VIOMUNDO

Diário da Resistência


Racha do PSL com bolsonaristas vem desde a escolha do vice de Bolsonaro; “você é um merda”, disse Bebianno a militante que teria denunciado venda de apoios; ouça o áudio
Bebianno e Jair, quando tudo era amor. Foto PR
Você escreve

Racha do PSL com bolsonaristas vem desde a escolha do vice de Bolsonaro; “você é um merda”, disse Bebianno a militante que teria denunciado venda de apoios; ouça o áudio


17/02/2019 - 21h42

Da Redação

A extrema-direita brasileira está em efervescência nas redes sociais, com a demissão de Gustavo Bebianno do cargo de ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, prevista para ser oficializada na segunda-feira.

Os motivos pelos quais isso está acontecendo passam longe da versão disseminada pela mídia corporativa.

Remontam ao período eleitoral e podem ser resumidos assim: Bebianno teria impedido as candidaturas a vice da advogada Janaína Pachoal e do príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança.

Foi o que abriu caminho para a ascensão do general Hamilton Mourão, visto hoje pelos bolsonaristas como grande ameaça.

Mourão, além de divergir publicamente de Bolsonaro, encontrou-se com lideranças da CUT e, supostamente em nome dos militares, não concorda com a influência dos filhos do capitão no Planalto.

“Eu acho que se o presidente quisesse o Carlos no Palácio do Planalto, ele teria nomeado ele lá”, disse Mourão hoje a respeito de Carlos Bolsonaro, vereador no Rio de Janeiro que foi “nomeado” extra-oficialmente pelo próprio pai como seu pitbull.

A disputa entre bolsonaristas e lideranças do PSL se cristalizou quando o seguinte texto apócrifo viralizou no Facebook e no whatsapp, durante a campanha:

A crise interna do PSL compromete candidatura de Jair Messias Bolsonaro!

Bandidos tomaram de assalto o partido do Capitão e hoje colocam em risco a candidatura do próximo presidente do Brasil.

Presidente e vice-presidente atuais, que deveriam seguir as orientações do Bolsonaro, mudaram o estatuto do partido e hoje são os que decidem sobre candidaturas majoritárias e não mais os Estados.

Com isso, fizeram do PSL um grande balcão de negócios.

Vendem candidaturas a governo de Estados por milhões de reais, pedem apartamentos em troca.

Aceitam coligações nos Estados com partidos de Esquerda e apoiam candidaturas de conhecidos picaretas, como é o caso, em Pernambuco, Tocantins, Bahia, Paraná e outros Estados.

O presidente, Gustavo Bebianno Rocha e principalmente o vice-presidente Gulliem Charles Bezerra Lemos (Julian Lemos) se infiltraram no partido para dinamitar a candidatura do capitão da reserva.

Em uma estratégia para minar toda e qualquer possibilidade de dar um vice-presidente que fosse o melhor para a chapa, os dois articularam minuciosamente em pedir para possíveis nomes se filiarem a outros partidos para se coligar e ganhar mais tempo de TV.

Só que “esqueceram” de combinar isso com o presidente dos partidos aliados.

Aí que se instaurou uma das maiores jogadas que fizeram com que perdêssemos grandes nomes para ao final, ficássemos com apenas parcos nomes e principalmente, os dos dois.

Dinamitaram a possibilidade de tornar Janaína Paschoal vice, fazendo de tudo para que ela desistisse.

Não suficiente, forjaram também um dossiê falso sobre o Principe, Luiz Philippe de Orleans e Bragança.

A estratégia é clara, alcançar ainda mais poder e deixar Jair Messias Bolsonaro rendido em um mar de bandidos e espertalhões que pensam apenas em seu próprio benefício.

O Presidente é ex-petista, tem ligação com José Dirceu, trabalhou no escritório do Advogado Bermudes, conhecido por defender bandidos como, Gilmar Mendes, Barroso e outros criminosos.

Se diz advogado, mas até hoje teve apenas quatro casos na vida.

Possui ligações diretas com a filha do Fux e possui um vasto currículo de alianças e conchavos com as velhas figuras da política asquerosa do Brasil.

O vice-presidente tem três processos por Maria da Penha, tendo agredido ex-mulher, como também, a própria irmã.

Tem investigação por estelionato, tem o nome negativado, duas empresas que foram a falência e tenta a todo tempo em seu Instagram, pousar de empresário.

É de fato um quebrado, incompetente, que a iniciativa privada expurgou por não ter capacidade nem de administrar uma empresa, quanto mais de fazê-la dar lucro.

Seu intuito é apenas um, tentar justificar seu carro importado, sua nova casa milionária e vários outros bens, como se tivesse sido proveniente de sua vida como empresários e não dos assaltos que vive fazendo dentro do PSL.

Ambos saíram de meros pé-rapados para milionários do dia para a noite.

O próprio presidente do PSL-SP, Major Olímpio já denunciou o bancão de negócios que esse partido se tornou nas mãos desses dois bandidos que hoje detém inclusive poder sob a candidatura de Jair Messias Bolsonaro, já que o candidato à presidência pode ser trocado até 30 dias antes das eleições.

Se atentarem contra a candidatura do próximo presidente desse país, não existirá mais lugar no mundo para eles, restará a eles, apenas o inferno. A militância fará justiça com as próprias mãos!

Bolsonaro entre Luciano Bivar (camisa azul clara), atual presidente do PSL, Gulliem/Julian Lemos e Gustavo Bebianno. O delegado Francischini é o último à esquerda. Foto reproduzida nas redes sociais

*****

Bebianno foi atrás do autor do texto acima e teria conseguido identificá-lo como o militante de nome Edson Alex, do Ceará.

Numa gravação, reproduzida abaixo, Bebianno faz ameaças e termina trocando ofensas com Alex.

A voz que primeiro aparece na gravação é a do atual ministro:

“Você é um merda, rapaz, você vai me encontrar nos tribunais! Você é um bosta, você é um merda”, diz Bebianno ao final da gravação.

Alex nega que tenha sido autor do texto, mas o laranjal denunciado pela Folha de S. Paulo em ao menos dois estados é consistente com o uso do PSL para fazer caixa, através do Fundo Partidário.

Em Minas Gerais e em Pernambuco, o PSL lançou candidatos fraquíssimos que receberam um total de R$ 989 mil em dinheiro público para obter apenas 5.760 votos.

Há suspeita de que os candidatos eram fantasmas: foram lançados apenas para depois devolver dinheiro de campanha a dirigentes do partido, através de intermediários.

Uma candidata a deputada estadual em Minas, a professora aposentada Cleuzenir Barbosa, denunciou que, depois de receber R$ 60 mil para sua campanha, teria sido “convidada” a devolver R$ 30 mil através de uma gráfica.

O pedido teria partido de Marcelo Álvaro Antônio, que era presidente do PSL em Minas, se elegeu deputado federal e agora se licenciou do mandato para assumir o Ministério do Turismo de Bolsonaro.

“Recebi R$ 60 mil do Fundo Especial de Financiamento de Campanha do partido. E os assessores do futuro ministro do Turismo queriam que eu transferisse R$ 30 mil para a conta de uma gráfica de Ipatinga. E sempre falavam em nome do Marcelo Álvaro. Mas [o material impresso] já estava tudo comigo porque o partido mandou. E certamente não custaram mais do que R$ 5 mil. Um deles chegou a tirar uma arma e colocar em cima da mesa durante uma reunião”, narrou a candidata à coluna de Monica Bérgamo.

Em Pernambuco, o caso mais escabroso foi da aposentada Maria de Lourdes Paixão, de 68 anos de idade, que recebeu R$ 400 mil do fundo partidário mas obteve apenas 274 votos.

Para efeito de comparação, Joice Hasselmann recebeu R$ 100 mil do PSL e teve mais de um milhão de votos em São Paulo.

Dentre apoios que teriam sido “vendidos” por lideranças do PSL, segundo o texto apócrifo, estariam a adesão às candidaturas a governador de Armando Monteiro (PTB), em Pernambuco; a José Ronaldo (DEM) na Bahia e a Ratinho Júnior (PSD) no Paraná.

No Paraná, aliás, o candidato a governador Ogier Buchi, que pretendia disputar pelo PSL, foi detonado pelo próprio líder do PSL estadual, Fernando Francischini, em nome da aliança com o PSD.

Francischini, Luciano Bivar e Gulliem/Julian Lemos se elegeram deputados federais respectivamente por Paraná, Pernambuco e Paraíba.

A “recompensa” de Gustavo Bebianno, sem mandato, foi um ministério importante, bem próximo de Bolsonaro.

Em dezembro passado, Carlos Bolsonaro já havia disparado um míssil contra Julian Lemos, via twitter, em duas mensagens:

Julian Lemos, a pessoa que tem se colocado como coordenador de Bolsonaro no Nordeste não é e nunca foi! Detalhes creio que todos sabem! Sr. @JulianLemosopb1 quem elegeu Bolsonaro foram pessoas de todos os segmentos e que nenhum momento pleiteiam algo a mais a não ser um Brasil melhor! Bolsonaro age somente ajudando candidatos pelo Brasil. Sugerimos parar de aparecer atrás dele por algum motivo como faz sempre!

É possível que Carlos tenha agido a pedido do próprio pai.

Julian não deixou barato e respondeu, também numa rede social:

Na minha casa o que meu pai falava era respeitado, na minha casa eu aprendi honrar pai e mãe, só assim eu poderia ser feliz e ter paz, hoje percebo porque tenho filhos e uma esposa linda e vivo em paz.

A resposta veio acompanhada de um vídeo em que Jair Bolsonaro se refere a Gulliem/Julian, que está ao lado dele, como “nosso coordenador no Nordeste”.

Durante a campanha, o fogo amigo contra Gulliem/Julian incluiu denúncias (verdadeiras) de que ele havia sido condenado por falsidade ideológica, respondia a processos trabalhistas e pela Lei Maria da Penha, por agredir a esposa e a irmã.

O BuzzFeed reproduziu trecho do depoimento da ex-mulher do agora deputado:

A possibilidade de que a demissão de Bebianno cause danos na relação da família com o PSL ou que a investigação da Polícia Federal revele um laranjal do partido em todo o Brasil é o motivo da especulação de que a família Bolsonaro participaria da refundação da UDN, trocando de partido em pleno mandato.

O sucesso do PSL em 2018 é visto também como resultado do grande número de candidatos que lançou ligados a forças de segurança.

O PSL elegeu como deputados federais e estaduais: um agente federal, 15 delegados de polícia, 3 cabos, 4 sargentos, 1 subtenente, 3 tenentes, 4 capitães, 12 coronéis, 4 majores e 2 generais.

Quem fica ou quem sai do partido junto com os Bolsonaro, se a situação chegar a isso, só o futuro dirá.

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



9 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jardel

18 de fevereiro de 2019 às 02h12

A podridão começou a feder.
“Elegemos” uma horda de corruptos de extrema direita e, pior, associados a milicianos sem escrúpulos.
Tudo isso graças a um antipetismo e um antilulismo cheio de ódio incutido na população através de milhões e milhões de fakenews.
O Brasil caiu num golpe e tirou a Dilma e depois caiu em outro golpe e elegeu o Bozo.
Ô país de idiotas !

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 23h57

Só por Curiosidade:

Será que o Beáto Dalanhól vai pegar o Bebianno pra Delator?

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 23h54 Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 23h51

Bebianno, PSL, Bolsonaro,
UDN, Laranjas, Queiroz …
Tudo Fede à Política Velhaca …

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 23h28

.
“Em virtude da descoberta do laranjal do PSL,
clã Bolsonaro negocia abandonar partido
e migrar para ‘nova UDN’.
Tudo leva a crer que a família, em seguida,
abandonará o próprio sobrenome
e adotará outro, ainda desconhecido.
Queiroz?”

https://twitter.com/Haddad_Fernando/status/1097096266813722625
.
“Lavou tá novo?!
Irmãos Bolsonaro querem mudança de partido p/ o clã.
Saem do PSL, ‘contaminado por práticas da velha política’
e vão para a UDN, a ser criada c/ inspiração na pré-ditadura.
Ñ informam se Queiroz os acompanha c/ suas tecnologias financeiras”

https://twitter.com/gleisi/status/1097242288089190400
.
“Presidente de partido para onde rumam os Bolsonaro
também se apropriava de salários de assessores.
Amigo dos Bolsonaro e dirigente da UDN é acusado de praticar ‘rachid’.

https://t.co/3VLELOrZOU
https://twitter.com/luisnassif/status/1097253088891686917

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 22h20

E o Churrio de Laranjas Podres
Escorrendo, feito Suco Azedo,
pela Rampa do Palácio Planalto…

Responder

Jose carlos

17 de fevereiro de 2019 às 22h17

Tá parecendo a TV Foco, fofoca.
Só sei que o cara que fez essa merda é um descerebrado.
Como o Bolsogênico vai isolar o General se ele é apenas um simples capitão. General é general não vai se calar fácil.
Quantos deputados o Bebianno levará com ele. Deve fazer falta esses votos.
Mas acho que só querem tirar o Flávio do olho do furacão. Criou-se um problema para resolver outro, salvar o Flávio Bolsonaro.

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 22h04

“O Bebianno, homem forte que alavancou
a candidatura do coiso, agora pede desculpas.
Quem diz isso é o tal Camarotti, assim assim
com os poderosos de Brasília”

https://twitter.com/ultrajano/status/1097211896716029953

Responder

Zé Maria

17 de fevereiro de 2019 às 22h02

Pro PSL derrubar os Bolsonaro não precisa
nem cabo, nem soldado e nem de Jipe.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.