VIOMUNDO

Blog do Tarso: Ódio ao PT provoca morte de militante

21 de setembro de 2014 às 10h43

Hiago

Discurso de ódio contra o PT e a política mata militante do partido em Curitiba

do Blog do Tarso, sugerido por Sérgio Govea

O discurso do ódio ao Partido dos Trabalhadores, e contra a política, da oposição, da velha mídia e dos setores mais atrasados da sociedade fez uma vítima fatal ontem (19) em Curitiba.

Um militante da campanha de Gleisi Hoffmann (PT) ao governo do estado do Paraná, que também fazia campanha para a presidenta Dilma Housseff (PT), chamado Hiago Augusto Jatoba de Camargo, de 21 anos, foi assassinado com uma facada na Praça da Ucrânia, em Curitiba, onde há uma Feira Noturna frequentada pela classe-média e alta da cidade, no Bigorrilho (Champagnat).

O jovem que sofreu o homicídio era responsável por cavaletes das candidatas e um homem, possivelmente com um grupo, iniciou discussão com o menino e deferiu um golpe de faca contra ele.

O assassino tem barba ruiva e vestia camiseta de time de futebol, e já vinha causando problemas na região.

O Blog do Tarso já havia denunciado a campanha criminosa contra os cavaletes de políticos (clique aqui), o que é crime.

Além disso os candidatos Aécio Neves (PSDB), Marina Silva (PSB, ex-PT, ex-PV, futura Rede Sustentabilidade), Beto Richa (PSDB), Alvaro Dias (PSDB), a revista Veja e demais órgãos da velha mídia, já faziam uma campanha de ódio contra o Partido dos Trabalhadores. Espero que com esse crime seja paralisada essa campanha do ódio.

Nota de pesar pela morte de Hiago:

A coligação Paraná Olhando pra Frente e a candidata à governadora Gleisi Hoffmann se solidarizam e estão prestando todo auxílio à família de Hiago Augusto Jatoba de Camargo (21), morto no início da noite desta sexta-feira (19) em razão de agressão sofrida na Praça Ucrânia em Curitiba, quando fazia campanha com outros militantes.

Ambulância do SAMU atendeu o jovem no local. Ele faleceu a caminho da UPA 24h do Campo Comprido.

Lamentamos profundamente o ocorrido. Sabemos que todo o apoio e auxílio prestado a família não lhe devolve o que é de maior importância: a vida de Hiago.

Pedimos a Secretaria de Estado da Segurança Publica que tome todas as providências no sentido de identificar e punir os responsáveis por tal agressão.

E pedimos a Deus para que dê forças e conforte a família neste momento, principalmente sua mãe.

******

Hiago Augusto Jatoba de Camargo que foi assassinado em Curitiba por causa do discurso de ódio contra o PT e contra a política, ao estar atuando na campanha da candidata ao governo do Paraná, Gleisi Hoffmann (PT), e na campanha de reeleição da presidenta Dilma Rousseff (PT), era cantor e seu nome artístico era Hiago 100 Caos, e tinha várias músicas gravadas (clique aqui).

Atuava na banda Família 100 Caos e cantava músicas pela paz e esperança e era religioso.

Tinha acabado de lançar suas músicas, veja aqui. Veja os vídeos da banda aqui. Veja o site da banda.

Uma das últimas coisas que ele escreveu no seu Facebook:

“lamentável a juventude
toda se perdendo os irmão tudo morrendo
e ninguém faz nada.”

Vai com paz Hiago!

Me parece que é nossa obrigação fazer uma manifestação pelo fim do ódio contra a política e contra o PT.

Leia também:

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
70 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Kettlyn Jheniffer

16/10/2014 - 15h04

Concordo com a sua postagem.

Responder

C.Paoliello

23/09/2014 - 19h06

Desesperada diante da iminente (e talvez definitiva) derrota, a candidata do fundamentalismo religioso parte para o ataque pessoal à presidenta Dilma:

http://portuguese.ruvr.ru/news/2014_09_24/Marina-insinua-que-Dilma-gorda-e-PT-responde-com-ferroada-ir-nica-3958/

Responder

benedito Carvalho

23/09/2014 - 09h39

PARA ONDE NOS LEVA O ÓDIO E A INTOLERÂNCIA?
Benedito Carvalho Filho

Berlim, 1943. A Juventude Hitlerista foi uma instituição obrigatória para jovens da Alemanha nazista, que visava treinar crianças e adolescentes alemães de 6 a 18 anos, de ambos os sexos, para os interesses nazistas. Os jovens se organizavam em grupos e milícias paramilitares. Esses grupos de indivíduos, doutrinados pelo estado, existiu entre 1922 e 1945.

As pulsões de morte, como podem observar ao ler essa mensagem sinistra publicada recentemente no facebook, causa espanto e temor. Tomo-a como exemplo, pois nos dias de hoje existem inúmeras mensagens semelhantes postadas nas redes sociais. Isso nos faz recordar os tempos trágicos do nazismo e dos fascismos e as mais recentes atrocidades que temos observado no mundo – também, bem perto de nós. É só folhear as páginas dos jornais e sintonizar com os canais de televisão para percebermos o ódio, o ressentimento, sem nenhum pudor, que está bem na nossa frente diante de nossos olhos e ouvidos, e, que, muitas vezes, escutamos calados como se isso fosse natural, pois banalizamos o mal e negamos (e até rimos) da sua existência com certo cinismo como se estivéssemos já nos acostumados com a boçalidade, a violência cotidiana da “razão cínica” de que nos falava Peter Sloterdijk.
De onde vem tanto ódio como esse manifestado por esse internauta, que, na privacidade de sua casa ou escritório, não tem o menor pudor em revelar os subterrâneos da consciência humana que nos levam mais a Tanatos do que Eros?
Eis aí a banalidade do mal de que nos falava Hanna Arendt, instaurada no coração de um país que se diz cordial, como no lembra Fred Di Giacomo no artigo que publicamos aqui no jornal Catarse deste mês.
A mesma autora, na obra chamada Da violência questiona a naturalização da violência, quando afirma, por exemplo, que ela é um componente animal do homem. Para saber que o povo lutará por sua pátria – afirma ela – não precisamos descobrir instintos de “territorialidade grupal” em formigas, peixes e macacos; para aprender que a superpopulação resulta em irritação e agressividade, não temos que fazer experiência com ratos. Basta passar um dia nos cortiços de qualquer cidade. Fico surpresa e encantada de ver que alguns animais se comportam como homens; mas não consigo ver de que forma isto pode justificar ou condenar o comportamento humano.
Reforçando o argumento de Hanna Arendt, Jurandir Freire Costa afirma que o argumento biológico sobre a natureza da violência é inconsistente, porque se apoia na premissa, também questionável de que a violência é produto da conduta humana movida pelo instinto e não pela razão.
O ódio, com observou as psicanalistas Melaine Klein e Joan Riviere na obra Amor, Ódio e Reparação (Editora Imago), parte do pressuposto de que o outro “possuí mais do que nós e considera que os outros adquiriram roubando-nos”, ou seja, o invejoso que odeia joga toda a culpa nos outros, “pois eles são a causa de nós não prestarmos no mundo.” Os seus sentimentos de injustiça e ressentimento, afirmam as duas psicanalistas, “desenvolvem-se como projeção de uma noção inconsciente de nossa própria indolência e mesquinharia em relação aos outros e adquire muito poder, tornando-se a semente da maioria das formas de psicoses delirantes, na qual outras pessoas são suspeitas de nos roubar, de nos envenenar ou conspirar contra nós” (p. 52-53).
O invejoso que odeia, ao projetar no outro os seus infortúnios, não se implica, não tem autocrítica e age movido pelo recalque de seu mórbido inconsciente corroído pelo ódio que o cega e envenena a alma. Ele odeia a política e os políticos, assim como os que têm sucesso e não consegue esconder sua inveja e seu ressentimento que pode levar à loucura e ao desejo de morte do outro.
O invejoso que odeia, ao projetar no outro os seus infortúnios não se implica, não assume a sua responsabilidade porque não tem autocrítica e age movido pelo recalque de seu mórbido inconsciente corroído pelo ódio que o cega e envenena a alma. Ele odeia a política e os políticos, assim como os que têm sucesso e não consegue esconder sua inveja e seu ressentimento que pode levar à loucura e ao desejo de morte do outro.
Frustrado, ele cria inimigos, reais e imaginários, como os nazistas criaram bodes expiatórios: os judeus, os negros, os pobres, os meninos de rua, pois quem odeia precisa de uma causa qualquer, mesmo pequena e irrelevante que seja. Pode ser também um ódio religioso, político ou ideológico, não importa, tem que existir um culpado para que possa dirigir a sua pulsão de morte. Seu lema, como mostrou Erich Fromm ao analisar um discurso na Espanha fascista percebeu que o lema pronunciado por um militar era “viva a morte”, como faz esse cidadão que postou essa mensagem pelas redes sociais.
Outra característica de quem alimenta o ódio é a incapacidade de conviver com a diferença, seja política, racial, sexual ou religiosa. A mínima diferença pode ser motivo de segregação, ou limpeza étnica, como fizeram com os judeus, ciganos, os velhos, os incapazes, os homossexuais e tantos outros personagens, definidos com base em estereótipos. No Brasil sabemos muito como isso se dá com relação aos nordestinos, os negros, os índios, etc. principalmente quando são pobres e ousam dividir o espaço com a “massa cheirosa”, conforme a denominação de uma jornalista paulista. O assassinato do índio que estava dormindo na rodoviária de Brasília está vivo na nossa memória.
Estão ai os ingredientes para o transbordamento do ódio, tão cultivado nos dias de hoje pelos meios de comunicação (impressos e eletrônicos) que contribuem para alimentar a intolerância em nosso país, fazendo com que o ódio se traduza em agressões públicas, como vemos hoje nas redes sociais. O que está acontecendo na Venezuela mais recentemente já se observa disseminado no Brasil, principalmente nessa disputa eleitoral que se aproxima, onde se aproveitam até da morte para vencer uma eleição afirmando que foi “uma vontade de Deus”.

Num país onde a desigualdade é tão gritante como o nosso, de renda tão concentrada (como sempre foi), será que o ressentimento e o ódio não têm a ver com o fato das classes populares estarem tendo a oportunidade de adquirirem alguns direitos e entrarem no mercado de consumo, diminuindo um pouco a assimetria social?
Veja o ódio e a intolerância de nossas elites dominantes ao perceberem que os mais pobres estão viajando de avião, como se estivessem roubando um privilégio que elas consideram só deles. Como ousam frequentar lugares tão reservados e elitizados pelas pessoas consideradas “finas”, os ricos e a classe média alta, como nos mostrou o filme Cronicamente Inviável?
Tenho percebido um fenômeno preocupante: é verdade que setores significativos das classes populares estão entrando no mercado de consumo e aspirando maior mobilidade social. Mas é possível observar que nesses tempos de hegemonia do capital financeiro e a ideologia do consumo ao extremo e a qualquer preço vem ganhando força. O dinheiro torna-se o grande fetiche e está associado ao sucesso, pois sem ele o cidadão se considera um pária, um símbolo de fracasso pessoal premeditado e vê sua autoestima vai rolar ladeira abaixo.
Não é sem razão que nos dias de hoje muitos adultos e jovens da classe média e pobres estão entrando no mundo da delinquência, especialmente no narcotráfico, como estamos vendo diariamente nos meios de comunicação social. Ou seja, a ideia de “sucesso” nos dias de hoje não passa necessariamente pela ascensão através da educação formal, do trabalho árduo e da persistência para conseguir o que se deseja. Na percepção de muitos jovens, adquirir uma educação humanista capaz de lhe proporcionar uma consciência crítica não faz parte de seus desejos e aspirações. Eles querem enriquecer rapidamente e não medem esforço para conseguir aquilo que aspiram, mesmo que, para isso, usem meios ilícitos e antiéticos. Como na lei de Gerson, “o importante é levar vantagem”, mesmo que isso signifique lesar os outros, considerados por eles otários, sonhadores “bundões”.
As figuras com os quais se identificam, os seus heróis, não são mais os seus país, seus professores, os políticos, ou os grandes líderes humanitários, mas os jogadores de futebol que se tornaram famosos e ganham fortunas, as celebridades e tantos ídolos do mundo mediático. No mundo da política, aliás, eles consideram todos os políticos ladrões, que merecem ser fuzilados em praça pública. Eles não sabem mais em quem votaram nas últimas eleições e nem reconhecem que quem escolhe os representantes políticos são eles próprios. Seus conhecimentos sobre a história do país em que vivem é nula, tão superficial que não conseguem lembrar-se de acontecimentos recentes. A capacidade de interpretar um texto é de uma superficialidade abismal. Sua linguagem é hiperbólica, exageram ou diminuem a verdade das coisas e acreditam em tudo que a mídia transmite, sem nenhum senso crítico e discernimento, como se vivessem na superfluidade, num mundo imaginário criado pela propaganda e por uma mídia manipuladora e criadora do admirável mundo novo.
Vivem, também, imersos no mundo da diversão e distração. Quando encontram uma pessoa que gosta e desfruta da leitura encara-o como um ser exótico, uma múmia, um ser arqueológico. Tudo que se refere às obras de arte, pensamento e trabalho expressivo da sensibilidade, da imaginação, da inteligência, da reflexão e da crítica não desperta interesse, porque o que realmente tem valor para eles é o que “vende”, o que dá resultado, o que significa um passo para a vulgaridade, para o que Adorno e Horkheimer chamaram de “atrofia da imaginação”.
Essa atrofia da imaginação nesse mundo que dá muito valor à diversão e distração pode ser observada atualmente no nosso cotidiano. Observem ao seu redor e percebam pessoas conectadas com seu telefone celular na mais absoluta indiferença com quem está ao seu redor. Consomem e são consumidas por imagens, mensagens de forma compulsiva; fantasiam, criam vínculos com quem nunca viram e idealizam na virtualidade e, muitas vezes, se frustram. A falta do aparelho é sentida como uma perda, algo capaz de provocar ansiedade e depressão, como se perdesse um órgão de seu próprio corpo. Consome aparelhos celulares que mudam rapidamente, pois sempre há algo novo no mercado e, paradoxalmente, são consumidos por ele, pois esses objetos roubam o seu precioso tempo e a comunicação face a face com os outros que estão ao seu redor.
Outra forma de atrofiamento é bem conhecida na modernidade líquida em que vivemos: a indefectível e onipresente televisão. Tenho a impressão que o cotidiano das pessoas no mundo contemporâneo não é mais aquilo que se vive, mas aquilo que se olha, que se mostra, o simulacro e descrição sem nenhuma relação ativa. O mundo inteiro nos é oferecido através de um olhar passivo, preguiçoso, indolente, onde são consumidas mensagens instantâneas e nada parece nos inquietar.
Como diz Blanchot:
Não temos que nos inquietar com os acontecimentos, desde que pousemos o olhar desinteressado sobre sua imagem, a seguir, um olhar simplesmente curioso, e por fim, um olhar vazio, mas fascinado. Para que tomar parte numa manifestação de rua, se no mesmo momento, no repouso e na segurança, graças a um aparelho de televisão assistimos à manifestação ali onde, produzida e reproduzida, oferece-se à nossa vista, suas testemunhas superiores?
O efeito é evidente: a despolitização.
A prática é substituída pelo pseudos conhecimento, pelo olhar irresponsável, por uma contemplação superficial, despreocupada e satisfeita. O mundo vira espetáculo do espetáculo da comunicação. O homem, bem protegido entre as quatro paredes de sua casa e de sua existência familiar, deixa que o mundo venha a ele, sem perigo, certo de que não vai mudar porque vê e ouve. A despolitização está ligada a esse movimento. O homem de governo, que sempre temeu e teme a rua, alegra-se por ser apenas um empreendedor de espetáculos, hábil em adormecer em nós o cidadão a fim de manter acordado na semi-obscuridade e na semi-sonolência o infatigável olhar de imagens.
A inserção da massa empobrecida no consumo na sociedade brasileira não se da mesma forma no chamado que o capitalismo avançado, hoje em crise. Como já mostrava Costa, o incipiente parque industrial do Brasil, completamente atrelado ao à indústria estrangeira, conseguiu impor às elites dos grandes aglomerados urbanos a mentalidade do consumo. Favorecido pelo autoritarismo político e pela concentração da renda por ele patrocinada, o consumismo disseminou-se no país como um decalque, em escala menor do similar europeu ou norte americano.

A escola, por sua vez, devido a muitos fatores que todos conhecem, está muito aquém da vida desses jovens, pois ela não é mais o espaço onde eles se identificam, porque está distanciada no mundo e descolada da realidade, educando-os para um mundo que não mais existe e criando seres apáticos, alienados e sem opinião própria. Como enfrentar, diante disso tudo, um mundo violento e permeado de medo em que vivemos?
Na minha prática como educador numa universidade pública fico impressionado como muitos jovens, homens e mulheres, assimilam essa cultura do ódio. Alguns talvez concordem com a mensagem venenosa postada acima no facebook. Certamente porque respiram um ambiente cultural medíocre, acreditam no que a mídia divulga nos seus noticiários políticos e policiais e desconhecem a realidade de seu próprio país. Com isso, tornam-se receptivos às ideias e opiniões mais absurdas, fascistas, cheias, muitas vezes, de preconceitos e intolerâncias, esse caldo de cultura que alimenta o ódio, o preconceito a que nos referimos acima.
Às vezes penso que essa ascensão social que tem ocorrido no país tem seus aspectos positivos, principalmente nessa histórica desigualdade que marca a sociedade brasileira. Mas até que ponto não está se criando uma massa de pessoas receptivas ao discurso autoritário, como foi aquela legião de jovens e adultos cooptados pelo nazismo nos anos 30 na Alemanha, o Zé Ninguém descrito pelo psicanalista Wilhelm Reich?
Não podemos esquecer que vivemos num país violento, como nos mostra Di Giacomo no artigo abaixo, onde se viveu muito pouco uma experiência democrática. Um país onde a cidadania não se constitui e as elites mandaram sempre nos diversos momentos históricos. A ascensão econômica não significa maior avanço da consciência política da maioria. A despolitização, a criação de uma massa bestializada, que pode, na verdade, ser um tiro no escuro e ter um efeito bumerangue, trazendo para a cena política aqueles que se imaginam salvadoras da pátria. Uma política econômica voltada só para o consumo torna a cidadania manca e pode criar mais ódios do que imaginamos.

Responder

    Que coisa

    23/09/2014 - 22h53

    Assim cometido sob violenta emoção, assim como foram os mensaleiros petistas,vai pegar poucos anos de cadeia e com menos de três estará em prisão domiciliar

    paulo

    06/10/2014 - 08h13

    O PT passou os últimos 12 anos seguindo a cartilha de luta de classes Marxista Leninista, pôs pobres contra ricos, negros contra brancos, indios contra fazendeiros e homossexuais contra todos, a cartilha do PT é a do ódio, os nazistas aqui são vocês e estão colhendo o que plantaram, ou pensavam que plantariam ódio e colheriam flores?

luiz mattos

23/09/2014 - 09h22

Azenha,você que trabalha no “jornalismo isento”da TV Brasileira poderia explicar porque a Record não divulgou a pesquiZa Vox Populi?

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    23/09/2014 - 10h21

    Não sei. Não dirijo a Record. Não sou dono. Nem gerente. Nem chefe. Você pode me explicar as decisões tomadas numa esfera de sua empresa — se você trabalha numa empresa — que você não frequenta. Provavelmente — e eu digo isso sem nenhuma informação interna — porque vazou antes na internet como sendo tracking do PT.

Fábio Murilo Gil Brito

23/09/2014 - 06h54

Carta aberta a meu tio e primo Fernando e à toda a minha família.
Sei que, provavelmente, você não vai ler mas, mesmo assim, vou fazer-lhe um favor, de grátis…
Acredito em milagres. E, quem sabe, um dia, você atente mais para os ideais cristãos e humanos, e deixe de lado, ofensas gratuitas e o rancor e passe a agir mais racionalmente nas questões políticas e disseminando bons modos no debate político???
Destilar ódio no debate político não me parece uma forma inteligente de trazer as pessoas para próximo de nossos ideais, pelo contrário, as afasta…
Somos todos brasileiros e, a política, não deveria nos separar, e sim nos unir.
Não deveríamos buscar a destruição do nosso adversário como solução para fazer prevalecer nossa forma de pensar. Sob nenhum aspecto isto seria cristão nem humano.
Nesse espaço (minha página pessoal), jamais havia escrito ou colocado nada de política, aliás pouco usava o facebook pois, não via muita graça nisso aqui.
No entanto após tanto me contrariar com suas postagens (e as de meu primo Fernandinho), algumas delas contendo agressões gratuitas contra, principalmente, a presidenta Dilma Roussef, resolvi encarar o debate e rebater, uma por uma, cada uma das postagens infantis das pessoas que escolheram votar na candidata Marina ou no candidato Aécio.
Todo brasileiro é livre para votar como quiser e como seria bom que todos nós usássemos esta liberdade de forma CIVILIZADA E RESPONSÁVEL, não acreditando poder se esconder sob o manto da impunidade, após difundir mentiras, difamações, agressões vis, xingamentos e impropérios.
Cada um de nós, hoje, em certo grau, temos esta LIBERDADE devido a pessoas valorosas que durante os anos de chumbo da ditadura lutou para termos nosso país livre.
Ao optar por lutar para libertar nosso país do manto do obscurantismo, muitos pereceram pelo caminho, outros adoeceram irreparavelmente, devido a seqüelas das lutas e torturas que sofreram.
Uma dessas pessoas foi a Dilma Roussef, que aos vinte anos em flor de sua vida, estava nos porões da DITADURA, sofrendo todo tipo de humilhações e sevícias, somente por ter ousado a pensar diferente e a colocar em prática, idéias que visavam beneficiar o povo de nosso país.
Se tudo que ela tivesse feito, estivesse errado, ainda assim, deveríamos ver nela, uma jovem honrada que não ficou parada diante do brutal poder da opressão e se lançou de corpo e alma contra ele, mesmo sabendo que poderia colocar termo à própria vida com tal decisão. Ainda assim, teríamos uma dívida de gratidão com ela.
Faço uma breve pausa em minhas reflexões para questionar: Onde estavam todas estas religiões, todos estes profetas, todos estes pastores, todas estas igrejas, bispos e quetais, quando as trevas se abateram sobre nosso país? Os Malafaias, onde estavam? Os Felicianos, que fizeram?
Existem tantas religiões e igrejas no mundo que me parece absurdo e incompreensível que haja tanto mal a atingir tanta gente.
Estes dias li algumas frases que talvez nos dêem algumas pistas de como isto possa acontecer. Em uma delas dizia Saramago, ao ser perguntado sobre como os homens sem Deus poderiam ser bons, ele respondeu, como podem os homens, com Deus, serem tão maus?
Se eu tivesse a honra de, um dia, estar próximo desta figura admirável, que reconheço na pessoa da nossa presidenta, eu a olharia bem no fundo de seus olhos e, depois de um breve tempo calado, iria dizer-lhe: Muito obrigado minha querida, saiba que se alguns do teu povo não entendem ou não sabem o que tu fizeste por nós, o que está em meu coração suplanta, em muito, tudo que de negativo possam dizer contra você.
Fique com Deus Dilma e segue em frente. Muito axé da Bahia para ti querida. Um grande abraço.
Fábio Murilo Gil Brito, cidadão brasileiro.
Itarantim, 22/09/2014

Responder

Adriano Medeiros Costa

22/09/2014 - 23h16

Lamentável…

Responder

Francisco

22/09/2014 - 23h09

O PT precisa prestar mais atenção a seus militantes: anonimamente milhares de Hiagos lutam divulgando e defendendo os principios para uma sociedade justa e solidária. Durante as campanhas o partido convoca-OS para as mais duras batalhas, mas para governar a história é outra…
Até quando os militantes serão ” reconhecidos ” apenas quando morrem?
A nossos pêsames e solidariedade à família devemos cobrar ações concretas do Partido: mais PT no governo; mais distribuição de renda, mais educação, mais saúde; chega de medo da mídia.

Responder

Polyana Maria Costa

22/09/2014 - 22h54

Detesto violência e tirar uma vida é abominável. Infeliz aquele que cometeu este ato, não tem bom fim não.

Responder

abolicionista

22/09/2014 - 21h32

Isso é só a ponta do iceberg, infelizmente é o que eu acho. É muito comum policiais ameaçarem manifestantes e quem participa de movimentos sociais. E muitas vezes eles cumprem a promessa. A democracia brasileira ainda é extremamente frágil. Nosso ingresso no neoliberalismo varreu do mapa os impulsos renovadores da redemocratização. Direitos democráticos essenciais, como os de livre-reunião, são desrespeitados pelo próprio Estado que deveria garanti-las. O discurso anti-petista é apenas um ramo do discurso anti-democracia, discurso do nosso Ancien Regime escravocrata. E mudar isso vai levar tempo…

Responder

Luís Carlos

22/09/2014 - 16h36

Desde que Borhausen, o da “nova política” de Marina disse que iriam “exterminar essa raça” está claro o ódio de classe, incluído aí o PT. Diariamente lemos nas redes sociais gente vomitando esse ódio dizendo coisas como “matar os petralhas”, “petista bnom é petista morto”, “exterminar petistas” e tem comentarista desse post, que se acha revolucionário, que diz que não sabe foi por ódio ao PT essa morte. Ingenuidade? Não, apenas compromisso com o que há de pior. Isso se soma aos que quando uma mulher é estuprada culpam a mesma por “não se vestir ou se portar corretamente”, ou aqueles que diante de atos racistas acusam a vítima de provocar e fazem dos agressores vítimas. São incapazaes de revolucionarem sua própria vida, e relativizam a morte de um jovem que cantava e compunha pela paz. Quanto ódio ao PT de revolucionários de coisa nenhuma! Quanto ao ódio ao PT de “democratas” teofacistas! Não são libertários, nem libertadores, só desaprisionadores da intolerância, de preconceitos, do ódio mais rasteiro travestido de “desejo de mudança contra tudo que está aí”.
Fazer defesa de incendiários e assassinos de jornalistas mas relativizar causas de assassinato de jovem desarmado. Capitulação e submissão à opressão, por quem acha que o que se escreve na mídia nacional ou internacional tem credibilidade, é disso que se trata. Covardia de assumir a dor de quem perdeu um jovem de forma estúpida, por simples ódio e intolerância.

Responder

    Mário SF Alves

    22/09/2014 - 21h22

    Luis Carlos,

    Uma parte dos que destilam ódio contra o PT e dos que rotulam os petistas de PETRALHAS tem claro o seguinte:

    Brasil socialmente bom é Brasil socialmente morto!

    Já a outra parte, bom… a outra… os marias-vai-com-as-outras, pergunte-se ao esgoto, aquele antro de [email protected] chamado Óia!

MAAR

22/09/2014 - 15h17

A mentira e o ódio são as principais armas dos fascistas que apoiam a direita golpista e os farsantes de todos os matizes. Mais existe esperança de que o povo mostrará nas urnas que o amor à verdade é mais forte do que o ódio e a farsa. Pêsames e reverência máxima à memória de Hiago. E que a reeleição sirva também para erguer uma estátua em sua homenagem, para eternizar o repúdio aos assassinos e à intolerância política.

Responder

Yacov

22/09/2014 - 13h16

E tem uns tapados como o tal do ‘PAULO SPINA’ do ‘feicibuki’ que acusam o PT pela morte de cerca de 50.000 brasileiros por ano, por assassinatos, a grande maioria jovens até 25 anos e negros. Isso nada tem a ver com o PT meu caro, é sim fruto de 500 anos de abandono do povo por DES-GOVERNOS DIREITOPATAS e FASCISTÒIDES COMO TU, mané, que largaram o povo à míngua e agora não suportam a sua ascensão. E se ainda temos 50 mil assassinatos por anos, imagina sem programas sociais, sem empregos, sem o acesso à Universidade que só agora os pobres conseguiram. Eu sei, você quer que pobre se exploda, né ?!? E eu quero que você ACORDE, estúpido !!!

“O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

Responder

Luiz

22/09/2014 - 12h50

Lamento muito pela morte do rapaz. Mas até agora não ficou provado que o crime tenha sido por causa da sua militância.
Lamentável são esses blogs quererem politizar o fato sem nenhuma prova e associar o crime à oposição. A meu ver isso é outro crime.

Responder

olavo

22/09/2014 - 12h23

Acho mesmo que quem tem odio da classe media é o PT, declarado inclusive pela Marilena Chauy….abertamente….eu ja votei nesse partido de dementes petistas, agora, Marina neles…no segunto turno….50 a 40…vamos ver…o povo ta de saco cheio de tantas mentiras e arrogancia…chegaaaaaaaaaa……..

Responder

Almir

22/09/2014 - 11h30

FELIZ 2015 com Marina. É um recuo atrás do outro. Só não recua na “flexibilização das leis trabalhistas, pra reduzir o “custo BraZil” e você pagar a conta. Portanto comece a dar adeus a férias, 13º, repouso semanal remunerado, hora extra, adicionais, licença-maternidade…

Responder

O Mar da Silva

22/09/2014 - 11h25

O candidato à reeleição ao cargo de governador, Beto Richa, numa entrevista na RPC TV(afiliada da Rede Globo no Paraná) disse sem cerimônia que seu objetivo maior era derrotar o PT.

Uma declaração dessa não é suficiente para que haja reflexão sobre o que se tem feito desde que o Lula venceu as eleições em 2002. O discurso de ódio da direita com amplo apoio da mídia não tem tido o mínimo contraponto por parte do governo federal.

Pior. O PT pensou que a sociedade iria marchar para um esclarecimento de forma natural, mesmo com um ‘bombardeio’ diuturno de uma imprensa que ‘descobriu’ o Brasil logo após a eleição do Lula.

A morte do jovem não será tratada como morte política por ódio, pois ações da direita nunca são tratadas como ódio pela mídia e pela justiça. Resta a pergunta ao Ministro Bernardo das Teles(Comunicações) e à sua chefe, Dilma Rousseff:

Até que ponto a falta de combate, por parte do governo, às ações de criminalização ao PT por parte da mídia – incluindo o financiamento de empresas de comunicação com recursos públicos – contribuiu para essa morte?

Uma parte da população comprou o discurso da mídia que apresenta o PT como um sinônimo de corrupção que precisa ser banida da vida do país. E o PT faz vista grossa a isso tudo.

Responder

    Marcos

    22/09/2014 - 12h19

    Ué, não entendi. O objetivo de qualquer candidato é derrotar adversários, e o PT, ao que eu saiba, é adversário do PSDB. Ou o PT não tem por objetivo derrotar o PSDB ?

    MARCOS AURELIO VIEIRA

    22/09/2014 - 16h21

    Marcos.
    Dois pontos:
    1 – Derrotar é uma coisa. O que a mídia e os candidatos de oposição estão pregando é exterminar da face da terra.

    Em 2006, o senador Jorge Bornhausen (PFL-DEM) lançou uma provocação violenta contra a reeleição de Lula: “Vamos acabar com essa raça. Vamos nos livrar dessa raça por, pelo menos, 30 anos”. http://www.cartacapital.com.br/revista/818/por-que-o-odio-ao-pt-5795.html

    2 – Ao invés de pensar em derrotar, por que não apresenta propostas?
    Moro no Paraná, e o estado está numa queda em praticamente todas as áreas. E ainda não vi desse atual candidato nenhuma proposta convincente. E ai vem com essa que o objetivo principal dele é derrotar seu adversário (o mais estranho, o segundo colocado na pesquises – caso alguém ainda acredite nessas pesquisas – não é do PT). Ou seja, ele se referia no plano Nacional.

    3 – Desde o descobrimento do pré-sal, eu comecei a perceber uma movimentação estranha da mídia, e seus candidatos (sim a grande mídia tem sua preferência e isso é notório).
    Já tinha visto o documentário inteiro, mas resolver rever só uma parte: https://www.youtube.com/watch?v=y6j0LWiTyeg
    Pode parecer teoria de conspiração, mas é muita coincidência algumas coisas coisas que vem ocorrendo.

    4 – Conclusão:
    Não se tem clareza do que é politica hoje, pois todos estão cegos de ódio e tudo é culpa do PT. Como se o Brasil tivesse começado em 2003 (até acredito que em alguns setores sim) e que então começou a corrupção.
    Tem muitas coisas que eu não concordo no atual governo, mas como falo para quem está mais próximo do meu convívio: daqui 50 anos, alguém vai pesquisar na grande mídia sobre os tempos de hoje, e vai achar que não teve nada, mais nada de bom. Nem uma evolução, mas nada mesmo. Conjunto vazio. Que vivemos num período de todo o tipo de caos.

    MARCOS AURELIO VIEIRA

    22/09/2014 - 16h32

    Ia escrever só dois itens.. mas lembrei de outras coisas… rss.

Riaj

22/09/2014 - 09h10

Condolências aos familiares e amigos. Espero que esse seja um marco para a mudança dessa maneira suja de fazer política. A criminalização da política com certeza irá canalizar para a violência.
rumao à vitória.

Responder

Daniel

22/09/2014 - 08h24

Esse ódio vêm do tempo da Guerra Fria, aonde os verdadeiros criminosos do planeta – os banqueiros – decidiram que o comunismo era uma ameaça para eles então deveria ser eliminado. E para isso eles inventaram a história de que o comunismo seria o mal encarnado (e ironicamente ajudados por Stalin nesta parte), e a população global é tão estúpida que engoliram a história com anzol, chumbada e linha.

O problema é que a sociedade no geral continua estúpida e os banqueiros continuam precisando de um “inimigo para ser odiado” (e assim desviando a atenção do verdadeiro inimigo), então essa história para boi dormir continua até hoje.

P.S: E antes que algum mal informado venha questionar: O problema do comunismo não é a idéia em si, assim como o capitalismo o problema são as pessoas que tentaram implementar e o fato de que o ser humano no geral é egoísta demais para ser possível o uso do comunismo como sistema econômico. O que aliás acontece também com o capitalismo, apenas em um grau ligeiramente menor.

Responder

Almir

22/09/2014 - 07h48

FELIZ 2015 com Marina – Comece a dar adeus a férias, 13º, repouso semanal remunerado, hora extra, adicionais, licença-maternidade…

Responder

elisa

22/09/2014 - 05h50

Eu fico muito triste pelo Hiago,lamento mesmo, mas acho ingenuidade achar que não haveria esse tipo de campanha de ódio de certos setores em um país que tem sua formação com base na escravidão, que durou quase 400 anos, e em uma ditadura, que durou 30 anos. Temos em média uns 60 anos apenas de um sistema social relativamente livre. O que eu penso é que o PT não pode se omitir porque se não houver um contraponto essas coisas vão florescendo. Como na Copa, eu procurava informações, até para defender a Copa, e não conseguia, foram anos de ataques diários à Copa, são 12 anos de ataques diários ao PT na imprensa tradicional.

Responder

    Zagalo

    22/09/2014 - 10h27

    1-A direita teme a abertura das verdadeiras Caixas Pretas.

    2-A direita dita as regras de sua moral ao PIG e tenta impôr o mesmo à sociedade pobre e média.

    3- A sociedade média-economica macaqueia os valores da classe alta economica e sem educação. Guarda o ódio pra dentro. Um dia vai desferir o mesmo em cima da classe pobre – a única que pode massacrar

    4- Os capatazes de toda ordem com poderes parcos, mas arrogantes partem para a execução da ordem: massacrar, calar as bocas, e ou matar.

    5- A classe pobre não é politizada e começa a sê-lo. E a cobrar.

    6- As classes média e média alta (mais antigas ou seus herdeiros temem a perda dos empregos pois a maioria não tem qualificação e está empregada desde a privataria esem condições de concorrer na praça.

    Eis o resumo.

    Eis o resumo.

FrancoAtirador

22/09/2014 - 04h52

.
.
DILMA RESPONDE AO ÓDIO COM DUREZA,

PERO SEM PERDER A TERNURA JAMAIS.

(https://soundcloud.com/mudamais)
.
.

Responder

fatima maria

22/09/2014 - 04h10

A dor da família desse garoto é o que mais me entristece nesse momento. A estupidez tirou a vida de um jovem e parte da vida de seus pais, irmãos se os tiver. Independente de ser o ódio contra o PT ou não, a estupidez e ódio podem matar pessoas. Que a passagem do jovem Hiago aqui na terra não seja em vão; que cada um de nos façamos nossa parte para construir a paz e a tolerância, para que essa energia possa neutralizar o ódio dos que se deixam dominar por esse sentimento horrível. O grande exemplo, Lula e Dilma, que mesmo recebendo toda essa carga de ódio, não revidam com o ódio. Eles alimentam a paz, aprofundam a democracia, respeitam a cidadania, até daqueles que lhes atiram pedras;Isso é colocar o amor sobre o ódio. Isso é vencer.
Que Deus dê muita força a família de Hiago, e muita luz no seu novo tempo.

Responder

S Rod

22/09/2014 - 02h15

O PIG Vigarista nao vai comentar. Esqueceram a bolinha de papel na careca do Serra? Eles fazem politica do tempo das Capitanias Hereditarias.

Responder

sergio

22/09/2014 - 01h49

Esta campanha de ódio é destilada, diuturnamente, pela mídia tradicional, representante dos que se acham “elite”.
Esta turma está muito incomodada, pensam que o Estado Brasileiro é dela e que só existe para satisfazer seus interesses.

Responder

Rafael Oliveria

22/09/2014 - 00h41

Esqueci-me; líder evangélico só é apontado com responsável se apoiar a oposição; líderes evangélicos aliados do governo não são homofóbicos!

Responder

daniella

22/09/2014 - 00h14

Preciso do email de quem fez essa matéria, para que possa encaminhar um material de um terapeuta que declara em rede social que os petistas devem ser exterminados!

Responder

rhô

21/09/2014 - 22h49

A todo este ódio respondamos com nossa VITÓRIA!

Responder

Marat

21/09/2014 - 20h32

O ódio que uma certa parcela da classe média nutre pelo PT ou por partidos de esquerda, certamente iria dar nisso… O PIG não se pronunciou até agora. Eles vão esperar alguém do PT revidar, para dar um destaque imenso!

Responder

    FrancoAtirador

    22/09/2014 - 06h57

    .
    .
    Meu Caríssimo Marat.

    O COMETA G.A.F.E.* não precisa esperar revide.

    Faz mais de 2 décadas que a Mídia Empresarial

    pega qualquer bandido, assassino, estuprador,

    ladrão, sequestrador, assaltante de bancos,

    e vincula ao Partido dos Trabalhadores (PT).
    .
    .

Maria Rita

21/09/2014 - 20h26

É uma pena um jovem tão novo, exercendo seu direito de livre expressão em favor de um partido em que acredita, ser covardemente assassinado. É uma pena que algumas pessoas, por falta de alternativas ou falta de discernimento, são incapazes de respeitar as idéias alheias. Ninguém é igual a ninguém, embora queiramos ter as mesmas condições para alcançarmos nossos sonhos e realizarmos nossos projetos. Ninguém está acima da lei e a violência tem justamente como raiz atitudes como essas do agressor, agora assassino. Que a família desse jovem que se foi, encontre o conforto na certeza de que seu filho fez o que achava justo e o mais correto. Que Deus os abençoe.

Responder

Bacellar

21/09/2014 - 20h25

Algo bizarro que notei nos últimos anos é que a mídia de tanto bater conseguiu que a população criasse comportamentos estranhos como por exemplo o preconceito à barba…Já reparei várias vezes que quando estou com a barba comprida muita gente olha torto. No comércio tem gente que não responde bom dia e te olha com cara feia, e olha que eu procuro sempre ser simpático com as pessoas em geral…Tenho algumas tatuagens nos braços mas já reparei que o preconceito contra tatuagens é menor do que o pela barba comprida…Jesus Cristo em SP receberia muitos olhares enviesados.
Descanse em paz Hiago! Que o PT faça todas as homenagens possíveis e as autoridades investiguem esse horrendo assassinato…

Responder

Francisco

21/09/2014 - 19h05

Será que Marina vai ao velório do rapaz?

Responder

Gerson Carneiro

21/09/2014 - 17h35

E não será destaque no Fantástico.

Seria, se não fosse militante do PT. Aliás, seria a tal bala de prata.

Responder

    Lukas

    21/09/2014 - 19h13

    Não estaria aqui se fosse o contrário.

    E aí?

    Gerson Carneiro

    22/09/2014 - 13h39

    Aí que aqui você pode até blefar. E na Globo não me é dada a chance de ver comentário meu publicado.

    Viviane

    23/09/2014 - 08h23

    Ah, jura que você quer comparar o alcance do Viomundo, um site sustentado por crowdfunding, com o Fantástico, programa do maior grupo de comunicação da América Latina? #mecontendoparanãoxingar

Gumercindo Saraiva

21/09/2014 - 17h20

Infelizmente o ódio disseminado pela imprensa, especialmente pela Revista Veja tem alimentado uma classe média fascista, jovens despolitizados e toda sorte de calhordas. Em Curitiba existe uma pseudo-elite que diz ter horror à corrupção, porém já votou em Jaime Lerner, Cássio Taniguchi, Luciano Ducci e no “Piá de Prédio”, também conhecido como KinderOvo (Beto Richa). Está gente fala do Mensalão, porém nada diz sobre o Escândalo do Banestado. O preconceito de classe impera, daí o ódio em relação as políticas sociais levadas a cabo pelos governos do PT.

Responder

Marina

21/09/2014 - 16h25

Esse ódio de campanha permanente da mídia golpista a favor das elites e contra o PT nada mais é que o complexo de vira lata que faz com odeiem os pobres e não perdoem o PT por promover essa reparação histórica. Basta perguntar a qualquer um desses que destilam ódio contra o PT o que pensam do bolsa família, das cotas, do Prouni, do Minha Casa Minha Vida, da distribuição gratuita de remédios do ciências sem fronteiras e verão a fúria saltar os olhos e boca espumar. Querem um Brasil só para eles e que os pobres fiquem onde sempre estiveram: na senzala.

Responder

Cláudio

21/09/2014 - 16h13

Perda lamentável, sobretudo pelo grande ser humano.

Com Dilma, a verdade vai vencer a mentira assim como a esperança já venceu o medo (em 2002 e 2006) e o amor já venceu o ódio (em 2010). ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . Vote consciente e de forma unitária para o seu/nosso partido ter mais força política, com maioria segura. . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

Responder

cesar

21/09/2014 - 16h11

Investigação e punição aos responsáveis pelo assassinato.
Apoio aos familiares do Hiago
Basta de ignorância(será mesmo ignorância) politica

Responder

Mário SF Alves

21/09/2014 - 14h45

Uma coisa é o combate travado à luz da Constituição, outra coisa é o ódio, a difamação e a calúnia semeados à revelia da Lei.

Uma coisa é o combate travado pela garantia dos direito individuais e coletivos, outra coisa é a luta contra esses mesmos direitos e garantias.

Uma coisa é a democracia com a qual tanto sonhamos, outra coisa é a democracia tutelada por ditaduras econômicas e/ou midiáticas.

Responder

Leo V

21/09/2014 - 14h31

Mas no relato nada consta sobre ter sido morto por ódio ao PT. Pode ter sido muito bem por ódio aos cavaletes simplesmente.
Claro que é algo abominável, mas tentam politizar até essa morte. Novamente, pode até ter sido por ódio a PT, mas o texto não traz nada que vá nesse sentido.

Eu mesmo já tirei cavalete do caminho,nem sei de que partido era. Os caras colocam cavaletes em frente a faixa de pedestres e outros lugares de passagem. É a privatização do espaço público.

Responder

lulipe

21/09/2014 - 14h17

Mas não foi o próprio PT e lula que tentaram dividir o país entre bons e maus, pretos e brancos, ricos e pobres, honestos e desonestos, estão reclamando de quê???

Responder

    El Bartho

    21/09/2014 - 16h44

    Pense no que você escreveu…. Uma pessoa foi morta.

    Eduardo Vieira

    21/09/2014 - 17h01

    Esse Lulipe não pensa. Ele é robô. Um troll.

    Se bem que, um robô tem mais cérebro que o autor desse assassinato.

    Cadê a mídia do Paraná para repercutir o caso?

    Está ocupada fazendo campanha contra a Dilma e pela reeleição do Beto Richa.

    abolicionista

    24/09/2014 - 02h15

    Gente, ele é pago pra isso. Não vamos alimentar os trolls.

    Liana

    21/09/2014 - 21h09

    Quem está dizendo só vivo na televisão q vai governar com os bons, separando antes de eleita, os supostamente bons dos maus é dona Marina. Ou vc não está vendo os debates!

Tô de Olho na oPósição

21/09/2014 - 13h18

Como disse tão bem o Rodrigo Vianna: “Serra plantou ódio e o Brasil colhe preconceito”. Ódio ao PT, dentre tantas fomentadas pela mídia reacionária, mais uma fonte de violência contra nossos jovens. Até onde chegaremos?

Responder

Mário SF Alves

21/09/2014 - 12h55

Lembro que na campanha de 2010 morderam e quase estraçalharam o dedo uma militante do PT.

Agora, o brutal, covarde e estúpido assassinato do Hiago. Mais uma vez nos atingiram. Mais uma vez atingiram todos os que lutam pela superação do terrível regime Casa Grande-Brasil-Eterna Senzala. Mais uma vez atingiram a todos os que lutam pelo desenvolvimento socioeconômico do Brasil. Mais uma vez… até quando?

Responder

Mário SF Alves

21/09/2014 - 12h48

A direita partidária no Brasil jamais montaria e colocaria em prática uma equação de desenvolvimento socioeconômico do país. Não tanto por incompetência, claro, mas, sobretudo, por condicionamento ideológico e por terrível comprometimento com interesses estranhos publicamente inconfessáveis e que só fazem contrariar ou sabotar os direitos e garantias constitucionais do povo do Brasil.

O incitamento ao ódio contra o PT, contra o Lula e contra a presidenta Dilma é nada mais do que pura reação a esse acúmulo de forças e poder que os três conquistaram, e com isso, o “risco” de o Brasil libertar-se definitivamente do jugo da Matriz. E por conseguinte, da Matrix!
____________________________
Só nos resta saber como educar e/ou punir esses irresponsáveis ora a cavalo nesse vendaval de ódio.

É como dizem, “quem semeia vento… colhe tempestade”.

Responder

roberto

21/09/2014 - 12h38

Sr. Tarso, o sr. se esqueceu de incluir no rol dos que fazem campanha de ódio contra o PT, a sua filhinha a Luciana Genro. Sinto muitissimo pela morte do rapaz, acho que essa guerra contra o PT já passou dos limites, mas vc tem obrigação moral de dar nomes a todos os “bois”, o que inclui a sua filha.

Responder

    Dalva Maria

    21/09/2014 - 13h24

    Vc confundiu Roberto. O pai de Luciana é Tarso Genro, governador do RS.

    roberto

    22/09/2014 - 21h11

    Dalva, peço descupas pelo erro, realmente eu não conhecia o Blog do Tarso. Minha confusão se deu pelo fato do mesmo ser gaúcho, o que não me dá o direito de criticar o Tarso Genro sem ao menos ter checado que o mesmo não seria o responsável pelo texto. Insisto que devo desculpas a todos pelo comentário, mas não retiro que a A Luciana Genro tem se mostrado no mínimo irresponsável em tentar equiparar o PT ao PSDB em relação à corrupção. Ela sabe muito bem que isso não passa nem perto da verdade, que está se associando à estupidez da mídia brasileira com sua maldita agenda anti PT.

    Fernando Campos

    21/09/2014 - 23h45

    Primeiro, é realmente muito triste a morte do garoto, esse preconceito contra o pt é nojento mesmo. Agora, o teu comentário é quase tão ridículo quanto o dessa gente que sente asco pelo pt. Quer dizer, então, que não se pode criticar o partido mais? Insinuar que a Luciana Genro tem culpa pela morte do garoto é ridículo, pense um pouco antes de dar uma de fanático.

    Luís Carlos

    22/09/2014 - 16h23

    Seria o teu ódio que te cegou? Falas de Tarso Genro mas quem escreveu foi outro Tarso, de Curitiba. Por favor!!

leandro

21/09/2014 - 12h34

ódio plantando e incentivado por lula. com essa politica de “somos nos contra eles”. tatic chavista que nao deu certo la e nem vai dar certo aqui. “a classe media” como se fosse crime procurar melhorar de vida. Alguem já viu o lula num aeroporto? só vOA DE JATINHO

Responder

    Luís Carlos

    22/09/2014 - 16h25

    A Marina pode? Inclusive não declarar o jato na campanha? E o Lula, ex-presidente não pode voar de jato? Quanta estultice!

Fabio Passos

21/09/2014 - 12h00

O PiG incita a violência contra o PT.

Há uma parcela da classe média que está há 12 anos mergulhada na campanha de ódio e preconceito que o PiG promove contra o PT.

Diante da perspectiva de nova vitória do PT… os inconformados partem para a mais abjeta e covarde violência.

Responder

L@!r [email protected]+e5

21/09/2014 - 11h32

Outro dia o cara postou no Twitter que todos os petistas tinham que ser mortos. Vai tolerando no virtual até que acontece no real.

Responder

Manoel

21/09/2014 - 11h28

É lamentável o que aconteceu com Hiago, mas parte da responsabilidade é do próprio PT ao se apequenar no projeto de regulamentação da mídia e na quebra dos monopólios da comunicação.
O marido da candidata Gleisi é conhecido como o Homem da Páginas Amarelas, o Homem do Plim-Plim e também como o Bom Petista.
O PT não enfrentou a mídia no processo da AP 470 que colocou seus dirigentes na prisão, abandonando-os à própria sorte como se o dito processo se tratasse de apenas uma ação jurídica e não política.
Será que o PT está aprendendo que tem que fazer política e não ficar parado a tudo assistindo?
A mídia raivosa é o verdadeiro partido de oposição e o PT parece tratar isso como algo que está acontecendo em Marte, não no Brasil.
Acorda, PT! É hora de retirar os dirigentes da prisão. O processo urdido de crminalização do Partido dos Trabalhadores só estará completo quando Lula estiver na cadeia. Ou o PT acha que é tudo uma questão de rito jurídico sem injuções políticas?

Responder

Jorge Botelho

21/09/2014 - 11h14

Mais uma tragédia da falta de segurança no estado, como você bem mostrou esses dias no vídeo abaixo:
http://www.youtube.com/watch?v=HB7ghLzSg5U

Responder

Deixe uma resposta