VIOMUNDO

Diário da Resistência


Rompimento do Brasil com pacto de migração expõe 3 milhões de brasileiros no exterior, diz PT
Wilson Dias/Agência Brasil
Você escreve

Rompimento do Brasil com pacto de migração expõe 3 milhões de brasileiros no exterior, diz PT


11/12/2018 - 19h46

Vitor Teixeira

Bolsonaro rompe com Pacto de Migração e expõe 3 milhões de brasileiros no exterior

Governo Bolsonaro anuncia que Brasil vai abandonar Pacto Global para Migração da ONU; Bancada da PT (veja nota), Agências da ONU e entidades internacionais criticaram a decisão

por Alessandra Gondim, PT no Senado

O anúncio foi feito na segunda-feira (10) pelo futuro chanceler Ernesto Araújo, enquanto países do mundo todo se reúnem em Marrakech, no Marrocos, para assinar o tratado.

Agências da ONU e entidades internacionais lamentaram e criticaram a decisão do governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, e alertaram que os maiores afetados serão os mais de 3 milhões de brasileiros espalhados pelo mundo, muitos deles em condições de vulnerabilidade.

Araújo disse, pelo Twitter, que a decisão de Bolsonaro de dissociar o Brasil do Pacto Global de Migração se deu porque ele é “um instrumento inadequado para lidar com o problema da imigração e que esta não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país”, escreveu.

O “Global Compact for Migration” é resultado da Declaração de Nova York sobre Refugiados e Migrantes, aprovada pela Assembleia-Geral da ONU em setembro de 2016 e que se compromete em desenvolver um pacto para migração segura, ordenada e dentro da lei.

O texto lista 23 princípios, entre eles “minimizar os fatores adversos e estruturais que obrigam as pessoas a abandonarem seu país de origem”, “salvar vidas e empreender iniciativas internacionais coordenadas sobre migrantes desaparecidos” e “reforçar a resposta ao tráfico ilícito de migrantes”.

Também, defende “utilizar a detenção de migrantes apenas como último recurso e buscar outras alternativas”, “proporcionar aos migrantes acesso a serviços básicos”, “eliminar todas as formas de discriminação” e “colaborar para facilitar o regresso e readmissão em condições de segurança”.

Na contramão do que diz o Pacto Global Para Migração, tramita no Senado o PLS 408/2018 do Senador Romero Jucá (MDB-RR) , que altera o Estatuto de Refugiados (Lei nº 9.474/1997) e a Lei de Migração (Lei nº 13.445/2017 ), endurecendo as regras para entrada e permanência de estrangeiros no país.

A matéria prevê expulsão imediata em caso de condenação por qualquer crime, além de ‘cotas’ para aceitar as solicitações de refúgio, condicionadas à capacidade de acomodação, a serem definidas pelos Estados, municípios e Distrito Federal.

O Senador Lindbergh Farias (PT-RJ) já se posicionou contra a matéria, que tramita na Comissão de Constituição e Justiça.

Ele avalia que limitar por ‘cotas’ as solicitações de refúgio fere o artigo 5º, inciso XV da Constituição, que garante o direito de locomoção e liberdade como direito fundamental, aplicável a brasileiros e estrangeiros.

“A limitação proposta no projeto viola esse direito constitucional, impondo-se automaticamente seu veto”, afirmou.

Até o momento, mais de 160 países aprovaram o pacto, que delineia apenas princípios e não é legalmente vinculante.

Segundo o secretário-geral da ONU, António Guterres, o tratado não vai impor políticas migratórias específicas para os Estados signatários.

Nações governadas pela direita nacionalista, como Estados Unidos, Itália e Hungria, também já anunciaram o boicote ao pacto.

VEJA A NOTA DA BANCADA DO PT NO SENADO

Ao anunciar a saída do Pacto Global sobre Migrações, negociado durante mais de um ano no âmbito das Nações Unidas, o governo eleito de Jair Bolsonaro alinha-se, mais uma vez, aos interesses mais retrógrados presentes no cenário mundial.

Trata-se, na realidade, de mais uma demonstração de alinhamento automático, acrítico e subserviente às ideias e anseios da administração Trump, a qual se destaca por seu desprezo ao multilateralismo e aos interesses legítimos de outros países.

Como no caso da anunciada saída do Brasil do Acordo de Paris, da transferência da nossa embaixada de Tel Aviv para Jerusalém e da reiteradas críticas à China e ao Mercosul, os autênticos interesses nacionais não foram levados em consideração nesta desastrada decisão.

O Brasil é um país de emigração. Temos entre quatro e cinco milhões de cidadãos brasileiros que vivem no exterior e que precisam de proteção adequada. Portanto, é do interesse nacional que haja um Pacto Global sobre Migração, que tenha por objetivo regular e ordenar fluxos migratórios, prevenir a migração ilegal e, ao mesmo tempo, assegurar aos migrantes tratamento decente, compatível com a Declaração Universal dos Direitos do Homem.

O Pacto do qual o Brasil se retira de forma vergonhosa significa uma aposta na gestão multilateral de um óbvio problema mundial e, sobretudo, uma aposta na civilização e na paz. De forma alguma o Pacto compromete a soberania de qualquer país.

Ao sair do Pacto, em atendimento a uma exigência da administração de Donald Trump, que quer criminalizar as migrações, o governo eleito ignora os interesses nacionais, abandona seus cidadãos migrantes e, mais uma vez, se cobre de vergonha perante o mundo.

Nunca um governo eleito, que ainda nem começou a governar, causou tanto estrago aos interesses do Brasil e da sua população.

Bancada do PT no Senado Federal.

Com informações do Terra

Leia também:

Escola Sem Partido é derrotado na Câmara

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.