VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Com a bandeira do Brasil, mas sem máscara, bolsonaristas lançam perdigotos e ameaçam fotógrafo “comunista” em BH; vídeo
Bolsonaristas que adotaram o "tratamento precoce" se expõem à morte. Reprodução
Você escreve

Com a bandeira do Brasil, mas sem máscara, bolsonaristas lançam perdigotos e ameaçam fotógrafo “comunista” em BH; vídeo


16/03/2021 - 14h16

Da Redação

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, apoiador do presidente Jair Bolsonaro, rendeu-se à realidade do colapso sanitário no estado e decretou a onda roxa.

O motivo é que mais de 85% dos 4.248 leitos de UTI do estado estão ocupados. Em Belo Horizonte, são mais de 93%.

Apesar da decisão, que vale a partir de amanhã, poderão continuar a funcionar, segundo o G1:

  • setor de saúde, incluindo unidades hospitalares e de atendimento e consultórios;
  • indústria, logística de montagem e de distribuição, e comércio de fármacos, farmácias, drogarias, óticas, materiais clínicos e hospitalares;
  • hipermercados, supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, padarias, quitandas, centros de abastecimento de alimentos, lojas de conveniência, lanchonetes, de água mineral e de alimentos para animais;
  • produção, distribuição e comercialização de combustíveis e derivados;
  • distribuidoras de gás;
  • oficinas mecânicas, borracharias, autopeças, concessionárias e revendedoras de veículos automotores de qualquer natureza, inclusive as de máquinas agrícolas e afins;
  • restaurantes em pontos ou postos de paradas nas rodovias;
  • agências bancárias e similares;
  • cadeia industrial de alimentos;
  • agrossilvipastoris e agroindustriais;
  • telecomunicação, internet, imprensa, tecnologia da informação e processamento de dados, tais como gestão, desenvolvimento, suporte e manutenção de hardware, software, hospedagem e conectividade;
  • construção civil;
  • setores industriais, desde que relacionados à cadeia produtiva de serviços e produtos essenciais;
  • lavanderias;
  • assistência veterinária e pet shops;
  • transporte e entrega de cargas em geral;
  • call center;
  • locação de veículos de qualquer natureza, inclusive a de máquinas agrícolas e afins;
  • assistência técnica em máquinas, equipamentos, instalações, edificações e atividades correlatas, tais como a de eletricista e bombeiro hidráulico;
  • controle de pragas e de desinfecção de ambientes;
  • atendimento e atuação em emergências ambientais;
  • comércio atacadista e varejista de insumos para confecção de equipamentos de proteção individual e clínico-hospitalares, tais como tecidos, artefatos de tecidos e aviamento;
  • representação judicial e extrajudicial, assessoria e consultoria jurídicas;
  • relacionados à contabilidade;
  • serviços domésticos e de cuidadores e terapeutas;
  • hotelaria, hospedagem, pousadas, motéis e congêneres para uso de trabalhadores de serviços essenciais, como residência ou local para isolamento em caso de suspeita ou confirmação de covid-19;
  • atividades de ensino presencial referentes ao último período ou semestre dos cursos da área de saúde;
  • transporte privado individual de passageiros, solicitado por aplicativos ou outras plataformas de comunicação em rede.

Mesmo assim, bolsonaristas sairam às ruas para protestar contra o prefeito Alexandre Kalil (PSD), o Supremo Tribunal Federal, as medidas restritivas e em defesa de Jair Bolsonaro.

Durante a manifestação, uma bolsonarista alterada, com a máscara deixando vazar o nariz, protestou contra a presença de um fotógrado do diário O Estado de Minas, que foi empurrado e perseguido pelos manifestantes.

De acordo com o jornal:

As agressões sofridas pelo repórter-fotógrafico constam em Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Adjunta ao Juizado Especial Criminal (Deajec), no Bairro Gameleira, Região Oeste da capital. A violência também foi registrada em fotos e vídeos.

Nas imagens, o profissional – que não será identificado por motivos de segurança –, aparece sendoempurrado e ofendido pelos manifestantes em frente ao 12º BI, quartel do Exército. O grupo tenta impedir que o jornalista filme e fotografe o ato, sob alegação de que ele é “comunista”. 





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bíblia do Bolsonarismo

17 de março de 2021 às 09h22

o respeito aos valores democráticos impõe saber que a última eleição presidencial definiu quem seria o dono da andeira pelo próximos 50 anos. Aos demais que fique com a Cuba, Venezuela, China, etc

Responder

Zé Maria

17 de março de 2021 às 01h45

A Problematização do Mal
no Julgamento de Eichmann,
segundo Hannah Arendt

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/543849-a-problematizacao-do-mal-no-julgamento-de-eichmann-segundo-hannah-arendt

Responder

Zé Maria

16 de março de 2021 às 23h05

.
“Vivemos tempos sombrios, onde as piores pessoas perderam o medo e as melhores perderam a esperança.”

“Os membros fanatizados são intangíveis pela experiência e pelo argumento;
a identificação com o movimento e o conformismo total parecem ter destruído a própria capacidade de sentir, mesmo que seja algo tão extremo como a tortura ou o medo da morte.”

(Hannah Arendt)
.

Responder

Zé Maria

16 de março de 2021 às 23h00

https://twitter.com/i/status/1371887208588795912
O estresse pela Exaustão de uma Enfermeira depois do Plantão em um Hospital sem recursos Lotado de Pacientes no Oxigênio, em Taguatinga/DF.

https://twitter.com/douglasprotazio/status/1371887208588795912

Responder

Pedro. Massarra

16 de março de 2021 às 17h38

pobre prime” btasileiro ê velhaco, estúpido, mesquinho e perverso. Aqui, nem classe média mais existe. São pessoas que ganham mais de 10 ou 20 mil reais por mês mas são rudes miseráveis em tudo o que consomem ou vomitam. Essaa pessoas não sabem falar direito. São alfabetizados mas não sabem ler. Estudaram em grandes escolas mas são estúpidos e mal educados. É o “pobre plus” do Brasil. A ralé mais desgraçada e mesquinha do planeta. Com um dinheirinho sujo no banco…o pobre prime ou pobre plus brasileiro é motivo de desprezo lá fora. Os leprosos que não têm lepra.

Responder

robertoAP

16 de março de 2021 às 16h21

Vai ser interessante ver esses fósseis vivos, espumando como siri fora d’água, nas filas que se formarão fora dos hospitais.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding