VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Gleisi: Paulo Guedes torra colchão de reservas para segurar o câmbio — além de receber sete salários de ajuda por mês para comer e dormir
O ministro da Economia, Paulo Guedes, discursa na solenidade de transmissão de cargo.
Você escreve

Gleisi: Paulo Guedes torra colchão de reservas para segurar o câmbio — além de receber sete salários de ajuda por mês para comer e dormir


14/02/2020 - 11h52

Com fala preconceituosa de Paulo Guedes, dólar foi a R$ 4,38. Banco Central vendeu US$ 40 bilhões em reservas acumuladas pelo PT, que servem de proteção para conter a crise. Não há política para o país crescer, gerar renda. Guedes quer torrar patrimônio, deixando país vulnerável. Gleisi Hoffmann, no twitter.

Da Redação

O dólar segue em baixa na sexta-feira depois de o presidente Jair Bolsonaro dizer que “eu, como cidadão, acho que está um pouquinho alto o dólar”.

A moeda estava em R$ 4,31 na hora do almoço.

Mas, isso não aconteceu por acaso.

De acordo com a presidenta do PT, Gleisi Hoffmann, Paulo Guedes torrou R$ 40 bi das reservas internacionais construídas ao longo dos governos Lula para ajudar a conter a alta do câmbio.

R$ 40 bi para tapar uma gafe?

Não apenas.

Os números da economia brasileira são piores do que quer fazer crer a mídia.

O setor de serviços teve queda de 0,1% em dezembro, em relação ao mês anterior.

A indústria retraiu 1,1% em 2019.

A taxa de informalidade atingiu 41,1% em 2019, batendo recorde em 20 estados, de acordo com dados do IBGE divulgados nesta sexta-feira, 14.

São 38,4 milhões de trabalhadores vivendo de bico.

A recuperação econômica é muito mais frágil do que dizem os analistas consultados pela mídia.

Numa série de mensagens no twitter, o economista Márcio Pochmann expôs a situação:

De tanto cobrarem da esquerda a autocrítica, caberia questionar a respeito da autocrítica ausente dos defensores do receituário neoliberal após 6 anos de desastres contínuos conduzidos por seus ilustres representantes: Levy (2015), Meirelles (2016-2018) e Guedes (2019-2020).

Se o Ibge confirmar a prévia do PIB de 2019 apresentada antecipadamente pelo Bacen com variação de apenas 0,89%, inclusive com queda em dezembro passado, o governo Bolsonaro terá produzido a menor expansão no nível de atividade desde 2016. Recuperação mesmo ainda distante.

A economia estagnada no fundo do poço, com desemprego massificado e pobreza em crescimento resultam do excelente desempenho dos bancos no Brasil do rentismo. Só em 2019, o lucro do Itaú foi o maior da história dos bancos de todos os tempos no país.

O Itaú teve lucro de R$ 26,583 bilhões em 2019, um crescimento de 6,4%.

Os quatro maiores bancos do país lucraram juntos mais de R$ 81 bilhões.

Enquanto isso, o banqueiro Paulo Guedes, à frente do Ministério da Economia, disse que o câmbio baixo permitiu suposta farra das empregadas domésticas na Disney.

Ele mencionou pessoas que supostamente viajaram até 4 vezes por ano a Miami.

Guedes não apontou um só exemplo de empregada doméstica que tenha passado férias em Miami. Foi lá, aliás, que o ministro passou parte de suas férias mais recentes.

O ministro da Economia já havia dito anteriormente que os funcionários públicos eram “parasitas” do Estado.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Guedes recebe R$ 7.733 mensais de auxílio-moradia e mais R$ 458 de auxílio-alimentação, além do salário de R$ 30,9 mil.

São quase sete salários mínimos só no come-dorme.

Guedes lidera a queima do patrimônio nacional para fazer caixa e reeleger Bolsonaro em 2022, com consequências trágicas de longo prazo.

Vender empresas estatais parece ser a última bala no gatilho do bolsonarismo.

Investidores estrangeiros retiraram R$ 44,5 bi da bolsa brasileira em 2019.

E outros R$ 23,4 bi em 2020, até o quarto pregão de fevereiro.

Na soma, são quase R$ 68 bilhões.

A previsão dos analistas é de que depois da reforma da Previdência haveria uma enxurrada de investimento estrangeiro no Brasil.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

15 de fevereiro de 2020 às 15h40

https://pbs.twimg.com/media/EQsUIqZW4Ac-sy1?format=png
Boa Pauta: FORA BOLSONARO/MOURÃO
REFERENDO REVOGATÓRIO DAS MEDIDAS ECONÔMICAS ULTRALIBERAIS
https://twitter.com/John60845345/status/1228452577475518464

Responder

Zé Maria

14 de fevereiro de 2020 às 15h42

Por falar em Guedes, a Besta do Apocalypse Now,
descobriu-se que o engenheiro militar Tarcísio GF
é um “Parasita” de Carreira, digo, Servidor Público
vinculado à Consultoria Legislativa da Câmara
dos Deputados.

Responder

Zé Maria

14 de fevereiro de 2020 às 15h11

No varejo, em 2019, o maior crescimento
foi em drogarias e perfumarias.

Drogas no (des)Governo e Perfumes nas
notícias e comentários na Mídia Venal …

E a maior queda foi no comércio de Livros …

Talvez isso explique tudo ou quase tudo sobre a
Milícia Fascista de Mercado, Bolsonaro/Guedes/Moro, que
assaltou o Poder com notícias falsas e acusações mentirosas …

Responder

Zé Maria

14 de fevereiro de 2020 às 14h28

Ué?!? Se ‘o petê roubou tudo’ que as Fake News disseram que roubou
como é que os Governos do PT deixaram 380 Bilhões de Dólares [*] em
reservas cambiais para o desgoverno Bolsonaro/Guedes/Moro torrar ?

(*) US$ 380.000.000.000 = R$ 1.638.006.600.000,00 [ R$ 1,6 Trilhão = 23% PIB Br (2018) ]

[ Cotação 14h: US$ 1,00 = R$ 4,30 ] (https://economia.uol.com.br/cotacoes/cambio)

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.