VIOMUNDO

Diário da Resistência


ONG da Áustria faz sexta denúncia contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional
Pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro
Você escreve

ONG da Áustria faz sexta denúncia contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional


12/10/2021 - 13h25

Bolsonaro é denunciado pela 6ª vez no Tribunal Penal Internacional; relembre todas as acusações

Com suporte de ambientalistas, ex-juízes e cientistas, ONG austríaca acusa o presidente de crime contra a humanidade

Do Brasil de Fato

O Tribunal Penal Internacional, em Haia, na Holanda, recebeu a sexta denúncia contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), nesta terça-feira (12).

Dessa vez, a queixa foi impetrada pela ONG All Rise, da Austria, que acusa o mandatário brasileiro de crime contra a humanidade em razão de sua política ambiental

“O presidente brasileiro Jair Bolsonaro está destruindo a Amazônia. Suas ações ameaçam a todos nós. Hoje, o planeta revida. Estamos entrando com uma ação contra Bolsonaro no Tribunal Penal Internacional. Juntos, vamos cobrá-lo”, anunciou a All Rise em seu perfil no Twitter.

A ação, intitulada “Planeta contra Bolsonaro” acusa o presidente brasileiro de atuar para o aumento do desmatamento na Amazônia; a alta no número de incêndios na Amazônia; e maior emissão de CO².

Um vídeo foi divulgado pela entidade para reforçar a denúncia, que está amparada por 300 páginas de estudos conduzidos por cientistas.

O Tribunal Penal Internacional atua com jurisdição em 120 países, entre eles o Brasil, e julga indivíduos por crimes de guerra, genocídios, crimes ambientais e crimes contra a humanidade. Na Corte de Haia, Bolsonaro já foi denunciado outras cinco vezes.

Relembre todas as acusações:

1) Novembro de 2019

A primeira, em novembro de 2019, foi protocolada pelo Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu), por “crimes contra a humanidade” e “incitação ao genocídio dos povos indígenas”.

De acordo com a entidade, o presidente brasileiro coopera para o avanço do agronegócio contra os povos originários em suas terras.

Na denúncia, o CADHu afirma que Bolsonaro teria adotado 33 medidas para facilitar o genocídio de indígenas, como a diminuição da fiscalização e a omissão no socorro aos povos originários do país.

2) Abril de 2020

Em abril de 2020, a Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) denunciou Bolsonaro pela condução da crise gerada pela pandemia do coronavírus. Na época, a entidade acusava o presidente de “atitudes absolutamente irresponsáveis”.

Por isso, solicitam à Corte que instaure procedimento para averiguar a conduta do presidente e condene Bolsonaro pelo crime contra a humanidade por expor a vida de cidadãos brasileiros, com ações concretas que estimulam o contágio e a proliferação do vírus.

“Por ação ou omissão, Bolsonaro coloca a vida da população em risco, cometendo crimes e merecendo a atuação do Tribunal Penal Internacional para a proteção da vida de milhares de pessoas”, pede a ABJD, em sua petição.

3) Junho de 2020

Também pela postura de Bolsonaro na condução da pandemia do coronavírus, o PDT foi ao Tribunal Penal Internacional.

Em junho de 2020, o partido protocolou uma denúncia, acusando o presidente brasileiro de crime contra a humanidade.

O PDT alegava que Bolsonaro contrariava as determinações da Organização Mundial da Saúde (OMS), de cientistas e infectologistas, para reduzir o contágio dos brasileiros e a curva, ascendente na época, de mortos pela doença.

“Ressoa inconteste que as falas irresponsáveis proferidas pelo presidente da República, sobre o novo coronavírus, influenciam o comportamento dos cidadãos para o descumprimento das medidas necessárias ao combate do Covid-19”, afirmava o partido em sua denúncia.

4) Agosto de 2021

Em agosto de 2021, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) protocolou uma denúncia com 148 páginas em Haia, contra Bolsonaro.

Na queixa, a entidade acusa o presidente de agir “de forma deliberada para exterminar etnias” e estabelecer um “Brasil sem indígenas.”

“A política anti-indígena em curso no Brasil hoje é dolosa. São atos articulados, praticados de modo consistente durante os últimos dois anos, orientados pelo claro propósito da produção de uma nação brasileira sem indígenas, a ser atingida com a destruição desses povos, seja pela morte das pessoas por doença ou por homicídio, seja pela aniquilação de sua cultura, resultante de um processo de assimilação”, afirma a Apib, em seu documento.

5) Setembro de 2021

O Movimento Brasil Livre (MBL), ex-aliado de Bolsonaro, também foi à Haia contra o presidente.

Foi em Setembro de 2021, para denunciar o mandatário por genocídio, por sua atuação durante a pandemia do coronavírus.

Em sua denúncia, o movimento afirma que Bolsonaro ignorou evidências científicas e agiu com descaso durante o combate ao coronavírus.

“Bolsonaro rejeitou vacinas intencionalmente, além disso, incentivou o povo a não se vacinar. Esse canalha sempre agiu a favor do vírus e deve ser responsabilizado pelos seus crimes”, protestou Renato Battista, coordenador do MBL, na época.

Edição: Vivian Virissimo





10 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

15 de outubro de 2021 às 20h36

.
“Nós não vamos esperar que matem
todos os Indígenas do Brasil
para caracterizar que houve Genocídio
da População Indígena no País.”

Jornalista Flavia Oliveira, na GloboNews
Contestando o Fascista Magnoli
que alegou que Jair Bolsonaro
não cometeu Genocídio no Brasil.

Responder

Zé Maria

13 de outubro de 2021 às 12h53

“O Brasil tem 601.047 mortes confirmadas por Covid-19.

Se tivéssemos uma mortalidade igual a média do resto do mundo,
seriam 117.852 mortes.

Isso mesmo: 483.195 brasileiros estariam vivos
se fôssemos apenas medianos no enfrentamento da pandemia.

O resto é narrativa.”

https://twitter.com/PedroHallal/status/1448297914481057794

Matar 483.195 pessoas, por ação, omissão ou corrupção
do Presidente e de seu (des)governo, não é Genocídio ?
.
.

Responder

Henrique Martins

12 de outubro de 2021 às 22h42 Responder

Zé Maria

12 de outubro de 2021 às 21h53

https://twitter.com/i/status/1448018922641534982

“Bolsonaro foi vaiado e chamado de genocida e ladrão
em Aparecida. Aqui se faz, aqui se paga!”

https://twitter.com/GuilhermeBoulos/status/1448018922641534982

“Para ser ‘Pátria Amada’ não pode ser ‘pátria aRmada’.
Para ser ‘Pátria Amada’, seja uma pátria sem ódio.
Para ser ‘Pátria Amada’, uma República
sem mentira e sem fake news.
‘Pátria Amada’ sem corrupção.
E ‘Pátria Amada’ com Fraternidade.”

Dom Orlando Brandes
Arcebispo de Aparecida
No Santuário Nacional,
em Homenagem à
Padroeira do Brasil.
(https://youtu.be/61ocEzCDMUI)

Responder

Henrique Martins

12 de outubro de 2021 às 20h39

A Davi Alcolumbre,

https://www.brasil247.com/regionais/brasilia/davi-alcolumbre-diz-a-aliados-que-pretende-segurar-sabatina-de-andre-mendonca-ate-2023-1oe9waek

Não se preocupe Davi. Você não vai precisar segurar essa onda tanto tempo porque o homem vai cair. Fique certo disso.

Responder

Zé Maria

12 de outubro de 2021 às 20h21

O Miliciano Genocida, Serial Killer do Planalto,
deve estar Orgulhoso de ser Acusado de Mais
Crimes do que os Cometidos por Adolf Hitler.

Responder

Zé Maria

12 de outubro de 2021 às 18h28

https://pbs.twimg.com/card_img/1446051426241744896/HFuWBYHs?format=jpg&name=small

“Dia dos Órfãos da Covid”

“Neste Dia das Crianças temos
mais a refletir do que a celebrar”

“O mundo conhece a tragédia das ‘crianças-lobo’ (*), órfãs da Segunda Guerra
que ficaram anos perambulando em florestas da Prússia oriental.
Eram cerca de 25 mil, sendo que a maioria não sobreviveu ou se desumanizou
na selva. Algumas foram acolhidas na Lituânia.
Os esforços de reconstrução do pós-guerra nunca as levaram em conta.
A pandemia tem número de mortos — e de órfãos — comparáveis
a um conflito militar.”

“É a espiral do sofrimento.
A dor de uma grande perda, em vez do luto para seguir adiante, é seguida
de outras dores inomináveis, que bloqueiam qualquer futuro possível.
Se o ciclo não for interrompido, teremos toda uma geração ceifada.”

Por Guilherme Boulos: (https://outline.com/PgcjzR)

Responder

Carlos Henrique Calvo

12 de outubro de 2021 às 18h24

Isso não dará em nada.
Pois é difícil provar o dolo.
Ele mata e vai ficar por isso mesmo. E todos que mataram vai ficar por isso mesmo.
O Brasil E o país da impunidade contra os graúdos.
Os graúdos podem fazer o que quiser que tudo acaba em pizza…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding