VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Padilha: Fracasso da vacinação é culpa de general que nunca deu satisfação a ninguém
Divulgação
Você escreve

Padilha: Fracasso da vacinação é culpa de general que nunca deu satisfação a ninguém


20/02/2021 - 19h30

Acostumado com tempos da caserna, Pazuello apresenta cronograma fictício de vacinação

Por Alexandre Padilha, no Brasil de Fato

O general do Ministério da Saúde, mal acostumado com os tempos de caserna, quando o general fala qualquer coisa e cabo bate continência, imaginou que poderia divulgar e mandar pro noticiário um cronograma fictício de vacinação no Brasil, que iria passar quieto por todos sem provocar uma profunda reação.

Isso foi motivado pelo documento apresentado, divulgando o cronograma fictício de entrega de vacinas pelo ministério que, até hoje, só contratou duas vacinas para o país, se omitindo ou negando a oferta de 70 milhões de doses de vacinas da Pfizer, a oferta da Johnson com a vacina Jansen, a oferta da Moderna e a oferta da Sputinik V, que desde junho do ano passado procura o governo federal pra construir uma parceria sólida principalmente da vacina aqui no Brasil.

Além disso esse mesmo Ministério da Saúde solicitou apenas 10% de cobertura da população no consórcio daOrganização Mundial de Saúde (OMS), quando tinha opção de solicitar até 50%.

Esse documento foi também uma cobrança do Supremo Tribunal Federal (STF), a partir da solicitação nossa, enquanto parlamentar, e da bancada de deputados federais do PT e dos partidos de oposição para que o STF cobrasse o plano de vacinação do Ministério da Saúde.

O governo está sob pressão porque aprovamos no Congresso Nacional uma lei que obriga o governo Bolsonaro a desenvolver e apresentar um plano que garanta a vacinação de toda a população apta ainda este ano.

O Brasil pode, tem condições, tem experiência pra atingir o que nós chamamos da meta agosto, vacinar até agosto, até o fim do inverno, toda a população brasileira apta a receber vacinas para a covid-19.

São cerca de 160, 170 milhões de brasileiros, excluídos gestantes e crianças. Ou seja, precisaríamos em torno de 340 milhões de doses até lá.

É possível fazer isso incorporando todas as vacinas que já fizeram ofertas para o Ministério da Saúde.

Infelizmente vamos fazer isso pela força do Congresso ou do Judiciário e sobretudo da mobilização da sociedade, que não pode aceitar esse plano mentiroso, vazio, fictício, de um cronograma de vacinas a serem entregues ao Ministério da Saúde em que não existe qualquer garantia dos produtores para isso.

Edição: Leandro Melito





1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

20 de fevereiro de 2021 às 22h11

general mandalete do ex-tenente;
duas palavras o (des)qualificam:
irresponsável e incompetente.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura