VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Aécio disse a verdade sobre dinheiro que recebeu. Mas, falta saber: empresas que doaram R$ 60 milhões desde 2010 serviram de fachada para a Odebrecht?

25 de março de 2016 às 13h43

Captura de Tela 2016-03-25 às 13.17.11

O post da equipe de Aécio no Facebook e a sede de empresas que doaram uma enormidade, na Baixada Fluminense

Da Redação

No conjunto de documentos apreendidos no apartamento do executivo Benedicto Barbosa da Silva Júnior, da empreiteira Odebrecht, três páginas chamam especialmente a atenção: é uma planilha impressa com o registro de doações de altos valores feitas por empresas de nomes e atividades modestas: a Leyroz de Caxias Indústria Comércio e Logística Ltda. e a Praiamar Indústria Comércio e Distribuição Ltda.

Citado na contabilidade paralela da empreiteira, o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, disse que as doações em nome dele e do PSDB foram legais e estão declaradas à Justiça Eleitoral. Fato.

Porém, uma consulta ao Sistema de Prestação de Contas Eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral mostra algo espantoso: juntas, a Praiamar, a Leyroz e sua sucessora, a Rof Comercial Impex Eireli, doaram mais de R$ 60 milhões a partidos e candidatos nas eleições de 2010, 2012 e 2014.

A pergunta é óbvia: as empresas serviram apenas de fachada para doações que, na verdade, partiram dos cofres da Odebrecht? Só a investigação da Polícia Federal poderá determinar.

Curiosamente, a Praiamar e a sucessora da Leyroz dividem endereço na rua Silva Fernandes, 184, no Parque Duque, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. Uma sede modestíssima para quem jogou tanto dinheiro na política.

O senador Aécio Neves, em uma postagem no Facebook, admitiu ter recebido R$ 1.696.000,00 da Leyroz em 2010, quando foi candidato ao Senado.

Naquele ano a empresa fez doações a outros candidatos tucanos: José Anibal, Arthur Virgílio, Jutahy Magalhães Junior, Antero Paes de Barros, Antonio Duarte Nogueira Jr. e Bruno Araújo. Tudo com recibo e declarado.

A Leyroz também colocou dinheiro nas campanhas de José Serra ao Planalto (R$ 1,2 milhão) e Geraldo Alckmin ao governo de São Paulo (R$ 600 mil).

Uma pergunta que não cala: por que uma empresa de Duque de Caxias, no Rio, doaria a um candidato a governador de São Paulo e a um político que pretendia se eleger deputado federal por Pernambuco?

No total, em 2010, a empresa de Duque de Caxias deu mais de R$ 4,5 milhões ao PSDB, cerca de 25% de suas contribuições eleitorais daquele ano.

Já a Praiamar doou mais R$ 1.300.000, 00 às campanhas do PSDB em 2010. Na lista do TSE, foram R$ 24 mil para o candidato ao Senado Aécio Neves, R$ 100 mil para o candidato ao governo paulista Geraldo Alckmin e R$ 300 mil para o postulante tucano ao Planalto, José Serra.

As doações eleitorais das empresas seguiram um patamar estranho.

A Leyroz doou mais de R$ 25 milhões em 2010, caiu para cerca de R$ 8 milhões em 2012 e desapareceu em 2014.

Já a Praiamar saltou de R$ 7 milhões em 2010 para cerca de R$ 21 milhões em 2012.

Nas eleições de 2014, a Leyroz foi substituída pela Rof Comercial Impex Eireli, com o mesmo CNPJ. Supostamente é uma empresa de comércio varejista de artigos de vestuário e acessórios.

Porém, o valor das doações das duas empresas caiu vertiginosamente naquele ano: juntas, a Praiamar e a Comercial Impex doaram “apenas” R$ 3,3 milhões a candidatos e partidos.

Registre-se que nas três eleições as empresas doaram democraticamente a candidatos e comitês de vários partidos.

Quem poderá desfazer o mistério em torno das empresas acima citadas? Simples: o executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa, que fazia o meio-de-campo entre a empreiteira e políticos. Por que planilhas com os nomes de duas delas estavam em seu poder?

Da mesma forma, dirigentes da Leyroz poderão dizer às autoridades qual o interesse tinham na eleição de tantos deputados, senadores e governadores em 2010, ou de vereadores em Viamão, Santana do Livramento, Esteio e outras cidades do Rio Grande do Sul, em 2012. Vai ser interessante acompanhar os depoimentos.

Captura de Tela 2016-03-25 às 14.06.03
Captura de Tela 2016-03-25 às 13.57.49

 

36 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Um gigante, qual o Brasil, não pode se tornar uma piada de mal gosto.

26/03/2016 - 15h21

Exclusivo e urgente; urgente e exclusivo!
Se golpe for levado a força, governo ilegítimo já terá sua primeira grande divida. Golpistas paraguaios ameaçam golpistas brasileiros com processo milionário por plágio e difamação.
PE; fumar ,além de causar câncer de pulmão, estimula o desenvolvimento de doenças degenerativas e acessos súbitos de raiva, Ler a velha mídia causa demência, perda de memória e fanatismo. Não queira se parecer com alguém que lê as velhas mídias. PARE DE FUMAR.

Responder

Somos aquilo pelo que lutamos, não apenas o que nos tornamos

26/03/2016 - 15h13

Há somente duas vertentes, ou três , veremos adiante, para a tomada de uma decisão em um litigio qualquer; seja ele interno ou externo; ou se afirma ou se nega, omitir-se abrangerá de ou de uma forma ou de outra as duas opções anteriores, e por isso não chega a ser uma decisão; é em verdade é a ausência de decisão. Sem descermos demais, a complexidades desnecessárias , adotemos um exemplo prático, de ordem social e jurídica. Este processo de impedimento por exemplo. Vejamos assim, se neste caso há somente uma decisão justa, aquela guiada pela lógica especifica ao caso, pela razão social e jurídica, a popular verdade, qual seria o motivo de haver ainda divergência? Antes disso, por exemplo, a aprovação de um processo de impedimento sem os alicerces jurídicos , qual seja aqui o crime de responsabilidade, que é direto e não indireto, seria o mesmo de condenar um inocente por homicídio sem existir um assassinato . Essa comparação é inexistente no mundo jurídico, mas seria o mesmo de condenar alguém, tendo cometido uma lesão corporal, por tentativa “indireta” de homicídio. Ou seja , isso inexiste, ao ponto do absurdo. Todas as pessoas sensatas disso sabem e com coragem afirmam a todos . Aproveitando-se deste ponto, estanquemos o raciocínio, para abordar diretamente um ponto fundamental ;a incapacidade de parcela da população de enxergar a realidade, aceitando pelo ódio e preconceito um mundo fantasioso narrado pela velha mídia. Aqui, nada melhor do que um exemplo histórico; no nazismo, mesmo diante do suspeito e óbvio desaparecimento de pessoas , no caso dos judeus, junto aos boatos existentes das ações nefastas do governo nazista longe do olhar da população; a maioria ainda se deixava levar pelo ódio e preconceito para preservar a idolatria à Hitler. Na Alemanha nazista, Hitler , com suas desapropriações e invasões , com o uso obsessivo de mão de obra escrava, com uma certa ajuda da elite do capital norte-americano, conseguiu de fato reverter a miséria existente na Alemanha pos primeira guerra. Havia um sentimento de gratidão ,porem também havia uma espécie de identificação com a ideologia nazista; digo a vocês , viva até hoje na Alemanha, não me arrisco a dizer em qual proporção. Qual sentimento? O ódio aos judeus e a fantasia de uma superioridade do ariano, se é que seja existente esse conceito. Ora , parece o Brasil, e o ódio nutrido por setores da classe média alta e intermediaria para com as minorias étnicas e as classes pobres. Pois bem, acredito que estes certamente nunca despertarão para a verdade; pois, no caso da Alemanha nazista derrotada, mesmo com o holocausto , os campos de concentração , a “solução final”, que na verdade era genocídio , muitos ainda continuavam a idolatrar Hitler; somente agora faziam em intimo e avergonhados, pois seu líder , aquele a dar-lhes coragem para ir além da moral, estava derrotado. Conclusão, algumas pessoas são irremediáveis , fanatismo puro, por isso nunca cederão no impasse ou se convencerão do contrário; pois a verdade que possuem , para muitos essa é a função, é a que lhes convém. Estão surdos para a informação verdadeira ,são crentes de seus próprios preconceitos. Veja mesmo uma curiosidade , um juiz foi indicado , com clara intenção politica vinda dos imperialistas, dentre as pessoas mais influentes do mundo. Agora , pergunto, vá até na redação desta revista, depois de algumas semanas , e faça uma pesquisa e pergunte: quem é esse juiz influente ? A maioria dirá desconhecer, que dirá no resto do mundo. Mas os fanáticos do golpe na classe média alta se satisfazem com esse tipo de absurdo. A “verdade” que lhes convém. Pois bem, reatando o argumento inicial, refaço a pergunta: o que leva alguém a decidir , num processo político, em divergência da verdade evidenciada pela lei e pelo ideal de justiça em particular; vejam bem , não se trata de acusações, é mera especulação, pois mesmo que alguns juízes não saibam, mesmo os leigos conhecem a presunção de inocência . Desconhecimento da lei , finalidade política, popular golpismo, corrupção, medo , ódio , fanatismo ideológico, retaliação , vingança, chantagens … É suficiente para dizer não se tratar de uma decisão, principalmente política , pois ele exigente previamente um juízo . Quem está movido por esses sentimentos viciosos, não decide coisa alguma; é apenas uma boca e um corpo a serviço de um poder maior. Não se esqueça da terceira vertente neste processo. É a decisão conciliadora, que afasta a decisão injusta e acolhe a justa. Essa nobre tarefa cumpre aos juízes , os imparciais , com aptidão para domar suas paixões e vontades para encontrar a justiça. Resistência e união , para todos nós, para Dilma Rousseff, pelo esperança do Brasil como deve ser , uma potência mundial; pela continuidade da democracia.

