VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Shell compra Gaspetro. “O dia em que a esperança acabou”, diz Cláudio Oliveira
Reprodução
Você escreve

Shell compra Gaspetro. “O dia em que a esperança acabou”, diz Cláudio Oliveira


01/08/2021 - 12h37

Petrobras: o dia em que a esperança morreu

Por Cláudio da Costa Oliveira*, na AEPET

Ontem (27/07) a Petrobras anunciou a venda da Gaspetro para a Compass Gás e Energia S.A.

Como a Compass pertence à Cosan, significa que quem realmente está comprando é a Royal Dutch Shell, que , ao que tudo indica, logo estará ocupando todos os espaços que um dia foram da Petróleo Brasileiro S.A. – Petrobras, em território nacional.

Os caminhoneiros autônomos foram apoiadores de Jair Bolsonaro para sua eleição.

Bolsonaro sabia disso e, durante a campanha, prometeu atender suas principais reivindicações.

Disse também que a política de preços da Petrobras, Preço de Paridade de Importação – PPI, era um absurdo e seria modificada.

Assumiu o poder e nada fez.

Nomeou Ministro da Infraestrura o Sr. Tarcisio Freitas, que se transformou em garoto propaganda da empresa de logística Rumo (Shell) e já afirmou que o caminhoneiro precisa deixar as “tetas” do governo.

Apesar de tudo, a troca no comando da Petrobras, com a saída de Castello Branco e a nomeação do Gal. Joaquim Silva e Luna, trouxe de volta a esperança dos caminhoneiros, que acreditaram que as coisas começariam a mudar.

Para o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas – CNTRC, entidade que congrega sindicatos, associações e cooperativas de caminhoneiros de mais de 20 unidades da federação, esta esperança cresceu muito quando Silva e Luna os convidou para uma reunião.

A reunião aconteceu na sede da estatal no Rio de Janeiro, no último dia 29 de junho.

Na ocasião Silva e Luna solicitou aos caminhoneiros que encaminhassem suas perguntas por escrito, para sua avaliação.

Pelo teor das respostas fica claro que a administração da companhia atribui à empresa características muito distantes daquelas que motivaram sua criação, que registramos nas palavras do Gal. Horta Barbosa, no Clube Militar, em 1947 :

“Pesquisa, lavra e refinação (de petróleo), constituem as partes de um todo, cuja posse assegura poder econômico e poder político. Petróleo é bem de uso coletivo, criador de riqueza. Não é admissível conferir a terceiros o exercício de uma atividade que se confunde com a própria soberania nacional. Só o Estado tem qualidades para explora-lo, em nome e nos interesses dos mais altos ideais de um Povo”.

Ou nas palavras do ex-presidente Getúlio Vargas, na carta testamento deixada antes de seu suicídio em 1954:

“Quis criar a liberdade nacional na potencialização de nossas riquezas com a Petrobras. Mal a empresa é criada a agitação se avoluma”.

Nós já sabemos que o brasileiro tem memória curta.

A carta testamento de Getúlio, que deveria estar exposta em todas escolas brasileiras e ser tema de redação do Enem todos os anos, já foi esquecida há muito.

Mas o povo tem de se defender, como qualquer animal, quando sua sobrevivência está ameaçada.

Hoje a Petrobras, como mostrado nas respostas, baseia suas ações em “ser a melhor empresa de energia na geração de valor para o acionista” e “priorizar ativos de E&P de classe mundial, que tem à sua disposição”.

Parece que a administração esquece que as reservas de petróleo pertencem ao Estado brasileiro. Ou seja, ao povo.

A Petrobras detém uma concessão que a qualquer momento pode ser suspensa ou modificada em suas condições, caso seja do interesse da Nação.

A participação da Nação brasileira na renda petroleira sempre foi muito inferior à de outras empresas, na maioria das nações. O gráfico à seguir mostra isto:

Vejam que no período analisado pelo gráfico (2009/2014), como empresa a Petrobrás levava vantagem sobre as outras petroleiras por contribuir pouco para a Nação.

Este fato se reflete na capacidade de geração de caixa da companhia, que comparada com sua receita, se mostra bem superior à de outras empresas, como vemos a seguir:

Notem que apenas a Chevron, em alguns momentos, gerou proporcionalmente mais caixa que a Petrobras.

Ocorre que a grande vantagem que a Petrobras tem em relação às demais empresas do ramo é a pouca contribuição governamental feita pela empresa no Brasil, em relação às demais congêneres em seus países.

Com a entrada em operação dos poços do pré-sal a vantagem da Petrobras se ampliou.

Primeiro porque na cessão onerosa foi concedida isenção do pagamento de Participação Especial (fato injustificável) o que fez com que a participação governamental na produção da companhia, que em 2011 era de US$ 20/barril, caísse para US$ 10/barril em 2020.

Por outro lado, a produtividade dos poços do pré-sal, que à época da concessão eram estimados em 10/15 mil barris/dia, hoje alcançam 40/50 mil barris/dia, fazendo com que o custo de extração, que em 2011 era de US$ 12/barril, caísse para US$ 5/barril em 2020.

Isoladamente, o custo de extração no pré-sal já está em US$ 2,5/barril.

Significa que quanto mais for aumentada a participação do pré-sal na produção total, menor será o custo de extração da empresa.

Estas vantagens fizeram com que a relação geração de caixa/receita bruta da Petrobras em 2020 tenha atingido níveis nunca imaginados, como vemos a seguir:

Percebam a distância dos números da Petrobras em relação às demais petroleiras.

Dos números de 2016 para cá, fora a Petrobras, somente a Shell conseguiu forte melhoria, muito provavelmente devido à sua participação no mercado brasileiro.

Estas distorções têm de ser corrigidas. Os ganhos da Petrobras por renúncia fiscal ou super produtividade dos ativos não pertencem à empresa, mas ao povo brasileiro.

A empresa pode defender os direitos de seus acionistas, mas cabe ao governo federal defender os direitos do povo.

*Economista da Petrobrás aposentado





5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Gilberto Nogueira

03 de agosto de 2021 às 12h19

Acontece que o brasileiro é cabeça baixa.
É leão contra a esquerda e tchutchuca contra a direita.
A conta mais simples a ser feita é quanto custa um litro de gasolina ou diesel aqui no Brasil e quanto custa esse mesmo litro de gasolina ou diesel nos EUA. E parear (fazer a conversão) da moeda. Não com o combustível.
E, claro, ver TB o preço do gás de botijão 13 kg aqui e nos EUA caso lá usem o botijão de GLP.
Tchutchuca com a direita e leão contra a esquerda assim é o povo brasileiro.
Os cursos de nível superior em engenharia de petróleo já perderam a razão de ser pq dificilmente os EUA darão emprego nessa área lá aos engenheiros brasileiros. Ou seja, sobra pouca vaga para o nosso povo aqui. As vagas nessa área emigraram para os EUA.
Não sou muito conhecedor da área petróleo, mas acho que o refino é que emprega mais trabalhadores.
Alguém corrija-me se eu estiver errado.
Houve uma explosão nesses cursos e hj em dia a procura é bem menor nos cursos de engenharia de petróleo.
Americano deve pagar a metade do preço que pagamos por um litro de gasolina.
Piorou o diesel, pois o Brasil é cortado por estradas e o transporte de produtos é feito na maior parte por estrada, então, se o diesel aumenta, tudo aumenta.

Responder

Zé Maria

01 de agosto de 2021 às 17h45

Excertos

A [atual] administração da companhia [Petrobras] atribui à empresa
características muito distantes daquelas que motivaram sua criação,
que registramos nas palavras do Gal. Horta Barbosa [*], no Clube
Militar,
em 1947 :

“Pesquisa, lavra e refinação (de petróleo), constituem as partes
de um todo, cuja posse assegura poder econômico e poder político.
Petróleo é bem de uso coletivo, criador de riqueza.
Não é admissível conferir a terceiros o exercício de uma atividade
que se confunde com a própria soberania nacional.
Só o Estado tem qualidades para explora-lo, em nome
e nos interesses dos mais altos ideais de um Povo”.

*[Não existem mais Generais Nacionalistas como antigamente;
o que há hoje são Rebotalhos Fardados, Entreguistas da Nação.
(http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/entreguismo)]

Responder

    Zé Maria

    01 de agosto de 2021 às 19h22

    .
    Um dos maiores crimes cometidos pelo PSDB ocorreu em 1997,
    com a Revogação a Lei Nº 2004/1953 (*), no Governo FHC que
    entregou o Petróleo Brasileiro ao Setor Privado e, pior, lançou
    ações da Petrobras na Bolsa de New York em Wall Street (USA).

    Além disso, a Edição da Lei Nº 9478/1997 (**) permitiu com
    que, após o afastamento irregular da Presidente Dilma,
    em 2016 – tramado pela Força-Tarefa de Patifes da Operação Lava-
    Jato – o Governo Temer (MDB/PSDB) e agora o desgoverno de
    Guedes/Bolsonaro desconstituíssem toda a Política de Produção e Refino do Petróleo (inclusive a de fixação dos Preços dos Combustíveis Derivados), Estratégica para o Desenvolvimento Econômico e Social do Brasil, que vinha sendo elaborada desde o Governo Lula, quando a Petrobras descobriu Óleo e Gás na Camada Pré-Sal (***) e desenvolveu a Pesquisa, com Know How próprio, para Exploração do Minério Negro Precioso em Águas Profundas no Polígono localizado em uma Área de cerca de 149 Mil Quilômetros Quadrados no Mar Territorial entre os Estados de Santa Catarina e
    Espírito Santo.

    Aliás, a Presidente Dilma foi derrubada e o ex-Presidente Lula preso,
    precisamente para entregar a Petrobras e suas Subsidiárias, a preço
    de casca de banana, aos Estrangeiros, aos quais os Bolsonaristas e
    os Tucanos deram até o privilégio de estabelecer os valores da Gasolina, do Diesel e do Gás, derivados do Petróleo produzido no Brasil.
    Mas “o Petróleo é Nosso” e quem deve fixar o Preço dos Combustíveis,
    aqui no País, somos nós Brasileiros, não os Parceiros do Guedes no exterior.

    *(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L2004.htmimpressao.htm)
    (https://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_Federal_do_Brasil_2004_de_1953)
    **(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9478compilado.htm)
    ***(https://www.presalpetroleo.gov.br/ppsa/o-pre-sal/caracteristicas)

    Zé Maria

    01 de agosto de 2021 às 20h32

    Detalhe

    Os Principais Empresários de Comunicação do País, Donos do
    Grupo Globo e dos Veículos da Mídia Fasci-Paulista, incluindo
    as Redes de Rádio e Televisão, submissos aos interesses dos
    Estados Unidos da América (EUA), foram os primeiros que
    espalharam Fake News a respeito do Petróleo do Pré-Sal.

    Propositalmente nunca informaram à População Brasileira
    sobre a grandeza da descoberta da Petrobras nos Governos
    do Partido dos Trabalhadores (PT), muito menos frisaram
    que, a partir do início da Produção de Óleo e Gás do Pré-Sal,
    o Brasil possuiu a Chave do seu Próprio Futuro, isto é, o Mais
    Promissor Potencial de Desenvolvimento Econômico e Social
    em toda a História do Brasil que, não fossem os neoliberais
    entreguistas, poderia proporcionar Riqueza Integral ao Povo.
    .
    “A profundidade total – a distância entre a superfície do mar e os
    reservatórios de petróleo abaixo da camada de sal – pode chegar
    a 7 mil metros.

    As reservas são compostas por grandes acumulações de óleo leve,
    de excelente qualidade e com alto valor comercial.

    A Produtividade dos Poços do Pré-Sal é Alta.

    A produção diária de petróleo no pré-sal passou da média de cerca de 41 mil barris por dia, em 2010, para o patamar de 1,9 Milhão de Barris de Óleo Bruto Por Dia, em Março de 2020.

    Hoje, o Pré-Sal Brasileiro é um dos Três Maiores Produtores de Petróleo do Planeta:
    (https://www.presalpetroleo.gov.br/ppsa/conteudo/caracteristicas-pre-sal.jpg)”

    https://www.presalpetroleo.gov.br/ppsa/o-pre-sal/caracteristicas

abelardo

01 de agosto de 2021 às 13h59

Penso que as FFAAs deveria explicar para população brasileira onde está o tão decantado patriotismo e a não menos exaltada defesa da soberania nacional. A grande verdade é que ela assiste pacivamente, sem envio de nenhuma nota ultrajante como costuma fazer quando tenham tirar a boquinha generosa que o atual governo premia aos muitos militares que defendem, com unhas e dentes, o governo, seus crimes e seus desmandos. Nenhuma dos generais, do clube militar e etc, contra as negociatas que somente favorecem a incansável ganância, sede e ambição do capital estrangeiro. Não é de hoje que várias denúncias sobre o desmonte de empresas estratégicas, para facilitar suas vendas e privatizações, frequenta assiduamente os jornais, as tribunas do congresso e do senado, mas que também são ignoradas e tiradas de foco pela maioria dos deputados e senadores, que são cúmplices dolosos da traição e destruição da nossa soberania e dos estratégicos poderes de resistência que essas empresas sempre representaram contra os ataques destruidores que o capital estrangeiro, insistentemente desfere sobre nossas supostas autoridades. Parece que apitos e espelhos encantados são as moedas de troca que oferecem as serviçais autoridades que demonstram pender mais para o lado de Mamon, do que para o próprio país que deveriam cuidar e proteger. Fica a triste e revoltante impressão de que algumas bem relacionadas autoridades facilitam a entrega dessas empresas, de mãos beijadas, para as bestas alucinadas do capital estrangeiro. É como se já estivessem escravizadas e submissas ao poder do dinheiro, da ambição e da ganância desenfreada. Talvez se julguem mais espertos e inteligentes graças ao lucro fácil, as maracutaias, as tenebrosas transações de propinas e de corrupção. Será que escaparão impunes as revelações que a história não omite e não perdoa?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding