VIOMUNDO

Diário da Resistência


Preso, Paulo Preto será mandado para Curitiba e “escapa” de matada no peito de Gilmar; Aloysio tinha cartão de crédito ligada a conta milionária
José Cruz/Agência Brasil
Você escreve

Preso, Paulo Preto será mandado para Curitiba e “escapa” de matada no peito de Gilmar; Aloysio tinha cartão de crédito ligada a conta milionária


19/02/2019 - 13h27

Paulo Vieira de Souza é preso em nova fase da Lava Jato

Por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil São Paulo

A 60ª fase da Lava Jato, deflagrada na manhã de hoje (19) pela Polícia Federal de Curitiba, prendeu Paulo Vieira de Souza, também conhecido como Paulo Preto, apontado como operador de esquemas envolvendo o PSDB em São Paulo.

A operação recebeu o nome de Ad Infinitum.

Segundo o Ministério Público Federal do Paraná, 12 mandados de busca foram expedidos, entres eles, em endereços de Paulo Preto e do ex-chanceler Aloysio Nunes Ferreira Filho.

A operação investiga um complexo esquema de lavagem de dinheiro de corrupção praticado pela Odebrecht e por Paulo Preto e outros três operadores, que atuaram entre 2007 e 2017.

Segundo o MPF, as transações investigadas superam R$ 130 milhões, que correspondiam ao saldo de contas controladas por Paulo Preto na Suíça no início de 2017.

Esquema

As investigações da força-tarefa da Lava Jato no Paraná revelaram a atuação de Paulo Preto como operador financeiro com importante papel num complexo conjunto de operações de lavagem de dinheiro em favor da empreiteira Odebrecht.

Paulo Preto teria disponibilizado, no segundo semestre de 2010, R$ 100 milhões em espécie para um operador no Brasil, que teria entregue os valores ao Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, aos cuidados de um doleiro.

Esse doleiro pagava propinas, a mando da empresa, a vários agentes públicos e políticos, inclusive da Petrobras. Segundo o MPF, propinas foram pagas pela empreiteira, em espécie, para seis diretores e gerentes da Petrobras.

Em contraprestação à entrega de valores em espécie por Paulo Preto ao Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht no Brasil, esse setor transferiu milhões de dólares para as contas de um doleiro no exterior.

Este último operador, depois de descontar sua comissão, devida pela lavagem do dinheiro, ficava incumbido de fazer chegar às contas de Paulo Preto os recursos a ele devidos.

A investigação apontou que houve também outras operações ilícitas entre os investigados.

No dia 26 de novembro de 2007, por intermédio da offshore Klienfeld Services Ltd, a Odebrecht transferiu 275.776,04 de euros para a conta controlada por Paulo Preto, em nome da offshore Grupo Nantes, na Suíça.

No mês seguinte, foi solicitada emissão de cartão de crédito, vinculado à sua conta, em nome de Aloysio Nunes Ferreira Filho.

Além disso, foram identificados depósitos, no ano de 2008, por contas controladas pela Andrade Gutierrez e Camargo Correa, em favor da mesma conta controlada por Paulo Preto na Suíça, no valor global aproximado de US$ 1 milhão.

Documentos apreendidos em fases anteriores da Lava Jato, fornecidas pela Odebrecht, depoimentos de colaboradores, troca de mensagens, relatórios de informação e extratos embasam a investigação.

“Nesse contexto, foi fundamental a obtenção de evidências mediante a cooperação internacional entre o Brasil e quatro países: Suíça; Espanha, Bahamas e Singapura”, diz o MPF.

“Parte das peças desse grande quebra-cabeça foi obtida pelo MPF a partir de acordos de leniência e de colaboração premiada, cooperações internacionais com quatro países, análise e relacionamento de provas obtidas em buscas e apreensões de fases anteriores da Lava Jato e afastamentos de sigilos fiscal e bancário. Os mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos hoje visam a obter outras peças dessa gigantesca figura criminosa”, disse o procurador da República Roberson Pozzobon.

Outro lado

Paulo Preto já é investigado pela Lava Jato em São Paulo. Ele é réu em duas ações penais envolvendo obras de construção do Rodoanel Sul e do Sistema Viário de São Paulo.

Em uma delas ele é acusado de peculato (desvio de dinheiro público), processo que se encontrava na fase de alegações finais, mas que foi anulado em liminar de habeas corpus pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. A segunda ação é a de crime de cartel, que se encontra na fase de depoimentos das testemunhas de defesa.

Procurada pela Agência Brasil, a defesa de Paulo Preto informou que não vai comentar a operação e a prisão de seu cliente. “Não tivemos acesso a qualquer documentação ainda”, informou a defesa. Já a defesa de Aloysio Nunes ainda não se manifestou.

PS do Viomundo: Como a prisão foi no âmbito da Lava Jato de Curitiba, que investiga casos ligados à Petrobras, Paulo Preto desta feita não poderá contar, em tese, com a tradicional matada de peito de Gilmar Mendes, já que o relator do caso no STF é Edson Fachin.

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



3 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Silvio Nasc

20 de fevereiro de 2019 às 00h47

Bla bla bla, mas o unico álibi é CORRUPÇÃO, podes não gostar, direito seu, azar nosso, como povo, fomos potencia mundial, vc goste ou não, posso ter mais cinco vidas, mas jamais vou entender como um cidadão de qualquer pais que necessita de saude publica, educação e estado como a regua niveladora na sociedade, e o sem noção se esquece que seu pais com sua elite , ate escravocrata jå foi ou sei lá para alguns ainda é, venha em sã consciencia defender capitalismo, neo liberalismo, ( que o chile foi o laboratorio a 35 anos atras e hoje ė um dos estados com economia mais maquiavelica contra os idosos e quem depende do nivelamento onde o neo liberalismo descentralizou a grandeza do estado), não consigo entender a ambiguidade de pensamento de uma nação que não conhece quem são seus representantes setoriais, povo esse que não procura entender o sistema, mas pasta uma vida toda, contemplando uma midia e agora um watsshapp que lhes manipulam sem gastar um neuronio para pensar, PORRA 500 ANOS estivemos votando numa elite que não e nunca nos representou, me desculpe mas se ainda não captou a essencia disso tudo, sò pode ser aquela doença que acerca o cerebro dos incautos, A PIRRAÇA, então ai não resta mais uma silaba a ser discutida com esse povo e vc..

Responder

Jardel

19 de fevereiro de 2019 às 17h27

Há alguns minutos o Datena disse que pegaram 100 milhões de reais na casa do Paulo Preto.
Se isso for verdade o cara dobrou o record do Gedel.

Responder

Nilo

19 de fevereiro de 2019 às 14h58

Passados meio seculo de passada de pano para o PSDB e Paulo preto, já deu tempo de destruir ou esconder a maioria das provas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!