VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Nesta quinta, Central de Movimentos Populares e FUP venderão botijão de gás a cerca de R$ 40
Imagens de ação realizada em 2020. Fotos: CMP
Você escreve

Nesta quinta, Central de Movimentos Populares e FUP venderão botijão de gás a cerca de R$ 40


27/04/2021 - 14h42

CMP e FUP promovem ação de solidariedade com venda de botijão de gás a preço justo

CMP, via WhatsApp

Em mais uma ação para ajudar a amenizar os impactos do desemprego e da pandemia de covid-19 no dia a dia das famílias em situação de vulnerabilidade social, a Central de Movimentos Populares (CMP) e a Federação Única dos Petroleiros (FUP), por meio de Sindicatos dos Petroleiros nos estados, vão promover uma ação solidária, nesta quinta-feira (29), com a venda de botijão de gás de cozinha a preço justo, em torno de 40 reais.

A iniciativa tem também o objetivo de denunciar a privatização da Petrobras, fortalecer a luta por vacina já para toda a população, pela volta do auxílio emergencial no valor de 600 reais e pelo fora Bolsonaro.

A ação acontecerá, simultaneamente, às 14 horas dessa quinta-feira (29) em 11 cidades do Brasil, em bairros periféricos. Além da venda de botijão de gás a preço justo, serão distribuídas cestas básicas, verduras, legumes máscaras de proteção e kits de higiene e limpeza.

A ação conjunta da CMP e FUP acontece em um momento em que o país se aproxima dos 400 mil mortos por covid-19, já tem mais de 14 milhões de contaminados, 14,3 milhões de desempregados e um cenário de fome.

Somado a isso, o governo de Jair Bolsonaro incentiva aglomerações, demora com a vacinação e desestimula as medidas de prevenção à doença.

“Bolsonaro é um genocida, tendo em vista que sabota medidas de combate à covid-19, sendo responsável pela morte de quase 400 mil pessoas. Além disso, sua política econômica é responsável por milhões de desempregados, e a redução do auxílio emergencial joga o povo na pobreza. Já são 19 milhões passando fome. Desde o início da pandemia a CMP tem promovido diversas ações de solidariedade. Esta ação em parceria com a FUP é mais uma importante iniciativa de fortalecimento do trabalho de base e solidariedade de classe”, afirma Raimundo Bonfim, coordenador nacional da CMP.

Com a redução do auxílio emergencial, para um valor que vai de 150 a 375 reais, a alta do preço dos alimentos, a política da Petrobras de acompanhar o preço de importação, que provoca constantes aumentos de preços dos combustíveis, ficou ainda mais difícil para as famílias mais pobres comprarem o gás de cozinha e se alimentarem.

Atualmente o preço do botijão cheio custa, em média, 90 reais. Há locais em que chega a custar mais de 100 reais.

“Em meio a pandemia da covid-19, gestos como este são de extrema necessidade para amenizar um pouco o problema da fome que atinge milhares de brasileiros. Essas ações de luta e defesa da soberania alimentar e da dignidade do nosso povo fortalecem o elo entre o movimento sindical e os movimentos populares, visando a retomada da democracia no país. Em 2022, precisaremos estar unidos mais uma vez para eleger Lula e, assim, retomarmos os projetos de uma Petrobras a serviço do povo e da soberania nacional.

A FUP e seus sindicatos, desde o início da pandemia, têm realizado ações de venda de botijão de gás e combustíveis a preço justo, assim como distribuição de alimentos cestas básicas, materiais de limpeza e de proteção contra a covid-19”, afirma Deayvid Bacelar, coordenador geral da FUP.





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

28 de abril de 2021 às 23h24

“Sociedade Humana Cristã é aquela
em que a sobra dos que tem mais
supre a carência dos que tem menos”.
“Sociedade Socialista é aquela em que
nenhum ser humano tem de sobra
para que o outro não tenha escassez”.

“Com uma voz impetuosa, ele falou sem parar.
Foi, de repente, o horizonte fechado que estourou,
uma brecha de luz se abriu na vida escura
dessas pessoas pobres.
O eterno recomeço da miséria, o trabalho bruto,
esse destino de gado que dá a sua lã e que é abatido,
toda a desgraça desapareceu, como se varrida
por uma grande labareda de sol;
e, sob um deslumbrante reino mágico,
a Justiça desceu do céu.
Já que o bom Deus estava morto,
a Justiça garantiria a felicidade de homens
e mulheres fazendo reinar a igualdade e a
fraternidade.
Assim, uma nova sociedade cresceu em um dia, como nos sonhos, uma imensa cidade, de esplendor da miragem, onde cada cidadão vivia de seu trabalho e compartilhava de alegrias
comuns.
O velho mundo podre havia caído em pó,
uma jovem humanidade, expurgada de seus crimes,
formou apenas um povo de trabalhadores,
cujo lema era:
‘a cada um de acordo as suas obras
e a cada obra conforme a sua necessidade’.
E, continuamente, esse sonho se ampliou, embelezou-se, ainda mais sedutor, que subiu mais alto no impossível.”

[Émile Zola (1840-1902), em “Germinal” (1885), págs. 147-8]
http://www.livrosgratis.com.br/ler-livro-online-114786/germinal

Responder

    Zé Maria

    29 de abril de 2021 às 19h55

    .
    “Numa fase superior da sociedade comunista,
    depois de ter desaparecido a servil subordinação
    dos indivíduos à divisão do trabalho e, com ela,
    também a oposição entre trabalho espiritual e corporal;
    depois de o trabalho se ter tornado, não só meio de vida,
    mas, ele próprio, a primeira necessidade vital; depois de,
    com o desenvolvimento omnilateral dos indivíduos,
    as suas forças produtivas terem também crescido e
    todas as fontes manantes da riqueza co-operativa
    jorrarem com abundância — só então o horizonte
    estreito do direito burguês poderá ser totalmente
    ultrapassado e a sociedade poderá inscrever na sua
    bandeira:
    De cada um segundo as suas capacidades,
    a cada um segundo as suas necessidades!”

    Karl Marx (1818-1883)
    Em “Crítica do Programa de Gotha” (1875):
    (https://www.marxists.org/portugues/marx/1875/gotha/index.htm)


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding