Marcelo Semer lança hoje em SP romance do Brasil da Lava Jato; Xico Sá recomenda

Tempo de leitura: 3 min

Da Redação

Nesta quarta-feira, 17/04, às 18h30, Marcelo Semer lança em São Paulo, capital, o livro Duas Fotos, um romance do Brasil da Lava Jato.

É o segundo romance do escritor que já foi jornalista, colunista, advogado e professor. Há trinta anos é juiz, hoje desembargador em São Paulo.

Por meio da ficção, Marcelo Semer põe a nu a teia de violências e hipocrisias dos 10 anos da Lava Jato  que fez o país mergulhar em um abismo.

O romance conta a história de três personagens fictícios:

Maria — jovem jornalista de um grande veículo da mídia corporativa

Arthur — promotor de justiça vindo do interior

Camilo — professor querido dos alunos e desprezado pelos colegas

Duas Fotos é um lançamento da editora Amanuense.

”Entre personagens fictícios e fatos bem reais, que consegue explicar como poucos,  Marcelo Semer reconstrói a crueza das relações de poder que tanto nos marcaram e os escaninhos que se abriram lentamente à esperança”, observa a Amanuense na sinopse.

”Duas Fotos joga luz na hipocrisia, interpela o sensacionalismo e descortina as mais recônditas motivações dos atos de poder, nas profundezas revoltas do mar por onde navegam a política, a justiça e a imprensa brasileiras”, prossegue.

”Ao fim e ao cabo conta uma história que talvez preferíssemos esquecer, mas que jamais o faremos”, arremata a editora na sinopse.

A orelha do livro é do jornalista Xico Sá, que o recomenda:

”Alguns acontecimentos desse livro ainda estão fumegantes ou encobertos por um resto de fumaça da história recente do Brasil. É uma ficção à queima-roupa, poderíamos definir, que nos recoloca na cena dos crimes políticos e jurídicos da última década, rebobinando um período de incompreensão, sufoco e a ressaca democrática.

Aplicados ao cotidiano de personagens “normais” que circulam em uma importante faculdade de Direito, uma redação de jornal, repartições como o Ministério Público e restaurantes da classe média paulistana, epa!, as tais ocorrências e tretas políticas nos fazem enxergar, com muito mais nitidez, todo o drama que passamos.

Tem até uma relevante passagem por um estádio de futebol. Lá ouvimos, juntos a uma criatura chamada Camilo, os palavrões, os xingamentos que marcaram um instante traumático da vida nacional. E olhe que Camilo saiu do Itaquerão pouco depois do jogo começar. Deixo o suspense, nada entrego antes da hora.

Vemos com muito mais nitidez, repito, porque os sobreviventes dos momentos de infâmia nos convencem da sua força. Aqui entra a potência da linguagem do romance, tornando o relato fictício muito mais real que a própria realidade brasileira atravessada pela queda (não vai ter golpes?) da presidente Dilma Rousseff, a prisão de Lula (com ensaio de espetáculo midiático desde a coercitiva) e a redenção desse mesmo elenco em 2022.

Com habilidade de um escritor em grande forma — e com a vantagem profissional de saber decifrar as trapaças jurídicas da Lava Jato —, Marcelo Semer nos entrega um livro capaz de fazer do próprio leitor um sujeito da história do país.

Resta-nos escolher (ou não) quem deixaremos de fora daquela foto (selfie) ao melhor estilo “frente ampla e democrática”. Desfrutem dessa ótima leitura. Recomendo.

Xico Sá

— Capaz… vai ver que o bigode que ele enrola o tempo todo não é mais do que um baseado imaginário – e os dois riram juntos com essa imagem.

Camilo era um advogado recém-formado; mas acompanhou as mobilizações pela democracia como um estudante da São Francisco, já que voltara ao mestrado.

Camiseta amarela escrita Diretas-Direito-Já e um esquenta no Largo entre batucadas e batidas quando a mítica passeata do milhão em direção ao Anhangabaú passou levando a todos.

Naqueles palanques, muitos dos políticos que viriam a disputar entre si depois as eleições ainda estavam alinhados pelo mesmo intuito. Ou pelo menos assim parecia.

— Não, não vai ter golpe!

— Não vai ter golpe.

Camilo saiu do Itaquerão pouco depois de o jogo começar. Pelo sim, pelo não, propôs antecipar uma reunião que aconteceria no dia seguinte. Leonel Brizola, que com o tempo também se demonstrou ser um sábio na arte, dizia que a política ama a traição, mas abomina o traidor.

As escaramuças e deslealdades eram matéria – Arthur estava lhe apresentando simplesmente a “ponte para o futuro” naquele almoço, bem ali, entre a salada e o prato principal. Só faltava mesmo um scripta manent…

*****

Duas Fotos já está à venda no site da editora Amanuense

O lançamento é amanhã, quarta-feira, 17 de abril, às 18h30h, no Bar dos Cravos, à rua Osório Duque Estrada, 41, no Paraíso.

Leia também

Jeferson Miola: Vitória no CNJ mostra que Lava Jato é um câncer em atividade

Eliara Santana: Lava Jato, 10 anos – entre o espetáculo midiático e a criminalização da política

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

Zé Maria

A Quadrilha Ultraliberal de Extrema-Direita está
elogiando a Balbúrdia Neofascista Golpista de
Junho/2013 fazendo Propaganda ‘Conservadora’
em Suposto Documentário na GLOBO play.

Zé Maria

.

Excertos do Livro “DUAS FOTOS” de “MARCELO SEMMER”

https://drive.google.com/file/d/1VhViwEI0A3sFyaebsySQnGGsRdwNUTwx/view

.

Deixe seu comentário

Leia também