES NA ERA FHC E PARA FAZER OS DESMONTES O SR FHC NOMEOU FEROZES ALIADOS NO COMANDO INCLUINDO O SINISTRO TUCANO SR PAULO ROBERTO COSTA, O ESPANHOL NESTOR CERVERO, BARUSCO E OUTROS CITADOS NA LAVA A JATO FORAM “PESSOAS NOMEADAS POR FHC” ELE SEGUIU PASSO A PASSO A ORIENTAÇÕES DA CONSULTORIA DO BANK OF BOSTON (SR MEIRELLES E DO BANCO JP MORGAN SR GROSS E DO PARIBAS PELO SR NENRY REISCHTULL QUE FOI NOMEADO POR FHC, MESMO SENDO ESTRANGEIRO, PAMSEM PARA A PRESIDÊNCIA DA EX ESTATAL PETROBRAS EM 1999)
DESDE A ENTREGA DE SEIS BILHÕES DE AÇÕES NA BOLSA DE NY A PETROBRAS É OBRIGADA A ENVIAR PARA NEW YORK, TODOS OS ANOS, MAIS DE SESSENTA POR CENTO DOS SEUS LUCROS. A UNIÃO FICOU COM APENAS A METADE MAIS UMA DO TOTAL DE AÇÕES ORDINÁRIAS QUE REPRESENTA APENAS 30% DO TOTAL DO CAPITAL VOLANTE, UM GOLPE DE MESTRE NA PRIVATIZAÇÃO BRANCA DA EX ESTATAL PETROBRAS. ESSE GOLPE FOI PLANEJADO EM DEZEMBRO DE 1997 PELA SINISTRA LEI 9.478/97 UM GOLPE DE MESTRE QUE DEFINIU UM NOVO CONCEITO FAJUTO DE EMPRESA NACIONAL (51% DAS AÇÕES ORDINÁRIAS E NÃO MAIS 51% DO TOTAL DE AÇÕES A NOVA LEGISLAÇÃO LESA PÁTRIA DE FHC PERMITIU QUE UMA EMPRESA ESTRANGEIRA POSSUA 100 % DAS AÇÕES PREFERENCIAIS FOI O CASO DA PETROBRAS QUE FOI GOLPEADA NESSA PRIVATIZAÇÃO BRANCA NO DIA 10 DE JANEIRO DE 2000.

6- A NEBULOSA E VERGONHOSA PRIVATARIA DAS SEIS EMPRESAS PETROQUÍMICAS GIGANTES DA PETROBRAS DOADAS PARA O GRUPO ODEBRECHT EM 1995 E 1996

O corrupto sr FHC doou em 1995 e 1996 na bacia das almas TODAS as empresas petroquímicas SUPERLUCRATIVAS subsidiárias do grupo PETROBRAS PARA O SEU AMIGO PESSOAL DOM EMÍLIO ODEBRECHT (COPENE, PQU, BRASKEM, COPESUL, PETROFERTIL, FAFEN, ETC) ELAS VALIAM EM TORNO DE 2,5 TRILHÕES DE DÓLARES E GERAM LUCROS ANUAIS ESTRATOSFÉRICOS.
Desde 1996 a ODEBRECHT que levou na mão grande as petroquimicas gigantes da Petrobras em leilões coroados de falcatruas, deixou de ser uma mera construtora para ser a GIGANTE DO SETOR PETROQUIMICO. Desde 1997 90% dos lucros da ODEBRECHT provém das superlucrartivas empresas petroquimicas que pertenciam a PETROBRAS e foram doadas por FHC para o amigo DOM EMILIO ODEBRECHT PASMEM TENDO COMO TESTA DE FERRO O FILHO CORRUPTO PAULO HENRIQUE CARDOSO, O PHC
É MUITO CÍNICO ESSE SR FACHIN PROTEGENDO E BLINDANDO FHC E SEUS FAMILIARES CORRUPTOS NA SINISTRA “TEIA DE PROTEÇÃO TUCANA JUDICIÁRIA CRIADA EM 1995 POR GIULMAR MENDES E GERALDO BRINDEIRO PARA ABAFAR ESQUEMA BANESTADO” AGINDO COM O JUIZ PAVÃO DE CURITIBA AGENTE DA CIA SERGIO MORO NA “REDE DE PROTEÇÃO TUCANA NO JUDICIÁRIO”, E MAIS UMA VEZ BLINDANDO O CORRUPTO CROCODILO CAIMÃO FHC QUE ENVOLVEU TODA A FAMÍLIA EM NEGÓCIOS DA CORRUPÇÃO E EMPRESAS DE FACHADA O OFFSHORES NO CARIBE, FHC É O PAI DA CORRUPÇÃO NO ESQUEMA BANESTADO (PARANÁ)E NO MENSALÃO TUCANO (MINAS GERAIS) TEM CONTAS BILIONÁRIAS NAS ILHAS CAYMAN, APARTAMENTO DE 37 MILHÕES EM PARIS, IMÓVEIS MILIONÁRIOS EM BARCELONA E NO BRASIL E FORTUNAS EM NOME DE FILHOS, DO CORRUPTO PHC E DO GENRO CORRUPTO DAVID ZYLBERSZTAJN
https://www.youtube.com/watch?v=AnKK51ITUQI

Responder

Coocodeco

02/02/2016 - 15h15

Ok, quanto custaria ao país a quebra em dominó, do nosso sistema financeiro… Quanto está nos custando a quebra de um banco nos EUA, posso te dizer, em 2.015 = R$240 BILHÕES…

Responder

Ramon

02/02/2016 - 13h45

É uma pena o veto presidencial a auditoria da dívida que poderia ao menos esclarecer mais.

Agora vem aí a Reforma da Previdência

Responder

Nelson

02/02/2016 - 10h13

Se a minha memória não me trai, foi lá pelas décadas de 1980 e 1990. Em todos os seus materiais o Sesi aqui do Rio Grande do Sul estampava um lema: “a iniciativa privada faz mais”.

E eu pensava, com meus botões, que faltava um complemento para que a frase retratasse a realidade. A frase correta deveria ser: “A iniciativa privada faz mais, com recursos públicos, é claro”.

O Proer é mais um exemplo disso.

Responder

Roberto Locatelli

02/02/2016 - 00h47

A solução é estatizar, sem indenização, esses bancos devedores. Simples assim.
Voltando ao mundo real, se o Brasil fizesse isso haveria guerra. Ainda não temos força política para isso.

Responder

    Lauro Esteves

    02/02/2016 - 09h12

    O Sergio Guedes, aí abaixo, admite que o FHC encheu os cofres de bancos pré-falimentares, inclusive o Banco Nacional da família do seu genro. No total R$ 112 bilhões, que acabaram na conta do governo, somados à dívida pública, ou seja. bolsa banqueiro paga pelo povo brasileiro.

Deixe uma resposta