Responder

renato

26/03/2016 - 13h57

SER HUMANO NATURAL gosta que outros passem fome..???
Tá bonito isto aqui hoje..
OS COXINHAS NATURAIS…espécie da evolução Humana,
geração criada pelos parasitas do estado, simbioticos do CAPITAL
esqueceram que o CORPO NATURAL onde parte do cerebro funciona
Dentro do caldo humano, ele não sabe se é doce ou amargo, agridoce
ou azedo, salgado ou insonso.
NÂO sabe que o SER HUMANO, pode ser alem da piramide evolutiva,
um SER ESPIRITUAL..a quinta essencia, o supra sumo da evolução.
O ser humano fadado ao desaparecimento, não conseguirá, influenciar
a evolução, coisa NATURAL aos animais.
O corpo NATURAL HUMANO servirá de alimento, na escala animal..podre.
NÃO HAVERÀ GOLPE..sabemos que é NATURAL a existencia de seres
destruidores, vassalos uns dos outros, fascista conforme classificação
ideologica, profanadores de sonhos, humanos tomados por doenças
evolutivas, descarte NATURAL de classes de animais..estão evoluindo
não há como lutar com algo PODEROSO.. como a classificação natural
de uma espécie..
NÂO PASSARÂO..
Este é apenas espamos de criaturas que a evolução aberrou..
Choramos pelas massas que ajudaram de uma forma ou de outra a
moldarem a CONSCIÊNCIA COLETIVA DO NOVO MILÊNIO.
A raça HUMANA agradece, aos “coxinhas”, seus orgasmos, vomitos,
defcção, fluidos, lagrimas de crocodilo, suas lutas inglorias, sua
baba infectada, o dano que causaram a suas gerações futuras, as sua
prole, aos seus antepassados..enfim..triste fim..
Estou entristecidos…preciso cuidar dos meus para que não entrem
na sopa amarga e de sentimentos tão contraditórios como o odio, a
inveja, o rancor, o preconceito, a agonia, a tristeza a depressão, a
insanidade, a auto mutilação, a perda dos belo, o abestalhamento,
o formigamento nas pontas dos dedos, a baixa imunidade, e a presença
de fungos e bacterias que esta traz aos CORPOS NATURAIS.
NÂO TERÀ GOLPE.

