VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Leonardo perdeu a mãe o irmão para a covid: “Não é mimimi, senhor presidente”
Facebook.
Você escreve

Leonardo perdeu a mãe o irmão para a covid: “Não é mimimi, senhor presidente”


14/07/2021 - 14h33

Mãe, irmão, Covid

Leonardo Accioly, no Diário de Pernambuco

Enxugadas as lágrimas, e premido à inexorável vida cotidiana, posso, com mais tranquilidade, falar um pouco de tudo o que aconteceu.

Nascidos com um dia de diferença, em anos bem distantes, meu irmão e minha mãe partiram com um intervalo de exatas 4 horas. Ele primeiro, ela depois. Como bom cético, acredito em coincidências, mas resisto imensamente em crer que esta seja mais uma de tantas que acontecem na vida.

Existia uma ligação muito forte entre os dois. Algo meio inexplicável entre duas pessoas tão diferentes. Minha mãe, a vida toda, teve pelo meu irmão um sentimento protetivo que nunca dispensou a mim. Não falo isso com sentimento de inveja ou rancor, mas apenas uma constatação de que, a despeito de amar em pé de igualdade, ela sempre soube da necessidade de amparar aquele que necessitou de mais atenção. Acho que por isso partiram juntos.

Após longos e torturantes 42 dias, a Covid e a irresponsabilidade do Estado Brasileiro os levaram de mim e do meu pai, e quanto a  este fato não há mais o que fazer.

Mas isso não me impede de ter claro em minha mente a relação de causa e efeito entre estas mortes e tantas outras no Brasil, com a irresponsabilidade e sadicidade daquele que promoveu a negação da ciência e, com isso, impediu que fossem, ao menos, minorados os graves efeitos da pandemia.

Contra fatos não há argumentos. Vários países que tiveram os processos acelerados de vacinação e medidas eficazes de distanciamento social, hoje comemoram a queda vertiginosa dos infectados e mortos. Já começam a permitir a volta de eventos presenciais e a economia se recupera a passos largos.

Já nós, continuamos a chorar e lamentar por nossos mortos. Não é “mimimi”, senhor presidente. É dor real, concreta e palpável, embora não quantificável pela sua imensidão. Não é uma gripezinha, senhor presidente. É uma doença que mata e causa imenso suplício a tantos e tantos brasileiros.





1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jandir Lopes

14 de julho de 2021 às 22h35

O bolsonaro é completamente irresponsavel.
Eu nem sabia que tem esse novo hospital de rico em sp que custou 350 milhoes de reais. Ou seja, o hospital pior dele é os das ffaa que já é um hospital muito bom comotimos medicos, mas o povo que segue ele com as maluquices que ele diz em muitas cidades nem hospital tem. E qdo tem o hospital é pequeno e nem sempre os medicos que trabalham em otimos hospitais privados ou públicos trabalham nesses hospitais de cidadezinhas do interior. Nao tem vaga nem para o povo da cidade pequena do interior. Imagina 5 ou 6 cidades mandando gente para lá.
Se andasse mais a pé ou praticasse corrida nao tinha esses embaraços no intestino.
Nao, o negócio é moto com um macho na garupa. Deve ser o clube do broxa.
Sem falar que ele falou de cocô nao tem 1 semana, tá estranho esse súbito entupimento do intestino.
Meus sentimentos a familia desse rapaz do texto, a ele e a todo mundo que perdeu um parente ou amigo para a covid. Meus sinceros sentimentos !
Usem mascara mesmo vacinados e alcool 70 gel ou liquido e distanciamento social, nao acreditem no lunático da presidencia e de seus deputados do mal que nao tao nem aí para o povo.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding