VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Ricardo Kotscho: Recusa em apoiar Estado de Sítio levou Bolsonaro a demitir o ministro da Defesa
Marcelo Camargo/AB
Política Você escreve

Ricardo Kotscho: Recusa em apoiar Estado de Sítio levou Bolsonaro a demitir o ministro da Defesa


29/03/2021 - 19h17

Recusa em apoiar Estado de Sítio levou à demissão do ministro da Defesa

Por Ricardo Kotscho, em seu Balaio no UOL

A falta de apoio das Forças Armadas na sua tentativa de decretar o Estado de Sítio foi a principal razão para Bolsonaro demitir sumariamente o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, segundo fontes militares ouvidas pela coluna.

Bolsonaro queria que os militares pressionassem o Congresso a aprovar o estado de exceção, que suspende garantias individuais e dá plenos poderes ao presidente.

Há várias semanas o capitão já vinha preparando o terreno para adotar essa medida extrema, ao fracassar no combate à pandemia e anunciar que “o caos vem aí”.

Azevedo e Silva ainda tentou argumentar que as Forças Armadas são instituições de Estado e não de governo, mas o presidente estava decidido a tocar em frente seu plano para dar um autogolpe.

Foi o mesmo motivo da demissão do advogado Geral da União, José Levi do Amaral Junior, que se recusou a assinar a ação de Bolsonaro contra os governadores no STF.

A ação, recusada pelo Supremo, foi entregue na semana passada só com a assinatura do presidente da República. Para o lugar dele na AGU, o presidente quer levar de volta André Gonçalves, que tinha ido para o Ministério da Justiça.

De forma secundária, outra recusa contribuiu também para a saída de Azevedo e Silva, que se negou a assinar a promoção do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello para general de quatro estrelas.

Bolsonaro simplesmente não admite ser contrariado e, quando isso acontece, age por impulso, o que já vinha preocupando a alta cúpula militar.

O objetivo do presidente, nesta louca dança das cadeiras que desencadeou hoje, é se cercar apenas de fiéis aliados terrivelmente submissos como eram Pazuello e Araújo.

O que os militares não conseguem entender é com qual apoio o capitão pretende contar agora para levar adiante seu plano golpista, depois dos atritos com o Congresso, o STF e o mercado, sendo demonizado pela maior parte da grande mídia e com a perda de poder dos seus fanáticos seguidores nas redes sociais.

Cada vez mais só e isolado, o capitão tornou-se incontrolável.

Desde a decisão do STF de cancelar as condenações de Lula pelo ex-juiz Sergio Moro na Lava Jato, Bolsonaro entrou em parafuso, começou a atirar para todo lado e acabou promovendo o desmanche do seu próprio governo, que derrete a olho nu.

Acabou o governo Bolsonaro que tomou posse no dia 1º de janeiro de 2019. Se e quando virá outro, ninguém sabe como será.

O que se sabe é que o presidente vem há tempos trabalhando para garantir o apoio das Polícias Militares estaduais, que, somadas, têm o dobro do contingente das Forças Armadas, tirando-as do comando dos governadores contra os quais já apontou sua artilharia.

É nesse contexto que se insere o movimento do que sobrou das forças bolsonaristas no Congresso e nas redes sociais para atiçar um motim da Polícia Militar contra o governador da Bahia, Rui Costa, após um conflito na corporação neste fim de semana.

Os próximos dias, enquanto o presidente não for contido em sua escalada, prometem fortes emoções.

E tudo isso está acontecendo na antevéspera de mais um 31 de Março de triste lembrança.





9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marys

30 de março de 2021 às 01h03

Os generais estão caindo fora porque estão em fim de carreira e não querem perder duas garantias constitucionais. Estão vendo o congresso reagir e pedir depoimento e cabeça de ministros. Eles temem responder pelos crimes de responsabilidade que de fato cometeram ao lado desse genocida que está no poder. Fujões e covardes!
Sabem que Lula é Presidente do Brasil por direito, o que é reconhecido pelas entidades internacionais, e que esse fantoche que eles colocaram no poder vai pagar caro pelo que está fazendo.

Responder

Caio Mendonça

30 de março de 2021 às 00h36

Essa é boa o exército não quer enfrentar a covid e aí manda as PM morrer no seu lugar. E depois o silêncio absoluto igual do major Olímpio.

Responder

Tigre Bengaludo

29 de março de 2021 às 23h41

O vírus inviabiliza o uso da força.
Morreu acabou.
Se ele não faz nada para frear o vírus como o exército vai ir para rua ?
O risco de morte é iminente. Se escapar é sorte.
Tá morrendo jovem de 20 anos. Um jovem de 20 anos não é fraco fisicamente. São fortes.
Era lorota, cascata que só pega em velho. Até criança tá pegando e tá morrendo. Aliás, sempre pegou até em criança. Sempre.
Contaram essa cascata para o jovem povo continuar trabalhando.
A PM é pau para toda obra, até para o vírus.
O vírus é mortal.
Não tem como usar o exército. Não dá.
Se até médico morreu então a coisa é muito mais grave do que dizem nos jornais.

Responder

Zé Maria

29 de março de 2021 às 20h55

“A extremista Bia Kicis, presidente da CCJ,
que já discursou a favor da intervenção militar
dentro do parlamento, agora estimula um
motim da PM na Bahia.
Mais uma vez utiliza o cargo p/ pregar a
contra o Estado de Direito e a Democracia.
É um crime contra a Constituição.”
https://twitter.com/MarceloFreixo/status/1376500827125321731
“URGENTE! Acionei o STF p/ incluir no inquérito
dos atos antidemocráticos, sob responsabilidade
do min. Alexandre de Moraes, a incitação
ao motim policial feita por Bia Kicis.
A deputada está estimulando o uso da violência
p/ atacar a Constituição e a ordem democrática.”
https://twitter.com/MarceloFreixo/status/1376676899922001925

Deputado Federal Marcelo Freixo (PSoL=RJ)

https://pbs.twimg.com/media/Exn-uiCXMAAGczs?format=jpg
https://br.noticias.yahoo.com/ap%C3%B3s-incitar-motim-da-pm-193600073.html

“Bia Kicis cometeu um crime tão grave
quanto Daniel Silveira.
Deveria receber o mesmo tratamento.
Democracia é um valor inegociável.”

Professor Fernando Haddad (PT=SP)
Pré-Candidato a Presidente da República

Responder

Zé Maria

29 de março de 2021 às 20h45

https://pbs.twimg.com/media/Exq22xRWYAUnwMQ?format=png

Quando o Milico Azevedo, que foi de Helicóptero junto com Bolsonaro apoiar uma Manifestação Fascista – em frente ao QG do Exército em Brasília, pedindo Intervenção Militar no STF e no Congresso Nacional – chega ao ponto de se recusar a dar um Golpe Militar (que é o que significa a Decretação de Estado de Sítio, neste momento no Brasil) renunciando ao cargo
afirmando que sai do Governo falando em “preservar as Forças Armadas como Instituições do Estado”, é porque “a coisa aqui tá preta”: (https://youtu.be/3VT5j1CV-hQ).

Responder

    Zé Maria

    29 de março de 2021 às 22h44

    https://youtu.be/o4_UkwRE7NA

    Meu caro amigo me perdoe por favor
    Se eu não lhe faço uma visita
    Mas como agora apareceu um portador
    Mando notícias nessa fita
    Aqui na terra tão jogando futebol
    Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
    Uns dias chove, noutros dias bate sol
    Mas o que eu quero é lhe dizer
    que a coisa aqui tá preta
    Muita mutreta pra levar a situação
    Que a gente vai levando de teimoso e de pirraça
    E a gente vai tomando que também sem a cachaça
    Ninguém segura esse rojão

    Meu caro amigo eu não pretendo provocar
    Nem atiçar suas saudades
    Mas acontece que não posso me furtar
    A lhe contar as novidades
    Aqui na terra tão jogando futebol
    Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
    Uns dias chove, noutros dias bate sol
    Mas o que eu quero é lhe dizer
    que a coisa aqui tá preta
    É pirueta pra cavar o ganha-pão
    Que a gente vai cavando só de birra, só de sarro
    E a gente vai fumando, que também sem o cigarro
    Ninguém segura esse rojão

    Meu caro amigo eu quis até telefonar
    Mas a tarifa não tem graça
    Eu ando aflito pra fazer você ficar
    A par de tudo que se passa
    Aqui na terra tão jogando futebol
    Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
    Uns dias chove, noutros dias bate sol
    Mas o que eu quero é lhe dizer
    que a coisa aqui tá preta
    Muita careta pra engolir a transação
    Que a gente tá engolindo cada sapo no caminho
    E a gente vai se amando, que também sem o carinho
    Ninguém segura esse rojão

    Meu caro amigo eu bem queria lhe escrever
    Mas o correio andou arisco
    Se me permitem, vou tentar lhe remeter
    Notícias frescas nesse disco
    Aqui na terra tão jogando futebol
    Tem muito samba, muito choro e rock’n’roll
    Uns dias chove, noutros dias bate sol
    Mas o que eu quero é lhe dizer
    que a coisa aqui tá preta
    A Marieta manda um beijo para os seus
    Um beijo na família, na Cecília e nas crianças
    O Francis aproveita pra também mandar lembranças
    A todo o pessoal, adeus!

    https://www.vagalume.com.br/chico-buarque/meu-caro-amigo.html

Zé Maria

29 de março de 2021 às 20h16

Segundo a Jornalista Malu Gaspar

“Comandantes das Forças Armadas Discutem Renúncia Conjunta”

(https://t.co/R9odtEDtN9)

“Os comandantes das três Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica – estão reunidos neste momento em Brasília discutindo uma renúncia conjunta aos cargos, como reação à saída do ministro da Defesa, Fernando Azevedo. Embora não tenha sido tomada uma decisão definitiva, o mais provável é que deixem seus postos ainda hoje.

Além de Edson Pujol, que o presidente Jair Bolsonaro disse hoje nos bastidores que demitiria, participam da reunião em local não revelado o comandante da Marinha, Ilques Barbosa Junior e o da Aeronáutica, Antonio Carlos Moretti Bermudez. Ministros militares de Jair Bolsonaro também participam do encontro.

A renúncia conjunta dos chefes das Forças Armadas seria algo inédito na história da República. Embora o clima entre os militares seja de muita tensão, auxiliares de Bolsonaro tentam dar à saída dos comandantes caráter de normalidade.”

https://twitter.com/malugaspar/status/1376650324782485511
.
.
É Melhor se preparar para a Resistência nas Ruas

Fascistas! Não Passarão!
Patria o Muerte! Venceremos!
Hasta La Victoria! Siempre!

https://i.pinimg.com/474x/b1/1a/dd/b11add3156d2b68c29f8f373a2a14397.jpg

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura