VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Debate necessário: A Espanha violou direitos?


06/02/2011 - 19h18

Brasília, 06 de fevereiro de 2011

Exmo Sr. Embaixador da Espanha no Brasil, Dr. Carlos Alonso Zaldívar,

Na condição de cidadã brasileira gostaria de problematizar as questões abordadas pelo Sr. em sua carta divulgada no dia 04/02/2011 em alguns meios de comunicação. Primeiramente, gostaria de reiterar que não se trata de um “caso isolado”, como foi mencionado, haja vista que, conforme o Sr. mesmo afirma, somente no ano de 2010 aconteceram 1.831 casos com [email protected] Esta cifra não parece coerente com a afirmação referida. De todo modo, independente das circunstâncias, todas estas pessoas são cidadãos de direitos e, como tal, devem ser tratados. E esta é exatamente a questão central que não foi abordada pelo Sr., a violação dos direitos humanos.

Evidentemente que todas as nações são soberanas para decidir quem entra ou não entra em seus territórios, mas os direitos humanos precisam ser garantidos.

No entanto, eu não tive direito à informação. Fiquei 15 horas detida sem saber os motivos. Nenhuma pessoa da Polícia, em nenhum momento, me explicou nada sobre os motivos pelos quais estava detida e, tampouco, sobre os procedimentos que estavam sendo encaminhados.

Não tive direito à telefonema. Tive que comprar cartão telefônico da “trabajadora social” da Polícia para poder telefonar, caso contrário, não teria tido a possibilidade sequer de acionar a Embaixada e o Consulado.

Fui revistada fisicamente e as minhas bagagens confiscadas sem saber nem mesmo o motivo pelo qual estava sendo revistada e detida.

Somente tive direito a um advogado e uma tradutora depois de sete (7) horas detida, revistada e presa em uma sala.

Fui tratada como criminosa pela Polícia e escoltada todo o tempo em que estive detida.

Fui escoltada para o avião, conduzida em carro de Polícia e exposta à constrangimento público.

Excelentíssimo Sr. Embaixador, gostaria de saber se tais atos refletem a garantia dos direitos humanos pela Espanha? Gostaria de saber se a Espanha concorda e avaliza tais atos da Polícia?

Além disso, em sua carta o Sr. afirma que minha negação de entrada na Espanha se deu por dois motivos: “O primeiro, que a Sra. Severo, apesar da sua boa vontade, não dispunha de alguns dos documentos ou comprovantes necessários. E segundo, porque não se usou adequadamente o mecanismo previsto para estes casos, mediante a intervenção do Consulado Geral do Brasil em Madrid.”

Iniciemos pelo primeiro ponto: falta de documentos.

Eu portava passaporte, passagem de ida e volta, reserva do Hotel, seguro viagem, documento do Ministério da Cultura que comprova que trabalho em um projeto governamental, cópia da escritura da casa própria, carteira de motorista internacional, cartão TravelMoney do Banco do Brasil, cartão de crédito Banco do Brasil International, euros em espécie e extratos assinados pelo Banco do Brasil que comprovavam a compra de euros acima do necessário para a quantidade de dias que iria passar de férias na Espanha. Portanto, eu tinha todos os documentos exigidos, conforme descrito no site da Embaixada da Espanha.

Todavia, o argumento da Polícia para negar minha entrada foi o de que não havia reserva de Hotel no nome de minha amiga. Ou seja, quando a Polícia afirma que eu estou sendo barrada porque não há reserva em nome de minha amiga (que também é coordenadora do projeto governamental para o qual trabalho) ela está afirmando que, se houvesse a confirmação da reserva em nome de minha amiga eu não seria barrada. Raciocínio lógico.

Pois bem, diante do argumento da Polícia, como o Sr Embaixador explica que a Polícia da Espanha tenha desconsiderado o telefonema em viva voz realizado pelo advogado disponibilizado para minha defesa, no qual a recepção do Hotel afirmou que havia reserva em nome de minha amiga e que inclusive ela já se encontrava hospedada, mencionando até o número de seu quarto?

Como é possível a Polícia, após escutar este telefonema com várias testemunhas presentes, afirmar que este telefonema não valia nada para ela e reiterar que o motivo pelo qual eu estava sendo barrada era porque não havia reserva em nome de minha amiga?

É esse o direito de defesa que os cidadãos estrangeiros recebem na Espanha?

Então Sr Embaixador, gostaria sinceramente de compreender por que a Polícia oferece um advogado para defender um cidadão estrangeiro se ela mesma não reconhece o argumento e as provas apresentadas por este advogado?

Além disso, Sr Embaixador, eu portava o documento da reserva do Hotel que comprovava exatamente o argumento que a Polícia utilizou para negar minha entrada.

Ademais, mesmo que o argumento da Polícia tivesse sido, e não foi, a inexistência de reserva de hotel em meu nome (visto que a reserva foi de um quarto duplo e o site do Hotel não exigiu dois nomes), eu lhe perguntaria: existe algum sistema nacional coordenado pelo Ministério do Turismo ou qualquer outro Ministério, que obrigue os sites de todos os Hotéis da Espanha a exigirem a descrição de dois nomes quando do ato da reserva de um quarto duplo?

Com relação à segunda questão abordada em sua carta: “não se usou adequadamente o mecanismo previsto para estes casos, mediante a intervenção do Consulado Geral do Brasil em Madrid.”

Reafirmo que acionei adequadamente o Consulado Geral do Brasil, conforme foi confirmado pelo Itamaraty. Lembrando que somente pude acessar porque comprei cartões telefônicos da própria Polícia, caso contrário não teria conseguido acioná-lo.

Quero explicitar que os questionamentos aqui presentes visam, sobretudo, pautar a discussão no seio da sociedade sobre o imperativo ético da garantia dos direitos humanos de todos os cidadãos do mundo.

Por fim, uma pergunta não cala: será coincidência do acaso o fato de somente estar detidos [email protected] e/ou [email protected]?

Respeitosamente,

Denise Severo

Pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB)

Coordenadora Pedagógica do Projeto Vidas Paralelas (MinC/MS/UnB/REC-ST)

[email protected]

Para ler o protesto original, clique aqui.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



131 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Brazil: Outrage of Brazilian Woman Deported from Spain @ Current Affairs

02 de março de 2011 às 14h31

[…] Severo has answered Ambassador Zaldivar [pt] in a post reproduced by the blog Vi o Mundo (Saw the world) [pt], […]

Responder

Brazil: Outrage of Brazilian Woman Deported from Spain · Global Voices

02 de março de 2011 às 14h12

[…] Severo has answered Ambassador Zaldivar [pt] in a post reproduced by the blog Vi o Mundo (Saw the world) [pt], […]

Responder

Luci

09 de fevereiro de 2011 às 00h01

Credo em Cruz. Espanha "NUNCA MAIS".

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 23h55

Caro Alfredo,

Para complementar a minha visão sobre o tema, diria eu que o exemplo que você deu, vai ao encontro do que expus: além dos muitos atrativos que oferece, a proximidade da Argentina facilita o turismo. Não só dos turistas que vão daqui para lá (a maioria do total que chega na Argentina), mas também vice-versa e que vêm daquele país e procuram principalmente os estados do Sul, mais próximos. Quanto aos demais países sul-americanos, salvo exceção do Peru (Machu Picchu é mesmo incrível!), há muito que fazer, de parte a parte. O que também pretendi dizer é que, culturalmente, o turismo na América do Sul tem para nós uma grande vantagem sobre os ‘matadouros’ a que são encaminhados usualmente os brasileiros: a Espanha, onde correm o risco de serem detidos, humilhados e deportados, e Flórida (Disney World), bem mais cara e que, na realidade, não é a melhor opção cultural que poderia talvez até ser encontrada em outros estados norte-americanos . Abraços,

João da Costa

Responder

Eduardo

08 de fevereiro de 2011 às 11h25

A Espanha tá quebrada, como sempre esteve.

Não tenho a mínima vontade de conhecer esse país xenófobo, preconceituoso e que come mortadela e arrota caviar.

Belicosos e arrogantes, só começaram a melhorar de vida na década de 1990 (as Olimpíadas de Barcelona foram a apoteose deste momento), e esqueceram que foram pobres a vida inteira graças ao lastro que países como Alemanha e França (principalmente a Alemanha) deram e dão ao Euro.

A Espanha está voltando a parecer pobre, porque ela nunca foi rica. Desde os anos 1990 o que ela teve foi apenas crédito (do Euro), e agora está chegando a hora de pagar a conta.

Passem longe da Espanha!

Responder

    Ana

    08 de fevereiro de 2011 às 17h58

    Boa tarde,estou totalmente de acordo,eu vivi em primeira pessoa.Vivia com meu noivo na epoca que hoje meu marido(Espanhol ñao me deram nenhuma chance de defesa,ano 1994 voltavamos de ferias no Brasil,tinha documentos que provavam que eramos um casal que viviamos dos años juntos. Nada adiantou,a familia mandou advogados,policia ate politicos da regiao que eu vivia ligaram para MADRID.Por ultimo ja ñao tinham mais argumentos para minha retençao,eles disseram porque havia tanto enteresse por minha pessoa,me ofenderam , eu falei que no meu Pais nunca tinha sofrido tamanha humilhaçao.Um dito cujo falou que o Brasil era um pais de merda! Otros policiais que estavam ai ficaram perplexos e impotentes ,porque o que estava fazendo seu companheiro ñao era normal! Na manha seguinte antes que chegassem os familiares do meu marido,ele me deportou como uma deliquente!Isso passou no ano 94.Levou 18 años aqui na espanha tenho 3 filhos! sempre que renovo meus documentos eles me perguntam porque ñao tenho a "nacionalidade" ,eu respondo que nunca me enteressei ,que preferia ter meu passaporte de merda, e vendo a merda que esta Espanha eu tenho o orgulho de ser Brasileira!!!!!

Romeu

08 de fevereiro de 2011 às 09h35

Sou solidário à Denise pela humilhação e constrangimento passados. Com relação à Espanha e aos espanhóis, podemos "bater com luva de pelica", mantendo nosso padrão de recepção brasileiro, com a simpatia e calor humano característico, que naturalmente foi um grande fator para viessem se instalar em ondas migratórias, no passado sofrido que tiveram em seu país (para ser Franco…). Creio que este constrangimento será maior do que uma reciprocidade nos maus tratos.

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 01h49

Brasil e Espanha, por que tamanha disparidade? (continuação 4)

baixo custo de vida, culinária incrivelmente rica, vinhos especiais em alguns países, riqueza histórica, universidades e institutos de pesquisas excelentes em muitos deles, festividades, folclore dos mais variados costumes, tradições, música e festividades, tudo aliado a um baixo custo de vida possível a qualquer brasileiro da era Lula. E, acima de tudo, ao invés do trauma decorrente da indigna expulsão que aconteceu com a Denise e tem sucedido frequentemente na Espanha, eles encontrarão hospitalidade, respeito e um tratamento especial, raríssimos de encontrar na celebrada e ora tão cheia de problemas nação espanhola.

Abraços,

João da Costa

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 01h48

Brasil e Espanha, por que tamanha disparidade? (continuação 3)

constância e dignidade. Ajudar as pequenas e médias empresas e companhias aéreas que destaquem o turismo no Brasil. Assim, elevaremos de muito o número de turistas que vêm ao país. Às mulatas, todo o nosso carinho, afeição e respeito, mas não cabem naquelas exibições que degradam o nosso país desde a chegada. Finalmente, milagres podem ocorrer, e que os ministérios mais ligados ao tema possam de fato trabalhar! Mas, de qualquer maneira, vale a pena o turista brasileiro, antes de se deixar levar pela lábia de muitas das agências de viagens, se informar, trocar idéias, ir à Internet, para ver que viagens maravilhosas, oferecem por exemplo os países da América do Sul: ficarão surpresos pelo
João da Costa

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 01h47

Brasil e Espanha, por que tamanha disparidade? (continuação 2)

informações que induzam nativos de outros países a virem até o Brasil. Mas os jornais do PIG têm até cadernos para divulgar as supostas vantagens de alguns países. Um deles é a Espanha. E há as companhias aéreas e empresas de turismo, muitas das quais, e de longa data, associadas ou submetidas ao PIG, acostumadas a conduzir os brasileiros como bois para o matadouro. E a desviar, por exemplo, estrangeiros, de um aeroporto brasileiro. Atuam na contramão, contra o Brasil, contra o nosso bolso e a nossa cultura. Mas o campo é promissor para que nós recebamos o fluxo de turistas que merecemos. Ele está na dependência de como se comportarão os novos ministérios da Presidenta Dilma mais diretamente ligados ao tema. É preciso divulgar o país, e com

João da Costa

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 01h45

Brasil e Espanha, por que tamanha disparidade? (continuação 1)

Ainda que não caiba o mesmo tipo de conduta aos nossos representantes, seria bom, em alguns casos, até atribuir-lhes mais adequadas remunerações e instalações como residências e escritórios. Mas, conviria supervisionar o seu trabalho e, sobretudo, exigir-lhes mais amor à pátria, mais dedicação ao que fazem. Se raramente eles atendem os turistas brasileiros em dificuldades, que tratamento se deve deles esperar quanto aos estrangeiros que os procuram em busca de informações sobre o Brasil? Os brasileiros que residem no exterior, raramente tomam conhecimento de qualquer divulgação do país. Quando ocorre, é de forma esporádica, episódica. Certamente que não chegam (Continua)

João da Costa

Responder

João da Costa

08 de fevereiro de 2011 às 01h33

Brasil e Espanha, por que tamanha disparidade?

Caro Azenha,

É fácil responder à indagação porque a Espanha recebe 55 milhões (?) de turistas por ano enquanto o Brasil estaria recebendo apenas 5 milhões. Certo, como foi dito, que as distâncias curtas na Europa tornam mais fácil viajar. Mas há outras razões ainda. Uma delas é que a Espanha se encontra muito mais próxima de países mais ricos do que o Brasil. Porque viaja a maioria dos brasileiros quase que para os mesmos destinos e esquece a beleza da América do Sul às suas portas? Ainda que o nosso continente esteja se recuperando da política multissecular da pilhagem, faltam recursos a muitos países para que divulguem suas atrações. Enquanto isso, a Espanha, através de suas ligações com o PIG, mantém constante sua propaganda, além de representantes muito ativos no exterior. O caso das burlescas declarações do embaixador espanhol é exemplo disso. Defender desrespeitos como ele o faz, é ter coragem de mamar em onça, mas engana a muitos otários. (Continua)

João da Costa
i!

Responder

    Alfredo

    08 de fevereiro de 2011 às 10h14

    A Argentina que fica ainda mais ao sul e é muito mais pequena mas recebe mais turistas que o Brasil. O problema de falta de turistas é só do Brasil, não é compartilhado pelo resto da América que está bombando como destino turístico.
    Pra compreender porque o Brasil recebe poucos turistas é só ler os comentários da entrada

    João da Costa

    08 de fevereiro de 2011 às 22h27

    Caro Alfredo,

    Grato pelo comentário. Na realidade não sou especialista no assunto, ainda que tenha viajado muito pelo mundo afora. Eu me coloco apenas como um brasileiro tentando oferecer a outros o que for possível da minha experiência. O que você informa é verdade, mas apenas para promover o diálogo eu diria que a grande massa de turistas na Argentina é formada de brasileiros do Sul do país que viajam atraídos pelo povo argentino e sua cultura, clima, relativamente boa estrutura de turismo, tudo isso, muitas vezes apoiado pelo baixo custo de vida. Nós temos uma grande diversidade quase desconhecida. Um cordial abraço,

    João da Costa

Wildner Arcanjo

07 de fevereiro de 2011 às 23h36

O que é a Espanha? Onde fica esse lugar? É uma Federação de Portugal?

Alias ir para fora só se for a trabalho (coisa que cada vez mais reluto fazer). No mais, visitar praias do Nordeste, algumas serrinhas que temos aqui. Cidades do Alto Oeste (com um queijo de coalho e de manteiga de deixar você mole de tanto comer), Carnaval em Salvador, São Paulo e seu apaixonante frisson, Rio de Janeiro de Mulheres bonitas, samba de melhor qualidade, praias lindíssimas, Manaus e sua beleza encravada no meio da Floresta. O Brasil é mesmo muito lindo!

Triste daquele que foi a Disney e se acha o máximo. Para mim, basta ir à São Miguel do Gostoso!

Wildner Arcanjo
Natal/RN/Brasil (País de gente Hospitaleira e civilizada)

PS. Bom era quando eles achavam que aqui só tinha índio, não sabiam eles que índio eles eram…

Responder

Emprego!!!

07 de fevereiro de 2011 às 23h19

E o sindicato dos trabalhadores estão acompanhando a ocupação de vagas de trabalho de espanhóis no Brasil? Eles barram brasileiros que vão a Espanha passear e, estão tranquilamente ocupando cargos com ótimos salários no Brasil, e como fica a política de emprego dos brasileiros? Quem acompanha esta política de empregar europeus, para que o trabalhador brasileiro não seja prejudicado?

Responder

Armando do Prado

07 de fevereiro de 2011 às 22h05

Vamos analisar a reciprocidade ou seja o nº de espanhóis que campeiam por aqui. Vamos os espanhóis que aqui tomam trabalho de brasileiros da mesma forma que nos tratam na Espanha, e aí veremos quem pode mais.