Responder

FrancoAtirador

26/03/2016 - 13h17

.
.
Entrevista: Juiz Göran Lambertz, Membro Integrante da Suprema Corte da Suécia
.
“Valer-se de grampos e divulgar conversas telefônicas interceptadas,
seja de que cidadão for, não é tarefa de um juiz.”
“Trata-se de algo tão impensável na Suécia,
que não consigo sequer imaginar que isso possa ocorrer.”
.
“É extremamente importante que juízes de todas as instâncias,
em respeito à democracia e à ordem jurídica e constitucional,
atuem com total imparcialidade.
Caso contrário, não haverá razão para a sociedade confiar
nem em seus juízes, e nem em seus julgamentos”
.
“Porque quando os representantes da Justiça
não são totalmente imparciais, não pode haver justiça.
Em vez de justiça, será feita injustiça.”
.
“Se um juiz sueco agisse de uma forma percebida
como não totalmente independente e imparcial,
a Suprema Corte anularia seu julgamento do caso.
O julgamento seria declarado ilegal.”
.
“Estou um pouco preocupado com o que está ocorrendo no Brasil.
À distância, tem sido difícil entender o que é verdadeiro e o que não é verdadeiro.
É muito importante que a mídia internacional informe os fatos em toda a sua abrangência,
pois não está claro quem está certo, e quem está errado.
Mas preciso dizer que me parece, de modo geral, que alguns atores do processo legal
que se desenvolve no Brasil não são totalmente independentes
em relação aos aspectos políticos do caso. Não quero citar nomes. Mas isso me preocupa.”
.
Por Claudia Wallin, Jornalista Brasileira, Radicada em Estocolmo, Capital da Suécia,
Autora do Livro “Um País Sem Excelências e Mordomias”
.
(http://www.diariodocentrodomundo.com.br/moro-e-gilmar-sao-impensaveis-na-suecia-diz-juiz-da-suprema-corte-sueca-por-claudia-wallin)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    26/03/2016 - 13h39

