VIOMUNDO

Diário da Resistência


Em duas semanas, diferença entre Bolsonaro e Haddad caiu de 18 para 6 pontos; “28% a 22% tá bom”, reage petista, que tem seis pontos de vantagem no segundo turno
Facebook Fernando Haddad
Você escreve

Em duas semanas, diferença entre Bolsonaro e Haddad caiu de 18 para 6 pontos; “28% a 22% tá bom”, reage petista, que tem seis pontos de vantagem no segundo turno


24/09/2018 - 19h08

Ricardo Stuckert

Vinte e oito a vinte e dois tá bom. Fernando Haddad, em entrevista a blogueiros, reagindo ao resultado do Ibope.

Pesquisa Ibope: Sob ataque, Bolsonaro estaciona em 28%; Haddad vai a 22%

Candidato do PSL para de crescer e petista sobe três pontos em relação a levantamento anterior

Daniel Bramatti, O Estado de S.Paulo

A pouco menos de duas semanas das eleições 2018, o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, parou de crescer e se manteve com 28% das intenções de voto.

Seu principal adversário, Fernando Haddad (PT), subiu três pontos porcentuais e chegou a 22%.

Os dados são de pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta segunda-feira, 24.

Desde a semana passada, o candidato do PSL vem sofrendo ataques dos adversários, principalmente da campanha do tucano Geraldo Alckmin.

Nas simulações de segundo turno, Bolsonaro passou a perder para todos os adversários, com exceção de Marina Silva (Rede), com quem empata.

Desde o dia 11 de setembro, data em que Haddad foi oficializado como candidato do PT, a vantagem de Bolsonaro sobre ele caiu de 18 pontos porcentuais para 6.

O petista é agora o único presidenciável que apresenta tendência de alta em toda a série de cinco pesquisas Ibope divulgadas desde 20 de agosto.

Além de se aproximar do líder, Haddad ampliou a vantagem sobre o terceiro colocado, Ciro Gomes (PDT), de 8 para 11 pontos porcentuais.

Ciro tem 11% das preferências, mesma taxa da pesquisa anterior do Ibope, divulgada na última terça-feira.

O tucano Geraldo Alckmin oscilou um ponto para cima, de 7% para 8%.

Marina passou de 6% para 5%, mantendo a trajetória de queda iniciada no início do mês, quando chegou a ter 12%.

A rejeição a Bolsonaro passou de 42% para 46% em uma semana.

Depois de uma trégua e aumento de visibilidade causadas pela facada de que foi vítima, em 6 de setembro, o candidato do PSL voltou recentemente a ser atacado por adversários, tanto em eventos de campanha quanto em peças de propaganda eleitoral.

A seguir no ranking da rejeição – parcela do eleitorado que diz não votar no candidato de jeito nenhum – aparecem Haddad (30%), Marina (25%), Alckmin (20%) e Ciro (18%).

A pesquisa capta os efeitos de três semanas de propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

Também registra os efeitos de quase duas semanas da troca de Luiz Inácio Lula da Silva por Fernando Haddad na cabeça da chapa petista.

A candidatura de Lula foi indeferida pela Justiça Eleitoral, com base na Lei da Ficha Limpa, já que ele foi condenado em duas instâncias por corrupção e lavagem de dinheiro.

O Ibope foi às ruas entre os dias 22 e 23 de setembro.

Foram entrevistadas 2.506 pessoas em 178 municípios.

A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

Isso quer dizer que há 95% de chance de os resultados refletirem o atual momento eleitoral.

A pesquisa foi contratada pelo Estado e pela TV Globo.

O registro no Tribunal Superior Eleitoral foi feito sob o protocolo BR‐06630/2018.



4 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Messias Franca de Macedo

25 de setembro de 2018 às 10h38

ATENÇÃO PARCELA DO BEM DA NAÇÃO BRASILEIRA

Os ‘moLLeques’ da máfia do tal site ANTAgonista já deram as senhas para o golpe anunciado da capa da moribunda ‘veja’!
E/ou da decadente ‘Época’!
“A passagem do Adélio pelos corredores da Câmara dos Deputados”!
Basta, apenas, que alguma imagem mostre o Adélio passando a cem metros do gabinete da deputada federal Manuela D’Ávila… Ainda que o fato tenha ocorrido em um feriado ou final de semana prolongado…
Os vagabundos do site ANTAgonista cevados pelo din-din dos mafiosos patrões barões do *PiMG também estão acusando de ser petista de carteirinha o delegado da PF responsável pelo inquérito do caso atinente ao “esFAKEamento” do “Coiso/’elle’ NÃO”!
Mais um álibi para estes canalhas vomitarem em relação ao “segundo inquérito” cujo resultado será divulgado nas vésperas das eleições: “‘tão’ vendo aí, a candidata à vice-presidenta Manuela D’Ávila é tão responsável pelo atentado a ponto de o delegado petista (sic) da Polícia Federal ter provado a culpabilidade dela”!

ACORDA, PT REPUBLICANO (SIC)!

*PiMG: Partido da imprensa Mafiosa &$ (nazi)Golpista

Responder

Fiuza

25 de setembro de 2018 às 09h27

https://www.conversaafiada.com.br/brasil/moro-tem-odio-de-classe-contra-o-pt-lula

Moro tem ódio de classe contra o PT e Lula
Livro de Jessé traça o perfil do STF, também

Publicado em 25/09/2018 no Conversa Afiada

Jessé Souza, autor do imperdível “A Elite do Atraso – da escravidão à Lava Jato”, está para lançar “A classe média no espelho”.

Ele acredita que a Classe Média é a mais desconhecida e representa aproximadamente 20% da população, em que os 2% mais ricos são “o capataz” que comanda a Sociedade.

É a “elite real”.

É a Bélgica do Congo.

Desde novembro de 2015, Jessé fez 200 entrevistas qualitativas para sustentar sua tese.

Uma delas é com Bibi Prado, advogada:

“Olha, isso é tudo armado, e o Moro é um cretino, a justiça para ele não vale nada é um homem obcecado pelo ódio político além de vaidoso e mimado”. “O pai dele era fundador do PSDB lá em Maringá e ele tem um ódio de classe contra o PT e contra Lula. E o pior é que ele usa a blindagem que tem na imprensa para fazer todo tipo de patifaria, como mandar vigiar ilegalmente o trabalho da defesa e perseguir advogados, por que sabe que nada vai acontecer com ele”.

É isso o que mais me incomoda, porque eu me tornei advogada, porque admiro o Direito e hoje o Direito não existe mais no Brasil e a culpa principal é dele e do Estado de exceção que existe hoje.

Como assim, perguntei:

“Ora, ele fez escutas ilegais o tempo todo, espionou o trabalho da defesa, hoje a gente sabe de tudo, um nojo!”. “E ainda agiu como promotor e juiz ao mesmo tempo, condenou as pessoas antes do processo, nunca levou em conta as provas, tudo por vaidade boba e ódio político”. “Esse cara é um psicopata, e ninguém tem coragem de agir contra ele”. Não digo que seja todo mundo igual na Lava-Jato, mas o Moro é um delinquente.

O Bretas, por exemplo, entrou na mesma “vibe” de aparecer para a imprensa e tudo mais, mas não alivia para ninguém, ele acredita mesmo que está limpando o mundo. Ele é vaidoso, mas, acha que está fazendo bem o trabalho dele.

Já o Moro é só um canalha e fez todo tipo de acordo sujo para destruir o Lula e o PT por puro ódio político. “Ele jogou o Estado de Direito na lama e ainda é homenageado por conta disso”. O país está doente e quando mais a gente precisava do STF para restabelecer o Direito, a gente vê como as pessoas são covardes e egoístas.

Por que você acha que o STF é tão tolerante com este tipo de abuso?

“Olha, aí quem tem razão é meu velho professor que é uma pessoa brilhante além de ótimo advogado. A melhor explicação para a covardia dos juízes indicados pelo PT foi ele que me deu. “Esses caras, agora, que o contexto político mudou, têm que provar que não possuem nenhuma relação com o PT. Exageram na mão precisamente para afastar qualquer suspeita. Aí se tornam mais realistas que o rei e são tão parciais quanto o Moro é”. “Mas o circo está caindo. As pessoas percebem que tem algo errado. Essa mentira não convence mais”. “Eu fiquei tão chateada com tudo que tive medo de ficar doente. Preferi não atuar mais nesses casos. O jogo sujo é muito pesado”.

Responder

Hildermes José Medeiros

25 de setembro de 2018 às 07h21

Com este resultado da pesquisa Ibope, está dada a senha para a união dos democratas, aumentando a pressão sobre o esquema dos golpistas, que irão fazer de tudo para não entregar o poder. É uma situação peculiar. Fica difícil admitir que depois de afastar o Presidente Lula, que certamente ganharia o pleito no primeiro turno, tantas mentiras, tantos urros de gorilas, de todos amedrontar pregando o ódio, os golpistas possam agir com algum republicanismo, que vão agir democraticamente. Que fiquem restritos aos 15-20% das viúvas da ditadura de 1964, como sempre. Só que dessa vez, está visto.só uma candidatura de oposição chegará no primeiro turno com chances ganhar. Para os demais partidos realmente de oposição e democratas não está difícil decidir já que rumo tomar. Juntos seremos muito mais fortes.

Responder

Darcy Brasil Rodrigues da Silva

25 de setembro de 2018 às 00h23

Não há como deixar de constatar que o 2° turno entre Haddad e Bolsonaro está se configurando. Para mim, deverá ser um 2° turno inusitado, pois Bolsonaro poderá alegar não poder participar dos debates “por recomendação médica”, evitando um desgaste ainda maior, a depender da diferença em relação a Haddad que as pesquisas indicarem (nesse sentido, a facada dada no nazista pelo fanático religioso concedeu a Bolsonaro um benefício que ele não possuía, pois passou a contar com uma justificativa praticamente irrefutável para não se expor aos ataques que seriam desferidos contra ele por todos os candidatos presentes nos debates do 1°turno, justificativa, dada a gravidade de seus ferimentos, aplicável também ao 2° turno). Creio que isso somente não ocorrerá se as pesquisas de intenções de voto em relação ao 2° turno indicarem uma folgada vantagem para Haddad, pois, nesse caso, Bolsonaro teria que tentar salvar a sua candidatura, comparecendo aos debates, nem que fosse com as tripas nas mãos. De minha parte, seguirei na campanha em defesa da chapa Haddad-Manu, pois tenho o hábito de me submeter à decisão da maioria do campo em que milito que, pelo menos até aqui, foi o que é representado pela Frente Brasil Popular (desde que me afastei do PCdoB pelos mesmos motivos que afastaram o saudoso camarada Sergio Miranda, vinha procurando manter sintonia com essa Frente, respeitando e encaminhando todas as suas decisões. Levarei esse comportamento até o final dessas eleições. Depois, espero poder encontrar alternativas menos economicistas e suscetíveis a golpe e contra-golpes, e mais marxistas-leninistas, revolucionárias, que as que são ofertadas pelo PT e seus ideólogos revisionistas).

Responder

Deixe uma resposta