Responder

Fernando

07 de fevereiro de 2011 às 21h19

Por essas que tenho evitado passar pela Espanha. Por essas jamais compro passagem da Iberia. Por que eu iria querer pisar num lugar que não me querem por lá?

Responder

Bruno L. Payolla

07 de fevereiro de 2011 às 21h09

Para entrar na Espanha e gastar euros contribuindo para sua ecomomia é preciso ter todos os documentos que a Sra. Denise elencou? É humilhação. Risquem a Espanha de seus roteiros de viagem!

Responder

Carlos Roberto

07 de fevereiro de 2011 às 20h46

Vejam que link interessante do Jetsite especializado em aviação: http://www.jetsite.com.br/2008_v35/Noticias.aspx?…
Fala sobre Brasil e Espanha.

Responder

claudio

07 de fevereiro de 2011 às 20h34

Vem cá, porque não barramos homens desacompanhados que vêm do 1º mundo fazer turismo sexual no Brasil, alimentando uma indústria diabólica que detona corpos e mentes de incontáveis jovens [email protected]? Sem entrar no assunto [email protected] [email protected] da prostituição, condições de vida dos que conseguem emigrar…
Além do mais, com recessão na gringolândia, e o Brasil bombando, tá mais que na hora de pensar também em política de imigração para o nosso país.
Chega de complexo de vira-lata.
Os que nos acolhem em seus países, bem-vindos.
Os que vêm se aproveitar de nós, e/ou nos tratam desse jeito quando é lá, bom… senta aí e espera que a gente vai pensar no teu caso.

É o que eu acho.

Responder

Lucas

07 de fevereiro de 2011 às 20h12

Alguém leu isso?!
BRASILEIRO É MAIS EXIGENTE QUE ESTRANGEIRO NA HORA DE ADOTAR CRIANÇA, DIZ TJ-SP
A conferir no link: http://desatualidadescronicas.blogspot.com/2011/0

Responder

Denise

07 de fevereiro de 2011 às 20h10

Razão rasa, com a profundidade de uma pizza

Responder

Emprego No Brasil!

07 de fevereiro de 2011 às 18h45

E como andam as concessões de vistos para espanhóis trabalharem no Brasil? E a proteção ao direito do trabalhador brasileiro? Esta deportação está possibilitando que enxerguemos além do que vemos. Qual é a graantid de empregis aos brasileiros em tempos de crise na Europa e a busca pelo Brasil "maravilhoso" de gente linda maravilhosa quando convém para terem vantagens e benefícios.

Responder

Roberto

07 de fevereiro de 2011 às 18h43

A Espanha sempre foi um país belicoso,metido a conquistador. É da natureza deles,atualmente como apanhariam de qualquer um,se contentam em matar touros indefesos,babando de prazer ao ver os pobres animais agonizarem. Ex-país de primeiro mundo, que sem a renda de turistas, que eles próprios desprezam,estariam pior que o Senegal.

Responder

Emprego No Brasil!

07 de fevereiro de 2011 às 18h27

"Há brasileiros e brasileiras presos na Espanha, por prostituição, tráfico de drogas e falsificação de documentos, sequestros relâmpagos,Problema deles que violaram leis locais. O ano de 2010 terminou com 163 espanhóis encarcerados no Brasil, 52 a mais do que em 2009. A má conduta de uns, não permite que os soutros sejam tratados como suspeitos. Ademais a preferência da meganha pela deportação de mulheres jovens revela que é a polícia espanhola que tem problema na cabeça e não suas vítimas."Helio Gaspari .http://www.unb.br/noticias/unbagencia/cpmod.php?id=83685
Quer dizer que quando interessa o Brasil é o melhor país do mundo desde que continuemos enviando lucros para eles, e quando lhes interessa os brasileiros são latinos e devem ser deportados!

Responder

MAC

07 de fevereiro de 2011 às 18h22

O Brasil tem que endurecer com a Espanha .

Responder

Empregos no Brasil!

07 de fevereiro de 2011 às 18h19

"As dificuldades econômicas da Europa estão estimulando a busca de empregos no além mar.Nessa hora Pindorama volta a ser um Porto Seguro.Recentemente diplomatas de diversos países procuraram o Ministério do Trabalho para discutir uma polítca de concessão de vistos para seus cidadãos.Bem que o ministro Carlos Luppi poderia discutir estes pleitos mostrando uma tabelinha de deportações arbitrárias impostas a brasileiro em cada país europeu".Helio Gaspari. "A Espanha deporta? Deportemos" http://www.unb.br/noticias/unbagencia/cpmod.php?i

Responder

Marco

07 de fevereiro de 2011 às 18h15

Será que não existe nenhum fórum internacional no qual a Espanha possa ser cobrada judicialmente por este ocorrido? Eles já passaram dos limites.

Responder

Janes Rodriguez

07 de fevereiro de 2011 às 18h14

Acho que deveríamos iniciar uma campanha para que espanhóis sejam barrados no Brasil. Que o Brasil rompa relações c om a Espanha, eles têm mais a perder que nós.

Responder

Sergio

07 de fevereiro de 2011 às 17h56

Quem mandou ela ir pra Espanha? Ou será que ela nunca soube que esse país expulsa brasileiros a granel?
creio que pensou q seria diferente com ela, pois se acha da "elite" daqui, que jamais poderia ser confundida com uma brasileirazinha qualquer. Só que pra eles, é tudo farinha do mesmo saco!!!

Responder

Renato

07 de fevereiro de 2011 às 17h53

RECIPROCIDADE JÁ !!!

Deportemos 2 espanhóis para cada 1 brasileiro que sofrer vexame lá.

Vê se pode, um paiseco que cabe dentro de 1 estado brasileiro (MG por exemplo), que não tem petróleo, com uma industriazinha de nada, se arvorando a quê, a deportador de brasileiros. Se tivéssemos uma classe política mais interessada no povo (e não em se locupletar), teríamos uma resposta a altura.

Reciprocidade já !!! Podíamos por para fora uma dúzia deles já de bate pronto só para vê como eles iam reagir.

Responder

abrantes

07 de fevereiro de 2011 às 17h41

Não dá para comentar muito pois espanhol é um bicho chucro mesmo, e estou me baseando pelos membros da colonia que eu conheço no brasil.

Responder

dukrai

07 de fevereiro de 2011 às 17h06

Exmo Sr. Embaixador Diaraque Carlos Alonso Zaldívar

Dom Carlitos,
Desculpe a intimidade, mas vc é próprio palhaço trapalhão. Tô vendo ali no gugou que nasceu no País Basco e que nem o Partido Comunista te aguentava e te expulsou. Imagine então a opinião do ETA sobre a sua ilustre pessoa.É engenheiro aeronáutico, pro Sapateiro intimidade com avião é pré-requisito pra diplomata e, em troca de casa, comida e roupa lavada, é obrigado a pagar mico dando essas desculpas esfarrapadas, em diplomatiquês, desvinculadas da realidade.
Na sua nota afirma que "Um caso isolado como esse não pode dar margem a qualificar a Espanha e as suas forças policiais como racistas ou xenófobas nem dizer que perseguimos os brasileiros nos aeroportos espanhóis. Além de falso, isso é ridículo."
Madre de Dios, Dom Carlitos, ou vc é muito burro ou acha que nós somos. Rin Ron pra vc também. Não só a Espanha, mas a Alemanha, de passado não muito recomendável no quesito, a Inglaterra e a França já chutaram o balde do multiculturalismo, sinônimo de "não gosto, mas aguento" e já partiram pro "negrada ao mar". A galera da Dona Beth II, por sinal, mandou bala num terrorista brasileiro em Londres armado de uma jaqueta jeans. Tomando por este parâmetro a Denise é uma sortuda e a gente é mesmo um bando de falsos e ridículos.
Tô sabendo da importância da mão de obra barata dos migrantes pra turma da especulação imobiliária em Espanha, tem filho de amigo meu trabalhando como pedreiro na terra de Cervantes e as topadas que o pobre dá é tipo pá de moinho nazorêia, mas fala inglês e espanhol e tá arrumando as trouxas porque o trein lá desandou e a gente vai ter Copa e Olímpiadas.
Eu só não gostei desse negócio do Brasil receber 220 milhões de turistas. Vai ser doido, sô, TesconjurosCruizemcredoVaderetroSatanás, isto é motivo pra socar o pé na bunda de japa no Liberdade, judeu no Bom Retiro e libanês na 25 de março, ninguém aguenta uma desgraça dessas, é de dar no nervo do mais calmo dos mineiros e deixar paraibano mais zurêta do que já é.
Epa, já tô quase dando razão pra vc e até ficando com dó do povo mais rabugento do planeta, o catalão. Por azar,o pedreiro filho do meu amigo vive em Barcelona. É duro, véi, aguentar a gringaiada na praia com os peito de fora, a patroa do lado só na espera de um flagrante, aquele monte de retardado com camisa do seu time e de quebra, uns farofeiro todo lascado numa felicidade imensa e sem motivo.
Entendo as suas dificuldades e nessas horas vale o conselho dos mais velhos e sábios, um nobre espanhol, poliglota falante de nove línguas, conhecedor do mundo e das pessoas, que recomenda:
"Por que no te callas?"

Responder

    otavio porto

    08 de fevereiro de 2011 às 00h14

    Muito bom !!!!!!

    Ana Rita

    08 de fevereiro de 2011 às 09h20

    Bom dia, Durkai

    Excelente análise crítica. De fato este embaixador está mais perdido do que cego em tiroteio. Se o caso da Desine fosse isolado, a matança feita no México durante a conquista, seria um caso isolado de genocídio na lamentável história espanhola da conquista espanhola. E depois quer sair bonito na foto??? Cara, vai pedir por Worhol ver se dá um jeito nos negativos…

    []

diogojfaraujo

07 de fevereiro de 2011 às 17h03

Essa modinha de usar o @ para escrever, por exemplo, brasileiros, é muita frescurinha…. Além disso, é errado…

De resto, todo apoio a essa moça.

Responder

Lázaro Machado

07 de fevereiro de 2011 às 16h59

Em ridículo artigo na Folha de S.Paulo de hoje (dia 7), o embaixador da Espanha no Brasil, Carlos Alonso Zaldívar, procura justificar a ação dos esbirros espanhóis contra a pesquisadora Denise Severo. Será saudade do franquismo? O embaixador, convenientemente, se esquece da acolhida que o Brasil deu a imigrantes espanhóis durante décadas e décadas. Por que é dado um tratamento criminoso aos brasileiros que chegam à Espanha? Isso acontece porque o governo brasileiro e o Itamaraty são lenientes e omissos diante da questão.

Responder

fernandoeudonatelo

07 de fevereiro de 2011 às 16h56

Reciprocidade não é tratar os visitantes estrangeiros da mesma forma desumana que nos submetem, reciprocidade é ser rigido na fiscalização e procedimentos, de maneira a deportar aqueles que não se enquadrarem.

Ou seja, reciprocidade não é humilhar da mesma forma que nos humilham, mas da imediata deportação caso seja comprovada a incompatibilidade com a legislação nacional, sem abusos contra a dignidade humana.

Responder

Arthur Schieck

07 de fevereiro de 2011 às 16h54

Reciprocidade é ótimo!
Essa ideia que alguns tem de que "se nós aplicarmos as mesmas regras para quem vem ao Brasil o turismo vai ser prejudicado"… isso é balela! Uma coisa que poucos lembram é que o Brasil é um c-de-mundo (com o perdão da má palavra). Não tem nada a ver com nossas qualidades mas sim com a grande distância dos potenciais turistas. Um dos motivos da Espanha recebe 10 vezes mais turistas é o fato do país estar num continente com altíssima densidade demográfica e proximidade de outros países também com grande atividade turística.
O maior bem que nós podemos ter é a nossa dignidade. Nunca vou esquecer quando cheguei em Istambul e havia uma fila para pagar o visto (ou uma taxa, não sei). Havia um cartaz com um preço diferente para cada país de origem e lá não constava o Brasil. Ao chegar no guichê o funcionário pegou meu passaporte, olhou pra mim com um sorriso e disse: It's free! Muito provavelmente a Turquia também é um país que aplica a reciprocidade e isso não faz mal nenhum a eles.

Responder

    Ana

    08 de fevereiro de 2011 às 09h23

    Arthur,

    De fato o turismo sexual será prejudicado, o que seria ótimo, vc nao acha? O problema é que, de quebra, teríamos criminosos pedófilos em nossas cadeias… Bom, pelo menos a propagada DA IDENTIDADE ESPANHOLA estaria ótima na fita das relaç~eos internacionais ;)

Luci

07 de fevereiro de 2011 às 16h46

Quer dizer que as empresas espanholas entre elas Santander e Telefônica (campeã de reclamações) que prestam um atendimento aos brasileiros que deixa muito a desejar; quem tiver dúvidas é só pesquisar no Procon qual é a empresa campeã de reclamações de cidadãos consumidores; se impõem aqui no Brasil e a pesquisadora apresentou o Cartão Travel do Banco do Brasil e este não teve valor para lhe garantir tratamento respeitoso, justo e digno?

Responder

Alfredo

07 de fevereiro de 2011 às 16h23

Depois de ler todos os comentários, da pra entender porque a Espanha recebe 55 milhões de turistas ao ano e o Brasil só 5 milhões.

Responder

    Fernando SP

    07 de fevereiro de 2011 às 16h43

    Caro Alfredo, não tem nada a ver uma coisa com a outra. O fato é que se a brasileira dispunha de todos os documentos que ela citou e mesmo assim foi barrada trata-se sem dúvida de arbitrariedade imotivada. Daí a sair matando um espanhol por dia também não tem nada a ver.

    Janes Rodriguez

    07 de fevereiro de 2011 às 18h16

    Boicote à Espanha e aos espanhóis.Essa é a resposta. Reciprocidade é o nome.

    sandro

    07 de fevereiro de 2011 às 19h08

    Ah sim, Espanha…o gueto da Europa…a próxima crônica anunciada do colapso financeiro…decadência…

Publicidade

07 de fevereiro de 2011 às 16h01

A professora deve consultar seu advogado se não cabe um ação em face daquela emissora que para aliviar fez aquele programa mostrando maravilhas do país que a deportou, mas o assunto é outro estamos falando de Violação de Direitos Humanos, que aliás pautou o programa, mas para dissimular, distrair e distorcere a realidade.
Quando será exibido programa entrevistando todos os brasileiros/as que foram deportados por serem latinos?

Responder

Paulo Athaydes

07 de fevereiro de 2011 às 15h50

Reciprocidade é o que falta.
A diplomacia brasileira é muito soft.
Enquanto isso os direitos dos cidadãos brasileiros no exterior podem ou não ser respeitados.
Se o Brasil e os brasileiros querem ser levados a sério deve haver reciprocidade.

Responder

Luis

07 de fevereiro de 2011 às 14h31

Senhor embaixador, o seu país a Espanha ainda é franquista, digo, fascista?

Responder

Cruéis

07 de fevereiro de 2011 às 14h11

A publicidade deste episódio simbolicamente deporta todos nós, que somos brasileiros. Estas deportações com requintes de crueldade nas ações brutalizadas e desumanas revelam um desrespeito inaceitável ao nosso país. Parabéns a pesquisadora pelo exercício de sua defesa. E tenho certeza este episódio está revelando como somos usados e desprezados pelos capitalismo internacional. Mas a ex turista é pesquisadora de uma das maiores universidades deste país, que também foi atingida nesta ação desumana. A pesquisadora não está só.

Responder

teresa b

07 de fevereiro de 2011 às 14h02

Diuturnamente o povo brasileiro é bombardeado pelo PiG com o mantra de que é um povo semi-analfabeto e portanto inferior. O desgoverno de FHC ao doar nossas riquezas e empresas reforçou esse discurso. Doar para os que tem competencia(raça superior) para gerir. O pIg fazia questão rreforçar o complexo de vira-lata. Apenas assim com um povo subserviente continuaria controlando as riquezas produzidas. Lula legitimo brasileiro oriundo da senzala, que maravilhou e revolucionou o mundo, mudou esse conceito de vira-lata entranhado na alma do povo brasileiro. Que, depois de Lula. está se achando. Lula foi nomeado o inimigo numero 1 da elite e PiG. Eles não querem perder o faturamento e urge que o povo volte para a senzala, onde jamais deveriam ter saido.

Responder

Direitos Humanos

07 de fevereiro de 2011 às 13h56

Este debate é importante para que sem paixões analisemos a situação dramática da Denise Severo e analisemos também a situação igualmente dramática de violação de Direitos Humanos em nosso país. Sem culpar ninguém, mas temos que refletir podemos e devemos exigir tratamento digno em qualquer país do mundo para onde viajarmos, mas temos que lutar para que outras pessoas sem voz, sem rosto e sem cartão Travel Money do Banco do Brasil também tenham respeitada sua dignidade em nosso país. quem ler o blog Repórter Brasil, tomará conhecimento de que este desrespeito a várias pessoas nas duas situações, vem de longa data. Porque o desrespeito, porque a certeza de que o cidadão brasileiro não tem a quem recorrer e que não será amparado, mas sim continuará sendo humilhado e desrespeitado? O que está acontecendo lá e cá este é o debate que devemos realizar, temos que eliminar as violações e exigir respeito lá e cá. A ONU está cobrando dos governos ações que garantam a integridade física e moral das mulheres. A ONU declarou o ano de 2011 o Ano dos Afrodescendentes, para combater o racismo e suas consequências.

Responder

fernandoeudonatelo

07 de fevereiro de 2011 às 13h49

Será que esse senhor tirou os sapatos quando aterrisou em Brasília? Ficou detido "preventivamente" por 7 horas, sem contatar seu Ministerio? Tinha cartão do Santander?

Com imunidade diplomática na mão, pimenta no rabo dos outros vira refresco.

Reciprocidade, sem mais.

Responder

Guilherme Scalzilli

07 de fevereiro de 2011 às 13h42

Mas é fácil politizar o sofrimento dos brasileiros no aeroporto de Barajas, jogando a culpa na submissão do Itamaraty. Embora fosse uma atitude correta e urgente do governo brasileiro, a reciprocidade não resolveria o problema. Nossas autoridades jamais teriam coragem de tratar estrangeiros da maneira como somos tratados em seus países, e tampouco espalhariam igual número de violências.
Centenas de brasileiros são maltratadas anualmente por leões-de-chácara espanhóis na Guantánamo dos turistas sul-americanos. A imprensa divulga apenas os casos mais gritantes, e olhe lá. O escandaloso caso de Guinga, por exemplo, sumiu da pauta.
Esse silêncio é subvencionado pelas agências de viagens, ricas anunciantes da mídia corporativa, que não querem admitir a seus clientes que eles podem perder as economias e passar humilhações porque um idiota fardado não foi com a sua fuça. Quando a turma começar a desprezar pacotes e ofertas que envolvam empresas aéreas espanholas, uma luzinha amarela acenderá na xenofobia (machista) dos civilizados europeus.
http://guilhermescalzilli.blogspot.com/

Responder

João

07 de fevereiro de 2011 às 13h30

É simples: vamos começar uma campanha "não compre nada de empresas espanholas" (inclusive bancos).
Aquele paiseco está quebrado.
Não quero ser xenófobo, mas não dá para aguentar isto.
Se até Mubarak se curvou à internet, porque a Espanha não o fará.

Responder

jordam

07 de fevereiro de 2011 às 13h17

Desde o manifesto postado aqui venho pensando e lendo os comentários dos amigos deste espaço, porém pessoas acham que podem simplesmente aferir os erros espanhóis colocando toda culpa no governo, mas a história de nosso país é de aceitar a todos e suas diferenças, tudo cabe no Brasil, crenças, raças, linguas, mas quando nós vamos buscar conhecimento, compartilhar ou mesmo gastar o suor do nosso trabalho somos desrespeitados, nenhum tratado ou convenção internacional tem valor. Pena que nosso país na era FHC que privatizou um setor estratégico do governo caiu exatamente nas mãos dos espanhóis, e o agradecimento deles é exatamente este nos tratar como pessoas insignificantes. Lamentável mas necessário mesmo esclarecer os fatos a Denise fez e está fazendo muito bem.

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

07 de fevereiro de 2011 às 12h42

O pessoal aqui "meteu o pau" no Cesar Laus, negativando o comentario dele.Ok, so que este problema com a Espanha nao e de hoje.Note-se que temos no Brasil uma "colonia" espanhola expressiva.Digo entre aspas pois sao descendentes dos espanhois que aqui vieram.Sao muitos e foram bem recebidos no nosso pais.Empresas espanholas estao aqui, ganhando dinheiro, prestando servicos muitas vezes de baixa qualidade(Santander, Telefonica, etc).No Nordeste, os espanhois vao la e constroem hoteis, compram casas, etc, sendo sempre muito bem tratados.E com os Brasileiros la , a varios anos , esta historia se repete.E o governo brasileiro NADA faz..Creio que o Cesar Laus carregou nos adjetivos.Mas o problema e concreto.E nao esta sendo atacado pelo governo brasileiro.

Responder

    Leider_Lincoln

    07 de fevereiro de 2011 às 13h09

    Fato! Tanto o comentarista acertou no remédio mas errou na dose quanto o governo brasileiro tem que começar a pensar mais como potência e passar a não admitir mais este tipo de coisa.

Luci

07 de fevereiro de 2011 às 12h38

Chega de tratamento de estrangeiro aos cidadãos do mundo. O Brasil não pode omitir-se diante deste caso gravíssimo e que não é o primeiro. Se há reiteração deste tratamento desumano, autoritário, racista e xenófabo, não precisa Madre Teresa de Calcutá ressuscitar e dizer para o mundo que houve sim Violação de Direitos Humanos. Porque este tratamento é sómente a negros e latinos, que aliás são os que mais lucros dão a este país? Hoje o blog do Noblat, publica artigo de Helio Gasparai "Se a Espanha Deporta Deportemos", está citando o caso de uma física que estava a caminho de um congresso em Lisboa e ficou 53 horas detida no aeroporto e embarcada de volta. http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/02… A Espanha demonstra seu atraso no tratamento a cidadãos latinos e negros: "No mundo moderno e civilizado, ninguém deve ser tratado como estrangeiro, mas sim como cidadãos do mundo." Em nosso país estamos sendo desrespeitados é o correspondente à deportação da professora Denise Severo e centenas de outros. Exijamos respeito e nossos direitos.

Responder

Sr. Indignado

07 de fevereiro de 2011 às 12h37

Produtos espanhois?
Nem um centavo!

Responder

Horror

07 de fevereiro de 2011 às 12h12

Concordo com o internauta que afirma que o Banco do Brasil deve colocar no Travel Money nome, validade e país de origem. Mas será que este desrespeito aos nossos turistas não decorre de problemas com violações de Direitos Huamanos em nosso país? Porque é impensável as desculpas que só reafirmam o que a Denise descreve como horror, foram momentos de horror. Quem garante este horror? Porque justificar este horror? Porque a desassistência à brasileira num momento de privação de liberdade e horror num país estrangeiro, onde ela ficou indefesa?

Responder

Luci

07 de fevereiro de 2011 às 12h04

Este debate trouxe a identificação de que houve violação de Direitos Humanos.
A reiteração de "tratamento desumano" é também sinal de desrespeito ao país. Como a professora Denise denuncia são destratados latinos e negros. É grave. Os espanhóis também fazem turismo e nunca soube que aqui no Brasil, ou em qualquer país do mundo, tiveram este tratamento desonroso, humilhante.
Há uma questão que deve sim ser debatida por todos nós, condenar a violação de Direitos Humanos no exterior é importante, mas e as violações historicas e seculares de Direitos Humanos no Brasil ? Basta ler o site Adital, Correio da Cidadania, Repórter Brasil, blog do Sakamoto, Justiça Global e veremos que infelizmente temos problemas sérios a serem resolvidos. http://www.reporterbrasil.com.br/: http://global.org.br/ ; http://www.adital.com.br/site/index.asp?

Responder

Cássia

07 de fevereiro de 2011 às 11h53

O Brasil quer assumir posição de potência, mas precisa se colocar como uma. E não se trata apenas defender cadeiras na ONU, ou subsídios na OMC, enfim…
Precisa defender seus cidadãos e começar a utilizar argumentos diplomáticos.
Eu sou de Governador Valadares e sei de um sem número de histórias de brasileiros que são tratados como lixo, sem muitas vezes precisar sair daqui… o problema já começa nas embaixadas.

Responder

Máscara

07 de fevereiro de 2011 às 11h44

A Internet está desmascarando mentiras, e projetos de manutenção de poder e exploração construido com base em mentiras, exploração, opressão, violência, intolerância religiosa, ditaduras, extermínio, racismo e xenofobia. Basta de mentiras que não se sustentam. Não existe poder que se mantenha com praticas racistas. Os senhores perderam a noção do valor dos Direitos Humanos.

Responder

Marks Eulálio

07 de fevereiro de 2011 às 11h35

Isso tudo vai mudar minha gente… já começou a mudar… Vai chegar um dia, que está muito próximo, em que o BRASIL vai dar uma lição de CIVILIDADE para o mundo. Todos os cidadãos do mundo aqui serão muito bem recebidos, desde que não venham com a mentalidade predadora. E o BRASIL como um dos países PODEROSOS do no mundo será como um IMÃ para povos de todo mundo que virão a trabalho e a turismo. Então, queremos ver qual ESPANHA qualquer do mundo irã manter a sua arrogância, tratando os cidadãos brasileiros e latinos em geral como se fossem trastes, lá na velha Europa. Trataremos todos os povos com muito respeiro. MAS A RECÍPROCA TERÁ QUE SER VERDADEIRA.

Responder

C R TEIXEIRA

07 de fevereiro de 2011 às 11h20

Eu ia à espanha e depois à europa. Depois do que tem acontecido não quero mais conhecer nenhuma das duas. Nem espanha , nem europa !

Responder

    Paulo

    07 de fevereiro de 2011 às 15h02

    A Espanha fica dentro da Europa.

Paulo

07 de fevereiro de 2011 às 11h15

Deveríamos trata los exatamente da mesma forma até que eles parem com este tipo de atitudes discriminatórias aleatorias, é um absurdo um pais que se julga primeiro mundo ter este tipo de atitude sendo que todos os requesitos pedidos foram atendidos exatamente da forma que eles pediram, só que existe o outro lado da historia, muitos brasileiros antigamente burlava ( jeitinho brasileiro ) que eles tanto odeiam e por isso hoje eles pegam pesado para evitar o jeitinho brasileiro.

E tenho certeza que o consulado da espanha daqui do brasil, faz questão de nao dar as informações claras para que a policia lá possa fazer o que eles bem entendem, dando as desculpas mais sinicas possiveis.

Responder

Marcelo Pinheiro

07 de fevereiro de 2011 às 10h56

Pesquisadores, consultores de organismos governamentais e não-governamentais, professores de instituições de ensino superior, estudantes de pós-graduação e outros que por força de seu trabalho viajam com freqüência a estes destinos xenófobos deveriam pressionar as instituições a que estão ligadas a se manifestar neste episódio. Hoje foi com a Denise e amanhã pode ser com qualquer um. É urgente uma manifestação do Itamaraty para que fatos como este não se tornem corriqueiros.

Responder

George Santos

07 de fevereiro de 2011 às 10h38

Antes era assim nos EUA, por isso não tenho a mínima vontade de conhecer aquele país. Ja fui ao Canada duas vezes) e fiquei muito satisfeito. Por esses motivos que, pessoalmente, "incluo" a Espanha fora do meu destino, ou mesmo escala pra outros países da Europa.

Responder

Mello

07 de fevereiro de 2011 às 10h36

Esse palhaço, representante de um governo palhaço, deveria se chamado a dar explicações tanto pelo executivo e legislativo

Responder

    Jairo_Beraldo

    07 de fevereiro de 2011 às 15h02

    Interessante que quando alguém vai a favor do brasieliro, tem seu comentario negativado…..

    Carrascos

    07 de fevereiro de 2011 às 15h55

    Devem ser os que deportaram a pesquisadora.

Roberto SP

07 de fevereiro de 2011 às 10h29

Sabe o que é isso?
Excesso de zelo de país periférico.
Espanha e Portugal desde que perderam seus impérios coloniais no início do séc XIX sempre foram (e ainda são em larga medida) considerados os primos pobres da Europa. A periferia. A Espanha hoje tão arrogante era até há poucas décadas governada por uma ditadura sangrenta e obscurantista no melhor estilo república de banana – Portugal com o Salazarismo não ficou atrás.

Esse Rei tão arrogante que manda líderes estrangeiros se calar como no tempo do Império Colonial, só voltou a sentar no troninho dele depois que o ditador que deu um chute nos seus antepassados MORREU de morte morrida. Ou seja o Rei é herdeiro não do pai dele, mas de um sanguinário assassino de centenas de milhares do seu próprio povo.

Eram países com índices de analfabetismo e pobreza comparáveis aos de países do terceiro mundo.

Enquanto o distante Brasil mandou tropas para lutar na Segunda Guerra, Espanha e Portugal se fingiam de mortas. Não eram consultadas para nada.

Só foram admitidas na União Europeia bem depois de sua constituição quando deram um salto econômico por conta dos bilhões e bilhões investidos pelos países ricos da Europa com o fim de evitar que ficando fora da UE os dois países se tornassem fonte de mão de obra barata e imigrantes indesejados nos países centrais.

Hoje fazem o serviço sujo de polícia racial para os branquinhos – anglo-saxões, germânicos e gauleses.

Tive um amigo em Portugal que sempre me contou o quanto os países centrais pressionam Portugal (e Espanha) para impedir a invasão de pessoas indesejadas de suas ex-colônias nas américas.

Essa questão está até fora da capacidade da Espanha decidir. Se eles não se mostrarem eficientes em barrar indesejados nas suas fronteiras vão levar pau dos primos ricos.

E enquanto isso, graças a FHC e ao PSDB o Brasil voltou a pagar o quinto para a metrópole na forma de gordas remessas de lucros das minas de ouro da telefonia nacional.

Responder

    ZePovinho

    07 de fevereiro de 2011 às 12h28

    Caraca,Roberto!!!Você foi na mosca!!!!!!!!!Valeu!!

    Regina

    07 de fevereiro de 2011 às 12h52

    Não podemos esquecer que a Espanha atualmente está quebrada. É a próxima no dominó das quebradeiras financeiras….

    Regina

lauro

07 de fevereiro de 2011 às 10h28

Infelizmente a reciprocidade que nos cabe é deportar discricionariamente cerca de 1500 espanhóis por ano com a mesma dose de desconforto.

Responder

Antonio Veras

07 de fevereiro de 2011 às 10h21

O nosso Itamaraty no exterior, com algumas raras exceções, não ajuda os brasileiros que necessitam de ajuda no exterior. Creio que a Denise poderia acionar o Ministério Público (Direitos do Cidadão) e fazer uma representação contra este embaixador (ou o Itamaraty) na Espanha. Todos os brasileiros têm o direito de serem representados e assistidos dignamente no exterior.

Responder

Denise

07 de fevereiro de 2011 às 09h35

Já passou da hora de darmos o troco. Por que não barrarmos 8 a cada 10 espanhois que cheguem ao Brasil?
Afinal , quem precisa mais de turistas para alavancar a economia o Brasil ou a Espanha? Quem está falido?
Quando o Brasil peitou os EUAS , quando da questão de barrarem cidadãos brasileiros após o 11 de setembro rapidinho o quadro mudou.
Já passou da hora defazer isso com a Espanha.

Responder

    Jairo_Beraldo

    07 de fevereiro de 2011 às 14h53

    Mas eles trazem euro$…..

antonio rodrigues

07 de fevereiro de 2011 às 09h10

Prezada Denise Severo:

Com todo o respeito e solidariedade, gostaria de sugerir que mudasse o foco de sua luta.
Embaixadores, governos, fazem seus trabalhos burocraticos e como tal, são como aqueles bonecos feitos para apanhar. A gente pode xingar a vontade um funcionario publico no balcão, mas na verdade nada o atingira.
A senhora pretende rrespondera agressão que sofreu? E deve.
Reuna todos os brasieiros que ja foram humilhados como a senhora na Espanha.
Faça uma campanha para os brasileiros escolherem outros destinos de viagem. Explique os riscos que todos nos corremos num aeroporto da Espanha e aponte outros paises onde somos bem tratados.
Ai a senhora estaria gastando bem sua energia e respondendo a altura.
A Espanha não esta em condições economicas para perder turistas.
Ajudarei no que estiver no meu alcance.

Responder

    Jairo_Beraldo

    07 de fevereiro de 2011 às 14h48

    Ela está pouco se lixando para os que como ela foram humilhados. Quer fazer sua vingança pessoal, nada mais que isso.

augustinho

07 de fevereiro de 2011 às 09h10

Denise, entao faça uma vaquinha entre nosotros, a ralé dos internautas, com uma conta bancaria sua, valendo ate um determinado limite de valor.Com a finalidade de voltares á espanha, nas mesmas condiçoes. Eu contribuo.
E ai tu voltas a Madrid, avisando primeiro a esse entulho diplomatico de brasilia.
E depois, vamos ver se eles fazem de novo a mesma coisa.

Responder

Tina

07 de fevereiro de 2011 às 08h54

UM europeu, não sei quem, fez disse uma frase que retrata a postura da dominação em relação a outros países. Mais ou menos assim: 'Um povo que não tem honra merece ser dominado'.

Então, meus amigos brasileiros, vocês continuam gastando dinheiro indo pro Museu do Prado (Espanha) e pra Disney !!!!!!!!!!!!! Mesmo sendo tratados como cachorros !!!!!!!!!!! Tenham vergonha na cara e vão estudar um pouco de história. Parem de consumir os produtos destes infâmes e venham pra casa estudar e se conhecer. Ninguém quer saber das suas lamúrias. Eu faço o que está a meu alcance para não colocar meu dinheiro no bolso desses cretinos, arrogantes, metidos a honestos e civilizados.

Responder

Daniel Campos

07 de fevereiro de 2011 às 08h52

Os espanhóis querem é o dinheiro brasileiro, não os brasileiros. E diga-se de passagem que não é só os espanhóis, quantos aqui viram as regras para poder viajar para a Europa? É uma sutil mensagem de "fique no seu lugar".

Responder

gilberto

07 de fevereiro de 2011 às 08h43

Vai pra cima deles, quebra tudo, não deixar barato,fale , fale e fale mais ainda .
Não vi o PIG ficar indignado com isso. Só vi o PIG ficar indignado quando prenderam os
americanos que mostraram o dedo no aeroporto.
Cade a retaliação do Brasil?
Volta LUla…volta Marco Aurélio….. Fora Patriota…vc não tem nada de Patriota…

Responder

@leumasocsalev

07 de fevereiro de 2011 às 04h43

Sinceramente, penso que a Denise foi barrada pelo preciosismo burocrático. Entrar na Espanha é tão difícil como alugar uma casa (com fiador) ou tentar uma bolsa dum orgão de fomento à pesquisa. Os exemplos da burocracia desumanizante são infindos. Já trabalhei como servidor público na área da saúde e me via na obrigação de requerir de pessoas doentes – muitas vezes com restrições severas de movimento – um carimbo que faltava, obrigando-as a descerem e subirem andares do hospital. Era obrigado a negar a autorização de procedimentos médicos a pessoas que tinham viajado de outro Estado por falta de uma assinatura. De nada adiantava telefonema ou fax. Nem mesmo por fax aceitávamos. É desgastante para o funcionário/policial também, ou ao menos é pra ser…

Acredito na possibilidade de discriminação devido à nacionalidade e gênero, no entanto a meu ver a probabilidade maior é que a restrição burocrática tenha se imposto. Para quem trabalha com papelada é realmente um agravante os documentos não estarem exatamente como solicitados, com nomes nos devidos lugares, carimbos e a autorização devida expressa de forma escrita, autenticada, rubricada e ensopada de água benta. É hora do Banco do Brasil começar a colocar nome, validade e país de origem no TravelMoney, não? Um produto financeiro destinado a outros países não pode parecer um cartão telefônico.

Fato é que independente dos motivos dos policiais, o Itamaraty tem que aplicar a reciprocidade de maneira a mostrar pros espanhóis que nós sabemos mais de burocracia diplomática do que eles. Haha!!

Responder

    teresa b

    07 de fevereiro de 2011 às 13h43

    Um erro não justifica outro erro.
    Se assim agem os policiais da espanha por cumprir ordens, então, discriminar negros e latinos é politica do governo espanhol. Pior ainda.
    Respondamos a altura. Reciprocidade, já!!!

Chico Doido

07 de fevereiro de 2011 às 04h42

Temos que boicotar estes xenófobos racistas e falidos. nada de viajar para estes destinos que tratam mal os brasileiros , nosso país é grande e tem muita coisa para mostrar.

Responder

Gerson Carneiro

07 de fevereiro de 2011 às 04h18

O Exmo Sr. Embaixador da Espanha no Brasil, Dr. Carlos Alonso Zaldívar, em sua tentativa de justificar com tão poucos motivos tão grave agressão acaba por repetir exatamente a tática da Polícia Espanhola.

Repete-se aqui, portanto, o que houve lá. A diferença é que aqui não há como o Embaixador espanhol manter a pesquisadora Denise Severo presa.

Correto seria o Sr. Embaixador reconhecer o erro, pedir desculpas, retratar-se, e trabalhar para que tais ocorrências não mais ocorram.

A resposta portanto é: por enquanto a Espanha não só violou direitos como reitera a violação através do seu Embaixador aqui no Brasil.

Responder

Nilva

07 de fevereiro de 2011 às 02h43

Acho que precisamos fazer um movimento, abaixo-assinado, sei lá o que mais, para exigir um posicionamento público do Itamaraty, não só com a Espanha e a Itália, que são os piores, mas também com todos os outros países que vivem nos humilhando.

Responder

Nilva

07 de fevereiro de 2011 às 02h41

Eu tinha conta no Banespa, que virou Santander e os serviços pioraram. Fechei a conta e fui pro BB.
Recebia pelo Santander e depois a empresa passou pro Real. Achei ótimo mas, infelizmente o Real virou Santander e o Real, que era um bom banco, agora está péssimo.Já conversei com a gerente, abrirei uma conta salário e vou transferir tudo pro BB. Odeio o Santander. Quanto à Telefônica, também tentei sair e fui pra NET. Só problemas, ficava dias sem telefone e sem internet. Tive que voltar pra Telefônica, por falta de opção. Por mim esses espanhóis morreriam à míngua.

Responder

    João

    07 de fevereiro de 2011 às 13h34

    Calma Nilva.
    A GVT, francesa, ao menos presta um bom serviço de internet e telefonia.
    Como não temos mais nossas "teles", fui para a GVT.
    Fica a sugestão: a GVT está entrando no mercado paulista. Procure, quem sabe você pode se livrar da TeleAfônica.

Nilva

07 de fevereiro de 2011 às 02h35

Daquela vez que o Brasil usou o princípio da Reciprocidade com a Espanha só ficamos sabendo depois, pois não foi noticiado antes das medidas tomadas. Acredito que nossa chancelaria vai tomar alguma medida, mesmo que seja exigir esclarecimentos. Será que o tal embaixador´não recebeu alguma ligação do Itamaraty? Acho estranho ele se justificar sem mais nem menos. Deve ter sido chamado na xinxa (chincha)? De qualquer forma, espero um pronunciamento das autoridades brasileiras.

Responder

Samir

07 de fevereiro de 2011 às 01h58

Isso sem contar o povo de outros paises L. Americanos… Se vc der uma pequena pesquisada no Youtube em espanhol vai ver que eh a mesma coisa com Chilenos, Argentinos, Equatorianos, Colombianos… Se a America Latina se blindasse contra multinacionais espanholas queria ver pra onde e de onde eles iriam arrumar recursos pra manter seu reizinho… XD

Responder

everaldo

07 de fevereiro de 2011 às 01h39

No caso a Espanha pode fazer o que quiser. E o Brasil também, perguntem ao Itamaraty quantos espanhóis a Polícia Federal mandou de volta em 2010? Quantos? Nessa relaçao, o que conta é a reciprocidade, para o mal e para o bem, mas se o Brasil não faz nada só podemos lamentar.

Responder

João da Costa

07 de fevereiro de 2011 às 01h29

Denise, a grande maioria dos brasileiros lamenta, como eu, a experiência traumatizante que você vivenciou por ter viajado à Espanha. É pena que, pelo menos até agora, o Ministério do Exterior, que tanto havia se afirmado no Governo Lula, não tenha publicamente assumido a defesa dos seus direitos – e, por extensão, de todos os brasileiros – através de providências efetivas que, dada a importância do caso, deveriam ser anunciadas pelo próprio Chanceler. Sua carta ao embaixador espanhol, além de revelar um grande e justo trauma, documenta à exaustão, a xenofobia, o racismo contra latino-americanos e negros, praticados habitualmente no país que ele representa. Entretanto nela reside um equívoco: pois se aquela nação tem estado interessada no Brasil, tem sido só pelo fato de encontrar as portas escancaradas para a pilhagem das suas telefônicas, bancos, editoras etc. Disto vem resultando que bilhões de dólares são retirados do Brasil a cada ano, com sérios prejuízos aos usuários de serviços da mais baixa qualidade. O Governo brasileiro deve explicações por isso.

João da Costa

Responder

David R. da Silva

07 de fevereiro de 2011 às 00h23

Pau nos Espanhóis aqui no Brasil, na mesma forma. A Lei da RECIPROCIDADE aos Espanhóis URGENTE, não somos COLÔNIA ESPANHOLA, Bandidos! Até parece, que são perfeitos com mais de 20% de desempregados. Aviso a tempo: NÃO VIAJE Á ESPANHA, TERRA, QUE DISCRIMA OS BRASLEIROS!!! NÂO VIAJE Á DEGRADANTE ESPANHA! NÂO VIAJE. O BRASIL, é mais Bonito e BELO. DIGA NÃO,A EX-COLONIZADORES da América Latina. Bandidos! Lei da Reciprocidade, JÁ! de Belo Horizonte.

Responder

mudesto

06 de fevereiro de 2011 às 22h55

Alguém sabe quem é o inepto que cuida dos interesses brasileiros na Espanha?

Responder

O_Brasileiro

06 de fevereiro de 2011 às 23h50 Responder

Até quando?

06 de fevereiro de 2011 às 23h45

Mentira na era da Internet não se sustenta. São vários casos apontados. Seres humanos destratados e tratados como nada!

Responder

mara

06 de fevereiro de 2011 às 23h45

Gostaria de saber que atitudes foram tomadas pela embaixada do Brasil na Espanha para defende-la , já que foi acionada.

Responder

O_Brasileiro

06 de fevereiro de 2011 às 23h43

Acho surreal brasileiros ainda quererem botar os pés na espanha e em portugal, mesmo sabendo que tipo de pessoas há nesses países em relação a brasileiros.
O embaixador da espanha defende os interesses dos espanhóis.
Quem tem que defender os interesses dos brasileiros é o Governo do Brasil!
E é a posição do Itamaraty que estamos esperando.

Responder

Luci

06 de fevereiro de 2011 às 23h42

O direito e o avesso. Apoia-se o valor dos Direitos Humanos no exterior, mas aqui brasileiro dá depoimento de violação de Direitos Humanos e faz tempo. Não dá para sorrir e dizer que está tudo bem. Denise Severo por tua honra e dignidade enfrente tudo e todos com a tua verdade e exija justiça. Chega de destratar brasileiros em aeroportos, e empresas espanholas levarem para seus países o lucro que auferem aqui. É revoltante, os desmentidos revoltam mais ainda.

Responder

Luiz A. C. Nalin

06 de fevereiro de 2011 às 22h26

Tantos lugares lindos no Brasil, na América do Sul e os brasileiros preferem serem maltratados na Europa, nos EEUU. Tem gosto para tudo.

Responder

    Jok

    06 de fevereiro de 2011 às 23h42

    Ela estava a trabalho..

Ricardo_Alves

06 de fevereiro de 2011 às 22h15

e so aplicar a reciproca e pronto.

Responder

Digger

06 de fevereiro de 2011 às 21h57

Não é de hoje que esses soberbos e ditos países do primeiro mundo, desrespeitam cidadãos provenientes do dito terceiro mundo. Essas violações aos direitos humanos a turistas dos países menos desenvolvidos, é um pragmatismo e não uma exceção da parte dessa gente arrogante e preconceituosa.
Sugiro que façam turismo no nosso Brasil lindo e maravilhoso! Chega de humilhação!

Responder

Daniel Burgos

06 de fevereiro de 2011 às 21h54

Penso que nós Brasileiros temos que tomar vergonha e começar a boicotar a Espanha como destino turístico, afinal de contas o mundo é muito grande e existe muitos outros lugares para se conhecer. Neguemos pois a Espanha o nosso suado dinheirinho. Eventualmente encerrar contas no Santander na Telefônica na Vivo……

Responder

Sergio

06 de fevereiro de 2011 às 21h41

Força Denise mostre a eles que a colônia acabou.

Responder

Orlando Bernardes

06 de fevereiro de 2011 às 21h30

Já que o governo brasileiro nada faz para resolver este tipo de problema, façamos nós o povo brasileiro. Espanha como destino turístico – nunca. Empresas espanholas aqui no Brasil – façamos boicote à todas elas.

Quem precisa deles?

Responder

Fabio_Passos

06 de fevereiro de 2011 às 21h19

Neste mundo horrendo, em que o capital é completamente livre mas o seres humanos são tratados como lixo, acabamos nos acostumando com a cara de pau daqueles que defendem institucionalmente os regimes.

Não precisa ser assim.

[youtube k40su7eHgIs http://www.youtube.com/watch?v=k40su7eHgIs youtube]

Responder

Fabio_Passos

06 de fevereiro de 2011 às 21h15

O embaixador Carlos Alonso Zaldívar deve é parar de fingir que não enxerga o óbvio: Racismo! Xenofobia!

É com base nessa podridão que a Espanha quer ser reconhecida?

Responder

    Jok

    06 de fevereiro de 2011 às 22h44

    é dor de cotovelo por perderem a última olimpiada pro Rio..

    Luana

    07 de fevereiro de 2011 às 08h28

    O embaixador quer mais é curtir a vida boa na Espanha, fazer um "social" nos salões da elite. Imagina se vai "estragar a relação" tomando partido desses brasileiros chatos! (sarcasmo)
    O cara mente (quando diz que é um caso único, quando sabe que não é)
    O cara assume um papel deplorável quando define a história dos espanhóis como verdadeira (quando sabe que não é) , e não a da brasileira, que deveria proteger
    O cara trata o caso com desdém. E assim estimula a crueldade com brasileiros fora do país.
    E pra quem repete a aberração de que a Espanha pode fazer o que quiser. Como assim? País nenhum pode pisar nos direitos humanos, prender, aterrorizar, humilhar, ainda mais sem motivo algum. Pirou na batatinha?

    Fabio_Passos

    07 de fevereiro de 2011 às 19h46

    Pois é.
    Parece mesmo é que racismo e xenofobia são políticas institucionais da Espanha.

Cláudio Medeiros

06 de fevereiro de 2011 às 21h05

Mas a Denise foi muito (já nem digo, educada) comedida. Com gente desse estirpe mostrado pelo embaixador Carlos, que responde com argumentos esdrúxulos, precisamos ser mais incisivos e, em resposta aos tais argumentos, dizer claramente: É MENTIRA, por causa disto e daquilo…

Responder

Silvio

06 de fevereiro de 2011 às 20h55

Não se pode passar a mão pelo cabelo. Se tem que proceder da mesma forma, não receber mais espanhóis no Brasil.E o governo tratar de recuperar telefônicas etc.

Responder

Roberto Locatelli

06 de fevereiro de 2011 às 20h44

Excelente artigo, de quem conhece o mundo árabe.

A CIA não previu o que estava por vir. Nem o serviço secreto de Israel – Mossab – nem a diplomacia estadunidense.

O sertão vai virar mar. E o mar, virar sertão.

Responder

cristal

06 de fevereiro de 2011 às 20h40

Precisava disso? Pra que procurar sarna para se coçar? Melhor não pisar lá, tem tanto país civilizado por aí, que recebem bem os brasileiros, eu quero distancia dessa gente que pensa ser melhor do que nós, gente aborrecida, arrogante e na pindaíba, ou a crise não está batendo por lá? Qual a relevância desse país para nossa economia? Prefiro aprender mandarim e fazer negocio com os chineses, o país agradece.

Responder

Marcia Costa

06 de fevereiro de 2011 às 20h39

É por isso que eu não tenho vontade de ir fazer turismo na Espanha!

Responder

Glecio_Tavares

06 de fevereiro de 2011 às 20h12

Que todos os outros detidos/deportados venham a conhecer o conteudo desta carta e enviem carta aberta a este embaixador, tomara que as autoridades se envolvam para esclarecer. Chega de ser cidadão de segunda classe.
O Brasil já superou a Espanha em tamanho e tem uns e outros que não querem reconhecer.

Responder

Carlos Cruz

06 de fevereiro de 2011 às 20h11

Complexo de inferioridade o do Sr. embaixador. Talvez ele fizesse parte do staff que retirou os sapatos nos EUA nos infames dias do FHC. Ele está no posto para defender brasileiros e não para desconsiderar o obvio: na Espanha brasileiros são tratados como criminosos e deportados para cá como criminosos. A embaixada serve para quê? São cães de guarda do sr da senzala? Fora o tal embaixador. Ainda aguardo, como cidadão, uma resposta a altura do governo brasileiro ao destrato de brasileiros na Espanha e em qualquer parte do mundo. Isonomia de tratamento é o que desejo! Igual tratamento aos espanhois no Brasil.

Responder

    Ane

    06 de fevereiro de 2011 às 23h56

    Carlos,

    É o embaixador da Espanha no Brasil. Ele tá mesmo pouco se lixando para os brasileiros.

waleria

06 de fevereiro de 2011 às 20h03

Os espanhóis impediram 1831 cidadão brasileiros de entrar em seu país.

Quantos deles, cidadãos espanhóis, impedimos nós de adentrar no Brasil no mesmo período?

Não existe aí um principio de reciprocidade?

Responder

    Até quando?

    07 de fevereiro de 2011 às 12h14

    A Espanha é o país que mais deporta brasileiros no aeroporto?

Urbano

06 de fevereiro de 2011 às 20h03

Coisas fortíssimas que ocorreram há décadas dentro de uma família da cúpula e, o que foi pior, envolvia como suspeito um dos integrantes dessa mesma família, e que foi relegado, recorrendo-se à maior desfaçatez, imagine-se o que ocorre com as demais coisas, principalmente quando vem a ser algo ligado ao interesse de um estrangeiro.

Responder

simonevision

06 de fevereiro de 2011 às 19h49

Orgulhosa de ser tua irma. Uma luta por todo o Brasil. Mais do que justa.
Tenho esperanca que o Brasil reveja suas politicas internacionais com a Espanha…

Responder

Cesar Laus

06 de fevereiro de 2011 às 19h49

Senhora Denise,
A falha não é sua. E deste governo, e dos outros passados, todos, que nao respeitam os seus cidadãos e nos tratam como lixo. A presidentea Dilma esta mais interessada nos direitos humanos do Irã. O nosso ministro das Relações Internacionais está mais interessados em negóciocs. Nós, os que sofremos os constrangimentos, somos os que vivem e votam nestas pessoas. NEsta corja que nos despreza.E, elas, pior, nem ligam pra gente. Somos apenas uma coisa. E coisa chata. Se fossemos cidadãos da Inglaterra, coitado do embaixador espanhol, estaria ouvindo poucas e boas do nosso ministro. Ou, pior, da nossa presidenta. Mas, ela e ele, nem se lixam pra nós. Como sempre e como todos os anteriores.

Responder

    Jairo_Beraldo

    07 de fevereiro de 2011 às 14h46

    Assino embaixo, Laus. As coisas tem que ser analisadas com a razão.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.