    .
    .
    Gilmar Mendes (GM) está tendo dificuldade para explicar
    o que deveria ser simples de descrever se simples fosse.
    .
    O seminário em Lisboa organizado por seu IDP, Instituto Brasiliense de Direito Público –
    onde trabalha a advogada que apresentou liminar contra a posse de Lula,
    acatada por GM -, transformou-se num mico internacional.
    .
    Entres os palestrantes, estão os Velhos Amigos
    Aécio Neves (PSDB) e José Serra (PSDB),
    além do ministro – parceiro no TSE e no STF – Dias Toffoli.
    .
    Michel Temer declinou para conspirar por aqui mesmo.
    .
    Dois inocentes úteis, Jorge Viana, senador pelo PT do Acre,
    e Luís Inácio Adams, da AGU, também estão no pacote.
    .
    “Me parece um seminário muito enviesado”, disse o historiador e ex-deputado do Parlamento Europeu Rui Tavares. “As mesas de debate quase têm como preocupação procurar uma justificativa teórica ou acadêmica para o impeachment”.
    .
    O escritor português Francisco Louçã, economista e ex-deputado, traduziu as intenções de Gilmar. “Só haveria uma razão, procurarem um endosso internacional para as suas diligências, fazerem-se fotografar ao lado das autoridades de Portugal. Se era esse o objectivo, fracassou”, escreveu no jornal Púbico.
    .
    “O seminário era de tão alta qualidade que os organizadores se esqueceram de consultar a ‘pertinência académica’ do ‘contributo’ dos oradores que convidaram. Ficando deserto de autoridades, o seminário limitar-se-á então, se ainda se vier a manter com tantos abandonos, a uma conversa entre juristas e políticos brasileiros sobre a graça do golpe que está a decorrer. Suponho que só a TAP agradecerá a cortesia”.
    .
    O mistério que fica é relativo à presença de Viana e Adams. A certeza é em relação ao caráter e às intenções de Gilmar Mendes e apaniguados, que tentaram arrastar os portugueses para sua farsa achando que estavam em seu quintal, o Brasil.
    .
    (http://www.diariodocentrodomundo.com.br/a-revelacao-da-farsa-do-seminario-de-gilmar-mostra-que-sua-fama-cruzou-o-atlantico-por-kiko-nogueira)
    .
    .

jeffBrasil

26/03/2016 - 13h01

interessante essas informações desse site.. oportuno seria levantar na receita federal o faturamento dessas empresas..

fonte: http://www.politicaaberta.org.br http://www.politicaaberta.org/entidade/00851567000171/PRAIAMAR_INDUSTRIA_COMERCIO_&_DISTRIBUICAO_LTDA

fonte: http://www.politicaaberta.org/entidade/00851567000171/PRAIAMAR_INDUSTRIA_COMERCIO_&_DISTRIBUICAO_LTDA

Responder

sandra rota

26/03/2016 - 12h51

Sindicatos está estranho o incêndio na CSI em plena sexta feira e véspera de páscoa. Estamos
Sob tentativa de golpe.lembrem-se a cia e muito eficiente

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 09h46

EXTRA! EXTRA! EXTRA!…

“Paulo Francis acaba de desmentir ‘O Listão dos Caranguejos da Odebrecht'”:

“‘Nananinanão’, ‘O Listão dos Caranguejos da Odebrecht no Petrolão’ não teve início na era do presidente José ‘SAIney’ [PMDBosta do Amapá apesar de sê-lo do Maranhão (sic)]. A rigor, ‘O Listão dos Caranguejos da Odebrecht no Petrolão’ começou a ser elencada na época dos, pasme, militares da ‘ditabranda’ dos Frias da puta!”

Entenda a contemporaneidade pelas palavras do próprio jornalista Paulo Francis

O VÍDEO ATUAL!:

https://www.youtube.com/watch?v=Q_nuXnu9ftk

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 09h31

EM TEMPOS FASCIGOLPISTAS, HORA DO RECREIO

A PRAÇA É ‘DELLES’!

‘Vazado’ o teor (sic) da alcunha do mais novo caranguejo [Risos] da praça:
‘Santo’!
Que, convenhamos, de Santo não tem absolutamente nada!
E, ademais, esta praça não é nova: foi fundada junto com os ovos das serpentes chocados no ninho do DEMoTucanato de SUMPAULO ‘A Locomotiva do Atraso’!
(…)

Assim o matuto morre!
De sorrir!

Pano rápido!

E passa a régua!

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 09h08

… E eu pensei que terminaria Santa a minha Sexta-feira!

… Ontem à noite, encontrei-me fortuitamente com alguns familiares e amigos(as)!
O discurso pétreo da ‘coxinhada’ é irrecuperável!
Pedi licença para me retirar do recinto:
“Peguem a lama da Samarco da Vale privatizada, e vá lavar os seus caranguejos!”

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 09h04

Da Série *[“Lava Jato] A narrativa sai do trilho”, por Tereza Cruvinel
*http://www.brasil247.com/pt/blog/terezacruvinel/222653/Lava-Jato-a-narrativa-sai-dos-trilhos.htm

NOTA: *PIMG (Partido da Imprensa mafiosa &$ Golpista)]

###

Manuscrito sugere cartel e 5% para ‘santo’ em obra de governo Alckmin

Por jornalistas Graciliano Rocha
de São Paulo
26/03/2016 02h00

Anotação apreendida pela Lava Jato com o executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Jr. sugere formação de cartel e pagamento de propinas em obra do governo de São Paulo [PSDB], em 2002
(…)

FONTE, pasme: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/03/1754249-manuscrito-sugere-cartel-e-5-para-santo-em-obra-de-governo-alckmin.shtml

Responder

Bom Samaritano

26/03/2016 - 04h38

Com certeza a Odebrecht e as 3 empresas citadas na matéria doam aos candidatos por pura bondade (filantropia) sem querer nada em troca depois.

Com certeza também, o fato da planilha encontrada no apartamento do executivo da Odebrecht, citar as 3 empresas que fazem as doações aos políticos, é pura coincidência.

Talvez o executivo da Odebrecht seja um médium e tenha psicografado o nome das 3 empresas, na planilha.

Sinceramente não vejo nada de ilícito em tais informações.

Responder

Messias Franca de Macedo

26/03/2016 - 00h47

… O DEMoTucano ‘decadelatado’ ‘Aécio 1/3 El Chato Principado de Liechtenstein Furnas Forever’ agora responde por mais um vulgar epíteto:

‘JAércio’!

NOTA:
ao que parece foi o ‘Nerso da Capitinga’ o memorável idealizador responsável pela elaboração do mais recente vulgar epíteto conferido ao ‘Mineirinho’ do Listão do PROPINÃO da Odebrecht!

Assim o matuto infarta!
De tanto sorrir!…

Com licença!

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…KKK

Responder

Golpe paraguai

25/03/2016 - 22h01

Mesmo roteiro, mesmas medidas, mesma origem… Mas, quando sabemos disso, podemos fazer diferente e mudar o futuro almejado pelo poder econômico. Nunca é tarde demais…

Responder

Jair de Souza

25/03/2016 - 20h07

Como podemos constatar, tudo é óbvio: um caso característico de empresas de fachada criadas para a prática de atos ilegais (lavagem de dinheiro, doações ilegais, desvios de recursos, etc). Com os dados disponíveis, seria muito fácil esclarecer a questão e determinar os responsáveis pelos crimes praticados. Entendam bem, eu disse seria muito fácil, mas não vai ser feito. Tão simplesmente porque não é esse o propósito daqueles que, teoricamente, deveram ser os maiores interessados nisso. Ou seja, se depender deles, as práticas criminosas serão abafadas nos meios de comunicação, os órgãos do Judiciário farão vista grossa a tudo e não haverá nenhuma condenação penal, política ou moral aos criminosos de ambos lados do balcão (as pseudo-empresas e os beneficiários de suas doações). O único fator que poderá alterar este provável desfecho é o esforço e a mobilização daqueles que não se conformam com as falcatruas que estão em curso. Claro que isto vai contra os desejos daqueles cujo único e exclusivo propósito é destruir tudo o que signifique algum tipo de alternativa ao modelo de dominação exclusiva do Estado e dos recursos da nação por parte da minoria seleta de sempre.

Responder

clodoaldo

25/03/2016 - 18h28

Provavelmente vão dizer as doações deles são legais e as demais (petistas) são propinas de caixa dois.

Responder

Sérgio

25/03/2016 - 18h18

Olá Azenha e Conceição,

Parabéns pelo esforço e trabalho de vocês que eu gosto muito. Peço que foquem novamente no afastamento do “Cunha”.

Como pode ele ainda estar comandando a Câmara e conduzindo o Golpe da Dilma?
Porque o STF ainda não o afastou? Esta deveria ser a pauta mais urgente no Tribunal. Afastado e Preso!!!

Gostaria que o assunto fosse novamente abordado pelos Blogueiros, com urgência, pois a mirdia trabalha para que ele permaneça, no mínimo, para a derrubada da Presidente. Parece que o afastamento dele sumiu até das manifestações!!!

Forte Abraço,

Sérgio

Responder

Messias Franca de Macedo

25/03/2016 - 17h12

Folha de São Paulo apontava Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra na lista de Furnas, em 2006

SEX, 25/03/2016 – 16:24

Jornal GGN – Em reportagem de junho de 2006, a Folha de S. Paulo publicou que “a lista de Furnas é autêntica”, baseando-se em um laudo da Polícia Federal, divulgado à época. Entre os nomes que estariam abastecidos pelo esquema de corrupção aparecem o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), o senador Aécio Neves (PSDB-MG), o senador José Serra (PSDB-SP), que teria recebido R$ 9,3 milhões, R$ 5,5 milhões e R$ 7 milhões, respectivamente, para campanhas de 2002.

Da Folha de S. Paulo
Por jornalista Rubens Valente
16/06/2006 – 09h50

Novo laudo da PF indica que lista de Furnas é autêntica

(…)

FONTE: http://jornalggn.com.br/noticia/folha-apontava-aecio-alckmin-e-serra-na-lista-de-furnas-em-2006

Responder

Messias Franca de Macedo

25/03/2016 - 17h00

Os 60 mais poderosos do Brasil – Andrea Neves é a 42a do ranking

Por iG São Paulo

Andrea Neves é uma dessas figuras que, de tão insondáveis, tão mitificadas, desmancham a fronteira entre a fantasia e a realidade

Andrea Neves sozinha vale por um departamento de Estado. Para muitos, ela personifica não apenas a comunicação, mas a própria área de Inteligência do staff de Aécio Neves. Nada fica imune ao seu radar. Ao mesmo tempo, Andrea ocupa também uma posição de destaque na interlocução entre Aécio e o empresariado, sobretudo em Minas Gerais. Difícil encontrar um grande nome da economia local com quem Andrea não tenha trânsito livre. Tudo sempre com a maior discrição e silêncio, como reza a cartilha mineira.

Reza o lugar-comum que político sem voto é político sem poder. Pois bem… A máxima não vale a mínima quando proferida no Palácio Tiradentes, sugestivamente fincado na chamada Cidade Administrativa Tancredo Neves. Andrea Neves, uma das herdeiras do capital simbólico do ex-presidente, precisou apenas de um eleitor, o irmão Aécio Neves. O escrutínio em família foi o suficiente para transformá-la em uma das figuras mais poderosas – e temidas – da política mineira nos últimos anos. Sem voto, mas com mandato fraternalmente concedido, tornou-se uma espécie de Cardeal Richelieu das Alterosas durante os oito anos da dinastia Aécio. À frente do Grupo Técnico de Comunicação do Governo, Andrea despertou som e fúria, dependendo do gosto e do partido do freguês. Aos olhos da situação, ela teve papel fundamental na construção da imagem de Aécio como gestor competente que saneou as finanças do Estado. Para a oposição, não passou de um tentáculo do irmão esticado em direção à mídia, que se valeu dos mais variados instrumentos para afagar ou sufocar veículos de comunicação.
(…)
“Ela é a protetora da reputação de Aécio e tem enorme influência sobre seu comportamento”
Andrea foi acusada de manejar as verbas de publicidade do estado de acordo com os interesses políticos de Aécio e de influir na imprensa mineira, a ponto, inclusive, de provocar a queda de jornalistas pouco simpáticos ao governo. Deputados da oposição chegaram a apresentar denúncias formais contra Andrea, imputando a ela e ao irmão desvio de recursos da área de comunicação do governo.
(…)
Andrea Neves sempre foi uma das mais pessoas mais próximas de Aécio. Essa ligação ficou ainda mais forte a partir de 2002, quando ele assumiu o governo de Minas Gerais. Além de comandar toda a estrutura de comunicação do Estado, ela passou a ter uma ascendência ainda maior na administração da agenda pessoal e política do irmão. “Ela é a protetora da reputação de Aécio e tem enorme influência sobre seu comportamento e postura. Andrea é o freio de um carro sempre a duzentos por hora”, diz um ex-ministro, afeito às coisas de Minas.
(…)
A fama de Andrea Neves correu mundo, não da maneira mais conveniente para ela. Durante o mandato do irmão, um estudante de jornalismo postou um vídeo na Internet acusando a área de comunicação do governo mineiro de inflar indicadores, com o objetivo de dourar a pílula da gestão Aécio Neves, e de fazer pressão sobre a mídia local para impedir a veiculação de notícias contrárias à administração pública. Na época, o vídeo chegou a ser exibido no site da Current TV, emissora independente dirigida pelo ex-vice-presidente norte-americano Al Gore.

FONTE: http://ultimosegundo.ig.com.br/os-60-mais-poderosos/andrea-neves/52153533b92b3f4a1c000001.html

Responder

    Messias Franca de Macedo

    25/03/2016 - 17h05

    Andrea Neves cuida de cada passo da trajetória do irmão Aécio: ela vale por um departamento de Estado – segundo matéria veiculada pelo portal iG São Paulo

alvaro

25/03/2016 - 16h55

Isto não vem ao caso, ou melhor, não convém ao caso. O que se refere a essa gangue não será investigado, nem mesmo questionado, porque eles são blindados e todos sabemos por quem e por que.

Responder

Refletir( para conclusão conjunta)

25/03/2016 - 16h11

A sensatez nos diz, apesar de evidências consistentes , ser precipitado julgar a culpabilidade dos oposicionistas, fina-flor do golpe como dizem. Porém, algo se mostra aclarado nestas circunstâncias, se essa divulgação confusa objetivou acelerar um processo de impedimento, sem fundamentos legais a concretizá-lo , baseado única e exclusivamente em procedimentos; por favor, os votos dos congressistas já estão prontos antes da defesa atuar. Um absurdo jurídico e lógico; pois , se os votos são produzidos antes do julgamento, para o que o julgamento em si? Só pelo espetáculo? Ora, somente para revestir de moralidade, legalidade, um golpe, desculpem-me, estabanado. Um impedimento desta natureza, nestas circunstâncias, seria não somente um crime à democracia como também um crime diante das leis do universo; qual seja ele, de que o fracasso, o insucesso, não pode ser levado adiante sem acarretar consequências mais graves. Está claro, os golpistas se perderam no próprio golpe. Se o golpe for levado a força, o povo resistirá para restabelecer o governo legitimo. Essas consequências, nem preciso dizer , serão ruins para todos. Agora volto ao argumento inicial; qual seja? Se a oposição , indo direto ao ponto, deseja concretizar um impedimento de presidenta, sem qualquer crime de responsabilidade, e somente para interromper uma operação judicial a ameaça-los; pergunto, na humilde posição de um leigo, não seria o caso óbvio, com todo o respaldo da lógica mais óbvia presente na constituição e seus valores, de ser esse congresso o impedido no caso? Impedido de julgar por inúmeros e óbvios motivos legais e constitucionais? Não sou jurista, mas devido à gravidade e emergência em que nossa nação se encontra, não haveria respaldo para uma dissolução do congresso ou entrega do processo de impedimento para alguma instituição com imparcialidade para um julgamento justo?

Responder

Pedrao

25/03/2016 - 15h51

UAL!

Responder

MNC

25/03/2016 - 15h43

É só verificar a origem das receitas dessas empresas.

Responder

José Fernandes

25/03/2016 - 14h16

O grande problema é que você jamais vai isso na TV golpe do marinhos da mansão.

Responder

Deixe uma resposta