VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Partido policial-militar votou em massa para tirar Daniel Silveira da cadeia
Reprodução das redes sociais
Você escreve

Partido policial-militar votou em massa para tirar Daniel Silveira da cadeia


20/02/2021 - 13h50

Da Redação

Generais, majores, capitães, coronéis e delegados votaram em massa para tirar o ex-cabo PM Daniel Silveira da cadeia, apesar de no passado terem jurado defender a Constituição e fazer cumprir a lei.

O bloco votou fechadíssimo, independentemente de partido, com apenas duas exceções: os delegados Marcelo e Waldir, ambos do PSL, respectivamente de Minas Gerais e Goiás.

Os outros 18 integrantes da bancada policial-militar que se identificam como tal votaram pela liberdade de Silveira, algumas vezes rompendo com a orientação da direção partidária.

Dentre os pastores evangélicos, só o Pastor Isidório, do Avante da Bahia, parece ter se importado com as ameaças e palavrões disparados por Silveira no vídeo em que fez ameaças a integrantes do Supremo Tribunal Federal.

Todos os outros votaram pela liberdade do colega parlamentar.

O bolsonarismo se aglutinou em torno de muitas ideias que brotaram na Lava Jato, como a CPI da Lava Toga, que considera corruptos todos os juízes que não foram indicados por Jair Bolsonaro.

Desenvolveu ódio particular pelos ministros garantistas do STF, como Gilmar Mendes, acusado por Daniel Silveira de vender sentenças.

Obviamente, muitos deputados que votaram NÃO alegam que o fizeram em defesa da imunidade parlamentar, ou discordam do fato de que o STF abriu o inquérito das fake news por conta própria, sem ser provocado pelo Ministério Público, o que faz com que muitos juristas o considerem inconstitucional.

Outros acreditam que não houve flagrante, nem que os supostos crimes cometidos por Silveira sejam inafiançáveis.

De qualquer forma, impressiona como o bloco policial-militar votou maciçamente Não:

Adriana Ventura (NOVO-SP) – Não
Afonso Hamm (PP-RS) – Não
Alan Rick (DEM-AC) – Não
Alceu Moreira (MDB-RS) – Não
Alê Silva (PSL-MG) – Não
Alex Santana (PDT-BA) – Não
Alexis Fonteyne (NOVO-SP) – Não
Aline Sleutjes (PSL-PR) – Não
Aluisio Mendes (PSC-MA) – Não
Angela Amin (PP-SC) – Não
Bacelar (PODE-BA) – Não
Bia Kicis (PSL-DF) – Não
Bibo Nunes (PSL-RS) – Não
Boca Aberta (PROS-PR) – Não
Cap. Alberto Neto (REPUBLICANOS-AM) – Não
Cap. Fábio Abreu (PL-PI) – Não
Capitão Augusto (PL-SP) – Não
Capitão Wagner (PROS-CE) – Não
Carla Dickson (PROS-RN) – Não
Carla Zambelli (PSL-SP) – Não
Carlos Jordy (PSL-RJ) – Não
Caroline de Toni (PSL-SC) – Não
Charlles Evangelis (PSL-MG) – Não
Coronel Armando (PSL-SC) – Não
Coronel Tadeu (PSL-SP) – Não
Coronel Chrisóstomo (PSL-RO) – Não
Da Vitória (CIDADANIA-ES) – Não
Daniel Freitas (PSL-SC) – Não
Daniel Trzeciak (PSDB-RS) – Não
Danilo Forte (PSDB-CE) – Não
Danrlei (PSD-RS) – Não
Del Antônio Furtado (PSL-RJ) – Não
Del Éder Mauro (PSD-PA) – Não
Del Pablo (PSL-AM) – Não
Diego Garcia (PODE-PR) – Não
Dr. Frederico (PATRIOTA-MG) – Não
Dr. Jaziel (PL-CE) – Não
Dr. Luiz Ovando (PSL-MS) – Não
Dra. Soraya Manato (PSL-ES) – Não
Eduardo Costa (PTB-PA) – Não
Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) – Não
Eli Borges(SOLIDARIEDADE-TO) – Não
Emanuel Pinheiro (PTB-MT) – Não
Enrico Misasi (PV-SP) – Não
Eros Biondini (PROS-MG) – Não
Fabio Schiochet (PSL-SC) – Não
Filipe Barros (PSL-PR) – Não
Francisco Jr. (PSD-GO) – Não
General Girão (PSL-RN) – Não
General Peternelli (PSL-SP) – Não
Gilberto Nascimento (PSC-SP) – Não
Gilson Marques (NOVO-SC) – Não
Guiga Peixoto (PSL-SP) – Não
Guilherme Derrite (PP-SP) – Não
Heitor Freire (PSL-CE) – Não
Hélio Costa (REPUBLICANOS-SC) – Não
Helio Lopes (PSL-RJ) – Não
Hildo Rocha (MDB-MA) – Não
Hugo Leal (PSD-RJ) – Não
Jefferson Campos (PSB-SP) – Não
Jerônimo Goergen (PP-RS) – Não
Joaquim Passarinho (PSD-PA) – Não
José Medeiros (PODE-MT) – Não
José Rocha (PL-BA) – Não
Josivaldo JP (PODE-MA) – Não
Junio Amaral (PSL-MG) – Não
Kim Kataguiri (DEM-SP) – Não
Lauriete (PSC-ES) – Não
Leda Sadala (AVANTE-AP) – Não
Léo Moraes (PODE-RO) – Não
Léo Motta (PSL-MG) – Não
Lincoln Portela (PL-MG) – Não
Liziane Bayer (PSB-RS) – Não
Loester Trutis (PSL-MS) – Não
Lucas Gonzalez (NOVO-MG) – Não
Lucas Redecker (PSDB-RS) – Não
Lucio Mosquini (MDB-RO) – Não
Luisa Canziani (PTB-PR) – Não
Luiz Lima (PSL-RJ) – Não
Luiz P. O.Bragança (PSL-SP) – Não
Luiz Antônio Corrêa (PL-RJ) – Não
Major Fabiana (PSL-RJ) – Não
Mara Rocha (PSDB-AC) – Não
Marcel van Hattem (NOVO-RS) – Não
Marcelo Álvaro (PSL-MG) – Não
Marcelo Brum (PSL-RS) – Não
Marcelo Moraes (PTB-RS) – Não
Márcio Labre (PSL-RJ) – Não
Marlon Santos (PDT-RS) – Não
Maurício Dziedrick (PTB-RS) – Não
Nelson Barbudo (PSL-MT) – Não
Neucimar Fraga (PSD-ES) – Não
Nicoletti (PSL-RR) – Não
Nivaldo Albuquerque (PTB-AL) – Não
Norma Ayub (DEM-ES) – Não
Osires Damaso (PSC-TO) – Não
Osmar Terra (MDB-RS) – Não
Otoni de Paula (PSC-RJ) – Não
Pastor Eurico (PATRIOTA-PE) – Não
Pastor Gil (PL-MA) – Não
Paula Belmonte (CIDADANIA-DF) – Não
Paulo Bengtson (PTB-PA) – Não
Paulo Bengtson (PTB-PA) – Não
Paulo Martins (PSC-PR) – Não
Pedro Cunha Lima (PSDB-PB) – Não
Pedro Lupion (DEM-PR) – Não
Pedro Westphalen (PP-RS) – Não
Policial Sastre (PL-SP) – Não
Pastor Marco Feliciano (REPUBLICANOS-SP) – Não
Professor Joziel (PSL-RJ) – Não
Renata Abreu (PODE-SP) – Não
Ricardo Barros (PP-PR) – Não
Ricardo da Karol (PSC-RJ) – Não
Roberto de Lucena (PODE-SP) – Não
Rodrigo Coelho (PSB-SC) – Não
Rogério Peninha (MDB-SC) – Não
Rosana Valle (PSB-SP) – Não
Sanderson (PSL-RS) – Não
Santini (PTB-RS) – Não
Sargento Fahur (PSD-PR) – Não
Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ) – Não
Stefano Aguiar (PSD-MG) – Não
Stephanes Junior (PSD-PR) – Não
Subtenente Gonzaga (PDT-MG) – Não
Tiago Mitraud (NOVO-MG) – Não
Uldurico Junior (PROS-BA) – Não
Vaidon Oliveira (PROS-CE) – Não
Vinicius Poit (NOVO-SP) – Não
Vitor Hugo (PSL-GO) – Não
Wilson Santiago (PTB-PB) – Não





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

20 de fevereiro de 2021 às 19h46

O caso Daniel Silveira
Deputado fez do insulto uma arma

Por Juremir Machado da Silva, no Correio do Povo

Ludwig Wittgenstein era bom de lógica.
Ele escreveu: “Quando digo a alguém ‘pare mais ou menos aqui’
pode essa elucidação não funcionar perfeitamente?”
O general Eduardo Villas Bôas confessou em livro que, em 2018, quando
era comandante do Exército, articulou com a alta cúpula militar uma postagem,
“no limite da responsabilidade institucional”, para pressionar o Supremo Tribunal Federal.
Era um “para mais ou menos aqui”.
O ministro Celso de Mello entendeu, na época, como a mensagem deveria ser
entendida: uma ameaça indevida.
Já o ministro Edison Facchin só reagiu agora ao intervencionismo do general.
Declarou ser inadmissível tal coisa.
O general ironizou: um pouco tarde, três anos depois.
Gilmar Mendes saiu em defesa do colega.
O deputado bolsonarista Daniel Silveira disparou contra o STF.

Há uma cadeia assustadora: o presidente da República diz que o certo seria
tirar de circulação certos jornais.
O que eles fazem de mal?
Criticam o presidente.
O general admite aquilo que tem cara e cheiro de ameaça de golpe.
O ministro Gilmar Mendes afirma que a Lava Jato teve lado
e atuou para eleger Jair Bolsonaro.
Houve época em que Mendes era a favor da operação e até impediu Lula
de ser nomeado ministro, atropelando, segundo alguns juristas, atribuição
do executivo.
Aí vem o deputado Silveira e bota fogo no parquinho: defende em vídeo
o famigerado AI-5, ataca a honra de ministros do STF, fala em venda de sentenças,
propõe fechar a barraca, chuta o balde.
Ele estaria em baixa e querendo agradar as hostes bolsonaristas.
Preso, desafia o ministro Alexandre de Moraes.
Diz que vencerá a queda de braço.
Lança o “povo” contra as instituições.
Essa prisão poderá, sugerem alguns, aumentar o seu cabedal de votos em 2022.
É isso aí.

Não bastasse esse barulho, talvez pela falta de carnaval, surge uma mensagem
dos procuradores da Lava-Jato sugerindo, no tempo em que mandavam no jogo
e nutriam a mídia, atirar a massa excitada contra o mesmo STF que ulcera
Daniel Silveira, o político que ficou famoso por ter quebrado uma placa de rua
em homenagem à vereadora assassinada Marielle Franco:
“Acho que podemos alimentar os movimentos pra direcionarem atenção
para o Alexandre de Moraes. Se pegar sem a nossa cara, melhor, porque fico
penando [sic] em possível efeito contrário em que nós queremos colcoar [sic]
o STF contra a parede”. Opa! Que é isso, companheiros, tentando embretar
um ministro da suprema corte!?

No meio da refrega, na hora de ser preso, Daniel Silveira gravou novo vídeo
e fez uma confissão interessante: disse já ter sido preso noventa vezes.
Policial, pelo jeito ele mais foi preso do que prendeu.

Tudo isso será o resultado de orientações cristalinas baseadas no
“pare mais ou menos aqui”?
Vamos vacinar, mas não tem vacinas.
Vamos mudar a política, porém, quando der.
Vamos mudar tudo sem mudar muito ou nada.

Até quando a frágil democracia brasileira suportará provocações
do presidente, do general, dos procuradores, do deputado?
Vou parar mais ou menos aqui para acompanhar o desfecho.
Carnavalizou.
O vídeo de Daniel Silveira é a peça mais hedionda da atualidade.

https://www.correiodopovo.com.br/blogs/juremirmachado/o-caso-daniel-silveira-1.572573

Responder

Zé Maria

20 de fevereiro de 2021 às 18h10

Dos 31 Deputados Federais do Rio Grande do Sul, somente
as Bancadas do PT e do PSoL votou ‘SIM’, na integralidade,
e um ou outro de Legendas Diferentes:

Bohn Gass (PT-RS) – Sim
Fernanda Melchionna (PSol) – Sim
Henrique Fontana (PT) – Sim
Marcon (PT) – Sim
Maria do Rosário (PT) – Sim
Paulo Pimenta (PT) – Sim
Carlos Gomes (Republ.) – Sim
Giovani Cherini (PL) – Sim
Giovani Feltes (MDB) – Sim
Heitor Schuch (PSB) – Sim
Márcio Biolchi (MDB) – Sim
Pompeo de Mattos (PDT) – Sim

O Resto (17) votou NÃO:

Afonso Hamm (PP-RS) – Não
Alceu Moreira (MDB-RS) – Não
Bibo Nunes (PSL-RS) – Não
Daniel Trzeciak (PSDB-RS) – Não
Danrlei (PSD-RS) – Não
Jerônimo Goergen (PP-RS) – Não
Liziane Bayer (PSB-RS) – Não
Lucas Redecker (PSDB-RS) – Não
Marcel van Hattem (NOVO-RS) – Não
Marcelo Brum (PSL-RS) – Não
Marcelo Moraes (PTB-RS) – Não
Marlon Santos (PDT-RS) – Não
Maurício Dziedrick (PTB-RS) – Não
Osmar Terra (MDB-RS) – Não
Pedro Westphalen (PP-RS) – Não
Sanderson (PSL-RS) – Não
Santini (PTB-RS) – Não
.
.
E mais dois não votaram:

Afonso Motta (PDT-RS) – não votou
Nereu Crispim (PSL) – não votou
.
.
(https://www.camara.leg.br/presenca-comissoes/votacao-portal?reuniao=60387)
https://www.correiodopovo.com.br/not%C3%ADcias/pol%C3%ADtica/maioria-da-bancada-ga%C3%BAcha-vota-contra-pris%C3%A3o-do-deputado-daniel-silveira-1.573727

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura