VIOMUNDO

Diário da Resistência


ONGs da sociedade civil lançam campanha Brumadinho grita socorro
Você escreve

ONGs da sociedade civil lançam campanha Brumadinho grita socorro


26/01/2019 - 14h39

BRUMADINHO GRITA SOCORRO!

via Carl Benzaquen, do Transformar

No dia 25 de janeiro de 2019, mais uma barragem de rejeito da mineradora Vale se rompeu. Agora em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Em resposta a esta tragédia, sociedade civil mobilizada começa a se organizar por whatsapp, somando talentos, redes, mãos, mentes e corações para prestar o apoio necessário aos atingidos pela lama da Vale.

Precisamos de apoio financeiro para ajudar as famílias e animais que foram vítimas desse crime ambiental.

O dinheiro arrecadado será destinado a ações emergenciais, tais como a compra de medicamentos e de produtos de necessidade básica.

No entanto, caso superemos as metas, podemos alocar recursos para outras ações articuladas pela sociedade civil para fortalecer a luta dos moradores da região que, a partir de agora, terão que lidar com os impactos desta tragédia.

Tomemos como exemplo o caso do Rio Doce, onde a impunidade chegou junto com a lama e que há três anos é um território banhado pela dúvida e pela dívida.

Vamos nos apoiar em todos os níveis e, juntos, cobrar dos responsáveis as devidas respostas e ações para, ao menos, diminuir a dor de toda essa gente e da natureza que agora sofre com os impactos do lucro a qualquer custo.

Orçamento

Os recursos captados serão alocados em um fundo emergencial e de reconstrução da área afetada.

Esse fundo será responsabilidade da Associação Nossa Cidade com o apoio da Aliança Rio Doce, ambas organizações da sociedade civil organizada e sem fins lucrativos.

Os beneficiados serão coletivos, organizações sem fins lucrativos e indivíduos impactados e comprometidos na regeneração das comunidades e territórios destruídos. O objetivo do fundo é viabilizar ações imediatas de socorro aos atingidos e reconstrução no médio prazo.

Conheça abaixo um pouco mais sobre estas organizações e demais apoiadores desta campanha:

Associação Nossa Cidade:

Associação que congrega pessoas que querem desenvolver as cidades onde moram por meio do cuidado com o planeta, a comunidade e pessoas.

Sua missão é empoderar comunidades, profissionais e lideranças, fomentando a descoberta e compartilhamento de conhecimentos, talentos e recursos, para gerar melhoria de sua qualidade de vida.

Aliança Rio Doce:

A Aliança Rio Doce nasce em resposta ao rompimento da barragem da Samarco/Vale/BHP no Rio Doce que causou impactos sem precedentes em todo território, fauna, flora e habitantes das margens do Rio Doce fazendo necessário um conjunto de ações sistêmicas e alianças que possam apoiar a regeneração socioambiental da Bacia do Rio Doce.

Busca fomentar a criação de laços afetivos, redes, organizações, talentos, recursos, tecnologias sociais e livre informação para promover a regeneração socioambiental da Bacia do Rio Doce.

Através da cocriação, realização e gestão colaborativa de ações e projetos restaurativos. Sua missão é promover a aliança de pessoas, organizações, talentos e recursos para apoiar à regeneração socioambiental e do fortalecimento de iniciativas locais através da co-criação e realização de ações e projetos colaborativos.

Coletivo Transformar

Plataforma Política que atua nas áreas: ambiental, educacional, identitária e de moradia de Minas Gerais.

O PorQueNão?

Portal de mídia interdependente que divulga e acelera iniciativas transformadoras pelo Brasil todo. A missão do coletivo que forma o PorQueNão? é interligar pessoas que se dedicam a projetos capazes de transformar positivamente a realidade local para que esses projetos sejam multiplicados.

O Mundo Que Queremos

Agência especializada em arquitetura de projetos e comunicação de causas. Ajudamos organizações a montar campanhas e iniciativas para transformar a sociedade e construir o mundo que queremos.

Representantes da Sociedade Civil Organizada que estão apoiando e colaborando com a realização desta campanha:

Ana Karolina Andrade – Aliança Rio Doce

Floriana Breyer – Aliança Rio Doce

Carolina Gouveia

Renato Orozco – Associação Nossa Cidade

 Graziella Santoro – Associação Nossa Cidade

Lúcia Helena Batista – Associação Nossa Cidade

Duda Salabert – Coletivo Transformar

Mércia Nunes – Associação Nossa Cidade

Viviane Noda – PorQueNão? Mídia Interdependente

Cassia Christe – O Mundo que Queremos

Para contribuir com a campanha, clique aqui.

 

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

joão bravo

13 de março de 2019 às 23h46

Hoje estou aqui para falar como um assunto polêmico ,mas que deve ser discutido pela sociedade,pais,mães, escolas, orgãos públicos. falar nisso nunca entendo se é orgão no sentido figurado, ou aquele que o Brasileiro leva sempre, no meio das coxas quando vai votar.
Temos que sermos realistas, a droga já existe há muito tempo, historiadores já contam que a arvore da vida, na verdade era um pé de maconha, e que Buda foi o maior maconheiro que tinha, só quero fumar um back e viajar a sombra da árvore, quando batia a larica, ele se entupia de comida,Nâo tinha academia, nem pilates estas merdas de hoje a mulher da gente quer fazer.,só parava sentado em cima de moedinhas de tão gordo.
Só o delegado de minha cidade, deu paradão em buda por duas vezes, o vagal pegou cana por posse, sim por que Buda de trouxa não tinha nada, quando saía da boca era só com umas folhas deixava a árvore.
Não havia ainda nem codigo penal, foi tudo na base dos dez mandamentos, até porque Deus já sabia que a versão dela em papel ficaria muito pesada,então forjou a fogo era mais fáci Até para o Gilmar entende-las memo que aquela bacteria jumento.
Mais aí vem a parte profunda exitência e não serei eu que farei os senhores pensar, com seu Q,I,s de ameba suas capeças explodiria e não seria eu causador de uma guerra com o maduro, ouro merda.
Quero em primeiro lugar dizer que não sou a favor das drogas, um basedo pra rexar depois de tanta correria até vai, mas dai a consumir toneladas, já é trafico, não pode,
Meu filho menor é um guri bom ,só meio lerdo,agora com estas porras de cellular então que a coisa ficou feia, minha mulheria queriair até cancum, não sei nem pra que lado fica,mas Agora tem gps qualquer idiota vai longe.
Somei minha aposentadoria mais a dela e um porco de plasticos onde ela junta uns real, porque se ela não esconde ia tudo em cachaça,dava mais ou menos R$ 4000.00, até achei viavel,então peguei e mandei este meu filho retardadao,comprar,com meu cartão Visa e vem atrás dois litros de coca cola para comemorar, a quela bactéria me vai na boca de pega um quilo de cocaiana, filho da puta,fui ver tirar extrato pra saber quanto valia aquilo não deu por que o meu chip do cartão se juntou com mais quatro fizeram um sidicato e não queria mais entrar nos buracos, pro trabalhador tomar no outro,pesquisei no google quanto valia aquela porra R$ 5.000,00, fiz as contas de cabeça hospedagem para 4, sem café da manhã nem almoço dava até pra chegar, mas depois ia ter que encomodar o pobre do consul que até nem o que serve,Maduro debocha de nossa cara, aponta os mìsseis Russus pra Brasilia e não faz nada, nem um beijo de lingua no inseto.Nem que você sópara maduro usar o estoque deles de papel higiênico.Fiz uns calculos de cabeça de quantos anos eu ia pegar,telefonei para a minha amiga conceição amiga do azenha,que mandou osfilhos da puta pegar o amianto e enfiar no rabo,até porque tem o niobionosso que vale 2 vezes o PIB da china, não precisamos de esmolas.Tambem foi a unça que me tefonou para o manicômio e jurou pro psiquiátra que eu estava bem era apenas mais um Jesus, dei uma passada de olhos no código penal, só para ver o qua dava. calculei 8 anos de reclusáo por tráfico, no mínimo por que teria que pedir um defensor publico, 5 anos por corrupção de menores, e mais alguns por formação de quadrilha. vi que ficava mais em conta cheirar o pó todo,viajariamos os quatro por umas duas semanas e sobrava dinheiro se a policia me pegasse, se nãoa me pegasse o gerente a agencia pegava, este negócio de ladrão que rouba ladão para os bancos
não cola, para resumir, me pegaram estou aqui pagando, mas descansando doze anos pelo estado, ganhando mais que os fudidos do inss e simples deste jeito.

Responder

Zé Maria

27 de janeiro de 2019 às 18h27

.
.
MST Celebra Seus 35 anos de Luta
pela Reforma Agrária e por Justiça Social

Reafirmando o “Compromisso de Lutar
pela Democratização da Terra,
pela Produção de Alimentos Saudáveis,
pela Soberania Popular e
por uma Sociedade Emancipada”

CARTA AO POVO BRASILEIRO

O Movimento Sem Terra celebra seus 35 anos de luta pela reforma agrária e por justiça social.
Nascemos no final da ditadura civil-militar, junto com milhares de lutadores e lutadoras que defenderam a democracia e desafiaram o autoritarismo.
Mais uma vez, reafirmamos nosso compromisso de lutar pela democratização da terra, pela produção de alimentos saudáveis, pela soberania popular e por uma sociedade emancipada.

Diante da crise estrutural do capital, com consequências graves e destrutivas para a natureza e a humanidade, nossas tarefas políticas se tornam ainda mais urgentes e necessárias.
As saídas apresentadas pelo capital financeiro, nada tem a ver com as necessidades humanas, pois resultam em aumento da superexploração dos trabalhadores e trabalhadoras, através da precarização do trabalho, desmonte das políticas públicas, agressiva retirada de direitos e expropriações diversas, elevando de forma brutal, os níveis de desigualdade social.
Para executá-las, o capital requer um Estado cada vez mais autoritário, voltado à repressão, violentando e perseguindo os mais pobres, promovendo um cruel genocídio da juventude negra.

Foi desta forma que os meios de comunicação, o poder judiciário, os bancos, os militares e o agronegócio, levaram ao poder, neofascista e ultraliberal, um capitão reformado que atua pelas formas mais baixas e vulgares da política, para manter os privilégios dos que historicamente saquearam o país e atacar diretamente os direitos da classe trabalhadora, através de ajustes fiscais, privatizações e subordinação da nossa economia ao capital internacional, principalmente dos EUA.

A subordinação das questões indígenas, fundiárias e ambientais aos interesses da bancada ruralista e do agrotóxico no Ministério da Agricultura;
o desmonte da previdência social;
a ameaça da entrega das empresas e bancos nacionais,
como Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal;
a liberação da posse de armas
são algumas das políticas mortíferas adotadas por esse (des)governo,
que colocam em risco a nossa biodiversidade
e acirram os conflitos no campo atingindo frontalmente
os indígenas, quilombolas, ribeirinhos, camponeses, assentados
e acampados da Reforma Agrária e evidencia a característica
antinacional e antipopular do atual governo.

É preciso ocupar as ruas e as praças denunciando a voracidade
dessas políticas que aprofundam a expropriação e exploração capitalista.

Assim, nos comprometemos em lutar e defender
todos e todas trabalhadores e trabalhadoras que tenham
sua existência ameaçada.
Seguiremos defendendo a soberania dos povos
e lutando contra qualquer tipo de ingerência política
e/ou intervencionismo militar em qualquer país.
Declaramos total solidariedade ao povo Venezuelano!

Nos solidarizamos com as famílias atingidas pela barragem de Brumadinho,
vítimas de mais uma ação criminosa e reincidente da Vale,
uma assassina protegida pelo poder judiciário.

Nos somaremos a mobilização das mulheres trabalhadoras no 8 de março,
seremos zeladores do legado e a memória de Marielle Franco
e de tantos outros companheiros e companheiras
que tombaram, exigindo a punição dos seus assassinos e mandantes.
Defenderemos a liberdade do companheiro Lula,
cuja prisão política foi utilizada para que esse projeto
fosse vitorioso nas eleições.

Nos comprometemos em fortalecer a Frente Brasil Popular
e todas as iniciativas de luta da classe trabalhadora
que confrontem a exploração, a subordinação e a opressão,
nos somando na luta cotidiana das mulheres,
da população urbana e camponesa, dos negros e negras,
dos povos indígenas e dos sujeitos LGBT.

Lutaremos pela democracia, pela justiça, pela igualdade,
pela defesa dos bens da natureza, pela democratização da terra
e pela produção de alimentos saudáveis para alimentar o povo brasileiro.

Lutar, construir Reforma Agrária Popular!

Coordenação Nacional do MST

https://www.brasildefato.com.br/2019/01/26/mst-comemora-35-anos-e-divulga-carta-ao-povo-brasileiro/
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.