VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Tenente coronel Adilson: Com perdão a Pazuello, Bolsonaro tem seu Exército e “vem coisa pior por aí”
Reprodução
Você escreve

Tenente coronel Adilson: Com perdão a Pazuello, Bolsonaro tem seu Exército e “vem coisa pior por aí”


03/06/2021 - 17h43

Da Redação

Sob pressão de Jair Bolsonaro, o comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, anunciou que o general da ativa Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, não será punido por ter discursado em manifestação com o ocupante do Planalto.

A transgressão de norma do próprio Exército foi clara: é proibido “manifestar-se, publicamente, o militar da ativa, sem que esteja autorizado, a respeito de assuntos de natureza político-partidária”.

Bolsonaro já havia atropelado as Forças Armadas ao nomear Pazuello para o cargo de secretário de Estudos Estratégicos da Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, com salário mensal de R$ 16 mil.

Para o tenente coronel Adilson Paes de Souza, que serviu à PM de São Paulo e hoje é estudioso de questões militares, deixou as Forças Armadas de joelhos.

Ele escreveu:

Bolsonaro tem “seu” Exército.

Os comandantes são covardes e não merecem respeito.

Liberou geral, qualquer militar pode fazer o que quiser. Adeus disciplina.

Vem coisa pior por aí.

O capitão insubordinado obteve sua vingança, dobrando as FA, deixando-as de joelhos. Que vergonha!

Contudo, cabe frisar que Pazuello, com a presença na manifestação no Rio de Janeiro, além de cometer transgressão disciplinar, ora ignorada pelo Exército, também cometeu crime (artigo 324 do CPM – Inobservância de lei, regulamento ou instrução) — e deve ser processado, nos termos dos artigos 9 e 10 “a” do Código de Processo Penal Militar.

Os crimes do Código Penal Militar são de ação penal pública incondicionada.

É obrigatória a instauração de IPM. O comandante do Exército pode cometer crime de prevaricação.





4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

03 de junho de 2021 às 21h57

Esse Crime de Prevaricação do Comandante do Exército
é o sinal aberto para que qualquer Militar da Ativa participe
da Campanha Eleitoral de 2022 para reeleição do Genocida.
O Ministério Público Militar (MPM) também irá prevaricar?

https://www.mpm.mp.br/pgjm/

Responder

sergio ricardo ferreira santos

03 de junho de 2021 às 20h18

nós Estamos no momento delicado um ditador no poder e a sociedade assisti tudo passivamente de fato o pior está por vir.

Responder

abelardo

03 de junho de 2021 às 20h17

Bolsonaro vingativo está devolvendo ao Exército brasileiro, em dobro, o que recebeu dele. Porém, imagino que como ele não pode expulsar a Instituição do Exército do governo, ele deixou a entender que a humilhação escancarada seria o melhor troco que poderia satisfazer ao seu ego, ao seu autoritarismo e a sua esperada vingança.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding